Ir para conteúdo

davicaetano

Membros
  • Total de itens

    16
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre davicaetano

  • Data de Nascimento 23-04-1983

Bio

  • Ocupação
    Ocupo um quarto.
  1. Olá. Estou postando abaixo o relato de parte da minha viagem pela América Latina. Saí de casa em 21 de dezembro de 2010 e voltei em 3 de março de 2011. Fui de moto, uma Tornado 250cc. Passei por Chile, onde fiz trabalho vountário e Argentina, onde escalei um monte de montanhas nos Andes. Aos poucos vou escrevendo as histórias e colocando aqui. Tenho também um blog, onde tem umas outras histórias de viagens pra Bolívia e uns rolês nos Brasil também. O endereço é http://naturedrunk.blogspot.com Espero que gostem. --- Depois de escalar no Cordón del Plata decidi ir para o Mercedário. As
  2. Morte na montanha Acordei bem cedo e fui tomar café da manhã. Já com minha grande mochilas às costas, fechei a conta e fui a porta do hotel. O sol estava longe de dar as caras e as ruas, mesmo no centro de La Paz, são tenebrosas durante a madrugada. Eu precisava encontrar um taxi com antena e barato. Com antena, pois havia descoberto que é mais difícil pegar um taxi falso tendo ele antena de rádio. Já estava há alguns dias na Bolívia quando decidi que era hora de escalar. A escalada em alta montanha exige aclimatação e eu tinha passado alguns dias andando pela Ilha do Sol, mas ainda não e
  3. Estou postando abaixo a parte 2 do meu relato de viagem na Bolivia. Eu fiz um blog onde coloquei os mesmos textos, mas que vai servir para eu escrever os relatos que vou colocar da minha próxima viagem que vai acontecer no próximos dias aos Andes. http://naturedrunk.blogspot.com/
  4. Olá. Agradeço aos comments, que dão uma motivada pra continuar escrevendo. Estou escrevendo uma outra parte e vou tentar colocar aqui antes da próxima viagem, que deve ser semana que vem. Abs, Davi.
  5. Quase morri na Bolívia Existem algumas coisas que as pessoas consideram completamente insanas e eu, ainda não sei porque, considero natural como o nascer do sol. Uma dessas era que deveria viajar. Ainda no meu trabalho fui surpreendido por um colega vendo fotos de uma viagem de moto até a Patagônia. Ele achou um absurdo quando disse que gostaria de fazer a mesma coisa. Alguns dias depois voltava para aquela sala de escritório no vigésimo sétimo andar para assinar minha demissão. O mesmo colega, quando me viu, perguntou: -Ei, voce veio assinar a demissão? Achei que estava no Chile. Saí da
  6. Caramba, queria eu estar com a viagem programada assim como voce. Inicialmente eu iria fazer Argentina, Chile, Peru e Bolivia, mas como faço parte de uma ong que constrói casas para pessoas em extrema pobreza e vai haver uma construção no chile e uma no paraguay, vou ter que mudar tudo e acabou virando um quebra-cabeça de dias e quilómetros. Eu vou de moto e acho que vou acabar fazendo o contrário do que planejei. E saio daqui no dia 25 próximo (se tudo der certo na faculdade) ou dia 1/julho (se nem tudo der certo). O bom que só preciso voltar no final de agosto. Mas, respondendo sua p
  7. Finalmente pude sentar em frente ao computador para escrever esse relato. Em parte porque já tenho outra aventura pendente e não é bom deixar que as idéias fiquem na cabeça, pois podem se misturar e até a realidade. Eu havia decidido fazer a Petrô-Terê, pois essa travessia se faz em tres dias, que é o tempo que tenho geralmente, pois não tenho aula na sexta-feira e posso voltar no domingo, mas li um relato chamado “Paranapiacaba em dois tempos” e me senti atraído pelo local me é ligado a lembranças próximas. Primeiro porque nasci em São Bernardo do Campo, cidade do ABC paulista vizinha a Sant
  8. Fala Augusto, Acabei de chegar da Travessia. Muito boa. Disse pra voce que ia pegar o onibus das 7:30 mas acabei pegando o da 9:30 e chegando lá 11:30 (2:30 a mais com relação a voces). No começo da trilha, depois que passa a primeira fonte de água, eu me perdi um pouco. Tinha uma cerca no final, eu segui a cerca a direita, subindo, mas depois fechava demais e a trilha perdia. Mas logo me achei e quando achei o Bicão fiquei mais sossegado. Esses pontos de referencias no relato são bons, pq eu sempre vou na dúvida se estou perdido ou não, e quando tem algo que não deixa dúvidas, fico mais t
  9. Eu fui pra lá ontem e voltei agora há pouco. Estava com o relato impresso no bolso da bermuda porém houve uma pequena falha. Em breve vou postar o relato mas queria acertar mais ou menos o caminho aqui pra que quem vá não cometa os erros que cometi. Minha idéia era sair na sexta de manhã de casa, chegar lá a tarde e acampar no pico. Tudo solitário. Porém não saí de São Paulo muito cedo e cheguei em Paranapiacaba às 14:30. Logo na descida para cruzar a linha do trem perguntei a um grupo sobre a Pedra Grande e um deles, que conhecia bem a região, me disse que eu ia caminhar bastante (e eu go
  10. Ótimas travessias, ótimo relato, muito bem escrito. Eu sou natural de São Bernardo, apesar de morar em São Paulo atualmente. Vou ver se esse final de semana conheço esses lados que voce viajou. E com relato tão detalhado nem tem como se perder. Abs. Davi.
  11. Muito legal seu relato. É uma pena que choveu, mas, como voce diz, "Eu já estou com o pé na estrada, qualquer dia a gente se vê...". Eu andei pensando no que é alguém que sai de casa pra fazer isso que voce fez e eu acho que não tem nome. Nenhum nome cabe para quem entendeu que ali se faz anônimo. Muito menos que ali não se vai pra fazer qualquer coisa que se tenha planejado, pois os planos ficaram para trás, afinal "Eu já estou com o pé na estrada, qualquer dia a gente se vê...". Parabéns pela trip.
  12. Não fazia ainda nem uma semana que chegara em casa de Monte Verde e estava agitado. Olhei pra mochila no canto do quarto vazia, murcha e entrei no Mochileiros.com procurando algum roteiro. Entre os relatos que leio há alguns em que vou junto, sinto o frio e a chuva. Como a moto estava na revisão procurei algum lugar fácil chegar de ônibus. Encontrei o Pico do Paraná (ou foi ele que me encontrou). Acordei na sexta-feira às 6 da manhã, arrumei as coisas e fui à Rodoviária. Mal sabia que uma cratera em algum lugar fez o ônibus atrasar duas horas e meia, embarcando apenas às 10:30 da manhã. A fic
  13. Fala bruno. Então, mordeu mesmo. Não é que esse final de semana, mesmo com a motoca fazendo revisão peguei o busão e fui pro PP sozinho. Nem tá dando tempo de documentar tudo e ainda fazer as coisas da facul. Valeu pelo incentivo e pelas dicas antes da viagem. Abs. Fala Marcos. Foi mal, eu sabia que tinha umas letras depois do seu nome e confundi. Vamos marcar uma viagem sim, cada lugar que vou encontro gente no caminho que me pergunta se não conheço tal lugar de não sei onde e fica mais um pra lista que só aumenta. Puta sorte mesmo ter pego o dia limpo, cheguei em SP bronzea
  14. Essa viagem começou, na verdade, há um tempo. Eu vou viajar a Campo Grande na semana santa, e pensei em ir para Bonito antes. Porém queria acampar. Para acampar precisava de uma barraca e digitei no google “barraca Nautika” e vim parar aqui no mochileiros.com. Nem sabia onde estava me metendo naquele momento. Pesquisei sobre Bonito e vi que não era o que eu estava procurando, pois todas as atrações exigem guias. Comecei a viajar pelos relatos de voces e vi alguns sobre Monte Verde. Perguntei para o Marcos SJC que me encorajou bastante a fazer. Então tinha que comprar o equipamento. Comecei
  15. Olá Augusto, Nesse final de semana que passou fui fazer a travessia em Monte Verde. Usei como guia o seu relato, inclusive fiz o mesmo caminho, só não fui até SFX porque deixei a moto na frente do Bradesco. Muito obrigado pelas informações relatadas e pela experiência compartilhada. Foi minha primeira travessia e logo vou postar o relato dela. Ler os relatos aqui deixa as coisas mais fáceis, tanto pela parte técnica, como locais de fontes de água, quanto pela parte psicológica. Só uma pergunta: A pedra em que voce acampou no Pico do Selado é aquela que fica à esquerda do Pico olhando l
×
×
  • Criar Novo...