Ir para conteúdo

dannyscampos

Membros
  • Total de itens

    38
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre dannyscampos

  • Data de Nascimento 10-09-1978

Bio

  • Ocupação
    Fotógrafa

Outras informações

  1. Estamos criando um roteiro para nossa viagem para Natal-RN, saindo de Fortaleza-CE. Vamos eu, meu esposo e nossa filha, que na ocasião estará com 8 meses. Com uma bebê pequena em casa, fica difícil ter tempo para começar um roteiro da viagem detalhado, então aqui colocarei dicas do que pretendemos fazer e até a viagem iremos adaptar para melhor aproveitar a cidade. De cara, tive muita dificuldade de encontrar disponibilidade nos hotéis no período que viajaremos (de 10 a 15/11, sendo 15 um feriado na terça-feira). A procura tá grande. Somente na sexta tentativa, consegui um apartamento. Após a viagem avaliarei o serviço. Como vocês poderão ver, nosso roteiro não inclui apenas as praias e artesanato. Gostamos de conhecer a cultura local, seus atrativos históricos e pontos de lazer. Para tanto, montei um mapa aqui (ainda em construção) para introduzir os principais pontos que desejamos conhecer. PROPOSTA DE ROTEIRO: 10/11 (quinta) - Chegada em Natal por volta das 14h. Ida para a Praia de Ponta Negra (onde ficaremos hospedados). Check-in no hotel. Após breve descanso, ir até o Morro do Careca (ao lado do hotel) para fotos. Depois, visitar o Vilarte, shopping do artesanato, bem como o Centro de Turismo. Voltar pelo Hostel Lua Cheia e, por fim, jantar na Casa de Taipa - Tapiocaria. 11/11 (sexta) - Fazer City Tour em Natal, com a empresa Potiguar Turismo (R$ 60,00 por pessoa). Observação: Estávamos certos de fechar com Marazul (R$ 50,00 por pessoa), mas o City-tour desta empresa é apenas no período da tarde, por diversos locais, e a impressão que tivemos diante do roteiro é que é apenas um "bate-volta" sem a chance de conhecer o melhor da região. Após algumas pesquisas, optamos pela Potiguar, um pouco mais cara, mas com um City-tour de 7h, conforme roteiro abaixo: Roteiro do City Tour com Litoral Sul (Praia de Pirangi) da Potiguar Turismo Duração: 7hs Passeio panorâmico percorrendo os principais pontos turísticos de Natal como praias urbanas (Praia de Ponta Negra, Via Costeira, Praia de Areia Preta, Praia dos Artistas, Praia do Meio, Praia do Forte); parada na Fortaleza dos Reis Magos para uma breve visitação (ingresso não incluso), após a saída da Fortaleza, um breve reconhecimento histórico e cultural pelos Bairros antigos como: Rocas, Ribeira e Centro da Cidade, obras como Casa do Historiador Câmara Cascudo, Solar Bela Vista, Capitânia das Artes, Igreja do Rosário, Igreja Matriz (Nossa Senhora da Apresentação), Praça dos Três Poderes (onde estão localizados os prédios da Prefeitura, Assembléia Legislativa e do Tribunal de Justiça), Catedral Metropolitana, Centro de Turismo (antiga casa de detenção destinada hoje para conhecimento e compra do artesanato local). O passeio segue cruzando a região central da Cidade em direção ao litoral sul, passando pelo centro de lançamento Barreira do Inferno, e Praia de Cotovelo, chegando a Praia de Pirangi (Litoral Sul) onde está localizado o Maior Cajueiro do Mundo (Ingresso não incluso). 12/11 (sábado) - A programação é passar o dia em Maracajaú, a 60km de Natal, e lá conhecer o Ma-noa Park. Observações sobre o Park: - O valor da entrada é 40,00 por pessoa, mas até 30/11 estão com uma promoção para quem adquire o ingresso diretamente no escritório deles, saindo a R$ 28,00 por pessoa. No email que recebi da Potiguar, diz ser R$ 25,00 o ingresso do Park, suponho que eles tenham alguma parceria. - Funciona todos os dias, das 10h às 16h. - A empresa Potiguar Turismo faz o translado Natal x Ma-noa Park x Natal. R$ 60,00 o translado, por pessoa. 13/11 (domingo) - Conhecer a Praia da Redinha. As atrações principais são o velho Mercado Público, a Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes, construída com pedras retiradas dos arrecifes, e o Aquário Natal, além da nova ponte. 14/11 (segunda) - Ainda não defini roteiro. 15/11 (terça - feriado)- Ainda não defini roteiro. ____________________________ Gostaria de ajuda para complementar com locais que podemos visitar, levando em consideração que estaremos com uma bebe de 8 meses.
  2. dannyscampos

    Salvador com criança

    Olá pessoal, estou planejando minhas férias em família e o destino que escolhemos foi Salvador. Iremos eu, meu marido e nossa filha. Estamos pensando viajar em Novembro, e na ocasião ela terá 8 meses. O que posso fazer em termos de turismo com uma criança tão pequena? Que locais visitar, que espaços conhecer? Gostaria de dicas. Desde já, obrigada
  3. Estou montando um roteiro de viagens e tendo dificuldade em encontrar os custos com os passeios. Como estimar nossos gastos nos locais que vamos visitaR? Já tentei olhar em sites dos estados, mas não encontro infrmações sobre tarifações desses passeios.
  4. Estou querendo ir esse ano... Alguém já foi e pode dar dicas de hospedagem? Vou sair de Fortaleza-Recife. Que dicas vcs podem me dar?
  5. Ah, Alan, setembro já é uma boa época pra mim. Queria ir no Carnaval, mas é uma diferença absurda de valores indo na baixa estação e indo em épocas como ano novo e carnaval. podíamos ver um roteiro,,,, me add no msn: [email protected]
  6. Estivemos em Dezembro de 2010 em Tianguá. Foi um visita de apenas um dia. Tínhamos um roteiro enorme com locais que gostaríamos de visitar, mas infelizmnte saímos de casa sem ele e ficamos um pouco desnorteados sobre para onde ir na cidade. Contudo, um dos pontos que eu não queria deixar de visitar era o Sítio do Bosco. Que lugar incrível. Para mim foi, sem dúvida, o ponto alto da nossa viagem. Para chegar ao Sítio, a gente seguiu até a saída da cidade e lá pegamos a BR 222. A estrada é bem sinalizada também e logo deparamo-nos com uma placa indicando o caminho, por uma estrada carroçal. Lá pagamos, cada adulto, R$ 4,00 e curtimos um dia muito intenso, ao ar livre, uma paisagem indescritível. Fomos recebidos pelo caseiro do Sítio e logo em seguida pedimos o almoço no restaurante, deixando um horário marcado para voltarmos. Após muitas fotos e conhecer parte do Sítio, fomos almoçar. Ficamos positivamente supreendidos com a fartura e o bom atendimento. Santana, a cozinheira, é muito simpática e preparou um delicioso peixe com baião de dois. Comidinha caseira a preço justo. Saímos realmente satisfeitos. Após o almoço, descansamos um pouco nas redes expostas ali mesmo, no Sítio. De um modo geral amamos o local, nosso dia mais feliz na viagem. Infelizmente não tivemos coragem de fazer o vôo livre. Também sentimos falta de um guia dentro do sítio, mas ficamos bem a vontade para realizar nossos passeios e depois do almoço descansamos bem. Ficamos no Sítio até por volta de 15h e depois voltamos novamente para Guaraciaba do Norte, pois uma chuva ameaçava cair e queríamos evitar dirigir com o tempo ruim.
  7. Matéria sobre Tatajuba publicada no Diário do Nordeste. "O vento que soprou dia e noite pelo período de seis anos foi responsável, na década de 80, pelo soterramento do vilarejo de Tatajuba. Passados mais de 20 anos, hoje os moradores recordam, ainda com espanto, o estranho fenômeno que destruiu suas moradias. Mas, o fato não os afastou dali. Na Nova Tatajuba, eles ergueram suas casas e também as primeiras pousadas deste destino turístico que atrai visitantes curiosos em conhecer os redutos deste paraíso selvagem. Um destes moradores é a dona Ester Oliveira do Nascimento, que ergueu sua moradia num dos pontos mais altos do vilarejo. Da sua casa, a visão da praia de Tatajuba é tão privilegiada que virou ponto de parada para fotos e contemplação das jangadas que passeiam por uma gamboa em direção ao mar. Só é possível chegar ao vilarejo em carros de tração nas quatro rodas. O percurso é feito sobre um infindável parque de dunas, desbravando os mistérios do vilarejo. Um deles é a Duna Encantada ou Morro Branco, uma grande duna calcificada pelo tempo, onde muitos acreditam que lá existe um navio soterrado. Reza a lenda que sons de piratas cantando podem ser ouvidos à noite no local. No Parque das Dunas, um ponto de parada é a Duna do Funil. O local é ideal para os que desejam se aventurar no esquibunda (R$ 3,00 a descida) ou em passeios de buggy. Entre duas paredes de areia, os bugueiros fazem diversos “malabarismos”, um presente para quem curte a famosa descida “com emoção”. No vilarejo, vale a pena conhecer a Brisa do Mar, a primeira pousada na rústica Tatajuba. O proprietário Manoel Pedro de Araújo, que morou a vida toda na região, fundou a pousada em 1996. Do alpendre da pousada, a visão da praia é deslumbrante. Lagoa da Torta Um dos refúgios mais aconchegantes deste destino é, sem sombra de dúvida, a Lagoa da Torta ou Lagoa da Tatajuba. Descoberto há 16 anos para a exploração turística, o balneário conta com quatro barracas e dois quiosques para preparo de caipirinhas e sucos. Nas barracas são servidos peixes e camarões em pratos preparados na hora. O charme do local são as redes de nylon coloridas armadas nas margens da lagoa. Quando ocupadas, as redes tocam a água, dando uma agradável sensação de frescor. Quem preferir, pode ficar, também, nas espreguiçadeiras colocadas à beira da lagoa ou nas cadeiras de plástico dispostas dentro d’água. Por ser rasa - com o máximo de três metros de profundidade - é ideal para o banho. Quando cheia, em época de chuvas, a lagoa chega a ter 18 quilômetros de extensão. Atualmente, foi descoberta pelos praticantes do kitesurf, que estão colorindo a lagoa com suas pipas. O visitante pode fazer passeio de jangada, que custa R$ 5,00 por pessoa. No valor está incluído, também, o aerobunda, um tipo de brincadeira que o banhista desce por uma tirolesa de um ponto elevado até dentro da lagoa. Devido a boa estrutura, o local tornou-se um dos pontos de parada obrigatória para os passeios de buggy ou em veículos 4x4 que saem de Jericoacoara ou de Camocim para a praia de Tatajuba. Após conhecer a praia selvagem e se aventurar na Duna do Funil, os turistas fazem parada para almoço e descanso na Lagoa da Torta."
  8. 4º ESTADO: ALAGOAS Duas serão as paradas no estado de Alagoas: a cidade de Maragogi e a capital, Maceió. "No meio do caminho entre Maceió e Recife fica Maragogi. Fincada no coração da Costa dos Corais, a vila chama a atenção pelo belo conjunto que reúne mar cristalino, areias finas, coqueirais e recifes, sem contar a excelente infra-estrutura de hospedagem. Além dos elementos paradisíacos, a paisagem é incrementada ainda pelas Galés, as enormes piscinas naturais a seis quilômetros da costa, repletas de peixes e acessíveis por catamarãs e lanchas que partem da praia central. Os atrativos de Maragogi, entretanto, não se resumem aos aquários naturais. Os cenários, tanto ao Norte quanto ao Sul, são encantadores e praticamente desertos. Na direção de Pernambuco, as praias de Burgalhau, Barra Grande e Ponta do Mangue, com suas águas azul-esverdeadas, ganham ainda a rusticidade das vilas de pescadores, com casinhas simples e jangadas coloridas cruzando o mar." Já em Maceió o turista encontra história, cultura e muito lazer, fazendo da capital de Alagoas uma cidade repleta de programas dia e noite. Nas praias, as formações de recifes formam piscinas naturais de águas cristalinas tomadas por peixinhos, como as de Pajuçara e de Paripueira. E tem ainda a lagoa de Mundaú que, desbravada a bordo de saveiros, descortina as atividades das populações ribeirinhas e toda a riqueza da flora e da fauna da região. Já os bairros históricos, como o Jaraguá, abrigam importantes espaços culturais e vida noturna agitada. Nos arredores da capital, os cenários selvagens e desertos da Costa dos Corais incentivam a esticar o tour pelo litoral Norte, incluindo a animada Maragogi. Ao Sul, imperdível é apreciar o encontro do Rio São Francisco com o mar, seguido por uma visita à pitoresca cidade de Penedo. O que fazer em Maceió? - Piscinas naturais de Pajuçara - O passeio às piscinas de Pajuçara é feito através de rústicas jangadas, que levam dez minutos para atravessar os dois quilômetros entre a praia e os recifes. Formados apenas na maré baixa, os aquários naturais impressionam pelas águas claras repletas de peixes coloridos e pela estrutura das jangadas-restaurantes, que oferecem lagostas, camarões, peixes e caipirinhas de frutas típicas. - Praia do Gunga - O extenso pontal de areia branca coberto por uma seqüência de coqueiros faz da praia do Gunga um dos cartões-postais de Maceió, embora pertença ao município vizinho de Barra de São Miguel, a 39 quilômetros da capital. Além da paisagem perfeita, oferece piscinas naturais, estrutura de lazer – aluguel de equipamentos náuticos - bares e restaurantes. - Mercado do artesanato - Tour histórico pelo centro - Piscinas naturais de Paripueira - Passeio pela Lagoa Mundaú
  9. 3º ESTADO: PARAÍBA Após conhecer as belezas de Natal (RN), o próximo destino do nosso 1º Mochilando Motorizado deverá ser a cidade de João Pessoa (cerca de 190km de Natal). De todas as capitais nordestinas, foi João Pessoa que menos encontrei informações turísticas e me perguntei: valeria a pena ir até lá? Após algumas pesquisas de textos e imagens vi que sim. Nossa primeira parada no estado da Paraíba será na cidade de Matacaraca para conhecermos o distrito de Barra de Camaratuba. A margem direita do Rio Guajú, no centro da região de fronteira, esta a vila de pescadores a aproximadamente 110 km de João Pessoa/PB e a 120 km de Natal/RN. Encravada entre duas grandes reservas ecológicas, a “Barra”, como os nativos a denominam, é o que se pode chamar de paraíso tropical. Com uma população que não chega a mil habitantes, o vilarejo vem despertando o interesse de visitantes e investidores estrangeiros, que planejam com o apoio do poder público municipal, transformar a Barra de Camaratuba em um ícone do desenvolvimento turístico, sustentável e preservacionista com foco no ecoturismo turismo rural e de aventura. Para conhecer melhor o local basta visitar o site http://www.barradecamaratuba.com.br/ Nossa segunda parada será na capital João Pessoa. Encontrei o relato abaixo (fiz pequenas modificações) no blog Viagens & Imagens. Relato rico e encantador. E a partir dele é que faremos, mais na frente, o nosso roteiro de viagens. "Considerada a segunda cidade mais arborizada do mundo (só perdendo para Paris), a cidade conta com lindas praias, como a de Tambaú, onde estão os melhores restaurantes e hotéis. Para quem, como eu, gosta de também fazer um roteiro para conhecer melhor a cidade, a dica é conhecer o Centro Histórico de João Pessoa, com destaque para o Hotel Globo, construído em 1928. Não deve-se deixar de conhecer a Igreja Matriz de São Frei Pedro Gonçalves (especialmente o seu interior). O litoral de João Pessoa tem praias belíssimas. Na direção sul estão as praias do Amor, Tabatinga, Coqueirinho e Tambaba (dedicada ao naturalismo). Indo na direção norte encontramos Tabatinga, Coqueirinho e Praia Bela. Na Praia de Intermares, junto à escultura de uma tartaruga, demarca-se uma das diversas áreas do litoral onde as tartarugas colocam seus ovos, enterrados na areia. O Mercado do Artesanato Paraibano é o melhor local da cidade para encontrar tudo relacionado ao artesanato, confecções, lembranças, curiosidades etc. Está situado a pouca distância do Hotel Tambaú. Aliás, este último, um verdadeiro marco arquitetônico da cidade. Nas imediações deste hotel também existe uma feirinha de artesanato, que embora não tenha tanta variedade como Mercado de Artesanato, apresenta preços um pouco melhores. Depois, se você já estiver com fome, saiba que a gastronomia é super variada e o difícil, às vezes, é escolher um prato só. Se você quiser experimentar um pouquinho de tudo no mesmo lugar, nossa sugestão é ir até o restaurante Mangai, que oferece um imensa variedade de pratos típicos paraibanos, no sistema de quilo. Muito se diz que, de norte a sul,o Brasil se estende do Oiapoque ao Chuí, não é mesmo? Mas e de leste a oeste, onde começa o Brasil? Pois caso você não saiba é em João Pessoa. Aqui o sol nasce primeiro, não somente no Brasil, mas em todas as Américas. Graças à sua localização, bem naquela pontinha leste do Brasil, este é o ponto mais oriental do continente americano. No estremo oriental das Américas, local conhecido como Ponta do Seixas, está situado o Farol do Cabo Branco, com longitude de 34º 47' 30". Para chegar lá basta seguir pela Avenida Cabo Branco, sentido sul, e pronto. Você chega num mirante de vista maravilhosa, de onde se pode descortinar o Oceano Atlântico e mais abaixo, as praias. O litoral de João Pessoa possui mais de 25 km de extensão, entremeando areias brancas e coqueiros aos rios e formações rochosas. As praias mais freqüentadas são Tambaú, Manaíra, Cabo Branco, Sol, Penha, Seixas e Bessa. A culinária paraibana também é um desafio e uma surpresa, e para quem vem do sul, o ideal é estar preparado para deliciosas novidades. Que tal um camarão preparado com molho de coco, ao alho e óleo? Ou então ensopado de caranguejo ou de ostras? Ou ainda uma sempre elegante Lagosta, ou Caranguejo ou Goiamum. Ou quem sabe uma Buchada (picado das vísceras e intestinos de bode), Baião de Dois, Carne de sol com macaxeira, paçoca e manteiga da terra. São tantas delícias que dá vontade de experimentar de tudo. E quanto chegar a hora da sobremesa, a gente fica até perdido entre suculentos e vistosos abacaxis, cajus, mangas, sapotis, goiabas, jacas, acerolas, umbus e siriguelas. Vixe cabra! Deve-se conhecer também o Palácio do Governo, situado na Praça dos Três Poderes. Ao seu lado, situa-se o Mausoléu de João Pessoa. Outra bela praça da cidade é a Venâncio Neiva, construída em 1917, pelo presidente Camilo de Holanda. Na época ela tinha como função servir de ringue de patinação, e possuía ainda fontes e coretos. Reformada por João Pessoa, passou a contar com um elegante salão de chá, que até hoje a adorna, ganhando, graças à isto, o apelido de Pavilhão do Chá. Um dos ícones arquitetônicos do centro de João Pessoa, o Paraíba Palace Hotel, pintado num amarelo marcante, foi um dos pontos nobres da cidade. Hoje ele desempenha funções menos aristocráticas, mesmo assim é impossível passar pelo centro sem perceber sua arrojante arquitetura em estilo art-noveau. Mas quem quiser caminhar pelas ruas centrais, vai gostar mais do trecho que circunda o Parque Solon de Lucena. Este parque é uma das áreas mais bonitas da cidade. Em sua parte central há uma lagoa natural, cercada por árvores e jardins. Todo o projeto é de autoria do paisagista Burle Marx, e por ali ainda podem ser apreciados exemplares de árvores remanescentes da Mata Atlântica, assim com diversas palmeiras imperiais. Nascida às margens do rio Sanhauá, João Pessoa foi crescendo até atingir o litoral. Entre estes dois extremos estão largas avenidas, pólos comerciais, elegantes prédios residenciais, grandes supermercados, locadoras de automóveis. Foi por aqui que encontramos a melhor churrascaria do nordeste, O Gauchão, que está a altura de qualquer uma das grandes churrascarias do sul do país. Mas se seu paladar prefere outros pratos, não se preocupe, pois as opções são várias. Turistas vão encontrar, principalmente na região próxima ao famoso Hotel Tambaú, dezenas de restaurantes servindo desde pratos típicos, pizzarias, fast-food até cozinha internacional. Não deixe de tirar uma manhã para conhecer a Fortaleza de Santa Catarina, situada em Cabedelo, litoral norte de João Pessoa. Fundada em 1589, logo após o tratado de paz celebrado entre portugueses e indígenas, ela tinha como objetivo principal defender a colônia contra ataques de franceses e holandeses. Mais tarde, durante o império, ela também desempenhou a função de prisão de inimigos políticos e até de execução de escravos revoltosos. A partir de 1974 começou a receber reformas, e hoje é uma visita interessantíssima. Em meio aos seus antigos canhões, turistas são recebidos por guias especializados, e podem aprender muita coisa sobre a história da Paraíba e sua colonização inicial. O ponto de destaque do centro histórico de João Pessoa é o Centro Cultural São Francisco, um conjunto arquitetônico barroco construído no século XVII, constituído pela Igreja de São Francisco e o Convento de Santo Antônio. No convento está instalado o Museu de Cultura Popular, com peças religiosas belíssimas. Destacam-se os altares, revestidos de ouro, e o teto, onde um painel com 40 m de extensão retrata momentos da vida de São Francisco, com inserções de figuras locais da época. Merecem destaque dois passeios imperdíveis: Picãozinho, coral de recifes onde se caminha pela água, entre os peixes, e Areia Vermelha, banco de areia que forma uma espécie de ilha. Os dois ficam a cerca de 1 km da costa e são atingidos somente quando a maré está baixa. Diversas embarcações levam os turistas até estes dois locais, onde se permanece durante algumas horas, até a maré começar a subir novamente. Em Areia Vermelha pode-se nadar, alugar óculos de mergulho para ver os peixes e corais, ou simplesmente tomar sol cercado pelo oceano. Lá são montados quiosques, oferecendo bebidas e quitutes. Durante os meses de verão, o lugar fica repleto de barcos, veleiros e jet-skis.
  10. 2º ESTADO: RIO GRANDE DO NORTE Nosso destino no Estado do Rio Grande do Norte incluem as cidades de São Miguel do Gostoso, Maracajaú, Natal, Pipa, Ponta Negra, Genipabu e Baía Formosa. Essas são as praias que queremos conhecer e que fazem do Rio Grande do Norte um dos destinos mais procurados do país. O que ver e fazer? Roteiro resumido Rumo ao litoral Norte, do outro lado do rio Potengi, está um verdadeiro parque de diversões natural em meio a dunas, lagoas e praias da região de Genipabu. Entre as atrações estão manobras radicais nos montes de areia, passeios a bordo de dromedários, aerobunda (tirolesa) e esquibunda (descida em pequena prancha) nas lagoas de Pitangui e de Jacumã. Vale a pena esticar o passeio até Maracajaú, um complexo de piscinas naturais a cinco quilômetros da costa. Para o litoral Sul, as paisagens revelam algumas das mais belas praias da região, entre elas, as do vilarejo de Pipa. No caminho até lá, paradas obrigatórias em Pirangi do Norte, onde está o maior cajueiro do mundo; e, para quem viaja com crianças, em Pirangi do Sul, ponto de partida rumo às piscinas naturais. O que iremos conhecer no Rio Grande do Norte? - PONTA NEGRA - A mais badalada praia de Natal tem barracas animadas no calçadão e um mar que reúne banhistas e surfistas. Ponto de encontro de várias tribos, é freqüentada por nativos e visitantes.Ponta Negra tem como marca registrada o Morro do Careca, uma duna de 120 metros de altura e cercada por vegetação, com acesso fechado. - GENIPABU - O grande atrativo são as dunas que, aliadas aos bugues, fazem de Genipabu um verdadeiro parque de diversões no meio do nada. Os passeios podem ser “com ou sem emoção”, o que significa mais velocidade e manobras radicais pela dunas móveis e fixas, vez por outra abençoadas com lagoas de águas doce. Do topo do monte de areia é possível apreciar a Lagoa de Genipabu e também fazer passeios na corcova de dromedários. O percurso termina na praia de Genipabu – apesar de tranqüila e protegida por uma coluna de recifes, não é tão bonita em função das águas turvas. - PASSEAR DE BUGGY ATÉ PIPA - O passeio é quase todo feito pela praia, terminando em um dos cenários mais belos do litoral potiguar. A viagem, de 90 quilômetros, vale a pena também pelo charme e pelo astral da vila de pescadores, repleta de bares, restaurantes, lojas e pousadas, além de gente jovem e bonita vinda dos mais diversos cantos do mundo. - MARACAJAÚ - A 60 quilômetros de Natal, Maracajaú é famosa por seus parrachos – formação de recifes de coral - a sete quilômetros da costa, perfeitos para mergulho. Bastante preservados, abrigam rica fauna marinha, como budiões, baiacus, polvos e moréias, vistos com máscara e snorkel na maré baixa. A praia é acessível de bugue, a partir de Genipabu ou Muriú. Atenção às condições do tempo, tanto para chegar quanto para mergulhar: escolha um dia de maré baixa e bastante ensolarado, quando a visibilidade da água é maior. - CONHECER O MAIOR CAJUEIRO DO MUNDO - Com 8.500 metros quadrados de copa, num emaranhado de galhos e cipós, o cajueiro está registrado no Guinness Book como o maior do mundo. Na época da safra, de setembro a dezembro, os visitantes podem saborear a fruta enquanto dão voltas pela árvore. Algumas dicas pesquisadas na internet: Dá para se dividir tudo em apenas três dias (deixando os outros dois para descansar). Nos três dias destinado a passeio, divida-os pelos pontos turísticos do litoral norte, do litoral sul e um city tour para conhecer a história da cidade. Passeio pelo litoral norte - É nesse passeio que conhece-se às famosas dunas de Genipabu. Além das dunas, visitase a Lagoa de Pitangui, a Lagoa de Jacumã, a Praia de Muriú, passear de dromedário e visitar o Aquário Natural. A Lagoa de Pitangui tem o melhor do passeio, pois é uma lagoa de água doce, transparente e morna, excelente para banho, onde nós podemos ver os peixinhos nadando. Passeio pelo litoral sul - Muitas são as atrações, entre elas a Praia do Cotovelo, a Lagoa de Pirangi, a Praia de Pipa, a Baía dos Golfinhos, a Praia dos Amores, o Chapadão, a Pedra Oca e as Sete Lagoas. City tour - Nem só de praias e dunas vive o turismo em Natal. A cultura também fazer parte do roteiro da cidade, que tem muitas histórias para contar. Além do Forte dos Reis Magos, um dos principais cartões-postais da capital, a cidade reúne construções em estilo neoclássico que abrigam teatros, casas de cultura e igrejas. Vale a visita ainda ao maior cajueiro do mundo. Onde ficar? Eu sempre sonhei com o dia que iria para Natal não apenas pela cidade encantadora que ela é, mas porque queria ficar hospedada no Hostel Lua Cheia. Fiz até carteirinha de alberguista e tudo! O hostel é um dos mais antigos e conhecidos do país. Sua arquitetura medieval acabou por se tornar uma atração turística em Natal e atraiu um grande número de bares e restaurantes a sua volta. Sobre os demais destinos: São Miguel do Gostoso - http://www.praiadogostoso.com/ Maracajaú - http://www.portaldemaracajau.com.br/ Baía Formosa - http://www.baiaformosa.com.br/
  11. 1º ESTADO: CEARÁ Serão 3 paradas ainda dentro do Ceará, nas praias de Beberibe (Praia das Fontes e Morro Branco) > Aracati (Canoa Quebrada, Majorlândia e Quixaba) > Icapuí (Ponta Grossa, Redonda, Peroba e Requenguela). _____________________________ Saindo de Fortaleza e tendo como destino Natal, o ideal é pegar a CE 040, que é uma estrada que está melhor e que vai mais pelo litoral. Vale destinar parte do roteiro para visitar as praias de Beberibe, Aracati e Icapuí, todas ainda no Ceará. A primeira parada, o município de Beberibe, apresenta praias de uma beleza natural incomparável. Das praias de Beberibe as que mais se destacam são a Praia das Fontes e a Praia de Morro Branco, ambas contornadas por falésias. De lá deve-se seguir para as famosas praias da vizinha Aracati (Canoa Quebrada, Marjolândia e Quixaba) e após conhecer as indescritíveis praias de Icapuí, a última cidade do Ceará pela costa do sol nascente e já faz divisa com o Rio Grande do Norte. É um município rico, com praias com cenários paradisíacos, mas ainda sem a badalação da vizinha Aracati. Em Beberibe: Praia de Morro Branco - Somente a 5km de Beberibe, a Praia de Morro Branco é Internacionalmente conhecida por seu exuberante labirinto de falésias que ficam por toda a beira mar, das quais estão sujeitas à erosão do vento e das águas. A praia é composta por areias coloridas devido à variação das camadas das falésias. Aqui é onde se destaca o Parque Nacional das Falésias. Praia das Fontes - Localizada a 87 km da capital cearense, o mar é calmo e areias branquinhas . A Praia das Fontes é habitada por uma colônia de pescadores. Na praia tem ótimos hotéis e um resort, também é rodeada por dunas e falésias coloridas, por onde flora fontes de água doce e entre suas dunas fica a Lagoa da Uberaba, da qual é retirada a água para o abastecimento do município. Entre os atrativos do local tem os passeios de buggy, a prática de skibunda nas dunas (sandboard), conhecer a Gruta da Mãe D’Água, conhecida como Gruta da Açucena, ir as fontes de água doce, rejuvenescedora, segundo os nativos, e o passeio na Lagoa do Uruaú. Em Aracati: Como já conhecemos Aracati e teremos apenas um dia nessa cidade, a idéia é passar o dia nas praias de Quixaba e Majorlândia e a noite em Canoa Quebrada. Em Icapuí: Praia de Requenguela - Região simples, núcleo de pescadores próximo à Barra Grande, ancoradouro da cidade. Área de mangue e salinas. Quando vier até aqui para tomar um bom banho, aproveite para visitar a barraquinha do João Velho, peça uma saúna frita acompanhada de caranguejo. As salinas são belas ao cair da tarde. O branco das pirâmides de sal com o laranja do sol é um verdadeiro espetáculo de cores. Praia de Peroba - Praia de ondas fracas com pedras dentro do mar; ao fundo falésias coloridas com coqueiros. Núcleo pequeno de pescadores. Imperdível apreciar a encantadora paisagem, sua gente simples, o mágico mar de Peroba. Praia de Redonda - Conhecer as belezas de Redonda, falésias com colorações que mesclam do vermelho e branco ao amarelo, de acordo com a luz do sol e a influência das marés. Toda a orla é circundada por falésias coberta de vegetação rasteira predominantemente coqueiros na parte baixa da mesma. Na comunidade de 600 famílias organizadas existem 150 botes que pescam lagosta e peixe. A própria comunidade é quem fiscaliza o litoral com um barco comprado por todos os moradores. No artesanato local as mulheres trabalham com labirinto. Almir e o Noé trabalham com peças de madeira utilizando a raiz da hortência e o tronco de imburana fabricando barquinhos. Existe na comunidade um grupo de teatro de rua que se chama Flor do Sol formado por nativos que se apresentam na praia e em outras praças, trabalhando com temas sobre: Pesca, Turismo, Religião e Meio Ambiente. Impossível não conhecer Icapuí, comer lagosta, passear de bote, caminhar pela praia até a ponta da Redonda (falésias, tipo penhasco), brincar com as crianças curiosas que não saem da praia e tomar banho no mar gostoso de águas mornas. Praia de Ponta Grossa - Comunidade em que a maioria dos nativos são descendente de holandês. Falésias com formações exóticas e multicoloridas que dão tons de alegria às manhãs que nascem proporcionando ao local paisagem selvagem e clima de magia. O mar desenha na praia a meia-lua quando a maré baixa e expõe uma fonte de água doce. Os nativos chamam-na de olheiro.
  12. Nosso roteiro inicial, distribuídos em 25 dias. 1º dia - Fortaleza x Beberibe 2º dia - Beberibe x Aracati 3º dia - Aracati x Icapuí 4º dia - Icapuí 5º dia - Icapuí x São Miguel do Gostoso 6º dia - São Miguel do Gostoso x Maracajaú 7º dia - Maracajaú x Natal 8º dia - Natal 9º dia - Natal x Baía Formosa 10º dia - Baía Formosa x Barra de Camaratuba 11º dia - Barra de Camaratuba x João Pessoa 12º dia - João Pessoa 13º dia - João Pessoa x Jacumã 14º dia - Jacumã x Maragogi 15º dia - Maragogi x Maceió 16º dia - Maceió 17º dia - Maceió x Aracaju 18º dia - Aracaju x Praia do Forte 19º dia - Praia do Forte x Salvador 20º dia - Salvador 21º dia - Salvador x Itacaré 22º dia - Itacaré x Praia do Forte 23º, 24º e 25º dia - Retorno para casa em Fortaleza
  13. Aqui estarei montando o roteiro para o nosso 1º Mochilão Motorizado. Muita coisa peguei no site Mochieleiros.com e esta viagem será sem dúvida o tema mais recorrente durante o ano de 2011 no nosso blog, o http://roteiroplanejado.blogspot.com/, pois a idéia é ao longo do ano ir montando as principais referência do que visitar nos seis estados selecionados (excluímos Maranhão e Piauí, por não encontrarem-se dentro de nossa rota e após excluímos Pernambuco, por já conhecermos esse estado e ganhando assim alguns dias para melhor conhecer os demais). Informações Preliminares: - Ponto de partida: Fortaleza - Destino final: Salvador - Previsão para iniciar a viagem: outubro ou novembro de 2011. - Duração média: 30 dias - Custo: Ainda não previsto O roteiro abaixo ainda não é definitivo. 1º ESTADO: CEARÁ Paradas: Beberibe (Praia das Fontes e Morro Branco) > Aracati (Canoa Quebrada, Majorlândia e Quixaba) > Icapuí (Ponta Grossa, Redonda, Peroba, Tremembé, Melancias e Requenguela) 2º ESTADO: RIO GRANDE DO NORTE Paradas: São Miguel do Gostoso > Maracajaú > Natal > Pipa > Baía Formosa 3º ESTADO: PARAÍBA Paradas: Barra de Camaratuba > João Pessoa > Jacumã 4º ESTADO: ALAGOAS Paradas: Maragogi > Maceió 5º ESTADO: SERGIPE Paradas: Aracajú 6º ESTADO: BAHIA Paradas: Praia do Forte > Salvador > Itacaré
  14. Icapuí é o último município da Costa do Sol Nascente, no Ceará, fazendo então divisa com o estado do Rio Grande do Norte. É um município rico, com praias com cenários paradisíacos, mas ainda sem a badalação da vizinha Aracati. As praias de Icapuí são: Retiro Grande, Ponta Grossa, Barreiras, Redonda, Picos, Peroba, Tremembé, Melancias, Quitérias, Peixe Gordo, Manibu, Barrinha de Mutamba e Requenguela). Praia de Quitérias - Praia com coqueiros e dunas baixas e com núcleos de pescadores. Existe formação de pedras no mar do tipo oca que serviu para antigas construções. Comunidade simples onde o mar, cada vez mais, insiste em se aproximar da pequena vila de pescadores. Praia de Requenguela - Região simples, núcleo de pescadores próximo à Barra Grande, ancoradouro da cidade. Área de mangue e salinas. Quando vier até aqui para tomar um bom banho, aproveite para visitar a barraquinha do João Velho, peça uma saúna frita acompanhada de caranguejo. As salinas são belas ao cair da tarde. O branco das pirâmides de sal com o laranja do sol é um verdadeiro espetáculo de cores. Praia Barrinha de Mutamba - Núcleo de pescadores, cercada por coqueiros; praia de areia de cor escura e ondas fracas. Comunidade que sobrevive das vendas de algas marinhas e da pesca do peixe. Praia de Barreiras - O coqueiral é o ponto de destaque da paisagem. Praia de ondas fracas. É maravilhoso apreciar a vista entre Barreiras de baixo e Barreiras de cima, como chamam os nativos, e tomar um gostoso banho. Em Barreiras há o famoso forró da praia, nas noites de sábado. Tem, também, várias barracas e bares onde se pode comer as delícias do mar, variedade de peixes, camarão e lagosta. Praia de Picos - Pequena comunidade de 10 famílias. Praia de ondas fracas com pedras dentro do mar e ao fundo falésias coloridas com formatos peculiares tais como a pedra do chapéu e outras. Possui área para mergulho. Praia de Peroba - Praia de ondas fracas com pedras dentro do mar; ao fundo falésias coloridas com coqueiros. Núcleo pequeno de pescadores. Imperdível apreciar a encantadora paisagem, sua gente simples, o mágico mar de Peroba. Praia de Redonda - Conhecer as belezas de Redonda, falésias com colorações que mesclam do vermelho e branco ao amarelo, de acordo com a luz do sol e a influência das marés. Toda a orla é circundada por falésias coberta de vegetação rasteira predominantemente coqueiros na parte baixa da mesma. Na comunidade de 600 famílias organizadas existem 150 botes que pescam lagosta e peixe. A própria comunidade é quem fiscaliza o litoral com um barco comprado por todos os moradores. No artesanato local as mulheres trabalham com labirinto. Almir e o Noé trabalham com peças de madeira utilizando a raiz da hortência e o tronco de imburana fabricando barquinhos. Existe na comunidade um grupo de teatro de rua que se chama Flor do Sol formado por nativos que se apresentam na praia e em outras praças, trabalhando com temas sobre: Pesca, Turismo, Religião e Meio Ambiente. Impossível não conhecer Icapuí, comer lagosta, passear de bote, caminhar pela praia até a ponta da Redonda (falésias, tipo penhasco), brincar com as crianças curiosas que não saem da praia e tomar banho no mar gostoso de águas mornas. Praia de Ponta Grossa - Comunidade em que a maioria dos nativos são descendente de holandês. Falésias com formações exóticas e multicoloridas que dão tons de alegria às manhãs que nascem proporcionando ao local paisagem selvagem e clima de magia. O mar desenha na praia a meia-lua quando a maré baixa e expõe uma fonte de água doce. Os nativos chamam-na de olheiro.
×
×
  • Criar Novo...