Ir para conteúdo

Carol Azevedo

Membros
  • Total de itens

    6
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Carol Azevedo

  • Data de Nascimento 29-01-1986
  1. Olá pessoal, vou postar por aqui o relato breve de uma viagem para a Serra de Martins, no sudoeste do Rio Grande do Norte, a aproximadamente 350 km de Natal. Pra quem acha que aqui no RN só tem praia, aí vai uma opção diferente. A região é muito bonita e agrada bem quem curte ecoturismo. Eu fui em janeiro, então o clima estava quente, mas tenho informações de que em julho a temperatura por lá fica por volta de 15º C. Além disso, em julho acontece o Festival Gastronômico de Martins, que parece ser um evento que movimenta bastante a cidade. Algumas imagens: Os mirantes ficam bem próximos ao centro e têm uma boa estrutura, com restaurante, mesas, barracas etc. No Museu Histórico de Martins há exposição de utensílios cotidianos do século passado, peças arqueológicas encontradas na região e exemplares de obras literárias tradicionais. A Casa de Pedra é uma gruta com vários "compartimentos", que por analogia correspondem aos vários cômodos de uma casa, daí o nome. O acesso para a Casa de Pedra fica a uns 10 km do centro, e a estradinha de barro que leva até lá tem 12 km. A cidade é bem pequena, então dá pra conhecer o que interessa em apenas um dia. Os valores de pousadas simples com café ficam em torno de r$ 30 por pessoa, mas também há hotéis mais sofisticados. Boa viagem !
  2. Olá, vou postar aqui um roteiro de fim de semana, saindo de Natal com destino ao interior do estado, passando por duas serras no Rio Grande do Norte. A Serra da Tapuia fica a 100 km de Natal e lá fica um dos castelos do Zé do Monte, um senhor de ar místico que construiu 13 castelos espalhados pelo sertão. Segundo ele, os castelos são resultado de visões sobrenaturais... O lugar é muito bonito e o Zé do Monte é uma figura bem interessante, ele adora conversar e contar várias e várias histórias sobre o que ele já passou por lá. Pra chegar lá, é só tomar a seguinte seqüência de BR’s: 101, 304 e 226. Ao chegar no município de Tangará, pegar a RN 093 até Sítio Novo. Ao chegar em Sítio Novo, procure a estradinha que leva até a serra. Essa estradinha tem aproximadamente 10 km e em alguns trechos é de barro. A entrada do castelo custou R$ 5,00 por pessoa. É importante observar que no local não há estrutura de lanchonete nem banheiros, então quem pretende dar uma passada por lá deve levar comida e água. Acredito que uma manhã já é bem suficiente pra apreciar a paisagem e rodar o interior do castelo, que é um labirinto. Em Currais Novos (a 180 km de Natal) o barato é a Mina Brejuí e o Canyon dos Apertados. A Mina Brejuí tem uma boa estrutura para visitação incluindo igreja com mármore rosa, museu, visitação ao subsolo da mina e às dunas de rejeito de minério, além da explicação da história do lugar. A visita custa R$ 4,00 e vale muito a pena. Já o Canyon dos Apertados é o único canyon de rocha granítica do mundo e pra ir até lá, sugiro uma trilha com guias da Empresa Mandacaru (84 3412-0038). Eu fiz uma trilha de aproximadamente 3 horas para chegar até o canyon e de 1 hora pra voltar. Também é possível pegar trechos mais curtos, pra quem preferir. Achei a trilha tranqüila e a paisagem então... é sensacional. Eu fui no final de julho e o rio já estava quase totalmente seco, mas mesmo assim deu pra tomar um banho bem gelado que tava uma delícia. Pra pegar o rio cheio, tem que ir no “inverno” do nordeste, que é mais ou menos de março a julho. Essas são só algumas dicas de atrações no RN. O estado ainda tem muito mais coisa bacana pra visitar.
  3. Galinhos é um destino ainda pouco divulgado do Rio Grande do Norte. É uma vila de pescadores que fica numa península a umas 2 horas de Natal (de carro). Pra chegar lá, é necessário tomar um barco e na vila o principal meio de transporte é o “burro-táxi” (dá dó ver como os bichinhos são maltratados...). Pra ir até lá, eu acertei um passeio com a empresa “Pé na Estrada das Trilhas” (http://www.penaestradatrilhas.com.br/default.asp), sediada em Natal e muito bem organizada. O passeio custou R$ 80,00 e incluiu o transporte Natal-Galinhos, passeio de barco e o almoço no restaurante da Dona Irene. O restaurante é ótimo, a comida é bem variada, incluindo diversas opções de frutos do mar. Galinhos é um lugar sossegado, lindo e que merece muito ser apreciado!
  4. Olá, vou deixar por aqui um roteiro que pode ser realizado em apenas 1 dia. O destino é Pipa, no Rio Grande do Norte. Para chegar em Pipa partindo de Natal e de ônibus, é só tomar o ônibus da empresa Oceano (84 3311-3300) na rodoviária de Natal ou em frente ao Carrefour (perto do Natal Shopping). Há ônibus com freqüência ao longo do dia, em intervalos de aproximadamente 1 hora. A viagem demora 2 horas e a passagem custa em torno de R$ 12,00. Eu, irmãos e primos saímos de Natal pela manhã e descemos no terminal de Pipa. Seguimos as plaquinhas existentes na cidade e depois de 40 minutos de caminhada chegamos ao Chapadão, que é uma falésia de onde se tem uma vista fantástica da Praia do Amor (Obs: é possível chegar de carro até o topo do Chapadão). É possível descer para a praia caminhando pela “parede” do Chapadão. É necessário tomar cuidado pra evitar escorregões. Descemos o Chapadão e chegamos à Praia do Amor, onde havia pouquíssimos visitantes, o que, na minha opinião, deixa o lugar bem mais agradável. Aproveitamos a Praia do Amor e de lá seguimos para o centro de Pipa pra almoçar. No percurso, passamos por praias bem mais badaladas, com grande número de turistas. Em Pipa é possível encontrar opções de refeição com preços variados. Há restaurantes sofisticados e caros, mas também existem restaurantes simples, com boa comida e bons preços. Nesse dia, almoçamos por R$ 8,00, comida muito boa e variada (não lembro o nome do restaurante...). Depois do almoço, seguimos a pé para o Santuário Ecológico de Pipa (a entrada custa R$ 5,00). Levamos aproximadamente 50 minutos pra chegar na entrada do parque. O Santuário é um parque com boa estrutura (banheiros, área de piquenique, trilhas, mirantes...). As trilhas são curtas e fáceis (obs: é possível fazer as trilhas até de chinelo) e sempre levam a algum mirante de onde se desfruta de uma fantástica paisagem. Depois das trilhas, descemos para a Ponta do Madeiro, uma das praias mais legais que eu já vi. O lugar é lindo e existem umas 3 barracas que servem refeições e bebidas (obs: os preços são mais caros do que no centro). Ficamos na Ponta do Madeiro até o entardecer. Por fim, subimos pelo acesso do Santuário seguimos até a rodovia, onde tomamos o busão de volta. Resultado: aquele cansaço bom que vem acompanhado da sensação de um dia incrível. Dicas: - proteja-se do sol com todo o arsenal possível, MESMO; - leve água e comida, pois em alguns trechos não há onde comprar. Fotos em breve.
×
×
  • Criar Novo...