Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Marcio Vargas

Colaboradores
  • Total de itens

    24
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Marcio Vargas postou

  1. Baita relato. Estou para ir a San Martin e queria ir de auto. Baita relato. Tens as fotos? Acha que valeu a pena ir por Montevideo para "fugir" dos achaques? Achei cara a travesia.
  2. Cara, O ramal de Bento tem alguns pontos literalmente impossíveis de passar a pé. Trecho no meio de cortes completamente alagados devido a drenagem entupida, desmoronamentos bloqueando a entrada de tuneis, mato fechado em alguns pontos. Você ate pode tentar, e certamente se tiver tempo e instrumentos vai conseguir. Reserve ao menos um dia inteiro, leve facão e um mapa do ramal (se precisar contornar tuneis, pq os morros em "ferradura" desorientam quem não esta habituado), deixe também um carro de resgate de prontidão, caso precise abandonar antes do fim da trilha. O pior trecho é entre o KM2 e Jabuticaba, principalmente apos São Luiz. abs
  3. Opa Muito legal essa caminhada. Estamos preparando uma aqui de Monte Claro ate Vacaria... Vou te dar um toque via Face quando a coisa ganhar corpo, vai ser ali por março, porque agora e em fevereiro sempre tem alguem de ferias... Abs
  4. Opa Companheiro de MSJ (movimento dos sem jeep) eheheh Eu ainda acompanho por lá!!!! Cara, me passa o mail que te mando o arquivo com o mapa detalhado e alguns pontos, para os garmin, os tracklogs eu não tenho, porque quando fiz o caminho eu ainda não tinha GPS. O arquivo que tenho tem os principais pontos.
  5. Cara, desce na rodoviaria de Bento, o ramal desativado passa ao lado. Ae é só cara e coragem. Segue ate chegar ao TPS. No TPS vc pode escolher subir ou descer. Se descer vc chega em Roca Sales, pra cima você chega em Vacaria. Particularmente o trajeto para vacaria é mais bonito, mais tuneis, viadutos e pontes. Porem acho que apenas 2 dias para você se preparar seja um tempo curto. Você viria sozinho? Barraca para ir acampando? E a alimentação? Me passa um mail que te mando o arquivo para GPS (garmin). [email protected] abs
  6. Calma ae pessoal Gabriel, Gui e demais... Certo que o progresso acaba com muita coisa que amamos, mas sejamos justos. Esta usina ai, assim como o Complexo Ceran, é uma usina a fio d'agua com tunel de desvio, ou seja, a barragem é feita em um ponto do rio acima do desnivel (cachoeira, corredeira, etc) normalmente esse tipo de barragem é bem baixo, neste caso ela tem 3 metros. Então é construido um tunel de adução que leva a agua por dentro da montanha, sem destruir a paisagem ou a cacheira. Essa agua vai ate a casa de força em um ponta abaixo do desnivel, onde passa pelas turbinas e volta para o rio. Neste caso o tunel tem 7 Km e deixa intacto os saltos, a agua que a turbina não usa passa pela barragem e continua seu caminho pelo rio intocado, e quando chove, o excesso de agua não é acumulado (não é barragem de acumulação, e sim fio d'agua), este excesso vem por cima da barragem de soleira livre e segue o curso normal. Existem muitas usinas assim no brasil, esta é uma solução eficiente para gerar a energia que precisamos (inclusive para mandar estas msgs) sem degradar o ambiente. A media mundial de area alagada x energia gerada nas hidreletricas, segundo levantamento da ONU é de 100 hectares alagados para cada MV gerado, essa ai eu não sei como esta, porem a UHE Monte Claro (construida no mesmo sistema www.ceran.com.br) tem uma area alagada de apenas 5 hectares e gera 130 MV... Ela se aproveita destes sistemas de tuneis para manter intacta as corredeiras do Rio das Antas e gerar a energia utilizando o desnivel natural do terreno... Não me tirem para defensores de destruição, nem sou filho do dono dessa usina... Porem temos de ser justos e coerentes... Crime é TUCURUI, ITAIPU, ILHA SOLTEIRA.... Belo monte será assim tb, a fio d'agua... Havera sim danos ambientais, porem muito menores do que aqueles que haveriam se fosse considerado o projeto inicial de 30 anos atraz... Nem se compara.. Abs a todos, e por favor, não me entendam mal...
  7. Percorri no google Earth o Rio Itajai desde a foz ate Rio do Sul Existe uma referencia a Salto do Pilão. É uma usina hidroeletrica construida no local com este nome, a queda do salto é de 200 metros e isso em um percurso de uns 10Km... Muito estranho isso...
  8. Que preciosidade estas fotos!!!!! Onde vc conseguio? Onde encontrou literatura a respeito? Impressionante como a natureza se recompõe rapido quando não fofre pressão antropica. Lá no local hj não se percebe nada disso tudo que aparece nestas fotos... A impressão que se tem é que o local é intocado... abs
  9. O que tenho e me acompanha a uns 15 anos Veiculo: Willys CJ5 1967 Motor: Silverado V6 com injeção eletronica Cambio: Cambio automatico de opala 4 marchas Caixa Transferencia: Original Willys Direção: Hidraulica de Pagero Freios: Disco ventilado dianteira e disco rigido na traseira Suspenção: 4-link com jumelo revolver e barra estabilizadora. Bancos: Concha estofados cintos de 4 pontos Frescuras: Guincho 12.000 lbs na frente e 6.000 lbs atraz, tanque reserva de 100 litros (mais os 70 litros do original da uns 1.500Km de autonomia na estrada) tanque de agua de 50 litros, banco de 3 baterias em paralelo e isoladas do circuito do veiculo (para radio, luz, carregadores nos acampamentos), baú embaixo do banco traseiro para ferramentas e peças (da pra montar outro jeep), capota conversivel, bagageiro traseiro (sobre o porta estepe), e um reboque Ronimar com suspenção erquida pra nivelar com o Jeep... Sobre a Land do amigo amazonico: É o pai dos Off road, quando a Willys tava engatinhando as land já estavam fazendo historia. Confortavel, cabe muita coisa, vence qualquer obstaculo, e a vantagem é fazer isso original de fabrica, não precisa transformar em um montrinho... Vide Camel Trophy na amazonia nos anos 80... Loucura total. abs
  10. Fora a das Andorinhas e o Caracol, já citados, aqui na serra gaucha há dezenas de quedas d'agua com mais de cem metros... Cito a cascata dos Marin em Cotipora, com 108, o cachoeirão do Rio do Jua em Vila Oliva, com 112. Estas eu conheço pessoalmente, e tem mais de 100 metros. Existem outras que conheço por relatos de amigos.. Abs a todos
  11. Daqui a pouco vão me chamar para ressuscitar os defuntos, afinal estou ressuscitando tudo que é topico por aqui. O Fato que apos ler este relato não pude deixar de comentar também... Otimo relato, otima aventura... Muito inspirador ler relatos como este. Abs PS: A fome é o melhor tempero do mundo, por isso que teu miojo estava tão bom...
  12. Edver Em primeiro lugar obrigado pela ajuda com o Topico, já dei uma ajeitada nele... Tenho bastante material e vou colocando aos poucos, muitas fotos... Neste dia não chegamos ir ate a Jararaca, ficamos por ali mesmo. Esse trecho de Feitor Faé ate Monte Claro já fiz tb, é muito legal... Eu vi a chacrinha lá, logo depois do viaduto, ainda tem uns materiais de construção. Fiquei só imaginando a mão de obra lançar o cabo daquela linha de 13Kv que tem lá.. eheheh Essa casa ele reformou? Imaginei que tivesse sido construida!!! Quanto ao assado, sou parceiro a qualquer hora... Aparece no bar do Vaca (sub solo da soal ) em uma terça qualquer, sempre rola um assado ali nas terças.. Abs
  13. Ogum Boa lembrança do Krakauer, uma boa pedida tembém é "No Ar Rarefeito"... Recomendo também para quem encontrar os livros "Velhos Tempos" e "A Arte de Acampar" do Eduardo Festugato, não sei se alguem encontra fora do RS. Lá tem relatos, dicas, historias interessantíssimas dos chamados acampamentos selvagens, que no meu ver nada mais é do que acampar em locais sem infra nenhuma... Aqui na Serra Gaucha, acampamos as margens do Rio Lajeado Grande, Rio das Antas, acampavamos na Fortaleza quando era liberado... São lugares sem NADA, entravamos de jeep campo adentro e no local mais aprazível montávamos acampamento. A refeição era basicamente churrasco, carreteiro, pão, salame, queijos e frutas... A orientação era pela experiência mesmo, "sei de que lado vim, sei para que lado ir". Banhos só de rio, agua do rio tb, de um ponto mais acima e fervida. Para dormir, barracas comuns. A iluminação era da bateria dos jeeps, fluorescentes compactas ligadas em bancos de baterias no jeep já projetados para isso (a bateria para o motor ficava isolada). Os bichos maiores nem aparecem, nossa presença espanta eles, lontras oportunistas sempre aparecem, porem é só proteger bem a comida. Insetos só na base do repelente e do "boa noite". Quanto a sensação, bom, ae é um negocio muito pessoal, porem falo por mim e por minha antiga turma de acampamentos... Não há nada, mas nada mesmo, melhor do que uma noite de inverno na beira de um rio, a no mínimo 100 quilometros da cidade mais próxima, junto aos amigos noite adentro conversando, dando risada ao redor de uma fogueira. É impressionante a quantidade de estrelas no ceu, é impressionante o silencio da noite, um silencio esmagador, intimidador... Os dias de inverno nos campos de cima da serra com temperaturas próximas a zero e as noites com temperaturas negativas sempre foram um tempero a mais para minha antiga turma, afinal, acampar no verão todo mundo acampa, e no inverno tinha desculpa para ficar pertinho da menina linda da turma... Os melhores momentos de minha juventude foram em situações assim... Pesa também o fato de conhecermos a região muito bem, de os jeeps terem PX e VHF para emergencias... Abs Edit: Faltou dizer que hoje ensino a meus filhos tudo isso, o verdadeiro valor da vida ao ar livre, o respeito a natureza, o valor das coisas simples, o valor da amizade e do companheirismo. Hoje levo eles acampar sempre que chega o verão, em campings... Logo logo começo a levar eles para o mato também. Lá no facebook Marcio Vargas tem algumas fotos...
  14. Entre os jeepeiros esta é uma pratica recorrente... Sempre que partimos para uma trilha, dentro do jeep vai uns sacos de lixo para ir recolhendo tudo que vemos pela frente... Abs
  15. PessoALL Também vale a regra do "zequinha" que nós jeepeiros utilizamos. O Carona (Zequinha) troca pneu, paga o pedagio, compra a agua mineral, abre porteira... Abs
  16. Realmente a região dos aparados da serra é linda demais. Talvez o que falte é mesmo maior divulgação, principalmente para aqueles que querem vir por conta própria, afinal as agencias já tem a manha. O relato do Tiago, que apesar de longo, é bem interessante, deixa clara esta falta de informações. Para mim que sou serrano fica fácil perceber algumas coisas, principalmente nas questões de acessos. Existem caminhos mais curtos e mais bonitos do que este feito por você, existem opções de passeios muito interessantes fora deste eixo vendido a rodo por agencias de turismo. Digamos que os o Itaimbezinho e a Fortaleza são a cereja do bolo, porem o bolo, a maior parte do doce são outros lugares pelos quais vocês não passaram. Passo da Ilha Passo do "S" Parque das cascatas Cocheirão dos Rodrigues Princesa dos Campos E por ai vai... São inúmeras opções de passeio, se você estiver na região e dispor de um veiculo, em 8 dias você não para um minuto... Abs PS: Quando eu esta piá, lá pelos anos 90, o acesso para a Fortaleza era possível somente a cavalo e de jeep, e o acampamento era permitido lá dentro. Eu e minha turma de amigos passávamos dias acampados no inverno na beira da cachoeira do Tigre Preto... Era realmente muito bom... Eita tempinho bom...
  17. Otimas pedida para quem gosta de um passeio por ferrovias serranas: Ramal Carlos Barbosa - Monte Negro Ramal Canela - Tres Coroas Ramal Carlos Barbosa - Caxias do Sul Todos desativados!!! Abs
  18. Boa discussão... Só faltou deixar registrado um ponto. As linhas divisorias de nações são apenas convenções politicas (mapa politico). Para um montanhista, escalador ou seja lá o nome que tem o sujeito que gosto, que procura sempre o ponto mais alto de algum lugar, essas linhas "imaginarias" não são nada. O que quero dizer é que sou Gaucho, moro na Serra Gaucha (infinitas possibilidades), então por ser Brasileiro vou escalar as pedras do Rio? Ou os gigantes de roraima? MAS É CLARO QUE NÃO!! Vou para os Andes, que é muito mais perto e barato, para quem esta aqui no sul, do que o Rio de Janeiro, Minas e de Roraima nem falo... O que quero dizer é isso, que não devemos baixar a cabeça e fechar os olhos para o que esta a nossa frente. Daqui ate o pé da corilheira é mais perto do que daqui ate o Rio... Abs
  19. Pessoal Apos iniciar o assunto no topico http://www.mochileiros.com/ramal-bento-jaboticaba-uma-travessia-por-um-lugar-que-acreditem-ja-teve-transito-ferreo-t42927-30.html#p522744, migramos para este aqui afim de organizar melhor os assuntos e manter cada qual em um tópico único. A questão levantada lá no outro topico era sobre a existencia de uma vila de operarios que trabalharam na construção do Tronco Pricipal Sul (TPS) , ferrovia que liga o RS ao Centro Oeste, construida pelo Batalhão Ferroviario do Exercito Brasileiro entre 1950 e 1972. As obras do trecho em questão foram tocadas pelo Primeiro Batalhão Ferroviario, com sede na época em Bento Gonçalves. Este batalhão foi responsável pelo trecho entre Roca Sales e Vacaria. O Terceiro Batalhão, do qual meu Bisavo era oficial, tocou de Vacaria para cima. Como disse o assunto surgiu quando no topico do Ramal de Bento ate a estação Jabuticada no TPS alguem mencionou a tal vila, como eu já havia visto e lido sobre ela resolvi dar um pulo lá com a familia, de carro mesmo, para obter algumas fotos e fazer um reconhecimento de possiveis vias para escalada e rapel. A Vila Alguns autores divergem sobre o tamanho exato e a quantidade exata de casa e pessoas. O certo é que a vila dispunha de toda infraestrutura necessaria a um pequeno povoado, tinha ambulatorio, farmacia, padaria, armazém, energia eletrica... No auge contou com mais de 400 "moradores", entre oficiais do exercito, soldados e operarios contratados. Nas casas de alvenaria residiam os oficiais, daquela epoca apenas estas casas estão de pé. O "grosso" da mão de obra residia em alojamentos. Este pessoal foi responssavel pelas obras entre Jaboticaba e Feitor Faé, que incluem diversos tuneis (alguns com mais de 2 quilometros) pontes e viadutos realmente impressionantes, tanto por seu tamanho quanto pelos locais onde foram construidos. O Passeio O passeio incluiu a localização de 7 casas abandonadas e de uma piscina construida por eles proprios abaixo de uma bela cascata, muito provavelmente como uma especie de clube para os momentos de folga. Alem disso esticamos ate a estação coronel Salgado, distante aproximadamente 2Km da vila. O acesso é pela localidade de Pompeia em Veranopolis, dali seguimos pela estrada que liga Veranopolis a Nova Roma do Sul via basla do Rio da Prata. Na metade da descida pegamos um acesso secundario que nos leva ate a vila. Chegando proximo a saida para o local. Ao fundo PCH Jararaca, no meio o viaduto 09, local da vila dos operarios Zooonnn no viaduto: Já no acesso recém recuperado: Primeiras casas, a jusante (sul) do viaduto 09 Riacho apos a cachoeira, onde os operarios construiram uma piscina para seus momentos de folga: Cascata e piscina: 50 anos de corrosão Via para futura travessia, com rapel Vista do Rio da Prata, de cima do viaduto 09 Mesmo ponto da foto anterior, porem para o outro lado. Esta cascata fica abaixo daquela mostrada nas fotos anteriores Tunel 60, lado sul, logo apos o viaduto 09 Casa a montante (norte) do viaduto 09. A vila contornava a reentrancia da montanha, estas casa de alvenaria eram dos oficiais, os "peãoes" moravam em alojamentos... Há 3 casas a jusante e 4 casas a montante do viaduto 09 A caminho da estação Coronel Salgado (primeiro comandante do batalhão ferroviario, no seculo 19), a estação fica a aproximadamente 1,5 Km ao sul do viaduto 09. Trilho lateral usado para os cruzamentos de composições... Sistemas de monitoramento Meu piá mais novo entregue, e o mais velho se divertindo a espera de um trem... O local visto de cima (por favor, não reparem no amadorismo da montagem) Algumas curiosidades a mais em http://www.estacoesferroviarias.com.br/sc_troncosul/celsalgado.htm Abs a todos
  20. Recomendo o livro de David Grann, "Z a cidade Perdida" Fantastico relato das espedições de Percy Fawcett, principalmente a ultima, na qual ele desapareceu. David refaz todos os passos de Percy Fawcett com base em seus diarios e cartas. As descobertas são surpreendentes. Ate hoje a um premio milionario oferecido pela Royal Geographic Society para quem encontrar os restos do coronel Percy Fawcett. As civilizações Amazonicas, apesar de ter tamanho e tecnologia semelhantes as Egipcias, não deixaram grandes monumentos e construções, porque ao contrario das Egipcias ou Centro Americanas, eram feitas com materia organica (arvores, barro...) e por isso sumiram com o passar do tempo. Abs
  21. E para assar AQUELA costela no acampamento? Ae sim uma fogueira é valida... eheheh abs
  22. Opa ehehe O Gilso vejo pouco porque o horario é diferente, agora o Lunardi sim, esse é um baita deitado!!! ahaha Eu já fiz essa caminhada de bento a jabuticaba algumas vezes, bento a caxias tb... Mas é uma coisa que não me canso, muito lindo. Quero fazer uma de Vacaria ate Vêra pelo TPS... abs... EDIT: Fotos da vila abandonada em http://www.mochileiros.com/ramal-bento-jaboticaba-t49394.html -
  23. Pessoal Como é minha primeira manifestação por aqui, umas duas linhas para dizer quem sou. Sou Caxiense morando a 4 anos em Veranopolis, tenho 30 anos de idade, 14 anos de jeep e 12 de rapel... Trabalho na Cia Energetica Rio das Antas, da janela da minha sala avisto o tunel em Y e a ponte do TPS sobre o Rio das Antas. A muito tempo acompanho os posts, principalmente aqueles sobre a região da serra. Pedro. Muito interessante teu relato, meu bisavo também era do batalhão e trabalhou no TPS, porem no trecho de Vararia para cima, Tenente Fidelsino Kuser de Vargas. Sobre teus comentarios gostaria de acrescentar alguns pontos. *Os dormentes estão gradativamente sendo substituidos por uns mais modernos de concreto armado no TPS, todo dia cruza aqui na frente o carro de serviço com a maquina de troca de dormentes. Bem legal. Edit: Documentario sobre esta maquina a da ALL é igual, porem com apenas 3 vagões de material Maquina ALL trabalhando *As pontes são vistoriadas por engenheiros da ALL semanalmente. Há em diversos pontos, sensores nos taludes para detectar deslizamentos e deslocamentos, todos movidos a energia solar. *Os trilhos também são trocados, se vc vier em caminhada de Vacaria ate Jaboticaba encontrará varios trilhos velhos ao lado da linha. Lá em coronel salgado a um grande deposito deles. Aqui ao lado da ponte de Monte Claro também. *As vilas, casas e demais predios foram construidos pela empresa construtora da linha (neste caso o exercito) com o unico proposito de alojar os trabalhadores, portanto sua função era apenas esta. As grandes construtoras hoje também fazem isso... Montam verdadeiras cidades nos seus canteiros de obras, depois da obra pronta toda esta estrutura fica para traz. *A ALL utiliza algumas destas casas para alojamento de pessoal de obra e maquinistas. Na estação jaboticaba e na estação feitor faé existem uma ou duas casas com este proposito. De resto, não haveria porque a ALL fazer uso destas estruturas. *A uns 10 dias a prefeitura "patrolou" e acascalhou a estrada ate a vila da estação coronel salgado, ate carro de passeio chega lá agora. De resto, o lugar é como todos falam, impressionante a beleza de tudo, desde as belezas naturais ate aquelas feitas pelo homem, é inacreditavel, para quem não viu pessoalmente, a capacidade tecnica da engenharia civil Brasileira. Viadutos, tuneis, seguindo o vale das antas e da prata... Passam em media 12 composições por dia aqui, nunca parei para contar, mas alguma tem ate 6 locomotivas, elas utilizam as estações jabuticaba, feitor fae e coronel salgado para fazerem os encontros de composição, como a linha é simples, aquela que esta descendo sai de lado nas estação para a que esta subindo continuar sem parar, depois a outra volta para a linha. Edver Muito legal teu posto sobre a travessia de Monte Claro. Sobre o ramal que vai de jaboticaba a Bento: Já existia desde o inicio do seculo um ramal ligando Caxias do Sul ate POA cia Montenegro, durante o regime militar, a paranoia da segunda guerra e a loucura logistica fez o exercito construir um ramal de garibaldi, onde passava alinha de Caxias e o TPS, para ter uma ligação mais direta com o restante do pais. Se notares em Caxias no 3ºGaaae no muro dos fundos, a ferrovia passa colada ao Gaaae, alias, notarás que não há muro neste ponto, apenas uma plataforma onde o trem encostaria para serem carregados os equipamentos militares. (a ponte sobre o rio santa cruz em vila oliva também foi feita com este proposito, proposito militar) Bueno, imposta esta necessidade pelos militares iniciou-se a construção deste ramal que é belissimo, varios viadutos e tuneis, a ferrovia fazendo duas voltas ao redor do morro da jabuticaba para "vencer" o desnivel... Este ramal foi pouquissimo utilizado comercialmente, quase nada. Nos anos 80 a Giordani turismo recebeu a conceção (sic) para utilizar o trecho turisticamente. Ate 1987 a maria fumaça que hoje anda entre Bento e Barbosa descia ate jabuticaba com turistas, depois subia vazia. Alegando altos custos operacionais a Giordani abandonou o trecho. Hj o trecho é dela e há planos de reativar, o que esta pegando agora é a FEPAM que não libera a licença para limpeza da linha. Este ano a CIC de Caxias e a UCS começaram um estudo de viabilidade tecnica para conseguir a liberação deste trecho para os cargueiros da ALL levarem aço ate Caxias. Abs Marcio R. Vargas
×
×
  • Criar Novo...