Ir para conteúdo

cabraljr

Membros
  • Total de itens

    1.465
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que cabraljr postou

  1. Diego, O queposso lhe dizer é que tanto a minha Police quanto a Big Fish têm 54 RC de dureza. Pelo seu relato, suas artesanais de serra então estão nesta casa dos 54 RC. Muito obrigado por ter torturado suas lâminas para satisfazer minha curiosidade! Grande abraço
  2. Gribel, Aqui vai uma opinião estritamente pessoal e por isso não sei se tem alguma valia para mais alguém! A primeira faca para mim é o verdadeiro cruzamento de cavalo com zebra; não tem função alguma! Por que alguém achou que seria interessante usar um aço de alta resiliência como é caso do 5160 em uma faca de lâmina tão "pequena" e com tamanha espessura de espinha??? Isso seria na minha opinião mais acertado em uma big chopper, com lâmina na casa ou acima de 10 polegadas, e cuja aplicabilidade principal seri justamente o chopping e o batoning que os americanos adoram. Teria massa, inércia, tamanho de lâmina e resiliência suficiente para aguentar tudo isto, à custa de se ter um fio mais obtuso e cuja retenção não seria lá estas coisas. Mas com menos de 4 polegadas de lâmina e se bobear com apenas 3 pol de fio útil?! É cruza de cavalo com zebra!!! A segunda, ja é outra história! Uma lâmina média em aço 1095 ( o mesmo da BK2 ), com espessura de espinha que também me parece ser na casa dos 6mm e perfil FFG. Aqui já vai mais do gosto do freguês quanto a um perfil ou o outro. Se as RATs forem como as ESSEs, apesar de serem FFG seus ângulos de desbaste são mais rasos, fazendo com que na região do fio ainda haja uma espessura relativamente grande de secção transversal, o que as torna muito robustas em detrimento de perda de habilidade de corte ( ao menos ficam bem aquém do que poderiam ter ). Pelo que conheço de LER e ver testes comparativos entre ambas, a BK2 pelo ângulo de desbaste mais acentuado tem mais habilidade de corte, perdendo um pouco da robustez em contra-partida. Como eu disse, aqui é mais uma questão do gosto do freguês e dele fazer a escolha baseado nos usos principais que ele daria na prática a uma destas duas facas! De qualquer forma acho que ficaria be servido com a RAT ou com a BK2! Esta é a minha opinião. Abraço
  3. Gribel, hehehehehehehe, não seria disco de arado? Olha, conversando com um grande amigo que é engenheiro mecânico e também pecuarista, ele me garantiu que varia de marca para marca, mas que fica entre 36 ou 38 e 46 RC de dureza. E segundo alguns testes realizados por um amigo de outro fórum, o material dos discos também depende da marca. Os melhores são em 1085 e 1075, mas há discos de 1060... Portanto, fazer uma faca de um disco de arado apenas por desbaste e sem refazer o TT para aumentar sua dureza original é a maior fria do mundo! Vai ter uma faca que só de olhar para ela já perde o fio! Abraço
  4. Diego, Se você já não fez, gostaria de lhe pedir um favor, caso não lhe seja inconveniente, é claro! Como você tem 2 SAKs Victorinox e a dureza das lâminas deles é muito consistente em 56 RC, seria possível você fazer um pequeno teste de dureza na quina da espinha destas lâminas de serra pica-pau com "têmpera de origem" contra quina da espinha da lãmina principal de um dos SAKs? No máximo vai dar um pequenino dente nas espinhas. Porque não me sai da cabeça que a dureza destas lâminas de serra "tipo gurpião ou traçador" é bem baixa... Obrigado. Abraço
  5. Eduardo, hehehehehehe, "kibom" que suas facas estam cortando bem e que o fio esteja durando mais na sua percepção, pois esta é uma das vantagens da técnica do micro-fio. Com relação à cola, tanto para bases de madeira e/ou plástico eu uso a cola de contato, vulgo cola de sapateiro. Aplico uma camada no couro e outra onde ele deverá ser colado, aguardo uns minutos até a presa se iniciar e então junto as duas superfícies e aplico uma pressão, que pode ser dada por anteparos de madeira ou outro material em uma morsa, ou simplesmente colocando um anteparo sobre o conjunto que deverá estar em uma superfície plana e colocando um peso em cima; até garrafa(s) pet com água está valendo. O bom desta cola é que mesmo depois de seca ela ainda apresenta boa resiliência. Tome os cuidados de praxe: mexer um pouco a cola para homogeinizar efazê-lo em local aberto e ventilado por causa dos vapores exalados. O micro-fio é mesmo difícil de se ver, pois como você bem colocou, ele pode variar de apenas 1 décimo de mm até pouco menos disto, dependendo do desbaste de alívio queé dado. Um desbaste de 10 graus de cada lado se aplicado ao mesmo um micro-fio de 15 graus de cada lado ( dcl ) este terá cerca de 1/5 a 1/4 da largura do desbaste. Se o micro-fio for 20 graus dcl terá 1/10 mais ou menos ( a espessura da lâmina no ombro do desgaste de alívio também influencia nesta relação ). Nestes casos realmente ele é de difícil visualização à olho nu, sendo mais perceptível como você disse com a variação do ângulo de incidência de luz. Muito obrigado pela gentileza do comentário, mas o título de Mestre por aqui já tem dono e com todo o direito e justeza vai para o nosso grande amigo Véio du Mato!!! Grande abraço
  6. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Rafael, É que o meu "chutômetro" é melhor ainda... hehehehehehehe Abraço
  7. E para não ficar apenas na minha memória, que pode falhar com certeza, aqui vai um link que cita o um teste CATRA da própria Ka-Bar com o aço D-2 em suas facas Extreme: http://www.tomarskabars.com/D2ExtremeFighters.html Abraço
  8. Frico, Basicamente você está entre duas boas lâminas!!! Escolha a que mais te deixar assim "ó": Com a BK2 você terá cerca de 1,25mm a mais de espessura de espinha e aço 1095. Com a RAT terá 4,75mm de espessura máxima na espinha e aço D-2. Eu pessoalmente gosto mais do perfil da RAT do que da BK2,mas isto é gosto pessoal. A RAT pelo aço D-2, mesmo sendo na mesma dureza da BK2, deve manter o fio por mais tempo. Se bem me recordo de alguns testes CATRA da Spyderco comentados por Sal Glesser, o D-2 ( não o CPM-D2 ) realizou mais que o dobro de cortes do que o 1095. Em assim sendo, pela geometria geral da lâmina e desempenho eu como escolha pessoal ficaria com a RAT. Abraço
  9. Gribel, Nem precisa procurar muito,pois as facas da Tramontina ou são em 420 ou se forem mais recentes, podem também ser em Sandvik 12C27 ou Krupp 4116. Em ordem de tolerância à corrosão seria 420, 4116 e 12C27. Em retenção de fio a ordem se inverte ( quando em mesma dureza ). A dureza média, deve ficar entre 53 e 55/56 RC. Como já escrevi ( acho que até aqui no Mochileiros mesmo, talvez no tópico afiação ) pode ser qe estes aços nestas durezas se beneficiem de acabamentos em pedras ( ou lixas ) com grana de no máximo 400, para terem boa agressividade de corte e TALVEZ um pouquinho mais de retenção de fio. Em todo caso, é mais provável que o fio de sua faca role/vire ou achate se sofrer impacto ( deformação plástica permanente ) do que forme micro-dentes. Uma chaira lisa ou mesmo a borda de um destes copos tipo "pirex, duralex, etc ) ou prato de porcelana ou mesmo de vidro com borda mais arredondada e uniforme deve funcionar para realinhá-lo. Sempre me ajudaram quando precisei e boa parte do que sei me foi repassado de forma desinteressada;nada mais justo que procurar fazer o mesmo! De qualquer forma, sou-lhe muito grato pela extrema gentileza!!! Grande abraço
  10. Gribel, O processo é mesmo independente se o aço é inox ou carbono. O que muda é a questão dos ângulos,mas não pelo motivo do aço ser inox ou não, e sim pela questão da dureza e estabilidade de fio. Aços como o D-2 por exemplo, que eu aprendi a gostar, simplesmente vai ser uma sucessão de micro-dentes se o ângulo de afiação baixar dos 20 graus de cada lado. Já o aço M42 de 3 lâminas minhas pode tranquilamente ser usado em 15 graus e até 10 graus de cada lado para cortes mais controlados que sua dureza de 63 RC segura as pontas. Com relação ao fio scandi, a única tarefa na qual ele realmente se destaca é no entalhe de madeira! Isso porque aquele imenso desbaste scandi permiti que você apoie toda aquela área na face da madeira o que lhe dá um controle incomparável ao entalhar detalhes. Para qualquer outro corte, sua habilidade de corte está entre as piores, talvez só comparável ao saber grind flat. Em uma fileteira o scandi até se sai bem porque via de regra estas facas tem 1mm de espessura ou até menos na espinha. Como regra, fios começam a ter bons desempenhos em espessuras menores que 1mm no ombro ( onde acaba o desbaste scandi e começa o corpo da lâmina ); então se o próprio corpo da lâmina tem esta espessura, ela irá cortar bem! Uma outra suposta vantagem de lâminas fileteiras com perfil scandi em usos no mar, é que com o tamanho da área do desbaste scandi fica fácil você apoiá-la na pedra e reafiar corretamente mesmo com o barco jogando de um lado para outro. Você deve testar e ver qual opção é melhor para você. Eu tenho duas fileteiras da Rapala que são scandi e em aço mais mole. Não tive dúvidas e dei-lhe um desbaste de alívio de 10 graus de cada lado, mais acentuado até que seu scandi original ( 12 graus de cada lado ) e um micro-fio de 20 graus de cada lado para que pudesse ter uma durabilidade um pouco maior. São ótimas para filetar e trabalhar com verduras, mas mesmo com o micro-fio tenho que retocá-las com frequência por causa da dureza baixa do aço delas, mesmo supostamente sendo um Sandvik 12C27. Abraço
  11. Gribel, Como dizia minha avó, só para agitar as lombrigas já que você como quase todos se apaixonou pela sueca, dê uma olhada na versão "malhada" dela ( e o preço é baixinho como nas irmãs ): http://www.moraofsweden.se/news/robust Essa foi só para atiçar a tentação... hehehehehehehe Abraço
  12. Gribel, Não acho que seja nenhuma heresia você trocar a BK2 por outra faca de sua preferência. Eu até acho interessante a BK2,mas não a trocaria por exemplo, no uso, pela minha Condor Rodan que tem um desempenho excepcional ( já estou perdendo um pouco da birra com aço carbono... )! Tralha pessoal é tralha pessoal; tem que se usar o que lhe é mais familiar e cômodo! O pessoal sempreme pergunta: o que é melhor, silagem de milho ou capim elefante no cocho? A resposta é: aquilo que o produtor se sentir mais apto e mais confortável de produzir. Bem manejados, ambos darão resultado muito bom na produção de leite! Com relação à Mora, em a sua sendo scandi puro ( dê uma checada com uma lupa de maior aumento ), use até mesmo um cabo de vassoura que é madeira bem mole, e dê umas pancadas sem força no sentido perpendicular dos vêios da madeira, faça umas cavilhas também cortando perpendicular aos vêios e faça algumas "pontas de estaca" nele; cheque o fio então. Com relação ao que uso na afiação, as lixas quase não são usadas, pois não gosto de fios convexos ( lixa + um meio resiliente ) e para fios em V ( desvaste de alívio + micro-fio ) só uso as pedras. As lixas somente para arredondar o ombro do desbaste de alívio para ganhar mais um "tiquitinho" em habilidade de corte. Dê uma olhada neste link e verá a minha tralha de afiação. Os ângulos já são dados pelos dispositivos que chamo de "anguladores", pois apesar de conseguir ângulo bem aproximado com a pedra flat na mesa, eles facilitam e muito a vida... http://pt.scribd.com/doc/94991957/Tralha-de-afiacao-e-links-de-video-da-melhor-tecnica-de-afiacao-de-facas-e-canivetes Qualquer dúvida é só dar um toque. Abraço
  13. Rafael, Como eu já disse, sua baby ficou muito ajeitada mesmo!!! Parabéns! Daria para me passar a medida do desbaste do fio, a largura da borda extrema até o ombro só para matar minha curiosidade do ângulo da mesma? No "zoiômetro" aqui eu calculei algo como 14 ou 15 graus de cada lado... Abraço
  14. Gribel, hehehehehehehe, estas suecas são mesmo "indecentes"! Só preste atenção ao fio dela, pois se for um scandi verdadeiro ( apenas o fio resultante deste "imenso" desbaste de um lado e outro ), ele não irá durar se você o submeter a tarefas como lida com madeira ou corte de alimentos em tábuas. Fatalmente irá rolar/virar! Na minha Mora Classic já testei aplicar somente um micro-fio de 15 graus de cada lado; nem assim aguentou... tive mesmo que fazer um micro-fio de 20 graus de cada lado para que pudesse manter o fio por um tempo decente. O desbaste scandi nas Moras é em média de 11 a 12 graus de cada lado, o que dá um ângulo total do fio de 22 a 24 graus, que mesmo na dureza de 59 RC não tem a robustez necessária. Teste em casa antes de ir para o mato para que não tenha surpresas desagradáveis. Abraço
  15. Leandro, Eu diria que a robustez é par e passo com algumas Moras de tang mais curto. E para que meio que demonstrar isso, veja este vídeo "justo" sobre esta faca feito pelo Andrew Demko, que em que pese ser um funcionário e parceiro da CS é também um cuteleiro, e quem desenhou o Spartan e outros canivetes da CS e o criador do Tri-Ad-Lock. Os comentários são honestos, e o teste... Abraço
  16. Leandro, Este aço é essencialmente o aço usado nos SAKs Victorinox! Nos SAKs a dureza é de 56RC. Dizem nos fóruns especializados quea dureza desta nova faca da CS é de 56/57RC. Lá fora você consegue encontrá-la por cerca de 30 a 35 dólares. Se considerar cerca de 7 a 10 dólares pela pederneira ( que Lyn afirma ser produzida no Japão ), a faca estaria na mesma faixa de preço da Moras. Quanto ao cabo ôco, levando-se em consideração o atual estágio de desenvolvimento dos modernos polímeros, o fato do tang da faca ter somente cerca de uns 4cm inserido no plástico sólido, deve lhe dar robustez muito semelhante a algumas Moras com tangs semelhantes. Pessoalmente eu fico com a Mora pela maior dureza com que é trabalhado o Sandvik 12C27 e porque é um aço de grão mais fino um pouco que o Krupp 4116, tendo um pouco mais de estabilidade de fio. Mas não exitaria de comprar uma CS laranja, nesta faixa de preço de 30/35 dólares, só pelo "barato/legal" da coisa do cabo ôco! Abraço
  17. Eduardo, Idealmente nem em aço duro e nem em aço mole se aplica maiores pressões ao se afiar. Isso seria contra-producente, pois as pedras abrasivas tipo carborundum, óxido de alumínio, pedras d'água japonesas, sintéticas, etc ( e claro, as lixas também ) são "desenhadas" para sofrerem ruptura das partículas abrasivas superficiais que desgastam suas arestas cortantes, expondo sempre partículas novas com arestas bem vivas que em última análise é desgatam o aço. Aplicar maiores forças ao se afiar pode até apresentar algum ganho no tempo gasto na afiação, mas desgastará muito mais rapidamente as pedras e/ou lixas pois arrancará as partículas superficiais ainda aptas a promoverem o eficiente desgaste do aço. Além deste problema, serão causados riscos e sulcos no aço mais profundos o que demandará mais tempo em grana mais fina para suavisar, também implicando em mais desgaste de aço sem "necessidade". Uma forma de agilizar a afiação, mas que nem sempre é possível de se fazer, é colocando um filete de água corrente sobre a pedra em uso. Isto evita que a lama formada de partículas de metal e abrasivo fique "entupindo" os poros da pedra, aumentando a eficiencia do abrasivo. Uma dica que talvez valha a pena você testar no seu uso, já que aqui em casa alguns testes que fiz parecem apontar nesta direção, é finalizar lâminas de aços mais moles ( as nossas facas "comuns" de cozinha, Tramontinas, Mundiais, etc ) em granas de no máximo 400. O lado fino das carborundum dupla-face funcionaria bem, pois tem cerca de 280 a 320 de grana. A minha teoria é que como são aços de pouca resitência à abrasão e com durezas no máximo de 55 RC, deixar o fio mais parecido com uma mini-serrilha, com mini-dentes até bem agressivos, propiciaria que estes dentes ao se desgastarem formem outros dentes até menores e que garantirão o corte por mais tempo. Fios mais polidos sofrem desgaste mais ou menos homogêneo tendendo simplesmente a aumentar a espessura da borda extrema do fio, arredondando-o. Veja que não estou afirmando que isto seja válido na prática pasra todos e nem mesmo que a explicação seja a da minha hipótese, mas apenas o que observei na minha prática. Mas acho que não custa tentar e verificar o resultado. Espero ter respondido suas dúvidas. Se tiver ficado alguma, ou se suscitei novas dúvidas, é só dar um toque. Abraço
  18. Gribel, Hehehehehehe, só se for show de bola murcha! Obrigado pelo generoso comentário! Os vídeos foram mais para demonstrar as alternativas de materiais. Quanto a afiação convexa em sí, só gosto dela para arredondar os ombros dos desbastes de alívio e às vezes dos próprios micro-fios para ganhar um pouquinho mais de habilidade de corte. As diferenças são mínimas, mas às vezes perceptíveis. Grande abraço!
  19. André, Este cabo está um verdadeiro parto! hehehehehehe Mas não se preocupe, porque você vai adorar o desempenho dela! Abraço
  20. Cabelo, Seja muito bem vindo e sinta-se à vontade. Abraço
  21. Diego, Novamente, parabéns pela faca! Se me permite uma pergunta, que é mais questão mesmo de gosto pessoal: em uma faca que tenho com gavião/calcanhar semelhante à sua, levei o fio até o fim. Por que você e o cuteleiro optaram por deixar o calcanhar sem afiar, já que não existe risco do dedo ser pinçado pelo fio? Abraço
  22. VdM, Já deu baixa na carteira de encarregado? hehehehehehehe Tomara que agora sobre um tempinho para dar uma recarregada nas baterias, lá, no mato! Quanto tempo meu amigo! Bem vindo de volta! Abraço
  23. Frico, Como vai, sumido!? Abraço
  24. Ziad, Não existe base legal para te pertubarem por causa deste canivete; entretanto o formato de punhal/adaga pode fazer com que algumas "otoridades" queiram alegar qualquer coisa para apreendê-lo. Isso só se justificaria se você fosse pego com ele ameaçando alguém ou em um local de alta aglomeração de pessoas como em uma boate, etc. Abraço
×
×
  • Criar Novo...