Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''cafayate''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas e Respostas
    • Destinos: Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Companhia para Viajar
  • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
  • Nomadismo e Mochilão roots
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 3 registros

  1. Eae pessoal blza? Dessa vez vou fazer um relato rápido da nossa última aventura de carro, viajamos em 4 pessoas a bordo de um VW Up! Tsi com destino ao Chile via Paso San Francisco. Fizemos um caminho diferente incluindo o Paraguai, onde visitamos Cidade de Leste, Caacupé e Assunção, depois cruzamos para a Argentina pela fronteira entre José Falcon e Clorinda, de lá seguimos para Pres. Roque Saénz Peña, Termas de Río Hondo, Taffi del Valle, Cafayate, Fiambalá para atravessar a cordilheira pelo Paso San Francisco para chegar em Copiapó no Chile e continuar por La Serena, Viña del Mal, Valparaiso, Santiago, Mendoza como trajeto de volta em aberto, podendo voltar por Buenos Aires, Montevideo ou seguir direto por Córdoba até retornarmos para casa. Infelizmente tivemos contratempos durante a viagem e acabamos modificando bastante o roteiro, retornando antes para casa, mas imprevistos fazem parte da aventura e apesar de não cumprirmos o nosso maior objetivo que era cruzar o Paso San Francisco (por pouco) aproveitamos muito bem a viagem. RELATO da nossa viagem ao Atacama + Machu Picchu de carro Dia 01 - 02/01/2018 - De Curitiba a Cidade de Leste Saímos por volta das 08hs da manhã do dia 02 de Janeiro, tudo parecia tranquilo até entrarmos no contorno de Curitiba, onde pegamos um baita engarrafamento logo de cara, confesso que nessa hora deu vontade de voltar pra casa. Depois de mais de uma hora e meia consegui sair da rodovia e peguei um atalho, saindo na BR 277 sentido Ponta Grossa. A viagem a partir dai foi tranquila, pouco movimento, estrada boa, mas pedágios exorbitantes. Paramos para almoçar perto de Irati e chegamos em Foz do Iguaçu já no final da tarde, depois de pegar chuva em parte do caminho. Não entramos em Foz, seguimos direto para a ponte da amizade e paramos na aduana paraguaia para dar entrada na migração. Tinha um ônibus de viagem e acabamos entrando na fila exclusiva para o ônibus, mas logo fomos direcionados a outro guichê e nos atenderam rapidamente. O funcionário carimbou o passaporte e nos liberou, perguntei se era preciso registrar o veículo no sistema e ele disse que não, perguntei mais uma vez só para ter certeza e ele confirmou. Ficamos com receio de na hora de sair do Paraguai dar algum problema, mas conto os detalhes mais a frente. Já eram mais de 18hs, então Cidade de Leste estava bem vazia, rapidamente chegamos ao Hotel Piazza que reservei pelo booking, fica perto da Av Principal a menos de uma quadra da Monalisa e todo o comércio, apesar das instalações antigas valeu a pena pelo custo benefício. Deixamos as coisas no hotel e resolvemos voltar até Foz para jantar no supermercado Muffato perto do terminal de ônibus no centro. Depois da janta voltamos ao hotel em Cidade de Leste, que fora do horário comercial é bem tranquila, nem parece a mesma cidade. Roteiro Chegando em Foz do Iguaçu Ponte da amizade
  2. Oi, pessoal. Gostaria de compartilhar o relato da cicloviagem que eu e meu irmão fizemos no norte da Argentina no fim do ano passado. Foi um cicloviagem pela província de Salta, passando por Cafayate, Ruta 40, Valles Calchaquíes, Reta de Tintin, Parque Nacional Los Cardones, Piedra del Molino, Cuesta del Obispo e Quebrada de Escoipe. Lugares realmente sensacionais. Algumas das fotos estão aqui no Google Photos: https://photos.app.goo.gl/2R9tt05cmMftjKkp2 As dicas estão todas aqui: https://eueamagrela.wordpress.com/2018/01/05/pedalando-pelas-quebradas-e-vales-de-salta/ Vale muito a pena para quem quiser conhecer um lugar muito diferente do que estamos acostumados.
  3. O Norte da Argentina é uma região maravilhosa e ainda pouco conhecida de nós brasileiros e de outros visitantes estrangeiros. Resolvi fazer este relato com algumas dicas de viagem a esta região maravilhosa. As principais cidades turísticas da região são Salta, Cafayate, Purmamarca, Susques, Tilcara, Cachi, Tolar Grande e Iruya. Mais informações no meu blog http://viagensaamericadosul.blogspot.com.br/ Aluguel de Carro - Alugar um carro é uma excelente forma de conhecer a região, as principais cidades estão bem próximas umas das outras, e viajando de carro e com um bom GPS você terá grande liberdade para conhecer vários destinos e atrações. A empresa de locação com melhor estrutura na região é a Hertz com lojas (oficinas) em Salta e Jujuy. Os passeios de carro imperdíveis são entre o circuito Salta - Cachi - Cafayate, e a viagens Salta - Tilcara - Iruya, e Salta - Purmamarca - Salar Salinas Grandes - Susques. É possível cruzar a fronteira com o carro até o Chile, indo até San Pedro de Atacama pelo Paso Jama (estrada em excelente estado de conservação). Para isso a locadora providencia uma autorização para cruzar a fronteira (custo de US$ 100 aproximadamente). Outra dica, leve dinheiro em espécie ou "en efectivo" (cash) porque os postos de combustível das estradas (estacion de servicio) não aceitam cartões de crédito. Sempre que possível mantenha o tanque cheio. Vinhos de Cafayate - Fique pelo menos um dia em Cafayate para conhecer suas excelentes vinículas e provar seus espetaculares vinhos de uva Torrontés. A cidade é pequeninha e as vinícolas estão muito próximas umas das outras, sendo possível conhecer 3 ou 4 em um único dia. Algumas vinícolas tem hospedagens bastante charmosas. Dinheiro e Câmbio - A melhor opção é levar dólares para a Argentina e trocar o dinheiro com os "doleiros" ou "cambistas" de rua e pagar tudo à vista. Em Salta na praça 9 de Julio tem muitos "doleiros". O cambio oficial é de 1 Peso = 4,5 Dólares, no paralelo você consegue quase o dobro, de 7 a 8 pesos por dólar. Andar com dinheiro "en efectivo" é fundamental pois muitos lugares não aceitam cartão de crédito, inclusive alguns hotéis, restaurantes e postos de combustível. Comida Local - Prove a comida local, é bem diferenciada. Os Tamales que são massas de milho salgadas cozidas na folha do milho com recheio de carne. As Humita são parecidas mas o recheio é diferente com queijo, tomate e condimentos. Empanadas são parecidas com esfirras, são feita no forno, as melhores são de charque (carne bovina) e de queijo de cabra. Carne de Llama tem um gosto peculiar e saboroso. As carnes em geral são maravilhosas, principalmente o "chorizo" e o "lomo". Para os mais corajosos vale pedir uma parillada completa (churrasco ou barbecue argentino) quem vem com vários cortes de carne e alguns miudos. Em Salta recomendo os restaurantes DONA SALTA e LA MONUMENTAL, Em Cafayate o TERRUNO GOURMET e a CARRETA DE DON OLEGARIO, Em Susques o LA VICUÑITA, Em Iruya o COMEDOR DE TINA. Hospedagem - Em Salta, principal cidade turística do Norte da Argentina, tem hotéis para todos os gostos de luxuosos 5 estrelas, pousadas charmosas e albergues para um público jovem. Todas as cidades são bem servidas de hotéis e restaurantes. Os preços são baratos em relação ao Brasil. Nossa hospedagem na região girou em torno dos 60 US$ por noite (quarto de casal e banheiro privativo com café da manhã). Escolhemos nossas hospedagem com base nos depoimentos daqui do site Mochileiros e também do site Tripadvisor. Como chegar - Os principais aeroportos ficam em Salta e San Sanvador de Jujuy. São aeroportos regionais, os vôos internacionais chegam em Buenos Aires de de lá é feita a conexão para estas cidades (cerca de 1 hora de vôo). As principais empresas de onibus são Flecha Bus (http://www.flechabus.com.ar), La Veloz del Norte (http://www.lavelozcallcenter.com.ar), Balut (http://www.balutsrl.com.ar). Também existes viagens de onibus de Salta para San Pedro de Atacama no Chile pela empresa Andesmar (http://www.andesmar.com). Quanto tempo ficar - O ideal para conhecer a região são 7 dias. Na minha viagem eu fiquei apenas 4 dias na região, foi suficiente para conhecer muita coisa, mas foi muito corrido. O que conhecer? - Tudo é razoavelmente perto e, fazendo um bom roteiro, é possível conhecer 2 ou 3 lugares por dia. Os 10 atrativos que considero imperdíveis na região são: 1 - Cierro de Las Siete Colores (Purmamarca) 2 - Teleférico de Salta (Salta) 3 - Salar Salinas Grandes (Purmamarca) 4 - Cuesta de Lipan (Purmamarca) 5 - Vinhedos de Cafayate (Cafayate) 6 - Quebrada de Las Flechas (Caminho entre Cafayate e Cachi) 7 - Quebrada del Rio de Las Conchas (Caminho entre Cafayate e Salta) 8 - Caravana de Llamas (Tilcara) 9 - Caminho para Iruya e Iruya (Iruya) 10 - Ojos del Mar (Tolar Grande) - Acesso somente por veículos altos, offroad ou com tração 4x4 Fonte da foto de Ojos del Mar: http://costumbresargentinas-fotografias.blogspot.com.br/2010/04/ojos-de-mar-salar-de-tolar-grande.html
×
×
  • Criar Novo...