Ir para conteúdo

alexandreautran

Membros
  • Total de itens

    15
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Bio

  • Ocupação
    Advogada

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. @bblobato fomos de avião porque é um vôo de meia horinha, bem rápido assim aproveitamos o dia todo.
  2. Oi Andressa, tanto a ida como volta de acapulco foi feita de avião. São cerca de 30min de voo direto. Quase não dá tempo de servirem um sanduíche no voo De carro são como 6horas se não me engano.
  3. Oi Lidiane, no méxico eu não fiquei em albergue. Em outros lugares sim. Sempre viajo com uma mochila e uma mala de mão (a que eu tenho é do tamanho máximo permitido para bagagem de mão pelas empresas aéreas). Quando fiquei em albergues sempre tem uma "sala das malas" aonde ficam todas as malas de todos os hospedes. Acho que isso passa mais segurança para algumas pessoas. Alguns albergues tem de graça um cofre na recepção aonde sugerem que você deixe seus documentos e coisas de maior valor. Como eu fiquei em hotel, não tive nenhum problema. Inclusive quando fui para acapulco fui só com a mochila (deixei a mala no hotel em DF para buscar dois dias depois). Eu levaria uma mochila e uma mala de mão daquelas que cobrem o ziper (as malas daquelas tradicionais com ziper comum exposto podem ser abertas facilmente) com um cadeado de chave. Nunca tive problemas assim. Levaria elas comigo de cidade a cidade. Deixaria as compras pro final da viagem se for possível. Deve ter no fórum alguma parte de dicas de segurança em albergues. Homem acho que nunca se preocupa muito com segurança, rs. Eu achei o méxico super tranquilo. Eu andava pra cima e pra baixo com uma mochila com agua, casaco, camera e mapa. Não senti perigo de assalto em lugar nenhum, essa pelo menos foi a minha experiência. Espero que você possa voltar e dizer que foi igual para você nesse sentido
  4. Em Paris, eu acho que falar inglês não adianta muito (às vezes espanhol é até mais fácil). Mas a maior parte das pessoas ou fala francês ou fala francês. rs. Outra coisa é que andando pelos pontos turísticos ou por lojas como a Sephora na Champs Elyses, tem muito brasileiro andando. Eu acho que brasileiro se vira em qualquer lugar do mundo. rs Perto de alguns dos pontos turísticos mais importantes tem umas barracas de atendimento ao turista aonde tem gente que fala vários idiomas incluindo português. Nos outros lugares vale apontar, gesticular, falar em português...no final todo mundo se entende.
  5. Oi Ana, O aeroporto não fica muito longe não, mas dependendo da hora se torna complicado chegar e sair do aeroporto, o que em determinado horário pode significar um trajeto de 15minutos em outros leva algo como 1hora. Conhecer a cidade enquanto espera o outro voo acho muito complicado, porque a cidade é bem grande e uma das coisas mais legais são os museus de antropologia e arte além dos bosques que levam horas para conhecer. Só se fosse para ir para Zócalo e conhecer a praça e ver de fora as ruinas do templo maior ou seguir para a Alameda Central...mas mesmo assim eu acho que não recomendaria não, porque vocês teriam que sair do aeroporto correndo, gastar cerca de 120~180pesos para ir de taxi ao centro, dar uma volta e gastar mais 180pesos para voltar ao aeroporto e talvez enfrentar trânsito (o que na cidade do méxico pode significar muito tempo). Espero ter ajudado
  6. Oi Excalibur, desculpe-me pela demora. 1) Caminhei pelo Sena a noite ao invés de fazer o passeio no barco, porque eu fui sozinho, e, vale mais a pena para um casal. 2) O Orange, pelo que eu sei e me foi dito só pode ser comprado atualmente por quem mora lá, turista tem que comprar o Paris Visite (mais caro que o Orange mas vale a pena e inclui descontos para alguns lugares) Abraço,
  7. Ailherson, Desculpa a demora pela resposta. Não fui ao Zoo. No museu eu fiquei umas 2~3 horas. Pro museu da Frida eu fui de carro, deu tempo tranquilo. De metrô seria até mais rápido. Da Zócalo pro Benito Juarez na Alameda Central é pertinho. É só pegar a Calle F.A. Madero ou a paralela. Se você for andando vai acabar parando em alguma loja pelo meio do caminho, mas é perto. Diria que 15 minutos, sem contar as paradas. Qualquer coisa é só falar. Abraços
  8. Precisando é só falar... Eu to com um mapa do metro para scanear, o farei assim que conseguir limpar o meu scaner e vou disponibilizar o arquivo editando o tópico. Depois quero tentar fazer um mapinha básico também com alguns pontos legais. Flw, Alexandre
  9. Voamos pela Mexicana saindo de SP Aliás, fica uma dica... Aeromexico tem parceria com a TAM, ou seja, a TAM faz o voo para SP e você embarca direto no voo para o México como se fosse conexão, você faz a saída do país na sua cidade, então não tem que se preocupar em fazer 2 check-ins. A bagagem é despachada direto para o México também. Mas confirmem a informação antes com quem for necessário, pois essa foi o que me disseram no check-in da TAM. Conseguir o visto foi tranquilo. É como eles dizem, leve os documentos que comprovem renda, e, tudo mais que pedem e pronto. Nossas contas foram: em torno de $150/dia para comida, museu, transporte... de hotel foi um pouco caro, nossa diária era de 90usd/noite, mas era quarto para até 4 pessoas com um excelente café incluso e no centro histórico a uma quadra da praça Zócalo. No total foram em torno de R$2500 com voo e tudo mais, fora algumas compras e alguns jantares mais caros.
  10. Fala galera, Acabei de chegar do México e vou colocar para vocês o roteiro que fizemos. Todos os dias foram feitos com folga, sem muita correria (só corremos um pouco em Acapulco), pois como era baixa temporada as cidades estavam vazias - de turistas digo. Saída (RJ): 01-06 Chegada (México-DF): 02-06 Dicas sobre gastos no final de tudo. Chegando no aeroporto: Logo de cara você vê no Aeroporto Benito Juarez uma coisa que define parte do México, grandiosidade. O Aeroporto é muito grande e muito limpo, organizado e bonito. Como de costume, você preenche um formulário de entrada e vai apresentar depois para a imigração. Tudo sinalizado, sem stress. Chegamos na imigração, todo mundo com vistos (agora o americano vale para o méxico - mas eu tava com o visto mexicano) formulários apresentados ele preencheu a parte dele e carimbou os passaportes. Aproveitamos para ir vendo nas lojas de cambio as taxas oferecidas, nisso vale a pena tomar um cuidado: - Nem todas aceitam Reais e as taxas para os Dólares são diferentes em cada casa. - Nós levamos Dólares e vimos qual seria a melhor casa para trocar, o melhor seria levar tudo em pesos direto de casa, mas não tivemos tempo para buscar uma casa de cambio que tivesse pesos. Nossos telefones no México foram um mistério, o meu é Vivo Quadriband e estava habilitado para viagem, não funcionou sinal, o outro Oi também habilitado não funcionou e um telefone da Oi, muito mais velho que todos os outros, que a gente não sabia nem se era Quadriband funcionou normalmente. Obs.: Para os telefones públicos são todos com cartão telefonico, você compra direto nas lojinhas de conveniência (7Eleven, Oxxo, ou outras) de acordo com o crédito, $30, $50... é só pedir por uma "Tarjeta da Ladatel de X pesos" Saíndo do Aeroporto: Pegamos um taxi, tem várias empresas oferencedo o serviço, te cobram antecipado e de acordo com a distância que vão percorrer. Para o centro histórico, no nosso caso o hotel ficava perto da praça Zócalo, vão te cobrar em torno de $127 (Pesos). Se for um carro grande (estilo SUV) uns $180. Ok. Primeiro dia. Roteiro: - Praça Zócalo (Catedral Metropolitana, Palacion Nacional - fechado para reforma) - Templo Mayor e Museu do Templo ($51) - Colegio San Ildefonso - não entramos - Café de las Sirenas - não entramos - Café Tacuba - não entramos - Dulceria Celaya - não entramos - Casa dos Azuleijos - não entramos - Correio Nacional - não entramos - Museu Nacional de Arte (Munal) - não entramos - Palacio de Belas Artes - não entramos - Alameda Central (hemi-circulo Benito uarez) - El Huequito (melhor Taco al Pastor) Não entramos significa que vimos por fora só (o hotel era perto e poderíamos voltar caso fose necessario). Transporte: Todo feito a pé. Gastos com comida:Em torno de $100 (pesos/pessoa) Trajeto: Algumas fotos: Zócalo Templo Mayor Casa dos Azuleijos Segundo dia: Roteiro: - Paseo de la Reforma - Bosque de Chapultepec - Museu de Antropologia ($51) - Palacio de Chapultepec - Zona Rosa - Coyacan - Museu Frida Khalo ($60) - Bazar Artesanias - Praça que esqueci o nome (não é uma praça famosa não, fomos para ver o povo local) Transporte: Feito com carro - Podia facilmente ter usado o metro, seria até mais rápido. Gastos com comida: Em torno de $200 pesos (comemos em um restaurante top na zona rosa, quem quiser o nome me pede por MP que eu busco aqui) Terceiro dia: - Plaza de las 3 culturas - Teotihuacan ($51) - Ciudadela Mercado de Artesanias - Balderas - Lucha Libre (de $25 - $300) Para Teotihuacan de carro são 2 pedágios (ida-volta) de uns $36 cada + uns $300 de gasolina. Como eramos 5 pessoas valeu a pena, mas podem pegar Onibus para lá. Transporte: carro e metrô. Fomos a Teotihuacan de carro e de noite a Lucha Libre também fomos de carro. Gastos com comida: Em torno de $100 Quarto dia: Roteiro: - Xochimilco (barco para 20 pessoas, em torno de $250/h - dá pra negociar um pacote de mais horas) - Shopping Perisur - Compras Transporte: Carro Para Xochimilco poderiamos ter usado o Trole-Bus que é integrado com metro, mas fomos de carro cedinho e não pegamos trânsito (baixa temporada). Saindo para Acapulco: Como nosso hotel era confiável deixamos nossas malas no hotel e fomos de mochila para acapulco, pois seriam somente dois dias. Chegando em Acapulco: De cara você vê que Acapulco é diferente da Cidade de México, ar mais limpo e muitas praias. Como era baixa temporada vimos pouquissimos turistas o que nos deu a oportunidade de aproveitar tranquilos. Se você tiver pouco tempo, assim como a gente, sugiro que pegue um guia de van e faça um tour de 4 horas. Assim você conhecerá toda a cidade (correndo) e pode no dia seguinte ir ao que te interessou mais. No primeiro dia vimos: - La Quebrada - Show de Clavados de dia (13:00) - Hotel Internacional (hotel abandonado com ótima vista da cidade) - entramos - Hotel El Flamingos (hit da era da tv pb, conhecido por hospedar hollywood em peso) - entramos - Casa de Diego Rivera - Praias da Costeira - entramos - Mercado indigena - entramos - Rua das Piñatas - paramos para ver - Señor Frogs (bar muito legal) - entramos - Hotel Princess (em forma do templo de Chichen Itzá) - entramos - Capela da Paz - entramos - Galeria Diana, Galeria Bahia e Fábricas de Francia - Show de Clavados com tochas a noite (22:30) Segundo dia: - Praias - Galeria Diana, Galeria Bahia e Fábricas de Francia - entramos - Shopping La Isla Algumas fotos: Na volta para Cidade do México fomos visitando os lugares que tinhamos passado e não haviamos entrado, sempre usando o metrô e caminhando. Dicas sobre gastos: Água: Tem que comprar água de garrafa, vende em um monte de lugares. Nas farmácias foi aonde encontramos mais barato. Em torno de $8 a garrafa de 1,5L. Comida: Bem barato: Aqui no Brasil temos as lanchonetes de Chineses (pelo menos no RJ sim) lá tem Taquerias. Nas taquerias cobram cerca de $5 por taco, com uns 4 ou 5 dá pra se alimentar por $25 pesos. Outra opção(que eu gostei mais): Nas lojas 7Eleven e Oxxo tem uns sanduiches muito bons, alguns com frango, carne...e sempre tem um combo que inclue refrigerante e alguma coisa mais por $25 pesos. Um pouco mais caro: Vip's, uma rede de restaurantes baratos que dão pro gasto. Para jantar tem pratos que custam uns $40 (pesos). Para quem quer o bom e seguro tem sempre Mc Donalds, Burguer King. Metro: Custa $3 (pesos) e você pode ir para qualquer canto da cidade. Limpo, seguro (claro que você vai ficar de olho na sua mochila/bolsa até mesmo que esteja dentro do vaticano...mas eu achei seguro) porém, em horários de rush fica bem cheio - perfeitamente normal. Telefone: A ligação de lá para o Brasil custa um tanto cara...ligando todo dia para dar um oi, eu gastei um cartão de $30/dia (até resolver dar um oi usando o skype com o wifi do hotel) Sobre segurança: Ao contrário do que muito gente diz ou pensa, eu achei o México um lugar seguro. Não passei por nenhuma situação. Mesmo nos dias que caminhei com mochila, parando para fotos, perto dos pontos turísticos e etc. Achei mais seguro que no Rio. Sobre a pimenta: Lá eles usam bastante salsa, um molho feito com a pimenta. Não colocam pimenta em conserva que nem a gente no Brasil. Algumas salsa são muito gostosas e a do Vip's por exemplo eu achei ruim o gosto. Algumas são mais fortes que outras, então é bom sempre provar um pouco e ver se tá legal para você ou não. Eu curto muito salsa e pimentas então passei muito bem, não tive problemas relacionados a uso excessivo do banheiro digamos assim...hehehe. Acho que isso é tudo. Se alguem tiver dúvida é só perguntar. Se quiserem nomes do hotel, email da guia de acapulco, preços que faltaram colocar...só falar. Abraços, Alexandre
  11. Estou alterando o roteiro com as dicas que peguei com vocês e com mais informações dos mochileiros. Portugal: 3 primeiros dias em Lisboa 1 Sintra/Óbidos (dormir em Óbidos) 1 Coimbra/Porto (dormir em Porto) Sair cedo de Porto para Roma Roma por 2 dias (sendo que o primeiro é chegada de Porto) 1 Orvietto pela manha Assisi pela tarde (voltar pra Roma pra dormir) 1 Napoli/Pompei (bate e volta citado no fórum http://www.mochileiros.com/pompeia-perguntas-e-respostas-t35885.html) 1 Sienna/Pisa (bate e volta - é possível?) O que vocês acham? Sei que o bate-volta Roma-Pompéia é correria mais...acho q vai valer a pena...e troquei Vaticano por Assis... Abraços
  12. Gostei da idéia de visitar Orvieto não conhecia e pelo que eu ví realmente parece que vale muito a pena conhecer. Valeu a dica. abraços
  13. Opa, blz? Ano passado fui para Paris e fiquei lá por 10 dias e quero dividir a viagem com vocês. Datas: Partida 31/06/2009 GIG-CDG (Rio-Paris) Chegada em Paris: 01/06 - 8am (Feriado) Retorno: 10/06 - CDG-GIG(Paris-Rio) Chegada no Rio: 11/06/2009 - (Feriado) Hospedagem: Bastille Hostel - 6, Rue Trousseau - 11eme - Site: http://www.bastillehostel.com/ Se for ficar mais de 6 dias no Bastille tem que fazer duas reservas. Uma para os 6 primeiros e a outra para o restante. E é melhor confirmar tudo por email antes. O Bastille Hostel é todo novo, quartos duplos ou privativos single, banheiros fora do quarto. Os quartos tem chuveiro dentro. Pessoal da recepção gente boa, café da manhã simples (é pão com geléia e uma xícara de café com leite ou outra bebida). Obs: das 11- 16h não pode ficar no quarto (mas é Paris! quem vai ficar no quarto?) Observação: Quem não se encomadar com 4 pessoas por quarto pode economizar uma grana ficando no albergue que é dono do Bastille o AIJ http://www.aijparis.com/ Chegando no Charles de Gaulle: Eu cheguei no CDG em um dia diferenciado, pois somente o governo francês, a equipe da airfrance e funcionários do aeroporto estavam sabendo o que acontecia. O fato é que eu saí do Rio no primeiro voo com destino a Paris e o segundo foi o que passou por aquele trágico e raro acidente. Então, depois de 8 horas de voo cheguei com o aeroporto isolado para desembarque. A entrada na frança foi super tranquila (eu levei minha vida inteira documentada, minhas reservas de hostel e voo, os mapas dos lugares e atrações que queria ver e tudo, mas não precisei apresentar nada além do passaporte). Ok. Você passou pela imigração, daí eu peguei o trem RER B. O ponto final dele é no aeroporto e de lá pro centro de Paris não demora. Não é complicado achar a plataforma para embarque, mas é chão, principalmente depois de 8 horas no avião...tem placas indicando. A plataforma fica embaixo do aeroporto. E pode comprar na loja da RATP que fica logo do lado da entrada do RER. Observações: Sempre, antes de usar o ticket do RER você precisa validar sua passagem. Isso você faz passando na roleta ou em máquinas especiais ou apresentando para um guarda específico na plataforma antes de embarcar. Esqueça de validar e pode pagar uma multa. Como eu fiquei por 10 dias comprei logo dois bilhetes de 5 dias cada 1 para todas as zonas e 1 para as zonas 1-3. Se você tiver um mapa na mão o metro de Paris é super tranquilo. E com o tempo você acaba deixando o mapa de lado até. Chegando no albergue: Do aeroporto fui direto pro albergue, de metrô. Desci na estação Bastille da linha 8 Lilás, porque quis dar uma olhada na praça da Bastilha antes de chegar no albergue. São 9 minutos andando até o albergue e eram cerca de 10h ou seja, não poderia entrar no albergue pelas regras de limpeza deles (de 10am as 4pm fora dos quartos), mas eu tava programado para isso mesmo. Deixei a mala no quarto de malas e fiz meu check-in, apresentado passaporte e quitando o resto da estadia (quando vc faz a reserva online paga o primeiro dia direto no cartão de crédito o resto quita lá na hora que chega). Dia1: [googlemap]http://maps.google.com/maps?f=d&source=s_d&saddr=Avenue+des+Champs-Elys%C3%A9es&daddr=Avenue+des+Champs-Elys%C3%A9es+to:Avenue+George+V+to:Place+de+l'Alma+to:Avenue+du+Mar%C3%A9chal+Gallieni+to:Place+Clemenceau+to:Place+de+la+Concorde+to:Rue+Royale+to:Place+Vend%C3%B4me+to:Rue+de+la+Paix+to:Boulevard+de+la+Madeleine+to:Place+de+la+Madeleine+to:Rue+Charras+to:Rue+de+Mogador+to:Rue+de+Mogador+to:48.872944,2.333093&hl=pt-BR&geocode=FX6u6QId3j8jAA%3BFTnA6QIdQAgjAA%3BFUCz6QIdMBwjAA%3BFSSc6QId3B4jAA%3BFcyV6QIdx0wjAA%3BFRWp6QIduE4jAA%3BFUah6QIdHWkjAA%3BFfmr6QIdDXMjAA%3BFcKm6QIdlIkjAA%3BFUKz6QIdHpYjAA%3BFSyw6QIdxnojAA%3BFcy16QIdOnojAA%3BFTzC6QIdgowjAA%3BFcrC6QIdmJIjAA%3BFdC_6QIdRpIjAA%3B&mra=mi&mrcr=10&mrsp=15&sz=17&via=2,7,11,13&dirflg=w&sll=48.873536,2.330754&sspn=0.004121,0.006899&ie=UTF8&ll=48.869006,2.314425&spn=0.032971,0.055189&z=14[/googlemap] a) Metrô Estação Rossevelt - Aqui começa o passeio pela Champs Elysèes. Destaque: Monoprix (mercado muito bom que fica aberto 24hs em alguns lugares) Sephora (loja de perfumes e cosméticos - a da Champs Elysèes fica lotada tem shows, demonstrações...) Quick (restaurante fast food estilo McDonald's mas muito mais saboroso) Além de mil lojas de jóias, vestidos, carros... b) Arco do Triunfo Eu aproveitei para comprar aqui o meu Museum Pass. Com esse passe você vai a tudo que é museu sem enfrentar fila. Subir no arco vale muito a pena, você sobe e desce de escada, mas vale muuuuito a pena. Foi o primeiro ponto que eu fui, você vê uma vista única de Paris. c) A Avenue Geroge V te leva até a Place alma com muito estilo, restaurantes milionários, carros idem e alguns dos melhores hotéis de Paris. Na Place Alma você vê o monumento da Liberdade que é a tocha da Estatua da Liberdade de NY. Embaixo da praça foi aonde morreu princesa Diana e além disso, é uma das melhores vistas da Torre Eiffel. d) Invalidos e Ponte Alexandre III se você parar na beira do Sena para descansar com certeza vem alguém querendo fazer um desenho seu, eu não estava afim e disse não sem problemas. e) Grand e Petit Palais, não tinha nada de bom na época que eu fui lá então foi só pra ver por fora mesmo, mas as vezes tem umas expos legais. f) Praça da Concórdia - Um monumento egípcio, fontes lindas e novamente hotéis caríssimos. g)Praça Vendome - Um monumento erguido por Napoleão, mais hotéis caros e uma praça que já foi cenário de vários filmes. h) Opera i) La Madeleine - Igreja estilo romano com um orgão muuuito legal eu parei lá para ouvir os testes de som dos instrumentos. Detalhe que na praça, do lado da igreja tem um dos banheiros subterraneos mais antigos de Paris, vale a pena ir ver j) Galeria Printemps - Lojas de todos os gostos K) Galeria Lafayette - Só valeu a pena pela arquitetura...os preços são brincadeira... l) Metrô Segui cada letrinha dessas e depois voltei pro albergue, eram umas 6:30, passei no Monoprix, comprei um jantar, uns queijos e fui comer e dormir, afinal, não tinha durmido no voo e tava acordado direto até aquela hora. Resumo do dia: Comida: Almoço no Quick (cerca de 9euros), 3L de água (duas garrafas de 1,5L, uma pela manhã e uma no final do dia, 0,20euros cada no Monoprix), jantar do Monoprix (salada pronta com queijos, presunto, salmão defumado e folhas, cerca de 5 euros) Total: 14,40 euros Tempo total do "tour": 7:30 Segundo dia [googlemap]http://maps.google.com/maps?f=d&source=s_d&saddr=Boulevard+Raspail&daddr=Boulevard+Saint-Germain+to:Rue+de+S%C3%A8vres+to:Rue+de+Grenelle+to:Rue+du+Dragon+to:Rue+du+Dragon+to:Boulevard+Saint-Germain+to:Place+Saint-Germain+des+Pr%C3%A9s+to:Rue+de+l'Abbaye+to:Rue+de+Furstemberg+to:Rue+Jacob+to:Rue+Bonaparte+to:Rue+de+l'Ancienne+Com%C3%A9die+to:Boulevard+Saint-Germain+to:Place+Saint-Michel+to:Petit+Pont+to:48.854805,2.347834+to:Boulevard+du+Palais+to:Square+de+la+Tour+Saint-Jacques+to:Rue+de+Rivoli+to:Rue+Saint-Honor%C3%A9&geocode=FRJ66QIdEX0jAA%3BFe516QIdUo8jAA%3BFfRq6QId8oAjAA%3BFVFy6QIdqYUjAA%3BFdpz6QIdK5MjAA%3BFcx06QIdvJMjAA%3BFShz6QIdapojAA%3BFdt16QIdtpsjAA%3BFTZ06QIdFqMjAA%3BFQZ36QIdWqUjAA%3BFdZ56QIdQ50jAA%3BFW6C6QIdSqIjAA%3BFZZu6QId5q8jAA%3BFb5p6QId5MAjAA%3BFexy6QIddsUjAA%3BFT9y6QIdWdAjAA%3B%3BFTB66QIdVswjAA%3BFYSF6QIdxtQjAA%3BFbeU6QIdRqYjAA%3BFaOW6QIdbKcjAA&hl=pt-BR&mra=dpe&mrcr=7&mrsp=16&sz=17&via=1,3,4,5,9,10,11,13,16,19&dirflg=w&sll=48.854939,2.34556&sspn=0.003657,0.006909&ie=UTF8&ll=48.857572,2.335839&spn=0.016461,0.043945&z=15[/googlemap] a)Metrô Rue de Bac - Aqui começa um passeio pela Boulevard Saint-Germain. Seguindo o trajeto para o ponto B (poderíamos ter feito uma linha reta pela Raspail, mas perderíamos alguns bares/cafés da Saint-Michel) você vai passar por alguns dos bares/cafés mais tradicionais de Paris. b)Bon Marché - Aqui, do lado da galeria de compras, está um dos meus lugares preferidos de toda a viagem. O Bon Marché é uma galeria de compras super-ultra-mega chique aonde eu nem entrei, pois ao lado, está a Grande Epicerie, um mercado de comida do grupo do Bon Marché que tem os melhores produtos do mundo. Um verdadeiro paraíso gourmet. E, do lado do mercado, na Rue de Bac 140, fica a Capela de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, que por mim é passagem obrigatória também. c)Saint-Germain de Prés / Les Deux Magots - Aqui, na saída do metrô Saint-Germain des Prés, fica uma das catedrais mais antigas de Paris, toda em pedra, foi usada para guardar diversas relíquias da Igreja Católica e de reis. Na frente da catedral o Les Deux Magots, café caríssimo super chique frequentado pelos pensadores que deram início ao Iluminismo e a Revolução Francesa. e)Museu Eugéne Delacroix - um dos maiores pintores franceses do romantismo. Pra quem não conhece, foi ele quem pintou o quadro da Liberdade guiando o povo. Seguindo o caminho por algumas lojas tradicionais, escola de belas artes e depois pela Rue de L'Ancienne Comedie f)Le Procope - Outro café/restaurante tradicional dos grandes pensadores. Considerado por muitos o primeiro café do mundo. Obs.: Para os aficcionados por quadrinhos, gibis, mangás, designer toys e afins, sugiro que ao invés de subir a Boulevard Saint Michel na esquina com a Saint-Germain, siga antes pela Saint-Germain por uns quarteirão mais até a rue Saint-Jacques, aonde fica a loja Album. g)fonte Saint-Michel, merece algumas fotos. h)Notre Damme - Nem precisa explicar porque vale a pena ver, né? OBS. MUITO IMPORTANTE: Assim como você veio ver a catedral, muita gente vem ver também, se você quiser subir as torres e ver o sino (uma das vistas mais bonitas de Paris) vai ter que aturar algumas horinhas de fila. O Museum Pass dá direito a subir de graça, mas não corta a fila. i)Conciergerie/Saint-Chapelle - Aqui você vai ter duas opções e uma fila única grande e lenta. Esse foi um dos únicos lugares de Paris que encontrei alguns dos tão falados "parisienses mal educados". Gente que não te responde se você não cumprimentar em francês e pedir mil perdões porque você não fala francês muito bem. Mas você vai ver uma das igrejas mais bonitas que existe e um museum bem fraquinho (na minha opinião) mostrando aonde ficou Maria Antonieta antes de ser morta. Na minha opinião vale a pena visitar a Saint-Chapelle e não vale a Conciergerie. Ambos estavam lotados quando eu fui. k) Louvre - Eu cheguei até a porta para ver que estava lotado demais para vir, voltei em outro dia logo pela manhã assim que abriu e encontrei o museu vazio. Mas comi aqui do lado numa barraquinha de rua um crepe e fui caminhando para o albergue parando em algumas lojas pelo caminho. Aqui pertinho fica a Artoyz, outra loja para quem curte designer toys. Aqui vendem camisetas muito legais. 45, Rue de l'arbre sec. É uma rua pequena e a loja é bem pequena também, mas é bem legal. Eu voltei nela no dia que voltei ao Louvre. Resumo do dia: Comida: Crepe de rua com uma Coca-cola(cerca de 6euros), 3L de água (duas garrafas de 1,5L, uma pela manhã e uma no final do dia, 0,20euros cada no Monoprix), jantar do Monoprix (uma quiche que esquentei no microondas do albergue cerca de 7euros) Total: 13,40 euros Tempo total do "tour": +- 10horas
  14. David, Valeu pelas dicas. Na parte de Portugal, você acha que fica legal voltar sempre pra passar a noite em Lisboa? Dá tempo pra fazer isso? Abraço, Alexandre
  15. Opa, blz? fiz minha primeira viagem para a Europa ano passado, para Paris. Agora, planejo uma outra ida a Europa. Tenho em torno de 10 dias em junho e pensei em Portugal e Itália. Saindo do Rio no dia 31/05 - Chegaria dia 1/06 e retornaria no dia 10/06/2010 - Chegando no Rio dia 11/06 Iniciaria a viagem por Portugal e depois seguiria para Itália. Em Portugal gostaria de conhecer as seguintes cidades: . Lisboa . Sintra . Coimbra . Porto - O plano aqui seria hospedagem em Lisboa, Em um dia visitar Sintra, em outro Coimbra e Porto (no mesmo dia) e 3 dias em Lisboa. Não sei ainda se faria de trem ou de carro essas viagens. O que vocês sugerem? Para Itália iria de avião Lisboa-Roma. Na Itália me focaria em: . Roma . Vaticano . Pisa . Milão Na Itália seriam mais 5 dias. Na parte da Itália não estou muito certo de como faria. Dá pra se hospedar em Roma e ir em um dia em cada uma dessas cidades de trem? Por favor, opinem, critiquem, deem dicas... Agora vou preparar meu relato de Paris. Abraços, Té mais
×
×
  • Criar Novo...