Ir para conteúdo

Marcos H. O. Souza

Membros
  • Total de itens

    249
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que Marcos H. O. Souza postou

  1. Oi Davi, eu sou o cara que esteve na Geórgia em 2014. Como as cidades que você escolheu são capitais (Baku, Tbilisi e Yeravan) e uma cidade hiperturística (Batumi), o transporte pode ser feito todo por trem, mas demora: de Batumi a Yeravan dá 16 horas, e passa novamente por Tbilisi. Dê uma olhada nesse site: https://www.seat61.com/Caucasus.htm
  2. Marcos H. O. Souza

    Bruxelas

    Oi Eliana, depende do roteiro que vc planeja. Bruxelas estava originalmente no seu roteiro? Não é uma cidade apaixonante, como Amsterdam ou Paris, tem gente que não vê graça nela, assim como tem gente que adora, principalmente pela relevância dos belgas em histórias em quadrinhos (Tin Tin, Asterix, Smurfs, etc); mas, caso vc realmente tenha interesse em Bruxelas, eu recomendo fazer Amsterdam-Bruxelas e Bruxelas-Colônia
  3. Oi Hugo, Parece que agora a situação melhorou consideravelmente no Uzbequistão, depois que o "dono" do país faleceu (Islam Karimov, que foi presidente desde a independência em 1991 até 2016, ano de sua morte). Quanto à segurança, achei tranquilo sim, mas na época em que eu fui dava uma sensação de apreensão, pois haviam muitos soldados nas ruas, e eles não eram simpáticos com turistas em geral (mas se disser que é brasileiro ajuda muito).
  4. O link é esse: https://www.viajenaviagem.com/2018/05/que-moeda-levar-para-50-paises/#mexico Aqui diz com todas as letras; não leve reais para o México.
  5. Se vc tem tanta certeza assim, vai fundo, o dinheiro é seu. O exemplo que ele usou da Colômbia é genérico, serve para qualquer país de moeda fraca (México incluso). O que ninguém se lembra é que o real é extremamente desvalorizado lá fora e taxas de câmbio que parecem tentadoras são enganosas. Se vc entrar no site dele (viajenaviagem.com) vai ver inclusive um post sobre qual dinheiro levar em 50 países.
  6. Ele foi bastante enfático quando disse que só se leva reais para o exterior se os países forem Argentina, Uruguai ou Chile, e que não se deve comprar moeda fraca aqui no Brasil. Estive no México em 2015, levei dólares e não me arrependi. O que geralmente ocorre é que as pessoas são condicionadas a acreditarem que não se deve fazer dois câmbios, e rejeitam qualquer informação contrária.
  7. Com relação a perguntas sobre câmbio, se é melhor levar reais ou dólares ou euros para tal lugar, vale a pena assistir a esse vídeo, feito por um viajante mais do que experiente, e que traz fatos concretos, e não achismos:
  8. Depende muito do seu perfil. Se quer um lugar mais calmo, sem tanto agito, com boa oferta de restaurantes e bares, porém mais caro, a pedida são os Jardins (em alguns pontos nem é tão caro assim!). Se vc quer mais agito, baladas, etc, convém uma hospedagem na Vila Madalena (como foi dito acima) ou então no Baixo Augusta (eu costumo ficar nessa região, no Hotel Moncloa, que é bem em conta, diárias por volta de 150 reais se reservado pelo Booking.com). O centro histórico reúne alguns dos hotéis com melhor relação custo-benefício, mas à noite realmente não é um local recomendável para se andar a
  9. Vc escolheu o melhor mês para visitar as Ilhas Faröe, maio é o mês com maior incidência de dias límpidos. Dê uma olhada no relato que escrevi aqui em 2012, tem algo sobre as Ilhas Faröe:
  10. Vou para Alagoas em janeiro e, em razão dos preços, reservei uma pousada em Barra de São Miguel. Como não é tão perto de Maceió assim (uns 22km, pelo que vi), a minha dúvida é: vale a pena se hospedar lá? É fácil achar um lugar para jantar ou fecha tudo à noite? É um lugar perigoso?
  11. Infelizmente, não tem como não perder dinheiro quando se faz câmbio, dá no máximo para atenuar as perdas. A pior opção seria trocar reais por rands aqui no Brasil, como há pouca demanda, a moeda sul-africana é vendida aqui no Brasil com uma cotação horrorosa. Levando dólar, vc teria que trocar por rands lá, e depende muito de sorte para conseguir uma boa cotação, e ainda deve ser levado em consideração fator segurança: andar com bolos de dinheiro no bolso nunca é uma boa ideia, ainda mais se vc passar por Johannesbourg. O cartão de crédito tem o risco que vc citou, mas a taxa de conversão cos
  12. Dê uma olhada nesse link, para ter uma ideia dos voos que saem de Miami: https://en.wikipedia.org/wiki/Miami_International_Airport
  13. O mais factível seria a cidade de Kutná Hora, onde fica a Capela dos Ossos, dá pouco mais de uma hora a partir de Praga. Český Krumlov e Telč seriam a princípio boas opções, mas a logística para se chegar até esses dois lugares num bate-volta não é das melhores (sem contar que Český merece ao menos uns dois pernoites, a cidade à noite fica maravilhosa!). Dresden, na Alemanha, pode ser cogitada, mas é mais usada como pitstop para quem viaja de Praga para Berlim (ou vice-versa).
  14. Olá, eu acho que 7 dias está de bom tamanho para Tashkent, Samarqand, Bukhara e Khiva; além desses lugares, um que parece ser bem interessante é a região autônoma de Karakalpak, onde fica o Mar de Aral (que está desaparecendo). Se vc começar a viagem pelo Cazaquistão e terminar pelo Turcomenistão, a sequência ideal seria Cazaquistão-Quirguistão-Uzbequistão-Turcomenistão. Quando eu fui, o pacote com hospedagem, transporte, guia e café da manhã saiu por volta de 960 dólares, não sei se ainda está nessa faixa de preços. Dá para fazer tudo sozinho (no blog Quatro Cantos do Mundo está relatada a vi
  15. Olá, viajarei para o Chile em janeiro e estou em dúvida entre comprar dólares aqui no Brasil e levar para trocar em Santiago ou levar reais para trocar por pesos chilenos. Alguém poderia me dar uma luz?
  16. Uma outra sugestão, com uma logística menos complicada: Creta. De Mykonos a Creta são 5 horas e meia de ferry, e de lá tem voo direto para Veneza. É a maior ilha grega, com bastante coisa interessante para se ver.
  17. Não sei se a logística é das melhores para se chegar lá a partir de Mykonos (ou para sair de lá em direção a Veneza), mas uma opção a ser considerada seria Dubrovnik, na Croácia, fica entre a Grécia e a Itália e o meio de setembro é perfeito para se visitar, ainda está quente e a multidão dos turistas de julho/agosto diminui consideravelmente.
  18. Olá, não tenho como te indicar uma locadora nem fiz o trajeto Valbona-Sarajevo de carro porque não dirijo; porém, alguns sites podem te ajudar em relação a essa questão, aí vão dois deles: www.journeytovalbona.com http://blonde-gypsy.com/2016/03/28/journey-valbona-valley-national-park-northern-albania/
  19. A parte mais complicada é a que vc está pretendendo percorrer com carro alugado, os países do Leste Europeu são meio chatos com relação a travessia de fronteiras com carro alugado, tanto as locadoras quanto oficiais de alfândega podem querer cobrar taxas exorbitantes. E a Albânia definitivamente não é um país fácil de se dirigir, as estradas não são boas e os motoristas albaneses estão entre os mais indisciplinados e estressados do mundo. Eu sugiro que vc dê uma olhada em fóruns internacionais como o do Lonely Planet ou o TripAdvisor para ter uma ideia de como é alugar carro nos Bálcãs (ainda
  20. Eu também preferiria manter a base em Colônia. Bonn e Düsseldorf ficam próximas demais de Colônia (menos de meia hora de trem em relação a Bonn, e menos de 40 minutos em relação a Düsseldorf). E pessoalmente eu achei Colônia mais interessante do que Düsseldorf (mas aí já é uma opinião pessoal).
  21. Marcos H. O. Souza

    Bruxelas

    Eu fiz bate-volta para Colônia partindo de Bruxelas. De trem, saindo da Gare Midi, demora cerca de 1h50min. Assim que vc sai da estação ferroviária de Colônia, já dá de cara com a maior atração turística da cidade, a Catedral (Dom), onde supostamente repousam os restos mortais dos Três Reis Magos. Dá para comprar passagem online, pelo site da DB Bahn, o serviço ferroviário alemão (bahn.de); é melhor pegar trens diretos, como o Thalys ou o IC. De Colônia é muito fácil chegar em outra cidade alemã, Düsseldorf (fica a menos de 40 minutos de trem).
  22. Guarulhos é sem dúvida a melhor opção. Caso vc não se sinta bem pegando metrô e tendo que trocar de linha na estação da Sé, do próprio aeroporto sai um ônibus da empresa Pássaro Marrom até a rodoviária de São José dos Campos; e de lá saem vários ônibus (também da empresa Pássaro Marrom) até a rodoviária de Guaratinguetá (a distância entre essas duas cidades é de menos de 90km).
  23. Marcos H. O. Souza

    Quito

    Olhe, eu pegaria o táxi desde a rodoviária até o aeroporto mesmo: fica bem longe, mas a distância entre a rodoviária e o aeroporto antigo não é muito menor. Para vc poder comparar: os ônibus de Baños para Quito param no Terminal Terrestre Quitumbe, no extremo sul da cidade. De lá para o atual aeroporto são 52km (pelo Google Maps), e de lá para o antigo aeroporto são 38km (novamente pelo Google Maps).
  24. No final de janeiro, fiz o trajeto Quito-Baños de ônibus e foi muito tranquilo, a estrada está em bom estado de conservação e a viagem demora cerca de 4 horas, ou um pouco mais que isso. Os ônibus de Quito para Baños saem do Terminal Quitumbes, que fica bem ao sul da cidade (do centro histórico até lá, de táxi, me custou 8 dólares). Eu não deixaria de visitar Baños, é uma cidade muito agradável e com diversas atividades para quem gosta de esportes radicais (não é o meu caso, definitivamente; mas mesmo para os mais sedentários, vale a pena).
  25. No aeroporto da Cidade do México, procure a estação de metrô Terminal Aerea (creio que não fica exatamente dentro do aeroporto, mas é bem próxima), que fica na Linha 5 (Amarela); chegando à estação, pegue o metrô no sentido Politécnico, e desça na 8ª parada (Autobuses del Norte). Desse terminal, procure a viação que tem uma pirâmide azul como logotipo (não me lembro o nome dela, mas me lembro bem da pirâmide) e peça uma passagem para "Las Pirámides"; ônibus saem desse terminal a cada 20 minutos, e a viagem demora pouco mais de 1 hora. Para o caminho de volta, pegue novamente o ônibus novament
×
×
  • Criar Novo...