Ir para conteúdo

claudiopsiuerj

Colaboradores
  • Total de itens

    29
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre claudiopsiuerj

  • Data de Nascimento 14-05-1975
  1. Geon, se for fora de feriado com certeza absoluta. Em feriado, melhor fazer contato antes. Abraço!
  2. Fala Samy! Primeiro, obrigado pelas dicas... Meu planejamento de viagem original seria chegar de avião em João Pessoa, descer de carro até Maceió e de lá retornar ao Rio de Janeiro. Porém, devido a uma melhor composição de vôos em termos de troca de milhas, estou indo até Natal e voltando ao Rio de Janeiro por Aracaju, assim consegui excelentes condições e vou voar "0800" (pagando só pelas taxas de embarque para mim e minha esposa). Já que chegarei em Natal, seria um pecado não tirar pelo menos 2 dias para curtir esta linda região, de modo que encurtei o resto da programação, mas só deu 2 dias mesmo. Portanto, vou fazer o básico do Rio Grande do Norte e focar mais em Natal numa outra ocasião, quando pretendo esticar até São Luís... Abraço!
  3. DE NATAL A JOÃO PESSOA... Fala, galera! Sou do Rio e estarei indo com minha esposa fazer 15 dias pelo Nordeste agora em julho. Vôo de ida: Rio - Natal Terrestre: Natal - Aracajú Vôo de volta: Aracajú - Rio No primeiro dia tá tudo certo: fazer de buggy o tradicional litoral norte (Jenipabú e Jacumã) e city tour noturno (agência ou táxi mesmo, a definir). No segundo dia é que está minha dúvida. Pretendo acordar cedo em Natal e fazer o litoral sul parando nos principais pontos e chegar no final da tarde ou início da noite em João Pessoa. Dúvidas: 1) Pensei em passar em Pirangi (cajueiro), Tibau do Sul e Pipa. Algum outro ponto imperdível? 2) Alugar um carro em Natal e devolvê-lo em João Pessoa traz conforto e liberdade de tempo, mas um custo total previsto (incluindo taxa de retorno e combústivel) de aproximadamente R$ 450,00. Alguém saberia dizer se eu consigo uma opção mais em conta contratando uma van ou táxi que me leve a todos estes pontos e me deixe em João Pessoa (ônibus seria inviável pela questão da bagagem). Talvez contratar um passeio em Natal com destino final à Pipa e contratar previamente um outro que tenha saído João Pessoa até Pipa para a volta até João Pessoa. Será que ficaria mais em conta? Alguma outra sugestão? O que acham? Abraços!
  4. DE NATAL A JOÃO PESSOA... Fala, galera! Sou do Rio e estarei indo com minha esposa fazer 15 dias pelo Nordeste agora em julho. Vôo de ida: Rio - Natal Terrestre: Natal - Aracajú Vôo de volta: Aracajú - Rio No primeiro dia tá tudo certo: fazer de buggy o tradicional litoral norte (Genipabú e Jacumã) e city tour noturno (agência ou táxi mesmo, a definir). No segundo dia é que está minha dúvida. Pretendo acordar cedo em Natal e fazer o litoral sul parando nos principais pontos e chegar no final da tarde ou início da noite em João Pessoa. Dúvidas: 1) Pensei em passar em Pirangi (cajueiro), Tibau do Sul e Pipa. Algum outro ponto imperdível? 2) Alugar um carro em Natal e devolvê-lo em João Pessoa traz conforto e liberdade de tempo, mas um custo total previsto (incluindo taxa de retorno e combústivel) de aproximadamente R$ 450,00. Alguém saberia dizer se eu consigo uma opção mais em conta contratando uma van ou táxi que me leve a todos estes pontos e me deixe em João Pessoa (ônibus seria inviável pela questão da bagagem). Talvez contratar um passeio em Natal com destino final à Pipa e contratar previamente um outro que tenha saído João Pessoa até Pipa para a volta até João Pessoa. Será que ficaria mais em conta? Alguma outra sugestão? O que acham? Abraços!
  5. Nesprido, no http://www.ilhagrande.org tem todas as informações necessárias, incluindo telefones e valores. Quanto a ir de carro ou de ônibus, depende do número de pessoas que vão contigo e da grana que quer/pode gastar. Lembrando que ir de carro te dará uma maior liberdade em termos de horário e te poupa de baldeações tipo pegar outro ônibus para ir e voltar da rodoviária. Eu adoro dirigir, mas tem gente que prefere não tocar no volante para viajar, podendo até achar estressante... De qualquer modo, sugiro que pense em Conceição de Jacareí para fazer a travessia. Abraço.
  6. Fala aí pessoal! Alguém já teve alguma experiência com os sacos estanques da Echolife? http://www.extra.com.br/EsporteLazer/Camping/AcessorioseEquipamentos/Saco-Echolife-Stank-Impermeavel-Azul-20-Litros-3789200.html?recsource=busca-int&rectype=busca-444 Saco 50 litros = R$ 39,94 ãã2::'> ãã2::'> ãã2::'> Por esse preço, fica quase a mesma coisa que comprar os materiais e construir seu próprio saco, como um post anterior sugere. Obviamente, eu nunca usaria para fazer um cannoying ou um rafting (e nem precisamos comentar sobre a maioria dos produtos vendidos no Extra ou da Echolife para aventuras maiores que um camping família de final de semana), mas acho que para levar as roupas numa travessia de alguns dias com mochila (e capa de mochila) nas costas rola... Claro que muitas vezes o barato sai caro. Sei que às vezes é melhor pagar mais caro para se ter determinados itens de maior qualidade e boas marcas que, caso contrário, nos farão falta em momentos cruciais. Por outro lado, muitas vezes também tenho a impressão que pagamos caro demais por produtos semelhantes de m arcas mais conhecidas, mas com a mesma funcionalidade de outras, ou seja, pagamos várias vezes mais caros apenas pela logotipo gravada no produto. Acho que um saco estanque a ser levado dentro de uma mochila, não precisa suportar milhares de mm's de coluna d'água numa travessia. E vocês, o que acham? Alguém já usou o saco estanque em questão? Abraços!
  7. Fala Elisa! Dá uma olhada aqui ( bastao-de-trekking-t9430.html ). Tem muita informação e tudo que precisa. Abraço!
  8. Só um detalhe, Patricia. Você relatou que seu marido dormiu sobre o isolante térmico e você no saco de dormir direto no chão da barraca e que quem sentiu frio foi você. O saco de dormir serve para mantermos o calor de nosso próprio corpo sem perder calor para o ar e não nos aquece e nem protege contra a perda de calor para o chão, daí porque você sentiu frio e seu marido não. Você citou que comprará um colchão inflável e um isolante de EVA. No caso, se for comprar o colchão inflável, não precisará de isolante térmico, já que o ar do colchão já te isolará da perda de calor para o chão. Outra coisa é que sua mochila ficará bem mais pesada... Basta comprar um isolante e usar o saco de dormir que já tem. Isso dependendo do tipo de saco que tem (para qual temperatura ele foi produzido para ser usado) e o clima que você encontrará na próxima aventura. Abraço!
  9. Fala, Patricia! Primeiramente, parabéns pela aventura e pelo relato! A trilha Santo Antonio X Caxadaço (trilha "não-oficial") certamente não é uma trilha para principiantes. Mesmo pessoas com maior experiência encontram dificuldades de orientação (especialmente no sentido Santo Antonio - Caxadaço), devido a inúmeras bifurcações pois as pessoas que perderam o caminho, foram abrindo novas "picadas" (aí os próximos trilheiros chegam a uma aparente bifurcação e vão por ali investigar, o que só contribui para abrir mais o falso caminho que não leva a lugar nenhum). Isso sem falar quando colocam uma sinalização de segurança neste caminho (que ainda não sabem que é falso), para poderem voltar ao caminho certo, e acabam não retirando a sinalização do caminho falso. Outro detalhe é que na maior parte a trilha se dá por mata fechada, com encostas íngremes, num clima tropical. Pronto, está formada a receita perfeita para que a trilha mude bastante ao longo dos meses e anos, já que deslizamentos de terra e quedas de árvores vão bloqueando o caminho conhecido, e novos precisam ser abertos, o que gera possíveis novas bifurcações. Como você disse, há trechos íngremes em barrancos e quedas potencialmente fatais podem ocorrer (ainda mais com cargueira nas costas, que ajuda a desequilibrar). Resumindo: é uma trilha que pode custar muito caro a curiosos e despreparados. Não que seja seu caso, já que tem bom preparo físico, alguma experiência e estava com o excelente livro do José Bernardo - Caminhos e Trilhas da Ilha Grande. Mas veja que mesmo assim ficou em apuros. Eu já fiz esta trilha nos dois sentidos e, mesmo com experiência e GPS na mão, em alguns momentos é preciso parar alguns instantes para decidir qual caminho seguir. Outro problema, muito grave por sinal, é realizar este percurso no verão, especialmente na parte da tarde, onde verdadeiros temporais e até mesmo deslizamentos de terra são frequentes. A quem quiser se aventurar a fazer esta trilha, sugiro muito preparo, nem tanto físico (embora seja relativamente exigido), mas principalmente de planejamento, dados de orientação e da parte psicológica. Bons calçados antiderrapantes são fundamentais. Outra coisa é preferencialmente fazer fora do verão e, caso vá fazer nesta época, verifique a previsão do tempo antes e comece bem cedo pela manhã (para minimizar chance de temporais durante a caminhada). Lembrando que é proibido acampar por lá. Então deixe suas cargueiras escondidas pelo mato para que não caia na fiscalização e deixe para armar as barracas já no início da noite, levantando acampamento ao nascer do sol. Não há descampado e as barracas precisam ser montadas sob árvores, o que num temporal é temerário um galho ou mesmo uma árvore cair sobre o acampamento durante ventanias (mais um motivo para não preferir o verão). Não devemos nunca temer a natureza, mas respeitá-la e planejarmos bem nossas aventuras, de acordo com os desafios que ela nos oferece. Abraços!
  10. Fala segaru! Segue o link do setor de vistos da embaixada do Canadá no Brasil: http://www.canadainternational.gc.ca/brazil-bresil/visas/index.aspx?lang=por Tem informações, telefones de contato e email. Se não conseguir as informações que precisa desta forma, não conseguirá de nenhum outro jeito... Abraços e boa sorte!
  11. Isso aí, Thaís, ônibus pra Angra. Mas, se nada mudou da última vez que fui, você paga um valor proporcional até C. Jacareí. Outra coisa: Palmas é uma praia com poucas opções de comércio, digamos que oferece pouca estrutura além do que há disponível no camping, mas muito contato com a natureza. Já Abraão tem bom comércio, várias opções de gastronomia (desde botecos, lanchonetes, restaurantes simples a restaurante com algum luxo), vida noturna (tem até uma boate) além de ser ponto de partida central para diversas trilhas e passeios de barcos variados. Detalhe, leve dinheiro, pois não há caixas eletrônicos na Ilha. Cartão também ajuda, pois a maioria dos lugares aceita, especialmente em Abraão. Se não conhece ainda a Ilha Grande, acho que estas informações podem te ajudar a ir para o local mais adequado ao que você está buscando, dependendo da sua opção. Abraços!
  12. Fala Thaís! É o seguinte. Tudo (ou quase tudo) que você precisa saber sobre Ilha Grande você encontra no www.ilhagrande.org Mas respondendo sua pergunta, acho Conceição de Jacareí a melhor opção para a travessia. Além de mais perto da Ilha Grande, não tem o balanço do mar de quando se vai por Mangaratiba quando passa pelo canal, especialmente em dias de mar virado. Você consegue embarcação para Palmas ou, na pior das hipóteses, ir até Abraão e de lá pegar outra, ou então encarar a trilha. Caso a grana esteja curta e, além disso, você não esteja disposta a subir a trilha Abraão-Palmas, talvez Mangaratiba seja a melhor opção para uma travessia marítima direta. Quanto ao camping em Palmas, se não for feriadão, te aconselho chegar lá e escolher com seus próprios olhos. Caso seja feriadão, pode ser uma boa ideia reservar antes. Espero ter ajudado. Abraços!
  13. Fala Hugo, só um detalhe... Esse saco (Orbit -5) é específico para se utilizar em temperaturas negativas (0 graus conforto; -5 limite; -23 extremo). Significa dizer que, aqui no Brasil, você só conseguirá utilizar no inverno e, ainda assim, em poucos lugares nesta época, como a Mantiqueira, Itatiaia, Serra dos Órgãos, Serra Gaúcha... Se estiver pensando num saco para estes locais no inverno, ele é o saco ideal e melhor custo-benefício. Caso contrário, você não conseguirá utilizá-lo. Ontem, dentro do meu quarto com ar condicionado no máximo, apenas o movimento necessário para testá-lo, entrando nele, ajustando zíperes e colar, me fez suar em bicas. Para utilizá-lo em situações de temperatura positiva (acima de 0 graus), talvez só com o zíper aberto e, mesmo assim, imagino que acima de 10 graus não será confortável (ou mesmo possível) ficar dentro dele. Melhor mesmo ter pelo menos 2 sacos: um para temperaturas negativas e outro para nosso clima na maior parte do tempo. Neste caso, o mais leve e compacto possível... Abraços!
×
×
  • Criar Novo...