Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

felipe_bigphill

Membros
  • Total de itens

    18
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. 1 - Eu te dou a informação amanhã, na saída do trabalho passo na Barra Funda e vejo pra ti. 2 - Você pode, enquanto esperar, passear por Corumbá e o centro histórico de Ladário. Vale a pena. Tem poucas coisas para se fazer do lado boliviano, mas você pode se hospedar lá para economizar um pouco e já entrar no clima da Bolívia, rs! Aliás, tem um hotel turístico que fica perto de uma laguna, fica meio fora da cidade, acho que tem site e um dos nomes é Pantanal. Na próxima vez eu vou lá para ver como é. Em Puerto Quijarro só tem hotelzinho baratos. 3 - Bom, tem algumas empresas, várias pessoas daqui já relataram isso. Usa a ferramenta de busca que a informação vem com certeza, inclusive com opiniões sobre empresas e serviços, rs! 4 - Tá caro. Se quiser pular esta aventura (acredite!) de atravessar o Pantanal, vá para Santa Cruz direto. Compre pela Gol (escala em Campo Grande) antecipado (um mês, por exemplo) que é bem barato, a TAM é um pouco mais caro, mas o preço fica mais em conta quando você compra com menos antecedência. Ou pegue vôo em Puerto Suárez - Aerosur na Sexta e na Segunda, no máximo 180 reais dependendo do dólar do dia, e dá para comprar no mesmo dia com esta tarifa. Tem o TAM Militar boliviano mas eu não consigo acessar o site (www.tam.bo), eu me lembro que era 456 Bs. (tinha um cartaz em uma lojinha do lado da loja da Andorinha na fronteira anunciando o preço), mas já deve ter mudado o preço (Aerosur era uns US$ 70 há um ano atrás, agora tá US$80 ou 85). Que pena que a antecedência é só 10 dias... Mas onde você conseguiu esta informação? Não vá para lá só para isto, tá? Se não der para comprar antecipado, é só chegar de manhã bem cedo, pelo que vejo aqui no fórum e pelo que vi lá na hora, é difícil que não tenha, em 80% dos casos tem - lógico que entre sexta e domingo fica mais difícil, mas no meio da semana é beleza - a não ser que tenha feriado na Bolívia, por ex. hoje é dia das mães por lá, pesquise isto.
  2. Estou indo para Buenos Aires em 29/05 (próximo sábado). Verifiquei a cotação no dolarhoy e vi que o melhor câmbio seria no Grupo América (Sarmiento 501. esq. San Martín - www.cambioamerica.com.ar), com R$ 1 = AR$ 2,05. Vou mandar e-mail para eles amanhã para ver se ficam abertos no sábado. Entretanto, como vou chegar no sábado, precisaria me garantir um pouco, e tentei obter pesitos argentinos aqui em SP. Um amigo tentou em Santos, conseguiu um câmbio de R$ 0,65 = AR$ 1, o que dá 1,56 (horrível) na Mendes Tur (Shoppings Miramar - ele foi nesta - e Praiamar). Eu falei pra ele que era ruim, o melhor dólar de Santos eu consigo na Casa Real (http://www.casarealturismoecambio.com.br, atrás da Prefeitura e do Correio), e ligarei amanhã para ver se eles têm peso. Aqui em SP tá osso: o Banco de La Nación Argentina da Paulista não tinha (desde ontem, terça). Duas casas de câmbio na Paulista também não tinham (e o câmbio deles era pior, 1,54). Aproveitei a segunda casa (no Conj. Nacional, uma do Turismo10, bem de frente pra Paulista) e adquiri o Visa Travel Money. Carreguei US$ 100 (custou caro, R$ 198, se tivesse trocado em Santos e carregasse aqui sairia no lucro) e não demorou 5 minutos para eu sair com o cartão da loja. E estou sem nenhum peso. Liguei em algumas casas de câmbio aqui da Zona Oeste e consegui a www.actioncambio.com.br e a www.cotacao.com.br para tentar buscar algum pra mim - me prometeram quinta-feira. Eu falei da cotação do Banco de la Nación e a Action me prometeu ver o que dá para fazer. Veremos, não estou mais preocupado com isto. Se não conseguir com câmbio bom eu vou de VTM e saque pra lá, além do meu amigo já ter conseguido algum em Santos. Enfim, disseram que o peso tá difícil de conseguir desde o início deste ano, principalmente no mês de abril e maio. Então, do jeito que está, é melhor ir com reais e trocar direto lá mesmo, com algum plano B na manga caso chegue na Argentina num horário em que as corretoras estejam fechadas. O meu plano B é o VTM. Boa sorte!!!!! PS: dólar eu sempre compro no centro de Santos, ou na rua ou na Casa Real, as cotações são melhores do que em SP.
  3. Desculpa, pra corrigir a informação acima, procurar no wikimapia por terminal de buses oruro, a estación de ferrocarril fica logo atrás.
  4. O terminal do buses de Oruro fica "na frente" da estação. Na entrada do pátio interno de ônibus, se você seguir pela esquerda na própria avenida do terminal, você encontra a quadra da estação, no fim da rua. Para achar a entrada da estação, vira à direita qdo acabar a rua e vira à esquerda na próxima esquina. Caminha um pouco q vc acha. Dá pra ver bem no Google Maps e no Wikimapia (procurar no Wikimapia por estación de ferrocarril oruro).
  5. Meu queriiiido, rs! Você é o cara que todos neste fórum queriam ter como camarada, comprar passagem antecipada no guichê sem pagar comissão pra agência é uma coisa que todos querem, rs! Faz o seguinte: entra lá na Bolívia como você sempre entrou, só que NÃO SE ESQUEÇA DE LEVAR O DOCUMENTO DO SEU AMIGO, seja RG ou passaporte. Eu não sei se eles aceitam o nosso RG (no guichê da ferrovia), não perguntei, tasquei o passaporte mesmo, e o do meu irmão também, que ficou largado no chão, na sombra (gordoooo, rs!!). Só que sem um documento do seu amigo, você não vai comprar a passagem dele nem que a vaca tussa em quéchua, rs! Agora, quem sabe uma visitinha ao site deles não te resolve o problema de poder comprar RG ou passaporte, hein??? Manda um email pra eles... Agora, na dúvida, leve o passaporte seu e do seu amigo. Esse sim é garantido. Boa sorte e da próxima vez me traz um net/notebook de 12" lá do Shopping China! rsrsrsrs....
  6. Sim, em Santa Cruz isto é verdade, real sem problemas e dólar com notas velhas você troca com facilidade. Agora, no resto da Bolívia, tirando um pouco La Paz... O real até que dá pra trocar, agora aquela nota de dólar que tá só um pouquinho amassadinha, ou com a bordinha um pouquinho rasgada, vai voltar pro Brasil com certeza.
  7. Queria saber se caminhar pela Costanera Norte é muy peligroso o no... rs! Lógico, saindo do Aeroparque, indo pro lado do River Plate, passando nos restaurantezinhos e nos miradores, entrando no Parque Norte e saindo pela Estação Raúl Scalabrini Ortiz pra voltar pra Retiro... Pelo Google Maps dá 2,5 km, e ae, rôla ou non rôla???
  8. Verdade Leo, quem quer fazer esta viagem do trem da morte, é porque quer mesmo, por curiosidade. É legal pelo contato com o povao. Eu vim pra cá de Expresso Oriental, mas só o fato de ter que chegar antes (e às vezes muuuuuito antes, dependendo da época ou dia da semana) para comprar a passagem já mela um pouco a viagem. Para se ter ideia, eu levei três dias inteiros para sair de Santos\SP e chegar a Tarija - e seria a mesma coisa se fosse La Paz, pois os busos da manha já tinham saído - para La Paz e Tarija, tem buso às 7h, e o trem chegou 8h (adiantado - previsao era 8h40). Geralmente perde-se 1 dia em Puerto Quijarro\Fronteira para chegar com antecedência e garantir a passagem do trem, e mais um dia esperando conduçao para a próxima cidade em Santa Cruz - esse dia a gente pode passar conhecendo a cidade, mas sinceramente eu nao queria conhecê-la, e depois de andar um pouco continuo achando que é uma perda de tempo - o pessoal da Bolívia disse que é a cidade mais perigosa do país, além de ser a mais cara. Dica: faça pela primeira vez. Depois você pode ver as opçoes restantes - a minha foi vir pra cá de trem (Azul até Campo Grande e Andorinha até Corumbá) e na volta fechar um voo pela Aerosur de Santa Cruz a Puerto Suárez: 500 Bs (tá certo que meu irmao doente influenciou muito...). Tem voo da Gol muito barato (se comprado com antecedência!) de Sao Paulo ou Campo Grande até Santa Cruz, tem voo da Trip de Campo Grande a Corumbá (um pouco mais caro, mas na Trip você pode usar suas milhas da TAM), tem TAM Mercosur via Assuncion, Aerosur de Guarulhos, ou até mesmo fazer como alguns amigos que conheci em La Paz: ir direto ao Peru (Lima ou Cuzco) e depois descer (pra Cuzco, Titicaca, Macchu Picchu e\ou La Paz) e subir de novo no final(principalmente pois o buso pro Peru se paga na tarjeta de crédito!! Além da carretera ser boa e as passagens nao serem disputadas a tapa como entre La Paz\Cochabamba\Santa Cruz).
  9. Olha, eu to agora no terminal La Paz, cheguei 7:30 e adivinhem... Acabaram as passagens para os onibus de 7:30 e de 8:00 também... Dei uma pesquisada por aqui e acabei fechando um buso para Cochabamba, 22:00, pela Flota Copacabana. Sei que acho que vai ser uma fria... Ainda mais que resolvi comprar de última hora um voo Santa Cruz-Puerto Suárez, 15:15 em VVI (Aerosur, 1000 Bs. en efectivo), porque meu irmao nao esta muito bem do estomago... Acho que vai dar, mas vai ser apertado... Vou pedir pro motorista tentar descer na estrada, sem entrar em Santa Cruz, acho que a estrada que ele vai pegar passa na frente do Aeroporto Viru-Viru (Carretera a Warnes)...
  10. Sta.Cruz-Yacuiba tem um monte de companhia de buso que faz. Tente a Expresso del Sur, evite a Copa Moya, e se tiver dinheiro tente a Potosi Buses, que tem até site na internet - ela vai até a Argentina. Nao vai gastar mais que 100 bols - chore no preço da passagem que em Sta Cruz compensa... Evite o trem para Yacuiba: é muito lento e só parte duas vezes por semana, e a estrada até Yacuiba é asfaltada e muito boa, vais chegar na boa no início da manha. ATENCIÓN: certifique-se que o buzón vai pela estrada nova (via Camiri), nao pegue companhias que vao pela estrada de Boyuibe (margeando a linha férrea - essa ainda é de terra!).
  11. felipe_bigphill

    Chacaltaya

    Sim, eh verdade, nevou 3 dias antes de eu escalar o Chacaltaya. Eu fechei com a agencia Inca land (Calle Sagarnaga) pois era uma das unicas que aceita cartao de credito. Alem disso, acertei tambem o passeio de bike ate Coroico (que foi operado pela Chacaltaya Tours) e tambem fiz o seguinte: passa um pouquinho a mais no cartao para que eu possa ter cambio en efectivo (legal!). Acertei 500 bolivianos na minha mao na hora (3 % de comissao) e hoje, na hora de pegar as fotos do passeio de bike mais a pollera, consegui mais 2000 bs, debitados no cartao de credito (ja que os cajeros daqui nao aceitaram os meus cartoes). O valor eu fico devendo pra vcs. A escalada foi com um pouquinho a mais de vento (nao tinha ventado tanto nos dois dias anteriores). Subi ate o primeiro cume, passei pela trilha por baixo do cume da casinha (uns 50 metros a frente do primeiro cume), cheguei ate o local da vista da laguna verde e do Huayna Potosi (no final da summit ridge), antes de chegar, no colo para o cume final da summit ridge, encontrei meu guia retornando. Meu irmao tinha ficado no caminho depois do primeiro cume. Falei isto com ele, ele entendeu e conversei com ele sobre minha condicao - ele estava preocupado, eu estava lento. Ele mediu meu batimento cardiaco e eu conversei um pouco com ele, ele avisou para ir ateh o final da summit ridge e retornar para nos encontrarmos com o pessoal que iria tentar o cume principal (entre o primeiro cume e o final da summit ridge). Eu fui ate o fim, tirei fotos, voltei beeeem devagar e encontrei outro brasileiro esperando na base do cume principal, ja com as pessoas que conseguiram o cume principal descansando nele. Bebi agua, comi algo e, quando estava deixando minha mochila perto da mochila do brasileiro que avisou que nao ia tentar o cume principal, o pessoal comecou a descer, pois o guia ja tinha iniciado o retorno (ja devia estar ultrapassando meu irmao, no meio da trilha da volta). Fui ate o cume, com o pessoal descendo, e qdo cheguei estava sozinho no cume, e o pessoal jah estava na base do cume, inciando a volta. Eu tirei poucas fotos e ja iniciei o retorno, com um inicio de dor de cabeca. Essa dor de cabeca so aumentou, e quando eu cheguei no inicio da descida final (a mais dificil de todo o trecho) eu resolvi parar. Nisso, o guia saiu da casinha e reclamou (desce logo, carajo!). Eu levantei as duas maos com o sinal de positivo, me levantei devagar e comecei a descer, porem jah estava meio zureta, meio tonto mesmo. Enquanto descia, deu tempo do guia aparecer mais uma vez e reclamar. Eu terminei a descida nao tao cansado, mas a cabeca ja estava bem ruim, estava grogue mesmo. Tomei cha de coca no abrigo e comi um sandubinha de jamon com queso. Estava andando mas quase nao conseguia manter conversa. O guia tava tomando cerveja (normal pra ele!). O resto do grupo falava pouco. De todo o grupo, so tres (todos brasileiros) nao fizeram cume: meu irmao, uma mulher (que tinha feito ate a trilha inca, mas nao achou interessante completar o Chacaltaya) e um carinha que meio que disparou no inicio e depois ficou com dor de cabeca, ele nao estava aclimatado nem para La Paz (tinha chegado ha dois dias), apesar do bom preparo fisico. Um frances, tres alemaes (uma mulher fazendo trabalho voluntario ha 3 semanas em La Paz), um aussie e sua brasileira fizeram cume juntos, alem desse santista que vos fala (droga, so lembrei agora que estava com a camisa do Santos e nao tirei foto dela, mas tava ventando no cume, tava meio arriscado tirar o casacao!). Moral da historia: antes de chegar em La Paz, eu tinha estado durante 2 semanas em Tarija (1900 metros), e uma noite antes eu tinha ido para as Lagunas de Tajzara (Cordilheira de Sama, trechos de 4000, 4200 metros na estrada, andado entre 3600 e 3800 metros e dormido a 3800, retornando a Tarija no dia seguinte - ate carreguei saco de cimento la em cima!). Estava bem em La Paz, cheguei na sexta e fiz Chacaltaya no domingo. Foi foda! Eu nao tenho muito preparo fisico, caminho bem no plano, mas em subidas, mesmo em SP, ficava cansado. Nao senti soroche em La Paz, so um cansaco um pouco acima do normal (mas quem nao fica cansado se fizer El Prado - Calle Sucre via Plaza Murillo, mesmo se fosse em Sao Paulo?). Mas no Chacaltaya eh muito diferente. Eu fiquei mais com desorientacao la em cima, meio zonzo. A dor de cabeca (mediana la em cima, leve depois de subir) soh passou no dia seguinte, mesmo depois de almocar (no Burger King, mas com sonolencia do caramba, rs!) e dormir a tarde, jantar e dormir de novo. Meu irmao vomitou duas vezes. Tomei Citoneurin uma semana antes de ir a Tarija, e continuei tomando ateh La Paz (da tres semanas). Creio eu que faltou hidratacao e alimentacao (saimos do hotel meio que sem tomar cafe da manha), nao estaria tao ruim se tivesse me hidratado bem (acabei com a garrafa 600ml que levei cheia la pra cima, mas no dia anterior nao me hidratei direito), mas acho tambem que se tivesse preparo fisico nao teria a dor de cabeca que tive, pois ficaria menos tempo exposto a altitude fazendo esforco fisico.
  12. Trancas fechadas para obras nas rotas Tarija-Entre Rios e Padcoyo-Camargo (nao confundir com Padcaya!). Tarija-Entre Rios Fechado das 7h as 12h, das 13h as 18h e das 19h as 21h. Padcoyo-Camargo (carretera Potosí-Villazon) Fechado das 7h as 13h, das 14h as 18h, das 19h as 21h, e das 22h as 6h. ATENÇAO: Os horários podem mudar dependendo do dia; por ex., a madrugada nao estava liberada até recentemente entre Tarija-Entre Rios.
  13. ATENCIÓN!!! A loja FAIR PLAY de Tarija NAO aceita cartao de crédito. A única loja que aceitou tarjeta foi a Totto, que só vende produtos marca própria (comprei um mochilazo cargueiro, uns 70 litros, 500 Bs., bonitona, roja, nao sei se é boa mas tava precisando...), e a loja da Head que nao tem quase nada de polleras buenas (camisetas), pero artigos de tênis que faz tempo q nao vejo o preço no Brasil - mas tbém sem variedade.
  14. Montanhismo aqui nao... rsrs... O pico Tarija fica lá pros lados do Pequeño Alpamayo, lá pra La Paz, nao fica por aqui nao rsrsrs... Tem a Cordilleira de Sama, mas estou quase desistindo de ir pois tenho pouco tempo restante por aqui. Pelo que eu vi, tem uma trilha inca que vai até 3800 m de altitude, e dá até para fazer em um dia, partindo de Tarija (!!!!), se voce aguentar o soroche, lógico, hahaha... Vinhos aqui tem de monte e baratos. Amanha estou indo conhecer a ruta de los vinos. Valle de la Concepcion mais 3 bodegas de vinho. Tour de meio dia, pagamento em cartao de crédito, 125 bolivianos por cabeza, eu mais 2 amigas (a esposa do anfitriao mais sua irma e o filhinho da esposa), a agencia ta querendo mais 3 porcento de acrescimo por causa do cartao, nao vou discutir, mas dava para baixar o preco e nao ter este acrescimo. A agencia eu fico devendo mas tenho o cartao dela - o nome da dona é Karina Vaca. Tarija é linda. Cidade limpa, povo muuuuito educado e gentil, pena que o acesso é uma porcaria... O melhor acesso é pela Argentina (desde Salta, Jujuy ou Oran, passando por Aguas Blancas e Bermejo já na Bolívia). De Salta dá 7 ou 8 horas de viagem e a carretera é buena, flotas várias vezes ao dia, fora os taxis trufis, a qualquer hora do dia. Agora para sair daqui por outro lado, aí o bicho pega... Carretera de chao por uma cordilheira que parece mais a Karakoram Highway se for por Villamontes (vim de lá de Santa Cruz, 80 bolivianos pela Expreso del Sur, saída 18hs, chegada 14hs da tarde por causa de uma tranca por obras na rodovia, estao asfaltando-a onde dá, além de se fazer uma nova rota com túneis onde a serra é braba, mas é coisa para daqui a 4 anos). A paisagem é linda, e eu já perdi o medo de busao na serra faz tempo... A Expreso del Sur é a mais segura segundo os habitantes locais, tem também a San Lorenzo, Copa Moya (os locais falam para evitar estas duas por acidentes) e a Expreso Tarija. Negocie o preco em Santa Cruz, aqui é mais difícil de negociar. Todos os onibus sao iguais, bus panoramico sem baño pois a carretera é cruel. O único destino com bus cama, fora Bermejo, é Tupiza, na rota de Uyuni. Mas me disseram que as rotas a Potosi (a carretera só sai por lá para demais locais da Bolivia, fora Villazon) sao piores que a Villamontes, tem mais pedras e buracos. Fora o soroche, pois aqui tem 1900 de altitude e para Potosi, sao 3900 m e a rota passa por lugares de 4000 (a janta do busao já é a 3700 m, em Izcayachi). Para a represa de San Jacinto, se sair da Terminal de Buses, pode-se pegar taxi (creio q uns 5 bolivianos por cabeza) ou ir até o centro da cidade e pegar a linha de micros San Jacinto. Sai do Palacio de la Justicia - todos conhecem aqui. Eu economizo - saio andando para a esquerda da Terminal até a Rotonda (rotatória). Viro à esquerda e atravesso a ponte - tiro umas fotos, já que a paisagem é linda -, depois da ponte viro à direita e sigo a rua margeando o rio Guadalquivir. Viro à esquerda seguindo a rua, que termina deixando o rio, após passar um hotel grande e uma escola de mecânica. Logo à frente, tem uma outra rotonda, uma pracinha. Descance um pouco sentado no meio fio (dez ou quinze minutos de caminhada): o businho San Jacinto demora um pouco, e vem do teu lado direito. Dois bolivianitos e vá até o ponto final, que tem um ponto de informacoes turísticas. Mais para a frente do ponto final tem a represa, pequena. Tire fotos e caminhe - é a rota do peregrino, que vai até o Santuário da Virgem de Chaguaya. Se tiver fôlego, boa sorte! Eu andei de canoa na represa pois estou na casa do treinador de canoagem da seleçao boliviana, nao tem para alugar (ainda...). Nesta fim de semana, acabou a Exposur, principal exposiçao e feira do departamento de Tarija. Cover do Michael Jackson na sexta e show do Marco Antonio Solís para finalizar no domingo (ingresso a 50 Bs. - barato, no show de Santa Cruz estao cobrando 300 Bs.). Lotou. Veio muita gente da Argentina, alugaram busoes de La Paz, Oruro, Potosi... A feira é durante uma semana, sempre em novembro. Degustaçao gratuita de vinhos em alguns stands (belê!!). Cuidado! Nao perca o rumo... O Pabellón da Exposur é quase no ponto final do San Jacinto - 7 km fora da cidade. Enfim, é isso. Estou quase saindo da cidade depois de 2 semanas. Queria ir para Uyuni - nao dá, nao tem buso direto, só via Potosí ou Tupiza. Acho que vou via Tupiza (bus cama!!! Trans Tour Juarez ou Trans Diamante - barato 40Bs! - acho...), mas para La Paz, usando o trem, mas os horário tem que casar - estou pesquisando isso agora. Se nao, é La Paz direto - mais de 12 horas de bus sin baño... Estou hospedado perto do aeroporto. Se conseguir milhas para a Aerosur, é uma boa vir para cá, porque se vier, vai precisar de tempo e planejamento pois para chegar ou sair daqui leva muito tempo: as trancas com obras nas rotas para cá abrem da meia noite às 6 da manha, do meio dia às 13h, e das 19hs às 21hs, e essas trancas aumentam muito o tempo de viagem, pois os horários dos onibus nao foram mudados para que os onibus nao fiquem parados nas trancas - eu passei 3 ou 4 horas parado na tranca, fora o café da manha sem pressa nenhuma em Entre Rios, que levou mais de uma hora, pois a tranca já estava fechada mesmo... Bom, é só! A cidade é grande, pero no mucho. Tem vários bancos, mas nao o HSBC nem o Banco do Brasil. Câmbio de reais ruim (só a 3,50 na casa de câmbios na esquina do Palacio da Justiça, o cara nao via reales brasileños há 3 meses..., o resto das casas só aceita dólares ou pesos argentinos - estamos há 3hs da Argentina, carajo!!!). Mulheres buenas!!!! As chapacas sao diferentes das demais bolivianas, além de simpáticas!! Aqui todo mundo é assim, nem os taxistas meteram muito a mao na gente. Cidade segura, polícia sempre nas calles. RECOMENDO!!!!!!
  15. Meu colega boliviano falou que o trajeto Sta Cruz - Tarija leva 24 horas mesmo, e tem q ser de buso. Não adianta pegar o trem Sta Cruz/Yacuiba e descer em Villamontes, pois vai dar o mesmo tempo de percurso, pq o trem é lento, e ainda tem o percurso de Villamontes-Tarija, de busão. Eu vi algumas passagens na internet de que o trem passa em algumas pontes compartilhadas - busão, trem e pessoas na mesma ponte -, que são chamadas de Trancas. E eu perdi a promoção da BoA (((( burro!
×
×
  • Criar Novo...