Ir para conteúdo

SimoneCristina

Colaboradores
  • Total de itens

    152
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que SimoneCristina postou

  1. Olá! Mil desculpas pela demora! Fiquei devendo umas visitas aos posts porque estava planejando um mochilão que fiz em maio e logo colocarei aqui, rs. - A subida ao vulcão Villarica estava fechada, só era possível subir nos primeiros pontos e acredito que nem compense. - Chegaram a nos oferecer o rafting, mas com um frio daquele faltou muita coragem, rs. - Também ofereceram o trekking, mas o passeio não era completo porque tinha muito gelo e o desempenho não é o mesmo, logo, não dava tempo de fazer o passeio completo. Um colega que conhecemos fez no dia anterior e falou que curtiu muito, então não sei se você deve abandonar a idéia nessa situação. Não fizemos porque não interessou mesmo, rs. Obrigada, Frida e Henri! Agradeço os elogios demais! Saber que estamos ajudando é o que nos motiva a continuar postando, né? rs Beijos
  2. Olá, Nara! Estou a procura de relatos para meu próximo mochilão, mas não pude deixar de ler o seu, rs, embora seja totalmente o oposto do meu projeto. Eu morei em BSB pouco mais de 3 anos e é uma cidade pela qual você nunca define seus sentimentos, rs. Não resisti e resolvi comentar Por incrível que pareça, não conheci boa parte das coisas que você viu Maaaaaaaaaaaaaaaaas...quero registrar algumas das poucas que vi e deixar a dica pra quem se interessar :'> Com relação a alimentação, me surpreendi em não ver a Pizza a Beça na sua listinha, rs. Se não conhece, PROVE! É um rodízio que custava 23,90 por pessoa até o ano passado (não sei como está hoje) e é delicioso!!! Pizza de massa fininha, diversas opções, tudo com qualidade e bem feito...mais do que recomendado! Sobre a torre de TV, não deixe de visitar! É bonita de dia e mais ainda a noite porque te dá uma vista privilegiada da esplanada. Se não mudou o horário, é permitido subir entre 9hs e 20hs. Não me lembro o horário exato, mas entre 19hs e 20hs (confira por lá) há um show das águas na fonte. Compre um saco de pipoca ou um milho, se preferir, e perca uns 10 minutos assistindo :'> Não sei se já postou algo a respeito, mas, para quem não conhece a cidade e pretende visitar os principais pontos turísticos, é possível fazer uma visita guiada gratuita ao Congresso Nacional e ao Palácio do Planalto. O primeiro ocorre todos os dias e o segundo tem dia certo. Para quem nunca viu, todo primeiro domingo do mês há a troca da bandeira situada na praça dos Três Poderes. Eu fui em duas e gostei! Cada mês é uma das forças que faz e pretendo voltar pra ver a marinha, que foi a que faltou E, claro, não podemos esquecer do Pontão! Os bares ali situados possuem preço elevado, até mesmo para BSB, mas a localização é ótima e muito agradável para um final de tarde. Se quiser apenas andar por um lugar agradável durante o dia, também é uma boa pedida. Bom, que eu me lembre de cara é isso, rs. Qualquer dúvida estamos aqui
  3. Oie! Planejar um mochilão é sempre difícil e fica ainda mais em um local com tantos atrativos como a Ásia! Depois de ler praticamente todos os roteiros do site, além de alguns livros cobre viagens, montei um esqueleto do meu roteiro. Comecei a colocar alguns passeios, mas ainda está bem atrapalhado... Se alguém puder ajudar eu agradeço muito e podem criticar porque eu sei que estou colocando o carro na frente dos bois, rs. 1º dia: Saída de Guarulhos e stop over em X (cidade não definida ainda, rs) 2º e 3º dia: Conhecer cidade X 4º dia: Saída de X e chegada em Kuala Lumpur a tarde 5º dia: Kuala Lumpur; Saída para Cingapura a noite 6º dia: Chegada em Cingapura pela manhã 7º dia: Cingapura 8º dia: Saída a tarde; chegada no Vietnã a noite 9º ao 11º dia: Vietnã 12º dia: Saída de Hanoi pela manhã e chegada em Siem Reap a tarde 13º ao 15º dia: Siem Reap 16º dia: Saída de Siem Reap pela manhã, chegada em Bangkok pela manhã 17º ao 19º dia: Bangkok 20º dia: Saída de Bangkok a tarde; chegada em Chiang Mai no início da noite 21º e 22º dia: Chiang Mai 23º dia: Saída de Chiang Mai pela manhã; chegada em Krabi no início da tarde 24º ao 26º dia: Krabi e ilhas 27º dia: Saída de Krabi a tarde, chegada em KL a noite 28º dia: Saída de KL para Guarulhos. Talvez com um stop over de 1 dia em Johannesburg. Agradeço todas as sugestões antecipadamente, principalmente referente à Tailândia, rs. Ah, estou pensando em pegar a ida pra KL com stop over em Cingapura, o que me renderia uns dias a mais na Ásia. Beijinhos
  4. Oi, Rafael! Tudo bom? Você sabe o nome do templo todo branco que você foi? Achei bacana e pretendo incluí-lo no meu roteiro. Bjinhos
  5. Ju e Douglas, muito legal o relato de vocês! Já peguei várias dicas, rs. Infelizmente não tenho o mesmo tempo para viajar, então limitarei os locais e precisarei de alguns deslocamentos extras de avião Índia e Indonésia já ficam de fora logo de cara, rs. Beijos
  6. SimoneCristina

    Xangai

    Oie, Wagner! Cadê o resto do relato?!?!? Aonde mais você foi? Tô planejando um mochilão pela Ásia, mas ainda estamos definindo os lugares por onde passaremos. Tinha tirado a China porque os poucos que eu li não foram animadores, mas com o seu relato eu a coloquei de volta na relação, rs. Abraços!
  7. Oie, Juliana! Tudo bom? Bom, tentarei te ajudar na sua dúvida, rs. Pra começar, como as passagens compradas são para chegada e saída de La Paz eu acho que ficaria corrido fazer tudo que pensou, até porque perderia muito tempo para voltar a La Paz, ou gastaria muito com passagem aérea. Darei aqui a minha opinião sobre o que fazer e o que deixar pra próxima, mas é claro que é tudo muito pessoal, mas espero que minha resposta faça com que outros mochileiros se empolguem e postem também Eu gostei tanto do Salar, quanto de Machu Picchu, mas, nesse caso, optaria pelo Salar de Uyuni. Quando eu fui tivemos alguns problemas e optamos pelo passeio de 2 dias no Salar...e fiquei com vontade de voltar para fazer o completo! rs. O passeio de 2 dias te leva até o vulcão e passa pela Isla del Pescado (acho que todos param lá na volta ). O passeio de 3 ou 4 dias leva até as lagunas, se não me engano, mas não tem tempo de subir no vulcão. Sendo assim, eu pegaria o de 5 dias para fazer tudo! Dizem que as lagunas valem muuuito a pena e eu curti a subida do vulcão Em La Paz eu indico, sem sombra de dúvida, o passeio de um dia Chacaltaya + Vale da Lua, o segundo não é lá essas coisas, mas Chacaltaya tava show de bola quando fui! La Paz também tem umas coisas legais, vale a pena passar pelo menos 1 dia na cidade. Eu fui em julho e peguei muuuuuito frio! Torço para que você não passe por isso, hahaahaha Faz 2 anos que eu fui, então não sei se sou parâmetro para os gastos. Para ter uma idéia de preço e ver dicas de lugares para ficar e comer dá uma olhadinha no meu relato, talvez ele te ajude: nosso-primeiro-mochilao-bolivia-e-peru-em-julho-2009-16-dias-agora-com-fotos-t55608.html Espero ter ajudado! Beijinhos
  8. TERMINANDO... 28/07/2010: Santiago Saímos para conhecer mais da cidade e fazer compras. Fomos ao Cerro Santa Lucía e aproveitamos que em frente tem uma feira de artesanato e é boa para as tradicionais comprinhas. Saindo de lá não resistimos ao McDonald’s e comprei um trio + sorvete por 2.700 pesos. O legal é que lá a palta é tão famosa que até eles fizeram lanche com isso Nós passamos na praça e fomos atrás de um pacote para esquiar. Depois de muito pesquisar e chorar preço nós fechamos com a Askme ([email protected]) por 66.500 pesos por pessoa levando um grupo de 11 e incluía: aulas e entrada (18.500) + roupa e equipamento (30.000) + transfer (18.000). Escolhemos Farellones porque é melhor pra quem não sabe. Além de ser mais vazia (dá pra tentar mais vezes), a pista é mais fácil. Sem contar que é mais barato! Para quem vai apenas passear ou já tem a manha o Valle Nevado é melhor. O Andes Hostal oferece massas e vinho as quartas e churrasco aos domingos de graça para os hóspedes. Por isso, descemos 21hs e pouco para jantar. Foi servida massa com um molho branco com umas coisinhas e vinho tinto. Sentamos com três mineiros gente boa que fariam o passeio da Askme com a gente e a noite foi divertida, apesar do cozinheiro ser péssimo, hahahaa. Gastos do dia por pessoa: - Alimentação = 3.514 pesos - Hostal (1 diária) = US$ 17,00 29/07/2010: Santiago Saímos cedo para o ski, paramos para pegar roupa e equipamento e fomos para Farellones. Nossa aula começou meio-dia e foi até 13h30 com uma professora muuuuuuuuuuuuuito fraca e chata! O pessoal do Rio de Janeiro que foi com a gente pegou uma bem melhor. Depois da aula comemos um lanche e fomos para a pista. Um povo se deu bem, outros se deram mal...eu acho que fiquei na média Desci três vezes: na primeira não conseguia controlar a velocidade e tive que me jogar três vezes para não atropelar as criancinhas, na segunda só me joguei uma vez por não conseguir direcionar e precisei evitar cair do barranco e na terceira fui em pé do começo ao fim \o/ O passeio é bem legal, o povo era muito gente boa...o que mata é o equipamento porque a bota machuca a perna demaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaais!!! Fiquei com a canela inchada, vermelha e doendo por muito tempo, mas vale a pena! Vimos uma camiseta na loja assim: “O Brasil é maravilhoso, só falta a neve!”. Se não trouxesse o frio junto eu até concordaria Voltamos muito cansados e nem agüentamos sair...bodamos! Gastos do dia por pessoa: - Passeio Ski = 66.500 pesos - Hostal (1 diária) = US$ 17,00 30/07/2010: Santiago Acordamos cedo para ver a troca de guardas no Palácio da Moeda. É bem animada, com músicas diferentes (inclusive brasileira). De lá fomos ao mercado central, onde comprei um Casillero Del Diablo com lata para proteção/presente por 4.450 pesos, compramos plástico bolha para proteger as garrafas e um lanchinho antes de ir ao hostal. No caminho paramos em uma lojinha na mesma rua do Andes para comprar mais vinho porque vimos que estava barato. Comprei três J. Bouchon por 3.299 pesos cada! Arrumamos as malas e fechamos a conta no hostal, sendo que o Sérgio nos buscou 12h30 para nos levar ao aeroporto (US$ 10,00). No aeroporto descobrimos que tem uma taxa de US$ 25,00 para despachar uma bagagem até 20 kgs. Ficamos putas, mas não tinha como argumentar, né? Antes de embarcar a Ju foi comprar lanche enquanto eu ligava pra casa e gastava meu resto de peso com um refrigerante local. Com isso nos perdemos e fiquei mais de meia hora igual doida para achar a Ju naquele aeroporto. Nosso vôo saiu uns 15 minutos atrasado, pegamos muita turbulência e ainda enrolaram na saída. Bye, bye Santiago! Em Montevidéu descobrimos que o vôo estava muito atrasado. Compramos mais chocolate na DutyFree deles e um lanchinho. Nosso vôo que era pra sair 19h20 só saiu depois das 21hs! Com isso a Ju perderia o vôo dela de Guarulhos para BH, mas, apesar da raiva, demos muita risada da situação Detalhe que o vôo dela era 21h40 e chegamos perto de meia-noite. Quando ela foi ver como fazia para trocar a passagem disseram que o vôo estava super atrasado porque a tripulação chegaria em um vôo que também estava atrasado e ela ainda conseguiu embarcar Gastos do dia por pessoa: - Metrô = 520 pesos - Vinho = 14.347 pesos - Plástico bolha = 650 - Alimentação = 1.300 pesos + R$ 7,00 - Taxa embarque = 13.500 pesos - Táxi Santiago = US$ 10,00 - Chocolate = US$ 21,00
  9. CONTINUANDO... 27/07/2010: SPA Madrugamos para ir aos Geysers El Tatio pela mesma empresa (a van nos pegou 4h10 no hostal!), o que nos saiu de 18.000 + 5.000 pesos de entrada por 15.000 + 2.000 pesos com carteirinha furreca. O guia, Danilo, é muito gente boa, apesar de xavequeiro. Ele é chileno, mas morou em SP e adora o Brasil, por isso fala muito bem o português. Segundo ele, na saída do hostal estava -4ºC e no Geyser chega a -18ºC...sorte que estávamos encapotadas por medo do frio. Acho que coloquei todas as calças e casacos que levei, haahahahahha. Chegamos à entrada dos primeiros às 6h30, horário aproximado que os Geysers entram em atividade. Mesmo com quatro calças (sendo duas de lã), duas meias (sendo uma térmica), segunda pele, quatro casacos (duas de lã e um grossão), cachecol, protetor de orelha, gorro, luva de lã e de couro...nossos 20 dedos congelaram! Hahaahah [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110615091204.JPG 500 375 Legenda da Foto] [/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110615091419.JPG 500 375 Legenda da Foto]Não tava frio não...impressão sua.[/picturethis] Demos uma caminhada com a explicação do Danilo e eu, que já tenho pressão baixa, comecei a passar mal naquele frio absurdo. Começou a me dar falta de ar e, de repente, vi tudo branco. Mal pisquei o olho e já tava no chão sem entender nada do que falavam. O Danilo me deu um chocolate e meio que me escorou até o final daquele trecho, quando outra mulher passou mal. No final dessa parte eles nos dão um lanche, mas nem conseguir comer muito. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110615091450.JPG 500 375 Legenda da Foto]Geysers el Tatio.[/picturethis] Fomos até outra área com Geysers maiores onde tem uma parte que dá pra colocar a mão na água quente sem problema (os outros queimam!). Andamos mais um pouco, vimos o sol nascer e alguns loucos tiveram coragem de entrar nas águas termais ao final da caminhada. Não ficaria de biquíni naquele frio nem que me pagassem! [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110615091522.JPG 500 375 Legenda da Foto]Começa a esquentar. [/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110615092712.JPG 500 375 Legenda da Foto]Geyser.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110615091604.JPG 500 375 Legenda da Foto]As termas no Geyser.[/picturethis] Partimos para o vilarejo Machuca, parando para umas fotos de vicunha, lhamas, entre outros no caminho. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110615091658.JPG 500 375 Legenda da Foto]A caminho de Machuca.[/picturethis] Machuca tem, oficialmente, quarenta habitantes, embora possa encontrar 3, 4, 1...varia de acordo com a época. Como no Chile é obrigatório freqüentar a escola, a saída dos habitantes é justificada uma vez que ali não há escola. Lá comemos empanada de queijo (estava mais para pastel) e espetinho de lhama com cebola. Outras observações interessantes: as casas possuem uma cruz no telhado que foi colocada após o seu batismo e ninguém pode morar ali até que isso aconteça, os habitantes do norte do Chile entendem como ofensa quando desconhecidos tiram fotos deles. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110615091740.JPG 500 375 Legenda da Foto]Machuca[/picturethis] De volta à SPA tiramos o excesso de roupa e fomos dar uma volta na cidade...por dez minutos (sim, ela é um ovo). Almoçamos no Inti Sun, aonde comi um mega sanduíche de carne com queijo por 2.200 pesos e tomei uma coca por 800 pesos. Pegamos nosso ônibus 17h45 em ponto (1.500 pesos cada) pela Atacama 2000 e nos disseram que no centro encontraríamos muitos táxis para o aeroporto em frente a garagem deles, mas todos eram coletivos e não passavam no aeroporto Resolvemos sair à caça deles e encontramos um há uns dois quarteirões a frente por 5.000 pesos a corrida. Nosso vôo fez uma parada em Antofogasta e chegou a Santiago à 1h30. Lá tinha dois cachorros que buscavam drogas em todas as malas e descobrimos que lá é ponto de droga devido à proximidade da Bolívia e ficamos aliviadas de não inventar de trazer folhas de coca dessa vez. Gastos do dia por pessoa: - Passeio Geyser = 17.000 pesos - Alimentação = 6.600 pesos - Ônibus SPA-Calama = 1.500 pesos - Táxi Calama = 2.500 pesos - Táxi Santiago = US$ 7,50 - Hostal Santiago = US$ 17,00
  10. 25/07/2010: Santiago O dia começou ensolarado, mas ainda fazia frio. Fomos ao Palácio de La Moneda de metrô para ver a troca de guardas indicada pelo Sérgio, mas descobrimos que ele estava enganado, rs. A troca acontece em dias intercalados de fato, mas foi no dia anterior (em julho seria nos dias pares). [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603074453.JPG 500 375 Legenda da Foto]Palácio La Moneda.[/picturethis] Voltamos a pé para aproveitar para conhecer mais alguma coisa no caminho. Passamos na primeira igreja de Santiago que resistiu ao terremoto, mas estava fechada, fomos ao museu precolombino que, assim como muitos lugares, estava fechado para reforma desde o terremoto, passamos na Plaza de Armas e fomos ao mercado central para almoçar no “El Galeón”, um restaurante de muitos brasileiros. Lá nós provamos o Cuncanto de Congrio, basicamente um peixe com queijo ao molho de mariscos, acompanhado de arroz, batata e salada. Pedimos refrigerante para acompanhar e tudo saiu por 6.130 pesos para cada já com os 5% do serviço. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603074542.JPG 375 500 Legenda da Foto]Primeira igrejinha que não lembro o nome. [/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603074624.JPG 500 375 Legenda da Foto]Santiago.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603074705.JPG 375 500 Legenda da Foto]Centolha do El Galeón.[/picturethis] Saindo de lá fomos ao hostal esperar o Sérgio para conhecer a Concha y Toro (só para lembrar: 15.000 pesos cada com as entradas). [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603074734.JPG 375 500 Legenda da Foto]Concha y Toro.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603074908.JPG 500 375 Legenda da Foto]Concha y Toro.[/picturethis] No início eles passam um filme de aproximadamente seis minutos sobre a vinícola e nos levam para conhecê-la. Nós passamos pela antiga cada da família onde hoje funcionam os escritórios e tivemos que agüentar um brasileiro chato questionando as informações contábeis que o cara dava Conhecemos um dos vinhedos, provamos um vinho branco com direito a explicação sobre como apreciá-lo e a taça personalizada ficou de brinde Saindo da degustação fomos até os tonéis e ao Casedillo Del Diablo, local onde ficam armazenados os vinhos mais famosos deles com o mesmo nome. Lá dentro tem uma gravação que nos conta a lenda e nos dirigimos à outra degustação, dessa vez de um vinho tinto mais forte. Ao final passamos em uma loja deles e comprei uma garrafa de TRIO (Chardonnay, Pinot Grigio e Pinot Blanc) por 4.490 pesos e uma proteção muito boa para a garrafa por 900 pesos. DICA: Pesquise preço antes de ir porque nós planejávamos comprar todas as garrafas lá, mas descobrimos que em outros locais é mais barato. Só compramos aquela que não encontramos em qualquer loja. Chegamos ao hostal perto das 18 hs, descansamos e nos arrumamos para conhecer o restaurante giratório. Esse restaurante é legal porque temos uma visão da cidade toda e a cada hora a vista é diferente, mas tem que reservar antes se quiser garantia de lugar perto da janela! Pedimos camarões andinos com molho de ervas e queijo de cabra, com arroz, uma garrafa de vinho tinto e uma tábua de frios (jamón serrano, queijo e arrollados de porco)...ficou em 16.940 pesos para cada com os 10%. É caro, mas é um jantar 5 estrelas :'> Gastos do dia por pessoa: - Metrô = 1.560 pesos - Passeio = 15.000 pesos - Hostal (1 diária) = US$ 21,00 - Alimentação = 23.720 pesos - Vinho + proteção = 5.390 pesos 26/07/2010: SPA O Sérgio nos pegou no hostal às 4hs da manhã para o aeroporto. Nós fechamos com ele os três trajetos que faríamos ao aeroporto por US$ 50,00 porque achamos vantajoso pelo horário que sairíamos, sendo que as duas primeiras ficariam em US$ 30,00 cada e a última por US$ 20,00. O vôo era bem melhor do que o que tivemos com a Pluna Chegamos a Calama às 7h45 com uma temperatura agradável de -4ºC Lá encontramos um trio e fechamos uma van até o terminal por 3.000 pesos, aonde pegamos um ônibus da Atacama 2000 para San Pedro do Atacama por 1.500 pesos cada. O ônibus não é dos melhores, mas a viagem é curta e não tem problema. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603074936.JPG 500 375 Legenda da Foto]Caminho para SPA.[/picturethis] Em SPA estava um pouco melhor, mas ainda fazia frio. A cidade é pequena, cheia de terra, sem cor...me senti em Uyuni, só que sem vento, hahahaahah. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603075010.JPG 500 375 Legenda da Foto]SPA.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603075038.JPG 375 500 Legenda da Foto]Como toda cidade pequena, eis a igreja desta. [/picturethis] Como não reservamos albergue saímos à caça, assim como a maioria que veio no nosso ônibus, rs. Entramos nos que tínhamos indicação, seja pelo site do mochileiros, seja pelo guia de viagem que levamos. Acabamos no Hostal Miskanty (Pasajera mutulera, nº 141; tel: 055 851430; [email protected]) em um quarto duplo com banheiro privativo e sem aquecimento por 11.000 pesos cada. O hostal é perto de tudo (embora isso seja redundante porque SPA é um ovo) e a dona é muito gente boa, até nos deixou entrar 10 e pouco (quando chegamos) e ficar até a hora do nosso ônibus de volta (17h45 do outro dia) sem pagar mais uma diária! :'> Saímos para fechar os passeios e a dona do hostal falou para não pegar na Colque Tours porque era ruim, nossa primeira opção até então por causa da experiência na Bolívia. Ainda assim olhamos nela e na Desert Adventures que a moça indicou. Como o preço era o mesmo, fechamos na Desert o passeio das Lagunas e o Geyser. Claro que teve a tradicional choradinha e a carteirinha de estudante meia boca para conseguir um descontinho [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603075110.JPG 500 375 Legenda da Foto]Mochilas no hostal, bora procurar passeio.[/picturethis] Almoçamos em um restaurante lá perto chamado Coyote. Cardápio do dia: Frango grelhado, batata, arroz e refrigerante por 2.900 pesos. Já que o atendimento era bom, deixamos até caixinha Passamos na feirinha artesanal e de lá voltamos ao hostal para descansar até o horário do passeio. A van saiu da frente da agência às 15hs e o passeio das lagoas saiu de 15.000 + 2.000 da entrada por 10.000 + 1.500. Visitamos a Laguna Ceja, mas só molhamos os pés porque estávamos sem biquíni. Mesmo que estivéssemos usando acho que não daria para encarar porque a água é muuuuito gelada, embora o sol estivesse queimando nessa altura do campeonato. Essa laguna tem 7 vezes mais sal do que o mar, tornando quase impossível afundar. São três lagoas e a do meio é a mais bonita! [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603075313.JPG 500 375 Legenda da Foto]Laguna Ceja.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603075449.JPG 500 375 Legenda da Foto]Laguna Ceja.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603075520.JPG 500 375 Legenda da Foto]Laguna Ceja.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603075601.JPG 500 375 Legenda da Foto]Pensa no tanto que essa água estava gelada![/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603075644.JPG 500 375 Legenda da Foto]O sal que fica na perna sem nem ter secado direito. Agora imagina meu pé todo machucado, com ferida, e eu pisando nessa água nem doeu [/picturethis] Ah, tem gente que faz o passeio de bicicleta, mas tem que ter muito preparo físico, hahahaah. Preferimos ir sentadinhas na van [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603075715.JPG 500 375 Legenda da Foto]Mais um pouco do caminho.[/picturethis] Na saída o guia nos passa uma água muito fedida para tirar o sal e vamos aos Ojos Del Salar. São duas lagoas muito bonitas também e tem gente que entra na água, hahaha. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603075834.JPG 500 375 Legenda da Foto]A gente já chegou? [/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603075916.JPG 500 375 Legenda da Foto]Ojos Del Salar.[/picturethis] Por fim, fomos ao lago Tebinquince, onde fizemos um lanche por conta da agência e admiramos o pôr do sol. Nosso lanche foi batatinha, doritos, suco e pisco sour e serviu para passar o tempo até o momento certo Com o sol se pondo as montanhas ao redor ficam com tons de laranja e vermelho e o reflexo na água fica bem bonito. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603080012.JPG 500 375 Legenda da Foto]Lago Tebinquince.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110603080042.JPG 500 375 Legenda da Foto]Final da tarde no Lago Tebinquince.[/picturethis] No retorno o guia nos deixou próximas à agência e voltamos a pé para o hostal. No caminho vi o céu mais lindo e estrelado que já vi e, pra ajudar, estava na fase de lua cheia! Pena que a minha máquina não é boa para isso Gastos do dia por pessoa: - Táxi Santiago = US$ 7,50 - Van para o terminal = 3.000 pesos - Ônibus para SPA = 1.500 pesos - Hostal (1 diária) = 11.000 pesos - Alimentação = 3.100 pesos - Passeio Laguna Ceja = 11.500 pesos TÁ ACABANDO, RS...
  11. Valeu, Luiz! Em Pucón tem muita coisa de aventura mesmo! Em julho não dá pra curtir tanto por causa da neve, mas em agosto você terá muita opção. Entra no site da trancura, mesmo que não for fechar com eles, só pra você ter uma idéia do que tem. Tô chegando na parte de Atacama no relato Beijos
  12. CONTINUANDO... 23/07/2010: Santiago Chegamos ao terminal às 7 horas e pegamos um metrô (580 pesos) para o hostal. Lá deixamos as malas e conseguimos um quarto duplo com banheiro coletivo por US$ 42,00 para o mesmo dia e para domingo (25/07), no sábado (24/07) ficaríamos em um quarto para quatro pessoas, mas só com nós duas, com banheiro coletivo por US$ 50,00. Como o check in ocorre às 14hs, nós tivemos que guardar as malas no albergue e saímos para andar um pouco. Comi uma empanada de pino (espécie de esfiha de carne) por 720 pesos e descobrimos que em Santiago tudo começa tarde, por isso voltamos para o hostal e refizemos nossa rota antes de sair de novo. Fomos até a Casa Colorada, mas ela estava fechada para reforma, então fomos até a Plaza de Armas nos informar sobre passeio porque lá algumas pessoas ficam em carrinhos vendendo pacotes e dando informação. O cara que nos atendeu era super legal! Explicou tudo com a maior paciência, deu dicas... fechamos o tour de Valparaíso por 30.000 pesos e combinamos a Concha y Toro por 25.000 pesos, mas este só de boca. Pegamos o metrô (1.040 pesos ida e volta) e fomos ao Cerro San Cristóbal. Primeiro fizemos uma parada no famoso “Como água para chocolate” (Constitución, nº 88 – Providencia; tel: 777 87 40) – http://www.comoaguaparachocolate.cl – e comemos uma Corvina Al Fuego (Corvina flambada em rum com risoto) maravilhosa por 5.665 pesos com um refrigerante. :'> [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531083426.JPG 500 375 Legenda da Foto]Como água para chocolate.[/picturethis] Enquanto esperávamos a comida brincamos sobre a garçonete ter dado uma encoxada no cara que estava no caixa. No final ela nos levou a conta e começou a falar em português, mas toda grossa. Só depois nos tocamos que ela entendeu tudo aquilo que falamos e não conseguíamos levantar de tanto dar risada da situação. Fica a dica: Cuidado com o que falar porque no restaurante a maioria dos clientes e do pessoal que trabalha é brasileiro. Após o restaurante fomos ao zoológico que fica no Cerro (2.000 pesos por pessoa) e morremos de dó dos bichos, rs. Acho que zoológico e circo perdem a graça quando a gente cresce e descobre o tratamento que é dado aos animais Lá tinha urso polar, pingüim, canguru, tigre branco (inclusive com filhotes, na época), etc, etc, etc... Como ameaçava chover e não conseguiríamos curtir a vista lá do pico, voltamos ao hostal, parando em algumas lojas no caminho, incluindo cartão telefônico para chamada internacional (2.000 pesos). [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531083601.JPG 500 375 Legenda da Foto]Um pouco de Cueca na entrada do metrô.[/picturethis] Saímos perto das 20 horas para o bar indicado pelo Leo, o cara que nos atendeu sobre o tour, onde eles estariam também. O bar chama La Piojera e é um bar típico perto do mercado central. Na verdade, é um espaço aonde vai gente o dia todo, de tudo que é jeito, para beber e conversar, alguns levam violão... [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531083712.JPG 500 375 Legenda da Foto]La Piojera.[/picturethis] Encontramos o Leo com um amigo dele e ganhamos um drink do qual fez propaganda anteriormente: Terremoto (sorvete de abacaxi, vinho branco e um licor argentino. Ele nos avisou que não é recomendado aos brasileiros chegar ao terceiro copo porque a altitude nos embebeda mais rápido. Foi bacana, ficamos conversando, brincando, curtindo o lugar um pouco e compramos mais um terremoto por 1.800 pesos (o copo tem 500 ml). [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531083636.JPG 500 375 Legenda da Foto]Nós quatro no bar La Piojera.[/picturethis] Na baladinha conhecemos um brasileiro que mora no Chile há um ano e ficava de papo, mas nem demos muita moral. Depois de um tempo eu estava conversando com o brasileiro e a Ju me chamou para ir embora porque umas meninas perto dela disseram que o brasileiro queria nos roubar e por isso estava de papo. O problema foi que o cara ouviu, ficou puto e começou a confusão! Eu tentando amenizar as coisas e, quando conseguia acalmá-lo, a Ju falava alguma coisa e eles voltavam a bater boca. Chegou uma hora que eu desisti e resolvemos ir embora mesmo. No metrô a Ju percebeu que os nossos tickets do metrô tinham sumido, assim como o meu dinheiro (13.000 pesos). Ela ficou muito puta e começou a xingar os brasileiros, até perguntou aos dois chilenos que nos acompanharam como que xingava em espanhol, hahahaha. Os dois tentaram acalmá-la e eu tava viajando porque nessas horas não adianta estressar...vão as jóias, ficam os dedos E sempre sou eu quem se lasca mesmo, hahahaha. Os dois pagaram nossos tickets e voltamos ao hostal. Ah, na nossa estação o amigo do Leo também desceu e a Ju saiu correndo atrás dele sacudindo o dinheiro dela com a mão para pagar os tickets que eles no deram e ele saiu correndo dela, hahahaah...muito engraçada a cena. Gastos do dia por pessoa: - Metrô = 1.620 pesos - Hostal (1 diária) = US$ 21,00 - Entrada zoológico = 2.000 pesos - Cartão telefônico = 2.000 pesos - Alimentação = 6.385 pesos - Terremoto = 1.800 pesos - Roubo = 13.000 pesos (ô preju!) 24/07/2010: Santiago Deixamos nossas mochilas na salinha do hostal de novo porque trocaríamos de quarto (isso é um porre e não recomendo! ), tomamos café e esperamos a van para o passeio em Valparaíso e Viña del Mar que chegaria 9h30. Enquanto esperávamos parei para escrever um e-mail sobre a noite anterior. Eu estava lendo o que escrevi antes de enviar e me dei conta que nós não tínhamos comprado ticket de metrô na noite anterior para a volta do barzinho porque fomos a pé e estávamos em dúvida sobre voltar a pé, de metrô ou de táxi, além do fato de deixar o horário da volta limitado porque cada período é um preço. Quando comentei com a Ju morremos de rir lembrando dela xingando e correndo atrás do chileno, hahahahahaha. Ela fez o maior escarcéu por nada, hahahaha...mas o meu dinheiro foi roubado mesmo, o que diminuiu nossa vergonha diante dos meninos que nos acompanharam No caminho o guia nos explicou algumas coisas sobre Santiago, contou algumas curiosidades, nos mostrou um vinhedo e paramos em uma lojinha onde provamos chicha (muito ruim) que é uma bebida feita da primeira fermentação da uva e compramos uma bandeja de doces com doce de leite (1.800 pesos). De lá fomos para Valparaíso para conhecer a casa de veraneio de Pablo Neruda (La Sebastiana) e o porto, onde tem uma praça que antes era mar, mas os terremotos ao longo dos anos fizeram com que a água recuasse uns 300 metros. Nessa praça comprei um lanchinho por 300 pesos [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531083802.JPG 500 375 Legenda da Foto]Vinhedo a caminho de Valparaíso.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531083834.JPG 375 500 Legenda da Foto]Funicular em Valparaíso.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531083906.JPG 500 375 Legenda da Foto]Em um papo cabeça com meu amigo Pablito. [/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531083938.JPG 500 375 Legenda da Foto]La Sebastiana.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531084046.JPG 500 375 Legenda da Foto]O sertão vai virar mar, o mar vai virar sertão...[/picturethis] Ah, Valparaíso foi declarada patrimônio público do Chile e é o principal porto do país. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531084016.JPG 500 375 Legenda da Foto]Valparaíso.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531084116.JPG 500 375 Legenda da Foto]Valparaíso.[/picturethis] O tour é legal, mas não sei se vale o preço que cobraram e acho que não vale a pena ir por conta pensando na economia porque sem as explicações não é nem um pouco interessante. Paramos em Viña Del Mar para almoçar e comemos no restaurante indicado pelo guia mesmo. A Ju e eu meiamos um contra filé na chapa, uma porção de arroz e uma de batata e ficou em 5.350 pesos para cada uma. Para fechar, tomamos um sorvete apreciando a vista da praia. Descemos até a praia para tocar o oceano Pacífico e fomos ao final para ver os lobos marinhos, passamos em um Moai que fica na cidade e voltamos para o hostal. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531084213.JPG 500 375 Legenda da Foto]Viña del Mar.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531084329.JPG 500 375 Legenda da Foto]O Pacífico.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531084405.JPG 500 375 Legenda da Foto]Tá vendo um pontinho preto lááááá no fundo? Sim, são lobos marinhos [/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110531084437.JPG 500 375 Legenda da Foto]Se Maomé não vai a montanha...o Moai vem até a gente [/picturethis] No caminho fechamos a vinícola Concha y Toro com o guia por 15.000 pesos cada (10.000 a menos que o outro) para domingo. Antes de nos recolhermos, paramos no mercado para comprar algumas coisas para comer a noite. Gastos do dia por pessoa: - Passeio = 30.000 pesos - Hostal (1 diária) = US$ 25,00 - Alimentação = 10.498 pesos Prometo que termino o relato essa semana
  13. Olá! Postei meu relato sobre a viagem para a Bolívia e Peru com um mega atraso, mas acho que esse terá um atraso aceitável, hahaha. Nas próximas vezes eu conseguirei colocar a tempo De 19/07/2010 a 30/07/2010 a Ju e eu fomos para o Chile, nos encontrando em Guarulhos novamente, por causa do preço da passagem e pela visita dela à família Nosso roteiro, basicamente, foi o seguinte: - Santiago (8 dias) --> Inclui visita a Valparaíso e Viña del Mar - Pucón (2 dias) - San Pedro de Atacama (2 dias) Não estou agora com o valor da cotação exata que pegamos, mas a viagem TODA (passagem, hospedagem, alimentação, passeio, transporte, presentes, etc etc etc) ficou em torno de R$ 3.600,00. No primeiro relato evitei detalhar os preços pra não ficar cansativo, mas dessa vez tentarei mostrar um pouco mais, evitando apenas o preço dos presentes para o caso de algum presenteado entrar aqui . Se eu esquecer de algum valor que vocês tenham interesse é só perguntar. Ao final de cada dia do relato colocarei o meu gasto do dia, assim dá pra ter uma idéia do custo da viagem por pessoa. Para gastos fixos, como táxi, é só multiplicar o valor por dois e refazer a divisão, caso os planos de vocês não seja viajar em dupla. 19/07/2010: Chegada a Santiago Só pra variar, compramos as passagens em cima da hora e não conseguimos aproveitar as promoções. As minhas passagens Guarulhos/Santiago e Santiago/Guarulhos saíram por R$ 891,77 já com as taxas e paguei R$ 77,00 de seguro viagem. Dessa vez voamos pela Pluna, que é uma cia muito inferior à Taca. O avião era muito pequeno, apertado, não serviram nem um copo de água de graça e a aeromoça era praticamente um sargento! Ela chegou até a confiscar a mala de um cara só porque ele a pegou do bagageiro quando ela pediu para apertarem o cinto. Embora tivéssemos pesquisado bastante, a nossa organização deixou a desejar dessa vez e precisamos decidir melhor a ordem do roteiro no vôo. Na conexão em Montevidéu estávamos verdes de fome e comemos uma empanada de presunto e queijo que mais parece um pastel assado e dividimos uma coca. Tudo saiu por R$ 16,00. O DutyFree deles é enorme e mais barato do que o do Brasil, então não resistimos e nossa visita nos rendeu duas barras de chocolate para cada, hahahaa. Ah, esse restaurante/lanchonete onde comemos aceita real, mas não espere receber o troco na mesma moeda, literalmente. A nossa sorte em Montevidéu foi que as poltronas do aeroporto são muito confortáveis, pois o segundo vôo saiu com 2 horas de atraso! [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530141337.JPG 500 375 Legenda da Foto]Cordilheira![/picturethis] Na chegada a Santiago nós pegamos uma van até o hostal que custa 5.500 pesos por pessoa, mas choramos um pouco o preço porque tivemos que pagar com dólar porque não tínhamos trocado ainda e no aeroporto a cotação é sempre ruim (saiu por US$ 10,00 cada). Há também a opção de ir de ônibus que custa cerca de 1.700 pesos por pessoa, mas ficaríamos longe (a van nos deixou na porta do hostal) e precisaríamos de um táxi. Pode até sair mais barato, mas para quem chega cansado não vale a pena, em minha opinião. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530141421.jpg 500 375 Legenda da Foto]Chileeee, chegamos![/picturethis] Escolhemos o Andes Hostal por sugestão de um amigo meu, mas não fizemos reserva e só tinha quarto duplo com banheiro privado para o mesmo dia e por US$ 58,00 a diária. Depois teríamos que trocar de quarto, o que não era ruim porque estava caro. O Hostal é bem ajeitado, tem bar e mesa de sinuca na recepção, o banheiro coletivo é limpinho, fica praticamente em frente à estação de metrô Bellas Artes e a quatro quarteirões da Plaza de Armas... Antes de comer procuramos casas de câmbio para trocar dólares na rua Agustinas, onde dizem ser o melhor lugar para isso. Conseguimos uma casa de câmbio (Beach tour: Rua Agustinas, 1111 – tel: 695-0305) com a cotação de US$ 1,00 = 532 pesos e ficamos nela mesmo porque foi uma das melhores. Na saída paramos em uma lanchonete e pedimos o famoso cachorro quente italiano (pão, salsicha branca, maionese, palta = pasta de abacate e tomate – este pedimos para tirar). Quem já leu meu outro relato sabe que eu adoro provar coisas típicas e a Júlia é quem sofre com isso, hahaaha. Os dois lanches + fritas + refrigerante saíram por 1.790 pesos. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530141453.JPG 500 375 Legenda da Foto]Cachorro quente com palta...a saga continua [/picturethis] Na volta ainda passamos na recomendadíssima sorveteria “Bravíssimo” (calle Ahumada) para experimentar a casquinha deles. Pedi um Barquillo Fito (a menor casquinha deles e já era imensa) de mousse de chocolate por 590 pesos. É gostoso, mas deve ter algum sabor melhor. Voltamos para o hostal e tomei um delicioso banho quente (mais um ponto para o hostal) antes de descansarmos. Gastos do dia por pessoa: - Alimentação = 1.490 pesos + R$ 8,00 - Van aeroporto/hostal = US$ 10,00 - Hostal (1 diária) = US$ 29,00 - Chocolate aeroporto = US$ 10,00 20/07/2010: Santiago Acordamos cedo para tomar café (tem mais coisa do que os lugares que ficamos na Bolívia e no Peru) e procurar outro hostal. Andamos muito e percebemos que não tem nenhum tão bem localizado como o que estávamos, a não ser os porcos, e resolvemos ficar nele mesmo, com quarto compartilhado. Como o check out é ao meio-dia e o check in é às 14hs, precisamos deixar as mochilas numa salinha lá embaixo e saímos para comprar as passagens e comer. Compramos passagem aérea para San Pedro de Atacama (Calama) por US$ 409,50 cada na Sky Airline com ida no dia 26/07 e volta no dia 27/07 porque ficava mais barato do que os dias que planejamos, nos forçando a mudar de planos e ir a Pucón primeiro. Sabíamos que a passagem aérea estava cara, mas para ir de ônibus demora 24 horas!!! Sem chance... DICA: Compre as passagens aéreas antecipadamente para reduzir custos, caso saiba o dia que viajará. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530141632.JPG 500 375 Legenda da Foto]Mercado central.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530141724.JPG 375 500 Legenda da Foto]Mercado central.[/picturethis] De lá fomos ao mercado central para almoçar. O dono do restaurante “La Joya Del Pacífico” era muito chato e ficava criticando os outros restaurantes ao invés de destacar suas qualidades. Rodamos um pouco e optamos pelo “Donde Augusto” que, além de atender melhor, tinha melhor preço. Para ter uma idéia, o primeiro cobrava 12.500 pesos pelo prato que queríamos, enquanto que nesse ficou em 10.000 pesos e ganhamos dois pisco sour de aperitivo (tão forte que nem eu consegui beber). Nosso prato foi Centolla (espécie de caranguejo imenso) gratinada com queijo, arroz, batata frita e couvert. :'> [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530141824.JPG 500 375 Legenda da Foto]A tal da centolla, rs.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530141904.JPG 500 375 Legenda da Foto]Pisco sour de brinde.[/picturethis] Com a mudança de planos resolvemos viajar para Pucón no mesmo dia, por isso voltamos para o hostal e desmarcamos a reserva, reagendando para o final de semana. Feito isso, pegamos o metrô até o terminal (520 pesos o trecho nesse horário) para comprar a passagem para Pucón. Para chegar no terminal pegamos o metrô na estação Bellas Artes e fizemos baldeação na Baquedano para ir até a Universidad de Santiago, onde fica o terminal. Compramos a ida para o mesmo dia às 23h05 por 15.900 pesos e a volta para dia 23 às 20h30 por 16.200 pesos na TurBus. Na volta nos confundimos na baldeação e descemos no lugar errado Como estava chovendo ficamos no hostal descansando um pouco e aproveitei para perguntar onde fica o café “con piernas” porque era um dos lugares que visitaríamos e não tínhamos achado ainda. A recepcionista fez uma cara de espantada, meio que nos recriminando, e disse que não é um lugar para meninas. Ficamos sem graça e optamos por sair atrás de roupa barata, um dos atrativos de lá. As roupas que gostamos estavam na mesma faixa de preço do Brasil, o que nos fez desistir e sair na busca por um café e um chocolate quente e...só tinha café com pernas onde passamos!!! Olhamos de fora e vimos que o local é freqüentado 99,9% das vezes por homens, não tem mesa e sim balcões e as moças que atendem usam micro saia, daí o nome. Depois da reação da moça do hostal resolvemos deixar a visita para o último dia, rs. No caminho encontramos uma loja da Lan pertinho da Sky Airlines e não era longe como a recepcionista do hostal nos disse. Por sorte sabíamos que na que compramos era mais barato e não fomos prejudicadas com a orientação errada da moça com relação à localização da loja. Tomamos café perto do hostal em um local que fedia cigarro. Eu comprei um chocolate quente por 1.250 pesos e comi uma empanada integral napolitana que só tinha tomate por 890 pesos. De lá voltamos para o hostal. No hostal conhecemos alguns caras do Rio Grande do Sul que passariam 15 dias em Santiago. Além disso, vimos que nesse hostal ficam muitas pessoas que passarão vários dias em Santiago, sendo que algumas ficam de pijama na recepção de tão em casa que elas se sentem, rs. Ah, também tem muito brasileiro lá! Fomos ao terminal (480 pesos) e comprei lanchinho por 770 pesos. O ônibus que pegamos era o clássico, mas era muito bom! A poltrona deitava bastante, tinha aquecimento, manta, travesseiro e lanchinho pela manhã (suco e alfajor). O único defeito era que o motorista parava o tempo todo, sempre que alguém pedia pra descer, e isso atrasa a viagem. Gastos do dia por pessoa: - Passagem ida/volta Calama =US$ 409,50 - Passagem ida/volta Pucón = 32.100 pesos - Metrô = 2.400 pesos - Alimentação = 8.910 pesos 21/07/2010: Pucón No dia anterior nevou, o que fez com que o ônibus andasse bem devagar e, junto ao fato dele ter parado o tempo todo, isso nos atrasou muito. Deveríamos chegar 8h30, mas só descemos do ônibus 11h30! [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530142056.JPG 500 375 Legenda da Foto]Chegando em Pucón.[/picturethis] Logo que saímos do ônibus vimos os dois hostals citados por um cara que conhecemos no Andes Hostal. Esse cara foi com seus dois filhos e eles são todos naturebas, rs. Enquanto nos dava dicas sobre passeios em Pucón ele comentou sobre dois albergues que ficam na saída do terminal: Um com a bandeira do Brasil e o Hostal Nevado ao lado. Como ele nos recomendou o segundo, fomos direto para lá. O Hostal Nevado é de uma senhora gente boa, bem família e tem apenas cinco quartos. Quando chegamos só tinha vaga em um quarto com três camas onde estava um brasileiro (Wagner) muito gente boa e que já estava de partida no mesmo dia. Ficamos nele mesmo por 6.500 pesos cada e tinha a opção de pagar 1.500 pesos a mais pelo café, mas não quisemos. :'> Depois de guardarmos as coisas conversamos com o Wagner e descobrimos que muitos passeios foram cancelados por causa da neve e resolvemos encurtar nossa estadia em um dia. Nós três fomos até a agência de turismo Andesmar, onde o Wagner fez um passeio e gostou, mas também passamos na Politur, lugar recomendado quando pesquisei antes da viagem. Fechamos o tour na Andesmar porque fizeram um desconto para nós três (de 16.000 por 14.000 pesos cada). O tour sairia 14h30, então o Wagner foi atrás de bermuda para usar nas termas e nós duas saímos para almoçar. Escolhemos o Club 77 (O’Higgins, 635) e comemos salmão ao molho de camarão, arroz e tomamos suco de kiwi por 8.650 pesos cada (7.900 pesos do almoço + 750 pesos de gorjeta). Muuuuuuuito bom! Recomendadíssimo!!! [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530142322.JPG 375 500 Legenda da Foto]É nóis em Pucón![/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530142423.JPG 500 375 Legenda da Foto]Salmão ao molho de camarão.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530142541.JPG 500 375 Legenda da Foto] [/picturethis] Voltamos ao hostal, tomamos banho e saímos para o tour. No tour nós paramos no tio Turvio, por onde passou a lava do vulcão e destruiu muitas casas, pelo rio Trabuca, onde as pessoas fazem rafting, paramos em uma praia, aonde vimos neve caindo (nossa primeira vez!), fomos aos Ojos Del Carbugua (muito linda a paisagem da cachoeira com as árvores com neve) e terminamos nas termas San Luis em uma parada de duas horas. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530142615.JPG 500 375 Legenda da Foto]Vulcão e um pedacinho do rio Turvio.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530142718.JPG 500 375 Legenda da Foto]Rio Trabuca.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530142823.JPG 500 375 Legenda da Foto]Vamos a la playa, oh oh oh oh oh...[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530142929.JPG 500 375 Legenda da Foto]Praia! Se alguém quiser, pode nadar.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530143138.JPG 500 375 Legenda da Foto]Ojos del Carbugua.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530143341.JPG 500 375 Legenda da Foto]Ojos del Carbugua.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530143513.JPG 500 375 Legenda da Foto]Ojos del Carbugua.[/picturethis] As termas são divididas em duas piscinas termais descobertas e uma coberta com temperatura entre 36ºC e 39ºC e, é óbvio, ficamos na coberta por causa do frio que fazia fora da piscina, rs. Antes de ir embora tomamos um chocolate quente por 1.800 pesos. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530143605.jpg 500 375 Legenda da Foto]Termas San Luis.[/picturethis] Depois de nos arrumarmos no hostal nós saímos para trocar a passagem e dar uma volta. Passamos no terminal e pegamos a volta para o dia 22/07/2010 às 20h45, tendo que pagar 5.500 pesos a mais Do terminal fomos ao restaurante “El Fogón” (O’Higgins, 480) e comemos um sanduíche grande de carne (bife mesmo) com maionese e tomamos suco de framboesa muito bom por 3.600 pesos, já incluso os 10%. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530143721.JPG 500 375 Legenda da Foto]El Fogón.[/picturethis] Resolvemos ir ao cassino e pagamos 500 pesos para entrar. O lugar é bem legal, mas não tivemos coragem de apostar...não dessa vez. Estava muito frio e voltamos para o hostal. Depois de viajar a noite toda e de ter um dia cansativo, claro que capotamos! Gastos do dia por pessoa: - Hostal (1 diária) = 6.500 pesos - City tour = 14.000 pesos - Adicional passagem = 5.500 pesos - Alimentação = 12.250 pesos - Entrada do cassino = 500 pesos 22/07/2010: Pucón Saímos para fechar o passeio do canopy (tirolesa) que era o nosso objetivo ao ir para Pucón. A Politur estava muito cheia e na Andesmar estava por 15.000 pesos por pessoa. Como lá não aceita cartão fomos ao banco tirar dinheiro, mas não conseguimos. Na saída do banco vimos que a agência Trancura (uma rede grande em Pucón – tel: 56 443436) estava com promoção por 10.000 pesos e aceitava cartão. Fechamos na agência localizada na O’Higgins, 211 para às 14hs. OBS: Alguns sites da rede: http://www.trancura.com; http://www.termastrancura.com; http://www.canopytrancura.com; http://www.paintballtrancura.com. Saindo de lá procuramos umas lojinhas e comprei umas lembrancinhas. Vale comentar de uma lojinha perto da agência que vende artesanato em sucata, como prego, latinha, porca...O cara é muito criativo e o resultado fica muito legal! Voltamos para o hostal para liberar o quarto e saímos para almoçar. Dessa vez comemos no Rap (O’Higgins, 619) “churrasco a lo pobre” que nada mais é do que um PF sem arroz e feijão, rs, pedimos uma porção de bacon e suco de framboesa com gosto de alho, hahahaah, tudo por 5.700 pesos com os 10%. Demos uma descansada ao Sol após ficar empachada porque a porção era bem farta, hahaahah. Enquanto esperávamos o tempo passar nós admiramos a bela paisagem ao redor da cidade que mais parece um quadro e, finalmente, avistamos o vulcão! Bem branquinho e deslumbrante! rs. Também vimos o alerta de vulcão Voltamos para a agência e esperamos a saída da van. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530143838.JPG 500 375 Legenda da Foto]Alerta do vulcão.[/picturethis] O lugar aonde nos levam é da própria agência e tem de tudo. Os caras são muito gente boa, principalmente quando descobrem que a gente é do Brasil. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530144204.JPG 500 375 Legenda da Foto]A gente não tava com medo não...impressão sua, hahahaahah. [/picturethis] Na tirolesa começamos com duas pequenas e baixas para acostumar com a brincadeira, depois partimos para uma de 1 km a cerca de 80 metros do chão, aonde vamos acompanhadas e é uma delícia! Dela partimos para uma de 300 metros que fizemos sozinhas e terminamos em outra grande, mais ou menos o tamanho da primeira, também sozinhas. É muito bom! Vale a vista e a adrenalina! [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530144323.JPG 500 375 Legenda da Foto]A caminho da tirolesa de 1 km.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530144410.JPG 500 375 Legenda da Foto]Olha eu aí, geeeeenteee! [/picturethis] Na volta passamos em um mercadinho e comprei umas tranqueiras pra comer por 2.044 pesos. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110530144556.JPG 500 375 Legenda da Foto]Mais um pouquinho de Pucón.[/picturethis] Esperamos o horário do ônibus dentro do hostal porque estava quentinho e depois fomos até a estação esperar enquanto conversávamos. Perto da hora do nosso só tinha um ônibus de outra empresa e um para Temuco. Quando estavam saindo resolvemos perguntar se o nosso estava atrasado, pois o da outra empresa ia para Santiago também e tentaríamos trocar. Que bom que perguntamos porque o nosso era o que tinha indicação para Temuco e estava saindo! A Ju correu e conseguiu Pará-lo a tempo da gente entrar. O cara ficou meio puto, mas depois até quis nos cobrir com a manta pra não passarmos frio, hahahahahaa. Gastos do dia por pessoa: - Passeio tirolesa = 10.000 pesos - Alimentação = 7.744 pesos Assim que der continuo o relato... :'>
  14. Olá! Nós fechamos pacote. Como o tempo era curto preferimos fechar com uma agência a correr o risco de um imprevisto nos segurar. Fechamos na agência Buho’s Tour (tem os dados no relato, mas não sei se respondem e-mail rápido, rs) um pacote que incluía a ida a Copacabana, barco para a Isla del Sol com uma diária em um hostal show de bola, passeio em Copacabana, ida a Puno, passeio em Puno e passagem para Cusco. Todas as refeições até Puno, entradas e o guia estavam inclusos. Só tivemos problema com relação ao ônibus que nos levaria a Cusco, mas aí é só ficar esperto e pedir pra anotarem no boleto os detalhes do ônibus que vocês combinaram na agência. Beijinhos
  15. Oi, Isabella! Obrigada! Nem me fala! Quando estava planejando sempre via roteiros de 20, 30 dias...o ruim é escolher o que incluir e o que deixar de fora, né? rs. Então, no valor total eu inclui as passagens aéreas e os presentes. Como eu disse, considerei cada centavo gasto. Mas uma reserva é sempre boa, né? Ah, corrigi o valor total porque tinha esquecido de somar os 100 de seguro viagem Precisando estamos aqui :'> Beijos
  16. Oi, Caio! Quando eu fiz meu roteiro não achei muita coisa pra fazer em Lima. Lá tem o centro arqueológico Huaca Pucllana que não chegamos a entrar porque aparentava ser muito parecido com o que tínhamos visto na viagem toda, mas não deve ser demorado para visitar também, caso queira entrar. Fora isso tem o shopping Larcomar (que já dá uma vista legal do Pacífico), o centro antigo, alguns parques...se sua idéia for chegar cedo e sair a noite, acho que 2 dias são suficientes pra ver tudo e sem correria. Ouvi muita coisa sobre um cassino que tem próximo ao shopping Larcomar, mas não cheguei a entrar. Concordo com o João! As baladas em Cusco são mais famosas e você pode curtir algo diferente do que está acostumado aqui. Se quiser balada com muito gringo tem a Mama Afrika que é famosa, se quiser algo mais típico aposte em algumas próximas, como a Mythology. Na verdade, em Cusco é muito fácil achar balada porque a maioria fica em volta da Plaza de Armas, embora algumas sejam mais afastadas. Nós entramos em várias que ficavam uma ao lado da outra antes de escolher em qual ficar Do Titicaca você tem uma vista melhor de Copacabana e da Isla del Sol do que em Puno, na minha opinião. Nós dormimos um dia na Isla del Sol, conhecemos Copacabana na manhã seguinte e passamos a tarde em Puno, viajando a noite para Cusco. Achei suficiente diante do tanto de coisa que tem pra ver nos outros lugares! Nós fomos para MP de trem e ficamos apenas um dia. Na verdade a gente gasta dois dias pra isso porque saímos de Cusco para um passeio no Vale Sagrado, de lá vai pra Águas Calientes onde só capota porque levanta 3 e pouco da manhã para ir até MP, passa o dia lá e volta para Cusco a noite. Esse mesmo! Lá tinha uma estação de esqui, se não me engano a mais alta do mundo, mas está desativada há muito tempo porque tem mais gelo do que neve, então fica perigoso. Lá faz um certo frio, tem gente que passa mal mesmo, mas vale a pena. A dica é só pra não bater um pratão no café da manhã porque faz mal. Quando fomos atrás das agências para fechar esse passeio a primeira alegava que era melhor porque incluía almoço antes de subir, mas fechamos em uma que não tem justamente porque faz mal. É indicado apenas um lanche leve, barras de cereais, essas coisas. Rola de comer umas folhas de coca também No nosso grupo só uma menina passou mal. Não esqueça de ir agasalhado porque faz frio e venta muito! Ouvi falar muito sobre o Downhill, mas nossa viagem foi muito mais curta do que a de vocês e precisamos deixar algumas coisas pra próxima Isso! É legal, mas o frio é tenso Mas não deixe de fazer por causa disso, já que não enfrentará o frio por muito tempo porque depois que o Sol nasce esquenta muito! Tentarei postar meu relato do Chile semana que vem, assim talvez você aproveite alguma coisa Sobre o frio...eu sou de Guarulhos e sou super friorenta também, rs. Fiz ambos os mochilões em julho e vi como o inverno deles é bravo, hahaha. O segredo é ter um bom casaco e arrumar uma meia térmica que foi o que me salvou na maior parte das viagens! Pelo que eu me lembro, eu peguei na maior parte do período a temperatura entre 0ºC e 5ºC, com temperatura abaixo de 0ºC só em Uyuni, Pucón e no Geyser, lugares onde precisei de mais casacos e calça de lã sob a que usava. Beijinhos
  17. Oi, Caio! Eu fui para o Chile em uma viagem separada de Bolívia e Peru, por isso não opinarei sobre alguns trechos do seu roteiro. Quanto ao final, você tem alguma idéia do que ver em Lima e Puno? Dependendo do que tiver em mente, acho que não precisa de 3 dias no primeiro e 2 no segundo. Eu fiquei 3 dias em Lima e no terceiro dia não tinha mais nada pra ver. Em Puno eu cheguei a tarde, fiz o passeio até as Ilhas Uros e peguei o ônibus a noite. Posso estar enganada, mas lembro que na época não achei indicação de muito mais coisa pra fazer nessas duas cidades. Talvez outros mochileiros possam te ajudar mais Em La Paz tem mais passeios legais pra fazer. Um que eu recomendo é o passeio para chacaltaya. Achei muito lindo! Em Cusco ficamos quatro dias e achei que fizemos boa coisa porque fechamos os pacotes e compramos as passagens que faltaram com calma, fizemos o city tour, passamos um dia em Machu Picchu também... Se quiser, dá uma olhada no relato que acabei de terminar nosso-primeiro-mochilao-bolivia-e-peru-em-julho-2009-16-dias-agora-com-fotos-t55608.html Como acho que só postarei meu relato do Chile semana que vem, antecipo uma dica: Se pretendem visitar o Geyser se prepara para um frio cabuloooooosooooooo segundo o guia a gente pegou -18ºC! Não sei se é verdade, mas juro que nunca passei por nada igual e tenho medo de enfrentar de novo, rs. Até desisti de uma visita a Patagônia em julho desse ano, hahaahah. Isso porque eu tava super agasalhada, sem nem conseguir me mexer direito de tanta roupa. Tudo bem que até a hora do almoço você tira tudo porque o sol vem que vem, mas é tenso Beijinhos e boa viagem
  18. CONTINUANDO 31/07/2009: Cusco e Lima Saímos do albergue 4h30 um pouco irritadas porque o cara da recepção era muito lerdo, rs. Conseguimos um táxi na porta e fomos para o aeroporto. Para fazer o check-in temos que pagar uma taxa de 12,83 soles, por isso sempre levem dinheiro a mais porque na maioria dos lugares a taxa de embarque não está inclusa no preço da passagem como aqui no Brasil. Feito tudo que precisava paramos para tomar um bom chocolate quente para espantar o frio e embarcamos. Em Lima os taxistas fecham o preço de acordo com o lugar que você vai e nós pegamos um para Miraflores por 35 soles. Ainda não tínhamos reservado o albergue onde ficaríamos, mas pelo mapa as nossas opções eram próximas uma das outras. Como o taxista não sabia chegar à nossa primeira opção de albergue, nós fomos para outro. O engraçado foi que no caminho o taxista pára o carro e pede pra gente esperar porque ele está apertado e saiu do carro pra fazer xixi no poste, hahahaahahah. Não me lembro o nome do primeiro em que paramos, mas só tinha vaga para uma noite. Eu tinha a indicação do Explore’s House que era perto e fechamos duas diárias lá. Lá está mais para uma casa que aluga quartos do que para um hostal, mas o pessoal é muito gente boa e tem direito a internet, cozinha, café da manhã..aprovado! (Av. Alfredo León, 158 – Miraflores; [email protected]; 00511 241-5002). Descansamos um pouco antes de sair pra dar uma volta na cidade. Na hora que saímos já dava pra almoçar, então paramos em uma pizzaria local (Papa John’s) e pedimos uma All the Meats pequena – seis pedaços – que tinha pepperoni, salsicha italiana, presunto, bacon, carne de res (?) e mussarela. Estava muito gostosa e vinha com um molho delicioso pra usar na borda. Ah, perto do hostal tem um mercadinho bom também, dá pra comprar umas bobagens, lanches... Já satisfeitas com a pizza fomos até Huaca Pucllana, mas acabamos nem entrando e fomos até o parque Kennedy que é bem bonito. Depois caminhamos até o shopping Larcomar, parando para umas comprinhas no caminho. Detalhe que na época em que fomos era a estréia do filme “Força G”, aquela animação de porquinho da índia, e descobrimos que esse animal é sagrado lá e nós comemos! Nem dava pra comentar com os nativos sobre a nossa saga De todos os lugares que fomos na Bolívia e no Peru, Lima é a cidade mais ajeitada, mais bonitinha. Lá tem muita praça, com muitas flores...bonitinha mesmo :'> O shopping é lindo! Tem uma vista MARAVILHOSA porque fica de frente para o oceano pacífico. Depois de dar uma volta e olhar o cine-bar voltamos para o hostal pela orla, pois no caminho têm umas praças legais e a vista é bonita também. Embora o cine-bar não tenha chamado muito a atenção a primeira vista, resolvemos ir assim mesmo porque dizem que é o único no mundo. Lá compramos um balde de pipoca e assistimos o filme “A proposta”. A entrada dá direito a uma bebida e tem uma mesinha com sino na frente das poltronas, mas achamos que virasse um barzinho depois do filme...nada disso! Rs. Na saída aproveitei pra experimentar mais uma coisa da minha lista: Suspiro a La limeña. Nada mais é do que doce de leite com suspiro De lá fomos embora porque não descansamos direito da viagem e capotamos. Gastos do dia por pessoa: - Táxi do hostal para o aeroporto = 5 soles - Taxa de embarque = 12,83 soles - Táxi do aeroporto ao hostal = 17,50 soles - Hostal (2 diárias) = 54 soles - Cine-Bar + pipoca = 27,50 soles - Alimentação = 33,65 soles 01/08/2009: Lima Tomamos café no hostal no estilo faça você mesmo, baixamos as fotos e saímos para conhecer o centro antigo. Pegamos um ônibus de linha e pedimos para o cobrador nos avisar e, só pra variar, ele nos deixou no lugar errado, hahaahahah. O lugar era a maior bocada e andamos um monte pra chegar na praça OBS: Se aqui o pessoal costuma entrar no ônibus pedindo dinheiro ou vendendo coisas, lá eles entram pra tocar e vender CD. Almoçamos no restaurante “Tres i Punto” para provar mais um prato: o Ceviche. O menu do dia dava direito à uma taça de vinho, ceviche de pescado como entrada, lomo saltado de prato principal e sorvete de sobremesa. DICA: Esqueci de falar que tanto na Bolívia, quanto no Peru é comum ter o menu do dia que dá direito à entrada + prato do dia + sobremesa, então dá pra comer bem por um preço bem razoável! No centro antigo conhecemos o Monastério de San Domingo e fomos a Plaza de Armas, aonde vimos o final de uma apresentação da bandinha em frente ao palácio do governo. Na praça também vimos a catedral e partimos para o Convento de San Francisco. Eu achei que vale a pena conhecer o Convento porque o guia é muito bom e tem umas catacumbas legais. :'> Ah, também tem desconto com carteirinha de estudante. Na saída fomos a uma feirinha onde compramos umas lembrancinhas com preço bom e passamos na igreja de San Pedro antes de voltar a Miraflores. Só pra constar, o Mc Flurry lá é muito gostoso e barato. Eu me acabei de tanto tomar, hahaha. Sem contar que tem sabor diferente Como a Ju viajaria no mesmo dia, voltamos para o hostal para descansar e terminar de arrumar as coisas. Ela saiu 19hs e eu fui comprar um lanche (minúsculo) antes de voltar ao hostal pra descansar ver um pouco de TV. Mais tarde eu liguei para a Katheryn, aquela colega que conhecemos em Tiwanaku, para combinar o dia seguinte e dormi. Gastos do dia por pessoa: - Ônibus de linha ida e volta = 2,20 soles - Alimentação = 31,40 soles - Entrada no convento = 2,50 soles 02/08/2009: Lima Após tomar o café da manhã no quarto mesmo, arrumei minhas malas e deixei com a dona (Eva) porque ficaria a tarde toda fora e fui encontrar a Katheryn, além de um casal de holandeses que ela conheceu no Salar, para um almoço. Katheryn nos levou a um restaurante no bairro Barrancos, área nobre de Lima, chamado Rustica. Esse restaurante é um buffet de comidas típicas, com comida muito boa e, de vez em quando, as garçonetes sobem no balcão e dançam músicas peruanas. Como é só de comida típica, consegui provar o que faltava: Ocopa, Causa relleña de frango, papa a La huancaina, o verdadeiro chicharrón de pollo, aji de galinha, mazamorra morada entre outras. Na volta paramos no shopping Larcomar para curtir um pouco do sol que resolveu aparecer, jogar conversa fora e admirar a paisagem. Depois do dia agradável voltei para o hostal e esperei até o Edson, um amigo da Eva muito gente boa, me buscar para levar ao aeroporto. No aeroporto tive que pagar uma taxa de 31 dólares. Lembrem-se: sempre reserve um dinheirinho para as taxas não inclusas na passagem. Insisto nisso porque vocês podem se dar mal se não estiverem preparados. Peguei o vôo 22hs e...dizem que tudo que é bom dura pouco, mas para mim foi o suficiente! Gastos do dia por pessoa: - Alimentação = 55,60 soles - Táxi hostal até o aeroporto = 35 soles - Taxa de embarque = 31 dólares [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110518142633.jpg 500 375 Legenda da Foto]Plaza de Armas em Lima, almoço com Katheryn e seus amigos, praça Kennedy, shopping Larcomar, Barrancos, oceano Pacífico e praça dos amantes (ou algo do tipo, rs).[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110518142659.jpg 500 375 Legenda da Foto]Centro Qosqo de Arte Nativo Danzas Folkloricas, táxi no Vale Sagrado, trem para Águas Calientes e garçonete dançando no Rustica.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110518142708.jpg 500 375 Legenda da Foto]Mais um pouco da culinária boliviana e peruana.[/picturethis] ---------------------------------------------------------------------------------//--------------------------------------------------------------------------------- É isso, gente! Espero ter ajudado e estou à disposição para o caso de terem alguma dúvida. Não sei quanto vocês costumam gastar com presentes e outras bobagens, mas, considerando todos os gastos da viagem (passagem, alimentação, passeio, hostal, condução, presentes...), meu mochilão ficou em R$ 3.250,00. Vale lembrar que nós duas só ficamos em quarto privativo e, com exceção de uma noite na Bolívia, também com banheiro privativo. Logo, logo começarei meu relato do mochilão no Chile em julho/2010 Beijinhos e boa viagem! ---------------------------------------------------------------------------------//---------------------------------------------------------------------------------
  19. Oi, Vinícius! Falei que tentaria terminar o relato ontem, mas ficou pra hoje mesmo, rs. Quanto às comidas, estou postando umas fotos no relato pra ver se você fica mais animado Abraços
  20. Olá, Aletucs! Putz, fico te devendo essa! Procurei pelo menos o que ficaríamos, já que onde dormimos de fato nem hostal era ainda, em toda a papelama que gaurdei na viagem e não tenho. O nome foi anotado no boleto que ficou com a dona e não me preocupei tanto em anotar porque não conheci para avaliar e dizer se indico ou não. Foi mal! Obrigada pela pergunta, pois na procura pelo nome desse hostal encontrei os cartões do Torino, Inti Kala e Campanário Ah, também achei o cartão de uma das baladas que fomos em Cusco. O nome dela é Mythology e fica no Portal de Carnes, 298 2º piso - Plaza de Armas - Tel: 255770. Gostamos mais dessa balada do que da Mamma Afrika :'>
  21. CONTINUANDO 29/07/2009: Cusco e Águas Calientes Logo cedo o guia nos pegou no albergue para o passeio no Vale Sagrado e fomos para uma feirinha de artesanato. Em seguida fomos à Pisac, onde ouvimos mais um pouco da história dos Incas e vimos mais um pouco de suas construções. Nesse local há uma fonte de purificação, mas inacessível. Quando saímos de lá o ônibus parou para almoço em um restaurante, mas optamos por almoçar em outro lugar, do outro lado da rua. Pedimos Anticucho de corazón para provar e acompanhava batata assada, molhos e Buffet de salada à vontade. Estava um pouco forte, mas é muito gostoso! De lá partimos para Ollantaytambo. Embora também seja uma visita focada nas construções dos Incas, é mais interessante porque é possível ver imagens nas montanhas e tem uma fonte onde você consegue cortar o fluxo da água. A vista também é mais bonita! [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110518101018.jpg 500 375 Legenda da Foto]Vale Sagrado.[/picturethis] O nosso pacote nos dava direito a conhecer esses dois locais antes de irmos para as Águas Calientes. Então voltamos ao ônibus para ir até a estação de trem, enquanto que o mesmo continuaria o passeio com os demais passageiros. O tempo foi passando e nos demos conta de que estava demorando muito e levantei para perguntar, isso depois de ver uma placa de entrada de Ollantaytambo...e adivinhem?!?!? O guia esqueceu a gente e tava continuando o passeio normalmente Eles pararam na estrada e disseram pra gente atravessar porque toda hora passa ônibus ou carro para a estação, então era só a gente pedir carona pro primeiro que passe que chegaríamos lá Nem precisa falar que ficamos indignadas, né? A sorte foi que na hora da discussão passou um carro do ministério em direção à Ollantaytambo e o guia pediu que nos levasse. Como era “confiável”, aceitamos. Detalhe que no caminho fomos conversando com os dois caras que estavam no carro e eles morriam de rir da nossa cara porque também acharam um absurdo nos pedirem para pegar carona com quem passasse Quando chegamos à estação ainda faltava um tempo para o nosso trem. Ficamos lá fora comendo e rindo de algumas pessoas engraçadas que passavam. Nosso trem era da empresa PeruRail e era muito bom! Tinha até serviço de bordo com um lanchinho caprichado, embora eu seja suspeita para dizer porque meu parâmetro são os amendoins com um copo de suco (e olhe lá) das empresas aéreas brasileiras Chegamos à estação de Águas Calientes e não tinha ninguém com nosso nome na placa, mas achamos um cartaz do hostal que ficaríamos. Ao conversar com a pessoa que o segurava descobrimos que não tinha reserva nossa! Como estávamos com o boleto, a dona desse hostal ligou para quem nos vendeu e acabaram nos colocando em um outro ali perto (novamente a importância de pedir para anotarem TUDO). Não temos do que reclamar, pois esse outro tinha TV a cabo e a água do chuveiro era uma delícia! Mais tarde a moça da agência passou no nosso quarto e nos entregou os boletos com as informações sobre Machu Picchu. Foi bom porque ela nos deu um mapinha, várias dicas e tirou muitas dúvidas. Depois de um dia desses, só queríamos cama, cama e mais cama Gastos do dia por pessoa: - Alimentação = 13,50 soles 30/07/2009: Machu Picchu e Cusco Todo mundo nos disse para chegar à fila do ônibus até 4hs da manhã porque enche muito e só disponibilizam 400 vagas por dia para a subida da Waynapicchu. Sendo assim, madrugamos para conseguir nosso espacinho Como nem tudo são flores, na saída a porta do hostal parecia trancada e não tinha como chamar ninguém, pois o hostal nem estava em funcionamento de fato. Começamos a fazer um barulhão até que o cara apareceu. Imagina se a gente acorda 3h30 e o cara só aparece às 9hs? Rs. No caminho passamos no hostal onde deveríamos ter ficado para guardar as nossas coisas e a dona tinha feito lanche de presunto e queijo, suco e bolachinha pra gente levar Na fila do ônibus percebi que tinha esquecido o protetor e tive que comprar um sache vagabundo na mão das tiazinhas. Lá o Sol é muito forte e não dá pra ir sem protetor. Chegando lá foi uma loucura! Ninguém respeita nada, parece saldão das Casas Bahia! Tem aquele monte de gente andando rápido à caminho da fila da Waynapicchu e passa um povo empurrando, correndo do lado...afe, até discutimos com um grupo de brasileiros que nos empurrou, hahahaa. O pior é que esse mesmo grupo xingou uns gringos que fizeram o mesmo com eles. Pimenta nos olhos dos outros é refresco Para subir tem dois horários, sendo um às 7hs e outro às 10hs. Essa correria toda é porque o pessoal prefere o primeiro horário, mas escolhemos às 10hs porque encontraríamos um guia às 8hs para fazer um tour lá dentro. Então, pegamos nossa senha e voltamos para a entrada depois de dar uma voltinha lá dentro. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110518101026.jpg 500 375 Legenda da Foto]Machu Picchu praticamente com o sol nascendo.[/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110518101038.jpg 500 375 Legenda da Foto]Foto famosa que todo mundo tira, rs. Vocês tinham que ver o custo que foi pra mostrar o rosto pra Ju Só pra constar, ela só conseguiu visualizar quando estávamos em Lima com um postal. [/picturethis] Na entrada, do lado esquerdo, tem um cara que carimba o nosso passaporte de lembrança. É de graça e, quando o cara não está, cada um pode carimbar o seu. Nosso guia chegou 8h30 e não gostamos muito dele. Não sei se foi porque o grupo era grande e ele não esperava...só sei que não foi tudo o que esperava. No caminho ele conta um pouco da história, depois nos sentimos em algum episódio de “além da imaginação”, pois temos que ver o condor e a maquete de Machu Picchu em umas pedras e passamos por umas lhamas no caminho [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110518101058.jpg 500 375 Legenda da Foto]Lhamas pelo caminho, relógio de sol, Episódio de "Além da imaginação": No canto superior direito = Condor; no cando inferior esquerdo = maquete de Machu Picchu.[/picturethis] A visita acabou quase 11hs e fomos para a luta da subida da Waynapicchu. Só pelo fato de ser o ponto mais alto dá pra imaginar o tamanho da criança, né? Rs. Caso alguém não saiba, a Waynapicchu é o nariz do rosto deitado que sempre vimos nas fotos de Machu Picchu. Lá de cima dá pra ver o centro arqueológico em formato de condor e a vista é muito bonita, mas a volta é sinistra! [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110518101119.jpg 500 375 Legenda da Foto]Waynapicchu. [/picturethis] [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110518101246.jpg 500 375 Legenda da Foto]Waynapicchu.[/picturethis] Depois de descer estávamos mortas e nem animamos de subir em outro ponto de lá. Só demos mais uma volta por lá e fomos até o ônibus. Nossa visita a Machu Picchu foi de apenas um dia, isso porque nossa viagem não era tão longa e optamos por conhecer várias coisas, como o Salar de Uyuni. E, sinceramente, não me arrependo de abrir mão da trilha Inca para conhecer os lugares onde fomos, mas isso vai de pessoa para pessoa, né? De volta a Águas Calientes paramos para comer. Por ser um local apenas turístico as coisas são bem caras! Descansamos um pouco no hotel e confirmamos a presença do ônibus que nos levaria de Ollantaytambo para Cusco. Como faltava um tempinho ainda para nosso trem sair e soubemos que as águas termais eram perto dali fomos conhecê-las, mas resolvemos não entrar porque só queríamos matar o tempo, nem estávamos de biquíni. Na volta paramos para provar a chicha morada, que lembra um vinho quente gelado, antes de irmos até a estação de trem. O trem da volta era inferior ao primeiro, não tinha lanche nem era tão cômodo. Chegamos a Ollantaytambo às 19h40 e saímos à procura da pessoa que nos buscaria...e não tinha ninguém lá! Um rapaz se ofereceu para nos levar com a excursão dele por 10 soles cada. Antes de fechar ligamos no hostal e disseram que mandariam alguém e a pessoa chegaria em 3hs. Fala sério, né? Aceitamos a proposta do cara que custou a sair, rs. Chegamos no albergue depois das 22hs e ligamos para a dona, já que no outro dia sairíamos muito cedo e não falaríamos com ela. Reclamos um monte, desde o guia que nos deixou no caminho, até a ausência de gente para no receber na ida e na volta. Por causa disso ela nos deu desconto nas diárias que saíram de 75 por 60 o dia. Ou seja, em vez dos 112,50 por pessoa que eu relatei acima, ficou 90 pra cada uma as três diárias. Só marquei o preço correto antes porque vocês podem não ter o mesmo azar que a gente, rs. Subimos para arrumar nossas coisas e saímos para comer no Mc Donald’s, pois era o único lugar aberto nesse horário. Nesse dia nem saímos porque, além de cansadas, acordaríamos 3h30 para pegar o vôo para Lima. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20110518111855.jpg 500 375 Legenda da Foto]Mais um pouco da culinária deles: Sopa de quinoa em Tiwanaku; Chicha morada em Águas Calientes; Paceña em La Paz; Sopa de amendoin em Copacabana.[/picturethis] Gastos do dia por pessoa: - Alimentação = 31,20 soles
  22. Obrigada, Vinícius! Pretendo terminar ainda hoje, rs. Caso tenha alguma dúvida é só perguntar. OBS: Tenho o preço de cada coisa que compramos anotado, mas coloquei apenas o total no final do relato com receio de ficar cansativo. Caso alguém tenha interesse no detalhamento de algum valor é só falar.
×
×
  • Criar Novo...