Ir para conteúdo

cabraljr

Membros
  • Total de itens

    1.465
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que cabraljr postou

  1. Lendro, A questão não é quanto a eficácia, mas a execução em si. E também não é uma questão de dentes "diferentes", pois o padrão Spyderco é clássico com pequenos dentes intercalados com maiores. Note que acho que não dá para encontrar sequer um dente igual ao outro, considerando a abertura do arco e "crista" dos mesmos. Sequer há um padrão de repetição de grupo ( pequeno-grande-pequeno ou grande-pequeno-grande, etc ) e se você posicionar uma superfície lisa e plana como um vidro sob os dentes, verá que suas "espículas" não tocam uniformemente o vidro! É isso que me causa estranheza, a
  2. Leandro, Parabéns pela aquisição! Estas Wotan são realmente uma coisa! Ainda bem que comprei um blank de quando o Peter estava ainda na Corneta e supervisionava os processos de fabricação. Se o amigo me permite uma observação, é que achei muito estranho o serrilhado, não pelo fato em sí, mas pela execução! Simplesmente não pode ter sido o Peter a fazê-lo e se foi, ai a coisa se complica porque é mal feito, desuniforme e desnivelado. O que o amigo me diz? Abraço
  3. hehehehehe Este é o efeito do friozinho que esta fazendo ( ao menos por aqui )! Ah, dentro de minutos vou postar um review com fotos e com um teste comparativo de retenção de fio do canivete Tomahawk da CIMO no bushcraftbr; se não estiver fazendo nada... hehehehehe Abraço
  4. Opa, deixe-me esclarecer algo pois até eu fiquei com a impressão de que eu estaria impondo condições para dar seguimento à esta instrutiva conversa: quando eu disse após você ler o trabalho, é porque nele há imagens de microscopia que demonstram com clareza as diferenças no fio. Abraço
  5. Gasparello, Perfeitas suas colocações. A título de "apimentação" sugiro que você troque o papel que está usando para testar a potencial diferença nos fios; ao invés de usar o A4 de impressora, use papel bem fino do tipo de guias como o DEF ou mesmo bulas de remédio ( as que tiverem papel bem fino ), pois este meio de teste ressalta com mais intensidade as imperfeições do fio que normalmente são mascaradas pelo papel A4 que é enormemente mais espesso e "rígido". Quanto ao trabalho do Verhoeven acho que você encontrará uma versão em português no site do FCA, na seção de downloads. Ca
  6. hehehehehehehehe Não há urgências maiores que as familiares; a das consortes então são primordiais, sob pena de severas consequências... Mas vamos lá às questões: no caso estrito da pedra carborundum dupla-face, mesmo terminando-se o fio no lado mais fino, há real potencial para MELHORA do fio final obtido usando-se uma chaira LISA. No caso da "pedra" diamantada, com o fio terminado no lado mais fino ( 600 ), se tudo foi feito corretamente, uma ou no máximo duas passadas de cada lado em uma chaira LISA no ângulo correto ou não alterarão de forma significativa o fio obtido. No caso do
  7. Gasparello, Com relação às chairas diamantadas, vai depender da grana das mesmas. As chamadas coarse, de grana maior funcionarão como removedoras de aço bem agressivas. Mas já há no mercado chairas diamantadas com grana 1000 e acho que até um pouco mais finas que é claro, removerão alguma porção de aço, mas funcionam mais como refinadoras de riscos e polidoras, além claro de assentarem os fios rolados. A única grande vantagem que vejo no uso destas chairas é quando se está à campo ou mesmo em nível de um açougue ou até mesmo residências ou propriedades rurais onde se abate e prepara an
  8. ????? Grande Gasparello, Não entendi muito bem esta primeira questão... O Trauco jé bem lembrou aqui no fórum que é prática comum à campo assentar-se o fio nas costas de outra lâmina. Claro que não é o ideal, mas às vezes éo que se tem à mão. Nestes casos, como com chairas, a pressão deve ser mínima pois estamos lidando com grandezas da ordem de 10 mícrons ( "folha" de aço no fio rolada ). Mas ao contrário do uso das chairas lisas, nesta situação de se usar o dorso de outra lâmina acho que seria mais interessante usar um movimento de chairamento como se estivesse "passando manteiga no
  9. hehehehehehehe Z.EK-EDDY, Não por isso! Precisando é só dar um toque que estamos às ordens! Assim que você aprontar o couro com óxido de cromo verá que rapar cabelo dos braço ficará ainda mais fácil e confortável. Abraço
  10. Mais uma vez vou fazer uma postagem aqui a pedido de amigos, em especial do EDDY ( entre outros ) que não consegiu acesso em outro fórum... Apresento aos amigos o meu mais novo gadget de afiação: o angulador variável! Muito mais simples e muito mais eficientes que os anteriores! Também muito mais simples de ser clonado pelos amigos! São apenas duas barras chatas de 4mm soldadas com dois gonzos. 2 parafusos para travar as pedras e um pedaço de barra quadrada para servir de batente. Usei um cantoneirinha à qual fixei 2 imãs de neodímio e é ela que propicia a elevaç
  11. Rafael, Hehehehehehehehe Se eu estivesse por perto dava-lhe um cascudo!!! Esta campeira não precisava ser testada em prego... mas se fez isso com prego, imagina o que fará com uma ripa de um novilho angus... Abraço
  12. Rafael, Esta sua campeira ficou um espetáculo!!! Isso num churrasco de buraco faz um estrago... Quanto a Puukko o amigo sabe que scandi não é muito minha praia, mas este desbaste mais alto deve ter conferido uma habilidade de corte bem melhor! Parabéns por ambos os trabalhos, em especial pela campeira que realmente ficou show!!! Abraço
  13. Dizem que há um SAK para atender as necessidades de cada usuário... claro que não chega à tanto, mas quando lhe indiquei o Fireman foi baseado estritamente na sua solicitação inicial: Os SAKs são de robustez reconhecida até para usos em que se exige robustez, mas claro que sua lâmina de 2 a 2,25mm não é para ser abusada como alavanca e suas ferramentas aguentam muita abusividade mas não são como ferramentas dedicadas. O Fireman é de 111mm, literalmente um pouco maior que o Camper e tem uma lâmina com fio todo liso e uma com fio serrilhado para corte de materiais como cinto de
  14. http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-437345688-victorinox-fireman-13f-para-resgate-e-salvamento-_JM No ebay é mais facil ainda de encontrar! Para o que você pretende ele é mais que suficiente! Abraço
  15. Fpandur, Acho que este aqui seria a solução dos seus problemas: Victorinox Fireman. Uma lâmina longa de fio liso; uma lâmina curva de fio serrilhado; uma lâmina com serra para madeira e além de outros apetrechos um ítem que o grande amigo Véio du Mato ( e você, pelo visto ) considera essêncial: saca-rolhas!!! Há uma outra configuração com uma lâmina tipo combo, ao invés de com fio todo liso, mas me parece um pouco de redundância já que ele conta com a lâmina curva toda serrilhada; apesar que o serrilhado da lâmina combo se presta a coisas que a curva não faz: pode parecer bob
  16. Leandro, Visto deste ângulo frontal este pequeno neanderthal é ainda mais impressionante!!! Agora deu para perceber com mais clareza que apesar da lâmina como um todo ser absurdamente robusta, ele possui um "fio" que provavelmente é um desbaste de alívio com um micro-fio em ângulo pequeno! Isso realmente contribui para a habilidade de corte do fio. Essa vantagem de grãos pequenos quando comparados aos aços "normais" é compartilhada por toda família de aços da metalurgia do pó! hehehehehehehe, tenho a impressão que este neanderthal vai frequentar muito o seu bolso, pois como este ho
  17. Gribel, Nas lâminas principais de corte é de 56 RC cravados! Todos os meus SAKs Victorinox tem extamente esta dureza em suas lâminas principais! Abraço
  18. Leandro, Já tinha lido sobre ela em fóruns. Quanto a dureza, não é que tenham 3 níveis, pois é possível enrijecer este aço ( como a maioria dos aços ) em um espectro bem amplo, só que acima de 58RC ele fica muito quebradiço! Aquelas dureza foram apenas nos corpos de prova para poder comparar com durezas semelhantes em outros aços. Veja algumas citações de vários fóruns e note que a última é diretamente do próprio Sal Glesser, criador e presidente da Spyderco: Abraço
  19. Leandro, Estas durezas citadas em fóruns é pouco realista na prática para este aço. Veja neste material produzido pela Crucible a resistência a impactos, comparando o S60V com outros aços comumente usados em cutelaria e em durezas relativamente comuns: Veja que com apenas 56RC ele tem cerca de 30% menos resistência à impactos que o D-2 a 59RC, e o D-2. Com 59RC ele tem pouco mais que a metade da resistência do D-2 à fratura, quando em mesma dureza. Então mesmo quie a lâmina seja absurdamente robusta, esta caracteristica de friabilidade também se aplica ao fio, que iria for
  20. Leandro, Parabéns pela aquisição! O Aço CPM-S60V é o famoso quem tem tem quem não tem não terá mais, a não ser que compre de outro usuário ou caso ache algum ítem " perdido" em algum revendedor,pois já há algum tempo que a Crucible não mais o produz e as cutelarias que o ofereciam em suas linhas sempre trabalharam com estoques limitadíssimos. Com toda esta espessura e comprimento de lâmina não sei se a Mantis se ateve à recomendação da CPM de manter a dureza em torno de 55/56 RC devido à problemas de fraturas. Se manteve, ele dificilmente perderá o fio em materiais abrasivos, mas tende
  21. Gribel, Esta tomara que esta faca cresça no seu conceito como ocorreu comigo. Como já escrevi, considerando-se a relação custo/benefício esta faca não tem par! Se e quando você fizerum angulador, de madeira mesmo ( acabei de fazer um novo em aço, regulável de 0 a 50 graus ) sugiro que faça a modificação que fiz na minha. Não altera em absolutamente nada sua robustez e aumenta e muito sua habilidade de corte. Mas só dar uma boa afiada já melhora a performance dela comparado a como ela vem de fábrica. Parabéns pela excelente aquisição. Abraço
  22. Gilberto, Entendo que o seu gosto e da patroa são parecidos, e não se contraria a patroa, todos sabem desta regra! Entretanto as facas que você citou não são facas para cozinha. Podem até ser usadas para tal, mas terão desempenho muito aquém do aceitável. De maneira geral, uma boa faca de cozinha não deve ter mais que 3mm de espessura na espinha ( a não ser uma grande cheff com mais 4 ou 5cm de largura, pois assim, com um desbaste FFG ( full flat ground ) poderá chegar a ter ângulo de 3 graus de cada lado!!! As Aitors para uso outdoor, até onde eu sei tem durezas na casa dos 55
  23. Gilberto, Hehehehehehehehehehe Então eu escrevi, escrevi e nem toquei na sua questão! Na verdade esta expressão "cromo molibdênio" só indica que este aço tem estes dois elementos de liga e mais nada ( mais nada no sentido de não significar nada mais que isso ). É muito vaga e genérica! Inúmeros aços tem estes dois elementos de liga em suas composições e nos mais variados percentuais. O Cr por exemplo, confere a propriedade "inoxidável" ao aço, desde que esteja presente em SOLUÇÃO na matriz do aço em percentual superior a 11 ou 12%. Isso às vezes engana um pouco as pessoas, poi
  24. Gilberto, Em primeiro lugar, seja bem vindo. As dicas do Diegos são boas; se puder, siga-as. Quanto às dúvidas e perguntas faça todas que desejar! Sempre haverá um amigo por aqui para respondê-lo. Lembre-se que todos começamos sabendo absolutamente nada sobre tudo! Teremos o maior prazer em tentar esclarecer todas suas dúvidas e questionamentos quando isto estiver à nosso alcance. Com relação à numeração que você citou, "1045, 5160, etc" é a designação dos tipos de aço segundo um sistema normatizado SAE/AISI. Não cabe aqui explicar o que estes números significam, mas os 2
  25. Mestre VdM, Mas eu também recomendo e muito os SAKs Victorinox! São canivetes excelentes e no meu caso com pelo menos um com praticamente 3 décadas de bons serviços prestados. Mas realmente, minha cota de SAKs já está preenchida há tempo; afinal, são 9 SAKs atualmente, já tendo presenteado alguns... Aliás, acho mesmo que por um longo tempo nada mais de novas lâminas... hehehehehehehehe Grande abraço meu amigo!
×
×
  • Criar Novo...