Ir para conteúdo

ivan2209

Colaboradores
  • Total de itens

    41
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    4

ivan2209 venceu a última vez em Setembro 9

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

21 Excelente

Sobre ivan2209

  • Data de Nascimento 22-09-1982

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. @casal100 nos templos da Tailândia, Laos e Camboja eu dormia na barraca, no Vietnã sempre havia um quarto. Uma das principais razões de dormir em templos são os banheiros, muitas vezes te dão um pouco de comida também.
  2. @casal100 Eu priorizava estradas asfaltadas por causa da bicicleta e estradas de terra não vi muitas. A segurança foi o ponto mais alto dessa viagem, eu nunca tinha me sentido tão seguro, podem ir tranquilos! Tomem os cuidados básicos e será suficiente. Em todas as cidades do Vietnã vcs vão encontrar hospedagem vcs devem procurar por estas palavras NHA NGHI, que quer dizer "hospedagem" em vietnamita. Uma boa dica seria tentar ficar nos templos budistas eu fui muito bem recebido em todos os países.
  3. @casal100 Que legal viajar a pé, um dia quero fazer isso também. Primeiramente recomendo que evitem o Laos, até de bicicleta ja cheguei a ficar 2 dias sem ver uma cidade. Situaçao inversa ocorre no Vietna, por ser o país mais populoso da regiao vcs nao vao ficar nem 30 km sem ver uma cidade. Na Tailandia vcs vao encontrar mais cidades indo de Bangkok em direçao ao sul, o norte vale a pena ir mas é menos povoado. No Camboja também nao tem tantas cidades mas ao menos um pequeno vilarejo sempre se encontra. Bom, esses foram os países que eu estive, caso vcs fiquem mais tempo na viagemeu recomendaria que fossem até a india, la nao se fica 5km sem ver uma cidade Boa sorte e boa caminhada!
  4. Buenas galera! Alguem ja cruzou a fronteira vindo da Guatemala para entrar no México por terra? Estou viajando de bicicleta e tenho visto informaçoes divergente especialmente sobre um pagamento de uma taxa. Alguem que ja fez recentemente pode confirmar se temos que pagar essa taxa? E podemos ter o tempo de permanencia máximo de 180 dias? Algo adicional como foto, xerox, etc? Gratidao hermanos!
  5. Sim eu tinha uma viagem de volta que descartei mas eu sugiro que vc compre uma passagem pra algum país vizinho que com certeza te vai sair mais barato.
  6. Obrigado Analy! A viagem foi incrível, agora terminei o relato da primeira parte, depois ainda tem mais 10 meses de viagem pela India, Sri Lanka e Nepal, logo farei um relato dessa parte também.
  7. Quarto capítulo: Cambodia: O visto para o Cambodia pode ser retirado na aduana, pelo valor de U$ 30 por 30 dias, também é possível tirar o vist na embaixada do Cambodia em Saigon assim vc nao perde tempo na fronteira. Logo na nossa primeira noite no Cambodia fomos convidados por uma familia para acampar em seu quintal, no resto dos dias sempre ficamos em templos. Passamos uns dias em Phnom Phen, a cidade é bonita mas não tem muitas coisas para visitar, em poucos dias começamos a pedalar em direção a Siem Riep. Demoramos 4 dias entre Phnom Phen e Siem Riep e lá ficamos hospedados na casa de um ciclista cambodiano que conhecemos pelo WarmShowers. Compramos o ticket para Angkor Wat de apenas 1 dia, é tempo mais do que suficiente, no mesmo dia que vc compra o ticket vc tem direito a ir ver o pôr do sol (após 17hs) e utilizar o ticket apenas para o dia seguinte. Caso vc não tenha uma bicicleta é recomendável alugar uma por apenas 2 dolares por dia, já que em Angkor Wat as distâncias não são longas. Depois de Siem Reap pedalamos direto até Sihanoukville, foram 8 dias de pedaladas, Sihanoukville é uma praia paradisíaca e foi o lugar que escolhemos para passar os ultimos dias no Cambodia. Desta vez eu acabei ficando um dia a mais do que o permitido e tive que pagar uma multa no momento da saída, oficialmente a multa é no valor de U$ 6 mas os oficiais da fronteira cobraram U$ 10 sem recibo, fazer o que né!
  8. Terceira parte: Vietnã: Vou começar esse capítulo explicando como conseguir o visto para o Vietnã no Laos. Existem muitas agências que oferecem esse serviço mas é muito mais rápido e barato fazer por conta própria. O Vietnã é um dos poucos países no sudeste asiático que não permite visto na chegada, muitas pessoas já solicitam o visto ainda no Brasil mas não é necessário, o visto pode ser solicitado em qualquer embaixada do Vietnã em países vizinhos. No Laos vc deve estar em Vientiane, e bem na região central ir até a embaixada do Vietnã, é recomendável levar fotos mas pra mim não pediram. O visto de 3 meses custa U$ 80 e vc deve informar a data exata de chegada no país pois esse prazo começa a contar a paritr desta data. Na embaixada vão te perguntar qual o prazo desejado para entrega do visto, eu escolhi o prazo normal de até 3 dias pois não tem custo extra e mesmo assim me entregaram o passaporte com o visto já no dia seguinte. Cruzando a fronteira por terra será cobrado uma taxa de U$ 1 para carimbar o passaporte, independente do horário. Logo na minha chegada em Hanoi fiquei espantado com o número de motos, até nas calçadas elas disputam espaço. Minha primeira parada em Hanoi foi em um centro de Inglês para crianças, cheguei na metade de dezembro então no Natal me vestiram de papai Noel para entregar presentes para as crianças. O ano novo eu passei em Halong Bay, na ilha de Cat Ba. é possível comprar as passagens de Hanoi para Halong Bay em uma agência do governo, o valor é realmente muito mais baixo. Logo nos primeiros dias do ano deixei Hanoi e comecei a pedalar em direção ao sul, na primeira noite usei uma plataforma diferente do couchsurfin, a Warmshowers que é exclusiva para ciclistas. No começo não encontrei muitos templos então na maioria dos dias acampei em postos de gasolina. Quando já estava quase chegando em Saigon, tive que trocar de bicicleta, durante a viagem tive muitos problemas com os aros que quebravam constantemente, foi entao que percebi que naõ precisava de uma bicicleta de marcha e sim de uma bike forte que aguentasse carregar todo o peso que eu tinha. Foi então que ao parar em uma bicicletaria ao invés de arrumar propus trocar minha bike por outra sem marcha, estilo Barra Forte e foi assim que todos os meus problemas acabaram Com a "nova" bicleta não tive mais problemas, apenas pneus furados. A partir de Saigon tive uma companheira de pedaladas, a suiça que havia conhecido no barco no Rio Mekong, já estavamos viajando juntos desde aquela época mas apenas eu de bicicleta. No total foram 3 meses no Vietnã, a maioria dos dias passei acampando em praias, templos ou postos de gasolina, CouchSurfing também é muito popular e muito facil conseguir em todas as partes do país.
  9. Segunda parte: Laos: Cruzar a fronteira entre Tailândia e Laos foi relativamente facil, na ponte que divide os 2 países não é autorizado tráfico de bicicleta, mas é possível colocar a bike no onibus pelo valor de mais uma passagem. O visto pode ser retirado na própria aduana pelo valor de U$ 30, é recomendável ter fotos de passaporte apesar que para mim não foi pedido, após as 16hs é cobrado uma taxa extra de U$1 para cruzar a fronteira, este valor pode ser pago em dólar ou em qualquer moeda de um dos 2 países. Para trocar dinheiro recomendo fazê-lo no Laos, há uma rua principal com muitos bancos, se fizer uma pesquisa pode conseguir um bom valor para trocar Baths ou Dólar. Em Huay Xai dormi em um templo, apesar de que no Laos há muito menos templos do que na Tailândia. No dia seguinte peguei um barco que navegaria 2 dias pelo Rio Mekong até Luang Prabang, o melhor é comprar o ticket no próprio local de embarque, os preços são tabelados. Ao final do primeiro dia o barco para em um vilarejo na metade do caminho, cada um deve buscar uma hospedagem por conta própria e continuar a viagem no dia seguinte pela manhã, é muito facil dividir um quarto com outros viajantes caso vc esteja viajando sozinho. Ao final de 2 dias chegamos em Luang Prabang, lá dividi um quarto com um polonês, uma suiça e uma francesa que conheci no barco, fiquei 4 dias na cidade que tem ótimas cachoeiras para visitar. Depois de Luang Prabang segui pedalando, foi a parte mais dificil de toda viagem, o Laos é um país muito montanhoso, no primeiro dia consegui pedalar apenas 40km, e também há poucas cidades no caminho, é preciso se preparar com suficientes suprimentos. Na primeira noite durmi no meio do mato e na segunda pedi para acampar no quintal de uma casa em uma pequena vila. Depois de 2 dias pedalando cheguei em uma fazenda de morangos em uma pequena cidade nas montanhas, nesta fazendo passei 10 dias trabalhando voluntariamente, foi uma linda experiência compartilhar esses momentos com locais. Depois da fazenda de morango fui pra Vang Vieng uma cidade na metade do caminho entre Luang Prabang e a capital Vientiane. Em Vang Vieng há muita natureza para visitar, a cidade tem muitas cavernas e rios de agua cristalina, a capital Vientiane não é tão interessante mas o Buddha Park e o pôr do sol no Rio Mekong valem a pena. No final de 30 dias que é o periodo de visto para brasileiros, cruzei a fronteira para o Vietnã.
  10. E ae galera! Recentemente cheguei de uma viagem de bicicleta pela Asia, foram mais de 10,000 km em 1 ano e meio. Este relato é referente a primeira parte da viagem que foi no sudeste asiático. Quem quiser pode ver mais fotos no meu Instagram: @ivangousseff Tailândia: A viagem começou em Bangkok, logo que cheguei fui atras de uma bicicleta, pois nao tinha uma e então preferi comprar lá, por aproximadamente U$ 100 comprei uma bike usada. Em Bangkok há muitas lojas Decathlon então pude comprar os acessórios ainda mais barato que no Brasil. Meu gasto total foi de U$ 135. Comecei a pedalar em direção ao sul da Tailândia, meu objetivo era chegar até Phuket. Logo no primeiro dia tive um pneu furado, parei em um posto de gasolina e ninguém falava inglês, nesse dia vi pela primeira vez como o povo tailandês é gentil, muitas pessoas tentaram me ajudar e como nao foi possivel consertar o pneu no mesmo dia, acampei no posto e no dia seguinte um funcionário veio de caminhonete para me lever até uma bicicletraria, tudo isso sem falar uma palavra em inglês e sem esperar nada em troca. Acampando no posto de gasolina A partir do segundo dia não houve mais problemas, pedalar na Tailãndia é muito tranquilo, as estradas são boas e tem muitos postos com restaurantes e lojas de conveniência no caminho, existem também umas maquinas para comprar água mineral, 1 litro custa entre 5 e 10 Baths, ou seja, menos de R$ 0,10. Na segunda noite na estrada dormi pela primeira vez em um templo budista, os monges saão muito recipitivos, além de autorizar a dormir muitas vezes me davam frutas e comida. Logo cheguei nas praias do sul do país, pedalava entre 80 e 100 km por dia, a única parada de mais de um dia foi na praia de TapSakhae, enquanto estava parado na frente de um lago comendo umas bananas, um senhor passou de moto e ao me ver me convidou pra passar uns dias em seu hostel de graça, para retribuir eu ajudava sua mãe na cozinha e com serviços de limpeza. No único dia que não achei um templo para dormir, parei em um posto da polícia e me deixaram acampar lá. Depois de 16 dias cheguei em Phuket, consegui um couchsurfing na casa de um casal, um espanhol e uma francesa que vieram de carro desde a Espanha até a Tailândia https://perromochilero.com/ Passei uns 10 dias entre Phuket e as Ilhas Ko Phi Phi aonde comemorei meu 34º aniversário CouchSurfing em Phuket Depois de Phuket voltei pra Bangkok pelo mesmo caminho, levei 15 dias para chegar, ainda em Phuket fiz a grande aquisição da viagem, um fogareiro a gás, a partir daí ficou muito mais facil comer bem e barato, principalmente para mim que não como carne Parada pro almoço Carona em dia de chuva!!!! Chegando em Bangkok descansei por 3 dias no Hostel OverStay, sem dúvida a opção mais barata e mais roots da cidade, recomendo! Agora vou começar a pedalar em direção ao norte do país, o caminho também foi super tranquilo, consegui alguns couchsurfings no caminho, chegando em Chiang Mai fiquei 2 semanas e mais 10 dias em um monastério praticando meditação Vipassana, depois fui ao extremo norte próximo a fronteira com Laos e Myanmar, ao final dos 3 meses de visto cruzei a fronteira para o Laos. Monastério Budista Fronteira Tailândia e Laos.
  11. ivan2209

    Zimbabwe

    Então Sara, não sei se as moedas de dólar americano não são aceitas ou se eles não conhecem elas pois quase não existem esse tipo de moedas em circulação. As moedas aceitas são as dos paíse vizinhos, portanto pra quem estiver viajando toda a região vale a pena guardar algumas moedas. Em todo país o Rand Sul africano é aceito, uma moeda de 5 rands equivale 50 centavos de dólar, na região de Kariba pode-se utilizar o Zambian Kwacha (Zambia) e no sul do país o Pula (Botswana).
  12. ivan2209

    Botswana

    Ola Belizia, Realmente quase não há sites com informações sobre Botswana, tive a mesma dificuldade quando estive por lá. Na página do HostelWorld não há informções sobre hostels no país, porem eles existem, a grande maioria com area de camping o que torna os preços bem acessiveis, a melhor maneira de encontra-los é procurar ao chegar na cidade, eu sei que é mais comodo ja chegar com um lugar de hospedagem definido mas encontrar hospedagem em Botswana nao é dificil, as cidades sao pequenas e as pessoas costumam ajudar, tambem vale a pena conversar com viajantes que ja estiveram nesses locais e pedir dicas. Em Maun recomendo o Old Bridge http://www.maun-backpackers.com/ . O transporte apesar de nao ter um site com informações tambem funciona muito bem, principalmente em relaçao a outros paises vizinhos, todas as cidades tem um terminal de onibus (Bus Rank), destes terminais é possivel se conectar a qualquer parte do país, também existem os taxes, que são carros de passeio que fazem o transporte de passageiros estilo lotação, os valores são um pouco mais altos, porem os veiculos sao mais confortaveis e rapidos. A segurança é uma das melhores entre os paises da regiao, é sempre bom estar atento mas no quesito geral Botswana é um país seguro principalmente longe da capital Gaborone. Olá. Viajarei em outubro para essas bandas. Minha dúvida é: esses campings no Botswana já possuem barracas ou é necessário levar minha própria barraca? Agradeço Ola Elisson, Alguns campings ja possuem barracas, nos que eu estive haviam barracas grandes ja montadas no entanto o valor da hospedagem era quase o mesmo de um dormitório, acho que vale a pena voce ter sua propria barraca pois assim os valores sao bem menores.
×
×
  • Criar Novo...