Ir para conteúdo

oseiasleandro

Membros
  • Total de itens

    12
  • Registro em

  • Última visita

Conquistas de oseiasleandro

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. Mi Buenos Aires querido!!! Cidade simplesmente fascinante. Seus bons ares são fortemente consolidados em seu nome por tudo o que oferece em relação a entretenimento, cultura e turismo. 02/11/2012 - sexta-feira - 1º dia Eu e minha esposa saímos de Porto Alegre no feriado do dia 02 de novembro às 20h30 e chegamos lá às 22h15 (21h15, já que lá não possui horário de verão). Desembarcamos no aeroporto de Ezeiza que fica cerca de 40 minutos do centro de Buenos. Pegamos o taxi naquelas agências credenciadas, dentro do aeroporto mesmo e gastamos $200,00 pesos até o hotel que reservamos através do site http://www.booking.com (vale a pena reservar por aqui; eficiente e com bons preços). Ficamos no hotel Splendid http://www.hotel-splendid.com.ar/. O hotel é bem antigo e não oferece frigobar nos quartos. Sentimos um pouco a falta disso, tendo em vista que tinha um Carrefour bem na esquina da Rua Rivadavia com a Av. 9 de Julho. Mas tirando isso é tudo muito bom, especialmente a localização: perto de praticamente TUDO! Logo que chegamos, fizemos o check-in, deixamos as malas no quarto e fomos caminhar pela Av. 9 de Julho. Passamos por alguns bares e restaurantes e já podemos perceber um pouco do clima agradável da cidade. Não nos estendemos muito na caminhada, pois já era mais de meia noite e voltamos para o hotel. 03/11/2012 - sábado - 2º dia Acordamos cedo e já nos preparamos para "bater perna" pela capital porteña. Fomos tomar o café da manhã e nos deparamos com a realidade que já haviam nos alertado de como seria a refeição: media lunes e tostados; nada além disso hehehe. Saímos pela Av. Rivadavia e chegamos até a Plaza de Mayo onde está localizada a Casa Rosada e outros monumentos. Dali, seguimos para outro cartão postal da cidade: o Obelisco, localizado na Av. 9 de Julho. Para quem chega pela primeira vez em Buenos Aires é legal parar por ali para registrar a presença no local. Depois disso, fomos caminhar pelas Avenidas Corrientes, Lavalle e Florida, conhecendo os lugares e estabelecimentos da região. Concentração enorme de pessoas, mas bem tranquilo de passear e conferir os locais. Tiramos um tempo para almoçar, voltamos ao hotel, descansamos um pouco e em seguida saímos outra vez a pé, desta vez com o objetivo de conhecer parte de Puerto Madero. Antes, passamos no Starbucks http://www.starbucks.com.ar/ da Av. de Mayo para um cafezinho e para aproveitar o wifi do local. Puerto Madero é realmente muito legal. Chegando lá, paramos numa Isenbeck http://www.isenbeck.com.ar/ para tomarmos uma água com gás e logo seguimos a caminhada pela orla. Já no fim da tarde, retornamos caminhando pela Av. Belgrano onde pudemos vislumbrar ainda mais a arquitetura antiga da cidade passando pelo Paseo de la Historieta. Pude fotografar também alguns muros da cidade que contam um pouco da tradição argentina. Chegamos no hotel para mais uma pausa, mais um descanso e então saímos para jantar. Fomos no restaurante de culinária italiana Il Gatto http://www.ilgatto.com.ar/. Lugar muito bom, excelente atendimento e preços razoáveis. Depois, saímos para mais uma caminhada a noite pelas ruas do centro de BsAs e voltamos para o hotel. 04/11/2012 - domingo - 3º dia No domingo pela manhã, pegamos a linha turística do Buenos Aires Bus http://www.buenosairesbus.com/ bem no ponto zero, na Florida. O serviço é de 1ª e passa pelos principais pontos turísticos da cidade contando a história de cada bairro em muitos idiomas através dos fones de ouvido que são distribuídos aos passageiros. Descemos no estádio La Bombonera do Boca Júniors e fizemos o tour guiado pelo lugar. Foi muito divertido. Dali, fomos a pé para o Caminito e pudemos conhecer mais do bairro La Boca. Pegamos outra vez o bus e desta vez descemos no Bairro Recoleta. Lá, assistimos um tango de rua e depois paramos para almoçar no La Biela http://www.labiela.com/. O bairro também é bem agradável e bom de passear. Tem também o cemitério famoso e histórico do lugar que na verdade não é o tipo de lugar que gosto de visitar, mas... http://www.cementeriorecoleta.com.ar/. De volta ao hotel, paramos para aquela pausa tradicional antes de jantarmos no recomendado ~siga la vaca~ em Puerto Madero. Como já estava noite, pensamos em chamar um taxi por segurança. Mas o tempo estava tão agradável que resolvemos experimentar ir mais uma vez à pé até Puerto Madero. No caminho, passamos mais uma vez pela Casa Rosada e nos deparamos com um visual esplêndido da iluminação no lugar. A caminhada até lá foi tranquila. Chegamos então no recomendadíssimo restaurante. O lugar é bom, ótimo atendimento, mas deixou a desejar. Principalmente porque não havia molleja na parrillada. Além disso, o valor cobrado ($140,00 por pessoa) realmente não foi condizente com tudo aquilo que haviam me dito. Contudo, valeu a experiência para saber que lá não devo voltar mesmo. Na volta, descartamos mais uma vez a possibilidade de pegarmos um taxi e retornamos caminhando pela orla dos diques e pudemos registrar a beleza do lugar a noite. Já estava tarde, mas havia uma grande movimentação de pessoas e a presença de policiais também oferecia maior segurança. Passando pela Av. de Mayo, quase chegando de volta ao hotel, paramos no Café mais antigo e tradicional de Buenos Aires: o Café Tortoni. Lugar bem requintado; vale a pena entrar e tomar um cafezito. 05/11/2012 - segunda-feira - 4º dia Pela manhã, fomos conhecer o Teatro Colón http://www.teatrocolon.org.ar/es/. Queríamos ter entrado, mas o preço salgado da visita guiada para estrangeiros ($110,00 por pessoa) me fez rechaçar a oportunidade. O jeito foi tirar fotos do lado de fora mesmo. Dali, fomos visitar as Galerías Pacífico no centro da cidade. Aproveitamos o sinal wifi do lugar e paramos para almoçar no Parrilla Al Carbon. Saímos a caminhar outra vez pela Florida e não pude deixar de registrar a flâmula do Tricolor numa banca de Buenos Aires. Dá-le Grêmioooooo!!!! Fizemos mais umas andanças e voltamos ao hotel para mais um descanso e para nos preparar para a última noite na Argentina, com um show de Tango no Centro Cultural Borges http://www.galeriaspacifico.com.ar/ccborges.phpque fica dentro das Galerías Pacifico. Levava cerca de 10 minutos a pé do nosso hotel até lá, então, seguimos na pernada mais uma vez. O show custou $110,00 por pessoa e valeu cada centavo. Espetacular! Recomendamos. Pena não poder registrar com fotos. Depois disso, fomos até a Av. Carlos Pellegrini com a Lavalle, bem próximo ao Obelisco, jantar no Café Parisien http://wikimapia.org/17838179/es/Caf%C3%A9-Parisien, encerrando as atividades em BsAs. 06/11/2012 - terça-feira - 5º dia Nosso vôo saía às 06h15, então acordamos por volta das 2h30, arrumamos as malas, pegamos o taxi (+ $190,00) e aguardamos a partida no aeroporto de Ezeiza.O vôo saiu rigorosamente no horário e chegamos em Porto Alegre por volta da 9h (horário local).
  2. Olá, pessoal. Tenho lido os relatos e sugestões com relação a Buenos Aires, pois vamos eu e minha esposa pra lá em novembro. Já estamos com as passagens compradas (saindo de Porto Alegre ao EZE), mas ainda não definimos o hotel. Além de querermos visitar as atrações turísticas principais, pretendemos ir até a cidade de Colonia de Sacramento no Uruguai, através do ferri-bolti. Alguém tem alguma dica referente a este passeio?
  3. Dentre os muitos destinos atraentes da serra gaúcha, a região de Bento Gonçalves oferece pelo menos dois passeios imperdíveis: o "Caminhos de Pedra" e o "Vale dos Vinhedos". No "Caminhos de Pedra" (http://www.caminhosdepedra.org.br/), podemos rodar a estrada que tem várias casas antigas que retratam a história dos imigrantes italianos no Rio Grande do Sul. Algumas delas cobram uma pequena taxa de visita. Passamos por várias dessas casas. A primeira em que paramos foi a Casa das Massas: Depois, a Casa da Tecelagem: Continuamos o caminho pela estrada e entramos na Casa Vanni. Lá bebemos um suco de uva muito bom. Também aproveitamos pra tirar algumas fotos no espaço externo do local. A primeira degustação de vinhos que fizemos foi na Vinícola Salvati & Sirena. Na visita à Casa da Erva-mate vimos o processo de fabricação da erva e tomamos um bom chimarrão com a erva de lá mesmo. Na volta, paramos na Cantina, onde degustamos mais alguns vinhos, licores e suco de uva. Este lugar foi utilizado para algumas cenas do filme "O Quatrilho". Ainda tivemos tempo de visitar a Casa do Tomate, que oferece produtos derivados da fruta como geléias, catchup, molho para bruschetta e até sorvete de tomate. E mais a diante, a Pedra Furada: Voltamos para a pousada onde estávamos hospedados. Aliás, muito bom lugar: é a Pousada do Chalé >>> http://www.pousadadochale.com.br/ <<< Fica próxima ao centro de Bento Gonçalves. Procuramos um lugar para jantar em Bento, mas não achamos nada aberto além de uma pizzaria e um xis. Depois ficamos sabendo de uma galeteria muito boa, mas que fica na Rodovia RST - 470 >>> http://www.casadipaolo.com.br <<< Acabamos jantando no "Magnatas do Xis" >>> http://www.guiamais.com.br/busca/magnatas+do+x-bento+goncalves-rs <<<. No outro dia, voltamos ao Caminho de Pedras para almoçarmos no Restaurante Nona Ludia. Lá tem uma das árvores em que os imigrantes se abrigavam enquanto construíam suas casas. Ainda fomos visitar a Casa das Pequenas Frutas, mas foi o único lugar que não gostamos muito. Sem explanações, somente alguns produtos coloniais... enfim, mau atendimento. Dali, partimos para o Vale dos Vinhedos. Visitamos, na verdade, apenas uma vinícola: a MIOLO >>> http://www.miolo.com.br/controller.php <<< Foi muito legal. Eles cobram uma taxa de visitação de R$ 10,00 por pessoa. Um enólogo acompanha a visitação mostrando a vinícola e dando detalhes do cultivo das uvas e o processo de fabricação dos vinhos. São trinta minutos de visitação e mais trinta de degustação. Saindo dali, encerramos o passeio visitando a Cantina Michele Carraro. Um lugar muito legal (fica dentro de três pipas), onde também há degustação de vinhos e um ótimo atendimento. Vale a pena!!!
  4. Para entrar no Uruguai basta estar com a sua identidade. Com relação aos free shops, alguns itens são bem mais baratos que no Brasil, como perfumes e bebidas. Abraço.
  5. Saímos de Porto Alegre por volta das oito horas da manhã. No percurso até a fronteira passamos por cinco pedágios (em média R$ 8,00 cada); a partir de Pelotas percorremos uma reta (BR 116) que parecia interminável, mesmo assim a viajem foi agradável pela vista dos pampas gaúchos. Chegamos em Jaguarão, aproximadamente, às treze horas. O lugar não oferece muitas opções para almoçar/jantar. Encontramos um "Café" muito bom, na avenida da praça, que oferece lanches e alguns pratos como um "Entrecot com fritas" espetacular. Depois de almoçar, fomos conhecer um pouco mais da cidade antes de atravessarmos a Ponte Mauá em direção ao país vizinho. Fomos nas Ruínas da Enfermaria (ou Ruínas Militares) e alguns outros pontos. Passando para o lado uruguaio, aproveitamos para ir até a praça de Río Branco; depois fomos às compras! Uma dica de hospedagem em Jaguarão é o Hotel Fronteira; bom e barato! >>> http://www.hoteisjaguarao.com.br/website/hotelfronteira/home/ <<< À noite fomos jantar em Río Branco, no Restaurante La Punta, que oferece a famosa "parrillada uruguaya". Lugar muito bom com preços bem "camaradas"!!! No outro dia, estendemos o passeio até a cidade de Treinta y Tres no Uruguai. Fica a, mais ou menos, uns 130 km de Río Branco. A ruta 18 está ótima, salvo um pequeno trecho inicial em obras. Viagem tranquila até lá, apreciando desta vez os pampas "uruguayos". Era um desejo antigo que eu tinha de conhecer esta cidade, e, aos trinta e três anos de idade pude realizar o feito. Segundo o senhor que nos atendeu no hotel em que estávamos hospedados em Jaguarão, o slogan de Treinta y Tres é o seguinte: trinta e três valentes uruguaios mortos por um brasileiro covarde! rsrsrsrs A cidade é bem pacata, mas nada de surpresas com relação a isso, pois eu estava mais pelo feito/passeio que qualquer outra suposta expectativa. Procuramos um lugar para almoçar e encontramos um restaurante ao lado da praça que oferecia lanches como panchos e chivitos. Antes de chegar até lá, entramos na pequena cidade de Vergara. Voltamos no mesmo dia a Río Branco e aproveitamos para fazer mais algumas compras no Free Shop. No dia seguinte, iniciamos a viagem de volta a Porto Alegre. Paramos antes para almoçar em Pelotas na Churrascaria Lobão. Excelente lugar. O preço é salgado, mas vale a pena. Depois fomos até a Praia do Laranjal e retornamos à capital da província.
  6. Falar de Porto Alegre é imediatamente ligar o pensamento à cultura e lazer. Um ponto peculiar da capital gaúcha e também um dos símbolos dessa cidade é o Cais do Porto. Lugar onde se pode contemplar o famoso pôr-do-sol do Guaíba, proporcionando um cenário sobretudo romântico, lembrando os tempos em que o lugar chamava-se "Porto dos Casais". Uma ideia interessante é vislumbrar o cais do outro lado do Guaíba, na ilha da Pintada, trazendo um ângulo diferente do tradicional.
  7. Um filme legal para assistir é Diários de motocicleta, do Walter Salles. Conta a história da viajem de Che Guevara e seu amigo pela América do Sul numa moto. Vale a pena conferir!!!
  8. Vcs têm conhecimento sobre a Ruta 14 no trecho entre as cidades de Lascano e Jose Pedro Varela? Dizem que está em péssimas condições e inacabada (o que contradiz as informações de que as estradas uruguaias são ótimas)? Gostaria de informações dessa estrada pois pretendo passar por lá para ir a cidade de Treinta y Tres. Abr. HoseaVincit
  9. Olha só: vi comentários na internet de que a Ruta 14 entre as cidades de Lascano e Jose Pedro Varela está em péssimas condições e inacaba Alguém teria alguma informação a respeito dessa estrada ou sabe onde posso conseguir maiores informações??? Grato. HoseaVincit.
  10. oseiasleandro

    Chuy

    Que distância ficam esses lugares a partir do Chuí?
  11. Olá, pessoal. Estou planejando uma viajem de carro com minha esposa, saindo de Porto Alegre para o Uruguai. Decidimos cruzar a fronteira através do Chuí e seguir até a cidade de Treinta y Tres (http://www.imtt.gub.uy), fugindo completamente do convencional que é o de seguir pelo litoral (Punta, Piriápolis, etc). Na volta, queremos vir pela rota que nos leva à fronteira entre Rio Branco e Jaguarão. Gostaria de obter informações sobre as condições das estradas nesse trecho do Uruguai, saber se existem pedágios nesse caminho e alguns conselhos para seguir viagem no país vizinho. Abraço! Roteiro: Porto Alegre - Chui (BR-116 / Rampa de acesso BR-392 / BR-471) Chuí - Treinta y Tres (Ruta 19 / Ruta 15 à esquerda / Ruta 14 à direita / Ruta 8 à direita.) Treinta y Tres - Rio Branco/Jaguarão (Ruta 17 / Ruta 18 (Vergara Ruta 91 > Ruta 18) / Ruta 26 à direita.) Jaguarão - Porto Alegre (BR-116)
  12. Olá, pessoal. Estou planejando essa viajem que foge do convencional trajeto seguindo pelo litoral. Pretendo conhecer um pouco mais do interior do Uruguai, principalmente a cidade histórica de Treinta y Tres. Roteiro: Porto Alegre - Chui (BR-116 / Rampa de acesso BR-392 / BR-471) Chuí - Treinta y Tres (Ruta 19 / Ruta 15 à esquerda / Ruta 14 à direita / Ruta 8 à direita.) Treinta y Tres - Rio Branco/Jaguarão (Ruta 17 / Ruta 18 (Vergara Ruta 91 > Ruta 18) / Ruta 26 à direita.) Jaguarão - Porto Alegre (BR-116)
×
×
  • Criar Novo...