Ir para conteúdo

Patibelli

Membros
  • Total de itens

    74
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

1 Seguidor

Sobre Patibelli

  • Data de Nascimento 16-03-1984

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Eita, eis que faz quase um ano que não apareço por aqui... Como disse a Bru, recomendo conhecer Delfinópois e Capitólio, vale a pena mesmo!
  2. Olá galera, Esse é o meu terceiro relato sobre a Chapada dos Veadeiros. Nota-se que me apaixonei não é? Fomos ao encontro do paraiso ( eu e meu marido), em 23 de Junho de 2011, no feriadão. Para quem não leu, recomendo ler os dois primeiros para entender muita coisa sobre o lugar e as pessoas. 1º chapada-dos-veadeiros-o-paraiso-inesquecivel-t42728.html 2º chapada-dos-veadeiros-finalmente-o-retorno-para-o-paraiso-t51127.html Saimos quinta de manhã, vôo das 6h45 de São Paulo. Chegamos em Brasília, alugamos um carro e bora para Alto Paraíso de Goias. Ah, por coincidências do destino, era no fim de semana de aniversário do guia Beto. Ficamos hospedados na casa do guia Beto e sua esposa Sônia.Chegamos por volta das 12h30, 13h. Como o cansaço era tremendo e a saudade também, ficamos o restante do dia descansando, batendo papo e brincando com o mais novo mascote da casa. Planejamos realizar trilhas para destinos que normalmente são conhecidos por poucos porque são longe, precisa andar mais, alguns atrativos se você não tiver alguém mais ousado e com conhecimento do local, com certeza ficará meio monótomo sabe? Vamos lá! Sexta-feira, bora realizar uma caminhadinha boa com destino a Cachoeira do Segredo. Esse atrativo é recomendado para a época de seca, abril, maio, junho na época de chuva é difícil conseguir atraver o rio 14 vezes sabe? ô lugarzinho lindo demais!!! Gente, não sei o que faço em Sampa ainda... nasci no lugar errado não é possível! Sentido São Jorge, passa o povoado e vai embora... o que quer dizer passar no jardim de maytrea...hihihih Chegamos na fazenda onde deixamos o carro e pagamos o ingresso: Para começarmos o caminhada pulamos a cerca atrás dessa árvore. Sei lá pq o dono desse lugar não faz uma entradinha decente, uns pulam outros passam por entre os arames... Não me lembro o nome dessas arvores, tinha em tudo quanto era canto. Primeira travessia, olha essa água... Depois passamos pela casa que dizermos ser da vovó, todos deram oi para ela... Na segunda travessia, o Beto contou que na época da cheia o rio sobe muio, veja a altura que chega as margens no lado esquerdo da foto. Por isso não dá para realizar o passeio nessa época. Na terceira já dava para tomar um banho gostoso: Na quarta: Olha o Beto e a filhota, Jennifer: Aqui faço uma explicação básica. Estou de chinelo em algumas fotos pq pensa você tirando a bota toda hora numa trilha bem batida e fácil caminhada? Dá para ver que é super sussa em algumas partes, por isso foi de boa. Eu que já virei o pé dezenas de vezes e uma delas na primeira viagem para a Chapada tomo muito cuidado com isso, já que sinto a dor desse dia até hoje... E no meio do caminho tinha o quê? Ela...linda e maravilhosa se destacando das outras árvores! Lá de cima avistamos o paraíso... Nesse lugar dá para tirar umas fotos fenomenais! Aproveitei claro... tirei muitas!!! Voltamos para a trilha! Até chegarmos na cachu! Acho que já eram umas 15h, aproveitamos bem todas as travessias que dava para tomar um banho, enquanto um outro grupo meio que corria... vai entender! kkk Curtimos essa cachoeira enorme, é uma distancia boa até conseguir ficar em baixo da queda, mas com um pouco de esforço vale a pena. Nada como conseguir um lugarzinho para sentar e deixar a água bater nas costas, parece que lava a alma não é? Voltamos e a Sônia nos aguardava com uma noite das pizzas acompanhado e uma fogueira em comemoração ao niver do Beto. O Wendel, filho dele chegou de Brasília a tempo de curtir conosco. Família reunida, foi só sorrisos! Aqui abro um parênteses para dizer que fui atacada por pernilongos e sei mais lá o que nos pés. Mal conseguia colocar o tênis, o que me deixou um tanto preocupada...de novo. Tomei um remédio e tinha que aguardar o dia seguinte. Acordei com o pé um pouco inchado ainda, mas sabe como é, entrou na bota, não estava dolorido... bora caminhar!!! Próximo destino: CANYONS Está aí outro local que é pura diversão. Pena que eu não tenho uma câmera a prova d'água.... mas vou providenciar! É que algumas partes são ruins de levar câmera, dá um medinho....kkk Fizemos a trilha com a familia toda do Beto: Tem cachoeira na parte de cima e de baixo... subimos primeiro, porque esse lindo casal tinha uma surpresa para nós... Olhando para baixo... Olhando desse lado: Do outro: Hora de voltar e ir para a outra cachoeira, onde fizeram uma surpresinha para nós! Ah, meu marido derrumou uma casa pequena de borrachudos na água quando fomos pular uma parte do rio, tinha uma ilhazinha e a casa estava pendurada num gralho de árvore...eu estava grudada atrás dele. Preciso dizer que ele saiu correndo? Levou umas 5 picadas, mas ficou tudo bem. Ainda bem que eles não vieram em cima de mim, sou extremamente alérgica, já pensou na desgraça? Já estava com o pé ruim, aí tinha acabado a viagem... Tem algum impecílios que não deu para tirar fotos. Mas posso contar, tivemos que tirar o tênis, mochilas e afins e o Beto e o Wendel levaram por uma encosta punk, enquanto nós iamos nadando num tipo de represa, era fundo portanto ou ia pela encosta ou nadava mesmo. Na volta fomos pela encosta, precisa de muito cuidado e ir devagar, qualquer escorregão você vai nadar... e alguns vão rir bastante de ti depois! ihihihihih Esse era o muro de contenção. tudo para chegar nessa beleza: Esse dedo na foto é para indicar essa árvore, aquela que eu tirei foto do lado, lá no começo do relato. Olha a surpresinha que o Beto e a Sônia levaram... Eles levaram um rádio com um mantra, a Sônia foi fazendo uma vivência enquanto o Beto e o Wendel enchiam o colchão de ar! Foi super divertido, no começo fiquei com medo, por conta da força d'água, mas aí vi que não dava para a correnteza levar o colchão embora pq tinha duas pedras que fechavam totalmente o caminho. :'> Ah, depois juntamos todos, remando, batendo os pés e depois de algumas tentativas, , conseguirmos ir atrás da cachoeira, foi só alegria!!! Tá vendo não tem como não se divertir com esse casal maluco e super amoroso! Acho que mato a saudade ainda em 2012, sabe como é, ainda tem muita coisa para conhecermos, muitos "cantinhos" inexplorados por nós, ainda!!! É isso aí galera, vale a pena e eu recomendo. Bjus Paty [email protected]
  3. Oi, Pati! Eu também gostei bastante dos 2 relatos sobre Veadeiros. E estou aguardando pelo 3° relato. Agora é só esperar a oportunidade para conhecê-la pessoalmente. Queria saber se você tem algum mapa da região, ou se posso encontrar na web. Também estou à procura de um site completo com informações sobre a região, mas até agora não encontrei nenhum 100%. Você tem algum que usou como referência? Obrigada! Ai gente, esqueci de fazer o 3º kakakakaka Prometo resolver isso em 15 dias ok? Eu não tenho mapa da região, aliás só mapas confiáveis pendurados em restaurantes ou pousadas, na net nunca vi. Site: outro problema... na verdade eu pesquisei em dezenas para não dizer centenas de sites, foram muitos mesmo. As informações não divergem muito, mas realmente falta o senhor site ou blog... Vou dar uma olhada na papelada de casa e posto novamente com as informações. bjus Paty
  4. Léo, A chapada é maravilhosa!!! Voltei de lá ontem e agora em Julho, nas duas ultimas semanas tem festival em São Jorge, por isso se prepare, é mega lotado! Não sei te informar de albergue, somente sei que tem camping. Os preços que passei são de guia, os passeios que fizemos foram com os nossos carros, cada lugar ou guia cobra um preço diferente pelo 4x4, depende da distância também. O guia o valor é 100,00 a diária, vc faz as contas dividindo por pessoa, ele leva até 10 pessoas. bjus
  5. Pessoa, acreditem se quiser, mas eu voltei ontem, dia 27 de junho da Chapada...heheheheh Minha terceira visita ao Paraíso foi maravilhosa! O valor da diária do guia continua R$ 100,00 e só fui para lugares novos, portanto, me aguardem tenho fotos maravilhosas para meu terceiro relato!!! bjus Paty
  6. Depois de um período de pausa para férias, dia 10 de Abril, domingão meio nublado e lá fomos nós num local pouco conhecido: Floresta Nacional de Ipanema a aproximadamente 125 km de São Paulo. Descobri este lugar através de um relato da Tatiana no blog: http://www.panelaterapia.com Depois de muitas pesquisas essas foram as informações: “A Fazenda Ipanema foi a pioneira na Siderúrgica do Brasil, onde se encontrou o minério mais rico do mundo, com aproximadamente 72% de ferro, fazendo com o nosso ferro fundido fosse comprovadamente superior aos Estados Unidos. Ela fica numa reserva de cinco mil hectares de mata atlântica, administrada pelo Instituto Chico Mendes de conservação da biodiversidade. Além da trilhas, de duas a três horas ida e volta, abriga ainda um sítio arqueológico com cerca de 20% das instalações preservadas da Real Fábrica de Ferro de Ipanema, que funcionou de 1811 à 1895. Na parte histórica do passeio, fornos, locomotivas, tornos e rodas d'água mostram como os primeiros artefatos de ferro fundido do Brasil foram feitos. As instalações contam com um forte, uma represa, a casa colonial onde funcionava o escritório da fábrica, que inclusive hospedou D. Pedro II por 4 vezes, fornos e a fábrica de armas brancas.” http://www.cidadedeipero.com.br/ipanema.html O ingresso custa R$5,00 e é necessário agendar antecipadamente, fiz na mesma semana no Fone: (15) 3266-9099, pois é obrigatório o acompanhamento do monitor, que é pago, R$ 5,00 também. Saímos as 8h40, e ainda demos uma parada na estrada, por isso acabamos por chegar 10h15 lá. Essa é a foto da cachoeira que encontramos na parada no meio da estrada, que aliás tinha um banheiro que amigas, todas as mulheres querem em casa...rssssss Endereço: ah...esse é cruel, tem informações pela metade na internet, mas esse é certeiro: Saída 99B da Rodovia Castelo Branco, seguindo-se em direção a Sorocaba. Segue a estrada e entre o km 3 e 4 você vai chegar na rotatória da Cruz de Ferro. Siga as placas amarelas que dizem “fábrica de armas brancas.” Você entrará numa estrada de terra até o momento que surgirá uma bifurcação sem placa alguma, SIGA A ESQUERDA. Nós batemos o olho e decidimos ir nessa direção, por "sorte", acertamos! Kkkk Logo a frente, ou melhor bemmmmmmm lá na frente, outras placas da fábrica aparecerão até que veja um portal. Entre no portão do lado esquerdo e chegou! Agora é só contemplar! Olha que estradinha linda, parece de filme! Passamos por uma guarita, com um guardinha "bem educado" e entramos na fazenda. Essas casas fazem parte de uma espécie de vilarejo. Passamos por partes da antiga fábrica, algumas em restauração. Estacionamos o carro e pagamos o ingresso. Conhecemos nosso guia, o Moisés. De começo ele nos pareceu meio estranho, mas depois....kkk Ele nos explicou sobre as trilhas disponíveis e escolhemos a Pedra Santa mesmo. Até pensamos em emendar na outra, dependendo do horário. O Moisés nos avisou que já ficaríamos muito felizes só com a Pedra Santa. E não é que ele estava totalmente correto? Tiramos aquela foto básica do antes E lá fomos nós! Chegamos na 1ª Cruz! O Moisés nos explicou que foi nesse lugar que o Monge Gionanni d'Augustini ficou por anos meditando, pregando e afins. Também contou uma história de algumas pessoas que foram levar duas galinhas de presente para ele. No caminho elas fugiram e só conseguiram pegar uma. Uma mulher que ajudava a procurar a outra, já cansada e com raiva disse que aquela galinha fosse pro inferno e várias coisas do tipo. Depois, conseguiram achar a galinha. Ao tentarem entregar para o Monge os presentes, o mesmo disse que não queria uma delas, pois ela pertencia a uma “pessoa” que não era seu Pai, e, portanto dele ele nada queria. Voltamos para a trilha. E vamos que vamos! Até a Dany que na outra trilha parou num obstáculo parecido por conta de uma cirurgia recente com esse dessa vez encarrou com sorriso no rosto! Chegamos na 2ª cruz. Foi aqui que a galera ganhou uma surpresinha!!! Nosso guia me ajudou no início da surpresa, ele de nada sabia também e depois participou com o restante do grupo. Depois veio às explicações do Moisés sobre o lugar. Essa cruz simboliza a saída do monge da reclusão para um novo mundo onde a intolerância e a violência não fazem parte da rotina. Coincidência ou não esse foi um tema que fez parte da surpresa... Continuamos a trilha e entramos numa fenda onde nosso gui,a que entrou no clima da surpresinha, disse que simbolizava o renascimento e deveríamos deixar todas as coisas ruins lá, pois um novo EU nos aguardava do outro lado. A fenda era bem estreita e coberta por algumas plantas. Passava um por vez e agachado. Depois passamos embaixo de uma pequena ponte que mais parecia um portal. E enfim o presente de Deus! OS VITORIOSOS! Fizemos nosso lanche com essa maravilhosa vista e voltamos por outro caminho que foi aberto na verdade para passagem de carro. Algumas partes estavam com lama devido a chuva da noite anterior. Depois chegamos nesse gramado. No caminho todo fomos brindados por centenas de borboletas de diversos tamanhos e cores. Acho que o pessoal estava tão abismado com elas que ninguém lembrou de tirar foto. kkkkk Devido ao horário, não valia a pena começar o caminho pelas instalações da antiga fábrica. Mas como somos todos curiosos, paramos rapidinho em uma parte e tiramos algumas fotos. E assim acabou mais uma trilha!
  7. Oi Bruno! Lá é lindo mesmo, com certeza vamos voltar! O carinha lá disse que o pessoal até ia de moto andar, mas que depois que a ONG começou o trabalho de preservação foi proibido. Só que no dia que fomos, alguém estourou todas as correntes e entraram com as motos lá.... Bjus Paty
  8. Tudo começou numa terça férias eu e o Rodrigo de férias, ê beleza!!! Nós estamos em Bertioga, então até o começo da trilha foi rapidinho, fica no km 161 da Rio-Santos. A entrada para a trilha é bem sinalizada, fica numa subida tem essa pequena placa...kkkk Tem um estacionamento pago, mas para chegar lá é uma subidinha judiada pelas pedras, resolvemos parar o carro na frente de uma casa e ir a pé, gosto do meu carro sabe? Esse é o começo da trilha: Quase a trilha toda é assim, na lama: Encontramos muita, mas muita teia de aranha, algumas vezes elas eram altas e dava pra passar em baixo, outras não... fazíamos uma mudança, pegávamos as pontas e transferíamos para um lado só da trilha. e continuamos: No caminho encontramos a casa de um único morador. Ele foi nosso salvador na volta.... Chegamos num mirante: Fim da trilha e chegamos na praia que era só nossa! Eita férias boa, quem é que vai na praia de terça-feira? EUUUUUUUUUUUUUUUU OLHA QUE TRISTE, A PLACA DIZ: LEVE SEU LIXO. NÃO HÁ COLETA DEVIDO A DIFICULDADE DE ACESSO! Detalhe, fica próximo ao rio...tá vendo a placa a esquerda do fim da trilha onde estava o lixo? Esse rio forma um laguinho, até que era fundo, chegou na minha cintura. Eu bem que tentei entrar no mar, mas tava complicado...era onda atrás de onda, fora que a correnteza era muito forte! A praia era nossa! Formos até o final dela, subimos nas pedras e descobrimos uma outra prainha, com agua doce tb! mas tivemos que correr pq a maré tava subindo e para voltar a parte das pedras já estavam encoberta. As 15h resolvemos ir embora, tinha 10 minutos que entramos na trilha e começou a chover...só que foi ficando muito forte, o tempo fechou completamente, isso pq estava muito sol antes, choveu tanto que na trilha a água chegou nos meus joelhos! Sem capa de chuva nem nada, só uma sombrinha que tava na mochila que usamos de guarda sol na praia. Serviu para proteger um pouquinho as malas. Andamos super rápido, mas viamos nada, e pegamos aquelas teias de aranha altas com o guarda chuva, fazer o que, não conseguimos ver mais nada na frente! Até que chegamos na casa do tiozinho, o único morador, foi nossa salvação! "invadimos" o quintal dele, e a cachorrada começou a latir, até que ele apareceu e nós pedimos desculpa, mas não tínhamos onde ficar. Ele foi super legal, ficou conversando conosco, nos ofereceu um monte de bananas que ele tinha acabado de pegar do pé. ::otimo:: , sem brincadeira, eu comi umas 4...kkkkkkkkkkkkkkk Tb nos contou que aquele lixo que vimos na praia costumava ser recolhido por um ONG filiada a Petrobrás, com o fim do contrato eles pararam e que tb tinha um barco acho que da prefeitura que vinha buscar pela praia, que seria o modo mais fácil, mas que fazia muito tempo que ele não apareciam... Enfim, parou a chuva e nós continuamos o caminho. Se pra ir era uma lama só, imagina a volta! Eu com bota escorregava direto, pelo menos não tomei nenhum chão! E assim terminou nossa trilha. ::otimo:: bjus Paty
  9. Galera, tenho uma sugestão de um local precisando urgente de uma forte intervenção da galera, vou relatar o que passei nesse domingão: Bem, es"inventamos" de ir no Parque do Perequê (CUBATÃO) até a Cachoeira Véu da Noiva, sei que alguns aqui já passaram por lá, (tem relato no mochileiros), só não sei se pegaram a mesma situação que a minha. Tenho que dizer que a cachoeira é linda, mas o povo...me senti entrando na praia grande com o pior que pode existir de farofada! Pensa num rio que tinha mais gente que água, mas lixo que água, mais TUDO que água! Chegamos no parque 9h da manhã e já tinha um movimento grande na área de lazer, mas quando entramos na trilha...gente, eram churrasqueiras e mais churrasqueiras DENTRO do rio!!! Pessoas atravessando o rio com geladeiras de isopor, churrasqueiras, engradados de cerveja, salgadinhos, FAROFA (um cara derrubou um pote enorme na trilha) e afins. Chegando do outro lado, ainda na trilha tinha saquinhos de salgadinho, centenas de latas, copos plásticos, garrafas pets de água, suco, refri, papel de bala, camisinha, ...PELA TRILHA TODA! Mais parecia que alguém abriu as portas do galinheiro e todos fugiram para o parque! Enfim, tivemos coragem de entrar somente num poço mais limpinho que tinha 5 pessoas e quando começou a encher nós seguimos adiante, e depois só na cachoeira mesmo, onde foi o único lugar onde o povão não ia, onde Graças a Deus tinha somente 3 pessoas. Fora os grupos de mais de 15 fumando maconha em várias partes da trilha. Na volta, foi todo mundo tirando os saquinhos das mochilas e saímos num verdadeiro faxinão pelas trilhas, só na trilha pq na beira do rio era impossível... Quando estavamos quase na hora de atravessar o rio de volta, vimos um galera com várias churrasqueiras na beira do rio, melhor, dentro do rio, eles fizeram vários varáis nas árvores e era tanto lixo que só caminhão para tirar! Quando atravessamos, a "área de lazer" na entrada do parque estava ...nojenta (não achei uma palavra que se encaixasse). Cesta de Lixo? Vimos dois daqueles galões azuis, só, não achamos mais a não ser quase na porta do parque. No bar que tem nessa área de lazer, tocava FORRÓZÃO em alto de bom som, e aquele povo lindo dançando e cantando....coitado dos animais, deviam estar achando que era um ritual macabro dos humanos... Enfim gente, nojento, horrível e acima de tudo triste demais. A cachoeira é linda, o rio é lindo, a trilha é legal, mas aquela praia grande em pleno parque é decepcionante... Nós vimos 4 funcionários no parque todo, um guarda na cancela, 1 salva vidas e dois carinhas batendo papo com o salva vidas...isso quase na entrada do parque, não na muvuca do rio. Aliás, tb assistimos 2 brigas de uns caras que beberam pra caramba, e um idiota ainda passou a milhão com o carro no meio do povo, quase "atropelou" meu pai que bateu o cotovelo no retrovisor do carro (que alias vôou pedaços longe) e saiu acelerando, parar o fds não parou! Respirando....Diversão mesmo foi nas quedas do povo (minha tb...rsss), na escalada com corda , no poço que entramos e tinha corda pra pular e na linda cachoeira, onde foi o único lugar que realmente ficamos a vontade. Não sei o que dizer de lá, eu não recomendo...talvez de dia de semana e fora de temporada, mesmo assim diria: BOA SORTE! Está aí um lugar que precisaria além de placas, multirão e afins, uma forte presença em cima da prefeitura de cubatão. Paty
  10. Vou contar como foi nosso feriado no Rio, de 22/01/2010 a 25/01/2010, de sexta a terça, no Rio tb foi feriado, mas de quinta a domingo. Rodrigo tem amigos lá, combinamos que fazer alguns passeios com eles, Fábio e Ana Carla. A princípio, ficaríamos num Hotel antigo chamado Hotel Turístico na bairro da Glória. Não encontramos nada mais barato devido ao feriado e acabamos por ficar lá que já conhecíamos. Saímos ás 21h na sexta dia 21 e chegamos ás 4h da manhã pq como sempre aquele trânsito na saída de SP. Largamos tudo e cama!!! As 8h30 da manhã começa uma gritaria no Hotel, gente batendo nas paredes e afins. Tentamos dormir e nada, nos arrumamos e descemos as 9h30 correndo para tentar pegar o café manhã que terminava aquela hora, um tanto cedo por sinal. Foi aí que vimos o pq da gritaria: tinha um time de futebol INFANTIL no Hotel, uma molecada que fazia a maior bagunça e ninguém colocava ordem! Aqui fica a deficiência do Hotel, nós reclamamos e nada... Ligamos para o Fábio que ficou de nos encontrar no Hotel e irmos fazer a 1ª trilha. Quando ele chegou, a criançada estava sentada em todos os lugares possíveis da recepção do Hotel, inclusive nos dois lados das escadas que davam acesso aos quartos. O Fábio nem falou nem oi já disse um: “Caramba cara, eu que achei que eram 5 “pestinhas”, mas são mais de 20!” Rssss, já deu para imaginar não é? O atendente do hotel nos informou que Seu Pépe, o gerente, tinha um Hotel em Copacabana, Diplomata. Antes, fomos no Hotel ao lado ver se tinha vaga, mas antes o Fábio disse que tinha uns Hotéis na mesma rua...entramos em um que estava escrito HOTEL e era bem simpático, foi quanto a recepcionista disse ser um Hotel ROTATIVO. Gente, imagina minha cara, com meu marido e um negão de 2 metros de altura num Motel??? fiquei vermelha, verde, azul.... kakakakak Por fins, acabamos ficando no Diplomata, a duas quadras de Copacabana. Pegamos outro casal de amigos, Fábio (também) e Thaís e fomos almoçar, já era 13h30. Depois disso fomos fazer uma trilha bem sussa: O Pico da Tijuca. Ah, não estava quente não para fazer uma trilha essa hora e depois do almoço...só 35ºC! O Pico é o ponto mais alto do PNT e o segundo mais alto do município do Rio de Janeiro. O percurso é de 2.600 m. Este pico é o ponto mais alto do Parque Nacional da Tijuca, com 1022 metros de altitude. Segundo Burmeister, a primeira picada até o cimo deste morro, foi aberta em 1853. Em 1920, o Presidente Epitácio Pessoa reformou a trilha e mandou que se escavassem na rocha, localizada no topo do pico, degraus ladeados por corrimão constituído por grossas correntes de ferro com 120 metros de correntes e 62 hastes margeiam os 117 degraus. Depois fomos tomar aquele banho e simbora pro samba! Não sabíamos se íamos para a quadra da Mangueira ou para a Salgueiro. Mas como a Ana Carla estava com problemas no joelho, achamos por melhor a quadra da Salgueiro que é mais "light" e mais cara tb...40,00!!! Deixo claro que eu sou MANGUEIRA!!! KAKAKAK Em SP existe o Bar da Mangueira na qual eu freqüentei muito na época de solteira(época de solteira...me senti velha agora ) e um pouco na de casada.rsss Saímos de lá 3h30 da manhã, como só tínhamos dormido 3h estávamos morrendo de sono. Domingo - Igreja da Penha, Pôr do sol e Ensaio da Mangueira na Sapucaí Após acordar só 13h30...kkk, encontramos o Fábio e a Ana e fomos na Igreja da Penha, (aquela que o BOPE conseguiu "liberar" dos traficantes em dezembro). No início do século XVII, o capitão Baltasar de Abreu Cardoso ia subindo o monte rochoso (penha) para observar as suas propriedades, quando surgiu uma grande serpente. Assustado, rogou: "Minha Nossa Senhora, valei-me!". Surgiu um lagarto, que é predador das cobras, os dois animais começaram a lutar e o Capitão conseguiu fugir. O proprietário interpretou a aparição do lagarto como obra de Nossa Senhora, determinando erguer no alto da penha uma pequena ermida com uma imagem que denominou de Nossa Senhora da Penha por se encontrar no alto da rocha. O número dos devotos foi aumentando até que, em 1728, a ermida com a imagem foi ampliada e erguido um campanário onde foram colocados dois pequenos sinos. Em 1900 o templo foi ampliado, ganhando duas novas torres, nas quais foi instalado um carillhão com 25 sinos de origem portuguesa. Este Carrilhão foi inaugurado em 27 de setembro de 1925 com a bênção do então Núncio Apostólico no Brasil, Cardeal Dom Henrique Gasparri. Tem um bondinho para transporte ao Santuário, cabem 25 pessoas por vez. Erguida no alto de uma pedra, é famosa pelos 382 degraus da escadaria principal, onde muitos fiéis pagam promessas, subindo a pé ou de joelhos. Nós subimos a pé, claro! Nada de bondinho, tem que subir para ter graça!!! Só a Ana Carla tava liberada por causa do joelho. Local: Largo da Penha, 19 - Penha - Rio de Janeiro - RJ 21070-560 Tel. (21) 3219-6262 A vista de lá é linda: Durante a Ação do Bope na favela, um dos policiais colocou a bandeira do Brasil fincada numa laje, simbolizando a conquista do local, lembram? Olha ela aí: Depois corremos para pegar um barca que custava 2,60 e assistirmos ao por do sol: À noite fomos assistir o ENSAIO DA MANGUEIRA NA SAPUCAÍ! DE GRAÇA, CLARO. Depois do desfile ainda entramos a pista e fomos atras da bateria, muitoooooooooooooooooooooo dez!!! SEGUNDA - Trilha da Urca (Pão de Açúcar) Nesse dia fomos fazer os passeios sozinhos, pois o Fabio e a Ana tinham compromisso. Qualquer um pode fazer esta trilha sem medo, é um modo de se conhecer o Pão de Açúcar de graça. Para quem vai com o a grana curta é uma ótima escolha. Aliás, para qualquer um, vamos combinar que R$44,00 por pessoa está muito caro não? Para chegar ao começo da trilha vá à Praia Vermelha, na Urca e nos dirigimos à Pista Claudio Coutinho. Nós fizemos a pista toda, logo no começo vimos alguns micos: na pista: E depois entramos na trilha que fica logo no começo, do lado esquerdo tem uma placa"Trilha da Urca". Estava um calor infernal, e nós que não estamos tão acostumados assim, derretemos...kkk É uma trilha curta, um pouco íngreme, ainda mais naquele calor, mas a vista é de tirar o fôlego! olha a visita! Vimos várias borboletas, lagartos a fins durante a trilha. Quando chegamos já no fim da trilha, o caminho para chegar ao bondinho, lanchonetes e afins, mostra nitidamente que eles não fazem questão nenhuma de divulgar esse trajeto. É bem escondido e não tem placa nenhuma dizendo que essa trilha existe. Além disso, é possível pegar o bondinho e subir até o Pão de Açúcar no valor de 22,00 e descer no mesmo local, fazendo o restante pela trilha da Urca. Agora se quiser descer tudo de bondinho vai ter que pagar o valor cheio, 44,00. Descemos pela trilha, pegamos o carro e fomos para o Corcovado, que fica no Parque Nacional da Tijuca. Ah, esqueci, tínhamos que comprar o cartão para o estacionamento (como o Zona Azul de SP), no valor de 2,00 pelo dia inteiro. Primeiro paramos no heliporto, tiramos umas fotos: Seguimos e paramos o carro próximo ao antigo Hotel das Paineiras, que está fechado e infelizmente caindo aos pedaços... Existe também a possibilidade de fazer a subida por um trenzinho que passa pela Estrada de Ferro do Corcovado, inaugurada por D. Pedro II, em 1884, sendo uma das mais antigas do país. Lá vc compra o ingresso por R$ 24,75 referente ao Cristo(15,00) quando para a Van (9,75). Não é possível subir de carro até o cume. A Van vai a milhão e tem ar condicionado. Depois corremos para a Praia da Tijuca onde assistimos mais um pôr do sol: À noite fomos jantar no Peixe Vivo. Um restaurante português (não muito barato). o lugar é agradável , uma espécie de varandão envidraçado acima do nível da calçada. Rua Toneleros, nº 76, uma rua bonita e arborizada de Copacabana. Tel 2255-9225 Pena que comemos um file de Badejo, e como é um peixe muito forte, mas caiu na minha graça...fora isso, me pareceu um bom lugar. Depois andamos um pouco em Copacabana saboreando um sorvete. Terça-feira – Dia de praia e água fresca! [/size ]E de ir embora... Acordamos cedo e fomos às seguintes praias: Reserva, Pontal, prainha, Grumari, Abricó. A Praia da Reserva está localizada entre a praia da Barra da Tijuca e a Praia do Recreio. É bastante extensa e pouco freqüentada. A PRAINHA - Vizinha ao bairro de Grumari. Grumari - Tem aproximadamente 2,5 km de extensão, localiza-se a cerca de 20 quilômetros do centro da Barra. Grumari não é uma área residencial, sendo parte de uma reserva ambiental, juntamente com a Prainha (reduto do surfe ). Abricó – Fica no canto esquerdo da praia do Grumari. Possou a pedra grande a esquerda começa a praia. É dita como umas das Dez Melhores Praias de Nudismo do Brasil. Perguntamos para um salva-vidas que nops informou o seguinte: de fim de semana uma Associação coloca uma cordinha lá e é obrigatório ficar nu. Já de fim de semana eles não estão e fica a critério do visitante. Olha fiquei com uma mega vergonha! RS mas lembramos do nosso amigo da Chapada dos Veadeiros: pense que vc não está nú, não tem não de mais. Não se sinta nu! E pronto entrei no mar e tirei só a parte de cima. Tinha algumas mulheres, grupos de casais e muitos homens, (alguns gays não é?) rsss Andamos pela praia que é relativamente pequena, de ponta a ponta e fomos embora. Voltamos pro Hotel, colocamos tudo no carro e antes de ir embora fomos jantar na restaurante A Marisqueira. Logo do lado de fora se nota que é um restaurante antigo, diferente do peixe Vivo que pela varada fica mais romântico. Comemos um Linguado ao molho de Amêndoas com arroz de Brócolis, batatas cozinhas e salada. ESTAVA MARAVILHOSO! Rua Barata Ribeiro, 232 – tel 2236-2062 Voltamos para o Hotel e saímos do Rio as 21h, passamos na casa do Fábio para entregar algumas coisas e papo vai, papo vem e acabamos por sair só 22h30. Meia hora depois eu já dormia no carro, o carro me acordou a meia noite pq ele tb estava quase dormindo! Já era 24h30 quando finalmente encontramos um posto do Graal, tomamos um café e nada de acordar... Já fui pensando se eu tinha roupa para ir trabalhar direto, quando decidimos por dormir até 1h30 no carro mesmo e ver no que dava. Dormimos até as 2h e seguimos viagem. Não dormimos mais, estávamos muito mais animados e descansados, colocamos o som no último, obrigava meu marido a cantar comigo ( Nando Reis, Bon Jovi, Michael Jackson, Zé Ramalho...) e coca-cola com chocolate na veia! Chegamos 6h em casa, até largar tudo e conseguir dormir 6h30. Acordei às 8h e corri pro serviço, entrava às 8h30 kkkkk
  11. Oi Péricles. Vc vai numa época boa, início da seca, os cachoeiras viram parque de diversões. Com 4x4 dá pra fazer tudo que quiser, mesmo sem experiência, por lá tudo que vc precisa é andar. O resto o dia a dia vai te ensinando. O melhor lugar para se ficar é Alto Paraíso, tem muito mais estrutura, e o povo não é tão estranho. É que São Jorge das duas vezes que fui parecia encontro de gente muito estranha..kkk, mas isso é preferência minha, muita, mas muita gente boa fica em São Jorge,tem pousadas linda por lá tb. O ruim é a estrada, quando chove amigo....é punk!!! É bom contratar guia, mas em muitos lugares não precisa, como cahc. Água fria/cristais(fica no mesmo lugar), Fazenda São Bento, Loquinhas (é lindo e super fácil, trilha de madeira, dá pra ir a pé se tiver pique).... Os outros lugares recomendo guia, tente dividir com alguém, está 100,00 a diária esse ano. VÁ NO MACAQUINHOS E VALE DA LUA!!! bjus Paty
  12. Oi André! Motivada pelo seu relato, saí de SP nesse feriadão decidida a colocar essa trilha no meu roteiro. Meu marido já tinha feito a alguns anos, e disse que na época não tinha placa nem nada, mas agora está bem sinalizada. Foi uma ótima trilha, e não pagar 44,00, melhor 88 né, tb foi ótimo! Fora as fotos lindas! Bjus Paty
  13. hahahah Cris, vc não imagina o quanto me diverti com seu desepero sentada na sarjeta chorando! Não sabia se ria ou se ficava agôniada com a situação.... Mas realmente, quantas vezes desistimos de algo sem nem ter tentado falar um oi com alguém? Adorei seu relato, tô ensaiando de fazer minha primeira viagem sozinha, e o seu relato veio a calhar perfeitamente! Bjus Paty
  14. Olha gente, sinceramente, passei 3 dias ligando para todos os hotéis que achei na internet, tudo lotado ou mais de 180,00 OU 200,00 a diária. Ano passado eu fui pro Rio e ficamos no hotel chamado TURISTICO HOTEL. Não é um Hotel novo, e não tem muito conforto, para quem precisa de um lugar para tomar banho e dormir, lá é o lugar e mais barato que os outros hotéis. Só peça um quarto bem arejado sim? não tivemos problema com mal cheiro ou limpeza, estava tudo em ordem. Nós vamos do dia 21/01 ao 25/01 e pagaremos para um casal com café da manhã - 125,00 a diária (pq choramos, o preço não é esse). Tem Estacionamento interno, mas não te WIFI, só um micro disponível e não sei o estava dele. (21) 2557-7698 - DONO DO LOCAL SEU PÊPE.
  15. Postei meu relato da Chapada pessoal: chapada-dos-veadeiros-finalmente-o-retorno-para-o-paraiso-t51127.html bjus Bjus
×
×
  • Criar Novo...