Ir para conteúdo

narabarreto

Membros
  • Total de itens

    14
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre narabarreto

  • Data de Nascimento 18-08-1984

Bio

  • Ocupação
    Psicóloga
  1. Decididamente tenho que expandir minha bolha e esticar o passeio por essas outras regiões, né? Já estou planejando tudo pro próximo semestre! Conto pra vocês quando rolar! Valeu, gente!
  2. Meus amigos, acreditem em mim: NUNCA, em hipótese ALGUMA, deixem algum "guia" levar o carro de vocês por trilhas ou dunas. É receita certa pra dor de cabeça. Se o carro for seu, então, PASSE LONGE!
  3. Pooooooxa, Pedrada!! Quantas dicas legais!! Essa parte cultural de BSB tbm me encanta muito e, de fato, tive oportunidade de ver muita coisa bacana.. Mas pelo visto, tenho que voltar muitas outras vezes pra dar conta de tudo que rola, né? =) Falei pro meu noivo da tal trilha.. ele SURTOU!! Disse que na próxima promoção a gente vai de novo, especialmente pra conhecer essa parada! hehehehe.. Abração!!
  4. Maria Emília, Adoro Brasília, mas quero um dia ir só pra visitar os lugares próximos, como a Chapada e Pirenópolis! E eu fui ao Jardim Botânico! Na verdade, foi um dos locais que eu mais gostei.. =) Abraço!! B.G., Correção feita!! Brigadão! Acredita que já fui umas 4 vezes pra BSB e nunca consegui ir p/ Torre de TV? Um crime, né? Todo mundo fala super bem.. mas nunca deu certo pra mim. Da próxima, vai ser o primeiro local que vou visitar! =D Abração!
  5. danibrasil, desculpa ter pedido o tempo hábil de resposta! =/ De qualquer forma, pra quem quer se hospedar em Sobral, recomendo o Ytacaranha, da Meruoca mesmo. Existem uns dois hotéis em Sobral, ambos terríveis e caros.
  6. Que relato bacana! Fico sempre feliz lendo um roteiro tão detalhado!! Com certeza incluirei Canindé na minha próxima viagem pela Chapada. Parabéns!
  7. Nossa.. Que pena que você não gostou mais de Fortaleza, viu? Eu concordo com você: falta um bocado pra essa cidade ser um local verdadeiramente receptivo pra quem vem de fora. Eu me revolto muito com isso, porque acredito que tudo aqui tem muito potencial. Mas vou fazer uma observação: você deu azar com os restaurantes, viu? Hehehehe.. Esses locais "turísticos" são grandes furadas!! Essa Crocobeach, especialmente, me dá vontade de sair dando gritos de alerta: NÃO CAIAM NESSA! NÃO CAIAM NESSA! =P Na verdade aqui tem muito lugar bom pra comer.. Incluindo o Dragão do Mar, com a fantástica pizza do Amiccis e o cardápio regional do Café Santa Clara. Da próxima vez pede umas dicas aqui no site (pros da terrinha, de preferência). =) Abraço!
  8. Antes de qualquer coisa... Brasília é um lugar muito legal. Não consigo entender porque as pessoas que eu conheço e que moram lá reclamam tanto! A cidade é limpa, estruturada, relativamente segura (ênfase no "relativamente", por favor)... Enfim... Eu adoro e vou sempre que posso! =) Dessa vez fui com meu noivo e resolvi conhecer as coisas que faltavam e que, pelo visto, passam em branco pra muitos turistas. Devo esclarecer que meu noivo é "passarinheiro" (AKA fotógrafo de passarinho), então nossos passeios foram muito voltados pra isso. Voamos TAM (benditas promoções!) e as passagens saíram por R$ 500,00. Vôo direto saindo de Fortaleza, rapidinho (2h20) e com um serviço de bordo decente. Não ficamos em hotel porque meu irmão mora por lá e o ap dele fica no plano piloto, bezadeus. Chegamos dia 13/06/11, às 6h e ficamos até o dia 18/06. Não tiramos muitas fotos simplesmente porque vivíamos esquecendo a lente adequada em casa. Uma pena.. tinha muita coisa linda pra registrar! =~ O que você precisa saber antes de ir... - BSB é um lugar muito lindinho e tal, mas uma coisa é certa: é o inferno dos pedestres. Não dá pra andar a pé em canto nenhum, atravessar o eixão é o mesmo que pedir pra morrer e ônibus parece ser uma coisa muito rara por lá, pois contei 3 a viagem todinha. Taxi é caro mesmo e as coisas são bem afastadas.. Moral da história: se der, alugue um carro. Alugamos o nosso assim que chegamos e pagamos R$ 700,00 pelos 5 dias com km livre + GPS (fundamental!). Tem empresas mais baratas e, se você alugar pela internet com antecedência, sai bem mais em conta. Gastamos R$ 100,00 de combustível. - Dá pra andar de carro tranquilo... Depois que você pega a manha das "tesourinhas" e dos eixos, tá tudo certo! Muito mais fácil entender um lugar com ruas numeradas, né? - O clima é seco MESMO e eu, cearense, sofro demais com isso. Minha boca fica ferida e minha garganta dolorida.. Minha sugestão é batom de cacau e protetor solar (mesmo no tempo mais frio). Beba muita água, mesmo sem ter sede. Seu organismo agradece. - Na minha opinião, tem duas coisas excepcionalmente caras em BSB: moradia e shows. O resto é igual ou mais barato que aqui: restaurante, feira, combustível.. Claro que tem lugares caríssimos - todo canto tem - mas tudo que eu vi/frequentei, achei bem acessível. Por onde andamos... - Parque Nacional de Brasília: Meu lugar favorito, sem dúvida. Com uma extensa área verde, é o lugar ideal pra quem gosta de caminhar e, ora bolas, pra quem gosta de passarinho! São duas trilhas, uma curtinha e tranquila e outra mais complexa. Existem também duas piscinas de água mineral (piscina nova e piscina velha) e as pessoas usam mesmo! Reza a lenda que ir no final de semana é uma furada pela quantidade de gente, mas fomos 3 vezes durante a semana e sempre esteve muito tranquilo. De manhã cedo, o pessoal da terceira idade vai nadar e fazer hidroginástica, mas depois das 10h a maior parte é de gente jovem mesmo, casais e turminhas pequenas.. A água é uma delícia, mas muito, MUIIITOOO gelada! =P Tem uma lanchonetezinha perto da piscina velha e vi que serviam até pastel com caldo de cana e água de coco.. hehehe.. O preço pra entrar no Parna (a íntima) é R$6,50 por pessoa. O lugar tem salva-vidas, ambulatório médico e vestiários. Abre todos os dias, a partir das 7h. - Jardim Botânico: É muito amor! As pessoas podiam ter um carinho maior com esse cantinho tão gostoso.. Mas ainda assim, mesmo com alguns probleminhas estruturais, andar no Jardim Botânico de BSB (ou pedalar, se tiver a chance) é um programa divertido e que pode render uma manhã inteira. Pagando R$ 2,00, aquele pedaço de céu é seu e só seu durante a semana. Não tem viva'lma pra atrapalhar seu passeio, seu piquenique e sua passarinhada, claro. Fiquei com pena de ter perdido o festival das orquídeas, mas deixa pra próxima. Se você tiver a sorte de topar com um tamanduá, por favor, me avise.. Abre de terça a domingo, a partir das 8h. - Parque Ecológico Dom Bosco: Aqui só vai quem mora perto ou quem.. bom.. gosta de passarinho. É um parque pequeno, numa região muito phyna da cidade (Lago Sul, um beijo), nas margens do Paranoá. A vista é linda, mas a vegetação é cerrado limpo e puro, então não espere o verdinho bonito do Parna. Tem um mirante, com uns banquinhos e uma capelinha (abandonada, pelo visto).. mas o parque todo é um grande mirante, na verdade. Eu gostei.. Achei simpático pra fazer uma caminhada tranquila. Esse é de graça e abre todos os dias. Não deixe o GPS te enganar: não vá por outro caminho que não seja pela ponte JK. Além de ser mais rápido, é muito gostoso passar por aquela ponte, ó? Hahahaha.. Eu adoro! - Parque Olhos D'Água: Esse é bacaninha.. e só. Fica na Asa Norte (na 413 tem uma entrada) e é de graça e abre todos os dias. Muita gente caminhando (muita mesmo), então nem foi tão bom pra encontrar nossos passarinhos. Tem um laguinho com uns banquinhos, bom pra namorar e ficar olhando pro tempo. Meu noivo foi 3 vezes pra lá, mas uma bastou pra mim. - Parque da Cidade: Bom.. Aqui é complicado. Muita gente gosta desse parque, mas eu não. Acho sem graça mesmo, sei lá.. Antipatia gratuita talvez. Duas coisas eu gosto: o kart e o parquinho. Meu lado criança (80% diga-se de passagem) simplesmente não resiste. Andar de kart é bem carinho, mas a estrutura é adequada e, pra quem gosta, vale a pena. O parquinho é INHO mesmo, mas é barato e divertido (R$ 5,00 cada brinquedo, mas tem pacote pra ir em todo também. Acho que custa R$25 ou R$30). O pessoal gosta de ir andar de bicicleta por lá.. Não deu preu ir, mas quem sabe da próxima? - Zoológico: Eu nunca consegui decidir se acho zoológico um lugar deprimente ou divertido. Acho que um pouco dos dois, né? Fomos dois dias pra conseguir ver tudo do nosso jeito, com calma e passarinhando. O segundo foi ainda melhor que o primeiro: acho que era dia dos namorados pros bichos de lá! hehehe.. O zoo é enorme e, pros mais preguiçosos, dá pra entrar de carro e ir parando perto dos locais que interessam. Mas bom mesmo é bater perna e perder uma hora todinha comendo pipoca, sentado embaixo de uma árvore, vendo as capivaras perambulando soltas ou interagindo com os macacos. Tem elefante, girafa, onça pintada, tigre branco, rinoceronte, leão... Alguns bichos não estão num estado muito legal de ver, infelizmente. Tem umas lanchonetes pequenas pelo lugar e alguns pipoqueiros circulando a área. Muita gente leva lanche de casa e faz piquenique. A entrada custa R$ 2,00. - Feira dos Importados: Tá.. Não é um passeio ecológico. Acontece que material pra passarinhar é caro, meu povo, e a gente achou que lá ia encontrar algumas coisas legais e mais baratinhas. Tô doida por um binóculo bacana.. Doce engano. O máximo que encontramos foi um colete camuflado pro meu noivo (R$120,00 é um preço melhorzinho). Agora, além de passarinheiros, somos quase-casados também, né? E lá na feira tem um bocado de coisa pra casa, de porta-tempero a garrafa térmica. Acabou que também não levamos nada pra casa.. e, tirando o milho assado que eu comi, foram duas horas jogadas fora. É uma infinidade de gente, de carro, de barulho, de empurrão.. Não, brigada. Dispenso. Comida, comida, comida... Se tem uma coisa que eu gosto de fazer, é comer. E toda vez que viajo, procuro comer coisas que não tem na minha cidade (o que não é difícil MESMO). Brasília, na minha humilde opinião, é um lugar lindo pra quem gosta de comer bem.. Tem de tudo, de todo preço, em todo lugar. Dessa vez não pude exercitar meu turismo gastronômico pois a grana tava curta (casamento, casa.. sabe como é, né?) e, afinal, eu tava na casa do meu irmão! Nada melhor que chegar e ter um almoço caseiro quentinho esperando você! Então, dessa vez eu fui ao: - Boteco: Tem um (dois, aliás) igualzinho aqui em Fortal City. Mesmo cardápio, mesma estrutura... e mesmo preço salgadinho, salgadinho. Agora eu tenho que admitir: nunca encontrei uma coxinha de caranguejo mais gostosa que a do Boteco. E, meus amigos, eu tenho procurado! Eu e o noivo pagamos algo em torno de R$80,00 por algo que nem se parecia com um jantar, mas, enfim, era a primeira noite e a gente tava acompanhado de outro casal que adora aquilo ali. Paciência. - El Paso Texas: E quem não gosta de comida mexicana, né? Aqui em Fortaleza tem uns 3 restaurantes, mas nenhum igual a esse. É bonitinho demais!! A decoração e ambientação são (muito) temáticas e a comida é boazinha. Digo "boazinha" porque tem coisas realmente boas e outras nem tanto, como o chilli, por exemplo. Uma boa é pedir um drink pra abrir o apetite. É caro, mas as frozens margaritas são deliciosas! O buffet pra comer a vontade custa R$ 29,00 e os drinks custam em média R$ 14,00. Tem à la carte, pra quem não come muito. - Outback: Bom.. Toda vez que vou pra BSB ou Salvador, faço esse pit-stop. Não tem Outback em Fortaleza (apenas similares, como o famoso Outbebe e o tão-bom-quanto Boomerang) e eu sou muito fã daquilo ali. Pelo menos ERA. Dessa vez, como diz o pessoal da minha terra, peguei abuso. Comi tanto que passei mal. Pagamos R$ 104,00 (3 pessoas comendo até cair). - Fogo de Lenha: Self-service mineiro (eu acho) na Asa Sul. Paramos lá por acaso, na volta de um dos passeios. Eu tava azul de fome e detestei a comida: péssimo sinal, hein? Meu noivo achou normal.. Eu não recomendo. Comida fria, sem gosto.. mas barata. Pagamos algo em torno de R$ 30,00, com bebidas. - Brasil Cacau: Pra tirar o gosto da comida anterior, atravessei a rua e fui tomar um chocolate-quente nessa lojinha. Gostei! Aproveitei e comprei uns doces pra experimentar. Meu noivo tomou um sorvete de chocolate com maracujá. Tudo deu uns R$ 25,00. - Amor aos Pedaços: Aqui eu parei pra comprar uns doces também. Recomendação de uma amiga: "você vai endoidar com os docinhos!!". Dito e feito. Menção honrosa pro casadinho (que lá tem outro nome) e pro bolinho de chocolate (que tem uma cobertura de açúcar caramelado que gruda nos dentes). R$ 2,50 cada docinho. - Xique-Xique: Ahhhh.. Agora sim!! Ô comidinha boa! Pedimos um prato de carne de sol (carne seca?), que veio muito bem acompanhado de macaxeira cozida (com manteiga da terra.. huummm), feijão verde, arroz e paçoca (salivando aqui..). Tudo delícia! Quatro pessoas comeram e ainda sobrou carne. Não sei quanto foi a conta, meu irmão que pagou, mas diz ele que não é um lugar caro. - Pedacinho do Céu: Pizzaria simpática. Vende pizza inteira em vários tamanhos ou só a fatia. Pedimos duas pizzas grandes (4 pessoas) e tomamos cerveja. Das que provei, nenhuma era destaque... Mas tava tudo gostosinho. A conta deu R$ 44 pra cada casal. - Saborella: Ok.. Essa foi cara. E muito! Meu irmão indicou dizendo que era um dos melhores sorvetes em BSB. Eu não achei tão bom... Tomei um duplo de de cookie com chocolate (de São Tomé e Principe, como se isso o deixasse mais gostoso). Cada sorvete duplo custa uns R$ 15,00 e, eu não sei aí onde vocês moram, mas aqui isso é um verdadeiro absurdo. A conta toda deu R$ 50,00. Enfim.. Foi basicamente isso. Muito bom voltar a postar depois de tanto tempo. Tô devendo o relato da viagem pela Europa e algumas praias daqui.. Um dia sai. Té a próxima!
  9. Esqueci de dizer que, uma vez em Fortaleza, tem a o Beach Park (R$100) que é shoooooooow de bola! Tem também o Museu da Cachaça em Maranguape, que agora é Y Park (de R$16 a R$45), que também é muito bacana!! =)
  10. Eita, Bruna.. Essa viagem vai ser um sucesso, hein?? =DD Bom, fiz de carro pelo litoral Fortaleza (CE) - Morro de São Paulo (BA) e foi umas das experiências mais fantásticas da minha vida. No entanto, como não prolonguei minha estadia por mais de dois dias em cada local (exceto na Praia do Forte - BA), não me sinto apta a dar informações precisas.. Maaaas posso te falar algumas coisas daqui do Ceará.. =) O Ceará tem praias lindas e fica difícil escolher o que indicar, mas se fosse pra apontar um ou dois MUST VISIT, com certeza seria Jeri e Canoa, que estão no seu roteiro. Jeri é um lugar indescritível pela beleza, pelo mar calminho, pela energia que rola no lugar... Tanto faz ir no final ou durante a semana, Jeri nunca para. Não deixe de comer um pão quentinho com café na padaria Santo Antonio, que só abre as 2h da matina. Com R$4 vc faz um lanche revigorante! Se der tempo, faça os famosos passeios pra conhecer as lagoas que tem por perto, mas nem se iluda com a Pedra Furada (minha opinião, claro). Ahh.. na Rua do Forró tem uma barraquinha bem arrumadinha que vende um pastel de camarão diliciaaa e baratinho.. sem falar nas caipirinhas deliciosas, incluindo a de banana! Mas caipirinha em Jeri faz até lama, principalmente de noite na rua principal. Pra chegar em Jeri é que fica um pouco complicado pra quem vai de carro. Talvez fosse melhor deixar o carro na Praia do Preá ou em Jijoca e ir pra Jeri de jardineira. Canoa é a minha queridinha. Sou completamente apaixonada por ela!! Se der, tenta ir no final de semana que é mais animado.. Sem falar que rola lual na Freedom (barraca de praia) e o clima é perfeito pra bem dizer qualquer coisa que vc tenha em mente: namorar, paquerar, dançar, conhecer gente nova.. ou simplesmente sentar na areia e curtir a vibe! Tbm sugiro que vc se informe sobre o passeio de buggy aé a tirolesa.. é muito lindo e com certeza vale a pena! Pra comer, tem restaurante pra todo bolso. Eu costumava almoçar no Skorpions, na rua principal, na época em que o bolso era quase vazio. Lá tem uma moqueca de arraia bacaninha e bem servida, que hoje deve sair menos de R$20 pra duas pessoas (com arroz, feijão, salada e batata-frita). Se o bolso não reclamar, sugiro o Costa Brava e o Ibiza, boa comida com preços justos. Pra chegar em Canoa é super fácil, difícil é aguentar os buracos na estrada até lá... Cruel a situação, viu? Mas dá pra fazer, de preferência com a luz do dia. Em Aquiraz só peço que vc tome cuidado pra não levar jóia, máquina, ou qualquer outra coisa de valor até a praia. Iguape/Presidio são as que eu mais frequento (pq meu namorado tem uma casa no Presidio e pq é muito perto de Fortaleza) e eu cansei de ouvir relatos de assalto, inclusive dos meus pais. Não tem muito o que ver por lá, mas pra quem gosta de praia e se contenta com um bom banho de mar, assim como eu, vale o descanso. Se for pra ficar hospedada, sugiro o Hotel Donana, quem tem uma diária salgada (acho que todos ali tem o mesmo preço), mas tem boa estrutura, comida excelente.. e um caranguejo muito bom! Se for no final de semana e quiser rir MUITO, sugiro que vá no restaurante Brilho da Lua, na praia do Iguape, onde todo sábado rola uma seresta bem animada (comandada pelo próprio dono) só com músicas dos anos 60, forró, brega, etc. É uma graça!! Só não vale jantar por lá pq a comida é bem ruim.. mas a cerva é gelada! Aquiraz é praticamente dentro de Fortaleza e a estrada é tranquila até as praias. Dá pra ir de noite, mas falta iluminação em alguns pedacinhos da pista.. cuidado. Fortaleza é uma ótima cidade pra turistas de curto período. Tem coisas interessantes pra fazer, como procurar pontos históricos pelo centro da cidade, conhecer o Mercado Central, visitar o Centro Dragão do Mar, fazer compras na Monsenhor Tabosa, comer um caranguejo dia de quinta-feira na Praia do Furturo, etc. Então deixa eu dizer os meus favoritos: - O Mercado Central é uma belezinha.. E eu nem sou turista, hein? Bolsas, sandálias e roupinhas bacanas por preços ainda mais bacanas. Tomar um suquinho natural depois de enfrentar o calor.. êê beleza.. - Tomar um capuccino, comer um cuscuz com carne de sol, ou provar qualquer outra delícia do Santa Clara Café, no Dragão do Mar, depois de rodar o Dragão do Mar todinho. Ainda por lá, talvez jantar uma pizza no Amicis ou tomar um chopp de vinho no Bixiga. Na mesma região, tem festas ótimas na Órbita (meu lugar favorito, principalmente na quinta-feira), no Amicis e no Acervo Imaginário. - Comer caranguejo na Praia do Futuro, especialmente na quinta-feira, pode não ser um programa baratinho.. mas vale a pena!! - Fazer o passeio de barco, partindo da Beira-Mar (R$25, eu acho). O final da tarde é o horário ideal pq vc curte o passeio, toma uma cervejinha, dá um super mergulho MUITO gostoso em alto mar e depois volta assistindo o pôr-do-sol, com uma vista fantástica da cidade. ATENÇÃO: Banho na Beira-Mar só se for assim, viu? Sério mesmo.. - Passear pela Beira-Mar de tardezinha também pode ser agradável. Tem uma feirinha enorme, alguns artistas de rua.. Mas o número de pedintes deixa uma falha considerável no passeio.. Fortaleza oferece muita coisa, as vezes até desconhecida pra quem mora aqui.. Não é uma cidade muito segura, mas dá pra turistar legal, sem grandes problemas, se vc tiver o cuidado necessário. Qualquer dúvida, me disponho a te ajudar como eu puder! =) Boa viagem!
  11. Eu, meu namorado e mais um casal de amigos resolvemos fazer uma viagem até a Serra Grande (ou ainda Serra da Ibiapaba) para conhecer algumas trilhas. Deixa eu explicar pra quem não conhece (roubando info do google, claro): A Serra da Ibiapaba serve de divisa entre os estado do Ceará e Piaui. Saindo de Fortaleza pela BR-222 (passando por Sobral, rumo a Teresina), rodamos uns 300km até chegar em Tianguá. A viagem é relativamente rápida e tranquila, com uma estrada razoavelmente bem cuidada... Ainda assim, vale lembrar que dirigir durante a noite não é uma boa idéia por aqui. Vimos uns acidentes sinistros no caminho, todos envolvendo caminhões. CONSIDERAÇÕES GERAIS: - Dessa vez não levei meu caderninho, então não lembro o nome de alguns restaurantes e alguns preços estão meio que "por cima". - Também não estava com a minha máquina (e detesto usar a dos outros), então não bati tantas fotos quanto gostaria. Então... Dia 1 - SOBRAL E TIANGUÁ Saímos de casa bem cedinho e pegamos a estrada, decididos a parar em Sobral para tomarmos café da manhã. Uns 30 minutos antes de entrar na cidade, eis que nos deparamos com a primeira aventura: um homenzinho na estrada, vendendo um tatu! Paramos o carro imediatamente. A ideia era comprar o bichinho e soltar bem mais adiante... Só que quando o cara se aproximou, vimos que atrás dele tinha um saco CHEIO de animaizinhos! Ele correu até o carro pra nos mostrar a "mercadoria" (o pobrezinho do tatu estava costurado com arame pra não sujar o carro dos fregueses, mas ainda estava vivo). Percebemos que não ia adiantar nada comprar aquele e soltar.. então, enquanto meu namorado ganhava tempo perguntando o preço, nosso amigo no banco de trás ia preparando a máquina fotográfica o o GPS para registrar a área. Tentamos argumentar e pedimos que ele soltasse os animais.. Ele apenas riu e disse "pague que eu solto". Nessa hora, meu namorado disse que era do IBAMA, que não queria confusão e que se ele soltasse os bichos, não haveria problemas. O cara ficou pálido de medo, disse que ia buscar um saco pra gente levar, e saiu correndo pelo mato em disparada com os animais. Batemos fotos da casa dele e registramos a posição no GPS. Meu namorado não trabalha no IBAMA (dããã), mas nosso amigo é biólogo e tem vários contatos.. Então ficou fácil entregar esse material pras pessoas responsáveis e estamos na esperança de ter dado em alguma coisa. PEDIDO: Não deixem de denunciar quando encontrarem situações desse tipo! O IBAMA tem muitos problemas, mas muitas vezes é a nossa omissão que atrapalha maiores resultados... Ninguém pode ficar calado diante de tanta crueldade e descaso. Bom.. chegamos em Sobral depois de 2h30 de viagem. Sobral é uma cidadezinha muito agradável, toda bonitinha... só que é quente pra desgraça. Fomos tomar café na padaria Pão e Cia, perto do famoso Arco do Triunfo. Recomendo o pão doce (R$ 2), enorme e delícia. Tudo muito gostoso e muito baratinho. Queríamos passar na lanchonete Fino Sabor (que vende uns doces e salgados MA-RA-VI-LHO-SOS, mas ainda estava fechada. De Sobral até Tianguá, levamos 1h (indo com calma e parando pra bater foto de passarinho). De cara, achei Tianguá muito sem graça. É conhecida como a principal cidade da Serra Grande, mas achei pouco movimentada e sem grandes opções de lazer. Ficamos numa casinha que pegamos emprestada com um amigo, então dessa vez não posso nem recomendar hotel/pousada. Nesse primeiro dia fomos conhecer uma RPPN (reserva particular do patrimônio natural) mantida pelo Serra Grande Hotel de Tianguá. É muito lindo! Dá pra fazer umas trilhas curtinhas que levam até duas cachoeiras. Tem um mirante que é uma belezinha.. Tudo muito verde, muito tranquilo... Depois fomos até Ubajara (uns 15km de Tianguá), conhecer nosso menor Parque Nacional (porém, não deixar de ser lindo). Lá é tudo muito organizadinho: tem horários definidos para as trilhas guiadas (e tem trilha para todas as idades), uma lanchonete arrumadinha e uma vista INCRIVEL de tão linda. O Parque tem um bondinho que leva os visitantes até a famosas gruta, que possui formações naturais muito bonitas. Preço por pessa: R$ 8. Maaaas.. ainda não era o momento! Voltamos para Tianguá e fomos almoçar numa churrascaria. Comemos muito e fomos muito bem atendidos. O garçom fez a gentileza de ir comprar uma banana só preu poder comer com paçoca! Hahaha.. adoroooo banana com paçoca!! Aliás, paçoca nessa região é indispensável... Muito bom!!! Pagamos uns R$ 60 ao todo (4 pessoas). Andamos no centrinho (nunca vi tanta loja vendendo coisa de plástico como aqui) e tomamos picolé na pracinha. Voltamos pra casa pra tirar um cochilo. A noite resolvemos sair pra jantar. Fomos ao restaurante Yakissoba e detestamos. Claro que não pedimos o sushi, pois já tive experiências dramáticas comendo em locais desconhecidos, mas os outros pratos foram horrendos. O cardápio oferecia vários itens, mas quase tudo indisponivel. O yakissoba (de miojo) não tinha legumes, a cerveja era quente, o camarão ao alho e óleo mais parecia ter areia dentro... um terror. Fomos até uma pizzaria bem simples ali perto e nos surpreendemos. Atendimento fantástico (garçons educadissimos), preços baixissimos.. e a comida uma delícia. Pedimos um calzone a moda da casa (tradução: um que tinha de tudo um pouco dentro). Tinham vários tamanhos no cardápio, de PP a GG. Arriscamos no GG achando que daria pra beliscar tranquilamente. Gente.. o negócio era enooooooorme. Uma super pizza extremamente recheada, dobrada ao meio. Caimos na risada.. Levamos o troço pra comer em casa. Rendeu um jantar e um almoço pra nós 4! =P DIA 2 - UBAJARA e VIÇOSA DO CEARÁ Acordamos cedinho e voltamos ao Parque Nacional de Ubajara. A idéia era fazer uma trilha, de pouco mais de 7km, até a gruta. Queríamos fazer com calma, aproveitando tudo, então convencemos um guia a nos acompanhar com exclusividade. Foi uma aventura e tanto! A trilha não é das mais impossíveis (embora tenha trechos ingremes e escorregadios), mas a chuva veio e alguns problemas (e quedas) foram inevitáveis. No entanto, tudo é muito lindo.. as cachoeiras, a vista... e até conseguimos encontrar alguns animaizinhos bacanas (macaquinhos, um porco-do-mato, alguns pássaros bonitos, etc.). Valeu demais! Chegamos super cansados, molhados e cobertos de lama da cabeça aos pés.. e não entramos na gruta. Só pode entrar de 12 em 12 pessoas, e havia um verdadeiro batalhão esperando na entrada. Sempre há uma próxima vez... e nossas pernas não aguentavam mais nada! Ainda fomos bater na tal cachoeira do Boi Morto (uns 11km do centro), mas achamos tão absurdamente sem graça que resolvemos voltar pra casa e descansar. De noite fomos conhecer Viçosa do Ceará (30km de Tianguá). Nos apaixoamos!! A cidade é muito linda, toda ajeitadinha, limpinha... uma graça!! Fomos até a Igrejinha do Céu (o nome diz tudo, parece que estamos nas nuvens, é o ponto mais alto da cidade!) e ficamos por lá até de madrugadinha. Conhecemos o Ponto da Cultura (umas lojinhas interessantes, cheias de história) e jantamos maravilhosamente bem no restaurantezinho que tem lá. Incrível como tudo é muito baratinho, desde as lembrancinhas nas lojas aos pratos no restaurante. Tudo muito gostoso também! Comemos e bebemos MUITO e pagamos menos de R$80 (4 pessoas). Ningém queria voltar pra Tianguá depois de ver Viçosa.. Voltamos com o coração partido. Pra chegar na Igrejinha existem duas opções: de carro ou subindo os mais de 330 degraus, apreciando as estações da Via-Sacra e uma vista maravilhosa da cidade. Como estava escuro e muito frio, optamos pelo carro.. até porque ninguém sabia como ia ser pra descer tudo isso depois das cervejinhas. Ficamos sabendo que Viçosa tem muita coisa linda pra conhecer: cachoeiras, poços, canyon, etc. Mas não deu... Com certeza voltaremos pra explorar mais. DIA 3 - SÃO BENEDITO e MERUOCA Acordamos cedinho, colocamos as tralhas no carro e zarpamos para São Benedito (uns 40km de Tianguá). A idéia era parar em num hotel charmosinho chamado Inhuçu pra tirar umas fotos de passarinhos e tomar café da manhã. São Benedito é ainda mais friozinho que Viçosa e a neblina tava com tudo quando chegamos, às 9h. Realmente, o hotel é muito lindinho e muito calmo. Ficamos um pedacinho por lá e tomamos o rumo da Serra da Meruoca, já voltando pra nossa terrinha. No caminho, quase saindo de São Benedito, vimos um muro pintado: "Vendemos morangos e geléia de morango". Não deu outra. Paramos, compramos 2 caixas cada um (R$3 a caixa) e um pote grande de geléia caseira cada um (R$4 a unidade). Foi a farra do morango... Ainda dava pra ter ido conhecer a plantação, mas o tempo tava passando e ainda tinhamos uma parada. Chegamos na Serra da Meruoca às 13h e fomos direto para o Ytacaranha Hotel de Serra. Minha familia tem casas na Meruoca, então já rodamos bastante por lá.. Mas nunca tinhamos ido ao hotel. É bem bacaninha, grande, meio velho e com uma decoração duvidosa.. Mas a comida é super gostosa e os preços baixinhos. Por exemplo, o foundue (carne, queijo ou chocolate) custa R$18 e um prato de salmão pra duas pessoas custa menos de R$30. Vale a pena... Depois do almoço, mais fotos de passarinhos (meu namorado é viciado em ornitofauna) e voltamos pra casa. Viagem foi corrida, pois realmente não tinhamos muito tempo pra ver tudo. Faltou muuuuuita coisa. Ainda assim, fica o registro pra quem tiver interesse. Gasto total com gasolina: R$ 250 (mas rodamos muito, muito mesmo). Té a próxima!
  12. Brigadão, gente!! Sem dúvida serviu de experiência.. e agora eu sei onde buscar ajuda, né? hehe..
  13. Eu moro em Fortaleza e sou apaixonada por praia.. Vou dizer quais são as minhas favoritas. Canoa Quebrada - É um lugar lindo, com uma vibe muito alto-astral! A praia é ótima.. e a vida noturna é ainda melhor! Além da rua principal com os barzinhos (tem pra todo gosto - reggae, forró, rock, etc.), acho que ainda rola lual na barraca Freedom (tem um tempinho que não vou por lá, mas ainda deve ter. É tradicional demais pra acabar assim..). As pousadas tem grande variação de preço, por isso pesquise bastante. Jeri - É o paraíso, na mina opinião. Pelo menos por enquanto.. já que nosso dignissimo governador vai construir um aeroporto por lá. Maaaass.. além de Jeri, vá até Tatajuba, Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso. Tô pra ver passeios mais agradáveis.. Jeri tbm tem preços variados pra hospedagem. Quem passa mais de 1 semana por lá tende a alugar uma casinha de pescador, pra ficar mais a vontade. Icaraizinho de Amontada - Pedacinho do céu.. lindo demais! Aqui eu recomendo a Pousada Água de Coco.. Talvez um pouco cara (R$120-R$150), mas vale muito a pena! A praia é muito traquila.. é pra quem quer descansar mesmo. Fica pertinho de outra praia bacana, Almofala, que tem uma base do Projeto Tamar. Vale muito a pena fazer um bate-volta se vc tiver de carro. Mundaú-Flecheiras-Guajiru - São 3 praias lindas, vizinhas (vc pode ir a pé de uma a outra pela beira da praia, se tiver disposição), que não são tão distantes da capital. Guajiru é a mais afastada das 3, a mais isolada. Pra quem gosta de kite, é o lugar ideal por causa do vento.. Mas nessas 3 praias, o mar parece uma piscina.. muito calmo, mesmo com maré cheia. Em Mundaú recomendo a pousada Caboco Sonhador e a Pousada das Marés. Presidio-Iguape - São as praias mais próximas daqui.. Eu vou quase todo final de semana com meu namorado, quando quero relaxar. Não são nem de longe as mais bonitas, mas existem certos pontos que são pequenos paraisos, com piscininhas formadas pela maré que proporcionam um banho maravilhoso. Na frente da Pousada Jangadeiro (Presidio), por exemplo, é o onde o pessoal vai mais.. Mas se vc se informar, te indicam outros pontos ainda melhores. Agora, como são as mais próximas da capital, é bom tomar cuidado. Existem alguns relatos de assalto na região.. Melhor ficar em hotel em vez de alugar casa e nunca sair com joias ou máquina fotográfica que chame atenção. Triste isso.. mas é verdade. Taíba e Lagoinha são próximas também. Lagoinha é mais agitada, mas eu prefiro a Taíba que é pequena, mas o banho é mais gostoso. Eu moro em frente a Beira-Mar.. e não gosto nada, nada dessa praia. O cheiro é ruim!! Mas eu recomendo o passeio de mini-iate que leva até o Marinas. Custa uns R$15 ou R$20 e dura 3 horas. Ali sim dá pra tomar um banho de mar mais gostoso.. pq se distancia bastante da praia, é mar aberto. A Praia do Futuro é um inferno. Inferno de gente, inferno de ambulante.. pra mim é insuportável. Mas eu sou daqui.. é normal. Pra quem vem de fora talvez seja uma boa. Tem umas festas que fazem sucesso com os turistas e todo mundo parece gostar, com forró e pagode. E.. é isso. Se eu puder ajudar com qualquer dúvida, será um prazer! =)
  14. Comecei a pesquisar no mochileiros.com dicas para meu mochilão pela Europa em 2010.. Achei tão fantástico que resolvi contribuir com alguma coisinha, por mais tola que seja, mas que talvez possa ajudar alguém interessado em fazer a mesma aventura. =) Eu e meu namorado fizemos o trajeto Fortaleza (CE) - Morro de São Paulo (BA) de carro (não é 4x4), durante as férias de julho desse ano. Planejamos as possibilidades com muita antecedência, mas ainda assim não foi o bastante: mudamos muita coisa durante a viagem, pq sempre aparece algo novo!! Daí a graça de ir de carro... liberdade total! Como queríamos liberdade total, não fizemos reservas em hotel nenhum. Afinal, poderíamos mudar nossa rota a qualquer momento. Pra cada local que cogitávamos ir, tinhamos uma relação de hotéis e pousadas, com suas respectivas localizações e preços. Também tinhamos opções de restaurantes, baladas, passeios.. tudo com preços anotadinhos do lado. Levamos um notebook com internet móvel para pesquisarmos alguns destinos durante a viagem (e pra usar o google maps, que quebrou um galhão). DICAS GERAIS 1- O Guia 4 Rodas é essencial pra quem quer andar de carro por aqui. Mas o Guia, infelizmente, não relata a periculosidade de cada rota. Evitem cruzar pelo interior!! O ideal é seguir sempre pelo litoral, mesmo que a distância seja maior. Evitem também dirigir a noite. O mais tarde que ficamos na estrada foi as 16h, para evitar acidentes, etc. 2- Levamos um isopor para conservar água e os lanches.. Poucas vezes paramos para comer e isso nos fez ganhar tempo. 3- Levem seus snorkels. Tem ótimos lugares pra mergulhar.. mas o aluguel pode chegar até a R$30. Pra comprar pode chegar a R$150, os mais simples. Nós compramos os nossos no supermercado por R$13 aqui em Fortaleza. 4- MUITO protetor solar, um bom guarda-sol e uma capa pra não molhar o banco do carro.. e off you go! Dia 01 - FORTALEZA - PIPA Sabe qual a divisa entre em o Ceará e o Rio Grande do Norte? Um buraco. Incrível a transformação.. Pegamos estradas, de forma geral, excelentes pra dirigir.. Mas sair do Ceará foi quase como andar de carro no solo lunar. Terrível. Principalmente no trecho de Aracati. Saimos de Fortaleza as 5h20. Fizemos uma parada em Mossoró (RN) pra encher o isopor e uma em Assu (RN) (gasolina - R$2,65) para abastecer o carro. Logo, as 14h, estávamos em Pipa (RN). Ficamos no hotel Praiana (R$100 diária), com quarto de frente pro mar. O hotel é bonzinho, tem piscina, um café da manhã legal e o quarto é bem confortável. Pessoalmente, acho Pipa bem sem graça. Tem a Praia do Amor com ondas que deixam qualquer surfista feliz e a Baía dos Golfinhos, que tem um visual muito bacana e dá pra tomar um picolé tirando fotos no mínimo engraçadas. Mas eu gosto mesmo é de tomar banho de mar sem ser arrastada pelas águas, então.. não sou fã do mar de Pipa. Ah.. e também não vale a pena comer na praia! Muito caro pra pouca coisa.. Melhor fazer um lanche em alguma lanchonete. A noite dá pra andar pelas ruas bonitinhas, mas não recomendo as feirinhas. Os preços são exorbitantes quando comparados com algumas outras cidades.. Resolvi fazer um agrado a mim mesma e fui jantar no Gatos de Rua, que é bem carinho mas muito lindo! Meu prato de camarão foi uma pequena fortuna (R$40 mais ou menos), mas estava uma delícia!! Dia 02 - TAMBABA - PB O plano era conhcer a Paraiba no dia seguinte. Não sei porque, mas mudamos de idéia e fomos direto pra Tambaba, a primeira praia de nudismo de nossas vidas. Saímos de Pipa as 8h30 e chegamos lá as 12h, parando em Mamanguape (álcool - 1,69) para abastecer. A estrada é bem cuidada, mas a primeira coisa que vimos ao entrar na Paraiba, foi um caminhão que havia capotado durante a madrugada. Foi tão tosco, que o motorista deve ter descido da cabine de rapel... A paisagem começa a ficar diferente por aqui.. Tambaba é uma praia bastante bonita, embora não tenha águas claras. Bem pequenininha, tem uma área de "preparação" em que vc pode ficar vestido e curtir uma paisagem limitada, com um barzinho e umas mesinhas.. bem simples. Ao lado, umas escadinhas de madeira levam vc a área naturista - aí tem logo a placa dizendo, praticamente, "proibido uso de vestimentas!". Dá pra rir, né? Criamos coragem e... bom. Adrenalina pura. hehehehe.. Foi uma experiência única!! Não tinha muita gente na praia, mas as idades eram bem variadas.. Tinha até gente pescando. Lá tem uma pousada naturista, bem rústica (R$80 - diária), e um restaurantezinho que serve um peixe DELICIOSO e bem em conta. Gastamos R$47 num almoço completo pra duas pessoas. Uma coisa me irritou bastante e parecia irritar as outras pessoas também: muita gente chegava vestido, descia as escadas e simplesmente começava a bater foto.. Não tinham coragem de entrar e faziam macaquices, desrespeitando quem estava na praia, curtindo a tranquilidade e, principalmente, a privacidade. Não sabe brincar? Não desce pro play, poxa.. Claro que fotos são proibidas, mas como não tem fiscalização, a galera não respeita. Infelizmente a pousada estava cheia, então fomos direto pra Porto de Galinhas. PORTO DE GALINHAS (PE) Saímos de Tambaba (PB) as 15h e chegamos em Porto de Galinhas (PE) as 18h. Esse trecho é bem perigoso.. Ignoramos uma das placas (aquelas para turistas) na estrada, confiando no mapa que ia nos orientando, e acabamos pegando 18km de estrada de terra estupidamente esburacada em Ipojuca (PE) no meio do NADA, quase escurecendo. Foi tenso... Queríamos economizar 30 minutos e acabamos perdendo 1 hora. Conseguimos chegar, apesar do estresse, e entramos em Porto de Galinhas com o céu já escuro. As ruas de porto são razoáveis pra andar de carro e como tudo é perto, dá pra estacionar no hotel e ficar a pé mesmo. Ficamos na Pousada Porto Verde (R$115 - diária), num quarto excelente. Pra mim, essa é melhor pousada de Porto.. pelo menos na relação custo-benefício. A pousada é linda, o pessoal de lá é muuuito gente boa e o café da manhã é ótimo. Ficamos na piscina tomando umas cervejas (R$2,50) e descansando.. Conhecemos um casal e fomos jantar com eles no Plim-Porto (o melhor camarão de Porto - R$49 jantar + bebidas - casal). Passeamos, tiramos fotos com quase todas as galinhas da cidade e voltamos pra pousada. Porto é um bom lugar pra comprar lembrancinhas e camisas.. Os preços são baixinhos. Dia 03 - PORTO DE GALINHAS Acordamos cedo e fomos fazer um passeio de jangada até as piscinas naturais (R$10 por pessoa). Eu já conhecia Porto e já tinha feito esse passeio antes, mas fiquei um pouco decepcionada. Não sei se pq fomos em julho, mês de férias, mas achei a praia muito cheia. Cheia de vendedores tambem.. Vc não podia dar 2 passos que lá vinham 10 pessoas em cima oferecendo desde roupa de banho até passeio pelas praias ou cadeiras em barracas. Um saco.. Fizemos o passeio de jangada, mas depois resolvemos acompanhar o casal que conhecemos até o Pontal de Maracaípe. Oooooutra coisa!! Muito mais calmo, com uma paisagem linda.. tomamos uma cervejinha, conversamos bastante e eu provei a moqueca de aratu que uma senhora estava vendendo.. deliciaaaaaa! Gastamos ao todo R$17 e só fomos embora pq começou a chover. Tinha a opção de fazer um passeio pelo mangue, pra ver os cavalos-marinhos (R$12).. Mas eu já tinha feito esse passeio antes e a cerveja tava tão geladinha.. A noite fomos jantar num rodízio muito bom, o Picanha's (R$57 jantar pro casal com bebidas). Dia 04 - PRAIA DOS CARNEIROS (PE) Saímos de Porto de Galinhas as 8h20 e chegamos em Carneiros as 10h. Sinceramente? Carneiros é melhor que Porto. O caminho até lá é um pouco complicado pra quem não conhece as estradas.. e também pq estava chovendo um bocado por esses dias. Pegamos trechos bem distintos: passamos por uma estrada linda, que passava por um túnel natural feito pela vegetação, mas também pegamos uns bons 8km de estrada de terra (ou barro, no caso) que foi um tanto preocupante. Carneiros tem um pequeno defeito: se vc quiser ficar por lá, tem que ser num dos restaurantes. Não dá pra simplesmente levar seu guarda-sol e ficar de bobeira na areia. Ficamos num restaurante chamado Sítio da Prainha (tbm é pousada), onde fizemos um passeio de catamarã e beliscamos alguma coisa. Gastamos ao todo R$62, mas valeu a pena. Tomamos banho de argila, conhecemos outra piscina natural e nos divertimos bastante com o frio que fazia (a chuva voltou, mas não estragou). MARAGOGI (AL) Saímos de Carneiros as 14h e chegamos em Maragogi as 15h. Arrependimento total. Todo mundo fala maravilhas de Maragogi, mas eu não vi nada de bonito.. A cidade é pavorosa e o mar é escuro e agitado. Talvez pq estivesse numa chuva louca nesse dia, mas bateu a tristeza quando nos tocamos que ali não ia ter nada de legal pra ver. Falaram de um passeio as piscinas naturais (R$30 mais ou menos).. mas de piscina natural a gente já tava de saco cheio. Pra compensar, procuramos um hotel bacana pra ficar. Escolhemos o Areias Belas (R$140 - diária), de frente pro mar, quarto super confortável.. mas atendimento bem impessoal. Coisa de hotel grande.. Passamos o dia tomando banho de piscina e curtindo o conforto do quarto. As opções de restaurante e de artesanato também são mínimas. O ponto alto foi o jantar na Pizzeria Regina (o melhor caldinho de camarão da minha vida), onde comemos MUITO bem, fomos atendidos maravilhosamente e gastamos R$39. Dia 05 - MACEIÓ - PRAIA DO FRANCÊS - BARRA DE SÃO MIGUEL Saímos de Maragogi as 8h10 e chegamos em Maceió as 10h30. No caminho, paramos na praia da Garça Torta só pra curtir o visual mesmo.. Resolvemos não parar em Maceió e fomos direto pra Praia do Francês. Agora sim! Apesar da praia mais ou menos cheia, o visual era bem diferente! Nada de vendedores, tudo tranquilinho. Pegamos nossos snorkels e fomos direto pra água - o primeiro banho de mar verdadeiro da viagem. Curtimos muito esse momento de paz.. Aqui deu até pra ver uns peixinhos bonitos.. Depois fomos pra Barra de São MIguel, que é bem do lado mesmo. Quase perfeito: praia deserta, água tranquila (mesmo com maré cheia), mas tinha um número suficiente de águas-vivas pra nos deixar alertas. Ficamos estirados na areia um tempão curtindo a paisagem. Voltamos pra Maceió no final da tarde. Fomos dar um passeio pelo Iguatemi pra comer alguma coisa. Depois fizemos um passeio pela orla de Pajuçara.. Lindo demais!! Muitas feirinhas de artesanato.. Ficamos na Pousada Gogó da Ema (R$70 - diária), super bem localizada e com um café da manhã bem reforçado. Dia 06 - PRAIA DO FORTE (BA) Saímos de Maceió as 8h25 e chegamos na Praia do Forte as 15h20. Abastecemos em Maceió (álcool - R$1,62), em Indiarotobá (SE) (gasolina - R$2,70) e em Porto do Sauípe (BA) (álcool - R$1,70). A gente ia tentar ficar na Costa do Sauípe, mas é tão caro, tão caro, que saímos em disparada rumo a Praia do Forte. Nos apaixonamos de cara. Não teve jeito.. A cidade é perfeita. PER-FEI-TA. Tudo é limpinho, lindinho, ajeitadinho, muito verde.. um sonho. Fomos direto atrás do Projeto Tamar (R$10 cada), onde nos divertimos muito. Pegamos em arraias e outros animais marinhos, passamos horas vendo cada tartaruga e ainda conseguimos alimentar o tubarão!! A paisagem pras fotos, no fim de tarde, é inigualável. Fizemos várias comprinhas pelo Tamar e fomos pra pousada. Ficamos na Pousada dos Artistas (R$110 - diária), que é excelente. A dona é muito simpática e nos deu dicas de passeios por lá e pelos outros lugares que queríamos ir durante a viagem. A noite fomos andar pela vila pra tomar uma cerveja e ficar ouvindo música. Tudo é muito agradável, embora os preços sejam um tanto salgados. Dia 07 - PRAIA DO FORTE (BA) Acordamos cedinho e fomos andar na praia. Quem quiser sentar em cadeira, tem que pagar R$4. Mergulhamos o dia inteiro e vimos uma grande variedade de peixes coloridos, linguados, moreias, lesmas-do-mar, ouriços, etc. E isso tudo no rasinho mesmo.. As vezes nem precisava mergulhar pra ver os peixes. A praia é um verdadeiro paraíso. A tarde fomos conhecer o Instituto Baleia Jubarte (R$6 cada), que é bem interessante. Tivemos a possibilidade de fazer o passeio pra ver as baleias (R$200 mais ou menos, cada um), mas decidimos não arriscar (elas aparecem mais em agosto/setembro).. mas nos arrependemos muito!! Quem estiver por lá nessa época, não dê bobeira. Faça o passeio, mesmo que custe uma grana a mais. Depois fomos até o Casarão Garcia D'Avila, que tem uma vista linda e é um bom lugar pra fotos. Almoçamos muito bem no Sabor da Vila (R$60) e fomos andar até cansar, conhecendo cada cantinho. Dia 08 - MORRO DE SÃO PAULO (BA) Quem vai pra Morro de São Paulo pela primeira vez tem que se planejar bastante e buscar o máximo de informações possível pra evitar as encrencas e as ciladas, que não são poucas. Existem várias formas de chegar em Morro. Nós saímos da Praia do Forte as 8h25, paramos em Itaparica (BA) pra abastecer (gasolina - R$2,61) e pegamos o ferry-boat (R$35) em Salvador as 11h. Salvador não é uma cidade fácil pra andar de carro, o trânsito estava terrível e só conseguimos nos achar pq perguntamos pra umas 5 pessoas. O passeio de ferry foi bacana e, aparentemente, foi a melhor alternativa. Conseguimos até ver tartarugas no mar! Chegamos em Valença, cidadezinha infernal mas que rendeu fotos bonitas, as 14h30. Tem um pessoal que fica esperando o ferry chegar pra guiar os turistas até os estacionamentos e lanchas. Cobram R$5 no mínimo pelo "serviço". Deixamos o carro num estacionamento coberto chamado Duduzão e fomos enrolados. Pagamos R$80 reais pra deixar o carro lá durante 2 dias (isso pq negociamos!!).. Achamos um absurdo, mas como não conheciamos nada ali, resolvemos engolir. Depois descobrimos que tinha estacionamento por R$30.. um saco! Pegamos uma lancha para chegar até Morro (R$40 com taxa ambiental) e não conseguimos curtir o passeio (muito bonito, aliás) pq sabiamos que estávamos gastando um absurdo desnecessariamente. Chegamos lá as 16h e fomos direto atrás de uma pousada. Tinhamos algumas poucas idéias, mas achamos confuso andar por ali. Tem uns carinhas que ficam esperando as lanchas pra guiar os turistas até as pousadas e carregar as malas ladeira acima (e QUE ladeira!!). Normalmete cobram entre R$10 e R$15, mas ninguém é obrigado a aceitar. Ficamos na Pousada Ilha da Saudade (R$120 - diária), que tem uma piscina excelente com uma vista INESQUECÍVEL pra maior tiroleza do Brasil, e um café da manhã perfeito. Jantamos no Sabor da Terra uma ótima moqueca (R$50) e fomos passear. Tudo em Morro de São Paulo é extremamente caro (um pacote de batata-frita por R$6 é osso), então dá na mesma comer em restaurante e comprar besteira em mercadinho. Dia 08 - MORRO DE SÃO PAULO Morro de São Paulo tem 4 praias: a mais agitada é a praia 2, onde sempre tem festa e o número de pessoas é bem maior. Dá pra ir de uma a outra andando mesmo e todas são lindas.. Na praia 3 vc se sente em outro planeta. Imagine uma praia deserta, com uma piscininha rasinha pra vc ficar relaxando, com uma vista linda, num local super verde, e um carinha trazendo sua água de coco geladinha... mordomia TOTAL. Isso quase de graça.. R$1,50 por cada coco.. e só. Passamos o dia todo nisso.. só curtindo o sol, a praia e a paisagem. Jantamos num rodízio de pizza pavoroso (R$50) e voltamos pra pousada. Dia 09 - SALVADOR - PRAIA DO FORTE (BA) Saimos de Morro de São Paulo as 8h10 e pegamos a lancha (R$30) até Valença. Chegamos as 9h e pegamos o ferry para Salvador (R$50), onde abastecemos (álcool - R$1,68) e fomos dar um rolé. Conhecemos o Pelourinho (que miraculosamente estava quase deserto), o Mercado Modelo e fomos almoçar no Outback (já que no fim de mundo que é a nossa cidade ainda não tem..). Foi um dia bacana, compramos algumas coisinhas bem legais pelo Pelourinho e vimos algumas coisas interessantes pelo caminho. A gente não queria ficar muito tempo por la (nosso negócio é praia mesmo) e resolvemos voltar par a Praia do Forte. Chegamos na Praia do Forte as 17h e estava rolando a parada gay, com uma banda muito legal e cerveja gelada baratinha. Ficamos um bom pedaço dançando, vendo as apresentações (algumas super profissionais e outras hilárias) das drag-queens, e relaxando. Depois fomos passear e encontramos um grupo fazendo uma apresentação de chorinho.. maravilhoso!! Ficamos por lá, mesmo não tendo mais lugar pre sentar.. e até compramos o cd! Foi muito bom.. acabamos chegando tarde na Pousada João Sol (R$90 - diária) que encontramos por acaso, mas que é super bonitinha e acolhedora. Dia 10 - PRAIA DO FORTE Passamos o dia na praia, mergulhando, curtindo o sol e andando por toda a praia. Nos apaixonamos de verdade pela Praia do Forte e ainda hoje cogitamos a possibilidade de nos mudarmos pra Salvador.. só pra ficar mais perto de lá. Nem comemos direito nesse dia.. e chegamos exaustos na pousada. Desmaiamos e só acordamos na mahã seguinte. Dia 11 - ARACAJU (SE) - MACEIÓ (AL) Saímos da Praia do Forte quase chorando as 8h30 e chegamos em Aracaju (SE) as 12h. Fizemos um passeio pela orla, conhecemos a tal passarela do caranguejo, mas a cidade estava muito deserta. Não tinha viva alma nas ruas e os restaurantes estavam fechados. Quando estávamos indo embora, encontramos o oceanário onde funciona uma base do Projeto Tamar. Foi legalzinho, mas não encontramos nada pra nos prender ali. Abastecemos (álcool - R$1,65) e saímos de Aracaju as 13h30. Chegamos em Maceió (AL) as 16h e fomos pra mesma pousada de antes. O presidente estava lá nesse dia, junto com o Collor, discursando quase ao lado da nosso pousada. Uma graça... Mais tarde passeamos pela orla. Maceió é uma cidade linda.. Eu moraria ali tranquilamente. Dia 12 - PRAIA DO GUNGA E BARRA DE SÃO MIGUEL (AL) Tô pra ver praia mais linda do que a do Gunga.. Marzão azul, água excelente pro banho. Perfeito!! Passamos a manhã inteira por lá.. e achamos pouco. Teriamos ficado muito mais tempo ali, se nos fosse possível. O mirante também é imperdível! No comecinho da tarde voltamos a Barra de São Miguel e nos jogamos no mar mais uma vez.. A praia é tão tranquila que dá gosto. O ruim foi quando paramos pra comer em uma das barracas.. a comida mais horrivel da minha vida!! Infelizmente, os suprimentos do nosso isopor estavam esgotados e tivemos que arriscar. Abastecemos o carro no caminho de volta a Maceió (álcool - R$1,58). Fomos passear pela cidade, de carro mesmo (ainda estava bastante claro) e só paramos para ver o jogo do Brasil num barzinho da orla chamado Rapa Nui que eu adorei! Dia 13 - PRAIA DO TOQUE (AL) Quase todo dia, antes de dormir, a gente decidia quais seriam os próximos passos.. E meio sem querer, descobrimos a Praia do Toque. Saímos de Maceió as 8h35 e chegamos por lá as 11. No caminho passamos pela praia de Carro Quebrado que, aparentemente, é linda. Pra chegar lá tinhamos que pegar uma balsa.. Como não tinhamos certeza do que iamos encontrar (e se iria valer a pena), fomos direto pro Toque mesmo. A Praia do Toque é como Carneiros: tem um acesso complicado e tem que passar por algum restaurante ou pousada, que não são muitos. Sabe a definição de paraíso? Pois é.. é ali. Ficamos numa tal Pousada do Caju (R$270 - diária), que nos custou um olho e uma perna, mas foi coisa de cinema. A praia já é linda mesmo de graça: marzão calmo, azul piscina, completamente deserta.. e a pousada? Bom.. inexplicável. O quarto enorme, cheio de luxo.. A piscina maravilhosa, com bar molhado (ou seja lá que nome dão).. e uma mordomia que não tinha fim. A cada 20 minutos vinha um funcionário perguntar se estávamos precisando de alguma coisa.. Foram arrumar o nosso quarto e viram uma garrafa de uisque do meu namorado. Como estávamos na piscina, foram logo dizer que se precisassemos de gelo, era só pedir. E as refeições? A diária incluia o café da manhã (personalizado) e uma refeição (almoço ou jantar). A comida maravilhosa era servida em prato decorados, numa mesa coberta com flores.. Se a gente tivesse na praia, eles traziam guarda-sol, cadeiras, bicicletas pra passear.. o que fosse possível. Moral da história: tivemos um dia de rico! hahaha.. Dia 14 - PORTO DE PEDRA (AL) - PORTO DE GALINHAS Saímos da Praia do Toque as 11h. Queríamos ir pra Porto de Galinhas, mas vimos uma placa falando sobre uma região que tinha uma reserva de peixe-boi perto dali. Foi assim que encontramos a cidadezinha de Porto de Pedra, onde por R$30 um casal pode fazer um passeio super legal de canoa pra ver de pertinho os peixes-boi! Foi assim que a gente conheceu o Aldo.. Pra mim um dos momentos mais lindo da viagem! Eu estava com a mão na água, brincando, esperando ele aparecer.. e do nada ele vem com o focinho direto na minha mão!! Adorei.. valeu muito a pena!! Chegamos em Porto de Galinhas as 15h, mortos de cansaço do sol e da viagem. Ficamos na mesma pousada de antes, curtindo a mesma piscinha e as cervejinhas geladas. Depois fomos passear, fazer compras e jantar. Dia 15 - ITAMARACÁ (PE) - NATAL (RN) Saímos de Porto de Galinhas as 8h50, depois de um banho de mar bem cedinho pra escapar dos turistas, abastecemos (álcool - R$1,58) e fomos até Itamaracá visitar o Projeto Peixe-Boi. Foi ótimo!! Parece que o Projeto parou de receber um dos incentivos, e estava planejando algumas mudanças, mas ainda assim vimos muita coisa. Na estrada, paramos no Rei da Coxinha, que haviam nos dito ser a melhor casa de coxinhas do Brasil. hehehe.. Realmente.. foi um ótimo lanche (R$17). Depois seguimos para Natal. Tantos dias de sol nos deixaram exaustos. Chegamos em Natal as 15h30 sem forças pra nada.. Ficamos na casa de um amigo e só saímos de noite para jantar no Tábua de Carne (R$67). Como conhecemos Natal muito bem (morei lá durante um tempo), não nos importamos tanto. No 16° dia, voltamos para Fortaleza. Saímos de Natal as 8h, abastecemos (álcool - R$1,79) e voltamos pra casa. Foi uma viagem fantástica! Nos divertimos muito e vivemos momentos inesqueciveis. Poderíamos ter economizado muito se tivessemos escolhido os destinos com antecedência, feito reservas em pousadas ou albergues, etc. Mas foi a nossa primeira viagem do tipo.. e serviu para aprendermos muita coisa. Em 2010 vamos fazer um verdadeiro mochilão pela Europa.. aí não vai dar pra arriscar (nem pra gastar). CUSTOS O custo total da nossa viagem, somando combustível, hospedagem, alimentação e as compras feitas = R$5.000 Combustível (álcool e gasolina) = R$766,32
×
×
  • Criar Novo...