Ir para conteúdo

Roberto Brandão

Membros
  • Total de itens

    433
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Roberto Brandão postou

  1. Uma viagem bem feita é aquela em que passamos por situações que nos transformam em pessoas melhores. É descobrindo lugares, e principalmente, pessoas, que alteramos nossas visões limitadas, derrubamos preconceitos, nos libertamos para aceitar ideias revolucionárias. E uma boa maneira de fazer uma viagem bem feita é trocando experiências com pessoas de culturas quase nada parecidas com a nossa. Se você, mora em uma cidade grande, tem poucas chances de entrar em contato com a natureza, e sente muita falta disso, precisa conhecer o WWOOF. A organização (cuja sigla significa, em inglês, algo como “Oportunidades no mundo todo em fazendas orgânicas”) promove o encontro entre pequenos produtores do mundo inteiro com viajantes interessados em trabalhar nessas fazendas. O processo é simples: o viajante ajuda com o trabalho (qualquer tipo de trabalho) e em troca ganha hospedagem e alimentação. Quem conhece os fazendeiros orgânicos brasileiros, que têm produção baseada na agricultura familiar, ou seja, com pouca mão-de-obra, sabe o quanto é difícil para esses caras encontrarem recursos humanos para trabalhar no campo. Com a debandada da população para as cidades, há cada vez menos trabalhadores em fazendas. Fazer parte de um programa de voluntariado como o WWOOF é não só ajudar no crescimento e na manutenção deste tipo de produção, como também se sentir responsável por cuidar do meio ambiente. E entender que o trabalho é de formiguinha. Desde o momento de plantar até a venda dos produtos. E ao mesmo tempo, apaixonante. Como surgiu essa ideia? O WWOOF foi criado em 1971 pela secretária Sue Coppard, que vivia em Londres e, assim como muitos de nós, viajantes, sentia falta do contato com a vida rural. Em um fim de semana de outono, Sue juntou uns amigos, fez contato com uma fazenda de produção orgânica e todos foram lá trocar experiências. Hoje, o projeto é gigantesco: há fazendas disponíveis do mundo inteiro – inclusive no Brasil – e é possível ficar muito mais do que um fim de semana. Funciona assim: o voluntário trabalha de 4 a 6 horas por dia, e pode ajudar em tarefas como semear, cuidar do jardim, fazer compostos, cortar madeira, tratar hortas, colher, tirar leite, alimentar animais, construir cercas… Também tem umas tarefas “elegantes”, como ajudar na produção de vinhos, de queijos e de pães. Mas não pense que a vida no campo é fácil: o trabalho é bruto! Depois de escolher o país em que deseja ter a experiência, basta se cadastrar no site do WWOOF para ter acesso ao banco de dados de fazendas cadastradas na região escolhida, entrar em contato com os fazendeiros e agendar a estadia. Participar do WWOOF no Brasil, por exemplo, custa 38 dólares, e a associação vale por um ano. Depois de se associar, você recebe um arquivo com a lista de fazendas interessadas em receber voluntários, com todos os contatos, e até fotos. Tem um monte de fazendas brasileiras inscritas na organização. É uma ótima ideia para viajar, contribuir para uma boa causa e gastar pouquíssimo (gente, é só a inscrição e a passagem). Não dizem por aí que é na crise que vem a oportunidade? Taí, de bandeja. Sem agrotóxicos. E com muito amor. Ficou interessado? No site oficial http://www.wwoof.net/tem mais informações e links para todos os países onde a organização atua. Fontes :http://viajeaqui.abril.com.br/vt/blogs/mochilapride/organizacao-promove-a-troca-de-experiencias-entre-viajantes-e-fazendas-organicas/ http://www.wwoofbrazil.com/pre_host_farm_pt.htm
  2. Romeu, muito legal o seu relato da travessia do Pati, eu fiz esta travessia em duas etapas, a primeira vez (2012) fiz sozinho só com um mapa ( Capão até a Igrejinha e casa do seu Wilson, visitando o castelo e retornando por Guiné ). A segunda parte fiz de Andaraí até a igrejinha retornando também por Guiné, esta segunda parte(2015) fiz com um guia de Salvador, o TONI, que havia conhecido um ano antes em Porto de Galinhas (PE), foi de extrema importância estar com um guia, a ladeira do império é muito ruim e depois tem uma parte que só quem conhece o local sabe por onde passar e atravessar pequenos riachos. Valeu pelas suas informações e dicas para quem vai fazer a TRIP.
  3. Boa noite, Rejane se você não fechou sua trip (Guia) eu fiz no ano passado a parte que vai de Andaraí a Guiné . Fui com um guia de Salvador o Toni, ( 71 992696001 ) celular e zap .
  4. Boa tarde, você sabe informar se ainda existe a linha de barco que liga Parnaíba a Tutóia ? Fiz esta viagem em dsetembro de 2000.
  5. Romualdo, fiz o Vale do Pati em junho de 2015 com o guia Toni, na época um guia avulso, ele e pode te indicar alguns guias na região da Chapada. Toni (71) 992696001 celular e whatsapp. Entra em contato que ele logo te responde.
  6. Fiz em setembro de 2013 com a agência NORTE TUR (http://www.nortetur.com.br ), o´guia, Flávio além de descolado é muito atencioso. Você pode também fazer 07 dias a JALAPADA ( Jalapão + Chapada das Mesas).
  7. Esta receita de xampu caseiro, fiz e estou usando : INGREDIENTES 1 xícara (chá) de do gel/baba de babosa 1 tablete de sabão de coco 1 xícara (chá) de mel de abelha 1,5 litro de água filtrada MODO DE PREPARO Corte o sabão e coloque no fogo com a água (use panela de inox, vidro ou ágata; não ferva em utensílio de alumínio). Quando estiver diluído, tire do fogo e acrescente o mel. Espere esfriar e coloque a "baba" da babosa. Misture bem o xampu e está pronto para ser usado. Fonte : http://www.curapelanatureza.com.br/2014/12/xampu-caseiro-de-mel-coco-e-babosa.html#sthash.2DEuAROv.dpuf
  8. Muito bom relato, quando li achei que estava todos estes momentos com vocês. Foi show ter conhecido você e a galera.
  9. Como remover um carrapato : http://www.kampa.com.br/blog/2014/01/29/como-remover-um-carrapato/
  10. Te aconselho o Vale do Pati. Veja este relato : http://www.mochileiros.com/descomplicando-o-vale-do-pati-com-ou-sem-guia-fotos-t89310.html
  11. Vi este site e quero compartilhar com vocês, se alguém já usou poste aqui os comentários. http://biowash.com.br/imprensa/cassiopeia-lanca-biowash-concentrado-53
  12. Parque do Cantão (TO) Ganhará Área de Camping. Fonte : http://portal.macamp.com.br/noticia.php?varId=1407
  13. Se vai a Manaus, não deixe de visitar Presidente Figueiredo ( 130 KM), um lugar cheio de cachoeiras. Em Santarém a praia fluvial de Alter do Chão a FLONA (Floresta Nacional de Tapajós ) acesso por barco ou terra. De Alter eu sugiro ir até Belem e depois ilha de Marajó. Seu roteiro pode ser feito com muitos lugares ,basta decidir.
  14. Bom dia André, tenho esse contatos e não sei se ainda continuam os mesmos : Associação de Guias de Ecoturismo da Chapada da Diamantina (75/99961-2532) Associação de Condutores de Visitantes de Lençois (75/3334-1425) Toni Santos (71) 992696001
  15. Ilha dos Lençóis, nas reentrâncias Maranhenses !
  16. Fui pela Norte Tur em setembro de 2014, foi uma experiência muito boa, o guia Flávio Ribeiro é um guia muito bom e atencioso ! RECOMENDO !
  17. No T.I.P. ( Terminal Integrado de Passageiros, rodoviária) tem guarda volumes que funciona 24 horas.
  18. Alguém conhece e já usou o Oktoplus ( https://www.oktoplus.com.br/ ) ?
  19. Para comer BARATO : Sabor da Fatia;Rua da Esperança,352 (Sopas R$ 6,00, e Pizzas à partir de R$4,00 a fatia ).Esta rua é a do calçadão.
  20. Bom dia Gomes, você pode passar os contatos da Pousada da Vivi E do Albergue da Morgana / Estarei no fim de novembro querendo dar uma esticada até lá "
  21. Você está visitando muitos locais em pouco tempo. Jericoacoara 03 dias, Canoa 02 dias ( estas duas praias são destinos para curtir durante o dia e á noite). Você vai a João Pessoa para passar apenas um dia ? Creio que vai apenas se cansar e não vai curtir quase nada. Vá para Porto de Galinhas e de lá para Maragogi ( faça isso em dois dias ). Este roteiro com ag~encias de receptivo você gasta muito e os horários são limitados. Espero ter te ajudado !
×
×
  • Criar Novo...