Ir para conteúdo

Bia_mojotrotters

Membros
  • Total de itens

    20
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

4 Neutra

Sobre Bia_mojotrotters

  • Data de Nascimento 23-10-1981

Bio

  • Ocupação
    Jornalista, trabalho para a Rádio Canadá Internacional, em Montréal. Além disso, sou psicoterapeuta, couchsurfer e viajante!

Outras informações

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Talvez nenhum dos 14 países que eu visitei na minha viagem de volta-ao-mundo tenha um talento tão pouco aproveitado para o turismo como o Líbano. Minha mãe, pai, amigos aventureiros, viajados ou cautelosos: independente da personalidade, acho que todos eles curtiriam demais esse país. E você também. Saiba porque. É tudo pertinho O país inteiro é quatro vezes menor do que o estado do Rio de Janeiro. Você sai da capital, Beirute, moderninha, pseudo-européia e pretensiosa, e chega a Tripoli, pura jóia árabe, em pouco mais de uma hora. No caminho entre as duas, Byblos, com suas ruínas roma
  2. Bia_mojotrotters

    Dicas do Vietnã

    Valeu Heka! Confesso que quando disse pro meu pai que comprei 2 terninhos, ele, muito sabiamente, disse: "Mas AONDE é que você vai usar terninho, minha filha?" Realmente, pra uma jornalista que trabalha de calça jeans, talvez a compra tenha sido meio desnecessária... mas eu sempre quis ter um terno sob medida, poxa! E vc, gostou do resultado?
  3. Ola! Foi bem legal ler seu relato e lembrar da minha própria aventura. Até quem curte Senhor dos Anéis, como eu, vai amar! Também tenho um relato no meu blog: http://mojotrotters.com/pt/2010/03/portugues-a-travessia-de-tongariro/ Abs.
  4. Aqui vao algumas dicas de Montreal, todas elas coisas que eu gosto de fazer (turisticas ou nao). Deixei de lado os passeios mais obvios, tipo a Catedral de Notre Dame, faceis de se encontrar em qualquer folheto turistico. Para os enderecos, eh so fazer uma rapida busca Google. Coma poutine, o prato nacional quebequense, na La Banquise. Tome coqueteis gigantes no bar "La Distellerie". Faca um passeio de bicicleta no bairro Westmount e aprecie as mansoes enormes e luxuosas de la. Outro passeio legal de bicicleta pra se fazer eh no Canal Lachine, com uma parada no mercado Atwater, cheios de
  5. Sydney me faz pensar em uma linda garota caipira que acaba de mudar pra cidade grande e ainda não se deu conta do quanto ela é…poderosa. Esta é uma cidade internacional, que abriga tanto os elegantes adornos e chiques butiques como os marginais que invariavelmente surgem detrás das sua sombras. Uma cidade que veste lindos edifícios coloniais, casas imponentes, parques manicurados, portos efervescentes. Onde você encontra botecos boêmios, bistrôs descolados, pus animados. Ela não exibe a arrogância típica dos lugares que há tempos entraram pra liga das cidades-bambas internacionais, nem
  6. Oi Silvio. Passei um mês maravilhoso no Líbano, agora estou na Síria. Há muitos poucos visitantes nesses dois países, principalmente agora, que é temporada baixa. No caso do Líbano, você tem razão: por conta das guerras e instabilidade política, muita gente tem medo de vir pra cá. Mas eu recomendo a visita sim, desde que você cheque a situação antes de comprar a passagem.
  7. Bia_mojotrotters

    Dicas do Vietnã

    Maratona fashionista: Hoi An, Vietnam Hoi An é uma parada obrigatório no itinerário do turista em Vietnam. Em segundo lugar, por ser uma cidade histórica, de ruas de paralelepípedos e casas centenárias que sobreviveram à guerra, patrimônio mundial da Unesco, graciosa e iluminada por lanternas coloridas. E arrisco dizer, em primeiro lugar, pela moda. Calcula-se que existam hoje cerca de 500 lojas de alfaiataria e sapateiros que fazem qualquer – eu disse QUALQUER roupa ou sapato sob medida. Isso numa cidade provinciana, de 120 mil habitantes. Em Hoi An, sua imaginação é o limite
  8. Atração: Visita dos domínios do Hezbolla, no sul do Líbano: Bint Jbeil, Maroun el-Rass, e Aytaroun Preço: Variável, mas cerca de US$50 para duas pessoas (veja explicação no fim do texto) Dificuldade: Negociar transporte barato e responder a eventuais interrogações Atenção: O sul do Líbano é a região com maior instabilidade política em todo e país, além de ser palco principal do conflito com Israel. Turistas teoricamente precisam de autorização para entrar, mas ninguém nos pediu nada. Talvez porque a gente tem meio que cara de libanês. Ou talvez tivemos sorte. Mas quem estiver inte
  9. Pedro, super divertida a sua história do Reveillon. Meu Deus, 9 pessoas, vocês são loucos! Hehehehhe. Mas estou certa que, apesar da bagunça, foi uma festa inesquecível. O legal do couchsurfing é isso: é tão gratifcante pra quem hospeda como pra quem é hospedado, aprendemos tanto. Thiago, que bom que você gostou. Espero que você se anime e aproveite muito dos sites e das amizades que você certamente fará. Abraços!
  10. Acabamos de ter uma das melhores experiência de couchsurfing até agora. 2 israelenses ficaram em casa 2 noites e nos proporcionaram um fim-de-semana super divertido. E detalhe: os caras só foram aceitos por mim por ter seguido direitinho (mas sem saber, claro) a minha dica número 2 do tutorial. Isso porque eles chegariam dia 1 de janeiro, e em teoria eu não ia aceitar ninguém nesta data. Como a cada ano, eu queria me recuperar da ressaca e do cansaço do Reveillon em paz. Mas não resisti e mudei de idéia ao ler a mensagem de pedido deles. Vejam só porque: "Olá Bianca and Roberto- (p
  11. Rodrigo, não digo que seja impossível, mas é muito difícil. O acesso é relativamente complicado, e envolve um trajeto de ônibus a partir de Santa Marta de mais de uma hora, e uma boa caminhada de várias horas só para chegar no Pueblito. Fora que quando você chegar lá, eu garanto: você não vai querer ir embora tão cedo. O preço da entrada no parque também justifica uma estadia mais longa, já que você paga por entrada, não por dia. Reserve no mínimo 1 noite de hospedagem lá dentro, e se você quiser ter mais tempo pra relaxar e pra fazer a caminhada até o Pueblito, 2 ou idealmente 3 noites.
  12. Puxa, nem tinha notado que meu profile estava protegido. Pronto, já desbloqueei, pode ir lá dar uma olhada se quiser.
  13. Olá bfcosta! 99% das minhas experiências foram positivas. O 1% é devido àquelas pessoas com quem não bate muita química. Mas nunca tive problemas ou situações chatas pra resolver. Muito pelo contrário, as pessoas que eu recebi aqui colocaram um tempero, um colorido no meu cotidiano. Como amigos de viagem, só que em casa. Alumas pessoas depois de uma noite eu já estava pronta pra que elas fossem embora. Outras ficaram 3 noites e eu senti que foram embora cedo demais! Vou te dar alguns exemplos: numa terça-feira onde eu não tinha planos mais excitantes do que ficar em casa surfando a Inter
  14. Ser hospedado de graça, eliminando assim uma das maiores despesas de viagem. Conhecer pessoas interessantes, cabeça aberta, geralmente viajadas e interessadas em você. Descolar aquelas dicas que só os locais têm acesso. Ser convidado para uma festa na casa de alguém ou uma baladinha nada turística. E, porque não, reestabelecer a fé na humanidade. Para um mochileiro, ainda não inventaram na minha opinião um conceito melhor do que o couchsurfing. Desde que me inscrevi na comunidade de surfistas de sofá de Montréal, a princípio só como anfitriã, recebo entre 1 e 5 pedidos de hospedagem por se
  15. Oi Juliana! Esse hostel http://www.hostelsantamarta.com/ é demais, tem piscina, foi construído nu casarão histórico, tem ar-condicionado (acredite, é muuuuuito necessário!), banheiros limpos, um bar bem legal.
×
×
  • Criar Novo...