Ir para conteúdo

edubisan

Membros
  • Total de itens

    105
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre edubisan

  • Data de Nascimento 15-11-1984

Bio

  • Ocupação
    Área de logística / supply chain.
  1. Otávio, como o pessoal lá no Dilson não falou nada, não subi com pedra nenhuma! Que m****, eu podia ter ajudado. Enfim, fica para a próxima empreitada ao Ferraria!
  2. Olá pessoal, estou indo para a Ruy Braga num dos finais de semana de junho. O roteiro será "ida e volta", começando de "baixo para cima". O plano inicial era pernoite no Rebouças, para a coisa toda fazer sentido... porém, recebi a autorização da travessia em 2 dias, mas não do pernoite no Rebouças. Sendo assim, solicitei autorização para pernoite no abrigo Agua Branca, tendo então que adaptar o planejamento da empreitada. Pelo que vi o Agua Branca fica praticamente no meio do trajeto. Vejo então, dois planejamentos possíveis: 1 - Entrar mais tarde na sede do PNI (considerar viagem de SP até Itatiaia-RJ), pernoitar no Agua Branca. No domingo, subir em direção ao término na travessia/Rebouças, e depois descer tudo de volta. 2 - Entrar cedo no parque (considerando viajar a noite de sexta para sábado), subir até o Rebouças, descer até o abrigo e pernoitar. No domingo, descansar bem e descer com calma de volta à sede do PNI. O que acham? Lá eu vou precisar de barraca? Ou apenas colchão+saco dão conta do recado?
  3. Olá pessoal, voltando da travessia Dilson x Bolinha e trazendo mais informações para os interessados aqui. Saindo do Dilson, até o Itapiroca, sem novidades. Feriadão, tempo bom na quinta, bastante gente. A única estranheza são uns paralelepípedos levados trilha acima, não entendo o motivo. Saindo do Itapiroca, a trilha sentido Cerro Verde segue com boa sinalização de fitas, mas realmente é uma pedreira. Mata bem fechada, obrigando você usar todo seu preparo físico para avançar em meio a floresta com a mochila cargueira. O que estava exposto, foi arranhando, rasgado ou arrancado pela mata! Olhando de cima do Itapiroca ao Cerro, não parece um caminho muito longo, mas o trecho de mata fechada é bem extenso e pesado. Destaque para uma perigosa e escorregadia pedra, que requer muita atenção. Pisada em falso ali pode ser fatal. Nesse outono chuvoso, havia água nesse trecho com bom quantidade e qualidade, é uma água que escorre pelas pedras, não um rio. Depois de sair da mata fechada e alcançar o campo, a trilha segue com menos marcações, mas sem muitos problemas alcançar o cume. Pouco antes do cume há a bifurcação que segue para o Tucum à direita. No cume, tive o privilégio de curtir sozinho um entardecer quase sem vento, pouco frio, e com o espetacular pico do Paraná bem a frente. À noite, mesmo sozinho, dava para se comunicar com as luzes da galera no Tucum, Itapiroca, PP, A1 e A2. Só não vi se tinha gente no Ciririca! O livre de cume deixa claro que essa montanha é pouco frequentada! Livro de 2015 e ainda bem vazio! Depois da garoa fina da madrugada, e sem o sol para secar a barraca, segui ao Tucum, receoso com o “vale dos perdidos”. A trilha está fechada pela pouca visitação, a mata esconde o trilho no fundo, mas o pessoal ali fez um ótimo trabalho de marcação com fitas. Com atenção, se percebe as fitas em todo o caminho, que te levam rapidamente ao próximo ponto de água, bem abundante, e enfim ao paredão do Tucum. Apesar de bem sinalizada, é trilha de gente grande, e demanda muita força para vencer a mata que insiste em arrancar sua cargueira das costas, hehehe. E o paredão do Tucum? Bom. Tem que ir lá para ver. Perigoso, sem dúvida, mas desafiador. Chegar ao cume do Tucum é uma vitória a ser celebrada... no meu caso, com chuva! Daí para baixo é controlar os escorregões e rolar morro abaixo sentindo Bolinha. De lá ainda tive uma longa caminhada até o Dilson para pegar meu carro. É isso aí, apesar do feriado de montanha cheio, o roteiro escolhido me deixou quase o tempo todo sozinho em montanhas igualmente espetaculares nessa serra que mais uma vez me fez rodar quase 1000km ida e volta em dois dias, pela segunda vez!
  4. Otavio, obrigado pelas infos. Estou acompanhando a previsão do tempo e tenho visto bastante chuva por aí na região de Curitiba, inclusive a previsão do feriado nessa semana também é de chuva, me desanimando um pouco de fazer essa empreitada. O que você pode me dizer sobre as trilhas entre Itapiroca x Cerro Verde, e Cerro Verde x Tucum? Chequei os relatos e as informações são que os trechos são um pouco confusos, trilhas pouco utilizadas, e mata de caratuvas "travando" a caminhada. Tem alguma dica? Aproveitando também: A fazenda bolinha tem alguma infra parecida com a estrutura do Dilson? pode-se acampar por lá? Abraço
  5. Olá pessoal. Meu plano é: Dia 1 - Fazenda PP (Dilson) -> Itapiroca -> Cerro Verde Dia 2 - Cerro Verde -> Tucum -> Camapuã -> Bolinha Gostaria de orientações sobre os pontos de água. Pelo que eu tenho aqui: -> Na bifurca da trilha entre Caratuva e PP; -> No vale entre Itapiroca e Cerro Verde -> No vale/encosta, entre Cerro Verde e Tucum -> No vale Tucum e Camapuã -> Próximo ao Bolinha Alguém tem infos recentes? Eu só posso afirmar a primeira água da lista, pois estive lá a poucas semanas atrás.
  6. Pessoal. Em setembro farei Kili, Safari e 4 dias em Zamzibar. Sobre Zanzibar, entro e saio da ilha pelo aeroporto. O que fica melhor para me deslocar na ilha e evitar ficar carregando malas para todo lado? É possível - e qual seria esse - eleger um ponto central de atrações na ilha e daí sair para passar o dia conhecendo diversas regiões? Nao gostaria de ter que buscar mais de um ponto de hospedagem em tão pouco tempo (3 noites). Obrigado!
  7. edubisan

    Kilimanjaro

    Pessoal, vocês estão conversando sobre essa empreitada? Estou verificando a possibilidade também, me coloquem na conversa! meu email é [email protected] Abraço
  8. edubisan

    Mendoza

    Bruno, Você disse que consultou o site Andesmar e acho passagem de BuenosAires para Mendoza por 168 pesos argentinos??? COmo assim, aonde você viu isso??? Eu estou pesquisando exatamente a mesma coisa, e para setembro/12 o preço de cada trecho é em torno de 430pesos argentinos!!! Dá quase 1000pesos ida-e-volta, 500 reais!! Gabriel Fróes Obrigado pela resposta, acho que vou deixar para comprar o Alta Montaña por lá então. Me diga uma coisa, você se lembra quanto pagou pelo passeio? O que ele continha? Almoço e lanche?
  9. edubisan

    Mendoza

    Valeu Leocaetano! Pessoal, outra dúvida é, muito se fala sobre o passeio Alta Montaña. Pelo que vi trata-se de um passei explorado por várias agências que operam em Mendoza, é isso? Vocês acham necessário reserva prévia ou pode-se fechar por lá? Alguém quer sugerir alguma agência?
  10. edubisan

    Mendoza

    Pessoal Vi no fórum e em outros blogs na internet relatos de quem comprou passagens de ônibus de Buenos Aires para Mendoza por entre 480 e 600 pesos argentinos em meados de 2009, 2010. Estou indo para a região agora em setembro/12, e os trechos ida-e-volta estão custando hoje por volta de 950 pesos argentinos. É quase o dobro!!! Está certo isso???
  11. Marioluc, Eu quis dizer no sentido Abraao - Araçatiba. Em Araçatiba tem camping, mas não sei se dá para chegar lá em 1 dia de pernada saindo do Abraao... Teria que pernoitar em algum local no meio do caminho.. E seria Bananal ou Matariz, imagino...
  12. Pessoal, bom dia.. Pretendo voltar a ilha em breve, e gostaria de saber, quais os melhores locais para camping, para que sai do Abraao na caminhado sentido Aventureiro? Como eu já conheco tudo até Japariz, não pretendo nem parar no saco do céu... Acho que na caminhada devo conseguir chegar até Bananal ou Matariz. Em Bananal tem pousadas, mas não tem camping. É fácil conseguir um lugar para dormir por lá (imagino quintal de moradores-mas quanto $$?)? Aproveito para perguntar também como está a trilha para o pico do papagaio... Tranquila? Grande abraço a todos.
  13. Pessoal, Alguém sabe me dizer se para visitar os picos do sol e do inficcionado, fazendo ida-e-volta no mesmo dia a partir do santuário, o acompanhamento dos guias é obrigatório?
  14. edubisan

    Manaus

    fala pessoal, Voltei de Manaus nesse carnaval e foi tudo de bom. Fiquei 5 dias por lá, os 5 praticamente curtindo a floresta amazônica! Foram tantos dias na mata que não tive tempo de conhecer a cidade, o que ficará para uma próxima vez!! Quem está afim de fazer uam imersão na mata mesmo recomento o passeio o Leonardo, da Amazing Tours , que já foi citado aqui no tópico. Eles tem um roteiro bem interessante, com bastante contato com a mata e os animais e também com bastante tempo para descansar e curtir a natureza. Nos outros 2 dias aproveitei para pegar um carro e conhecer Presidente Figueiredo e Novo Airão. Muito bacana! Assim que tiver tempo posto umas fotos por aqui ! Valeu !
  15. Thalita, Quaaaaaase que a gente vai para o Novo Airão juntos hein ? Mas adorei seu relato, será meu guia em Manaus numa próxima visita! bjos!
×
×
  • Criar Novo...