Ir para conteúdo

cabraljr

Membros
  • Total de itens

    1.465
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que cabraljr postou

  1. Diego, Se você já tiver o strop de couro, pode sim utilizá-lo. Se não tiver, um trapo de pano funcionará. Se tiver um pedaço de couro, também pode utilizá-lo. Abraço.
  2. Diego, Sua Mora é em aço carbono e se tem uma coisa que aços carbono planos ( no caso, 1095 ) adoram fazer é oxidar! Não é falta de cuidado ou mal uso, é algo inerente ao aço. Uma lixa 2000 deve fazer a mágica.Mas se tiver óxido de cromo ( pasta jacaré ) ou outras pastas de polimento, tente as mesmas primeiro, pois se for bem superficial elas darão conta. Se estiver mais profundo, sem ainda ser um pit de corrosão, então a lixa 2000 resolverá. Abraço
  3. Vitimite, Se você realmente quer dar um presente ao seu pai que seja diferenciado e sendo ele alguém que entende que uma lâmina deve cortar e cortar bem, dê uma olhada em algumas facas japonesas em aços "white, blue, super-white ou super-blue" . São normalmente facas full flat ground e com grinds que proporcionam fios extremamente delgados, voltados única e exclusivamente para cortar e cortar muito bem! Você achará bons exemplares destas facas na internet e preços podem variar de 150 a 300 dólares para facas de artesãos com boa reputação no mercado. Estas lâminas tendem a ter durezas acima de 61 RC, não sendo nada, nada incomum alcançarem 63/64 RC. Por outro lado, se optar por uma Tramontina linha profissional com dureza anunciada de cerca de 55 RC e aço inox Krupp 1.4116 ou Sandvik 12C27 ( as japonesas todas serão em aço carbono, pois os aços citados são aços carbono ) e se der ao trabalho de deitar a lâmina numa pedra e desbastar o já delgado desbaste original de fábrica e depois dar um polimento e finalmente aplicar um micro-fio de 15 graus de cada lado, como seu pai sabe usar uma boa faca, terá uma lâmina com excelente habilidade de corte, fácil manutenção e com o plus de ter um toque pessoal seu! As facas Cimo e Bianchi já recomendadas eu não saberia dizer nada á respeito porque nunca as tive em mãos. Mas no caso específico da CIMO a cerca de 30 ou 40 dias recebi um e-mail promocional sobre uma linha de facas semelhantes às Tramontinas da linha profissional e escrevi para a CIMO através do "fale conosco" pedindo informações como aço utilizado ( a especificação e não só se era inox ou não; ou ao menos o conteúdo de C e Cr do mesmo ), dureza alvo pretendida, largura da lâmina, espessura máxima na espinha e se o tratamento sub-zero era em gelo seco ou N líquido. Estou até agora esperando qualquer resposta da CIMO... Abraço.
  4. Joan, Mais do que normal, eu diria mesmo, desejável. Significa que não há folga entre as faces e as facetas cortantes estão se tocando como devem, para efetuarem cortes limpos mesmo em materiais delicados e mínima espessura. Abraço.
  5. Rogério, seja bem vindo. Para adicionar uma imagem direto do seu computador, quando clicar em responder, abaixo do campo para a mensagem há 2 abas: "opções" e "adicionar anexo". Clique na segunda e é só ir adicionando. Se for uma imagem um site de hospedagem ou direto da web use os botões acima desta caixa de mensagem, especificamente o "Img" e cole o endereço entre "". Acho que é isso. Abraço
  6. Frico, Parabéns meu amigo! E o cabra segue na carreira de muladeiro... agora pegou uma cavala!!! Grande abraço! Cabral
  7. Tina, Pelo visto você está em busca dos Victorinox com 111mm de lâmina. Dentro do espectro de especificações que você delineou, ou seja, todas as ferramentas do Huntsman e mais uma lixa de unha ( nestes modelos maiores há lixa sim, mas para aço e que eventualmente pode servir para unhas ), o único que se enquadraria em todos os requisitos ( eu acho ) é o WorkChamp Se você abrir mão da lixa de unha, que é algo trivial e sem volume ou peso para se levar na bolsa, há um modelo mais compacto e barato, o Outrider: Abraço.
  8. Peregrino, Acho que você não faz idéia da celeuma que a Police já originou aqui e em outros lugares... hehehehehe Se ela for integral, sem solda no tang, é sim uma boa lâmina. Eu tenho uma assim e uma Amazon, também sem solda. O problema todo é saber antes da aquisição, se a danada é com ou sem solda. Simplesmente não dá para saber sem fazer um RX ou sem desmontar a faca! Na mesma faixa de preço ( eu acho ) e até em tamanho semelhante, só para ficarmos na Guepardo, tem a Fish 8" e uma recém lançada, que é cópia da Gerber Metolius ( eu tenho uma Gerber Metolius e é muito boa, mas mais voltada para caça ), ambas full exposed tang, ou seja, toda a faca é uma única peça de aço com a porção da empunhadura correspondendo ao exato contorno da mesma, tendo inclusive as bordas do aço expostas. Nenhuma intenção aqui de ressuscitar todo o debate já travado em torno das Police. Abraço.
  9. Acson, É impossível emitir qualquer opinião sobre uma lâmina desconhecida usando por base apenas fotos, que aliás se restringem a uma única foto; e mesmo que fossem em maior número, simplesmente não dá para falar nada. Ou melhor, dá para dizer que o notch do cortador de fio/cinto de uma delas certamente será o ponto iniciador de uma fratura caso ela leve pancadas no dorso ( no caso, na ponta ) ou se o usuário tentar usá-la como alavanca. Outra coisa que dá para perceber é que o canivete parece ser axis lock, mas estranhamente o axis está posicionado muito atrás na cavilha quando em posição travado, com a lâmina aberta... Abraço.
  10. Rmcolpani, Como vai? Eu tenho um gadget semelhante à este, o pocket pal da Smith's. Ele funciona, se usado com as devidas cautelas. O grande problema é que o sistema de "mordentes em X" com pastilhas de tungstênio podem causar danos no fio se usados indevidamente. Mas sem dúvidas pode ser rápido para reparar fios muito danificados, principalmente em aços com baixos/médios volumes de carbonetos e que estes não sejam de Mo, W e V. Eu, apenas como questão individual, prefiro que meus fios não tenham o tipo de afiação que estes gadgets propiciam, que pode ser até bom para aqueles que não têm experiência em afiação. Eu usaria a carborundum cortada. Mas tenho que reconhecer, principalmente nos casos dos aços citados por você, que não possuem carbonetos primários, que ele poderia ser mais prático caso você não tenha experiência com afiação manual em pedras. Mas o contraponto também é verdadeiro, ou seja, com uma simples carborundum ( pedaço ) e um pouco de experiência você conseguirá muito bom fio nestas lâminas ( aços ) à campo. Abraço.
  11. Narciso, Eu tenho um Spartan! Um excepcional canivete! Realmente de construção absurdamente robusta, entretanto, mesmo parecendo um tanque de guerra é um canivete cuja geometria da lâmina também privilegia a habilidade de corte, já que seu desbaste primário é um hollow ground bem acentuado. Isso significa que se souber usar a lâmina, se valendo da porção com espessura de 4mm você consegue até desarticular uma coluna bovina; por outro lado, se fizer o mesmo com a porção do fio ( hollow ) irá deformá-lo e até causar uma fratura em meia lua. Sua lâmina marcadamente recôncava faz com que aqueles que desejam uma arma tática defensiva de último recurso seja extremamente eficaz em lacerar e com marcada profundidade. Apesar do tamanho é muito confortável na mão, com um grip extremamente seguro e literalmente quase impossível de escapar. Pelo sistema de trava ( tri-ad-lock ), mola e formato da lâmina deve-se sempre tomar cuidado na hora de fechá-lo pois se pegar o dedão no caminho o estrago pode ser feio. Quem não tiver muita habilidade em afiação e/ou não tiver um sistema pré-ângulado do tipo rods como Spyderco Sharpmaker ou um simples Smith de hastes cerâmicas pode ter muita, mas muita dificuldade em reafiá-lo mantendo íntegra sua lâmina recurva. Mas é possível sim fazer a afiação até em pedra de bancada, mas ai é necessário técnica e um pouco de experiência. Se usar uma "tira" recortada da pedra, com não mais do que 2cm de largura, ai fica tudo mais fácil. O Lawman e Voyager também são excepcionais canivetes, tendo ambos altíssima habilidade de corte; pelo preço, considero o Voyager FFG um dos melhores slicers do mercado. O Lawman é um pouco melhor neste quesito, mas se considerarmos o o preço, com o Voyager custando quase a metade, é difícil de ser batido. Abraço.
  12. Novamente, postando aqui um canivete apenas em atenção ao amigo PhacSantos que me presenteou com ele, me vendendo a um preço menor que o de custo! Canivete Higonokami japonês Ficha técnica: comprimento fechado ( com o tail ): 10,8cm comprimento total: 17,3cm comprimento da lâmina: 7,4cm comprimento efetivo do fio original: 7,5cm largura máxima da lâmina: 1,5cm espessura da lâmina: 2,5mm espessura total da empunhadura ( ajustada por mim ) : 5mm espessura do aço da empunhadura: 1mm peso: 42g aço: SK, provavelmente 1082 dureza: 58 RC no fio e 50/52 na espinha trava: não ( friction folder ) A história deste canivete remonta ao século XIX e não vou colocar aqui pois pode ser facilmente encontrada no tio google. É um canivete de construção extremamente simples, sendo em essência um friction folder. Sua empunhadura é uma simples folha de aço dobrada. Pode parecer frágil, mas é de uma rigidez interessante, sendo bem difícil apenas com a força dos dedos comprimi-la no sentido de tentar aproximar uma borda da outra; o movimento é mínimo. Pela ficha técnica pode-se perceber que é um canivete bastante compacto, e o acabamento é bastante espartano, rústico mesmo. Um dos seus problemas, é que com o espaço entre as folhas da empunhadura mais aberto, o fio pode tocar no fundo da mesma, sendo danificado. Por isso, coloquei um stop pin, que limita o curso da lâmina para dentro da empunhadura. Para tanto, fiz um recesso na lâmina, na porção mais próxima à empunhadura. Resolveu o problema e ainda facilita a abertura da lâmina, já que a mesma não vai mais fundo na empunhadura. Também arredondei o tail para ficar mais confortável o apoio do dedão, assim como ajustei seu encaixe na empunhadura ( assentamento ), pois só tocava um ponto; agora ele assenta por completo na empunhadura. Aqui pode se ver a comparação do original com ele já com as modificações. A lâmina, mal comparando, é uma Mora em miniatura, ou seja, é um scandi com exatos 10 graus DCL ( desbaste de cada lado ). Dei uma polida na parte do scandi para minimizar os riscos da lixadeira. É um canivete para trabalhos leves, entalhar madeira detalhadamente, apontar lápis e até lidar com alimentos. Para mim esta opção é praticamente descartada pelo gosto de ferrugem que fica e pelo fato de ter que ficar lavando E ENXUGANDO com constância a lâmina. Pela dureza de 58 RC, apliquei um micro-fio de 15 graus DCL, pois com a experiência com a Mora classic que tem 59 RC, sei que o fio vira muito facilmente. Eventualmente vou retemperar a lâmina para ficar com módicos 63 RC de dureza! Este modelo é bastante barato, ficado em torno de 12 dólares. Caso alguém se interesse, recomendo o modelo mais caro, tipo um que o amigo Véio du Mato adquiriu há algum tempo, com lâmina laminada e com o core em aço super blue com 63 RC de dureza! Este deve ficar por cerca de 25 a 30 dólares. Para mim, será um canivete para abrir caixas e correspondência e de vez em quando, entalhar uns gravetos. Hehehehehe, como sei que o fio vai virar, tinha uma chairinha feita de lima de motoserra ( retemperada ) parada, então cortei e fiz uma chaira de ângulo pre-setado de 20 graus DCL, para ficar sobre a escrivaninha. As hastes são removíveis. Abraço
  13. Teresa, Absolutamente não lhe recomendo adquirir este tipo de canivete automático que tem em mente! Primeiro porque é legalmente proibido aqui no Brasil e segundo porque salvo raríssimas exceções, via de regra customs e com preços astronômicos, eles são uma grande porcaria no geral e absolutamente não confiáveis! Além disso, ser abordada por um integrante das forças da lei e ser apanhada com um destes, vailhe gerar dissabores pelos quais você não precisa passar! Na linha do que você pretende com sua solicitação, lhe recomendaria procurar no ebay ou mais precisamente no AliExpress algum modelo dos canivetes Ganzo com axis lock que lhe agrade. Este tipo de trava permite, com o devido ajuste da tensão do pino/pivot, que a lâmina seja aberta apenas por gravidade. Basta puxar o axis lock para trás e com um mínimo jogo do pulso e a lâmina se abre e é travada na posição de forma bastante segura ( ao se soltar o axis lock ). Estes canivetes custam entre 15 e 20 dólares, já com o frete para o Brasil, são em aço 440C ( o equivalente chinês à este aço, que é o 9Cr18MoV, que na minha opinião é até melhor que o 440C original ), são muito bem construidos e acabados e tem uma retenção de fio muito boa. Sem contar que alguns modelos são mais robustos que um tank de guerra! Abraço
  14. Não posto mais lâminas aqui no Mochileiros, mas este é um caso especial, já que o amigo PhacSantos me presenteou vendendo uma faca de sua propriedade, em estado mint, a preço de custo. Como comentei com ele que fiz algumas modificações e ele solicitou que postasse aqui para que ele pudesse ver. Então estou indo além, e postando um review que fiz da faca em outro site. Mais uma vez agradeço ao amigo, pois já tinha encerrado as compras de lâminas fixas, mas graças à sua generosidade pude acrescentar mais esta maravilha ao meu ajuntamento. Faca tantô em aço D-2 Ficha técnica: comprimento total: 22,6cm comprimento da lâmina: 11,2cm comprimento efetivo do fio: 10,7cm largura máxima da lâmina: 2,8cm largura máxima da empunhadura: 1,8cm espessura da lâmina: 3,25mm talas da empunhadura: madeira peso: 122g ( com bainha 168g ) aço: D-2 dureza: 61 RC bainha: couro Ok, falei que tinha encerrado a carreira no que tange à compra de facas, mas esta era de um amigo de outro fórum e de mesma origem de todas as minhas facas em D-2. Zeríssimo km, pois ele nunca nem sequer mexeu no fio; se cortou papel, foi muito. Não vou fazer um review mais detalhado da faca, pois tudo que eu tinha para falar sobre o aço, já foi dito neste tópico. Eu disse à ele que esta faca por ser uma tantô, ou seja, a princípio uma lâmina tática de defesa, seria empregada por mim para fazer tudo que eu considero que uma faca não deva fazer: prying ( alavanca ), tomar martelada, porretada, cortar latas e outros abusos destes tipos. Esta era a intenção até eu receber a faca. Imaginei que teria um desbaste primário que favorecesse a robustez extrema, sendo quase um pé de cabra afiado; ledo engano! Seu desbaste favorece a performance de corte, sendo a espessura atrás do ombro do fio ( original ) de apenas 0,75mm e se estendendo por cerca de 3mm e ficando abaixo de 1mm por cerca de 6mm de extensão! Somente meus Buck Vantage, Kershaw Field Knife e Inron MY803 têm geometrias originais mais favoráveis à habilidade de corte, mas não muito! Todas as arestas tanto do tang quanto das talas de madeira eram acentuadas, e foram devidamente arredondadas. Outra modificação foi aumentar e aprofundar o finger choil para encaixe do dedo indicador, ficando mais confortável e seguro. A imagem a seguir mostra a original e a modificada. Fiz minha afiação, com desbaste de alívio de 10 graus DCL ( de cada lado ), seguido de 15 graus DCL, 17,5 graus DCL e finalmente micro-fio de 20 graus DCL. Em todas as etapas houve polimento até a pedra japonesa 1200. Esta faca é um sabre de luz para cortar!!! Impressionante! Apesar do fio reto, que é desfavorável a alguns cortes, sua geometria hollow ground no desbaste principal e flat na ponta mais que compensam. Estou adorando esta faquinha!!! Abraço
  15. Marcus, Acho que você está se referindo ao thumb stud, e não à trava ( frame lock ). No thumb stud você pode usar uma gotinha de super bonder, se quiser. Com relação ao jogo horizontal da lâmina, se dá por desatarrachamento do parafuso do pino/pivot. Neste caso o mais recomendado é uma trava química.A que eu uso, se não me engano, já que há muito que o rótulo foi embora, é a Loctite 242. Você coloca um pouquinho, ajusta da forma que lhe for mais conveniente e deixe secar. Vai lhe garantir uma "firmeza" da lâmina em relação ao frame da empunhadura por muito tempo. Se algum dia quiser reajustar a tensão doparafuso, aqueça a cabeça dele com um ferro de solda, desatarrache, limpre o que for possível, coloque mais um pouquinho da trava química e reposicione o parafuso na tensão desejada. Abraço.
  16. Labanca, É um absurdo isso! Eu e uns outros amigos tivemos a sorte de ter Polices e Amazons com espigas inteiriças, o que fazem delas facas ceitáveis, boas mesmo para várias aplicações, apesar da menor retenção de fio. Esta sua é duplamente condenável, por ser soldada e por ter rompido o acetábulo da espiga! Entre em contato com a Guepardo e exija troca por outro modelo full tang ou seu dinheiro de volta! Abraço
  17. Bom pessoal, Não é segredo para ninguém que venho há tempos evitando de postar qualquer coisa aqui no Mochileiros. Pois bem, isso se manteria e se manterá, mas algumas coisas não dápara deixar passar! Todos sabem tudo que já escrevi sobre aços e lâminas, coisas do tipo: se o aço é o coração da lâmina o tratamento térmico é sua alma ( a frase não éminha ); aço D-2 deve ser tratado como se fosse aço carbono, é usou , lavou secou ( já repeti isto á exaustão ); e algo que nãopostei aqui pois jánão o vinha fazendo, mas em outro fórum um amigo teve uma desagradável surpresa, em verdade, negativa mesmo, com uma kukri que se quebrou com menos de 10 golpes! Eu lhe disse que a melhor maneira de se avaliar a qualidade da lâmina é verificar a dureza JUNTAMENTE como tamanho do grão do aço, pois em conjunto são um indicativopreciso da qualidade do tratamento térmico!!! Pois bem, cutelaria de fundo de quintal, a menos que tenha fornos de temperatura e quiçá atmosferas contoladas, podem chegar à durezas as mais diversas, desejadas ou não, mas a qualidade do tratamento térmico como um todo depende dos protocolos corretos, sem o que, o aço nao adquiri suas melhores caracteristicas, ou antes, as caracteristicas desejáveis! A geometria das lãminas é um problema??? Altere-as! Foi o que fiz nas minhas, inclusive na faca das imagens a seguir! Transformei-a em FFG! Quando se compra as lâminas, ao menos estas que comprei especificamente em D-2 e RECOMENDEI, está lá em letras grarrafais a descrição e as caracteristiscas e fotos inúmeras! Compra quem quer, e sabe exatamente o que vai receber! Pois bem, ao ler o tópico, peguei a faca em questão e a levei à morsa e quebrei sua ponta! NÂO se enxerga o tamnaho dos grãos!!! Nem com esta lupa de 20x que foi usada para se magnificar os dois corpos de prova, a ponta fraturada e o corpo da lâmina!!! E olhem que esta lãmina foi desbastada no esmeril e lixas por mim para chegar ao FFG. Claro que para isso tomei os CUIDADOS que eram REQUERIDOS para não alterar sua têmpera! Isso foi feito em várias outras lâminas!!!!!!!!!!!! Só espero não ter que vir a quebrar a ponta de todas as minhas lâminas para comprovar o que já sei pelo uso e alguns testes que faço nas mesmas! São de qualidade!!! E muito boa por sinal!!!!!! Use-as de acordo com o que o material exige, e não terá problemas! E mais, a maioria das minhas D-2 foram adquiridas como blanks e eu coloquei os cabos! E as que vieram encabadas, apesar do uso ( correto ), estão perfeitas! A prova está ai! É fato, não é suposição e nem abstração! Os amigos que tirem as conclusões que lhes forem mais adequadas! De minha parte, vou continuar não postando por aqui por motivos óbvios! Nestes links as imagens podem ser vistas em full size: http://i46.tinypic.com/2cctaih.jpg http://i50.tinypic.com/16a9o5e.jpg http://i49.tinypic.com/2z69f91.jpg http://i46.tinypic.com/6dr0ug.jpg Abraço
  18. [email protected], Procurando me ater às suas especificações, há algumas facas que poderiam lhe ser indicadas. Mas vou me restringir a uma que tenho e posso falar em primeira mão: Gerber Big Rock. Não chega às 6 polegadas de lâmina pretendida por você, mas tem praticamente 5 polegadas ( 12cm ), 4mm de espessura, em aço 440A e 58 Rc de dureza e full tang. É high flat com desbaste não indo à zero, o que lhe confere ainda mais robustez ( não vai achar relatos de fraturas na web ), sacrificando um pouco da habilidade de corte; mas isso pode ser corrigido com um desbaste de alívio agressivo ( 5, 10, 15 ) e micro-fio de 20 graus de cada lado. O 440A só perde em tolerância à corrosão para a série 420 ( considerando os aços mais comumente utilizados em cutelaria ), entretanto o seu acabamento bead blasted favorece a ocorrência de pontos de ferrugem. A solução é o polimento! Sua manutenção de fio pode ser comparada ao 440C com 1 ponto menos de dureza, ou em mesma dureza desde que o material a ser cortado não seja mais abrasivo. Ergonomicamente é muito boa e sua bainha é aceitável, sendo em nylon com um insert plástico. Como você também mostrou certa inclinação à Mora Robust ( aço carbono ), uma faca que não tenho, mas tenho sua irmã menor e acho um espetáculo ( Rodan ) e tem cerca de 7 polegadas de comprimento e 4,75mm de espessura em aço 1075 e 58 RC é a Condor Varan. Ambas ficam na faixa de 30 a 35 dólares e com o frete, se procurar, abaixo de 50 US$. Abraço
  19. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Desculpe a demora em responder, mas é que estava "fugido" neste início de ano... Nada de prof! Aprendiz é minha condição! Em pedras, o sentido da afiação é sempre tentando tirar uma fatia fininha da pedra; com lixas pode até ser feito quando o fio está muito detonado e a grana é mais grossa, mas quando se parte para granas mais finas o risco de se cortar a lixa aumenta bastante. Quanto às pedras, 3000 acho que é um "salto" ( gap ) muito grande após a carborundum dupla-face ( lado fino ). A 1000 dá um bom nível de acabamento e já permite o chamado push cut. Mas nestes preços, sem sombra de dúvidas a Tramontina cerâmica dupla-face 400/1000 é muito mais negócio!!! Eu não tenho, mas pelos relatos de alguns amigos, alguns inclusive fazendo testes comparativos; o resultado foi muito bom! Abraço
  20. Hehehehehehe Após uma "fugida" para descansar, estamos de volta! [email protected], vocênão poderia ter ouvido melhores recomendações em se tratando de restrição à produtos bons e baratos encontrados aqui no Brasil! Eu e Diegão somos assumidamente muquiranas em relação à cutelaria, mas posso lhe dizer que se ampliar um cadiquim o leque e não se restringir só ao mercado brasileiro dá para se adquirir ótimas peças com "brêço brêrcinho..."! A Fish 8" realmente parece ser uma opção muito boa! O teste do Mestre VdM não deixa dúvidas quanto a isso! Seu único pecado é não ter uma melhor retenção de fio; por outro lado, é muito difícil quebrá-la! Pode ser judiada de verdade! Quanto ao fio, é o famoso pêndulo, em que pese ele ir-se fácil, volta fácil! Um pedaço de pedra carborundum ou lixa e está pronto para a briga de novo! Acabei de ver o tópico em que postou a Tramontina, e um modelo bem semelhante àquele só que menor, foi a minha primeira faca mais "legalzinha" ( anterior à ela foi uma Tramontina também, tipode cozinha e com cabo de plástico azul... cruzes ) e qual uma das primeiras coisas que aconteceu? Isso mesmo, "bambeou" a junção lâmina/guarda/cabo... e isso foi em fins dos 70 início dos 80! Abraço
  21. Hehehehehehehe Precisando é só postar a dúvida. Abraço
  22. Guilhermelv, Como qualquer outra faca, a boa e velha carborundum dupla-face fará um bom serviço. Lógico que se você tiver uma outra pedra com granulação mais fina que o lado "fino" da carborundum conseguirá um fio mais polido e melhor! Se só tiver a carborundum, use o lado "fino", a não ser que o fio esteja realmente destroçado e cheio de dentes; neste caso teria que começar pelo lado "grosso" para eliminar o excesso de deformações ( dentes, achatamentos, etc ) para depois refiná-lo no lado "fino". Não sei qual sua experiência em afiação, mas talvez seja interessante ao menos no início você manter o mesmo ângulo da afiação de fábrica ( que é relativamente obtuso na minha opinião ). Para não correr risco de errar, você pode se valer do velho e bom truque da caneta de marcar CD: com ela marque todo o fio e depois tente casar o ângulo do fio com a pedra. Dê uma passada e cheque se removeu a tinta exatamente em toda extensão do fio. Se tiver removido so no ombro, levante um pouco a inclinação da faca; se removeu só na borda extrema deite um pouco mais a faca. Faça estes ajustes até conseguir um ângulo que case perfeitamente com a afiação de fábrica. Passe a caneta quantas vezes achar necessário. Restando alguma dúvida é só falar. Abraço
  23. Leandro, Especificamente o ZDP-189! O VG10 é um bom aço, não tenha dúvidas disto, entretanto seu desempenho é bastante similar, com ganhos marginais sobre o AUS8 da Cold Steel, e neste caso, como gosto pessoal, a lâmina do Mini Lawman e sua construção geral me agradam mais. Em sendo ZDP-189, ai eu priorizaria o desempenho do aço, muito superior ao AUS8, mesmo o da Cold Steel! Abraço
  24. Ferrib, Hehehehehehehehehehe Agradeço muito a sua gentileza para comigo! Precisando de algo é só dar grito e se estiver à nosso alcance será um prazer ajudar. Grande abraço
  25. Ferrib, O melhor custo/benefício e qualidade de fio em termos de afiação à campo é um pedaço cortado da pedra carborundum dupla-face. Se portabilidade extrema for necessário, cortar pedaços no sentido perpendicular ao longo eixo da pedra, que irá resultar em pedrinhas com cerca de 2 a 3cm de altura, por 2 ou 3cm de largura e uns 5 ou 6cm de comprimento. Outra opção é cortar a pedra dupla-face em cruz, o que resultará em 4 pedras de afiar dupla-face com dimensões reduzidas. Uma destas proporciona melhor afiação que as menores citada antes, mas implicam em volume um pouco maior e também um peso um pouco maior. A "pedra" Fallkniven DC-4 é uma alternativa mais compacta e um pouco mais eficiente que a carborundum dupla-face. Entenda-se eficiência em termos de polimento final do fio obtido, porque em termos de desbaste mais rápido do aço o lado "grosso" da carborundum me parece mais eficiente que o diamantado da DC-4. Mas a cerâmica da DC-4 proporciona um polimento muito, mas muito superior ao lado "fino" da carborundum. Entretanto seu custo é bem mais elevado, ficando com o frete em torno de 30 dólares, o que daria para comprar 4 ou 5 pedras carborundum dupla-face 108N e produzir cerca de 16 ou 20 pedras se cortas em cruz! É pedra para todo um grupo ou para a vida inteira... No caso da carborundum dupla-face ( a 108N da Saint Gobain é senão a melhor, uma das melhores e com baixo custo, cerca de 10 a 15 reais ), dá se cortando em cruz, uma pedra para você e mais 3 amigos. Para cortá-la, uma serra mármore com disco diamantado para cortar cerâmica. Estas usadas por pedreiros em obras quando se estána fase do acabamento. Com relação à sua dúvida doporque utilizar uma superfície convexa como por exempo um gomo ou "meia-cana" de bambu, note que algum material resiliente é colocado sobre ele, como couro, borracha, EVA, tecido, folhas, etc. A intenção de se usar uma superfície convexa rídida sob o meio resiliente é tornar mais fácil a afiação convexa de lâminas curvas e recurvas, além de acentuar a efetividade de esgaste provocadopelas lixas pois a superfície convexa do apoio sobre o qual vão as lixas propicia menor área de contato instântaneo do fio com a lixa , o que potencializa o desgaste do aço e em lâminas com maior ou diferentes graus de curvatura do fio, impede que o fio seja "deformado" com eliminação da curvatura natural existente ou que surjam pontos ao longo do fio com diferentes graus de desgaste ou mesmo, às vezes, sem desgaste. E lembre-se que afiação à mão livre, mesmo da forma tradicional tentando fatiar a pedra, em maior ou menor grau irá implicar em algum nível de convexidade no fio obtido, provocado pela nossa natural falta de controle muscular absoluto ao executarmos movimento repetitívos, que sempre sairão em maior ou menor grau com um pouquinho de diferença entre sí. Se tiver restado alguma dúvida, por favor pergunte. Abraço
×
×
  • Criar Novo...