Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

fabricionn

Membros
  • Total de itens

    76
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre fabricionn

  • Data de Nascimento 29-03-1982

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Macchu Pichu, Bolivia
  • Próximo Destino
    O resto da America Latina!

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Legal o relato! Sabe dizer se o deslocamento que fez seria possível de ônibus? Demoraria Muito? Tem idéia pelo que pesquisou?
  2. Quando fui, estava com evento nas tribos e dei sorte de conseguir contato com uma índia. Mas, sugiro pelo menos 10 dias para não ter atrasos.
  3. fabricionn

    China sozinho - Ajuda no roteiro?

    Vai ter relato de viagem? rsrs Vou pra China e Abril/Maio e to na sede de informação. rsrs
  4. fabricionn

    Vinte dias pela China – um roteiro (quase) final

    Olá! Jà deu tempo de fazer o relato? rsrsrs
  5. Realmente! O mar lá é espetacular mesmo. Vai ver não dei sorte com a agência mesmo. O mergulho foi sensacional. Sem dúvida retornarei a Cozumel no futuro, para mergulhar nos pontos mais conhecidos da Ilha. A revolta pelos U$ 30,00 dólares mal gastos foi grande, confesso. hehehe
  6. Chegou a tão esperada viagem à Cuba. Me baseei em muitos relatos daqui, também do mulambo (cuba-mochilao-mulambo-2015-ponta-ponta-havana-cienfuegos-trinidad-baracoa-santiago-cayo-guilhermo-vinales-t117960.html) que foi bem útil para os preços mínimos das coisas. Hehehe Sou do RJ, mas quando comprei a passagem estava 3500 ida e volta por aqui... De Brasília estava 1900 reais já incluindo a passagem e taxas da tam de ida e volta por lá... Então, mais uma perna e passagem por aeroporto pra economizar essa budega aí. Hehehehe Vôo saindo sexta, após trabalho, 20h35 pra Brasília, de lá pra Havana às 2h25. CUIDADO NA ORA DE COMPRAR trechos na madrugada, quase errei o dia. Hehehe Cotações da viagem: 1 dólar = 3.37 reais 1 euro = 3.79 reais 1 euro = 1.09 CUCs 1 CUC = 24 pesos cubanos Dia 1 - 27/08 - sábado - Habana Chegamos à La Havana e fomos pra casa da Sra. Augustina, muito comentada aqui nos fóruns. Ao tocarmos a campainha, descobrimos que ela tinha falecido dia 11/08 e a casa não mais hospedaria ninguém. Antes que pensássemos em procurar outro lugar, a sra . que nos atendeu informou que seu vizinho debaixo também recepcionava turistas. Felizmente tinha disponibilidade e ficamos lá, pelos 25 CUCs pra 2 pessoas + 5 CUCS por pessoa de café da manhã. Pegamos um bus até Miranmar e Rodamos pelos pontos turísticos lá. O bus é bem barato 1 peso. Demos sorte pra ir, mas não a tivemos para voltar... veio lotado e ficamos distante do centro. Rsrs Jantamos numa pizzaria perto da casa por 5 CUCS/pessoa. Chuva fim de tarde forte e depois parou. Dia 2 - 28/08 - domingo - Havana Fomos conhecer a praça revolucionário de táxi por 6 CUCs. A praça é imensa e por todo canto tem sinais "gloriosos" da revolução. Depois voltamos a pé até o centro e caminhamos até a plaza vieja e agregados que são increíblemente preciosos! Almoçamos no La Narco por 10 CUCs/pessoa com limonada. La é muito bem servido. E voltamos para descansar um pouco. À noite jantamos no Mango por 3 CUC/pessoa que era perto da casa e caminhamos um pouco. Chuva fim de tarde forte e depois parou. À noite choveu direto até de manhã... Dia 3 - 29/08 - segunda - Havana x Varadero Despertamos temprano, desayunamos y fuimos tomar la famosa guagua hasta Varadero. No meio do caminho mudamos de idéia porque chovia e a guagua é meio aberta... Fomos à via azul de táxi por 7 CUCs . De la Fechamos um táxi por 40 CUCs porque o ônibus tinha acabado de sair às 9h. O próximo somente seria às 13h... ai, já era o dia em Varadero. O próprio taxista buscou uma hospedagem para gente em uma casa particular. Tivemos um pouco de dificuldade em encontrá-la. Quando o taxista achou uma, reparamos que Varadero era mais cara que Havana... 30 CUCs o quarto sem café da manhã. Ficamos em um espaço legal, mas a senhora não é muito cordial, então não recomendamos. O dia estava fechado e foi abrindo, mostrando a beleza da praia caribenha. Almoçamos "risoto" em um restaurante que tem cardápio em russo na calle 62 e não gostamos, porque parecia um miojo de arozz, pelo menos foi 5 CUCS/pessoa. Depois fomos à praia e ficamos até umas 19h, pois escurece umas 20h. Tem uns passeios saindo de Varadero, mas são bem caros, então não pegamos informações adicionais. Por ser mais estruturado, é mais fácil encontrar informações na internet. Decidimos ir para Trinidad no dia seguinte. Jantamos no restaurante Victoria perto da calle 36 que tem um bife duro de comer por 3 CUCs/pessoa. Rsrsrs Dia 4 - 30/8 - terça - Varadero x Trinidad Chegamos à Via Azul às 6h50 para pegar o bus às 7h30, pois segundo o atendente, já não tinha passagens disponíveis para comprar no dia anterior. Pagamos 20 CUCs/pessoa e deixamos uma chuva leve em Varadero. Ao chegarmos a Trindad, umas 14h20, encontramos o céu caindo e mini rios pela rua... Doideira total hehehehe fomos almoçar e depois pra hospedagem. Ficamos numa casa das diversas que nos ofereceriam na própria rodoviária, custou 10 CUCs/pessoa com café da manhã amigável. Endereço na rua Antonio Maceo, 652. A habitação é pequena e humilde, diferente das outras que ficamos, mas, pelo preço, tá excelente! Não fizemos nada além de rodar na cidade e tomar a primeira facada pra usar a internet no cel por 3 CUCs/hora. A noite rodamos pela cidade na chuva mesmo. Pelo menos, estava mais fraca e dando sinais de melhora. Dia 5 - 31/08 - quarta - Trinidad Sol!! Acordamos com o tempo abrindo e fechamos um táxi por 8 CUCs pra ir até a playa ancon, porque perdemos o (ou o último) ônibus que saia às (ou até) às 9h30. Achei a praia sem graça, quando comparada com Varadero, ainda mais porque tem umas plantas aquáticas na areia que ficam passando no pé. Talvez com a chuva dos dias anteriores alterou a agua, porque não estava tão clara também como vimos em fotos... Ficamos numa espreguiçadeira lá por 2 CUCs cada. Ofereciam coisas na praia, mas não comemos e o biscoito Bono chocolate serviu para enganar a fome. Hahaha Na volta, umas 16h, esperamos mais 2 pessoas para dividir o táxi 8 CUCs e fugimos da chuvarada que começou a cair enquanto entrávamos no carro. Segundo o taxista falou, tem uma piscina natural que é possível fazer snorkeling um pouco antes de chegar à entrada da praia de Ancon. Pra quem der sorte de não pegar chuva. Em Trinidad também é base de um passeio a cachoeiras Praticamente, levamos sol à região. Hehehehe Há também a possibilidade de fazer mergulho de cilindro em Trinidad na praia Ancon (algum ponto de mergulho) e também em Cayó Blanco. O mergulho seria 35 CUCs e o passeio não pegamos informações. Íamos descer pra Morron, mas a Via Azul estava fechada quando chegamos umas 17h30. Ela vai até cierro de Ávila e depois pegaríamos outro transporte. Almoço/jantar no restaurante Bella Trinidad, pizza (cansamos de comida com tempero mais ou menos hahahaha), que tem música ao vivo e um ambiente bem maneiro por 5 CUCS. A pizza não estava boa. Rsrs Disco Ayala é a discoteca que fica numa caverna, que parece maneira, mas não abriu porque tinha chovido muito e estava com água. Rsrs o pessoal fica na praça perto da plaza mayor, onde tem garçons servindo bebida (3 CUCs) ou outros lugares vendendo a 1.50 CUCs (de qualidade inferior, mas com uma relação custo x benefício melhor hehehe). Fica ao pé da casa de la música que é em céu aberto. Dia 6 - 1/09 - quinta - Trinidad Resolvemos fazer o passeio de cavalo com o Pollo (Tel 52901549) que é um cara bem tranquilo e divertido. Esse passeio custou 10 CUCs que achei bem razoável A cachoeira tem uma boa queda e um poço de 6m de profundidade que da pra dar uns saltos. ela me lembrou a cachoeira de Santa Bárbara, na chapada dos veadeiros, porém com um tom de azul menos aflorado, mesmo no sol. A entrada no "parque" é meio salgada 9 CUCs, mas valeu a pena. O passeio dura o dia todo, saímos umas 9h40 e retornamos umas 16h. Vale a pena sair mais cedo para fugir do sol. Até tentamos, mas uns franceses que iam no passeio atrasaram porque o cara da casa de onde eles ficaram queriam dar uma volta neles, alegando que nosso guia era ilegal. A propósito, eles tem que ter uma permissão para serem guias, como em todo lugar, mas nem ligamos pra isso. Hahaha Como vivemos no Brasil, país do jeitinho, acho que temos um "felling" de quando as pessoas querem dar uma volta... hehehehe Foi tudo tranquilo e recomendo o Pollo (apelido do cara na cidade). Almoçamos massa num "mexicano" que estava comível. Rsrs a noite, fomos para para a plaza mayor de novo e depois pra discoteca Ayala. As músicas lá são variadas. Detalhe: a discoteca tem umas goteiras mesmo. Então, cuidado na hora de andar porque vi geral caindo. ?? 5 CUCs pra entrar e ganha 1 mojito. Dia 7 - 2/09 - sexta - Trindad x Morrón Decidimos partir de Trindad para Cayó Guilhermo inicialmente, mas ouvimos histórias que lá só tinha resort, hospedagem que ultrapassaria nosso orçamento. No meio do caminho, decidimos ficar em Morrón mesmo, cidade mais próximas do Cayó Coco e Cayó Guilhermo. Fechamos um táxi mesmo de Trindad a Morrón por 25 CUCs/pessoa de porta a porta. O taxista era irmão do Pollo e em tese o carro era bom e tinha ar condicionado, porém, no meio do caminho o carro (Peugeot 405 de uns 20 anos) esquentava e tinha q botar água. Paramos umas 5 vezes na estrada pra isso... Mesmo assim, chegamos em 3h, saindo de Trindad por volta das 9h40. Quando saímos, ele queria nos cobrar 30 CUCs/pessoa, mas como já tínhamos fechado com o Pollo pelos 25 CUCs, permaneceu este valor após insistência e pedido pra ele ligar para o Pollo. Apesar de não ser tão barato, a idéia era ganhar tempo e rodar o menos possível de mochila na cidade (tava um sol digno de verão carioca). Como não tínhamos reserva, o taxista iria nos levar a uma casa. Ele descobriu uma que achamos SENSACIONAL, tanto pela receptividade da Dona Aleida, quanto pela estrutura, que era excelente, com banheiro no quarto, geladeira e TV (impressionante!!), fora ar condicionado, ventilador, serviço de lanche e água, suco e cerveja na geladeira a preços justos. Ah, a cama era extremamente confortável, era um colchão!! (Ficamos surpresos, porque só tínhamos encontrado camas que afundavam até então, fora que TV no quarto é item de MUITO luxo, pelo que vimos também). Ela queria 30 CUCs, mas negociamos por 25 CUCs/dia o quarto e o café da manhã era 5 CUCs/pessoa para ser completo. Contato: Dra Aleida Castillo - Calle Salomé Machado, #187 - A , Morrón / Tel fixo: 502-473 / celular : 5294-1219 / email: [email protected] / [email protected] Depois, almoçamos na Calle Martí num restaurante do governo por 4 CUCs/pessoa e tomamos o famoso sorvete cubano Coppelia. O sorvete é bom e o preço é ainda melhor. Pagamos em moeda nacional que seria 26 pesos!! Surreal!! Foram 3 sorvetes, 2 latas de refrigerante cubano de limão, fora a água que já dão. Para ter uma idéia, cada lata dessa no mercado custa 0,50 CUCs (24 pesos cubanos) no mercado. Rsrs A Dona Aleida fez nosso jantar com entrada, prato principal (forte), e sobremesa (arroz doce com salada de fruta) por 8 CUCs (frango) e 10 CUCs (peixe). Pode parecer caro, mas não reclamamos, porque o tempero estava bem saboroso. Fomos à Havana Club daqui e parecia uma festa estranha com gente esquisita. Rsrs resolvemos dormir. Dia 8 - 03/09 - sábado – Morrón - cayó Guilhermo - playa pilar Playa Pilar é a praia mais popular e famosa de Cuba. Fechamos o táxi por 55 CUCs para nos buscar às 8h30, levando 1h15 para chegar e retornar de lá. Como não encontramos outros turistas, não conseguimos reduzir o custo. Realmente, praticamente não vimos turistas nas ruas de Morrón, o que dificultou lotar o táxi. Rsrs A volta era até às 18h, mas saímos umas 16h porque o sol estava castigando. Hehehe A praia é bonita, mas não achei nada de mais mesmo. O mar é verde e não azul como em outras partes do Caribe. Temperatura excelente. Alugamos a espreguiçadeira por 2 CUCs/pessoa. Na volta, almoçamos no mesmo restaurante do dia anterior, La Fuente. Sobremesa na Coppelia de novo. Yessss! O snorkeling é feito numa ilha em frente da praia por 25 CUCs/pessoa e dura 1h30. Ficamos só na praia mesmo. Rsrsrs Dia 9 - 04/09 - domingo - Morrón x Santa Clara x Viñales Nossa idéia era chegar agora em Viñales no menor tempo possível de Morrón. Cómo pra pegar o via azul teria que sair de cierro de Ávila e assim ir pra outro canto, preferimos ir pra Santa Clara porque, pelo que ouvimos, teriam mais opções para ir pra Havana/Viñales. Fechamos com o taxista que nos levou ao Cayó por 80 CUCs. Apesar de alto, fica ainda mais barato que no Brasil. Rsrsrs Saimos de Morrón umas 8h40 e chegamos à Santa clara umas 11h40. Lá já tinham uns caras oferecendo transporte até Havana por 20 CUCs/pessoa. A via azul era 18 CUCs/pessoa e somente sairia às 17h. Não tivemos dúvida e partimos até Havana. Almoçamos na parada no posto de gasolina por 2 CUCs/pessoa (pizza e refrigerante) e o taxista nos deixou em um ponto lá onde tem outros taxistas coletivos por volta das 15h. Lá já tinha um casal esperando gente pra fechar um grupo pra Pinar del Río. Com isso, chegamos e já trocamos de táxi. O transporte custou 15 CUCs/pessoa até Viñales e ele já nos deixou na pousada por volta das 17h30. Negociamos por 25 CUCs/dia com café da manhã. Dia 10 - 05/09 - segunda - Viñales Resolvemos fazer o passeio a cavalo. Negociamos na pousada mesmo que ficamos. Descobrimos que "tínhamos que pegar um táxi até o início do passeio" quando a senhora da casa disse que o carro (?!?!) tinha chegado. Pra ir até o início da fazenda, gastamos 3 CUCs. O passeio consistia em passar pelas plantações da região, ir na gruta que tem a piscina e finalizar na fábrica de tabaco. Saímos da pousada umas 8h40 e o passeio durou umas 2h30. O preço meio tabelado era de 3 CUCs/hora/pessoa, então gastamos 7,50 CUCs para o passeio. O visual é muito bonito e vale a pena, ainda mais que pegamos uns cavalos meio malucos que corriam do nada. Hahaha Dia 11 - 06/09 - terça - Maria la Gorda De Viñales e Pinar del Río tem saídas com frequencia para Maria la Gorda. La é um centro internacional de mergulho, muito conhecido pela visibilidade e pela parede imensa que tem. Foi a 1ª vez que vimos água azul na viagem, apesar de que uns espanhóis deram sorte de ter visto algo assim em Playa Pilar. As agências de Viñales vendem o transporte de ida e volta pra La Gorda. Quando se chega a Maria la gorda, lá tem uns horários de mergulho já pré-definidos. A empresa que opera lá é a Transgaviota e também oferece serviço de hospedagem, refeições e etc, tudo bem caro. Vou colar as fotos que tirei para se programarem. O grande "bizu" que posso dar de lá é, pra quem quer mergulhar mais vezes e também ir lá pela noite é ficar na vila chamada La Bajada porque ali tem hospedagens a preços excelentes (10 CUCs/pessoa) e fica a uns 15km da base, que o pessoal costuma ir e voltar de carona dessa vila. O mergulho foi sensacional! Não imaginava que seria tão impressionante. Visibilidade excelente também. Valeu a pena. Gastos deste dia: Taxi ida e volta Maria la Gorda - 35 CUCs/pessoa Mergulho: 35 CUCs/pessoa com certificação open water + 14 CUCs aluguel dos equipamentos Entrada de 5 CUCs/pessoa no "complexo" dos quais 3,50 CUCs são revertidos em consumação. Neste valor já está incluída a "entrada", acesso a banheiros (sem chuveiros) e espreguiçadeira na praia com eventual sombra. Rsrsrs Na volta, jantamos na despedida de Viñales num "ristorante italliano" de um cubano que morou na Itália por 11 anos. Jantar meio caro para o padrão de Cuba e massa boa. Fomos à casa da música de novo por não ter o que fazer mesmo, mas lá é meio bizarro... cantores lá com qualidade estilo "karaoke". Hehehehe Dia 12 - 07/09 - quarta - Viñales x Havana x Cancun Um pessoal que encontramos no mergulho falou que tinha uns preços bons pra ir de Havana pra Cancun pela aeromexico direto e, pensei... por que não? Então, com a informação, dei uma pesquisada na cara internet e consegui comprar pro mesmo dia a passagem aérea ida e volta Havana x Cancun x Havana por 120 euros. O táxi de Viñales ao aeroporto foi 15 CUCs/pessoa e me deixou lá. Uma coisa excelente em Cuba são esses táxis coletivos. Hehehe Ao chegar à Cancun, não tinha hospedagem e não indiquei nenhum lugar pra ficar... Se não fosse o carimbo dos EUA no meu passaporte, acho que pensaram que eu ia ficar lá e não voltar mais hahahaha após isso, foi a vez dos charutos... Comprei 50 charutos (máximo pra sair de cuba) e os trouxe pro México. Mas, querendo dar uma entubada nos desavisados, o limite pra entrar no país é 25. Como não li o formulário de imigração direito, tive que pagar o excesso de charutos. O ônibus do aeroporto a playa del carmen custou 168 pesos mexicanos. Cotações 1 euro = 20,25 pesos mexicanos 1 CUC = 14,40 pesos mexicanos 1 dólar = 17,35 pesos mexicanos Chegando ao terminal de playa del carmen, fui procurar hospedagem e achei uma de argentinos (!?!?!). Paguei 12 dólares/dia pra dividir o quarto, no hostal Buena Vibra. O pessoal lá é legal, mas a limpeza não é tanta assim... Comi uns tacos numa praça ali perto por 15 pesos cada um. Dia 13 - 08/09 - quinta - Cozumel Fechei um snorkeling em Cozumel por 30 dóóares no dia anterior. Foi o menor preço que encontrei em Playa del carmen. Os mergulhos estavam variando entre 75 e 120 dólares (???). JAMAIS FAÇA SNORKELING PAGO EM COZUMEL! Eu me senti enganado. Eles te levam pra ver uns "corais artificiais" com umas cabeças de pedra e falam que cada um desses pontos são "diferentes". Na hora de vender o passeio, dizem que são 3 CAÍDAS na água... enfim. Além disso, em Playaéé mais caro que fechar em cozumel... paguei 5 dólares a mais... Sobre o snorkeling, o guia era engraçado e fazia umas graças na água, mas não vale em hipótese alguma os 30 dólares que cobram. Almocei por volta das 17h na indicação dos guias por 170 pesos (peixe, taco, mini arroz e mini feijão + 1 margarita incluída do passeio). Razoável. O transfer pra Cozumel de Playa del Carmen custa 135 pesos cada trecho. Paguei 270 ida e volta. O grande lance de ter ido a Cozumel foi achar uma empresa que fazia mergulho lá por 59 dólares! Pelo que vi, foi o melhor preço da ilha!! Então, com preço assim, tive que voltar no dia seguinte. Hehehehe Dia 14 - 09/09 - sexta - Cozumel Paguei o mesmo transfer ida e volta de 270 pesos mexicanos. E sai 8h. Quando cheguei na empresa, uma das saídas já tinha ido, para o principal ponto da ilha (Palancar e Colômbia). Como ficava muito longe pra ir sozinho, mergulhei em outros pontos que também eram bem interessantes e cheios de caverna (1o ponto) e vida marinha (2o ponto). Valeu a pena! Depois, descobri um restaurante por 70 pesos com entrada na rua a..... EXCELENTE custo x benefício! Além disso, o hostel hostelito tem preços bons também! Vale a indicação pra dormir na ilha e se planejar melhor. Se eu tivesse me planejado, teria economizado 270 de transferir adicional... rsrsrs A noite comi uns tacos na praça com suquinho por 50 pesos. Dia 15 - 10/09 - sábado - Cenote 2 ojos A atendente do hostel 3B falou muito bem desse local. Custou 500 pesos e inclui serviços no cenote. Cenote é uma espécie de poço formado por estalactites e estalagmites com água. É impressionante porque não parece que tem água efetivamente do "outro lado". No Brasil, tem vários lugares assim que não são a fortuna que é aqui na região... rsrs Mas, queria saber sobre o que falam tão bem aqui... Então, consiste num snorkeling dentro de uma "gruta" ou um mergulho com cilindro (95 dólares o mais barato que vi com 1 cilindro). O local é bonito e pra quem nunca foi ao abismo de anhumas, ou chapada Diamantina, vai gostar bastante (o que não é o meu caso) Rsrsrs Almocei no restaurante que tem logo na entrada. Burrito de carne de porco 75 pesos com um refrigerante de 15 pesos. Muito bem feito. Hehehe À noite, lanche na praça e arrumar malas pra viajar dia seguinte e voltar pra Cuba. Bati perna pela calle 12 e realmente ali é o point pra sair à noite. Dia 16 - 11/09 - domingo - Playa del Carmen x Havana Peguei o bus de Playa até o aeroporto às 7h30 por 168 pesos mexicanos. Esqueci que tinha que pagar de novo a entrada em Cuba... arghhh 20 dolares novamente (tenho que sentar e planejar uma viagem direito... rsrsrs). Ao chegar à Havana, parece que vários voos (uns 4 ou 5) chegaram ao mesmo tempo. Moral da história: 2 horas para pegar a bagagem e sair do aeroporto depois do avião pousar... Minha idéia era ir pro oriente e conhecer mais lugares em Cuba. Peguei um táxi que me levou por 15 CUCs (após negociação) até a Via Azul. Lá, como já não dava para pegar o bus das 15h pra Santiago (pousei 12h27, horário de Havana e fui sair do saguão do aeroporto 14h20, fora uma chuva surreal intensa no aeroporto), comprei o bus das 00h30 que chegou lá 16h. Bom que não precisei pagar uma diária de hospedagem. Detalhe do dia: o carro que me pegou, deixou que eu guardasse a mala na casa dele, que fica do lado do centro de Havana. Perfeito! Não ia ter condição de rodar de mochilão pela cidade... Julio Cel +53 5481-5348 Depois de deixar as coisas lá, parti pro farol e depois Coppelia a pé mesmo. 2h de fila e sorvete comido. Dia 17 - 12/09 - segunda - Santiago de Cuba Peguei o bus da via azul saindo de Havana às 00h30 por 51 CUCs. O bus chegou às 16h30. O bus faz um roteiro padrão e passa em várias cidades... numa delas "tomei café" às 12h e comi pizza com caldo de cana (garapa) por 1.60 CUCs. No terminal, fechei com um taxista pra ir ao castelo castillo e depois ao cetro (cespede) por 10 CUCs (antes era 20 CUCs). O castelo tem um visual legal, mas não a ponto de valer entrar por 4 CUCs pra mim. Hehehe o taxista foi ex-combatente na Revolução e tecia ótimos comentários, apesar de os jovens já verem diferente as coisas. Fiquei rodando pelas praças e comi onde parecia um preço bom (até 4 CUCs). Hehehe Fiz hora numa casa simples que ia tocar música variada (campesina, bolero e salsa). Acho que foi mais na sorte, porque a casa é simples também. Pra finalizar antes de ir pra Baracoa, mais uma pizza perto da praça cespede. O táxi desta praça até o terminal foi 5 CUCs. Dia 18 - 13/09 - terça - Santiago x Baracoa O bus saiu de Santiago às 1h50 por 15 CUCs. Lado bom, não gastei com hospedagem. Lado ruim, cheguei destruído. ?? Não tinha hospedagem, mas isso não é um problema... sempre tem gente oferendo lá na hora. Boa chance de fazer um bom negócio. Rsrs eu fechei com Sr. Arturo y Yamira. O quarto é bom e o café da manhã também, mas ficava a uns 8 quarteirões da praça principal que se chama Parque Central. Depois do banho, fui de táxi coletivo 15 MN até o rio Yamuri, onde tem um pessoal te oferecendo lá Trekking e almoço. Como já estava meio tarde, não pesquisei muito e fechei a trilha por 8 CUCs e o almoço com suco e sobremesa (doce que não comi) por 5 CUCS. Hehehe o Trekking foi bem interessante, não pelo visual em si, mas pelas frutas de diversos pés que íamos comendo pelo caminho (maracujá doce, conde, coco, mamilo, etc) e também pela aproximação que ele proporcionou com a vida de um autêntico campesino cubano e a casa onde moram também. Achei que valeu a pena. Fiz o passeio com Justo Manuel (algo parecido com isso) e ele foi contando histórias das dificuldades que passam, não de comida, mas de bermudas e calçados. Negociei com ele de me fazer o passeio a 4 CUCs e ele ficar com minha máscara de mergulho. Ele ficou contente porque poderia pescar e poder melhorar sua condição. Pra ele foi um ótimo negócio, tá? A máscara custa mais de 100 reais. Hehehehe Na volta, peguei pela primeira vez uma guagua. Na moral, não sei como o mulambo se empolgou tanto com essa guagua. O percurso de 22km que fiz indo com o carro coletivo foi de 30min. Com a guagua foi de 1h porque ela vai parando direto e ao longo da rodovia, fora o banco que, da guagua que andei, achei melhor ir em pé, porque já tava maltratando minha coluna. ?????? A guagua custou 2 MN, ou seja, ridículo de barato. Hehehe decidi preservar minha coluna pro resto da viagem e tentar não andar mais de guagua. O valor atrai mesmo, mas não tenho o fortalecimento natural dos cubanos e nem mais vinte e pouco anos de idade pra isso. Hahahaha Dica de refeição barata em Baracoa é o restaurante 1511. Não comi, mas acho que custa 1 CUC... com esse preço.... parece uma delícia já. ?? Dia 19 - 14/09 - quarta - Baracoa x Holguin x Camaguey Acordei cedo pra fazer o passeio ao Parque Nacional Alexandro Humboldt, mas ao chegar na agência (Cubatur), eles ligaram para o parque e informaram que estava chovendo... ai, pensei: ir a praia aqui ou ir a qualquer praia (já que praticamente todas são belíssimas) em uma cidade mais próxima de Havana? Rsrsrs Arranjei um táxi coletivo a Holguin por 20 CUCs e parti pra Holguin. Na hospedagem em Baracoa gastei 10 CUCs na diária e tomei 2 cafés da manhã a 3 CUCs/dia, que era muito bom por sinal. Fechei um transfer pra Holguin que pensei que era um táxi, mas era uma guagua (carro) por 20 CUCs. A estrada de Baracoa a Holguin tem um início horrível e foi sofrido. Rsrsrs Depois de Moa fica menos pior ir nesse carro na parte de trás. Saímos perto das 11h e chegamos a Holguin por volta das 16h. Que dureza ir de guagua. Hahahaha agora entendi porque a via azul não vai de Holguin pra Baracoa... a via azul passa por Santiago pra ir pra lá porque a estrada é menos horrível. Chegando a Holguin, tive que pegar um táxi por 3 CUCs até o terminal de ônibus, que ficava do outro lado de onde cheguei. No terminal, falei com o "líder dos gestores de passagem" que me mandou pra Camaguey (porque inicialmente eu iria pra Playa Santa Lucia), sob o pretexto de que era mais fácil de Camaguey que de Las Tunas. Ele "arrumou um carro" por 20 CUCs que, a principio, eu iria sozinho, mas depois surgiram outros 2. Moral da história: paguei mais caro (seria entre 12 e 15 CUCs normalmente) para chegar antes e já numa casa, porque pela a via azul só sairia 21h15 de Holguin. Em Camaguey fiquei numa casa que o pessoal do carro indicou que são bem receptivos por 18 CUCs/dia com café da manhã. Dia 20 - 15/09 - quinta - Playa Santa Lucía (Camaguey) Fui a playa santa lucía atrás do mergulho com os tubarões touro. Aqui eles alimentam os tubarões e você mergulha próximo a eles. Seria perfeito, se não tivesse pão-durado no carro. Rsrs a Sra da casa onde fiquei disse que os camiones (guagua) demoravam cerca de 2h para chegar, porém demora quase 3h. Além disso, o Sr. que ela me indicou não estava na praia, pois a mãe dele passou mal e ele teve que ir a Camaguey... Moral da história: nao mergulhei com os tubarões. Rsrsrs Minha rotina em vão foi: acordei 5h30, cheguei ao "terminal de camiones" às 6h, ela saiu às 7h (normalmente sai às 6h), cheguei às 10h, consegui contato com o Sr. Gemso às 10h20, peguei um "taxi" que na verdade era uma carrossa puxada a cavalo às 10h35, encontrei o "pescador-instrutor" às 10h50 e começamos o mergulho umas 11h15. Água mexida e visibilidade fora do padrão Cuba (no Brasil seria algo muito bom hahaha). Apesar dos pesares, o Gemso foi extremamente atencioso e esforçado em "me ajudar" diante do cenário adverso. Hehehe apesar de ele não ter certificado de mergulho, tenho certeza que tem mais experiência de mar e de possíveis problemas que um mergulhador certificado. Então, fui tranquilo. Seu equipamento era bom, melhor que em muitas agências que fui. O melhor de tudo foi a amizade que fizemos e o almoço de robalo fresco que me ofereceu e eu, gentilmente, paguei 7 CUCs. Deixo o contato para quem se interessar em mergulhar com ele. O mergulho em si, foi até mais divertido que se fosse com a empresa, pois ele "brincava" com os peixes. Hehehe Fiz contato inicial com Sr. Macau - que mora na Playa La Boca casa 20 A - Mobil - 5274-1173. Ele me repassou para o Gemso Mobil 53711704 - la chusmita. O contato precisa ser feito por telefone mesmo. Os preços deles (30 CUCs sem tubarões e 50 com tubarões) são mais econômicos que a agência daqui também (40 CUCs sem tubarões e 69 CUCs com). RECOMENDO pagar mais caro pra chegar a tempo de mergulhar com os tubarões e água limpa, porque mais tarde ela fica mexida com a movimentação marinha no canal que ocorrem os mergulhos. A volta foi melhor que a ida, pois utilizei o mesmo ônibus dos trabalhadores que vão e voltam todos os dias da playa a Camaguey, pelo menos foi a história que ouvi. Hehehe Esse bus custa 12 MN, mas, como estava num dia de mão aberta, paguei os mesmos 20 MN da ida na volta. Hehehehe Dia 21 - 16/09 - sexta - Camaguey x La Havana A Sra da casa onde fiquei arranjou um transporte pra Havana por 40 CUCs. O preço da via azul era de 33 CUCS, mas até o terminal, contando que o custo de deslocamento em Camaguey e Havana dos terminais seria maior, escolhi o táxi mesmo. A viagem é longa e chata. Rsrsrs Saimos às 9h40 e chegamos a Havana 16h 20. Fiquei hospedado no mesmo local de quando chegamos a Havana, no Fran(k) por 20 CUCs sem café da manhã e almocei no Lo Narco por 6 CUCs porque precisava comer bem e lá é muito bem servido. ?? Bati perna pra cansar e esperar o dia de retornar. Hehehe Dia 22 - 17/09 - sábado - Havana x Rio de Janeiro Chegou o dia de retornar e voltar a comer bem. Hehehe Meu retorno foi alterado direto pro Rio, porque o vôo para Brasília foi modificado. Bom que não precisei ficar em Brasília, ruim que não deu tempo de passar no freeshop porque só tinha 1h de conexão entre as aeronaves. Depois uber do galeão pra casa. OBSERVAÇÕES: 1. Demos sorte porque somos morenos e passávamos por Cubanos. Hehehe mas, o pessoal fica empurrando serviços diversos quando percebiam que éramos estrangeiros. 2. A internet custa 3 CUCs/hora (ou 2 CUCs se conseguir comprar diretamente na loja) e não é lá grandes coisas. Você não consegue fazer chamada pelo whatsup e o Apple store não funcionam. Não testei o play store. Instale todos os programas necessários antes de chegar aqui. Recomendo MUITO o "Map of Cuba offline" que você consegue usar em todo país com localização e também o "Cuba" que mostra os principais pontos turísticos de cada cidade. Com eles, já dá pra montar uma boa programação. Parece que o Viber não é bloqueado para conversar com vídeo. 3. Em Havana, recomendo usar o ônibus pra turista do City tour, pois ele roda bem a cidade. Como andamos pra cacete, fizemos quase tudo que ele faz. Com o bus ganharíamos tempo, fora que o transporte em Havana é bem ruim. Poucos ônibus e os táxis não circulam pela cidade... ficam só na área turística. Para sair de Miramar foi um sufoco e demoramos umas 2h pra chegar ao centro onde ficamos. 4. Demos azar, porque, como somos morenos, acho que a polícia não tem tanta certeza se éramos Cubanos ou não. Em Trinidad e em toda Cuba, o nativo não é bem visto quando está abordando um turista (basicamente europeus). Fomos abordados pela polícia em Trinidad, nos perguntando se éramos cubanos num tom suspeito, digamos assim. Caso se enquadrem na descrição, fica a dica. Hehehe 5. Não pensava que os cubanos fossem tão viciados em novelas brasileiras. Hahaha Como não as acompanho, não sabia falar sobre nada delas. Rsrsrs além disso, vale trazer umas revistas sobre isso e uns doces e chicles pras crianças... ai, elas ficam mais amigáveis e sempre rolam uns descontos. 6. A via azul tem um serviço de venda horroroso! Se tiver como, use o táxi coletivo. Não são tão confortáveis como o ônibus, mas chegam mais rápido e os "gestores de passagem" são mais atenciosos e esforçados que a via azul. Hehehe fora que o preço.... Praticamente iguais a via azul. Rsrsrs 7. O snorkeling em Cozumel é fraco demais e caríssimo pelo serviço que oferecem!! Detalhe, eles tem o hábito de pedir "propina" (gorjeta) pra tudo! 8. Cancun tem vários atrativos interessantes, porém caríssimos. Vale ter facilidade de deslocamento ou tempo pra isso pra procurar fechar passeio no local. Sempre será mais barato que por agência. Fica a dica pro snorkeling ou mergulho com o tubarão baleia, que não tive a chance de ir porque saia de umas ilhas (holbox ou isla mujeres) que não consegui uma boa logística pra ir... 9. Se pensa em mergulhar com os tubarões na Playa Santa Lucía em Camaguey, va de máquina (táxi antigo) ou outro meio de transporte mais ágil. Perdi essa chance porque os tubarões já tinham ido do ponto onde "esperam" os mergulhadores darem comida. Vou ter que mergulhar com eles em outra viagem. Hehehe 10. Se for alugar um carro, muita atenção na estrada. Toda hora tem carrossa, alguém andando de bicicleta, pessoas atravessando a estrada... Confesso se tivesse alugado um, teria sofrido. Hehehehe
  7. E ai amigo! Vai ter resto de viagem até o dia 23?? Viajo na semana seguinte e seria legal ter suas impressões! Abraços
  8. Olá! Esqueci de falar o valor do rating... rrsrsrs O full day foi 80mil pesos chilenos e o pequeno foi 40mil. O full day vale muito a pena, tem que ir!!
  9. Oi Maria! Valores não terei idéia, mas chuto que a diária deve oscilar entre R$ 150,00 de um carro básico. Para 1 dia light, acho que as grutas e pratinha são legais, voltando a tarde para o mirante. No outro dia, acho que vale caminhar mais e ir a cachoeira da fumaça. Esses lugares são perto de Lençóis. Ou então, se tiver com tempo de rodar de carro, Cachoeira do Buracão é imperdível e leve! Vc quer ir pra um lugar de ecoturismo e ficar sem caminhar? Sugiro jalapão na próxima vez. hehehehe
  10. Pois é... Tento fazer o relato ao longo da viagem para não ir perdendo as informações... Aí, as fotos vejo mto tempo depois e nunca incluo aqui. rsrsrs Tirei várias fotos, mas deixei num computador que não funciona internet... aí já viu. rsrsrs
  11. Relato de viagem 19 dias Patagônia – Bariloche x Futaleufu x Puyuhuapi x Cerro Castillo x Puerto Tranquilo x Los Antiguos x El Chaltén x Ushuaia Dia 1 – 23/01 – sábado: Rio X Bariloche E ai Pessoal! Espero ajudar com mais este relato. Essa viagem foi sensacional!! A viagem ocorreu de 23 de janeiro/2016 a 11/02/2016. Apesar de alta temporada, não fomos com nada reservado e íamos buscando nos locais mesmo. Em Bariloche tivemos grande dificuldade em conseguir hospedagem a preços aceitáveis, e acabamos pagando mais caro porque não fechamos antes. Vou falando os custos ao longo do caminho. A passagem foi Rio x Bariloche e Ushuaia x Rio por R$ 2.040,00 com as taxas incluídas. Chegamos umas 21h30 ao centro da cidade de ônibus do aeroporto por 12 pesos cada um (o táxi seria a partir de 280 pesos), ainda claro. Procuramos hostel más já estavam todos lotados. Tivemos que procurar um hotel, que encontramos o Copahue na Av. San Martin. O hotel é bem aconchegante e agradável, apesar de caro (1.100 pesos/para 2 pessoas) com café da manhã. Dia 2 – 24/01 - domingo: Bariloche Acordamos cedo e fomos buscar uma troca de hotel pra um mais econômico. Rsrsrs os hostels estão cobrando 300 pesos por pessoa em quarto compartilhado, praticamente todos com o mesmo preço. Andamos pela cidade, calle Mitre onde o pessoal troca moeda. O câmbio estava 1 real = 3,60 pesos 1 dólar = 4,15 reais 1 dólar= 15 pesos Almoçamos na própria calle Mitre, no los ponchitos e a comida estava na média de preços dos outros restaurantes : 130 pesos (caro!!). Encontramos uma hospedagem mais a frente chamada Aspen Hotel que estava cobrando 860 pesos para 2 pessoas, melhor que a nossa a 1.100, pena q não deu tempo de trocar no mesmo dia... Dia 3 - 25/01 – segunda: Bariloche Resolvemos ficar na cidade em vez de fazer passeio. Fomos ao parque Llao Llao e caminhar por la. O parque é bem interessante. Fomos ao centro de turismo e pegamos informações do que fazer lá. Inclusive que tínhamos que comprar o cartão de ônibus (25 pesos) e depois recarregar com base nos valores que usaríamos. Os ônibus não aceitam dinheiro! Rodamos o dia todo no parque. Dia 4 – 26/01 – terça – Tronador Fechamos um passeio ao tronador por 560 pesos/pessoa que sai do hotel às 9h. O passeio consiste em passar pelo rio manso (que tem variações de coloração em razão dos sedimentos que caem no rio) e ao fim encontramos com uma geleira que constantemente se solta. Não demos sorte de ver uma parte se desprendendo, mas pelo menos conseguimos ouvir alguma coisa. Hehehe Depois, passa para ver a cachoeira que se forma da geleira... bem interessante. Água bem gelada mesmo. Trocamos de hotel do Copahue para o Aspen Ski hotel que era bem mais aceitável o preço 860 pesos com café da manhã. Este hotel também tem serviço de restaurante que é mais econômico que qualquer restaurante que fomos!! Fora que a comida é muito boa e com variação!! Não pensamos duas vezes. Hehehe só comemos os "pratos frios" por 60/pessoa. :) Só os pratos frios já satisfizeram nossa fome! Grande variedade de comida pra todos os gostos. Este hotel teve o melhor custo x benefício da viagem, pena que não o descobrimos antes. http://www.hotelaspenski.com/home.htm Dia 5 – 27/01 – quarta - Bariloche x Esquel (rumo a Futaleufu) Pesquisando sobre rafting na internet, descobrimos o relato do Márcio/Sp aqui no site dos mochileiros.com (futaleufu-o-paraiso-do-rafting-t32982.html) que falou tão bem de Futaleufu, que desistimos de fazer os oferecidos em Bariloche. Os preços de Bariloche estão surreais 1.690 pesos (nivel 3 e 4). O mais barato que encontramos foi por 1.290 numa agência perto do posto de gasolina do centro, subindo a rua. Para chegar a Futaleufu, é preciso ir a Esquel e de lá continuar a peregrinação. Hahahaha o preço da passagem foi de 232 pesos em ônibus executivo. Pegamos o remise ("táxi" ”mais econômico”) do Aspen até o Terminal de bus por 80 pesos. Infelizmente perdemos o ônibus porque compramos o bilhete no quiosque (El Valle), mas eles vendiam várias empresas... como o atendente não informou sobre isso e não sabíamos que existia isso em guiche, tivemos que pegar o ônibus mais caro (365 pesos) e que venderam como cama... De ônibus normal até Esquel e de la sentido Chile. Em Esquel também é possível fazer um rafting no rio Corcovado de nível 3 e 4, mas esse não é o nosso objetivo. Hehehe Ficamos hospedados por 600 pesos (2 pessoas) numa Cabaña perto da rodoviária mesmo. Tinha também um hostel perto por 200/pessoa em quarto compartilhado. A central de informações é interessante, pois funciona direto, pelo que vimos, inclusive pela manhã (8h). La eles dão varias informações e indicam onde se hospedar também. Dia 6 – 28/01 – quinta - Futaleufu Após passar pela Aduana na Argentina e Chile, partimos pra cidade. Chegamos perto das 11h e pensávamos que não seria possível fazer nada neste horário, mas conseguimos fazer o rafting mais curto (que sai mais tarde que os outros) por 45mil pesos chilenos/pessoa na Patagônia Elementary. A Agência tem boa estrutura e vai um fotógrafo profissional acompanhando o bote que oferece os serviços por 5mil/pessoa. O rafting é irado!! Sem palavras para descrever a tonalidade, exuberância e qualidade do rafting!! Ficamos tão empolgados com o rafting que resolvemos fazer outro no dia seguinte. Refeição fica na faixa de 6mil/pessoa. Ficamos hospedados na pousada Cañete por 12.500 pesos/pessoa. Pequena, porém funcional. Café da manhã básico. Rsrsrs Ficamos boquiabiertos com tamanha beleza!! Cotação - 1 real = 165 pesos Incrivelmente tem uma agência que troca reais e estava 1 real = 170 pesos! Droga que não descobrimos antes do saque. Hehehehe Dia 7 – 29/01 - sexta - Futaleufu Fizemos o rafting full day pela agência: Outdoor Patagônia [email protected] http://www.outdoorpatagonia.com O material deles tá menos novo que o da outra, porém achei o serviço mais top!! O guia Alonso fez a diferença no passeio, indo pelos pontos mais interessantes do rio, além de usar a gopro direto!! Para sair de Futaleufu, também são poucas opções e dias. Voltando para Esquel, sai na segunda, quarta e sexta, pois os ônibus das duas cidades (Esquel e Futaleufu) se encontram na fronteira. Para ir mais ao sul, tem um ônibus domingo que vai até Coihaique e há outras opções saindo de Chaitén diariamente. Nessa estrada, o que costuma acontecer é das pessoas esperarem o ônibus de Chaitén na Villa Santa Lucía, que é passagem obrigatória e ponto desses ônibus. Infelizmente não tenho mais detalhes dos horários, pois quem entrou em contato com a empresa de ônibus para gente foi a dona da pousada Cañete (que inclusive vende passagens para Chaitén). No rafting que fizemos encontramos um casal de australianos que estava de carro e ia para Cerro Castillo também!! Então entramos nessa viagem desse casal e dormimos em La Junta, uma das cidades mais próximas do parque nacional Queulat. La Junta é uma cidade pequena e tranquila, com água potável saindo pela bica. Rsrs Não só lá acontece isso, mas, pelo que vimos, em toda Patagônia!! Economia garantida na água. Hehehe Ficamos hospedados num lugar bem fraco, chamada "Hospedaje Valle El Quinto", cuja limpeza é fraca, mas foi o q encontramos, por 10mil/pessoa com café da manhã fraco. Rsrs bom que foi só por uma noite. Dia 8 – 30/01 - sábado - La Junta x Puyuhuapi Como não tínhamos barraca pra acompanhá-los, eles nos deixaram em Puyuhuapi em torno das 11h, base da cidade pra conhecer Ventisquero Colgante, que é um glaciar no meio de uma floresta! Visual impressionante e interessante. Ele é menor que o mais perto de Bariloche, mas é mais bonito como um todo. Esse parque fica a 22km da da vila de Puyuhuapi e chegamos de carona. É possível pegar um bus pra voltar pra Puyuhuapi a partir das 18h, que são os ônibus que saem de Coyhaique até La Junta/Puyuhuapi. Ficamos na cidade porque não tinha como sair no mesmo dia, pois para ir para Cerro Castillo, tem que ir a Coyhaique e o ônibus sai às 6h da manhã diariamente. Ficamos hospedados na hospedagem Don Luis, que é un lugar bem agradável e aconchegante por 11mil/pessoa sem café, pois o bus sairia cedo no dia seguinte. Dia 9 – 31/01 - domingo - Puyuhuapi x Cerro Castillo Compramos a passagem no dia anterior em Puyuhuapi até Coyhaique por 8mil pesos/pessoa e partimos pra esta cidade. Ao chegar à rodoviária, buscamos uma passagem pra Cerro Castillo que sai diariamente às 9h, mas a atendente informou que não havia mais vagas até quarta-feira. Perguntamos se havia outro e a atendente disse q teria um sem vaga às 11h. Insistimos se teria desistência e ela disse q teria q esperar. Bingo! Conseguimos partir pra Cerro neste dia por 5mil/pessoa. Procuramos hospedagem e encontramos a hospedaje El Rodeo que é razoável e saiu por 10mil / pessoa sem café da manhã. Cerro Castillo é um parque que oferece Trekking de 1 dia ou de 4/5 días, ao estilo Torres del Paine. Infelizmente não viemos preparados pro Trekking maior, então só restou o de 1 dia mesmo que não conseguimos fazer no dia que chegamos e ficou pro dia seguinte. Refeição tem o preço aproximado das cidades anteriores entre 6 e 7 mil. Obtendo informações no parque, a central disse que o percurso mais bonito é o que fica perto da Cidade de Cerro Castillo mesmo, tendo variações de caminhada para quem anda bem e pra quem não anda tão bem assim. Rsrsrs Dia 10 - segunda - Cerro Castillo Fizemos o Trekking de 1 dia que vai e volta por Cerro Castillo. O visual é irado! Passa-se por bosques, vegetação alta e depois uma parte de pedras para se chegar ao mirante que é impressionante, ainda mais num dia de sol. Depois, é possível entrar na água gelada que corre da geleira no lago, dar uma refrescada e encher a garrafa de água. A trilha dura entre 6 e 8 horas ida e volta, mas pode passar disso. Rsrs Na volta, não tinha mais ônibus pra pegar e pedir carona já ficou tarde... Então, voltamos pra pousada El Rodeo para tentar ir embora no dia seguinte. Dia 11 - terça - Cerro Castillo x Puerto Tranquilo Os ônibus não passam com frequência nesta estrada então ou se pega um certo ou tem que tentar carona. O ônibus que passa entre 10h e 11h na estrada principal já estava cheio e o que passava 11h30 só tinha uma vaga... Moral da história: tivemos que "ir a dedo" (pedindo carona). Depois de 1h30 esperando e praticando bastante, conseguimos!! Chegamos a Puerto Tranquilo e não tinha "hospedaje" disponíveis. Felizmente, conseguimos alugar uma barraca na "Bellavista" que tinha uma ótima estrutura tanto pra Camping quanto pra quartos. Por coincidência, encontramos o casal que nos deu carona no mesmo local. Como iam a capella de marmol, aproveitamos a oportunidade e fomos juntos por 10mil/pessoa. O local realmente é deslumbrante. Como fomos umas 18h30, não tinha mais sol, mas mesmo assim foi lindo demais. O melhor horário para conhecer é entre 8h e 9h, pelo que disseram, porque a água faz um contraste interessante com a capela de mármore. Dia 12 - quarta - Puerto Tranquilo Fechamos o passeio de Exploradores de Glaciar por 50mil no cartão de crédito, pois já estavam acabando os pesos chilenos 45mil (dinheiro) na empresa Valle Leones. Achei o valor bem exagerado pelo serviço que oferecem, mas é alta temporada de primavera/verão... Mesmo assim ficamos curiosos pra conhecer. O passeio consiste em um Trekking guiado em parte do Parque Nacional Laguna San Rafael que você anda em cima de gelo (preto e branco) e observa suas formações. Não chega nem perto do glaciar que se vê ao horizonte. Além disso, vc tb anda no gelo com um acessório acoplado ao calçado. É interessante, mas achei que o pessoal foi devagar enlerdando no caminho pra não ir tão longe. Rsrsrs No final, essa agência encaixou a gente num outro carro e tivemos que esperar 40min até o grupo da nossa van chegar! Pra um serviço nada barato, isso não parece razoável... Então, espero que tenham mais sorte que a gente. Para sair de Puerto Tranquilo a Chile Chico tínhamos 2 opções de dia: quarta ou domingo às 14h30. Então, partimos na quarta! Chegando a Chile Chico, umas 19h40, não tinha como fazer o transfer de bus. Então tivemos que dormir por lá mesmo. Ficamos em uma hospedagem atrás de onde saia a van pra Los Antiguos. Dia 13 - quinta - Chile Chico x Los Antiguos Compramos as passagens por 5mil pesos chilenos/pessoa no Martin pescador. Tem ônibus diariamente às 10h e 16h sentido Argentina e uma hora antes sentido Chile (acho eu). Rsrsrs A distancia é muito pequena (de veiculo)!! Daria pra ter passado a fronteira tranquilamente no mesmo dia (no verão até às 22h), mas não tínhamos transporte. Em Los Antiguos, o ônibus pra El Chaltén só sai diariamente às 20h (11h30 de percurso), tivemos que passar tempo na cidade. Fomos ao ponto de turismo que nos falou que a cidade é conhecida como a "capital da cereja" e tinha uma chácara que fazia um tour guiado. Pagamos 50 pesos argentinos/pessoa e fomos acompanhar e comer muitas cerejas. Hehehe Esse tour foi na "Chacra Don Neno". O dono da fazenda apresentava, falava pra comer umas frutas frescas do pé (damasco, morango, cereja, framboesa, cassis, entre outras) e ao final nos deu um licor de recordação. Depois, fomos comer uma pizza antes de pegar o bus em um dos 2 restaurantes que ficam abertos direto na av. principal. Hehehe Dia 14 - sexta - El Chaltén Depois de longas 11h30 no bus, chegamos às 7h da manhã a El Chaltén. Cidade agradável e bem fria pela manhã. Ficamos hospedados no Restaurante/Hospedaje La Huella por 375 pesos argentinos/pessoa. Demos meio que sorte que o dono do estabelecimento ia a El Calafate e nos deixou toda a casa, com cozinha e área de serviço. Compramos comida no mercado e resolvemos cozinhar nessa passagem de 3 dias e comer mais opções que carne + variações de batata ou salada ou arroz. Rsrsrs Como estávamos cansados, fizemos a trilha para o Chorillo del Salto que é uma caminhada tranquila. Ao subir a queda da pra ver a cidade e uma boa parte do vale. Dia 15 - sábado - El Chaltén Fizemos a trilha da Laguna Torre. O visual é bonito também. Como tínhamos tempo e fôlego, aproveitamos pra conhecer as Lagunas Hija (agua boa pra dar um tibum, o lago não forma rio e a Madre. A caminhadinha foi forte porque demos a volta pela outra trilha, mas valeu a pena. Dia 16 - domingo - El Chaltén Depois de preparamos o café, fomos ao Monte Fitz Roy. O percurso é forte e interessante. Infelizmente o tempo fechou e não estávamos mais acostumados a "sentir frio". Hehehe não levamos roupa de frio e nos lascamos... Quase perdi a mão lá. Hehehe Ficará para a próxima oportunidade concluir este trekking... rsrs Dia 17 - segunda - El Chaltén x Ushuaia Compramos vôo de El Calafate x Ushuaia por 117 dólares e o ônibus de El Chaltén x El Calafate por 370 pesos. Apesar de caro, foi o melhor que podíamos fazer, pois ir de ônibus seria absurdamente demorado (passa pela fronteira, barcos...) e a diferença de preço para o ônibus era nenhuma, fora que eram 2h de vôo... uhuu Quando chegamos ao aeroporto de Ushuaia, o indivíduo da central de turismo era poliglota e engraçado. Como não tínhamos reserva, ele se prontificou a contatar alguns hostels e ficamos no Amanacer de la Bahía (http://www.ushuaiahostel.com). O hostel é arrumadinho e limpo por 300 pesos por pessoa. Os preços das comidas são entre 130 e 600 pesos/pessoa. Aqui tem um caranguejo gigante (king crab) que é o prato mais conhecido, porém é bem caro. Rsrsrs A atendente do hostel nos indicou opções de passeios e fechamos o transfer pra Laguna Esmeralda pro dia seguinte por 250 pesos ida e volta por pessoa. Dia 18 - terça - Ushuaia (Laguna Esmeralda) Agendamos o transfer para às 9h. Começamos a trilha marcada às 9h30 e a completamos em 2h. O visual é maneiro e sem ventos seria possível ver o reflexo da montanha na água! Pena que não tivemos essa sorte. Rsrsrs voltamos, Almoçamos e fomos ao museu do presídio. A história é interessante, mas dispensaria. Hehehehe custou 90 pesos/pessoa. Depois, fim do dia, jantamos e hostel. Dia 19 - quarta - Ushuaia Como o tempo melhorou, optamos em visitar o parque nacional. Lá contempla trilhas e paisagens de tirar o fôlego! Acho que vale dormir 1 noite no parque... vai poder aproveitar melhor o tempo e procurar os castores com mais detalhes. Rsrs Para chegar ao parque pagamos o transfer de 300 pesos (ida e volta) na própria agência. Tem este serviço que é bem prático. Se não fosse o frio, daria para ir Mergulhando no mar de águas cristalinas até o fim da trilha. Depois de tanto caminhar, chutamos o balde e fomos gastar Dia 20 - quinta - Ushuaia x Rio Pegamos o voo pela manhã de Ushuaia até Buenos Aires. Fomos passear na Calle Florida enquanto passava tempo na cidade. Depois, voo noturno e baldeação de aeroporto na madruga de táxi, pois a Tam não oferece o ônibus na madrugada. Viagem iradíssima e com gosto de quero mais! Observações importantes : 1. Na Argentina, o guiche de empresa de ônibus vende passagens de outros ônibus também. Não sabíamos disso... Moral da história: perdemos a saída do ônibus. Nem precisa falar que saiu ainda mais caro né? 2. Bariloche é uma cidade muito cara, com a cotação que viemos pra cá. É também muito bonita e há outros atrativos também. A neve deve dar uma beleza diferente ao local. No verão é possível fazer vários ecoturismos. 3. Acho importantíssimo trazer uma barraca pra eventual oportunidade de encontrar alguém que vá acampar. Como não tínhamos uma barraca leve e pouca bagagem, perdemos a chance de ficar com os australianos que encontramos e iam acampar no Bosque Encantado. 4. A Carretera Austral Sur tem visual esplêndido!! O ruim é que boa parte dela é em estrada de terra, o que dificulta muito o transporte e a linha de ônibus rodar. Rsrsrs ideal seria alugar carro, mas não no$ foi po$$ível. Hehehehe 5. Saque dinheiro nas cidades grandes, pois as pequenas não possuem esse "serviço". A região de Aysén é interessantíssima!! Vale pesquisar outros destinos! Infelizmente dependem de tempo, pois os ônibus não saem diariamente e pedir carona sem uma barraca é arriscado, já que existe a possibilidade de não conseguir a carona... http://www.recorreaysen.cl 6. Tragam roupa de verão! Imaginei pegar frio na Patagônia e me ferrei. Trouxe nenhuma. Hehehe 7. Atenção a abordagem estranha em Buenos Aires. Quase roubaram nossas mochilas com um golpe de te sujar e depois surgir alguém do nada para te limpar... ATENÇÃO!
  12. Relato de viagem: Colombia 22 días: San Andrés, Caños Cristales, Fala pessoal! Mais um relato que espero ajudar aos futuros viajantes a Colômbia, pais interessantíssimo! O período de viagem começou dia 11/10 a 1°/11/2015. Compramos na Lan/Tam as passagens Rio x San Andrés x Bogotá x Rio por 1400 reais com taxas incluídas. Promoção divulgada no site melhores destinos. Fomos construindo o roteiro ao longo do caminho, então só tínhamos essas passagens compradas. 1o - Rio x Bogotá Hospedagem no hotel fontibon por 113,00 reais comprado no decolar.com. Taxi aeroporto hotel por 15mil pesos. Café da manhã restrito, porém saboroso. Surpreendeu porque achei que seria pão, geléia e café com leite. Rsrsrs Cambio aeroporto 1 real = 650 pesos colombianos 1 dólar = 3.95 reais!!! 1 dólar = 2.650 pesos 1 real = 743 pesos colombianos no site do bacen (Brasil e uma pequena diferença pro bacen colombiano) Moral da historia: Valeu trazer reais e trocar no aeroporto mesmo por pesos, porque a variação pro dólar era muito pequena pra nossa viagem. Além disso, fugimos do preço surreal do dólar no período. 2o día - Bogota x San Andres (feriado da raça 12/10) Taxi hotel aeroporto por 15mil pesos. Para entrar na ilha se paga taxa de 50mil pesos/pessoa. Procuramos hotel na ilha mesmo. A central de informações do aeroporto sugeriu o bairro sarie bay como mais econômico. Mas não foi tão bom assim. Encontramos um cara na rua que nos indicou o apart hotel ocean paradise (com mini cozinha e utensílios) espaçoso e com vaga até 4 pessoas. Apart Hotel Ocean Paradise - [email protected] Calle 4, carrera 14 - Barrio Sarie Bay Cel: (57) 8 512-4192 O bairro tem mercado próximo (da pra ir a pé, uns 8min). Do hotel até o centro já é mais distante, da uns 2km. No centro encontramos umas pousadas legais, porém preferimos ficar nessa com cozinha, já que, tirando a Mary May Inn (70mil por pessoa), nenhuma das outras oferecia café da manhã e eram o mesmo preço (60mil/pessoa). Aí vão os dados das pousadas que fazem reserva por email: 1. Mary May Inn phone: 512-5669 / 512-7654 / 512-7688 Email: [email protected] / http://www.marymayinn.com Calle: July 20 Avenue 3-74 2. Hotel Red Cay (do lado da Mary May Inn ) Tel: 512-4349 / 314-207-7893 / 310-500-6478 Email: [email protected] / [email protected] 3. Posada Villa Sol (ruazinha quase do lado da May May) - Esta pousada tem opção com ventilador por 40mil/pessoa. Opção mais barata que vimos por onde passamos. 512-3268 / 316-231-8234 - não tem email http://www.posadavillasol.com (Informações obtidas nos cartões de visita dessas pousadas, mas acho q não possuem site porque eu procurei e não achei hehehe) Não fizemos nada. Rodamos de ônibus na ilha e procuramos alguns passeios. Impressões da ilha: eu tenho preferência por algo mais rústico e vazio. A partir daí é depois de ir a Los Roques (Venezuela), não achei San Andres o máximo. Providencia sería mais próximo do que gosto, mas não havia voos ou catamaran pra ir no período que estava na Ilha. Então, infelizmente, teve que ser cortado do roteiro. 3o dia - San Andres Alugamos uma moto por 60mil até às 18h. A moto deu mobilidade e mapeamos a ilha toda. A parte de fora da ilha quase não tem areia e é mar aberto direto. Mergulhando ali já tem corais em sua costa. Bem bonito e pouco povoado. Rsrsrs Fomos a Cueva de Morgan que é um "museu" sobre o pirata Morgan. Bem interessante por 15mil/pessoa. Depois, mais pra cima tem um lago que tem jacaré (tem uns caras que guiam no lugar pra ganhar um trocado). Bem interessante e bonito, porque a água estava parada e deu pra fazer umas fotos legais com o céu refletido (no celular). Os jacarés eram de contrabando e acabaram virando mascote do pessoal que morava ali perto. Hehehe Devolvemos a moto e comemos próximo à pousada, além de passar no mercado e comprar as coisas do café da manhã. Rsrsrs 4o dia - San Andres Não demos sorte e acordamos com chuva forte que durou a manhã. Não fizemos nada pela manhã. À tarde, demos uma volta no litoral e andamos de Jet sky por 140mil pesos e 45min. Bem divertido, pena que o percurso é curto. É possível fazer boas compras de cosméticos e perfumes na ilha. Fechamos também passeios pra cayo bolívar e aquário Johnny Cay y mantarrayas. 5o día - Cayó Bolivar Consiste num passeio de dia todo com almoço e lanche na manhã (sanduíche com refrigerante ou agua). Rsrsrs O local não é habitado, bem bonito. Os barcos chegam com até 50 pessoas, dando uma lotada na ilha. Fechamos por 160mil, mas depois descobrimos que poderíamos ter fechado por 145mil com um vendedor na peatonal mesmo. Depois do passeio fomos destruidos pro hotel. Hehehe Recomendo este passeio. A parte alta do passeio, fora a praia em si, são os tubarões que ficam ali. Praticamente inofensivos. Irado! 6o día - Mergulho com cilindro, Aquário e Mantarrayas Fechamos o mergulho com a empresa Ocean Explorer que foi o melhor preço que encontramos por 143.100 pesos em dinheiro. Irado!! Detalhe que os mergulhos em San Andrés são quase todos da costa, ou seja, você vai de carro até uma parte da ilha e vai batendo perna até o ponto de mergulho. Há diversas profundidades na costa que fica pro oceano (sem areia e com pouca gente, prefiro!!). Se for fazer mais de um dia de mergulho, eles dão descontos nos mergulhos seguintes! Agencia de mergulho Ocean Explorer - http://www.oceanexplorer.com.co Edificio Hansa Coral Local no. 9 Tel: (57) 8 513-3908 / movil: 315-578-4262 / 321-476-2374 / 317-690-2000 Email: [email protected] O passeio do aquário e mantarrayas é bem legal e valeu a pena. Engraçado que eles vendem só mantarrayas, mas fica exatamente no mesmo local do aquário. Rsrsrs nada mais é que umas arraias "domesticadas" que ficam lá pra tirar fotos. Depois, cansaço bateu e fomos pro hotel. Rsrsrs 7o día - Johnny Cay e muita chuva Fomos à ilha que fica em frente à San Andrés. La tem uma parte pequena de areia e muita rocha ao seu redor. Achei muito lotado! Não gostei e não dava pra fazer uma flutuação legal lá. Ficamos até 13h30 (primeiro horário de saída) e tentamos fazer o flyboard, mas já não tinha condição de mar para fazer (muito mexido). Fomos para o hotel e a chuva caiu. 8o día - San Andrés x Bogotá x Villavicencio Já tínhamos comprado as passagens pra Bogotá na compra de 3 trechos e a remarcação pra tentar ir à Providência era surreal de cara. Logo continuamos a viagem até a próxima etapa. Do aeroporto até o Terminal de transporte (rodoviária) foi 18mil de táxi. De Bogota até Villavicencio custou 22mil/pessoa e sai de 15min em 15min. Ficamos hospedados no hotel Carmentea por 18mil/pessoa (comecei a gostar dos preços hehehehe). 9o día - Villavicencio x La Macarena (Caños Cristales) Depois de buscar muita informação na internet, descobrimos que era possível SIM ir sem agência e fechar os passeios lá. Esta situação só é praticamente impossível em feriados enforcados, quando as agências reservam todas as vagas disponíveis para visitação, ou em alta temporada que pode ser mais arriscado. De Villavicencio a La Macarena são 35min no avião que custou 400mil pesos/pessoa ida e volta na agência de turismo Sierra de La Macarena. Esta agencia também faz transporte aéreo. Também há saídas de Bogotá na empresa Satena, mas não saem todos os dias e os preços oscilam. De Villavicencio tem voos todos os dias e não sofrem variações (táxi aéreo). Agência de turismo Sierra de La Macarena - http://www.ecoturismomacarena.com Tel: (057) 8 664-8400 / cel: 311-202-0044 / 314-325-3522 Chegando ao aeroporto de La Macarena, paga - se uma taxa de 21.500 pesos e já há guias que te passam informações e se encarregam de fazer as reservas no parque. Esta reserva pode ser feita com antecedência (por isso os problemas em feriados prolongados). Como não havia muitos turistas na segunda - feira, fechamos o passeio com mais 1 casal no mesmo dia que chegamos. O passeio é um valor fechado para o carro, ou seja, de 1 a 4 pessoas fica a mesma coisa para o carro, o que conseguimos foi dividir este preço para 4 pessoas! O valor por dia incluindo os guias, carro e barco é de 280mil que, pra 4 pessoas ficou 72.500 pesos/pessoa e por dia. Os hotéis ficam próximos e cobram praticamente o mesmo preço pra estrangeiros: 30mil/pessoa. Talvez seja possível negociar, mas nem tivemos tempo para isso. Ficamos no hotel em frente ao aeroporto Hotel Marin. Tem outras opções que parecem melhores, mas deu preguiça de mudar. Hehehe Hotel Marín ([email protected]) - celular: 320-836-6615 / 314-382-1500 - facebook: Hotel Marin O Hotel La Cascada ([email protected]) me pareceu mais amigável que o que fiquei, pelo mesmo preço. Então, deixo os dados aqui para eventual contato. Tel: +57 314-467-5256 - endereço: Calle 5, n 7-35. Pelo que perguntei, é possível fazer reserva por email. Talvez possam organizar as permissões pra visitação de Caños. A alimentação custa 10mil/pessoa e foi boa. Levamos o almoço (quentinha ou pra viagem) ao passeio. Canos cristales é coberto por planta aquática (não são algas) e o visual irado que se vê em fotos só é visível em dia de muito sol. Não demos sorte e não vimos o rio de tirar o fôlego como gostaríamos neste dia... droga! Hehehe 10o día - La Macarena Uhuu día de sol!! Continuamos o passeio e fomos à outra parte do rio. Neste dia, tem mais pontos de banho de rio e o visual é irado! O Rio impressiona com o sol batendo. Estava vendo minhas fotos e vi que não ficaram tão boas quanto o visual presencial... Relato com foto vai ficar pra outra oportunidade. hehehehe Este dia compensou o anterior, com sobra! Hehehe Uma parte ruim para as fotos é que não se pode entrar na água onde se tem as plantas ou onde elas estão se recuperando... Então, terão momentos de sol forte e vontade de molhar, mas não vai dar. Hehehe O início do passeio começou às 7h30 e retornamos à cidade às 14h30. Depois do passeio não fizemos nada. Arghhh 11o día - La Macarena x Villavicencio x Armenia Este dia foi praticamente perdido, porque o vôo saiu às 11h e não daria tempo de fazer nenhum passeio pela manhã (só o mirante que não nos empolgou). Depois do vôo, fomos pra rodoviária de Villavicencio rumo a Bogotá para depois chegar a Armenia (não tinha direto). Chegamos 4h da manhã do dia seguinte. Chegamos a pesquisar o aéreo, mas fazia uma conexão gigante e demorava o mesmo tempo, fora que estava 4x o valor dos ônibus que custaram 50mil (no total até Armenia, 20mil até Bogotá e os 30mil até Armenia). 12o día - Armenia Ficamos hospedados numa indicação do taxista HC Confortel Hotel (http://www.hotelconfortelarmenia.com) Calle 22 no. 17-30 tel: 741-4852 / cels: 311-777-7133 320-683-5906 - email: [email protected] Neste dia fomos ao café Recuca (http://www.recuca.com). Mostra o processo produtivo do café e também algumas degustações, com direito à História do café. Bem interessante! Infelizmente, perdemos a parte da tarde porque nosso almoço demorou e não fizemos nada. O passeio custou 19mil e o almoço 15mil. Para chegar fomos de bus mesmo. 13o día – Salento Tomamos café da manhã no hotel e pegamos um ônibus para Salento (fica a uns 30km de Armenia). A cidade é muito aconchegante e agradável! Pena que não fomos antes. É possível fazer Trekking de 1 a 5 días na região, conhecer o Vale Cocora, as maiores Palmas do mundo além de visitar algumas cahoeiras e águas termais (por meio de agências). Mais embaixo tem o Vale Boquia que tem uma cachoeira (Santa Rita) que fica numa propriedade privada, com o custo de 3mil pra entrar. É de fácil acesso e sinalizada. Achei dispensável. As fotos na internet são melhores. Hehehehehe Depois, pegamos as bagagens no hotel e partimos pra rodoviária rumo a Medellin por 30mil pesos. 14o día – (Medelin) x Guatape Em Medellin só passamos pela rodoviária. Rsrs pra ir à Guatape, tivemos que mudar de rodoviária (ir pra norte) e de lá rumo a Guatape por 12.500 pesos. Fomos pra lá pra visitar um casal que conhecemos em Caños Cristales, fora que falaram muito da cidade e, depois que vimos fotos, resolvemos passar por lá. Ficamos na casa deles mesmo e gastamos só com a comida. A cidade é bem charmosa com seus zócalos (decorações na fachada de cada casa representando a história de cada família), fora a represa que foi feita na região que formou diversas ilhas. A rocha com seus 740 degraus permitem contemplar tal visual. Muito maneiro! A cidade também tem esportes de aventura. A catapulta (que não dei nada) proporcionou fortes emoções. Hehehe Ficamos na cidade até o dia seguinte quando fomos a Cartagena. Outubro é período de chuva no país. Sorte que não atrapalhou nossa programação até agora. 15o día - Guatape x Cartagena Compramos as passagens com 4 dias de antecedência por 180mil pesos/pessoa saindo do aeroporto de Medellin. Não foi tão barato, mas não foi um absurdo como no Brasil. Rsrsrs Demos mais uma volta nos arredores da cidade e conhecemos a réplica da cidade que foi inundada pra construir a represa Peñol. Era bem bonitinha. Rsrsrs Depois rumo ao aeroporto. No aeroporto de Medellin foi onde encontramos a melhor cotação pra câmbio de reais 1 real = 680 pesos. Trocamos uma parte pequena e depois fomos a Cartagena achando que encontraria melhor cotação... e nada! Estava 660 a melhor delas. 16o día - Cartagena Chegamos à noite à cidade e estava bem quente. Procuramos hospedagens no centro e arredores. O melhor preço que encontramos foi no bairro Getsemaní. Este bairro fica bem perto do centro histórico e tem muitas pousadas ("hotéis"). Ficamos na Luna Nueva Calle Medialuna 10-36, Cartagena 222, Colombia. Tinha outras no mesmo valor de 35mil/pessoa com ar condicionado. Achei o preço bem razoável, ainda mais ao comparar com La Macarena. Rsrsrs Tem opções boas e acessíveis de alimentação na rua ao lado sentido Centro. Cartagena é uma cidade realmente linda, ainda mais à noite. Acordamos cedo e conseguimos fazer o passeio pela Isla del Rosario e Playa Blanca por 45mil/pessoa com almoço incluído, contratado na própria pousada mesmo pela manhã. A taxa portuária de 13.500 pesos é à parte. O dia não estava tão bom, mas deu pra ver a beleza do local. Ficamos realmente frustrados com o serviço deles. Demos azar... saiu atrasado do porto. O mais surreal do passeio foi o cara querer cobrar 15mil/pessoa pra gente q levava snorkel e máscara pra fazer uma flutuação sem graça com o "guia" deles. Vida marinha pouco variada e muito mal guiada. Quem não tinha a máscara pagava 30mil pesos! Não gostamos desta exploração absurda e partimos no dia seguinte pra Santa Marta. 17o día - Cartagena x Santa Marta Saímos da pousada umas 10h rumo à rodoviária por 15mil pesos de táxi. La, infelizmente, contratamos a passagem com a Empresa Flamingo, que é um LIXO! FUJAM DELA! O trajeto que demora 4h demorou 7h. Essa empresa vai catando todo mundo pelo meio do caminho e tem um cara que fica descendo quase todo ponto pra fazer isso... pelo que vimos, parecia uma prática normal de todas as empresas de ônibus que pegamos, mas essa aí abusou do descaso com os clientes. Depois, na central de informação turística, fomos saber que a empresa Brasilia não fazia isso, mas aí já era tarde. Rsrsrs custou do transtorno: 20mil/pessoa. A Eunice, informante da central de turismo, foi bem atenciosa e nos deu dicas da cidade e passeios possíveis. A casa onde morreu Simon Bolívar custa 20mil/pessoa estrangeira enquanto pro colombiano custa 8mil. Ficamos hospedados no "Hotel" El Êxito por 25mil/pessoa com ar condicionado e sem café da manhã. Hotel funcional e bem localizado. Há outros no centro, mas não pesquisamos. 18o día - Santa Marta Fizemos o mergulho pela empresa que fica no centro mesmo e tem contato na agência de turismo (esqueci de anotar o nome...) que sai de Tanganga e o mergulho é na ilha da agulha. Apesar de não ter a visibilidade de San Andrés, a vida marinha aparentou ser muito mais rica, com peixes que até então não conhecia. Achei bem interessante os dois mergulhos. O custo foi 140mil/pessoa. Depois do mergulho, dia livre pra fazer nada. Rsrsrs Vimos lugares a preços interessantes pra almoço / jantar na orla do centro - 10mil/pessoa. 19o día - Parque Nacional Tayrona (Santa Marta) Resolvemos fazer essa trilha e depois acampar no Cabo San Juan por um dia. O Trekking é razoavelmente fácil, com exceção do calor que fazia. Ficamos numa barraca e colchonete já incluídos no valor de 25mil/pessoa pro camping (Bem caro!). O visual é legal e ficar perto da praia também foi agradável, com exceção do calor e do ócio que ficou até o dia seguinte. O lugar tem muita mosca e mosquito. O repelente ajuda bastante a evitar umas picaduras. Hehehe Hehehehe tem opções de dormir em rede por 20mil/pessoa, que aparentou ser mais fresco, ainda mais depois que choveu. Rsrsrs Fica a dica de avaliação. Hehehehe Jantamos frango a la plancha por 18mil/pessoa. 20o día - Parque Nacional Tayrona (Santa Marta) Acordamos com os passarinhos às 6h30 e tomamos o café que tínhamos levado mesmo, mas seria possível comer por 8mil/pessoa, pelo menos. O Trekking voltando foi mais tranquilo, viemos parando nas diversas praias possíveis de banho. O lugar é belíssimo, pena que não estava como nas fotos da Internet. Hehehe Há pessoas vendendo suco e lanches no meio do caminho pra quem não quiser carregar peso e não ligar de gastar. Hehehe Almoçamos na saída do parque por 10mil/pessoa (completo). Depois fomos conhecer Buritaca, encontro do rio e mar com um visual de mangue bem legal. O bus foi 2mil e a moto táxi até a praia foi mais 2mil por trecho. Local bonito e pra um descanso após a trilha. Voltamos pra pousada El Êxito, onde estavam nossas bagagens e pra finalmente descansar bem num ar condicionado. Hehehehe 21o día - Minca (Santa Marta) Fomos a Minca num carro 4x4 que faz o transporte bem perto do local onde sai os ônibus para Tayrona. A cidade é bem agradável e mais fresca que Santa Marta. Fizemos um passeio de moto como se fosse uma volta aos atrativos da cidade por 50mil/pessoa com duração de 3h. Achei bem interessante e divertido, ainda mais que normalmente não ando de moto na garupa. Hehehe Almoçamos num restaurante que o rapaz da moto indicou por 10mil/pessoa completo. Bem saboroso. Minca tem cachoeiras e uma produção de café, que é bem diferente da que vimos em Salento. O tour guiado pela Finca La Vitória é 10mil/pessoa que também gostamos, já que é mais mecanizado. Se fosse possível, ficaria uma noite em Minca para aproveitar o frio da serra que faz. A cidade é bem aconchegante. Além disso, o passeio bem cedo permitiria ver os picos nevados, pois na hora que passamos já estavam encobertos. É interessante porque é uma das cidades do antigo tráfico lá, então, é bem curiosa. Hehehe Voltamos para buscar nossas coisas e partimos pra Bogotá. Pegamos o vôo pela avianca por 135mil pesos/pessoa comprado com 5 dias de antecedência. Ficamos em um hotel bem econômico no bairro Chapinero , Hotel Brisa del Oasis Bogotá, por 25mil/pessoa, pois ficava próximo ao passeio de trem. Procuramos na internet na hora que chegamos ao aeroporto e ligamos pra uns “hotéis”. rsrs 22o día - Zipaquira (Bogotá) Acordamos e fomos pra estação esperar o trem para ir a Zipaquira. O trem é bonito e razoavelmente confortável. É divertido, pois tem vários cantores ao longo do trajeto, que faz o tempo passar rápido. A única coisa que não gostei foi que a Catedral de sal tem vários atrativos e não deu pra visitar todos para não perder o horário do trem. Então, se soubesse disso, teria ido por conta própria e não iria de trem. Além da catedral também tem um museu de sal na cidade, porém não deu tempo de visitar. À noite, chegou a hora de partir pro RJ. Fizemos tudo de bus normal mesmo. Observações importantes 1. Sugiro ler o jornal el tiempo para ter uma idéia das condições das cidades por onde for passar. 2. Se for a Providência, verificar com certa antecedência, porque não conseguimos ir pra lá . Chegamos dia 12 (feriado) e não conseguimos voos 175mil/pessoa e por trecho (20min) nem catamaran (barco que leva 3h que custa 81mil/pessoa e por trecho). Apesar de ser "baixa temporada", não casamos com o período de permanência em San Andres. Pensamos em remarcar as passagens ou comprar outra, mas sairia por 450mil pesos e achamos que não valeria o custo adicional. 3. Segundo falaram na ilha, o período normal de chuva é de novembro a fevereiro. Atentar ou se programar pra levar guarda-chuva. Hehehehe 4. Na hora de vender os passeios pra Johnny Cay, aquário e mantarrayas eles falam que a taxa pra Johnny Cay já está incluída, mas na maior parte das vezes é mentira. Várias pessoas reclamando (vários países). Atenção na hora de negociar. A taxa é paga a parte, na hora de embarcar. Se fechar com a taxa incluída, desconte do adiantamento ou pagamento do passeio. 5. Atentar para os feriados e eleições locais. Rsrsrs 6. Levar blusa de manga longa para a caminhada em Caños Cristales. Não tive essa idéia por ser "moreno"... Me ferrei! Hehehehe Achei a calça dispensável. Costumo ter uns machucados de recordação nos joelhos e não queria que fosse diferente nesta viagem. Hehehe 7. Se desejam ir a Caños Cristales, sugiro ver com esta empresa que fui o vôo e as reservas dos passeios em alta temporada. (Eles podem cobrar algo por isso, não tenho certeza). As agências cobram pelo menos o dobro do que gastei com tudo sem incluir a passagem aérea. Assim, fica impraticável visitar. Por conta própria, é outra realidade. A título de exemplo, esta empresa me cobrou 1.126 mil para os passeios com todas as refeições incluídas, sem o aéreo. Muito surreal de caro!! 8. Para quem for sozinho a Caños Cristales, vi uma placa e um turista fazendo o transfer da cidade até o início da trilha de moto! Pode ser uma boa opção. Hehehe Recomendo fortalecer a coluna, porque o percurso é bem acidentado. Hehehe não vi o nome do guia, só o telefone escrito num papel: 310-334-7702.
  13. E ai galera! Mais uma viagem irada! O Brasil realmente é lindíssimo! Pelo que pesquisei aqui nos mochileiros, tem muita informação legal da Chapada das Mesas e dos Lençóis Maranhenses. Mesmo assim, resolvi fazer o relato, pois pode ajudar alguém. Rsrsrs Nossa viagem foi do dia 13 a 29 de junho de 2015. Vou anexar uma planilha de gastos detalhada, pra galera já ter uma idéia. Os preços foram negociados e chorados com todos os estabelecimentos/guias. Logo, eles são um parâmetro... Pode ser que os locais tenham parado de dar descontos. hehehehe Dia 1: Ida RJ x Imperatriz 13/06 Voo R$ 108,95 (com taxas) – GOL. Estávamos na dúvida sobre alugar um carro ou ir de ônibus, como a locação saia por R$ 58,00/dia com km livre, alugamos um. Veja com sua seguradora de veículo/residência o convênio com a locadora... Pode encontrar preços maravilhosos que te poupam pesquisas. Hehehe Chegamos no voo noturno e cogitamos pegar o carro e partir, mas achamos prudente ficar em Imperatriz. Ficamos em La Bella Hotel – Rua Leoncio Pires Dourado, 900 por R$ 40,00/pessoa com café da manhã. Este hotel é funcional. Hotel funcional = limpeza aceitável, ar condicionado e café da manhã aceitável hehehehe Dia 2 - 14/06 – Imperatriz x Carolina A estrada é boa e chegamos à Carolina sem problema. Como demoramos a sair da cidade, chegamos meio tarde e não fizemos nenhum passeio, ainda mais que fui brincar de rally e judiei do carro na trilha pro riachão. Hahaha lá é praticamente impossível ir de carro de passeio, tanto pelo percurso (areal forte) quanto pelas diversas bifurcações. Neste primeiro dia, sugiro ir ao Dodo (que é de acesso fácil) e aproveitar o dia de chegada lá. Ficamos na pousada Morro do Chapéu em Carolina. Pousadinha funcional e um ótimo pão de queijo no café da manhã. Café bem simplesinho. O preço foi maravilhoso. R$ 40,00/pessoa. Conhecemos o guia Nivaldo, que recomendo para tudo!! O cara é sensacional e, quando não podia fazer os passeios com a gente, rodava a cidade atrás de pessoas que pudessem nos levar aos atrativos. Fora que nos ajudou junto com o pastor a correr atrás de mecânicos para arrumar o carro. hehehehe Nivaldo – (99) 98244-7937 ou (99) 99145-3840. Dia 3 – 15/06 – Complexo Pedra Caída O Complexo é gigante e caro. Felizmente, como somos estudantes, pagamos metade para visitar as grutas e cachoeiras!  Só não paga metade nos esportes de aventura (tirolesa – R$ 80,00/pessoa) e teleférico (R$50,00/pessoa). Vale a ida sim, apesar do preço. Rsrsrs Pra voltar, pegamos carona com o ônibus que leva os funcionários pra Carolina. Hehehe Dia 4 – 16/06 – Cachoeira do Prata e São Romão Fechamos com a agência Torre da Lua por R$ 180,00/pessoa no dinheiro. O passeio é irado (atrás da cachoeira então... show!) e só de 4x4 e sabendo o percurso, porque tem várias bifurcações e é muito fácil se perder se não conhecer. A entrada custou R$ 10,00/pessoa para o Rio da Prata e R$ 20,00/pessoa para a São Romão. Almoço foi na cachoeira São Romão, reservando com a agência com antecedência. Saboroso e com fartura. Na volta, passamos no portal da chapada, pois ainda tínhamos tempo e vimos o por do sol. Para chegar lá sem guia, é fácil no sentido contrário a Carolina, pois é visível da estrada, depois é só pegar a primeira à esquerda (o carro fica parado perto da estrada mesmo, depois basta subir uma trilha leve de areia). Fiz outra anotação na estrada sentido Carolina, mas perdi o KM certo para se pegar essa entrada para o portal. Jantamos no lanche central e pegamos o carro. O jantar foi muito bom! R$ 15,00/pessoa. Dia 5 – 17/06 – Poço Azul, Cachoeira Santa Bárbara e Poço Encantado Este passeio fica sentido Balsas, longe de Carolina. A agência cobra R$ 180,00/pessoa, mas é possível ir de carro sem problema, com exceção do trecho Poço Azul ao Poço Encantado que é necessário ir de carro alto (areal). Para chegar lá, basta seguir a estrada sentido Balsas e virar à esquerda depois que vir uma Caixa D’água gigante da estrada mesmo (é sinalizado no sentido Balsas x Carolina, só atenção para não perder a entrada). A entrada foi R$ 15,00/pessoa (com desconto estudante) e vale muito a pena! Almoçamos (R$ 20,00/pessoa) lá mesmo e jantamos por lá (comida da galera que trabalhava lá R$ 10,00/pessoa)... O carro enguiçou e voltamos rebocados. Hahaha Dia 6 e 7 – 18/06 – Imperatriz x São Luis x Santo Amaro – Passeio Lagoas Murici, Andorinhas e Gaivota + Betânia Como estávamos sem carro, ficamos limitado no deslocamento e aguardando o táxi da locadora chegar... Aproveitamos pra descansar. Hehehe Poderíamos ter ido à cachoeira irmãs gêmeas, mas deixamos para lá. rsrs O vôo Imperatiz x São Luis – 18/06 – R$ 128,25 (com taxas) – GOL Chegamos à noite, no voo das 23h30 e esperamos a van passar às 3h no aeroporto para nos levar a Sangue. A van que nos pegou foi a do Thomaz (98) 98836-4099 que cobrou R$ 40,00/pessoa e de lá uma jardineira nos levou até Santo Amaro por R$ 20,00/pessoa. Este percurso pula pra caramba e é bem desconfortável. Rsrs Assim que chegamos a casa da Dona Marineide, 2 casais estavam com passeio contratado e embarcamos nessa com eles pra conhecer as lagoas o dia todo por R$ 50,00/pessoa. Passamos pelas lagoas Murici, Andorinhas e Gaivota + Betânia. Valeu muito a pena, ao comparar com Barreirinhas. Rsrs Pousada São José (Dona Marineide - dona da pousada) 98 3369 1074 e cel. 98844 7651 a OI funciona bem TIM e VIVO, não. Almoçamos no Vilarejo de Betânia por R$ 35,00/pessoa e jantamos pizza na Pizzaria do Gordo por R$ 21,00/pessoa. Dia 8 – 20/06 - Santo Amaro - Lagoas da Cabra, Vassouras e Vitória Fechamos com o Guia Tourinho (98) 99913-3103 pra conhecer as Lagoas da Cabra, Vassouras e Vitória. São iradas e valem também o passeio. R$ 85,00/pessoa. Passeio de meio dia. Almoçamos e jantamos na pousada Agua doce por R$ 31,00/pessoa – comida boa. Dia 9 – 21/06 - Santo Amaro x Queimada dos Britos Iniciamos a travessia até Atins. O Tourinho passou a condução pro seu sobrinho pra poder pegar uma outra galera que pagasse mais. Apesar de não ver problema, ele foi pouco profissional porque atrasou bastante do horário previsto... Pra começar a trilha um pouco mais adiantada, ele cobrou R$ 20,00/pessoa pra levar de quadriciclo até o início das dunas. O guia Tico é um garoto tranquilo e nos levou normalmente pelos lugares. A Dona Maria, na Queimada dos Britos era a mãe dele. Muito receptiva e atenciosa. Passamos por locais lindíssimos! O melhor roteiro dos Lençóis está entre Santo Amaro e a Queimada dos Britos. Valeu muito a pena. Como ficamos morgados de andar por cima e baixo de duna, cortamos uma perna do tour para ir de quadriciclo até Atins. Ganhamos um dia com isso, fora que a caminhada pela praia não tem nenhuma graça (somos cariocas, aqui já tem praias mais bonitas que aquela parte do Maranhão) hehehehe. Diária do guia: R$ 75,00/pessoa. Aluguel quadriciclo – R$ 100,00/pessoa. Hospedagem e refeição na Dona Maria R$ 75,00/pessoa. Dormimos na rede da Dona Maria neste dia. Dia 10 – 22/06 – Queimada dos Britos x Atins Em Atins, fomos à Pousada do Irmão. Lá é bem aconchegante e bonito. A cidade é praticamente uma rua pequena e agradável. A diária que conseguimos foi R$ 60,00/pessoa com ar condicionado. Almoçamos lá por R$ 35,00/pessoa. Chegamos a Atins e só deu tempo de ver a revoada dos guarás (R$ 32,00/pessoa). Em tese, eles passam pelo ponto que a princípio observaríamos... Mas, passaram alguns poucos lá... Desperdício de dinheiro. Rsrsrs Jantamos e almoçamos na pousada do irmão que tem uma cozinha que faz pratos bem saborosos. O valor foi de R$ 35,00/pessoa. Dia 11 - 23/06 – Atins – Lagoa do Atins Para conhecer um pouco da região, fizemos o passeio pelas Lagoas do Atins que são legais, mas nada se comparava mais a Santo Amaro. Rsrsrs Estas lagoas ficam a 3km dos restaurantes mais famosos de Atins da D. Luzia e Sr. Antonio (irmão e concorrente dela rsrs). Também são bonitas, mas... começamos pelo melhor... O resto já não tinha mais graça. Rsrsrsrs Depois do passeio de meio dia, almoçamos os famosos camarões, que realmente são bem suculentos. Jantamos no irmão pobre (antiga pousada do irmão). Hehehehe R$ 15,00/pessoa. Depois que fizemos tudo que tinha pra fazer em Atins, resolvemos partir no dia seguinte. Achei os passeios em atins bem básicos ao comparar com Santo Amaro. O Irmão dá a estrutura toda, mas nada se compara a Santo Amaro. Dia 12 – 24/06 - Passeio Mandacarú, Vassouras e transfer até Caburé Resolvemos partir de Atins rumo ao Delta do Parnaíba (no lado do Maranhão somente) e fizemos o passeio que faltava da região: Mandacarú, Vassouras e caburé. Em Mandacaru você vai ao Mirante da Marinha, uma espécie de farol (só isso) e em Vassouras foi a parte mais divertida deste passeio, pois tem vários macacos engraçados e famintos. Hehehe Além disso, há várias mini lagoas (mini lençóis) também que se pode passar tempo. Já, Caburé é a praia que decidimos não ficar. Este passeio saiu por R$ 80,00/pessoa. Se não fosse realizar o transfer, confesso que dispensaria conhecer esses lugares. rsrs O barqueiro que nos levou falou que podíamos chegar a Paulino Neves de quadriciclo (30min) e foi o que fizemos. Alugamos um quadriciclo pra pilotar até lá e o outro cara foi na frente... Vou te falar que foi bem divertido!! Os caras corriam pra caramba e tinham alguns obstáculos... hehehehe Não tenho contato do barqueiro. Ele é primo da esposa do Irmão, então eles arrumam lá o contato dele se for necessário. Jantamos já em Tutóia – MA, região que tem saída para os passeios do Delta pelo Maranhão. Dia 13 – 25/06 – Tutóia – Passeio pelo Delta Ficamos hospedados na pousada Embarcação, na praia, que é uma pousada funcional. Fechamos por R$ 40,00/pessoa com ar condicionado. Fizemos o passeio pela pousada Baluarte pelo Delta por R$ 75,00/pessoa. O passeio foi interessante e o por do sol foi espetacular. A revoada dos Guarás realmente foi também impressionante e valeu a pena! Na volta, jantar no espeto do Johny (muito bom por sinal!) e depois dormir pra pegar o retorno pra Barreirinhas. Dia 14 – 26/06 – Tutóia x Barreirinhas Como nosso voo de retorno era de São Luis, fomos conhecer a “famosa” Barreirinhas, principal cidade para os Lençóis Maranhenses. Pegamos uma van que vai direto pra lá, saindo de perto do porto (vários transportes são encontrados ali). A dona da pousada nos levou ao local de saída.  Ficamos hospedados na pousada Vitória do Lopes, indicação do motorista por R$ 40,00/pessoa. A pousada fica bem localizada (perto da rua do Rio) e é arrumadinha, além de ser funcional. Lá os passeios são de parte do dia (manhã ou tarde) e possuem valores separados. Fechamos o passeio das lagoas Azul, da Paz e da Preguiça na Alternativa Turismo por R$ 60,00/pessoa. A parte alta do passeio foi o carro “anfíbio” que entrava em área alagada! Bem emocionante!! Quanto às lagoas, nada mais se comparava a Santo Amaro... rsrsrs Na rua do Rio tem vários restaurantes e opções, não muito baratas, mas aceitáveis. Comemos no gaúcho (razoável) no almoço e jantamos no Feijão de Corda (muito bom). Dia 15 – 27/06 – Barreirinhas x São Luis Voltamos de táxi pela cooperativa (atrás da rua do Rio) que faz o transfer Barreirinhas x São Luis por R$ 60,00/pessoa. Apesar de caro, acho que foi uma boa opção, pois já está incluído buscar e levar à pousada/hotel, o que economiza o deslocamento com bagagem até rodoviárias e depois outros transportes. Ficamos hospedados no Hotel Nobile Inn São Luís por R$ 65,00/pessoa a diária. O preço era promocional de fim de semana. Neste dia fomos ao são joão do Ipem, que é uma festa junina tradicional da região com danças locais. Legalzinho. Rsrsrs Dia 16 – 28/06 – São Luis Resolvemos conhecer o centro histórico de São Luis, pois o planejado inicialmente seria ir pra Alcântara, mas lá é bem peculiar... O barco só sai com maré cheia. Entenda-se maré cheia quando tem água!! Vimos um barco lá literalmente na areia. A maré baixa seca o cais. Então, tentamos ir aos museus (fechados no domingo, apesar de aparecer no guia de turismo que abriria...) e rodamos por alguns artesanatos por lá. Já desacelerando da viagem... Dia 17 – 29/06 – São Luis x Rio de Janeiro Voltamos no voo da TAM por 10 mil milhas que estavam expirando, R$ 24,64 (taxa de embarque). O preço do voo estava uns R$ 120,00, infelizmente as milhas estavam quase expirando... rsrs Infelizmente o relato inicial com mais detalhes foi perdido... Droga né? Rsrs Abraços e até a próxima! Custo viagem_MA.xlsx
  14. Maneiro o relato! To com uma dúvida sobre caño cristales... Como foi lá conhecer? Pegou o avião, chegou ao aeroporto de La Macarena e lá vc foi se informar sobre passeios ou já foi com tudo contratado de vila vivencio? Pelo que tenho visto, só vejo as pessoas indo por pacote de agências... Caño está no meu roteiro, sem dúvida! Agora só falta estudar como será... rsrsrs
  15. A viagem de vocês também tá irada! Não vou saber dar informações sobre estes outros transfers... Eu só tentaria sair de Caracas pro Brasil direto sem voltar por Santa helena... Este transfer é muito desgastante, fora que ganharia 1,5 dia a mais. Acho que vale morrer nessa grana. hehehehe
×