Ir para conteúdo

Fernanda83

Membros
  • Total de itens

    25
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Fernanda83

  • Data de Nascimento Março 12

Bio

  • Ocupação
    educação e cultura

Outras informações

  1. Oi, Letícia, tudo bom? Desculpe-me pela demora em responder. Quase me arrependi porque passei um susto. Deixei minha mochila (dentro da bag, trancada) na agência da Vicuña, que foi a empresa de ônibus com quem cheguei em Copa. Depois fui comprar a passagem para Cuzco em outra agência. Pois bem, quando retornei no outro dia, fui visitar a catedral, almoçar e... buscar minha mochila. Para minha surpresa, a agência estava fechada para siesta, assim como muitas outras. Perguntei ao bar vizinho, e me informaram que deveria reabrir no horário x (não me lembro mais), mas era algo cerca de 1h30 an
  2. Juliana, aqui em cima, no relato, eu falei da bagagem que levei, dá uma olhada: post1133242.html#p1133242
  3. @juliana.teixeira2, eu senti muito frio no Uyuni e em La Paz. No restante da viagem, tudo mais tranquilo. Minha mochila não é muito grande, e deu conta na boa. E eu lavei roupa 3 vezes no caminho. Cuzco tem uma amplitude térmica muito grande, eu colocava agasalho de manhã, ficava de camiseta à tarde e à noite voltava a colocar o agasalho - o fleece do casaco. Boa viagem!
  4. Oi, sousa.fran, se eu não me engano, os barcos são 2x por dia, partindo do lado sul: às 11h e às 16h. Este das 11h chega por volta das 12h30 em Copacabana - dá tempo de pegar o ônibus das 13h30 para La Paz, por exemplo.
  5. Oi, gente! Desculpem-me pela demora em postar, mas além das férias terem acabado, eu inventei de fazer um bate-volta até Santiago no feriado e me enrolei toda... mas essa é outra história, que começou nessa viagem aqui, mas em outro capítulo... rsrsrsrs Sigamos com o relato! La Paz Cheguei a La Paz às 6h da manhã. Eu havia reservado uma noite no Loki Hostel, e foi perfeito; peguei um táxi na rodoviária e segui direto. Pude fazer o check-in assim que cheguei, e tudo o que eu precisava era um banho!!! Dormi algumas horas, mas as meninas do meu quarto estavam todas de saída, e logo
  6. Cris, o escritório fica em um prédio comercial na Angélica, nº 2491, bem pertinho da Paulista. Eu fiz as reservas pelo site e entrei em contato com eles para efetuar o pagamento - acabei fazendo direto no escritório porque ficava mais fácil para mim, mas pode ser depósito ou ordem de pgto para cartão de crédito. Telefone: 3258-9443.
  7. Uyuni Caiu uma baita chuva em Sucre, e eu acabei aproveitando uma rápida parada e fui para o terminal de ônibus mais cedo que eu gostaria. No terminal, conheci Aira e sua mãe, Greta, duas moradoras de Sucre que iam fazer o passeio pelo Salar. Conversamos muito, e nos distraímos durante a primeira parte da viagem. No meio da madrugada, acordei com o ônibus parado. Quebrou. Desci para ver o que estava acontecendo, e arrisquei fazer um xixizinho naquele friiiiiiio! Acho que ficamos mais de uma hora parados na estrada, no meio do nada... Chegamos ao Uyuni às 6h. Muito, mas muito frio.
  8. Encontrei minha cadernetinha! <3 Bom, lembrei que não comentei da minha bagagem, então lá vai. Tenho uma mochila da Conquista, San Tiago 45l, minha velha companheira de guerra. Além dela, uma mochila pequena, da Nike, que uso no dia-a-dia e serviu bem para carregar durante o dia, e uma bolsinha de couro que vai atravessada no corpo com carteira, óculos, passaporte, celular. Ainda levei uma valise de nylon dobrável, daquelas que ficam do tamanho de uma carteira - foi bem útil para ajudar a organizar a bagagem nos últimos dias de viagem. Eu também tenho uma bag da Quechua, para gu
  9. Pessoal, não estou encontrando minha cadernetinha de viagem, com os valores de todos os gastos... =P vou colocando aquilo que eu me lembrar de cabeça, sorry. Santa Cruz de la Sierra Cheguei a Santa Cruz logo depois do almoço (um pouco depois das 14h), encarei um bom tempo na fila da imigração (mais de um hora...) e segui para o hostel. Peguei o ônibus na porta do aeroporto (6bs), pedi ajuda ao motorista e desci na esquina do Backpacker's Hostel - tudo muito tranquilo. O hostel é bem legal, instalações novas, limpas, staff simpático e atencioso. A única coisa chata é que o café da
  10. Oi, Rodrigo, O mal da altitude era o meu maior medo, mas não senti nada, além do cansaço acima da média. Foi beeeem tranquilo durante todo o tempo. Mas vi muita gente passando mal durante todo o percurso. Eu passei mal no aeroporto em El Alto, no dia do retorno, mas acho que teve mais a ver com cansaço (bati direto de Cusco a La Paz de ônibus, cheguei às 15h, fui às compras e às 6h da manhã estava fazendo o check-in pra Santa Cruz); eu achei que ia desmaiar, com taquicardia e tonteira. Mas entrei no avião e passou; e Santa Cruz foi só alegria.
  11. Olá, pessoal! Acabei de voltar da minha viagem de férias, e não poderia deixar de compartilhar aqui as informações que foram tão úteis para que eu me organizasse e tudo corresse bem. Espero que estas atualizações possam ajudar aos futuros mochileiros como me ajudaram! Eu decidi que iria a Machu Picchu no primeiro semestre, mas... não fiz nada a respeito, rsrsrsrsrs. Não consegui pesquisar ou me organizar com tempo, e somente nos 15 dias anteriores à partida comecei a ler os tópicos por aqui, procurar as passagens, desenhar roteiros possíveis. A única coisa definida era a porta de entr
  12. Os outros 4 dias foram em Jeri. Conheci uma mochileira muito querida, Fabíola, e reencontrei Sandra, que havia conhecido em BH no ano anterior. Fizemos todos os passeios, dançamos, caminhamos, tomamos muito sorvete, e seguimos para Fortaleza no penúltimo dia. Sandra ficaria mais uns dias em Fortaleza, pois estava iniciando as férias. Fabiola voltou para Maceió logo depois do almoço; eu segui para São Paulo no comecinho da noite. E voltei ao trabalho dois dias depois, onde uma transferência de unidade e uma coordenação de área colocariam a mochila em modo standby por 3 anos
  13. 18º dia Dia de deslocamentos para seguir viagem. O carro para Paulino Neves deveria sair às 7h, mas saiu quase às 8h, porque haviam poucas pessoas. A Toyota do Seu Edilson é bem ajeitadinha, bancos com almofadas, cortinas nas laterais para barrar o sol. Transporte de primeira by Fernanda Gonçalves, on Flickr Chegando em Paulino Neves, tivemos que esperar pelo irmão de seu Edilson, que faz o trecho para Tutóia. O carro sai às 12h. Pedi a ele para me deixar na rodoviária, e chegamos 10 minutos antes da saída do ônibus para Parnaíba, às 13h30. De Tutóia a Parnaíba vamos pela rodovia as
  14. 15º dia O transfer para Barreirinhas me pegou às 4h30. Infelizmente não anotei a empresa, mas sei que os horários e valores são meio tabelados. Um micro-ônibus com ar-condicionado, viagem tranquila, com uma parada na estrada para café da manhã em um restaurante grande, R$10,00 por pessoa. Como eu não tinha pousada reservada, o motorista me deixou na agência Vale dos Lençóis, onde um grupo que ia fazer bate-volta para São Luís ia ficar primeiro. O Alex, dono da agência, me perguntou se eu estava viajando sozinha e disse: os mochileiros gostam de ficar lá na Deusa, vou te levar lá. Nem precis
×
×
  • Criar Novo...