Ir para conteúdo

Tamoi0

Membros
  • Total de itens

    20
  • Registro em

  • Última visita

Posts postados por Tamoi0

  1. Gallera,

     

    estava planejando fazer uma viagem bike + snorkel em Bonaire. (Sim, pretendo voltar por lá, sim!) Infelizmente, acabo de constatar que a ilha é pequena demais para o tanto de pedal que queria fazer (só 100 Km de perímetro...).

     

    Estou pensando em incluir Curaçao e/ou Aruba para compensar o e$forço que é chegar ao Caribe.

    Pelo que vi até o momento, as duas dão um pedal legal. Mas não tenho noçao qual delas é melhor, e se dá mesmo para fazer as duas.

     

    A idéia é fazer a volta nas ilhas. Então procuro trajetos em que seja possível curtir a pedalada, as praias, a natureza, a vida local e, no fim do dia, dormir em algum canto confortável mas não muito caro.

     

    Allguém aí poderia ajudar?

    Preciso de infomações sobre aluguel de bike, rotas bicicletáveis, distâncias a percorrer e alojamentos em locais não centrais.

     

    Forte abraço

    _____________________________

    Tamoi0

     

    PS: Já mandei essa pergunta no tópico de Aruba (P&R) e Destinos Cicloturistas. Pretendo fazer o mesmo no tópico Bonaire (P&R). Se algum administrador achar isso inconveniente, por favor, me avise sobre o procedimento correto.

  2. Gallera,

     

    estava planejando fazer uma viagem bike + snorkel em Bonaire mas acabo de constatar que a ilha é pequena demais para o tanto de pedal que queria fazer (100 Km de perímetro...).

     

    Estou pensando em incluir Curaçao e/ou Aruba para compensar o e$forço que é chegar ao Caribe.

    Pelo que vi até o momento, as duas dão um pedal legal. Mas não tenho noçao qual delas é melhor, e se dá mesmo para fazer as duas.

     

    A idéia é fazer a volta nas ilhas. Então procuro trajetos em que seja possível curtir a pedalada, as praias, a natureza, a vida local e, no fim do dia, dormir em algum canto confortável mas não muito caro.

     

    Allguém aí poderia ajudar?

    Preciso de infomações sobre aluguel de bike, rotas bicicletáveis, distâncias a percorrer e alojamentos em locais não centrais.

     

    Forte abraço

    _____________________________

    Tamoi0

     

    PS: Já mandei essa pergunta no tópico de Aruba (P&R) e Destinos Cicloturistas. Pretendo fazer o mesmo no tópico Bonaire (P&R). Se algum administrador achar isso inconveniente, por favor, me avise sobre o procedimento correto.

  3. Gallera,

     

    estava planejando fazer uma viagem bike + snorkel em Bonaire mas acabo de constatar que a ilha é pequena demais para o tanto de pedal que queria fazer (100 Km de perímetro...).

     

    Estou pensando em incluir Curaçao e/ou Aruba para compensar o e$forço que é chegar ao Caribe.

    Pelo que vi até o momento, as duas dão um pedal legal. Mas não tenho noçao qual delas é melhor, e se dá mesmo para fazer as duas.

     

    A idéia é fazer a volta nas ilhas. Então procuro trajetos em que seja possível curtir a pedalada, as praias, a natureza, a vida local e, no fim do dia, dormir em algum canto confortável mas não muito caro.

     

    Allguém aí poderia ajudar?

    Preciso de infomações sobre aluguel de bike, rotas bicicletáveis, distâncias a percorrer e alojamentos em locais não centrais.

     

    Forte abraço

    _____________________________

    Tamoi0

  4. Maurício,

    a resposta do Xaliba foi show porque a trilha tem uns pedaços bem desgastantes conforme a época do ano que você vá. Uma idéia que talvez você possa pensar é alugar uma mula e seu muleiro para levar tuas coisas. Talvez saia mais barato que um "pacote" para a turistada em geral, além de ser um outro tipo de trilha. Quanto aos nativos, eles são bem receptivos com os "nuevos soles" que você gastará com eles... Com tempo para tratar aluguel, pesquisar serviços e trilhas pode ser uma boa. Fica aqui a idéia para você.

     

    Por outro lado, esse contato pode ser bem interessante. No meu caso, peguei um grupo bem harmônico e foi uma experiência por si só. Como você vai fazer a viagem de uma vida, isso pode se encaixar ou não em suas pretensões.

     

    boas trilhas

    Tamoi0

  5. Galera,

     

    acabei de chegar de Cusco e quero agradecer todo o apoio e informação que o Mochileiros compartilhou comigo! Não seria a mesma viagem sem esse apoio. Então, tá na hora de "pagar" a ajuda. Seguem algumas informações e impressões:

     

    1. Fiz a trilha de Salcantay. E é muuuuuuuuuuuuuito bacana. Recomendo para todos que gostem de aventuras, natureza e caminhar. É dura, em alguns trechos dificil, mas nada impossível. Para se ter uma idéia havia um garoto de 12 anos fazendo e chegou na boa. Com os caballos (mulas) levando sua mochila é molezinha. Só no passo do Salcantay a 4650 metros é que o bicho pegou mas nada que muita paciência não resolva... Outra parte difícil foi o terceiro dia que é todo em descida! Umas 5 horas descendo direto. Haja joelho.

     

    2. Tratei o pacote com a Puma´s Trek e, infelizmente, não fiquei com boa impressão. Como alguns já perceberam por aqui, as agências todas se juntam e formam os grupos que são levados por guias "independentes". Resultado: você fica na mão de quem você não contratou. No meu caso, isso teve sérios impactos. A Edith da Puma´s me disse que as mulas levariam 6 kg por pessoa e quando fomos caminhar, o guia falou que só levariam 5 kgs por pessoa. Além disso, o "cara do cavalo" disse que as mochilas tinham muito mais peso do que realmente tinham. Aí apareceu com um dinamomêtro pré-incaico e "pesou" nossas mochilas em 8kgs cada. Sinistro! Teríamos que carregar 3 kgs por toda trilha. A "sorte" é que o mesmo rolou com todo o grupo e acabamos alugando um cavalo extra por 75 soles. Achei um vacilo enorme da agência. Outra coisa horrível que rolou foi uma barraca muito mal armada e toda ferrada. As portas mal abriam e fechavam, não era possível esticar o sobreteto e faltavam cordas e espeques. Numa noite de chuva, muita chuva, nossa barraca simplesmente virou rio, todas as nossas roupas e sacos de dormir ficaram molhadas. Salvou um cantinho de barraca, meio saco de dormir e alguns casacos que salvaram um pouco de sanidade de uma das piores noites de minha vida. Frio, frio, muito frio. Verdade que na noite seguinte, o guia arrumou um quarto em Santa Teresa que salvou-nos de passar mais uma noite úmida. Pra finalizar os vacilos da Puma´s, quando cheguei do trem de regresso de Cuzco não havia o transfer de Poroy à Cusco. Tivemos que pagar um "colectivo" do nosso próprio bolso. Serviço muito ruim, viu! Não recomendo.

     

    3. Aliás, essa parada de agências em Cusco é sinistro. Me falaram que há 1500 agÊncias de turismo na cidade. Não duvido. Cada hostal, loja, farmácia e igreja tem uma agência. No final, o serviço é o mesmo. Muitas vezes, aquém do combinado. Pelo menos em baixa temporada não precisa combinar nada com antecedência, tratar na hora e negociar bastante no preço. Sabendo conversar, sempre rola um descuento... Posso estar enganado mas creio que em alta temporada também funciona da mesma forma. Os caras devem encher os grupos e passeios. Exceção feita é claro à trilha Inca.

     

    4. Acabei comprando na Lan o ticket aéreo Lima-Cuzco-Lima na hora que cheguei. A companhia é bem bacana e tem horários melhores que as demais, o que nos economizou estadias em Lima. Paguei a tarifa econômica local, sem as papagaiadas de 200 dólares a perna... No todo, com impostos saiu 300 dólares ida e volta. Atenção com os impostos e taxas pois são beeeeeeeeeeeem caros. Na Lima-Cuzco-Lima custaram 100 dólares! Na Lima-Sampa, saíram 31 dólares. Acho que dá para comprar com antecedência a preços de cidadão peruano pois não vi nenhum controle a respeito.

     

    5. Em Cuzco, fiquei no Pirwa Pousada del Corregidor, bem na Plaza de Armas. Localização 10. Atendimento 10. Quartos fracos 5.5. Café da manhã fraco 6. Preço 10 (70 soles por um matrimonial). A única coisa que me incomodou mesmo é que rola umas baladas na praça que ficam até às 4 da manhã no maior bate-estaca. De qualquer maneira, eu recomendo ainda que ache que dá para conseguir o mesmo preço em lugares mais bucólicos com quartos melhor e mais silenciosos. Mas o atendimento da galera do Hostal me conquistou.

     

    6. O rango na trilha é bem legal, os cozinheiros se esmeram e rola uma competiçãozinha com os outros grupos. Em toda a parte há bodeguinhas para se comprar snacks, água e até cerveja. Basta ter soles o suficiente pois rola um superfaturamento legal. Para os mais abastados, nada demais pois a relação soles/reais é bem compensadora.

     

    7. Na sua mochila de ataque leve SEMPRE sua capa de chuva pois as condições climáticas variam imensamente em um piscar de olhos. Protetor solar e repelente de mosquitos também. Sobre mosquitos aliás, recomendo comprar os repelentes locais pois os de fora parecem não funcionar a contento.

     

    8. No terceiro dia, consta no pacote padrão, uma caminhada Santa Teresa-Cocalmayo que é o parque de águas termais. Só que ninguém mais faz isso, e o transfer é cobrado à parte (5 soles cada perna). Recomendo ir de busão coletivo que é bem mais barato (2 ou 3 soles). O parque é alucinante! Piscinas de 25, 35 e 45 graus. Quentinhas! Tudo a ver para relaxar depois de tanto sobe e desce. Não esqueça de incluir roupa de banho e toalha em sua mochila!

     

    9. No quarto dia, consta no pacote padrão, uma caminhada Santa Teresa-Hidrelétrica. Só que ninguém mais faz isso e o transfer é cobrado à parte (10 soles por pessoa). Recomendo ir de colectivo que é bem mais em conta (3 a 5 soles). Seu guia provavelmente vai chiar um bocado se vc propor isso, pois ele certamente leva algum do motorista do transfer mas quem sabe isso possa ser considerado para conseguir um bom desconto.

     

    10. Para subir a MachuPicchu, recomendo ir bem na madruga e chegar quando o parque abrir para curtir as ruínas não tão lotadas. Além de ter possibilidade de subir a WaynaPicchu que só dispõe de 400 ingressos por dia. No final, escolhi não subir a WaynaPicchu pois achei meio loucura tanta gente junta em uma trilha muito ingríme. Pros mais interessados em subir WaynaPicchu, recomendo pegar a 1a turma pois esta vai mais dispersa. O 2o grupo todo muito vai junto, e na volta é meio confuso.

     

    11. Em frente a MachuPicchu tem uma montanha bem legal de se subir que é Putucusí. De grátis, em Águas Calientes, seguir descendo a trilha do trem entrar à direita e subir, subir, subir. Incluindo escadas de madeira de 40 metros! 1 hora e meia de subida mas que valem a pena. Visual incrível de MachuPicchu, Águas Calientes e dos vales do entorno.

     

    12. O trem de volta vem bordeando a trilha Inca original e tem visuais incríveis. Escolham voltar ainda com a luz do dia. Não se arrependerão. Para os mais abastados, gastem mais 40 dólares para retornar no trem turístico, o Vistadome que tem serviço de 1a. classe e, mais importante, janelas beeeeeeeeem grandes e tetos com janelas de vidro, além de terminar em Poroy que é pertinho de Cuzco.

     

     

    Ufa, por enquanto é só. Espero ajudar o povo a curtir bem essa experiência para toda a vida que é fazer uma trilha até MachuPicchu.

     

    Suerte!

  6. Galera,

    levei o Rough Guide Peru para Cuzco e me dei mal. O Guia parece defasado. Há preços fora da realidade e horários errados! Achei o guia difícil de consultar e com poucos ou nenhum detalhes em passeios bacanas de fazer.

    Não o compraria de novo. Talvez funcione para uma viagem mais turistona e não para uma viagem mochileira.

  7. quanto mais ou menos custa uma boa roupa de mergulho por lá? Eu sempre alugo a roupa quando mergulho, mas to a fim de comprar uma e pelo que li lá é barato...

    Vanessa,

    roupa eu não sei, mas comprei um colete usado por 100 doláres (+ 5% de impostos). Super-compensou pois iria gastar 60 dólares em aluguel. Ou seja, o colete me saiu por 40 dólares. De graça!

     

    Acho que vc pode conseguir o mesmo com roupa, ainda que eu tenha feito 19 mergulhos por lá só de T-shirt! Incluindo 2 noturnos e 3 sunset dives.

  8. Fala Tamoi0!! blza??

     

    vc pode postar informações sobre valores gastos??

     

    abraço,

    Matheus

     

    Matheus,

     

    vou ficar devendo essa pois fui no esquema 0800!

     

    Sei de poucos preços:

     

    10 dólares por dia por equipamento (colete,regulador, máscara/nadadeira, roupa)

    25 dólares por dia por saída de barco

     

    um abraço

  9. Tamoio,

     

    Na página anterior você disse que achava que tinha pago BsF 110 por noite por casal na Carmen.

     

    Esse valor destoa demais para tudo que já foi relatado nesse fórum. Poderia averiguar melhor e conforme for editar a mensagem lá para evitar confusões?

     

    Há 1 ano o mais barato que encontrei, com as malas na mão lá em Los Roques, foi a magali, que pedia Bsf 100 por pessoa, por noite, com café e janta. Com o choro pra 5 noites ela deixou por 90.

    Antes de fechar com ela fui na Carmen e me pediram 150 por pessoa...

     

    Caro Glauber,

     

    o preço que citei foi a minha lembrança. Pelo que você está dizendo, é uma lembrança errada. Talvez seja mesmo. Mas talvez seja verdade e o preço pechincha, teria sido pelo fato da ilha estar bem vazia e chuvosa na ocasião.

    De qualquer forma, editarei o preço para não dar uma falsa impressão a quem lê.

     

    abraços

  10. oi pessoal!!

    Estou querendo ir para Los Roques passar uns 5 dias por lá! Mas quero já ir com tudo reservado! Aqui no site, todos falam muito da pousada da doña Magalys, mas alguém teria um contato direto com ela?? sei lá, email ou telefone!

    Vou passar a Lua-de-mel! E ainda estou um tanto perdida sobre o que fazer mesmo por lá! Mas graças aos depoimentos daqui, já estou conseguindo fazer o roteiro bem certinho!

    Mas se puderem me ajudar nesse detalhe do alojamento, ficarei muito grata! valeu

     

    Vivi,

    fiquei na D. Carmem e achei o máximo. É quase o mesmo preço da Magalis e parece bem mais simpática (e limpa)!

     

    Se quiser, eu tenho uns contatos da pousada em casa. É só avisar.

  11. Estarei em Bonaire no final de outubo e gostaria de saber sobre passeios além dos mergulhos. Claro que vou lá pra mergulhar, mas também conhecer outras coisas no intervalo de superfície 8) .

     

    Pelo que li, parece que o Parque Washington e os Manguezais são dois passeios legais. Quem foi, confirma? Tem outros pra sugerir?

     

    Valeu!

     

    André,

     

    estive em Bonaire mês passado (set/2009) e posso te passar algumas dicas:

     

    . Eu fui no esquema ShoreDive, qual seja, aluguei um carro e tinha um pacote de cilindros à vontade. Resultado: fiz 19 mergulhos em 5 dias e 1/2! Quase tanto quanto um live aboard. Sugiro fortemente esse esquema pois é uma oportunidade rara de se poder mergulhar sem o corre-corre de uma operação de barco. Além de ser mais barato e você ficar com o carro para se locomover por lá.

     

    . Basicamente, há 5 áreas diferentes de mergulho: Sul, com mergulhos em double-reef (um "costão" de corais, uma faixa de areia, outro "costão" de corais"). Norte, single-reef. "Outro lado", com mar bem mais batido - mergulhos avançados. Norte no parque, mergulhos dentro do Washington Slagbaai Park , e Klein Bonaire, a "ilha" em frente à grande Bonaire.

     

    . Só mergulhei no Sul e no Norte. Ambos excelentes. Visibilidade 30 metros, água a 29 graus... Vi os pontos do "Outro lado" e os do Park. Recomendo muito fazer os do Park. Os do "outro lado" só vale para quem já fez todos os outros...

     

    . Todos os 19 mergulhos que fiz foram excelentes, incluindo 2 noturnos e 3 sunset dives. Recomendo todos mas citaria em particular: Oil´s Leak, Vilma Hook (naufrágio fantástico a 30 metros), Alice in the Wooderland e 1000 steps.

     

    . Para intervalos de superfície, recomendo LacBay que é a praia do Windsurf, o Slagbaai Park com seus flamingos e papagaios e o restaurante a beira mar do Buddy´s Hotel.

     

    . Se for jantar fora, fique atento pois a grande maioria dos restaurantes fecha a cozinha às 22hs. Depois é só bebida!

     

    . Há dois tipos de night: a dos holandeses e a dos locais. Ambas muito animadas, principalmente nos finais de semana. Fuja dos cassinos onde a energia é bem baixo astral.

     

    . A ilha é muito legal. Os mergulhos são a.l.u.c.i.n.a.n.t.e.s.! Mesmo para quem só fizer snorkel! Vi em área "snorkeável" polvo, lula, arraia, peixe cofre, peixe papagaio, entre outros.

     

    . A ilha é cara! Se puder compre víveres no mercado e faça parte das refeições em casa.

     

    boa sorte por lá.

  12. Galera,

     

    li, pesquisei, busquei e reli o mochileiros.com sobre qual a melhor alternativa para comprar uma passagem aérea Lima-Cuzco-Lima mas ainda estou em dúvida sobre o que fazer. Alguém poderia ajudar?

     

    As informações colhidas até o momento são:

     

    1. A Taca cobra 139 dólares mais 19% de imposto. Mas os horários obrigam ficar uma noite em Lima a quem vai a Cuzco.

     

    2. Na StarPeru o panorama é o mesmo. Cobra 90 dólares mais 120% de imposto!!! Os horários também obrigam ficar uma noite em Lima a quem vai a Cuzco.

     

    3. A Lan tem mais e melhores horários. Mas há uma política de preço diferenciada para residentes e não-residentes no Peru. Em todos seus preços os impostos são 19%. Para residentes, há a tarifa Base a 142 dólares e Base Plus a 200 dólares. Para não residentes, há a tarifa de 400 dólares e a Plus de 542 dólares. Liguei para a Lan e me confirmaram que há a possibilidade de não se embarcar com os tiquetes de residentes no meu caso.

     

    4. Li que mochileiros.com sagazes compraram passagens a preços de não-residentes.

     

    5. No site da Lan, há um aviso ENORME quando escolho a tarifa Base. Já na tarifa Base Plus, há um aviso meio dúbio apenas na hora de confirmar o pagamento.

     

    As dúvidas são:

     

    a. Vale a pena deixar para comprar as passagens quando chegar em Lima? Será que haverá disponibilidade de assentos? Será que o preço não será maior do que comprando com antecedência?

     

    b. Os mochileiros.com sagazes tiveram problema quando embarcaram? Qual bilhete compraram? Base ou Base Plus.

     

    grato por quaisquer auxílio.

     

    abraços

  13. Gente...estou indo pra Los Roques agora em novembro...como faço para contactar esse tal Miguel que faz o cambio do dolar para os bolivares a 1=5,8?

    Alguem tem o contato dele? brigadao

     

    Oi Mariana,

     

    não quero ser agourento ou te desanimar mas quero compartilhar minha experiência.

    fui para Los Roques em novembro do ano passado e .... peguei muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuita chuva. Me informaram que é a única época do ano que chove. Te aconselho a dar uma olhada na pluviometria e, se puder, a postergar ou adiar um pouco a viagem.

    Ah... não esqueça de levar repelente contra mosquito... Essa época do ano tem muito mas não em Gran Roque mas nas pequenas ilhas (Madrisqui, Crasqui, Francisqui). Opte por Cayo D´agua que é mais longe e mais caro mas não tem mosquito!

     

    boa sorte

  14. Arildo,

     

    tente a Dona Carmem. Tem ar condicionado e é bem baratinha. Banho quente você só deve conseguir em pousadas MUITO caras. Mas a água fria não é fria, é tépida, quase morna. Minha namorada tem pavor a frio, e não reclamou nem um pouco da temperatura da água.

    O custo eu não me lembro direito mas era bem barato com café da manhã e jantar. Bem em conta. Mais barato só a Magalys e camping.

    Quanto ao mergulho, está bem em conta seu curso.

     

    A principal dica sobre Los Roques é conseguir lidar bem com o câmbio louco da Venezuela. Troque o que conseguir em Bs. Tudo que você conseguir pagar em Bs será muito barato. O mergulho eu não vi ninguém que tenha conseguido pagar em BS o que pode fazer o mergulho ficar beeeeeeeeem caro. O bom é que só o snorkeling já é muito legal.

     

    um abraço

×
×
  • Criar Novo...