Ir para conteúdo

Cussa

Membros
  • Total de itens

    5
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Cussa

  • Data de Nascimento 05-06-1987

Bio

  • Ocupação
    - Desenvolvedor
    - Músico
    - Viajante de Duas Rodas

Outras informações

  1. Percurso: - Manilha - Cabo Frio - São João Nepomuceno - São Gonçalo Viajantes: - Cussa - Lorde Franncys - Gallega - Lady Erica Cris - Heleno A viagem deste fim de semana foi um pouco mais longa que as outras. Ao chegar em casa, meu odomêtro marcava 804,6 km. O planejamento inicial era nos encontrarmos, irmos a Cabo Frio, encontrar outras pessoas e irmos de moto para São João Nepomuceno. Saída: Manilha (RJ) - 14/11/2009 21:00 Chegada: Cabo Frio (RJ) - 14/11/2009 22:10 Ponto de Encontro: Posto Ipiranga de Manilha Comboio: - Batedor: Cussa - Tornado 250cc - Sentinela: Gallega, Lady Erica Cris - Peugeot 206 (sim, ela estava de carro até Cabo Frio) - Itermediário(s): = Lorde Franncys - Virago 250cc Km aproximada: 110km A Gallega trabalha de carro em Niterói. Então combinamos de acompanhá-la até Cabo Frio, para que lá ela pegasse sua moto, nos encontrássemos com outras pessoas que iriam no comboio e irmos para S. J. Nepomuceno. A viagem de Manilha até Cabo Frio transcorreu sem sustos, com a estrada em boas condições. Eu (Cussa) e o Lorde Franncys íamos revezando como Batedor e Intermediário. O pedágio da Via Lagos é realmente muito caro: R$ 4,00 (isto para dias de semana...). Porém, temos de aceitar um fato: o dinheiro parece estar sendo muito bem empregado. A pista parece um tapete, fazendo com que pudéssemos fazer altas velocidades sem muito preocupação. Pegamos um pouco de chuva de Manilha até Rio Bonito, o que fez com que tivéssemos que ir a uma velocidade reduzida, mas nada que atrapalhasse nossa viagem. Chegamos em Cabo Frio e decidimos dormir por lá. Encontraríamos o Heleno no dia seguinte de manhã e iríamos pegar estrada. [Pedágio: R$ 4,00] Saída: Cabo Frio (RJ) - 15/11/2009 10:30 Chegada: São Pedro da Aldeia (RJ) - 15/11/2009 11:00 Ponto de Encontro: Posto Comboio: - Batedor: Gallega - Falcon 400cc - Sentinela: Cussa, Lady Erica Cris (garupa) - Tornado 250cc - Itermediário(s): = Lorde Franncys - Virago 250cc Nos encontramos com Heleno, comemos algo e pegamos novamente a estrada. Como as estradas que vão para o lado de Minas não eram tão boas, resolvemos voltar até Manilha e de lá pegar a BR-116 (Rio - Teresópolis). E assim fizemos: pegamos novamente a estrada. Saída: São Pedro da Aldeia (RJ) - 15/11/2009 11:00 Chegada: São João Nepomuceno (MG) - 15/11/2009 20:00 Comboio: - Batedor: Cussa, Lady Erica Cris (garupa) - Tornado 250cc - Sentinela: Heleno - Drag Star 600cc - Itermediário(s): = Lorde Franncys - Virago 250cc = Gallega - Falcon 400cc De São Pedro da Aldeia até Manilha: estrada boa. Sem sustos. Quer dizer... Quase nenhum: um pedágio que custa R$ 7,80 nos sábados, domingos e feriados é de assustar qualquer um... Porém, como eu disse, estrada que parece um tapete. [Pedágio: R$ 7,80] De Manilha até Magé: estrada muito esburacada, sendo mão dupla. Caminhões que não respeitam ninguém. Deve-se tomar cuidado por aqui. De Magé até Teresópolis: estrada boa. Subida em mão dupla, com vários caminhões no caminho. Pontos de ultrapassagem com segurança. Felizmente, não pegamos nem chuva nem neblina, o que fez a viagem seguir num fluxo tranquilo. Na entrada de Teresópolis fizemos uma parada para um pastel. Ali encontramos Sym, do Dragões da Serra, que estava tendo problemas com o alarme da sua moto. Como eu já havia ficado parado uma vez por causa do meu alarme, fui ver se tinha como ajudar. Felizmente, parece que o controle estava com mal contato na bateria. Resolvido o problema, Sym se juntou o comboio até a entrada de Friburgo. [Pedágio: R$ 3,15] De Teresópolis até Sapucaia: a estrada continuava boa. Depois do pedágio de Teresópolis (que não estava funcionando, já que a cobrança foi suspensa), pegamos uma descida até Além Paraíba. Ao chegar em Além Paraíba, uma parada um pouco mais demorada, onde almoçamos e nos preparamos para seguir viagem. Compramos um baralho (que nem chegou a ser usado), balas e outras coisas e nos preparamos para seguir viagem. Pegamos a estrada e seguimos até Sapucaia. [Pedágio: R$ 1,60] De Sapucaia até Mar de Espanha: Em Sapucaia, perguntamos o caminho para seguirmos viagem. O engraçado aconteceu: cada pessoa informava uma distância, um tempo, e um caminho diferente... Dado este fato, resolvi entrar na internet e ver no Google Maps. Lá ele colocou como faltando ainda aproximadamente 28km. E ai fomos nós, mas não contávamos com uma coisa: a estrada não era asfaltada... Era estrada de terra, mais próximo do que poderíamos chamar de trilha. Minha moto e a da Gallega foram tranquilas, porém o Lorde Franncys, com sua virago, e Heleno com sua Drag Star sofreram um bocado. Depois de 28km nesse sofrimento, finalmente asfalto novamente. De Mar de Espanha até S. J. Nepomuceno: asfalto. E até lá a viagem seguiu tranquilamente. A estrada, apesar de não ser das melhores, não tinha tantos buracos, faltando apenas acostamento e sinalização. O Evento: o evento seguiu tranquilo. Acampamos no local, onde havia apenas um chuveiro no banheiro masculino, e sem privacidade nenhuma. Quem entrava, dava de cara com um cara tomando banho... Pelo menos tinha água quente. Acabamos indo na praça da cidade, onde comemos uma pizza, que não estava lá essas coisas. Voltando para o acampamento, resolvemos ir dormir, afinal, a viagem tinha sido bem longa.. Acordamos no dia seguinte e começamos a nos preparar para ir embora. Mas decidimos fazer um caminho diferente por 2 motivos: primeiro para não pegar a trilha de Mar de Espanha novamente.. E segundo para pararmos numa cachoeira para tomar um banho. E, na opinião de todos foi a melhor coisa que fizemos. A cachoeira de Santa Felicidade, em Rio Novo, não era grande, mas muito bonita, renovou a energia de todos. Até mesmo Heleno que não estava muito empolgado acabou entrando! Saindo de lá, resolvemos pegar a BR-040, onde Heleno e Gallega já conheciam. Com isso, passamos por Juiz de Fora. E lá, tivemos que dar uma enorme volta, devido a parada gay que ocorria na cidade. Não o que reclamar da BR-040, a não ser um único fato: os pedágios. Assim como a Via Lagos, a estrada se encontra muito bem sinalizada, com acostamentos e o asfalto que parece tapetes. Mas tudo isso a um custo enorme: 3 pedágios de R$ 3,70 cada um!!! Ou seja: só nesta via, gastamos R$ 11,10 cada moto!!!! Neste ponto da estrada, a viagem seguiu tranquila, com algumas paradas para abastecimento. [Pedágio: R$ 11,10] Pegamos a saída de Magé, para deixar a Lady Erica Cris e cortarmos um pouco de caminho. E ai, adivinhem só: mais um pedágio, este de R$ 4,50. A estrada, que é a própria BR-116, estava também em boas condições para este lado. [Pedágio: R$ 4,50] Pegamos a saída de Magé e fomos juntos até Manilha, onde Gallega e Heleno seguiram viagem para Cabo Frio e eu e Lorde Franncys seguimos sentido São Gonçalo. Fechamos a viagem bem, todos em ótimo estado (fora o cansaço...) e felizes... E R$ 34,10 mais pobres devido aos pedágios...
  2. Lico, Isso não é nada... Vou ver se ainda hoje eu coloco o relato do último fim de semana, onde fui para São João Nepomuceno. Só para você já ter uma idéia, ida e volta, eu gastei mais de R$ 30,00 só com pedágio...
  3. Olá, Cara, tudo depende muito. Eu não sou um profundo conhecedor da Yes125, mas por experiência posso dizer algumas coisas... Primeiramente, sobre a distância x moto. Cada moto tem a sua regulagem, principalmente porque os mecânicos sempre dão uma mexida aqui, uma mexida ali, que pode fazer ela ficar melhor ou pior. Eu, por exemplo, tenho uma Tornado que consegue hoje andar tranquilamente por 4 horas aproximadamente sem esquentar muito. Assim sendo, acho que a primeira coisa a avaliar é se a sua moto aguentaria fazer um percusso tão longo sem esquentar muito. E nisso ai, começam as outras coisas: bagagens, revisões, troca de óleo. Convém fazer uma revisão completa antes de pegar a estrada. Outra coisa e acho que isso é a mais importante: fazer uma viagem longa é estar sujeito a várias coisas, como mau tempo, buracos, problemas mecânicos, furos em pneus e até mesmo o desrespeito que há com os motociclistas. Assim sendo, recomendaria que caso você realmente decida fazer esta viagem, que chame algum amigo, de preferência que entenda um pouco de mecânica e que tenha alguma experiência em estrada. Talvez, a melhor recomendação que eu possa fazer é que você primeiro, antes de fazer um percusso grande como este, pegue um percurso menor, ganhando assim experiência para pegar estradas maiores. E sempre que possível, não viaje sozinho. Itens essênciais: - Roupa de chuva - Lâmpadas reservas - Kit de Ferramentas para consertos rápidos - Kit Primeiro Socorros - Telefone que pegue no destino Outra recomendação: caso você realmente não tenha como ir com um amigo, você pode entrar em alguns sites de apoio a motociclistas. Ou seja, pegue o telefone de algumas pessoas de motoclubes que são no caminho. Assim, caso você tenha um problema na estrada, tem como se comunicar com alguém, que mesmo que não vá pessoalmente te ajudar, pode lhe prestar socorro. No mais, acho que é diversão... [Edição] Esqueci. Também é bom você tentar ver as condições da estrada que você irá pegar. Uma idéia que eu dou é você montar a rota planejada no googlemaps e colocar o link aqui (é preciso ter uma conta do google e salvar o mapa como público), para que as pessoas que conhecem a estrada poderem dar a opinião delas. Verificar os pedágios para se verificar os gastos. E saber a média de consumo da moto, para planejamento em relação a abastecimentos.
  4. A idéia desta surgiu quando eu e um amigo resolvemos fazer uma viagem para algum lugar longe que fosse ter algum evento de motoclube. Na semana que queríamos ir, sabíamos que haviam 3 eventos seguidos: em Pirapetinga (MG), Cabo Frio e Rio Bonito (ambos na Região dos Lagos - RJ). Acabamos planejando da seguinte forma: tiraríamos folga na sexta e sairíamos de São Gonçalo / Niterói. Iríamos para Pirapetinga e ficaríamos na casa de alguns parentes. No sábado de manhã, iríamos para Cabo Frio, passando por São Fidélis, Campos, Rio das Ostras. Ficaríamos em São Pedro da Aldeia de sábado para domingo. Domingo iríamos em Rio Bonito e de lá voltaríamos para casa. Tinhámos o 1º Encontro Nacional de Motociclistas de Pirapetinga, organizado pelo Nóis na Fita Motoclube. Tinhámos o Aniversário do Tubarões Motoclube, de Cabo Frio. E tinhámos o 2º Bate e Volta de Rio Bonito. Seriam aproximadamente 700km de estrada, mais o que fosse rodado nas cidades. Alguns amigos acabaram aderindo a idéia da viagem e marcamos como ponto de encontro um posto em Manilha. Após nos encontrarmos, fazer o check-up das coisas, verificar novamente os mapas, subimos nas motos e fomos embora. O mais experiente do grupo, Luiz Henrique, foi escalado como "Batedor" do comboio. E por ser o 2º mais experiente, eu ficaria como "Sentinela" (o que fecha o comboio). Tinhamos então um comboio de 3 motos, sendo uma Shadow 750cc, uma Twister 250cc e a minha Tornado 250cc. O início da viagem foi meio complicado, visto que a estrada de Manilha até Magé se encontra muito esburada, com obras no caminho, mal sinalizado, sem acostamento. Resolvemos passar por dentro de Guapimirim para cortarmos um pedágio e parte do caminho. Após pegarmos a estrada de Teresópolis, a viagem seguiu mais tranquilamente. A estrada se encontrava em ótimas condições. Fizemos a primeira parada após 85km aproximadamente do início da viagem, onde comemos algo e reabastecemos as motos. Neste hora, eu e o Lorde Franncys (apelido também... galera se conhece muito assim...) trocamos: eu fui para a Twister com um garupa, enquanto ele foi para a Tornado com as bagagens. Seguimos viagem, parando novamente em Além Paraíba, onde novamente comemos algo e abastecemos as motos. Como era a primeira vez que fazíamos essa viagem, resolvemos sempre abastecer. Após, pegamos a estrada Além Paraíba - Pirapetinga. Ai a coisa ficou complicada. A estrada não tinha buracos: tinha crateras... Como a única moto que encarava buraco tranquilamente era a minha (Tornado) tivemos que baixar a velocidade de viagem. Nesta altura, já estava de noite, o que prejudicava nossa visão. Para piorar, a estrada é utilizada por caminhões, fazendo com que além do perigo dos buracos, falta de sinalização, falta de acostamento, ainda havia a preocupação com os caminhoneiros. Após 50km de buracos, finalmente chegamos no nosso destino. A cidade era por si só muito aconchegante! As pessoas bastante receptivas e prestativas. O evento foi muito bom. Conhecemos novas pessoas, reencontramos parentes. Ficamos na casa de uma tia minha e do Lorde. Quer dizer: tiramos um cochilo, pois fomos dormir 5h da manhã e às 10:30 já estávamos pegando a estrada novamente. Saímos de Pirapetinga e seguimos em direção a Pádua, passando por Marangatú e Boa Viagem. [Comentário: todo mundo olhando a gente passar... rs...] Seguimos para São Fidélis, onde fizemos nova parada. Pedimos informação e seguimos o caminho. Cidade simples, mas bonita. A estrada de Pádua até a BR-101 não se encontrava em boas condições. Muitos buracos... Para nossa sorte, não era movimentada, o que fez com que seguíssemos viagem tranquilamente. Pegamos a BR-101 e seguimos para Cabo Frio, de forma que foi mais tranquilo, fazendo no percurso 2 paradas para reabastecer. O evento do Tubarões também foi muito legal. Mas nada de mais... Está se tornando um evento de cidade... As coisas caras... Partimos para São Pedro, onde ficaríamos na casa da irmã do Luiz (o "Batedor" do comboio). Ficamos lá e dormimos. Domingo pela manhã fomos para o 2º Bate e Volta de Rio Bonito. [Comentário: O pedágio caro o da Via Lagos... R$ 7,80 para motos!!!!] Curtimos o evento, e para nossa infelicidade, tivemos que ficar tristes: um irmão motociclista acabou falecendo em um grave acidente de moto. Após essas aventuras, resolvemos partir, seguindo viagem novamente. Pegamos a Via Lagos, e depois BR-101. Até o final e merecido descanso em nossos lares. Mapa da viagem: http://maps.google.com.br/maps/ms?ie=UTF8&hl=pt-BR&msa=0&msid=105291029645313224628.00046e96f3d48f1e69bed&z=8
  5. Olá a Todos!! Me chamo Cussa (ok, apelido, mas muita gente só me conhece assim). Sou motociclista, integrante de motoclube. Adentrei no mundo das duas rodas há 4 anos, ainda sem carteira. Este ano as coisas melhoraram. Tenho hoje uma Tornado XR250, que já recebeu algumas modificações, principalemente no que se refere a visual e estilo. Quanto às viagens, estou sempre na estrada. Praticamente todo fim de semana faço alguma viagem, sendo estas de até 250km aproximadamente. Para quem quiser ter uma idéia, segue o link da primeira viagem "grande" que eu fiz, junto com outros amigos: http://maps.google.com.br/maps/ms?ie=UTF8&hl=pt-BR&msa=0&msid=105291029645313224628.00046e96f3d48f1e69bed&ll=-22.248429,-42.077637&spn=1.49472,3.751831&z=8 Estou sempre planejando essas viagens e vendo eventos. Até a próxima, seja aqui no Mochileiros ou nas estradas do Brasil Baronil!! ãã2::'>
×
×
  • Criar Novo...