Ir para conteúdo

Andre_Alves

Membros
  • Total de itens

    146
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

2 Neutra

Sobre Andre_Alves

  • Data de Nascimento 26-12-1989

Outras informações

Últimos Visitantes

706 visualizações
  1. @Cindy Lima acabei não comprando o saco de dormir. Dei prioridade para outros itens como bota e casacos novos enquanto estava em Los Angeles.
  2. @rodrigo-whisky algo que vá até um preço médio, mas não precisa ser profissional. Não sei faixas de preço por não saber as marcas, mas estou disposto a gastar um pouco a mais para montar equipamentos de trilhas mais frias.
  3. Pessoal, e dicas de sacos de dormir comprando lá fora? Eu tenho um saco de dormir padrão para viagens de fim de semana usado para praia e locais tranquilos (nautika viper 12, 8, 5). Como surgiu a oportunidade de viajar para os EUA, vou aproveitar para pegar um saco de dormir para Patagonia que pretendo voltar em breve para TdP, travessias como Petro x Tere e Pico da Bandeira (são os próximos destinos). Conseguiriam recomendar algumas opções de sacos leves para comprar lá fora além das mencionadas (TNF, Deuter, Simond)? E para esses locais eu estou certo em achar que -9 a -1
  4. Oi Jéssica! Eu fui sozinho em junho do ano passado que é baixa temporada e foi super tranquilo. Em Alto Paraíso, o pessoal que não está com o carro cheio vai para a padaria no centrinho buscando gente que queira dividir os custos de guia e do carro naquele dia. Há grupos de guias também que cobram R$200,00 por pessoa, toda pousada sabe os números dos guias, só pedir caso não se sinta segura para ir de carona. Mas ainda assim acho que não vale a pena pelo valor já que é possível conseguir dividir os custos do guia com essa galera que não está com o carro cheio. A própria dona da pousa
  5. Assim que testar, passa um feedback aqui!
  6. Uma dúvida que eu sempre tive, mas amaciar a bota na cidade não estraga o solado? Eu tive uma bota só, mas não era das melhores, nem lembro a marca. Ela aguentou uma trip pela Patagônia em 2011, mas já estava prejudicada nesta altura pelo uso na cidade e aguentou só mais uma viagem e o solado ficou derrapando nas vezes seguintes, o que me obrigou a aposentá-la.
  7. Gaby, eu estive em Punta del Este e Montevideo em 2012 e to indo pra Punta de novo no carnaval de 2017. Em Montevideo muita gente recomenda na Ciudad Vieja, mas quando fui pra lá em 2012 achei moh furada. Os arredores parecem clima portuário em filme de terror a noite. Apesar de ter passado um dia e meio em Montevideo, vi que é melhor ficar em Pocitos (dica que um uruguaio já tinha me dado em Buenos Aires). É meio que a área nobre deles, onde ficam as ramblas, parques e a praia. Em Punta del Este depende do que você vá fazer. Vejo muita gente ficando em Punta del Este mesmo e outro
  8. Recebi ontem à noite um email informando que não há mais vagas no Terreirão para 13/14 de agosto. [DISAPPOINTED FACE] Uma pena! Eu mudei os planos para acampar na Ilha Grande, mas ainda farei essa subida esse ano!
  9. Faala Otavio! Eu to na metade do tópico ainda, mas não consegui deixar de perguntar. Vou para a Europa daqui 2 meses e to pesquisando tudo que posso comprar lá fora que não consiga achar ou que seja muito caro aqui (por exemplo, botas da Asolo). Sobre sacos de dormir, eu pretendo usar nas trilhas brasileiras e no circuito W de Torres del Paine no próximo ano. Eu achei saco de dormir da Deuter Orbit -5ºC por volta de R$500,00 no mercado livre, mas queria saber sobre os sacos de dormir gringos. Você, e o pessoal daqui do fórum, conhecem ou recomendam algum modelo específico das melho
  10. Opa, legal o relato hein! Um dos primeiros que vejo o trajeto que quero fazer em agosto. Caso seja meu trabalho adote o feriado aqui no Rio da abertura das Olimpíadas, pretendo chegar em Alto Caparaó na sexta (5/8) de manhã e subir nesse dia. No meu caso, pretendo subir no dia 5/8, ver o pôr-do-sol no Pico da Bandeira e acampar no Terreirão. Daí no dia seguinte, pretendo subir o Pico do Cristal e o Pico do Calçado de manhã e voltar a tempo de chegar na portaria às 18h. Bom saber que é possível, ainda mais que há a possibilidade de não adotar o feriado e ter que fazer em um final de
  11. - Cusco e Águas Calientes (6/10 – 12/10) Dia 12: O hostel chamou o taxi e fui para o aeroporto. Imigração estranha, com os oficiais perguntando se eu era mesmo do Brasil, como se suspeitassem de alguma coisa. Não deem mole! O avião atrasou um pouco, mas sai quase 11h de La Paz e cheguei em Cusco antes das 11h (fuso horário de 1h). Fui procurar um taxi no aeroporto e o primeiro passo que me ofereceram foi 30 soles. Disse que não e fui andando pro setor de informações. Até chegar lá foram diversas outras propostas (25, 20, 18 soles). Disseram que se eu pegasse fora, pagaria por volta de 12 so
  12. Bem, seguindo o relato na Bolívia... - Salar de Uyuni (1/10 – 3/10) Dia 7: Acordei bem cedo nesse dia e confesso que estava receoso com o aumento da altitude. Arrumei minhas coisas e o microônibus da Cordillera passou no meu hostel para o tour de Salar de Uyuni no horário combinado. No ônibus estavam dois casais, um da França e outro da Austrália. Fomos até a imigração em San Pedro do Atacama para carimbarmos a saída do Chile e pegamos estrada pra chegar à Bolívia. Na fronteira com a Bolívia carimbamos o passaporte de entrada na imigração e trocamos o microônibus pelo carro. A fronteira f
  13. Faaala galera! Em outubro do ano passado (2015) fiz um mochilão para alguns dos destinos mais famosos na América do Sul: Deserto do Atacama, Salar de Uyuni e Machu Picchu. Por questões de logística, também visitei Santiago, La Paz e Cusco. Como todas as viagens, meu mochilão começou a ser planejado com antecedência. Após o Carnaval decidi que queria visitar Machu Picchu, Atacama e o Salar de Uyuni na mesma viagem. Pelo meu tempo apertado de férias, tive que ir de avião em metade dos trechos pra dar tempo de fazer tudo. Só que estes deslocamentos e o dólar astronômico da época encarec
  14. Do Pico da Bandeira ao Pico do Cristal são 3km (ida) sem muita variação de altitude, então a resposta é sim, dá pra ver o sol nascer no Bandeira e depois atacar o Cristal, passando pelo Pico do Calçado, que fica no caminho. Claro que isso vai depender de sua condição física, posto que um ataque ao cume do Bandeira partindo do Terreirão são 7km ida e volta, aproximadamente, e a trilha é bem exigente, sobretudo na parte final. Não tem como (oficialmente) descer do Cristal direto pro Terreirão, você terá que voltar até a base do Bandeira e passar pela trilha normal. Estive lá esse ano e um guarda
  15. Fala galera! Pelas dicas aqui, dá pra fazer o Pico da Bandeira em 2 dias e meio. Estou pensando em sair do Rio de Janeiro em uma sexta a noite e chegar na portaria do parque às 10h. Subir pro Terreirão e passar a noite lá pra atacar o cume do Pico da Bandeira na madrugada de sábado pra domingo. Eu quero pegar o ônibus de volta para o Rio de Janeiro no domingo às 22h. Dá pra fazer algum outro pico depois de ver o sol nascer no Pico da Bandeira? Por exemplo, é possível/vale a pena ir até o Pico do Cristal e depois descer pro Alto Caparaó??
×
×
  • Criar Novo...