Ir para conteúdo

Julianacs

Membros
  • Total de itens

    51
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Julianacs

  • Data de Nascimento Junho 11
  1. Julianacs

    Santiago

    Eu troquei dinheiro nas casas de câmbio só com o RG, na boa.
  2. Valparaíso é frio sim em junho. Mínima de 5º e máxima de 15º-18º. Vento cortante...
  3. Dei uma lida no teu blog e achei bem bacana. Escreves muito bem Andejo! Escreva mais, quando puder é claro. Boa sorte na viagem, e que consigas chegar até a Patagônia.
  4. Raulzito, eu recomendo "A sombra do ditador"; o autor é Heraldo Muñoz, chileno que viveu lá na ditadura e depois tornou-se ministro de relações exteriores no governo da Bachelet (que aliás, é filha de preso político, morto na época de Pinochet). Acho que paguei R$55 em agosto do ano passado. Vale bastante a pena.
  5. Santiago é especial. Todas as dicas que o pessoal já deu aqui, eu reforço. Pra mim teve um q a mais, porque estive muito tempo com chilenos amigos lá, então pude conhecer a cidade do ponto de vista deles. Foi muito legal...pena que os lugares que fomos eu não lembrei de anotar nomes. Palácio de la Moneda, achei mais bonito que a casa Rosada. Estéticamente comparando. Eu senti uma emoção especial no La Moneda, porque li bastante sobre o regime de Pinochet, e passar pelos locais que li que foram bombardeados...estar na frente de um lugar que li tanto sobre, foi sensacional. Aliás acho uma ótima prática ler muito sobre os países, sobre a parte histórica. Pra entender o local, é necessário entender a história dele. Minha alma socialista ficou em festa em Santiago, eles são bem mais engajados politicamente falando, do que nós brasileiros. Patio Bellavista é bem bacana, apesar das coisas não serem muito baratas. Agora uma coisa é verdade, pra quem tem pele oleosa lá é uma maravilha. Durante o tempo em que estive no Chile, nenhuma espinha sequer. rss
  6. Concordo com a Larissa. Eu fiz essa visita a casa Rosada por sorte, pois nem sabia que dava pra entrar. Vi um pessoal entrando e fui atrás. Era domingo. O legal é ir pela manhã por San Telmo no domingo, porque na calle Defensa tem uma feira de artesanatos MARAVILHOSA! Gente tocando tango, restaurantes abertos...uma multidão, mas é legal pacas. Aí no final da Defensa está a casa Rosada, é pertinho.
  7. Julianacs

    Mendoza

    Assino embaixo do que hmgodinho falou do hostel Álamo. Sem dúvida o melhor hostel que já fiquei. Aproveitei muito a cozinha, que é muito boa e organizada. O Carrefur, pra ficar mais próximo, só se fosse dentro do hostel. E também tem lavanderia dentro dele, pra quem quiser lavar a roupa, pois o hostel não tem tanque de roupa - o único defeito. O café da manhã é muito bem servido. Sempre tinha um tipo de fruta, ceral, café, leite, chá, pão...geléia, etc. Fiquei sozinha num quarto feminino para quatro, e todos os dias passava a senhora da limpeza, e trocava a toalha de banho. Os banheiros limpos, coletivos mas que eram utilizados por um a cada vez. Só os passeios que acho que vale dar uma conferida na cidade antes, pra comparar os valores. No mais, tudo ótimo.
  8. Minha dica de hostel em Buenos Aires é o Asterion House http://www.asterionhouse.microvox.com.ar/ Fica em San Telmo, super bem localizado. Pra quem ainda não conhece a cidade, San Telmo é Centro. Quando cheguei na cidade, fiz reserva no Carlos Gardel para 7 dias. A menina me perguntou quantos dias queria deixar pago, e deixei 4 dias. Eu, particularmente não gostei do Carlos Gardel, e como tinha visto o Asterion do outro lado da rua, mudei nos 3 últimos dias. Obviamente isso é muito particular. Um lugar que alguém goste, pode ser o mesmo que outro deteste...por motivos variados. O que mais pegou pra mim, foi o fato de o banheiro ser um só por andar, e o box ser aqueles de cortininhas, ou seja, privacidade zero na hora de tomar banho. Tanto é que no segundo dia, eu estava tomando banho, com minhas coisas todas penduras para fora do box (outra coisa chata, porque numa dessas um passa ali e carrega tudo sem a pessoa perceber...inclusive a chave do quarto, que não tinha mesmo onde deixar quando ia tomar um banho). Qual não foi minha surpresa quando um cara abre a cortina do nada! Ele se desculpou e tal, mas foi chato pra caramba. Não poder tomar um banho sossegada depois de andar o dia inteiro, me mata. Fora as privadas, que também são no mesmo banheiro...utilizado por homem e mulher. Também não seria problema, se os caras respeitassem e fizessem xixi de porta fechada. Algumas pessoas parecem esquecer a educação em casa quando viajam. Óbvio que não é pra ser quartel, mas se todo mundo respeitar o espaço alheio, fica mais fácil conviver. O Asterion tem quartos separados (o que no Gardel não tem), os banheiros tbem são separados e bem limpos. A casa é arejada, o ar condicionado FUNCIONA!, uma cozinha limpa e completamente utilizável. O hostel é novo, por isso tudo é muito bem organizado. Os donos são simpáticos, principalmente o Lucho (Luciano), que me atendeu muito bem. Paguei $45 na última semana de janeiro. A única coisa que deixou um pouco a desejar foi o café da manhã, mas ouvi os donos conversando para melhorá-lo.
  9. Guerra, continue escrevendo menino! É uma experiência que deve ser compartilhada com todos, pra incentivar a galera mesmo. Eu comecei a pensar numa viagem mais longa a pouco tempo, e teus relatos só me fazem querer mais. Uma pena ter sido roubado. Mas é isso mesmo...quem está fora de casa tem sempre que estar com um olho no peixe e outro no gato. Aqui em Santiago, até pra ir rapidinho no banheiro, guardo tudinho. Meu dinheiro suado nêgo tem que jogar capoeira pra levar. rsss Abraco e boa sorte!
  10. Agora no verao, faz muuuuuito calor durante o dia, desde umas 10hs atè as 20hs mais ou menos. Jà depois desse horàrio, a noite e de madrugada, faz frio. Coisa de 10graus, mesmo no verao.
  11. Valparaíso e Viña del Mar sao cidades completamente diferentes. É preciso um olhar sem preconceitos para entender Valpo muito mais que à Viña, que é uma cidade de quem tem grana. Fiz a comparaçao de "prima rica e prima pobre" entre as duas. Mas Valparaìso me encantou muitìssimo. É um lugar de pessoas simples, humildes, com uma noite que eu particularmente gostei mais do que a de Viña. Tem um clima boêmio em Valpo, sem ostentaçao e divertidissima. Existem vários bares com música ao vivo. Em grande parte música latino-americana de boa qualidade, mas também dá pra encontrar rock sem dificuldades. Um lugar que recomendo pra quem está em dùvida de que ritmo quer ouvir, é o "La piedra feliz". Eles tem uns três ou quatro ambientes, que tocam estilos musicais distintos. Fui duas vezes semana passada. Na quinta tinha salsa com um professor dando passos básicos logo na entrada, e mais ao fundo, em outro ambiente, tinha um show em homenagem a Janis Joplin, que acabou nao rolando, porque a menina que ia cantar nao conseguiu chegar de Santiago. Mas igualmente foi ótimo porque os músicos tocaram Led Zeplin, Deep Purple, Hendryx, etc...eram muito bons mesmo! No sábado, no mesmo lugar, ouvimos uma grupo aqui de Valpo tocar cuecas chilenas, músicas lindas latino-americanas mais tradicionais e até mpb. A cantora era fantástica, o grupo muito bom...enfim, perfeito. No outro ambiente, tinha um grupo tocando salsa e cumbia. Ainda tinha uma pista com mùsica dos anos 80, e lá em cima um telao com clipes, que era mais como restaurante. Servem comida boa tambèm! Nós comemos um crepe de camarao delicioso! Nas laderinhas estao a maioria dos bares onde a galera que nao tem muita grana vai, mas de boa qualidade. Agora eu nao lembro os nomes das ruas, mas é bem no centrinho, nao tem muito erro. Peçam pra ir ao bar "Pajarito", que fica numa das avenidas principais. O lugar é bem bacana e simpático. Tem uns origamis de passarinhos pendurados no teto, a bebida nao é tao cara, e tem o que comer. Fomos duas vezes também, para fazer um "esquenta", pois é um dos bares que abrem mais cedo. No Cerro Concepcion, podem encontrar uma das vistas mais bonitas de Valpo, embora qualquer cerro da cidade tenha uma vista privilegiada. Mas especificamente neste cerro, tem um restaurante bem interessante, mas com valores nao tao interessantes assim. rss Mas ali em voltam econtram-se inùmeros outros restaurantes, e uns ideais pra fazer o desayuno. Sem contar os inúmeros hotéis e hostels. Eu nao posso recomendar uma hospedagem porque fiquei na casa dos pais de "mi pareja", mas tem muuuuita opçao, e imagino que pra todos os bolsos. Nesse mesmo cerro, podem subir pelo ascensor Concepcion e descer pelo El Peral. O ultimo custou CLP100, mais ou menos R$0.40 O centro da cidade é um pouco bagunçado, e quem é um pouco mais "fresco" rsss, nao gosta. Cachorros por todos os lados, sem contar os milhoes de gatos, inclusive dentro dos bares e lugares mais sofisticados. rssss Gente, é muito particular a cidade. Dentro do La Piedra Feliz, que é um lugar bem mais sofisticado, tinha um gato bem tranquilo num sofá em meio a música alta do andar de cima. É normal isso por aqui. Outro dia estávamos passando por uma rua, e tinha um gato por dentro da vitrine de uma loja. Eu cheguei bem perto achando que era de brinquedo e levei um baita susto quando o gato se mexeu. rsss Ah, em vista do grande número de animais, se encontrarem alguma pulga nas pernas, nao estranhem muito. Eu perguntei a Marcelo se isso é em toda cidade, e ele me disse que sim. Em alguns bairros mais, em outros menos. Fomos comer no Mercado Central, e gostei bastante. È o mercado onde vendem peixes, frutas e verduras. Por fora é bem bagunçado, como tinha alertado antes. Nao se deixem intimidar por isto. Entrem, e comam num dos restaurantes no andar de cima. Comemos dosi pratos delicosos, que esqueci o nome. Mas lembro que um era um prato de barro super quente, que vem vários mariscos (aqui eles chamam de mariscos os frutos de mar em geral). È um caldo, com mariscos (como chamamos no Brasil), uma coisa parecida com vieiras, camarao, os tais Choritos rsss...etc. E outro era um prato com filè de peixe frito, e salada. Tinha gato andando entre minhas pernas lá tambèm. rss Putz...uma coisa que gostei um montao foi a salsa de Aji. Uma pimenta que tem em praticamente todos os restaurantes/bares chilenos que se preze. E olha que atè pouco tempo atrás eu nao gostava muito de pimenta. Mas esse eu comi demasiadamente por aqui. Um passeio legal, é ir ao porto e pegar um dos barcos que fazem um pequeno tour, em meio aos enorrrrrmes navios da baia, com um guia que vai explicando a história de Valpo. Bem interessante. Nesse dia até conseguimos chegar bem perto de uns leoes marinhos que estavam descansando em cima de um negócio de ferro no meio do mar, que nao sei exatamente o que era. Talvez uma bóia. No porto foi onde peguei um mapinha da cidade, que nao é dificil de se achar. Sabendo onde estao as Avenidas Errazuriz (onde fica o La piedra), Av. Brasil, Av Pedro Montt e Av. Collon, orienta-se tranquilamente. Os bancos e câmbios estáo na Av. Esmeralda/ Prat, se nao me engano. É uma rua essencialmente financeira, onde fica inclusive a bolsa de valores. Nao tem erro. Uma coisa importante a saber, é que aqui o transporte mais utilizado/barato/útil, é uma espécie de táxi compartilhado. Que também tem em Santiago em grande parte do paìs. Sao os colectivos. Dependendo do lugar que se vai, a tarifa é de CLP300 -400 durante o dia, e a noite o valor dobra. Mas mesmo assim fica muito barato se deslocar dessa maneira. Muito mais que o táxi, que nao cheguei a pegar, porque Marcelo me alertou que sao demasiadamente caros, e nao é em qualquer lugar que se pega. Já os colectivos, a toda hora passa na rua. Só tem que ficar ligado, é claro, pra onde estao indo. Tem letreiro em cima do carro. Gostaria que no Brasil fosse assim tbem, pois achei muito melhor que os ônibus. As pessoas de Valpo falam um espanhol um pouco diferente, e tbem mais ràpido. Mas se entende igualmente o espanhol correcto. È sò pedir pra falar com um pouco mais de calma, Outro dia fui comer sozinha num restaurante, e como nao tinha ninguém no balcao, chamei pela mocinha que estava lá atrás fazendo alguma coisa. Ela gritou "Al tiro", e continuou fazendo o que fazia. Nao entendi na hora o que ela quis dizer, e achei que estava com má vontade. Fui embora comer em outro lugar. Depois comecei a lembrar das expressoes que Marcelo já tinha me ensinado, e lembrei que "al tiro" entre outras coisas, pode significar "Já estou indo". rssss Fiquei com remorso de ter interpretado mal a moça. Bom, quando lembrar de mais alguma coisa eu posto. Mais sobre Valpo do que Viña, porque estou por aqui, gosto daqui...alèm de razoes particulares tbem, claro. rss
  12. Que bacana o tópico! Para entender melhor o Chile, estou lendo "A sombra do ditador" de Heraldo Muñoz. Também leio e levo "Mulheres que correm com Lobos" de Clarissa Pinkola. Aliás esse último, recomendo fortemente às mulheres. Meninos, ótimos os títulos! Minhas próximas aquisições "livristicas" serão o de Neruda e Garcia Marquez. Evangelho segundo esperitísmo é ótimo...mas eu sou suspeita pra falar.
  13. Obrigada pela informação Bruno! Vou ver o que consigo fazer pra ver ao menos um jogo.
  14. Pessoal, estarei em B. Aires no fim de janeiro e gostaria de saber se terão jogos nessa época. Não sei como é o calendário deles por lá. E outra, dá pra mulher ir sozinha assistir um jogo, ou é muito perigoso? Grata, Juliana
×
×
  • Criar Novo...