Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''carro''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
    • Cupons de Desconto
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Companhia para Viajar
  • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
  • Nomadismo e Mochilão roots
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 23 registros

  1. Bom pessoal, há muito tempo venho querendo realizar essa aventura, porém historia normal que se segue, trabalho, dinheiro e tempo, acredito que essas são os principais contra tempos para realizar viagens deste porte. Porém recentemente surgiu a oportunidade de tirar 20 dias de ferias, então realizarei o sonho de viajar até o Ushuaia de carro. (barraca, camping, roots), em 20 dias, sozinho. Venho aqui compartilhar e pedir a vocês dicas de roteiros, viagem, estrada... Como so fiquei sabendo agora que vou conseguir ir (motivo este também de eu ir sozinho), estou montando o roteiro agora, tenho praticamente menos de 2 meses para ver tudo oque preciso e conto com ajuda de vocês. A ideia é sair de Uruguaiana dia 20/12/2019 e chegar sem muitas estadias em 3 ou 4 dias até o Ushuaia (3.700km), de lá ficar alguns dias pela região (creio eu que uns 5 dias), após isso, ir viajando em direção a Santiago no Chile, fazendo estadias nas cidades mais interessantes, de Santiago volto a Uruguaiana. Que são 1700km. Conforme vou atualizando o roteiro e coisas da viagem vou postando aqui.. Agradeço..
  2. Gente, quero ir de Santos para Florianópolis de carro. eu tenho 1.0 não sei se compensa locar um 1.6 o que acham? me ajudeeeem!!
  3. A história da EXPEDIÇÃO PACUS Como surgiu a ideia da expedição, na JMJ de 2013 hospedamos em nossa casa um trio de rapazes chilenos (Danillo, Jorge e Christovam) que após a estadia nos convidaram para visitar o Chile, e prometemos que iríamos, mais não demos data, tínhamos que nos programar, a vontade sempre aumentava porem o tempo($) nunca dava no inicio de 2016 resolvemos que tínhamos que tirar umas ferias e irias para o Chile conhecer neve sonho de criança, para isso o melhor período seria Julho, pronto a data estava certa, 16 de Julho de 2017, após algumas leituras na internet fiquei empolgado em fazer essa viagem de carro, falei com a Silvia que também ficou muito empolgada, pronto nascia a expedição, começamos a ver roteiro foi quando tivemos a ideia que já que iríamos de carro porque não visitar varias destinos turísticos, agora partimos para mais buscas onde ir na América do Sul no caminho a Santiago, até mesmo pra viagem não ser tão cansativa, parando em algumas cidades para visitar sem sair muito da rota. Ai surgiu os locais para onde iríamos, esse roteiro vai mudar um la pra frente, depois conto por que, Foz do Iguaçu para conhecermos as lindas cataratas, Mendonça-AR pra conhecer a Meca dos vinhos argentinos, Santiago nosso destino pra rever os amigos, Buenos Aires pra conhecer a cidade e ver um show de tango, já que era rota porque não Montivideu e Punta Deleste, e claro as cidades de Gramado e Canela tão famosas nas serras gaúchas. Colocamos no Google Maps e calculamos a distância 8500 KM teríamos 24 dias de ferias, vamos organizar os dias. Calculamos 20 para ter dois dias de folga e mais dois para descansar quando chegar. Agora com o roteiro definido, vamos partir para os passeios em cada cidade as distâncias e dias que precisaríamos para cada deslocamento e tempo necessário pra isso e claro o mais importante, quanto custaria essa expedição e quanto teríamos que guardar. Pronto com a data o roteiro e os custos agora era marcar as ferias e começar os preparativos. Tudo ia indo muito bem na programação até que no final de fevereiro nossa bebê se acometeu de uma grave doença que a deixou internada por 60 dias, um período muito difícil na nossa vida, gastamos quase todas as nossas economias, mais foi o dinheiro mais bem gasto da nossa vida, nossa bebê saiu do hospital no dia de 23 de abril ainda muito debilitada. Com todo o ocorrido tivemos que adiar a excursão na verdade nem sabíamos mesmo se iríamos, durante a internação quando ela foi operada eu fiz a promessa de ficar sem beber por um ano após a alta dela (depois de um ano e dois meses sem beber por opção deixei de beber) e levaria ela para assistir uma missa em Aparecida. Após alguns meses de acompanhamento medico a Duda estava bem, então voltamos a sonhar com a expedição, mais claro nesse ano não poderíamos ir, então decidimos adiar por um ano, novamente tinhamos a nova data 14 de Julho de 2018 e o novo percurso, agora com uma parada a mais Aparecida do Norte no Santuário de Nossa Senhora Aparecida na ida para pagar a promessa e na volta para agradecer pela expedição. Por que PACUS? Paraguai Argentina Chile Uruguai Sul do Brasil O tempo ia passando o excitação ia aumentando e claro combinamos de não falar para ninguém porque seriamos chamados de doidos, em janeiro de 2018 como nosso carro não é novo procurei o mecânico que cuida do nosso carro e falei para ele da expedição e disse que ele deveria fazer uma revisão geral, trocamos boa parte do motor e da suspensão comprei pneus novos e alguns itens para o carro que são exigências dos países por onde passaríamos como segundo triângulo, um cambão que um amigo fez pra mim, uma amiga me deu o extintor de incêndio e fizemos um kit de primeiros socorros, e por indicação de blogueios levamos lençol que poderia ser pedido pelos policiais argentinos como forma de extorqui dinheiro, esses eram itens obrigatórios comprei coisas a mais para eventuais apertos como inversor de energia, um pequeno compressor, voltímetro com termómetro tudo certo agora era esperar chegar perto para fazer a revisão. A partir de janeiro começou as buscas por hotel nas cidades que não iríamos só pernoitar, todas as noites entravamos no site booking e faziamos as buscas encontramos preços maravilhosos em todos os locais que reservamos e todos os locais nos agradaram bastante em Foz do Iguaçu reservamos o Hotel Luz, em Buenos Aires o Hotel Luey e em Canela a Pousada Jardim Coberto. Agora era começar a providenciar as roupas de frio que estavamos esperando pegar, para não ter tantos gastos, comecei a pedir roupas emprestadas com amigos, arrumei varias, mesmo assim tinha que comprar algumas. Em junho eu fiz o seguro saúde para toda a família, tirei o Seguro Carta Verde que é pedido para rodar de carro pelo bloco do Mercosul e o SOAPEX que é para o Chile e por ultimo tirei o PID - Permissão Internacional para Dirigir. Agora era esperar o dia chegar, quando ia se aproximando a Silvia ficou angustiada porque não tinha falado para ninguém e resolveu contar para nossa amiga Rosy que nos deu o maior apoio, pronto agora só falta uma semana. A Rosy pediu para darmos carona para o Dilan até a cidade de Foz do Iguaçu. Na ultima semana tínhamos que arrumar com quem ficar nossos filhos bicho o Caramelo ficou com a Laryssa e o Max com o Luis da Rosário. Na noite anterior a partida fui abastecer o carro e marquei a kilometragem inicial 91515, já estava tudo pronto e colocamos as malas no carro para acordamos e sairmos, nossa ideia inicial era sair as 3:30 da madrugada para assistirmos a missa das 6h, mais por dica dos amigos Marcelo e Robinho resolvemos sair mais tarde por conta da neblina na Serra das Araras. Fizemos muito bem mesmo saindo mais tarde ainda pegamos um pouco de neblina. A partir de agora irei fazer um breve resumo dia a dia da expedição. 1º Dia (14/07/2018) - Saímos as 5hs (A família e o Dilan que foi de carona) - Primeira parada Aparecida para pagar a promessa que fizemos por Duda - Seguimos viagem as 11hs, avisamos as famílias via ZAP que iriamos dar um pulo em Foz do Iguaçu. - Paramos pra dormir na cidade de Guamirim um hotel muito legal, com café da manhã excelente 2° Dia (15/07/2018) - Acordamos tomamos café e seguimos viajem às 9hs - Chegamos em Foz do Iguaçu por volta de 15:30, passamos em frente ao hotel, e achávamos que estava fechado, demos a volta pra voltar pro mesmo lugar. kkkk - Fomos comer algo e partimos direto pra Tríplice Fronteira, saindo de lá fomos para as Cataratas, chegamos na hora que já ia fechando, o bom que podemos aproveitar bastante e ver o por do sol lá. - Mesmo cansado passamos pra visitar o Museu de Cera, fomos os últimos a entrar pois estava fechando, um bom lugar, porem muito caro e basta ir uma vez que os outros são iguais. Não repetiria. Tiramos fotos com Babobi do lado de fora - Depois dessa fomos pro hotel, descansar pois o dia tinha sido puxado 3° Dia (16/07/2018) - A noite foi curta, eu e Silvia acordamos bem cedo por conta do euforismo, olhamos o nascer do sol pela janela do apartamento - Acordamos as crianças e fomos tomar café - Encontrei um carro de São Luis, um casal que estava de ferias. - Saímos pra Cidade do Leste fazer umas comprinhas (que lugar doido, todo mundo desesperado te puxando, ficamos assustados, compramos a GoPro 5, e algumas besteirinhas depois fomos embora, passamos pela aduania sem problemas, nem fomos revistados. - Partimos para visitar o Parque das Aves. Lugar muito bonito e excelente pras crianças. - Fomos almoçar no shopping compramos agua, refrigerante e biscoitos no supermercado para a viagem do dia seguinte e deixar no quarto. - Ainda no shopping as crianças brincaram no simulador de avião. - Fomos para o hotel e descansamos até a hora de ir visitar a Ituaipu Binacional a noite, coisa que infelizmente não aconteceu, só aos finais de semana, quem sabe de uma próxima vez. - Seguimos para o Paraguai para jantar com o nosso amigo Anibal, que nos levou a sua clinica estética no bairro Boqueirão 2 e depois fomos comer comida Japonesa. - Saindo de lá batemos algumas fotos em uma lagoa no mesmo bairro, que lembra muito a Rodrigo de Freitas, aproveitei para completar o tanque que a gasolina é muito barata, voltamos para o hotel. - Arrumamos as malas antes de ir dormir. 4° Dia (17/07/2018) - Acordamos, foram tomar café eu fui depois, pois, primeiro fui arrumar as malas no carro - Depois do café fui fazer o chek-out e partiu Argentina, nesse momento avisamos as famílias que estaríamos indo pra Argentina. - Saímos tarde e passamos mais de uma hora na fila da aduania, mais só o de rotina, tudo foi normal. Passamos e seguimos viagem por volta de 12:30 - A primeira parada na AR foi por volta de 2:30 para abastecer e trocar dinheiro, ao entrar na cidade estava todo o comercio fechado e achávamos que era feriado voltamos para estrada e na saída da cidade paramos pra abastecer e descobrimos que o horário comercial das cidades de interior da AR é de 4 as 12h e algumas lojas voltam a abrir as 17 e ficam até as 21, não sei pra que, não tem ninguém na rua mesmo. Abasteci, o frentista me falou que trocava dinheiro brasileiro, sempre tinha brasileiros lá, troquei o dinheiro para pagar os pedágios que viriam pela frente e seguimos viagem. - A tarde foi só viagem, belas paisagens e um por do sol maravilhoso. - A noite aconteceu nosso primeiro perrengue, na AR poucas são as estradas duplicadas, o asfalto era novo e não tinha marcação na pista e nem sinalização lateral para piorar a situação começou a chover e muitos caminhões vindo na pista contraria, ai fiquei assustado, pois tinha momentos que não conseguia ver a pista, decidimos que pararíamos na primeira cidade, foi que chegamos a La Cruz (Batizamos de La Cruz Credo), uma cidade pequena com pouca estrutura e poucos locais pra se hospedar, foi que depois de algum tempo achamos uma pousada e conseguimos nos acomodar, deixamos as malas e fomos procurar algo pra comer, chegamos no restaurante e tinha somente um casal de idosos que nos olhou esquisito, seguimos nos sentamos pedimos lasanha pra todos e Silvia tomou uma garrafa de vinho, na parede do restaurante tinha capas de disco do Agpê e Alcione, terminamos, fomos pra pensão descansar, ai comprei um chip de celular pra poder dar sinal de vida, ai foi o segundo perrengue, tinha o chip mais não consegui ativar, pois na AR precisa de um DNI ou DNI de Estrangeiro, blz, fomos dormir e no dia seguinte resolveríamos isso. A pousada tinha dois ambientes uma cama de casal em um e uma de solteiro no outro, Willian ficou na de solteiro, mais ele estava com tanto medo da cidade que durante a noite foi se meter na nossa cama. kkkk 5° Dia (18/07/2018) - Acordamos nos arrumamos e vamos seguir viagem, pq não tinha café da manhã na pensão. Com a luz do dia é muito mais fácil a viagem. - Foi quando encontramos nosso primeiro anjo da estrada, um frentista super gente boa que depois que eu me lamentei que não conseguia me comunicar com a família pq não tinha conseguido registrar o chip, ele se prontificou a fazer, nos contou que tem uma filha que mora em São Paulo, estuda e trabalha lá. Pronto com o chip ativado podemos continuar a dar noticia pras famílias. - Foi o dia todo de viagem, durante a tarde ao longo da estrada tinham varias placa de venda de "Fruta de Cordoba" que depois de algumas fiquei curioso pra saber o que era, quando parei em uma delas e fui conferir, era morango, que por sinal muito gostosos, incrivelmente doce. A bandeja foi rapidinho. Na altura da cidade de Santa Fé emparelhamos com dois carros de SC um Land Rover Discovery e o uma Pajero Full, olhei que os mesmo estavam seguindo pela mesma estrada, resolvi seguir, não deixei os mesmos se distanciarem. Vinha desenvolvendo uma velocidade boa na RN7, para nosso espanto estava bloqueada, tivemos que desviar para a RP5 que por sinal era bem ruinzinha a chuva apertava a temperatura só caia, seguimos viagem até a noite quando paramos em uma cidade chamada Santa Maria, por sinal bem grande, muitas opções de hotéis e restaurantes, conseguimos vaga no Grand Hotel, muito aconchegante, depois de nos acomodarmos, me informei onde trocar dinheiro fui la e tinha acabado de fechar, fomos rodar na cidade e procurar algo pra comer, ficamos em um restaurante e novamente comemos massa, muito gostosa, quando terminamos saímos em direção ao hotel, ventava muito e a temperatura só baixava. Chegando fomos tomar banho e nos preparar pra dormir. 6° Dia (19/07/2018) - Acordamos fomos trocar o dinheiro e comprar mais roupas de frio pra Duda e Willian a Silvia comprou pra ela uma luva e voltamos pro hotel, acordamos as crianças e fomos tomar café arrumamos as malas no carro, fizemos chek-out e partiu estrada, logo que pegamos a RN novamente nos deparamos com os carros de SC que continuamos a perseguir por todo o dia. Por volta de 2:30 da tarde com o céu de brigadeiro e um calor grande mandamos mensagem para o Jorge verificar se a cordilheira estava fechada, ele falou que até meio dia estava fechada mais iria olhar novamente, para nossa alegria ele respondeu dizendo que abriu as 12:30, pronto seguimos viagem tranquilos, passamos por um lugar que não sei o nome que é um grande sitio arqueológico de dinossauros, depois de mais algum tempo de estrada chegamos na barreia sanitária de Mendonza, revistaram novamente nosso carro, e nesse momento fui ao banheiro para meu espanto ao chegar no local indicado pelo guarda tinha a placa de masculino e logo abaixo tinha outra que me deixo assustado, “Cuidado víboras” e o desenho de cobra, mijei quase que a jato, voltei logo pro carro, ao sair o carro foi todo borrifado com inseticida. Seguimos viagem paramos para abastecer e me informei onde poderia comprar corrente para os pneus como iriamos atravessar a Cordilheira dos Andes, é obrigatório ter no carro, o frentista me disse que acharia pra comprar no WallMart, dito e feito, parei e comprei, seguimos viajem e a partir desse momento umas 5hs da tarde a euforia foi geral, começamos a ver a neve mais próxima, começamos a entrar na cordilheira a felicidade estava estampada no rosto de todos, pronto foi uma longa subida, no meio da cordilheira tem um grande lago a vista é linda, vamos subindo e a temperatura vai caindo, depois de 2 horas chegamos a ultima cidade da AR entes da fronteira USPALLATA estava simplesmente lotada, mas o nosso destino era Santiago, andamos mais uns 500 metros e esbarramos na policia caramineira argentina, que nos informou que no período do inverno com ou sem nevasca a fronteira fecha as 19hs. Mandaram dar meia volta e procurar abrigo em Uspallata, pronto mais um perrengue, estacionei o carro deixei todos la e fui procurar vaga, fomos de hotel em hotel, pousada em pousada e nada de vaga, a cidade toda lotada, pedi informação a um policial que me indicou a ir “Informações Turística”, fomos la e conversamos com o atendente que efetuou algumas ligações e constatou que realmente não tinha vaga, a opção que ele nos deu foi voltar pra Mendonça, 150km cordilheira a baixo, para mim isso não era opção, passando na porta de um hotel, algo me disse entra e pede uma “habitacion”, foi o que fiz, falei com o recepcionista e o mesmo disse que não teria vaga la, mais se eu quisesse ele tinha um primo que tinha feito uma pousada eu disse se tiver vaga eu quero nem que seja um quarto com uma única cama, ele fez a ligação para o primo Rodrigo que disse que tinha um quarto vago, aceitei na hora, fomos pra la, um lugar meio esquisito afastado, mais tinha tudo que eu precisava um quarto aquecido com duas beliches. Pronto acomodados com as malas no quarto, saímos para comer, fomos a um restaurante com a decoração bem exótica, tudo o que tinha o proprietário pendurava no teto, comemos pizza e depois fomos embora, ao sair a temperatura estava muito baixa, paramos rapidinho para tirar foto e voltamos para a “pousada”, nos preparamos para dormir. 7° Dia (20/07/2018) - Acordamos as 7h e para nossa surpresa ainda era noite, só o rapaz que tomava conta da pousada estava acordado, acordamos as crianças e nos preparamos para o café que só chegou às 8h e fomos nos preparar para seguir viagem, quando saimos da pousada senti a força do frio, estava -12° com uma sensação de uns -25° com o forte vento, na hora liguei o carro e o aquecedor para melhorar a temperatura dentro, o parabrisa do carro estava congelado, quando fui jogar agua do esquixo descobri que a agua tinha congelado. Ai não tinha jeito nos despedimos e seguimos viagem. A euforia só aumentava a medida que subiamos e a neve ia cercando o estrada, quando avistei o túnel Cristo Redentor que é o marco da fronteira Argentina - Chile, após isso andamos mais um pouco e chegamos a tão esperada Estrada Caracoles, que me deixou em êxtase, passamos por ela filmando fotografando andando a 30km/h com um transito muito grande de veículos e caminhões pq a fronteira passou 4 dias fechada. Após sair da estrada caracoles começamos a descer até chegar em Los Andes onde compramos um chip de celular, mais eles esqueceram de ativar e por credito, seguimos a viagem sentido Santiago, quando chegamos nos perdemos no centro de Santiago, deixamos o carro no estacionamento de um mercado colocamos credito e fomos lanchar em uma lanchonete ao lado do mercado, conseguimos falar com o Danillo e depois o Jorge que foi nos buscar onde estávamos, seguimos para o local do serviço dele um asilo muito grande que tem uma enorme capela, o Danillo foi nos buscar com a Beth e a Nanci que nos levou para a casa da Beth, quando chegamos na rua dela o pai dela Sr. Guilherme estava nos esperando, quando ele viu a situação do carro, ele era vermelho de tanto barro e chuva na beira da estrada, pra ver a placa tinha que ver bem de perto, na casa estava reservado para nós um quarto bem aconchegante, tomamos café conversamos muito e marcamos de ir a um bar pra “bailar” (dançar) chamado LBM - Los Bons Muchachos, eles pediram duas assadas (churrasco mixto), quando começou as apresentações de danças típicas a Silvia se empolgou e foi dançar “CUECA” dança típica do sul do pais, comemos, dançamos e a Duda subiu no palco e não queria mais descer. Bem tarde voltamos pra casa, no bairro deles fomos abordados pela policia que após verificar a nossa documentação fomos liberados, a Nanci levou o carro pra casa dela. Chegamos em casa fomos dormir. 8° Dia (21/07/2018) - Acordamos tomamos café e nos preparamos para ir a estação de ski “La Parva” pegamos a estrada e para meu espanto pegamos uma pista de nome G31 achei muito mais difícil de dirigir do que a estrada caracoles, além de muito mais curvas eram 48, divididas em duas de 24 a inclinação era muito maior e o transito pesado o que dificultava ainda mais a dirigibilidade, mais nada que nos tirasse a empolgação, quando mais subia mais eufóricos ficávamos quando chegamos la fomos providenciar o passeio de SnowBoard para Willian, aproveitamos e brincamos com a neve e tiramos muitas fotos e filmagens. Já pelo final do dia comemos uma pizza e voltamos para casa pra descansar. 9° Dia (22/07/2018) - Acordamos cedo tomamos café e fomos a missa para rever o Padre Fernando, nos deixaram na igreja o Danillo e a Nanci saíram com nosso carro, estava tão sujo que eles levaram para lavar, após a missa fomos conversar com o padre batemos foto e nos despedimos, fomos deixar a Dna. Lucy em casa pegamos a estrada indo para Val Paraiso, só 80km no caminho visitamos a Vinicula Velmont seguimos viagem e paramos no Santuário de Lo Vásquez, depois da visita fomos comer antes de continuar a viagem, ao lado tem um centro comercial que nos serviram uns sanduíches o meu e do Willian foi o Barros Luco os outros pediram o Italiano, os sanduíches eram enormes, comemos bebemos refrigerante e seguimos para Val Paraiso, la visitamos a região do porto, fomos no memorial do general, relógio de flores e em Vinha Del Mar a praia com aguas congelantes do oceano pacifico, fui tocar na agua. Depois disso vamos pegar a estrada que a volta é longa, e se tornou ainda mais com o engarrafamento gigantesco que pegamos com o fim das vacâncias (ferias) de inverno. Chegamos em casa Dna Lucy tinha nos preparado um macarrão com carne de cervo (porco). Depois do jantar fomos tomar banho e dormir para enfrentar o próximo dia. 10° Dia (23/07/2018) - Acordamos nos arrumamos tomamos café e vamos passear, nesse dia pegamos um taxi “coletivo” uma mistura de UBER com TAXI, fomos visitar o centro histórico de Santiago, conhecemos o Palácio de Moneda, O Supremo Tribunal de Justiça onde a prima da Beth trabalha e nos levou em uma visita guiada pelo prédio, na biblioteca recebemos uma aula de história dos governos do Chile, seguimos andando porque tinha muita coisa pra andar, aproveitei para trocar dinheiro e fomos conhecer o Mercado Central aproveitamos para comer, pedimos paeja e Silvia pediu um creme de caranguejo tudo muito gostoso, depois do almoço continuamos a andar e agora pegamos o metro para irmos no Constaneira Sky o prédio mais alto da américa latina 300 mts de altura 62 andares o elevador sobe em 42 segundos. Novamente fomos na hora do por do sol um espetáculo a parte, de lá você ver toda a cidade de Santiago, estava tendo uma degustação de vinhos e espumante. No final fomos no mercado comprar coisas para a viagem do dia seguinte. Após as compras fomos para casa, aproveitamos para arrumar as malas antes de ir dormir para descansar que no próximo dia começaria o retorno. 11° Dia (24/07/2018) - Acordamos fui arrumar as malas no carro e depois fomos tomar café, nos despedimos com choradeira de todos, só temos a agradecer por tanto carinho e prestatividade que todos tiveram connosco. Após a despedida eles nos acompanharam no carro deles até a autopista, antes do pedágio acenamos para eles e seguimos viajem, fomos até a cidade de Los Andes e começamos a subir a cordilheira quando passamos na Estarda Caracoles agora no sentido contrario subindo, tudo tranquilo, passamos pela aduania sem ser parados e nem paramos a 13 km a frente fomos parados pela caraminairos que nos cobrar a documentação de entrada na Argentina tivemos que voltar até a aduania para registrar nossa saida do Chile e entrada na Angentina, novamente tudo normal documentação nossa do carro e revista do veiculo. Pronto agora com tudo ok seguimos viagem, já na Argentina a Silvia foi trocar o chip e pronto muito pequeno o chip se perdeu dentro do carro, ele caiu e sumiu nunca mais achamos, na volta pegamos a auto-pista RN7 do início na cordilheira e termina na Cidade Autonoma de Buenos Aires, mais vamos ao trajeto, passamos o dia todo rodando bem passamos novamente pelo sítio arqueológico mais um lindo por do sol e seguimos viagem até mais ou menos 21hs quando paramos na cidade de Labocache - AR arrumamos um hotel, que não aceitou cartão e ficou com todo o nosso dinheiro argentino, que nos deu um pouco de problema a frente pois teríamos pedágio e não teria mais peso argentino, deixamos nos coisas e fomos comer quando acabamos fomos para o hotel dormir. 12° Dia (25/07/2018) - Tive que desenrolar nos pedágios para poder pagar com real ou peso chileno, fora isso a viagem estava tranquila até quando apareceu um bloqueio na RN7, ficamos na duvida e apareceu outro anjo da estrada um camioneiro que nos informou como contornar esse bloqueio, pegamos uma estrada de chão batido por uns 30km, até conseguirmos voltar pra RN7, pronto tudo transcorrendo normalmente quando o carro começou com um barulho estranho ai parei no primeiro posto e verifiquei que o oléo estava muito baixo, comprei o oléo e completei, pronto mesmo com o barulho seguimos a viagem, pronto chegarmos em Buenos Aires, quando tive que passar por 3 pedágios sem pagar pois eles não aceitavam real, peso chileno e nem debito, mais foi tranquilo, achamos o hotel, fizemos chek-in, me informei onde trocar o dinheiro, era no shopping La Basta, tomamos banho e pegamos um táxi e avisei que teria que trocar o dinheiro, ele nos levou e ficou esperando, quando entrei no shopping me informaram que a loja de cambio só funcionava até as 17h, voltei no taxista e desenrolei com ele com peso chileno. O shopping estava lotado talvez por conta da chuva que não parava de cair, não tinha nem onde sentar a e também não tinhamos dinheiro pra voltar, procuramos algum táxi que aceitasse cartão, não achamos nenhum, decidimos voltar a pé mesmo com a chuva, quando saimos a Silvia via na frente do shopping um restaurante muito legal chamado Le Petutti, comemos uma lasanha maravilhosa e no final falei para o garçon nosso problema que não tinha dinheiro para voltar para o hotel e se ele poderia por na conta uns 200 pesos a mais para voltarmos de táxi, ai ele disse que eles cambiavam ali, foi nossa salvação, mais eles jogam o cambio lá em baixo, o cambio do dia era 6,80 eles trocaram por 5,50, mais tudo bem eu precisava, troquei pouco, com dinheiro chamei o táxi e voltamos pro hotel, fui comprar agua e aproveitei para comprar um chip outro chip argentino, mais agora seria mais tranquilo para registrar pois a Rayssa nos deu o numero do DNI dela. Ativei e pronto tínhamos Internet novamente, fomos dormir. 13° Dia (26/07/2018) - Acordamos fomos tomar café e depois ficamos na duvida se vamos ou não de carro, resolvemos ir, fomos no shopping trocar dinheiro e depois fomos conhecer os pontos turísticos, a primeiro foi o obelisco depois fomos para a Praça de Maio que fica a Casa Rosada e muitos outros prédios históricos, como estava tudo interditado devido aos protestos pelo submarino desaparecido não podemos visitar nada, só olhamos de fora. A Rayssa nos indicou o Porto Madeiro, nos informamos com um policial que nos indicou o caminho errado, após algum tempo andando na chuva resolvemos voltar. Fomos para o hotel e por indicação do recepcionista fomos comer uma Parilla o nosso churrasco mixto, não tivemos uma experiencia muito boa, depois voltamos para o hotel para descançar - Como o carro estava fazendo um barrulho eu gravei e mandei para Felipe e o mesmo mandou eu procurar um mecanico lá para limpar o pescador do oleo, após uma busca por mecanico nos postos da região sem sucesso, resolvi perguntar para os taxistas e me indicaram a oficina do mecanico Rau na Rua Humberto Primeiro, fui direto pra lá, como já era por volta de 5:30 ele pediu que eu voltasse no outro dia que ele olharia. Ai foi o jeito era voltar pra casa e aguardar o dia seguinte, no caminho tinha um centro comercial bem proximo do hotel, deixamos o carro e fomos la fazer umas comprinhas, voltamos para o hotel e resolvemos não ir ao show de tango, por conta do carro, estava preocupado em ter um grande gasto. Marcamos de sair com a Rayssa no dia seguinte pra conhecer o bairro Caminito onde fica o estádio da Bomboneira. Ficamos em casa vendo filme e fomos dormir 14° Dia (27/07/2018) - Acordei bem cedo e fui na oficina o Rau fez a limpeza e agora com tudo certo estava mais tranquilo pra passear. - Mesmo com a chuva incessante, resolvemos ir de metrô, a estação ficava em frente ao hotel, descemos na estação Cordoba e fomos nos encontrar com os amigos dela que nos acompanhariam, pegamos um onibus até o bairro, um local bem colorido e cheio de bares, restaurante e lojas, bastante turistas, fomos no estádio de Lá Bomboneira e depois passeamos até bater a fome, paramos em um restaurante familiar e comemos um bife de chorrisco muito gostoso, pena que não servia com arroz, só batata frita e salada. Depois do almoço passeamos mais um pouco e já estava na hora de voltar, no caminho resolvemos conhecer o Café Tortoni, ao chegar lá não tinha condição uma fila imensa pra entrar, pelo que olhei la pra dentro é uma Confeitaria Colombo, batemos só uma foto na frente e vamos seguindo, fomos em uma loja de doçes pra comprar dúzias e mais dúzias de alfajo, no caminho perdi a toca que estava na cabeça da Duda e como estavam todos com frio, resolvemos tomar um caputtino na Star Burks, como era bem perto do obelisco fomos novamente tirar foto. Depois disso fomos embora de metrô, chegando no hotel falei com o recepcionista que queria ir em um show de tango, ele ligou e reservou nosso lugar e agendou um taxi, subi e dei a noticia pra Silvia, fomos tomar banho e nos arrumar, como era um programa a dois fui comprar pizza e refrigerantes para deixar pra eles. - Ao chegar o taxi descemos e fomos ao Catúlo Tango, um lugar muito acolhedor e fomos atendido por um garçon super gente boa. Jantamos bebemos vinho e esperamos o show começar. Foi muito emocionante não perdemos nada, o apresentador brincou com o publico e no final voltamos pro hotel. 15° Dia (28/07/2018) - Preparamos as malas, coloquei no carro, fomos tomar café, depois fiz o chek-out e vamos pra estrada agora em direção ao Uruguai cidade de Montivideu, a intenção era atravessar o rio da prata de balsa, porém era bem caro, resolvemos dar a volta de carro, aumentaria a viagem em 3 horas mais pagariamos 1/3 do valor da balsa. Pronto na estrada a viagem foi super tranquila, quando chegarmos no Uruguai descobrimos que fora a região litorânea o Uruguai é uma fazendo gigante, não tem nada no interior do pais, só fazendas e mais fazendas, avistamos um produtor vendendo queijos, salames e embutidos, paramos provamos vários e compramos, durante a prova olhei um que o senhor falou que era queijo de cervo(porco), claro que eu tinha que provar, o gosto não era dos melhores fui perguntar de que era feito, ele disse que é feito do cérebro do cervo(porco) ai mesmo que o gosto ficou pior Kkkk. Pronto seguimos viagem, chegamos em Montivideu e a chuva não secava resolvemos bater umas fotos e subir para o Brasil, abastecemos o carro que por sinal a gasolina era mais cara que no Brasil, pelo mapa que recebi fizemos como meta dormir na cidade de Trinta e Treys já bem próximo da fronteira, como a estrada era boa e não tinha carro praticamente só minha seguimos viagem e foi o dia que ficamos até mais tarde, chegamos la por volta de 11h, ao chegar na cidade passamos por uma ponte, na verdade meia ponte, só tinha uma pista a outra tinha desabado, depois que olhamos ficamos com medo. Procuramos um local pra dormir, conseguimos deixamos as coisas e fomos comer, pedimos um sanduiche pra cada o Willian pediu uma massa, o da Duda pedimos um infantil, o primeiro que chegou foi o da Duda o hamburguer era do tamanho do prato, falei com o garçom que estava errado o dela era Jr seria pequeno, ele disse ta errado não esse era o pequeno. Quando o nosso chegou, era um hamburguer gigante, dava pra dois comer fácil. Acabamos e fomos pra pousada dormir. 16° Dia (29/07/2018) - Acordamos fomos tomar café fizemos o chek-out, fomos abastecer e seguimos viagem, passamos pela aduanea, e seguimos antes de passar pela fronteira paramos em um supermercado e compramos vinhos e outras coisas pra seguir viagem por volta de 12h atravessamos a fronteira, pronto estavamos de volta ao Brasil, seguimos viagem com próxima parada seria Canela previsto de chegarmos as 19h. Por volta de 14h paramos em pelotas pra comer em uma churrascaria na beira de estrada, comida boa mesma é a brasileira, após comer seguimos viagem, tivemos que reduzir muito a velocidade pois no RS a BR-116 a pista é simples e ficamos em fila indiana com muitos carros e caminhões quando conseguimos sair da fila seguimos a viagem até Canela que chegamos as 19:30 guardamos as malas e o Nilson dono da pousada pediu uma pizza pra nós, todos foram tomar banho quando eu e i Nilson fomos buscar a pizza. Voltamos começos a pizza e fomos deitar. 17° Dia (30/07/2018) - Acordamos fomos tomar café que por sinal muito bom o casal Nilson e Tathiana donos da pousada estão de parabéns e partimos pra conhecer a cidade, a pousada ficava bem próximo da Catedral de Pedra que foi nossa primeira parada, tiramos fotos visitamos e vamos procurar mais coisa, tinha que tirar dinheiro me informei com a fiscal e fomos a praça principal, tiramos varias fotos fomos na informações turísticas pegamos um mapa e saimos visitando os pontos indicado no mapa, fomos no Parque do Lago, Museu da Vela, Parque das Arvores, Vinicula Granja da Telha uma vinicula familiar que a Senhora Maysa nus recebeu muito bem, com degustação, compramos varios vinhos, suco de uva e doçes, fomos tb no Parque da Aventura, e no Santuário de Caravajo depois disso fomos almoçar, um restaurante no centro de Canela com comida caseira, uma delicia depois de muitos dias começos feijão. Depois do almoço fomos no Parque FloryBall - Parque dos Dinossauros, quando saimos já era mais de 5:30 estava já tudo fechado voltamos pra descansar e nos trocar para irmos ver o show de luzes da Catedral de Pedra, depois do show fomos dar uma volta na cidade, como estava muito frio, resolvemos procurar algo pra comer, paramos em uma hamburgueria que pedimos e levamos pra comer na pousada. Depois fomos deitar. 18° Dia (31/07/2018) - Acordamos fomos tomar café e partimos pra Gramado, fomos na “Informações Turisticas” e fomos conhecer os pontos turisticos a catedral e andamos pela cidade, depois fomos almoçar e voltamos pra pousada, descansamos e esperamos anoitecer pra voltar a gramado pra ver as luzes. Quando chegamos la descubrimos que as luzes de natal só acendem no período do natal luz kkkkkk, fomos da volta pela cidade um frio muito grande, paramos pra degustar vinho, depois fomos tomar chocolate quente, compramos umas lembrancinhas e depois fomos comprar pão para levarmos na viagem do dia seguinte, quando estávamos procurando a padaria uma neblina muito forte desceu, aceleramos para voltar logo pra casa, na estrada indo pra Canela a pista estava com visibilidade muito baixa, quando chegamos próximo da pousada não dava pra ver 10 metros a frente, fomos bem devagar e chegamos em casa tranquilo. Antes de dormir arrumamos as malas e coloquei no carro. Fomos dormir. 19° Dia (01/08/2018) - Acordamos fomos tomar café, depois nos despedimos tiramos fotos e seguimos viagem, estava indo muito bem, como estávamos andando bem , conseguiríamos dormir bem perto de Aparecida que seria nossa ultima parada antes do RJ parada essa pra agradecer pela maravilhosa expedição que tivemos. Mais quando estavamos chegando em Florianopolis pegamos mais de uma hora e meia de engarrafamento, praticamente parados, depois que conseguimos sair do engarrafamento, tentamos tirar o tempo parado porém mais uns 300 km a frente novamente perdemos mais de uma hora em outro engarrafamento agora por conta de obra na pista. Como as estrada era duplicada resolvemos ficar na estrada até um pouco mais tarde, fomos até às 23h quando chegamos na cidade de Registro em SP, achamos um hotel muito legal na beira da estrada, nos acomodamos eu assiste o segundo tempo do jogo e depois fomos dormir. 20° Dia (02/08/2018) - Acordamos fomos tomar café, por sinal pra mim o melhor café de todos que tomamos em toda a expedição, depois do café aproveitei pra completar o nível do óleo e pronto seguimos viagem passamos por São Paulo que cidade gigante aquele rodoanel é coisa de doido é muita saída e entrada para todos os lados, se não fosse a Beatriz (GPS) seria difícil passar ale, saindo de SP continuamos a viagem muito bem, chegamos em Aparecida as 14:30, não podemos assistir a missa pois só teria as 16h, participamos então do Terço da Misericórdia, tinhamos que seguir viagem pois não queira arriscar de passar pela Serra das Araras à noite pois estava com medo de nevoeiro, não pegamos nevoeiro mais pegamos uma chuva bem forte, graças a Deus foi tudo normal, chegamos no final da BR-116 umas 18:30, quando pegamos o engarrafamento na Av. Brasil, levamos mais de uma hora e meia até a entrada da Transolimpica, fomos ao mercado comprar alguma coisa pra casa que não tinha nada, na saída do mercado fomos na casa da Laryssa pra pegar o Caramelo e depois fomos pra casa chegamos às 21h. Subimos as malas a Silvia deu uma geral no quarto para podermos dormir e eu fui fazer uma macarronada para comermos. - Marquei a quilometragem final 100565, rodamos em toda a expedição 9050km de muitas alegrias, descobertas e diversão aproveitamos cada minuto de cada dia, e o melhor de tudo passamos 20 dias intensos com toda a família juntos. Agora é começar a planejar a próxima....
  4. Bom dia, eu e meu marido estamos planejando em agosto sair de Imbituba de carro para conhecer o Brasil ( Agosto 2020) gostaria de saber se é tranquilo ( temos um sambeiro 2015 1.0)temos 25 dias para viagem e quais lugares visitar nunca viajamos de carro e é um grande desejo nosso! desde já agradeço!
  5. Em 02/03 eu e minha esposa saímos para essa que foi o maior tempo seguido que ficamos fora do país. Foram 28 dias corridos de férias que consideramos fantásticas, superando em muito a nossa expectativa. O fato de termos ficado com carro alugado durante todo o período contribuiu bastante, já que facilitou muito a logística e permitiu que tivéssemos bastante flexibilidade no roteiro. Este ponto também nos ajudou a economizar bastante, já que o carro acabou virando nossa “segunda casa” e deixávamos sempre mantimentos nele (Como o clima estava bem frio, acabamos fazendo do carro a nossa geladeira, deixando ele sempre abastecido de bebidas e até frios para tomar café da manhã quando o mesmo não estava incluso na diária do Hotel). Um breve resumo de nossa viagem: · 8 países visitados: Alemanha, Áustria, Itália (Bônus), República Tcheca, Holanda, Bélgica, França, Luxemburgo (Bônus) · 5.438km percorridos com nosso veículo alugado. · Média de 11,3km por dia de caminhada (305km no total) · Utilizamos 39GB de dados em nossa viagem via 3/4G. Bom, vamos ao que interessa: Dia 0: 02/03, sábado de carnaval Saímos de casa para Guarulhos. Como o Uber de minha casa até o aeroporto sai em torno de 130 reais ou até mais na época de festas e para ter mais flexibilidade, aluguei um carro na Localiza perto de minha casa para entregar no aeroporto. O aluguel com a tarifa do clube porto ficou R$65,63. Me foi oferecido um Logan Expression c/ ar manual com quase 3mil km rodados, bem novo e limpo. O processo de entrega no aeroporto foi bem tranquilo e logo o transfer da Localiza nos deixou no terminal 3 de onde partiríamos para Frankfurt. Fizemos o check in e como ainda faltava 1 hora para iniciar o embarque, aproveitamos a sala vip da Mastercard Black (acesso gratuito devido ao benefício do cartão). Ela estava bastante cheia, mas deu para petiscar antes de embarcarmos. Nossa operadora foi a Latam (Vôo direto, passagem comprada com pontos multiplus ida e volta). O Voo saiu com atraso de quase duas horas devido a chuva, mas isso não atrapalhou em nada nossa programação, já que não havia nada agendado para o Domingo. O voo foi tranquilo e chegamos em Frankfurt por volta das 16hs. Dia 1: 03/03 Domingo A imigração foi bem tranquila. O aeroporto estava cheio e levamos em torno de 40 minutos para concluir todo o processo. Na imigração, o agente só nos perguntou quantos dias ficaríamos por lá e quando respondi 28 dias, ele me olhou espantado e disse: 28 dias? Muito bom! Tenham uma ótima viagem! O Aeroporto de Frankfurt muito bem sinalizado, mas é bem grande. Andamos bastante para chegar na Alamo e fazer o processo de retirada do veículo. Confesso que me decepcionei um pouco com o processo de check in. Foi bem demorado. Haviam duas pessoas na nossa frente e demoramos em torno de 1hr até sair com o carro. Nosso companheiro de viagem foi um RENAULT CAPTUR BRANCO AT, que já estava com a tarifa de inverno inclusa no preço pago ainda no Brasil. Lá no balcão, para retirar o carro apresentei a carteira de motorista, o PID (Foi solicitado) , cartão de crédito e passaporte. Tivemos que pagar EUR 61,50 referente a taxa de fronteira. Antes de sair do aeroporto, ativei o chip da Easysim4u que compramos aqui no Brasil (plano ilimitado de 30 dias). Funcionou muito bem durante praticamente toda viagem. Começou a “ratear” nos dois últimos dias, mas foi uma ótima escolha já sair com o chip do Brasil e em relação ao preço que vi na Alemanha durante a viagem, fizemos a escolha correta. Saindo do aeroporto, fomos direto para nosso Hotel em Aschaffenburg. Já nos primeiros quilômetros deu para sentir a qualidade das estradas alemãs. Asfalto e sinalização impecáveis. Em meia hora estávamos no Hotel que ficava há 59km do aeroporto. Aqui passamos um certo “sufoco”. Ao ligar meu smartphone em Frankfurt, saindo do aeroporto e utilizando o Google Maps, o GPS estava doido, sinalizando que eu estava há alguns KMs de distância de onde eu realmente estava e o smartphone da minha esposa sem bateria.. Estávamos “cegos” em uma estrada que não conhecíamos. A sorte é que o carro veio com sistema de navegação (gratuito) e foi o que nos salvou naquele momento. Acabamos usando o GPS do carro durante toda a viagem.... nos ajudou bastante. Estava bastante frio (7 graus) naquela noite e também estávamos bem Cansados da viagem. Comemos no McDonalds e fomos para o Hotel dormir cedo. Neste dia dormimos no Hotel Olive Inn, que é bem simples, mas com uma cama confortável. Dia 2 - 04/03 Segunda Acordamos cedo e fomos ao Schloss Johannisburg mit Schlossanlagen que ainda estava fechado quando chegamos (8hs) e fomos na Stiftsbasilika St. Peter und Alexander, que é uma igreja belíssima. Passamos no mercado (Lidl) para comprar alguns suprimentos e seguimos para Würzburg. Levamos menos de 1hr para chegar. Deixamos o carro em um estacionamento próximo ao centro e visitamos as principais atrações da cidade (Residenz de Würzburg, Catedral de Würzburg, Neumünster, Marienkapelle, Wallfahrtskirche Käppele, etc.). Passeamos as margens do rio Meno que é extremamente limpo e com uma intensa movimentação de barcos. É impressionante como ele é conservado e utilizado a favor da população. Com certeza é um exemplo para todo mundo. De lá partimos para Rothenburg ob der Tauber. Chegamos por volta das 16hs e fomos caminhar pela cidade. Que cidade linda! Caminhamos por cima da muralha e pelo centro da cidade. Jantamos no centro histórico e seguimos para o nosso Hotel que ficava ali perto, no lado externo da muralha, o Hotel Rappen Rothenburg ob der Tauber. Dia 3 - 05/03 Terça Tomamos café de manhã no Hotel e voltamos para terminar de conhecer o centro de Rothenburg ob der Tauber. Aqui ocorreu a primeira decepção da viagem: Fomos atrás do que seria o “melhor strudel de maçã do mundo”, mas a Konditorei Pretzel, café que fica na Marktplatz estava fechado tanto na segunda quanto na terça por causa do feriado de carnaval. Então ficamos só na vontade mesmo... Mas deu para conhecer a Kathe Wohlfahrt que é uma belíssima loja de enfeite de natal. A loja é imensa e do lado de fora não parece que é tão grande e tem tanta coisa para vender lá dentro... Depois seguimos viagem para Dinkelsbühl. Deixamos o carro no estacionamento P2 e caminhamos pela cidade. A cidade é linda e rende belas fotos. O centro é bem pequeno e aqui fica o destaque para a catedral de São Jorge. De lá seguimos para nosso hotel que ficava próximo a Baden Baden. O Hotel Kloster Maria Hilf Bühl que também é um convento, apesar de afastado do centro, é uma ótima escolha para quem está de carro. Preço bastante acessível em relação aos demais e com uma boa qualidade. Ainda deu tempo de passear um pouco a noite pelo centro de Baden Baden, que também é bem organizado. Dia 4 - 06/03 Quarta. Foi dia de passearmos pela Floresta Negra. Saímos cedo do Hotel (que tinha um café muito bom já incluso na diária) e seguimos para passear pela Floresta Negra. Nossa primeira parada foi em Herrenwieser See. Como ainda era bem cedo e havia nevado naquela noite, o caminho estava lindo, todo branquinho e as estradas estavam bem limpas. Você percebe a preocupação com a remoção do gelo para evitar acidentes. O problema é que para chegar no lago, você entra em uma estrada secundária, bem estreita e sem esta manutenção das estradas principais. Fomos subindo e a estrada estava com bastante neve. Como só havia nós ali naquele horário, chegou um ponto que tivemos que encostar o carro pois havia muita neve no chão e estava perigoso seguir (o carro estava derrapando). Então encostamos o carro próximo ao ponto de observação Blick zur Schwarzenbachtalsperre (que possui uma vista de tirar o folego do lago) e seguimos o caminho restante (em torno de 1,5km) a pé para contemplar o lago congelado (acreditávamos que seria o único lago congelado que iríamos ver, mas depois, ao longo da viagem, vimos vários outros). Engraçado que não seguimos a estrada com o carro pois a camada de neve estava fofa, mas muito alta (havia trechos que a neve quase bateu no meu joelho). Ao voltar do lago a pé, como a estrada é bastante estreita, manobrei com todo cuidado para voltar para a estrada principal. Dai veio um carro em nossa direção, com o senhor de uns 60 anos dirigindo. Ele falou 1 kg em alemão e eu só entendi 50 gramas... Peguei o celular para traduzir e só deu para entender que ele estava perguntando se precisávamos de ajuda. Agradeci, disse que não precisava de ajuda e avisei a ele que eu achava que não dava para passar com o carro mais a frente, já que havia uma camada de neve a frente que apesar de fofa, estava bastante alta. Ele sorriu, disse que iria em frente e nos desejou um bom dia... pegou seu carro e seguiu pelo caminho que fizemos a pé. Não sei se nós, que pela falta de experiencia, estávamos com mais receio do que o necessário, mas para ele parecia ser algo normal. Retornamos e fomos em direção a See Mummelsee para tirarmos umas fotos do lago Schwarzenbachtalsperre. Paramos no estacionamento e atravessamos represa, mas não havia nada aberto ali para podermos comprarmos um café. Então tiramos algumas fotos e seguimos viagem. Em menos de 1hr chegamos em Schiltach. Uma pequena cidade repleta de construções típicas alemãs. O rio que corta a cidade muito limpo. Posso dizer que ali encontramos a perfeita junção da natureza com a arquitetura alemã. A cidade muito bonita e vale a visita. Mais meia hora de estrada e seguimos para Triberg. Passeamos pelo centro da cidade, visitamos a loja Haus der 1000 Uhren que possui uma grande variedade de “relógios cucos” para venda e visitamos a Triberger Wasserfälle, que possui várias cachoeiras. Como já era meio da tarde, paramos para almoçar no único restaurante que encontramos aberto ali na avenida principal. Obs: Aqui em Triberg ocorreu a segunda decepção da viagem: Fomos no Cafe Schäferpara comer o que dizem ser a receita original do bolo Floresta Negra, mas estava fechado devido ao feriado de Carnaval. Saindo de Triberg seguimos para Friburg, onde dormimos. Foram mais 1hr de carro através de paisagens maravilhosas. Fomos direto para o centro da cidade, já era fim de dia, passeamos pelo centro da cidade e assistimos a uma missa na igreja Münster de Freiburg. Dormimos no Hotel Super 8 Freiburg, que apesar de se um pouco distante do centro, possui instalações novas e de boa qualidade. Não deixamos o carro no estacionamento do Hotel, deixamos na rua mesmo (havia algumas vagas livres para estacionar gratuitamente). Dia 5 - 07/03 Quinta Fomos direto para o Castelo de Neuschwanstein. Foram 3 horas de viagem, novamente por paisagens belíssimas. Subimos e descemos a pé já que não estava chovendo. Visitamos o castelo (31 EUR p/ 2) e andamos nos arredores. A Mariensbrücke estava fechada pois havia tido um deslizamento próximo a ela na noite anterior. Ao descer do castelo, almoçamos em um restaurante no caminho. Passamos a tarde no centro de Fussen e depois dormimos no Hotel Fantasia, um bom Hotel que fica bem próximo ao centro da cidade. Nesta noite jantamos em um restaurante italiano chamado Peperoncino Pizza e Cucina. Recomendo a quem for passar pela cidade. Comida de qualidade com um preço bastante justo. Dia 6 - 08/03 Sexta Saímos cedo do Hotel e seguimos para Oberammergau. Em 1hr chegamos na cidade e visitamos a casa de artesanatos Pilatushaus. Mas o destaque é para a cidade em si, repleta de afrescos por toda cidade, um mais belo que o outro. Parece uma disputa entre os moradores de quem é a fachada mais bonita. Fico me perguntando o custo da manutenção daquelas pinturas, já que a qualidade delas é muito boa. De lá fomos visitar o Palacio Linderhof em Ettal (Estava fechado e em obras), caminhamos por seus jardins e seguimos para a belíssima Abadia de Ettal. Saindo de Ettal, seguimos para Eibsee onde pegamos o bonde para Zugspitze (93 EUR p/ 2) Almoçamos lá em cima e ficamos até o fim da tarde lá. O tempo estava bom, mas de vez em quando fechava e vinha uma pancada de neve (foi nosso primeiro contato com a neve caindo). É impressionante a estrutura lá em cima, assim como a velocidade em que o tempo muda. Pegamos -14 graus no topo já próximo ao horário de descermos. Interessante que no top, tem uma parte que é a divisa entre a Alemanha e a Áustria. Apesar de não haver mais o controle de fronteira ali, você pode carimbar seu passaporte com os carimbos das regiões. Dali fomos para Innsbruck. No meio do caminho parei em um posto para comprar o Vignette de 10 dias (EUR 9,20). Após 1 hora de viagem, chegamos ao apartamento que alugamos pelo Airbnb. Um apartamento com uma anfitriã supersimpática, confortável e com uma bela vista. Para quem está de carro, vale muito a pena ficar nele (https://www.airbnb.com.br/rooms/16673155?guests=1&adults=1). Apesar de ainda ser somente o sexto dia da viagem, estávamos começando a sentir o cansaço das férias... Dia 7 e 8 - 9 e 10/03 Sábado e Domingo Ficamos em Inssbruck por 3 noites. Foi bom a pausa de viagens para descansarmos um pouco. Conhecemos a Hafelekar, que fica a 2.256m de altura e possui uma vista magnifica da cidade. Fomos também no Swarovski Crystal World Museum, que é bem interessante e vende produtos Swarovski a um preço mais em conta que nas lojas, além de visitar os pontos turísticos no centro histórico e caminhar bastante a beira do lindíssimo rio Inn. A cidade em sí é um espetáculo, cercada de montanhas... Bonita em todos os ângulos.. Em uma tarde que estávamos livres, fomos até o Outlet Center Brenner, na Itália. O Outlet fica a 40 minutos de Innsbruck e bem pertinho da fronteira dos países. Valeu a pena a ida, apesar do pedágio no caminho de quase 10 euros na ida e volta, pois encontramos no Outlet os menores preços de roupas da viagem. Dia 9 - 11/03 Segunda Aqui foi a grande mudança que fizemos no roteiro de última hora. Estávamos programados para 3 dias em Munique. Mas como teremos que fazer uma conexão em Munique nas próximas férias, resolvemos deixar a cidade para um Stop over futuro. Então cortamos Munique do roteiro. Com isto, seguimos para Dachstein-Gletscherbahn. Em 3 horas chegamos no destino e o tempo estava bastante fechado. Por teimosia nossa, subimos assim mesmo (EUR 78 p/ 2), mas infelizmente não deu para ver nada lá em cima. Estava nevando muito, mas muito mesmo... Nevava por todos os lados que vocês possam imaginar... Não dava para ver 2 palmos a frente. Fomos na Suspension Bridge, Ice Palace e Skywalk, mas sem conseguir apreciar praticamente nada, já que o frio era congelante e estava difícil até de respirar. Ficamos imaginando como seria lindo estar ali em um dia de tempo claro com bastante sol... infelizmente vai ficar para a próxima vez. De lá, fomos para o Lago Gosausse. Demoramos em torno de 1hr para chegar e valeu muito a pena. Era fim de tarde e o tempo estava muito claro, com um sol lindo... lago completamente congelado! Uma paisagem deslumbrante!!!! Saímos do Lago quando estava escurecendo e fomos para Hallstatt para ver a cidade a noite. Chegamos lá e não vimos uma viva alma na rua. Estava muito frio e não encontramos nenhum lugar aberto para jantarmos. Então retornamos para nosso Hotel. Dormimos no ótimo COOEE Alpin Hotel Dachstein, em Gosau. Hotel muito bem conservado e com um preço justo. O restaurante do Hotel serve uma comida de qualidade. Dia 10 - 12/03 Terça Tomamos café no Hotel e fomos Visitar Hallstatt. Ao chegar no estacionamento, o carro estava coberto por neve. Ainda bem que havia no carro uma pá de acrílico para remover a neve, foi o que ajudou bastante. Quando saímos do Hotel ainda estava nevando bastante. Todo caminho até Hallstatt foi com neve. Demoramos 20 minutos para chegar. Estacionamos no P1 e fomos conhecer a cidade. Chegamos na cidade com neve e durante a tarde estava com tempo claro e muito sol... A cidade é belíssima, seja com sol ou nevando! O lago de águas cristalinas dá um toque especial na cidade. Passamos o dia passeando pela cidade, compramos um monte de lembrancinhas (inclusive sal) e voltamos para o nosso Hotel em Gosau. Dia 11 - 13/03 Quarta Saímos cedo do Hotel e fomos para Cesky Krumlov. Novamente nevou bastante e tive que remover a neve do carro. Quando saímos ainda estava nevando bastante em Gosau, mas as estradas sempre bem cuidadas, não foram um problema. Cruzamos a fronteira para a República Tcheca e paramos no primeiro posto para comprar o Vignette (10 dias p/ 12,50 EUR). Logo chegamos em nosso destino depois de 2:30hs de viagem. Deixamos o carro em um estacionamento privado próximo ao castelo (48°48’50.5″N 14°18’47.2″E). Passamos o dia visitando o centro histórico e o castelo da cidade. Aqui resolvemos não trocar euro por coroas tchecas. Fizemos um saque internacional no caixa eletrônico e o custo total menor que o custo total das casas de câmbio. Saímos de Cesky Krumlov no fim da tarde e seguimos rumo a Praga. Depois de 2 horas chegamos ao nosso destino: Hotel Habitat que possui um preço muito bom, é próximo a uma estação de metrô (+/- 1km), mas tem um problema: Não tem elevador. Nosso quarto era no terceiro andar e estávamos com muitas malas, então deixamos todas no carro e colocamos somente o que utilizaríamos na mochila para subir. O Hotel também não tem estacionamento e o carro ficou na rua, que por sinal é bem tranquila tinha vaga disponível. Não recomendo este Hotel caso esteja com muitas malas... a escada é cruel.... Dia 12 - 14/03 Quinta Deixamos o carro parado e fomos conhecer o centro de Praga de metrô. A estação próxima ao Hotel é a Střížkov. É muito fácil comprar as passagens nas máquinas (apenas com moedas) e utilizar o metrô. Não esqueça de validar o ticket. Ao descer no centro, fomos abordados pela fiscalização e foi tudo certo, apresentamos os tickets e ele apenas nos desejou boa viagem. Dedicamos o dia para conhecer o Planetário, a torre Petrin e o Castelo de Praga (todos belíssimos por sinal) e no fim da tarde passeamos pelo centro. Ficamos até anoitecer e retornamos para o Hotel também de metrô. Dia 13 - 15/03 Sexta Fizemos checkout no Hotel, deixamos o carro próximo a estação de metrô e voltamos para o centro de Praga. Fomos direto para Vysehrad pois queríamos conhecer a basílica. Após passear pela região fomos terminar de conhecer o centro da cidade. No fim da tarde pegamos o metrô de volta para a estação Střížkov, pegamos nosso carro e seguimos para Karlovy Vary. Pegamos um pouco de trânsito no caminho e demoramos 2hs para chegar ao nosso destino. Fomos direto para o centro conhecer a cidade a noite. Jantamos no Ristorante Pizzeria Venezia, que tem uma massa de primeira qualidade. Dormimos no Hotel Marttel , que apesar de antigo, é bem conservado e tem um café da manhã de primeira qualidade. Dia 14 - 16/03 Sábado Karlovy Vary: Que cidade linda! Uma das mais bonitas que visitei. Parece que o tempo não passa por ali.... As centenas de pessoas caminhando pelas ruas, bebendo água das fontes termais, sem pressa... Passeamos durante todo dia na cidade, compramos uma caneca tradicional da cidade e bebemos água de todas as fontes (Não sei como conseguem beber tanta água daquela... não gostei). Tomamos um café no Grandhotel Pupp (hotel onde foi filmado Casino Royale). A dica aqui é experimentar o Oblaten, que é um biscoito vendido vem vários locais na cidade.... Dia 15 - 17/03 Domingo Saímos cedo de Karlovy Vary e voltamos para Alemanha. Agora nosso destino era Dresden. Depois de 2hs de viagem, chegamos ao nosso destino. Deixamos o carro em um estacionamento publico a beira do rio Elba e fomos flanar pela cidade. O dia estava lindo, ensolarado! Combinando com a cidade. É impressionante como as pessoas aproveitam os parques para tomar sol. Eu diria que é um hábito continental, já que percebemos isto em todas as cidades em que passamos. Visitamos os principais pontos turísticos da cidade que possui muitas construções imponentes. A cidade por si só é um museu a céu aberto. Vale muito a pena a visita. Almoçamos no Ayers Rock e particularmente não gostei muito. Esperava mais devido ao valor dos pratos. Ao anoitecer, começou a chover. Pegamos nosso carro e seguimos para nosso próximo destino: Berlim. Mais 2:30hs de viagem e chegamos ao nosso hotel (Enjoy Hotel Berlin City Messe). Recomendo este Hotel, não só pelo preço justo e instalações de boa qualidade que ele oferece, mas também pelo fato de você poder deixar seu carro estacionado na rua em frente ao mesmo (grátis) e poder pegar o metrô para o centro de Berlin ali próximo. Dia 16 e 17 – 18 e 19/03 Segunda Nesses dois dias fomos ao centro de Berlin de metrô (também muito fácil de se locomover). Visitamos as principais atrações (Reichstag, Portão de Brandeburgo, Checkpoint Charlie, torre de TV, etc). A cidade é muito organizada, imponente, bonita, possui museus de qualidade... mas não criou aquela sensação de “UAU!” como várias outras cidades criaram durante essas férias... É uma bela cidade para se conhecer, mas não foi a nossa preferida como pensei que seria durante o nosso planejamento da viagem. Talvez o fato de haver obras por todo lado da cidade tenha contribuído para esta nossa percepção, tenha tirado um pouco do charme, mas sem dúvidas é uma cidade que deve estar no roteiro de quem passa pela Alemanha. No segundo dia pela manhã, pegamos o carro e fomos a Potsdam. Fomos em Sanssouci (que também estava em obras) e visitamos seu jardim. Depois passamos no Designer Outlet Berlin, fizemos algumas compras e seguimos novamente para o cetro de Berlin. Retornamos ao Hotel tarde da noite para descansar e se preparar para o dia com o maior número de KM a serem percorridos. Dia 18 - 20/03 Quarta Este foi o dia mais puxado da viagem. Saímos cedo do Hotel em direção a Amsterdã. Foram 8:00hs horas de viagem. Iríamos chegar em Amsterdã cedo, por volta das 15hs, então resolvemos ir para Zaanse Schans, que é uma belíssima aldeia holandesa, repleta de moinhos típicos e com uma fábrica de queijos SENSACIONAL (Catharina Hoeve). Foi mais uma escolha acertada que fizemos, já que se tivéssemos ido para o Hotel, com certeza iríamos dormir. Passeamos até anoitecer pela cidade e saímos de lá com várias bolsas de souvenir, além de muitas peças de queijo de vários tipos que trouxemos para o Brasil. Um fato que chamou atenção aqui foi que deixamos o carro no estacionamento do Zaans Museum. Ao retornarmos ao veículo para ir embora, não havia onde realizar o pagamento do ticket pois estava tudo fechado. Rodei tudo ali para fazer o pagamento e não encontrei nenhuma máquina, foi quando eu li atrás do ticket que após as 17hs, bastava passar o ticket pela cancela que ela abriria.... Já era noite quando seguimos para o New century hotel. Escolhemos este hotel pelo fato de ter estacionamento grátis e ter um preço acessível em relação aos Hoteis do centro. Mais uma escolha correta no nosso ponto de vista, já que foi muito fácil e barato ir para o Centro dali. Dia 19 - 21/03 Quinta Aqui é um exemplo de como o governo pode contribuir para desafogar o trânsito das grandes cidades com inteligência. Para economizarmos com o estacionamento contribuir com o trânsito da cidade, utilizamos o sistema de P+R (Park & Ride) que consiste em deixar seu veículo em um dos estacionamentos conveniados, ir de transporte público para o centro, voltar e pagar um valor baixo por isso. Então deixamos nosso carro no P+R Olympisch Stadion, onde por 5 euros compramos dois tickets para o bonde (ida e volta) para o centro e ao retornar para retirar o carro a noite, pagamos somente mais 1 euro (o carro ficou estacionado ali o dia todo!), ou seja, o custo total foi de por 6 euros para duas pessoas! Vale ressaltar que você precisa validar o ticket na entrada e na saída do transporte público para poder ter o desconto no estacionamento. Meu coração gelou quando coloquei o ticket de estacionamento na máquina para validar e apareceu mais de 50 euros a pagar... mas quando eu encostei o ticket validado do bonde, o valor caiu para 1 euro a pagar... Pensa na satisfação de ter feito tudo certinho... Obs: Eu havia programado para deixar o carro no P+R Amsterdam RAI, mas na data em que estávamos lá havia um evento no centro de convenções e ele estava fora o P+R estava fora de operação. Então fomos para o mais próximo que era o Olympisch Stadion. Amsterdã é uma cidade muito agradável para passear... flanamos muito pela cidade, fizemos o passeio de barco pelos canais, comemos croquetes e batata frita, se perdemos entre os canais, quase fomos atropelados por bicicletas várias vezes, comemos batata frita e croquetes, estanhamos as mulheres nas vitrines do Red Light District (haviam algumas ali que deveriam pagar e não receber dinheiro dos clientes...), comemos croquetes sem batata frita, visitamos museus, comemos uma torta de maçã na Winkel 43, não necessariamente nesta ordem... Enfim, “turistamos” bastante pela cidade que ficou marcada em nosso coração. Dia 20 - 22/03 Sexta A parte da manhã ficou reservada para visitar o parque Keukenhof. Levamos 30 minutos para chegar lá e ficamos impressionados com a organização, cuidado e limpeza do parque que é imenso e faz jus ao título de maior jardim de flores do mundo. Como era o início de temporada, muitas flores ainda estavam fechadas, mas ainda assim o parque é lindo! Acredito que a melhor época de se visitar o parque seja no meio de abril, quando todos os bolbos devem estar completamente abertos. Almoçamos no parque e como estava sol e já tínhamos visitado o parque todo, resolvemos ir a praia em Noordwijk para conhecer, já que era ali perto... andamos uns 20 minutos de carro, passando por várias plantações de tulipas... Ao chegar chegar próximo ao litoral, dava até medo, parecia que os “vagantes brancos estavam chegando”... uma neblina densa, que não dava para ver 5 metros a frente... É impressionante a diferença de clima entre dois lugares tão próximos... e mesmo assim várias pessoas caminhando pela areia, crianças encasacadas brincando na areia... Foi ali que eu experimentei o kibbeling, que é um bacalhau fresco empanado (e que bacalhau) com molho tártaro, que delícia!!! Deu vontade de voltar lá só de falar... Não deu para ver muita coisa na praia. Ficamos ali por umas 2hs e depois voltamos para o centro de Amsterdã. Novamente deixamos o carro no P+R e seguimos de bonde para o centro para completar o passeio pela cidade. Dia 21 - 23/03 Sábado Tomamos café no McDonalds ao lado do Hotel e seguimos para Bruges. Pegamos uma estrada interditada no meio do caminho e o GPS não nos deu outra rota... nos enrolamos um pouco para contornar a via fechada que não estava bem sinalizada, mas deu tudo certo... em 3 horas chegamos. Deixamos o carro na rua mesmo (mas tinha parquímetro e tivemos que pagar 6 euros), perto do centro histórico. Bruges é mais uma daquelas cidades “imperdíveis”. Linda em todos os ângulos. Além de bonita, em vários pontos é muito cheirosa... As fábricas/lojas e chocolates perfumam a região onde estão localizadas... são muitas, com chocolates de todos os tipos, formas e para todos os gostos... Passeamos bastante pela cidade, fomos ao Grote Markt, Campanário, passamos pela praça Burg, seguimos para Basílica do Sangue Sagrado, Igreja de Nossa Senhora, Ponte de São Bonifácio, etc... À noite, quando a fome bateu, jantamos no Restaurante Italiano La Bruschetta. Um restaurante de qualidade com preço justo. Neste dia dormimos em Bruges, na Guesthouse De Vijf Zuilen. Nos surpreendemos com a recepção calorosa, carinho e a vontade de servir da proprietária Ginette. Ela realmente gosta do que faz e gosta de pessoas... O estabelecimento é um charme, repleto de detalhes e muito confortável. Possui estacionamento privado e o café da manhã é fantástico. Tudo feito com muito carinho, pensando no bem-estar dos hóspedes. Recomendo muito o estabelecimento .... Dia 22 - 24/03 Domingo Saímos de Bruges e passamos na cidade de De Haan que fica no litoral para conhecer a praia. Depois seguimos para Gent, que fica há 40 minutos de carro, e passamos o dia lá. Deixamos o carro no Parking Sint-Michiels (P7) que ficar pertinho do centro. Subimos na torre do campanário (é legal ver como funciona os sinos, além da bela vista que você tem lá em cima), nos perdemos nas ruas da cidade... O tempo estava bom e foi um belo passeio de domingo. Fomos para o centro de Bruxelas ao anoitecer, deixamos o carro no estacionamento privado próximo a Grande Place e ficamos ao redor dali. Conhecemos alguns pontos turísticos da cidade, experimentamos as famosas batatas belgas e no fim do dia seguimos para Anderlecht, onde ficava nosso hotel. Nos hospedamos no Budget Flats Brussels, que tem um bom custo benefício. O problema foi ter saído de uma hospedagem tão calorosa para uma tão impessoal. O quarto é bem simples, mas confortável. Tem frigobar e o estacionamento é gratuito na rua, mas sempre havia vaga em frente ao hotel. Dia 23 - 25/03 Segunda Voltamos ao centro de Bruxelas para terminar de conhecer os pontos turísticos da cidade. Conseguimos fazer tudo em um dia. Acho que a ordem dos fatores aqui influenciou em nossa opinião. Depois de passar em Bruges e Gent, Bruxelas ficou meio “sem graça”. Não que a cidade não valha a visita, mas em nossa opinião ficou bem aquém das outras duas... Dia 24 - 26/03 Terça Na programação inicial ficaríamos esse dia em Bruxelas e a noite seguiríamos para Paris. Como já tínhamos feito o que queríamos em Bruxelas, mudamos o plano. Saímos cedo do Hotel e seguimos para a Disney Paris. Conseguimos chegar lá antes do parque abrir e estava bastante frio. Compramos o ingresso para visitar os dois parques no mesmo dia. Foi uma boa experiência e os parques estavam relativamente vazios, então conseguimos ir em todos os brinquedos que queríamos. Os parques são bem pequenos e se você chegar cedo, em época fora de férias, consegue fazer os dois sem maiores problemas. Agora, não vá pensando que são os parques de Orlando. Sentimos muita diferença no tratamento com as pessoas e até no cuidado com o Parque. O que achamos melhor que o de Orlando foi o show de encerramento, e só. Depois do encerramento do parque, seguimos para o apartamento que alugamos pelo Airbnb. Um Studio relativamente grande para duas pessoas, com cozinha, metrô próximo e o motivo de termos escolhido ele: Garagem privada já inclusa no preço. Dia 25 e 26 – 27 e 28/03 Quarta e Quinta Deixamos o carro na garagem do apartamento os dois dias já que andar de carro em Paris é uma loucura e nos locomovemos de metrô (A estação mais próxima era a Convention, que ficava a menos de 5 minutos de caminhada). Como já era a nossa segunda visita em Paris, nestes dois dias ficamos flanando pela cidade, passeando sem rumo, vivendo como verdadeiros parisienses. Foram dois dias perfeitos, de clima bom e muita andança. Infelizmente não conseguimos subir na Notredame, que seria consumida pelo fogo poucos dias após a nossa visita. Aqui, como já conhecíamos a cidade, constatamos como a situação dos imigrantes prejudicam as grandes cidades (Berlin e Bruxelas também sofrem com isto). A quantidade de pedintes nas ruas aumentou muito, em todos os pontos turísticos que fomos. Na saída do Louvre vimos 4 caras “tomando” os ingressos usados de um grupo de asiáticos que saia do museu (na saída da rua próximo a pirâmide). Ficamos pasmos com aquilo e falamos com o segurança e disse que não poderia fazer nada já que eles estavam na rua e o governo havia permitido que eles entrassem no país. É muito triste ver isto acontecer em plena luz do dia, em um local muito movimentado, sem ter policiamento. O pior é que eles utilizam aqueles ingressos usados para vender aos desinformados na fila da bilheteria do Louvre. Dia 27 - 29/03 Sexta Saímos cedo do apartamento e seguimos para Luxemburgo. Demoramos em torno de 4 horas para chegar ao destino e passamos o dia na Capital que tem o mesmo nome. Deixamos o carro em um dos estacionamentos da cidade (Monterey Parking) e seguimos a pé para conhecer a cidade, que é linda, apesar de ter obra por todos os lados. Passeamos pelo centro da cidade, fomos nas Bock Casemates, na Catedral de Notredame e outros pontos turísticos da cidade. É impressionante como ali, apesar de ser uma capital, não tem aquela correria de cidade grande. No início da noite, seguimos viagem para Bonn, na Alemanha. Dorminos no Dorint Venusberg Bonn que é um ótimo Hotel, com instalações modernas e confortáveis. Dia 28 - 30/03 Sábado Tomamos café e fizemos check out no Hotel cedo. Fomos conhecer a que seria a rua mais bonita do mundo (Rua Heerstrasse), mas infelizmente nos atrasamos alguns dias. As flores das cerejeiras já haviam caídos e a rua estava longe da beleza que vimos nas fotos. Depois fomos para o centro e depois visitamos o Castelo do Dragão em Königswinter. Após o Almoço seguimos para o Aeroporto de Frankfurt para pegar nosso voo de volta para o Brasil. Chegamos no aeroporto e o processo de devolução do veículo foi bem rápido de tranquilo. Usamos novamente o beneficio do cartão e acessamos a LuxxLounge. A sala estava bem vazia e de prato quente do Buffet eram as famosas salsichas alemãs com molho Heinz. A vantagem é que a sala oferecia serviço de ducha para quem quisesse tomar banho, o que foi uma vantagem para nós que saímos cedo do Hotel. As 19:45hs pegamos nosso voo de retorno para casa, sem atraso. Dia 29 - 31/03 Domingo O Voo foi tranquilo e chegamos no horário em Guarulhos. Fomos para a Localiza pegar o carro que alugamos para irmos para casa. O processo foi bem rápido e nos foi oferecido o Prisma LT 1.4 com a mesma tarifa da vinda (R$65,63). Saímos da Localiza quase as 5 da manhã. Fomos para cara extremamente cansado, mas muito felizes por que conseguido realizar mais um sonho e ter dado tudo certo na viagem! Devolvei o carro na localiza próxima a minha residência e assim terminaram nossas férias 2019. Algumas dicas gerais em relação a viagem: · Se for utilizar uma Autobahn, jamais dirija na esquerda e somente a utilize para realizar ultrapassagens. O povo alemão é muito disciplinado e durante toda viagem não vi eles ultrapassarem ninguém pela direita. Se você estiver andando mais lento e estiver na faixa da esquerda, eles ficam atrás, esperando você se “mancar” e sair da frente. · Os banheiros nas paradas das rodovias são pagos em sua maioria. Geralmente te devolvem todo valor ou parte dele para consumo. Uma forma de economizar é usar as paradas para caminhoneiros, lá o banheiro é limpo e grátis (todos que parei eram assim). Tem muitos pelo caminho, geralmente entre as paradas pagas. · Se for período de neve e o carro não tiver nenhum equipamento para remoção da mesma, compre no primeiro posto que você encontrar. Não dá para retirar a neve dos vidros sem a ajuda de uma pá ou algo similar. · Caso queira consumir algo quando for abastecer, após encher o tanque, vá no caixa, pague pelo combustível utilizado, volte na bomba, retire seu carro para liberar a mesma e estacione na área apropriada para isto. Não deixe seu carro na bomba e vá lanchar por exemplo.... · Nem toda Autobahn é sem limite de velocidade. Atenção a sinalização... Em vários trechos o limite de velocidade cai de repente, assim como aumenta do nada.... As vezes é um pequeno trecho de 1km com limite de 130km ou 90km entre dois trechos sem limite de velocidade. · Sempre que possível, se não estiver com pressa, utilize as vias internas ao invés da Autobahn. A paisagem compensa... · O trânsito nos países ao redor da Alemanha não é tão organizado quanto lá, apesar das pistas serem tão boas quanto. · Utilizei cartão de crédito em praticamente toda a viagem e não tive problema em nenhuma cidade por não aceitar o mesmo, mesmo no interior. · Estando de carro, vale muito a pena se hospedar em cidades próximas aos grandes centros. Você economiza uma boa grana com hospedagem e ainda fica em bons hotéis. · Vale muito a pena sair já com um chip internacional daqui. Evita todo transtorno de busca de loja e ativação. É plug and play... Mesmo sendo relativamente um pouco mais caro. · Se você mora em SP ou em alguma outra grande cidade do Brasil, ao retornar de uma Road Trip pela Alemanha, com certeza você irá precisar de um calmante para enfrentar o trânsito da sua cidade. A diferença é muito grande na forma de dirigir. Não digo isto pela quantidade de carros, engarrafamentos, etc. e sim pelo respeito ao próximo. Chega a ser revoltante... · Se você curte visitar igrejas como nós, saiba que em todas as cidades que passamos havia pelo menos uma igreja católica. Visitamos todas que encontramos, uma mais bonita que a outra... Agora é começar a planejar as férias de 2020.....
  6. Estarei indo para o Atacama entre os dias 23 e 27/07/2019, se alguém estiver interessado em dividir o aluguel do carro e gasolina e só chamar para combinar. Já temos um roteiro para fazer por conta própria, vamos estar em duas pessoas.
  7. Estarei indo para o Atacama entre os dias 23 e 27/07/2019, se alguém estiver interessado em dividir o aluguel do carro e gasolina e só chamar para combinar. Já temos um roteiro para fazer por conta própria, vamos estar em duas pessoas.
  8. Pessoal, to fazendo esse post pois cansei da tamanha desinformação que encontro na internet a respeito dos itens obrigatórios exigidos nos carros em alguns países da América do Sul. Já fui parado pela polícia argentina em diferentes estradas mais de 20 vezes, portanto vou falar principalmente da Argentina, mas o procedimento vale para qualquer país. Primeira coisa: NÃO acredite em blogs de viagens e nem nos consulados de alguns países estabelecidos aqui no Brasil, se você quer saber o que é obrigatório ou não para o seu carro brasileiro circular em outros países, procura no Google por Ley de Tránsito + o país desejado + o ano vigente se deseja procurar o mais atualizado, apenas isso já abre um leque de informações, e todas oficiais do governo ou orgão responsável de cada país já na primeira página. Digo isso pois aqui no Brasil eles estão de sacanagem ou brincadeira com a população; se você acessar o site do Itamaraty do governo brasileiro, que sobre a Argentina está super desatualizado, você encontrará como item obrigatório a lendária mortalha (lençol ou sabana em espanhol, pra cubrir morto), que sempre foi um mito, aparentemente muito tempo atrás em algumas províncias isso constava como obrigatório, e dos anos 90 pra cá passou a ser usado pelos policiais corruptos como forma de extorquir o motorista argentino e estrangeiro. O portal G1 informando a população que cambão é obrigatório para circular na Argentina, e um monte de baboseira que já ví por aí. Agora recentemente (Junho 2019), mandei e-mail para diversos consulados argentinos aqui no Brasil (SP, RJ, Curitiba, Porto Alegre, Uruguaiana, Foz do Iguaçu) perguntando quais itens eram obrigatórios para o meu carro brasileiro poder circular na Argentina, e TODOS, todos os consulados me responderam prontamente em até 24h com diferentes anexos (pdf e doc) que o cambão e kit primeiros socorros eram obrigatórios junto com o extintor e dois triângulos. Eu argumentei de volta com todo meu conhecimento adquirido com as viagens e com o link oficial do governo argentino com a Ley Nacional de Tránsito 24449 Artículo 40, onde informa que apenas extintor (matafuego) e dois triângulos (dos balizas de sinalizacíon) eram obrigatórios, além claro, do encosto de cabeça para todos os passageiros presentes e a carta verde pra estrangeiro. Não consta nada de obrigatório o cambão (linga, cable de remolque ou barra de tiro que eles chamam) e nem kit primeiros socorros (botiquín de primeros auxilios). E NENHUM consulado me respondeu mais, parece que não estão interessados em passar as informações corretas a população. Em todas as vezes (2016 e 2018) nenhum policial argentino me solicitou cambão e kit primeiros socorros, apenas carta verde e extintor. Certa vez perguntei a um policial sobre o cambão e kit primeiros socorros e ele me disse que é recomendado, e não obrigatório. Depois conversando com alguns argentinos deu pra entender melhor, entre eles esses itens são bastante recomendado no trânsito, e entre os próprios argentinos há também aqueles que acham que são obrigatórios justamente pela tamanha desinformação e o famoso boca a boca. Portanto, se não está na lei não é passível de multa. No caso de ainda encontrar policiais corruptos exigindo qualquer item sem estar na lei, faça-o confeccionar a multa, não tem essa de pagar na hora só pra se livrar do problema e seguir viagem. Se você realmente estiver errado, no caso de uma multa por falta de extintor ou extintor vencido por exemplo, o procedimento de pagar a multa na hora com desconto é uma ação verídica e praticada legalmente entre os oficiais de trânsito na argentina, cabe a você escolher pagar na hora com desconto ou receber o ticket com o valor integral para pagar no Banco de LaNacion. As famosas histórias dos policiais corruptos se concentra basicamente nas províncias de Entre Ríos, Corrientes e Misiones, que são aqui próximos a fronteira do Brasil, Uruguay e Paraguay. Atualmente a prática tem diminuído bastante, o próprio governo argentino já é ciente da situação, alguns jornais locais como El Clarín já desmascarou esse problema, e ferramentas como o formulário de incidente do Ministério das Relaciones Exteriores y Culto enviado no post anterior pelo eniobeier, ajudam o cidadão comum. Em minha última passagem por lá (Dezembro 2018) fui de Uruguaiana a Mendoza, e Mendoza a Dionísio Cerqueira, notei vários policiais camineros bem novos, inclusive mulheres, e todos foram cordiais e apenas solicitaram o que estava na lei. Essa renovação na polícia caminera já estão vindo ciente de seus antepassados corruptos e a mudança para melhor é bastante significativa. Agora em Julho 2019 estarei fazendo Dionísio Cerqueira a Bariloche, percorrendo toda a Ruta14, se algum policial me permitir, irei gravar um vídeo com ele explicando o que é obrigatório ou não nos carros, aí quem sabe só assim para pararem de passar informações errôneas nos blogs de viagens e consulados. Enfim, pra resumir; Trânsito na Argentina: Ley 24449 Artículo 40 Extintor com validade, dois triângulos (se precisar usar no acostamento tem que usar um atrás do carro e um na frente do carro), encosto de cabeça para os passageiros e Carta Verde para estrangeiros. Ao se deparar com policial corrupto, procedimento é o seguinte: Leve a Ley de Tránsito impressa e argumente com o policial, seja cordial sempre. Mostre que você entende das coisas, se ele te pedir kit primeiros socorros diga que ele é obrigatório no Uruguay para todos os carros e no Chile apenas para veículos de carga e transporte, na Argentina não é obrigatório em nenhum carro, apenas recomendado. Se ele te pedir o cambão, diga também que não consta na Ley de Tránsito que você está segurando ali na mão. O policial corrupto irá querer dinheiro na hora, diga que tem Pesos somente para o pedágio (peaje) e que está viajando somente com cartão de crédito (tarjeta). Se ele insistir na multa corrupta, peça-o que confeccione o ticket e diga que você irá recorrer, e apresente o formulário de incidente para que ele anote suas credenciais e dados da multa, ele vai acabar cedendo pois seu trabalho estará em risco. Se a multa vier por radar móvel (eles operam em um lugar com radar móvel e um pouco a frente outro policial te pára pois recebeu um walkie talkie que você estava acima da velocidade, isso é comum em pequenas cidades e vilarejos ao longo da estrada, onde toda a estrada é 100km e somente próximo alguma entrada de vilarejo tem uma única placa de velocidade a 60km e se você passar acima disso vão te pegar), peça a contraprova da velocidade se você achar que não estava acima da velocidade, se eles não tiverem a prova peça para confeccionar a multa e você irá recorrer. O procedimento de pagar na hora a multa com desconto é opcional, faça isso somente se você tiver certeza que está errado. No geral, seja qualquer País em que for visitar, minha dica é; sempre desconfie de informações em blogs de viagens, seja auto critico em relação a informações que consulados e outros órgãos te passam. Sempre busque na internet informações direto na língua do país desejado, pesquise em sites oficiais do governo, seja o assunto trânsito ou qualquer outra coisa. Na normativa do Mercosul é explicado que os carros estrangeiros em circulação em outro país do Mercosul, deve seguir as leis de trânsito do país vigente, então o que vocês estão procurando em blogs de viagens e no boca a boca? Procura a Ley de Tránsito de cada país, verifica se é válido por todo o país ou província/estado tem divergências, traduza no Google Tradutor se não souber ou não ter certeza, e seja feliz viajando corretamente e sem gastos extras. Vou deixar em anexo um email da Seguridad Vial, orgão oficial de trânsito da Argentina, me respondendo quando questionei sobre o cambão e kit first aid. Abaixo mais algumas imagens, da Ley 24449 em sí e do site do governo mostrando quais províncias aderiram a Ley Nacional de Trânsito. Aqui deixo o pdf da Ley atualizado e o mesmo formulário de incidente do post anterior: Ley 24449 a febrero 2019.pdf form_argentina-incident report (1).pdf
  9. Todos os Consulados Argentinos aqui no Brasil estão repassando informações erradas sobre o trânsito na Argentina, para mais informações acesse o post abaixo; https://www.mochileiros.com/topic/86202-leis-de-trânsito-américa-do-sul-argentina-chile-uruguai-bolívia-peru-colômbia/
  10. Olá Pessoal, tudo bem? Gostaríamos de sugerir a vocês o aplicativo WikiRota para auxiliar no planejamento da viagem. O que oferecemos: - Pedágios que estão no seu percurso, com a posição real no mapa - Distância a ser percorrida - Tempo da sua viagem - Possibilidade de calcular a viagem de ida e volta - Valor total da sua rota - Calcular a rota com até 21 destinos- Calcular a rota com até 21 destinos - Alterar a rota no próprio mapa - Incluir Custo Adicional no total calculado. O WikiRota está disponível para iOS e Android. Ah, temos também o nosso site que faz os mesmos cálculos que o app: https://www.wikirota.com Abs, Equipe WikiRota
  11. Olá Pessoal, tudo bem? Gostaríamos de sugerir a vocês o aplicativo WikiRota para auxiliar no planejamento da viagem. O que oferecemos: - Pedágios que estão no seu percurso, com a posição real no mapa - Distância a ser percorrida - Tempo da sua viagem - Possibilidade de calcular a viagem de ida e volta - Valor total da sua rota - Calcular a rota com até 21 destinos- Calcular a rota com até 21 destinos - Alterar a rota no próprio mapa - Incluir Custo Adicional no total calculado. O WikiRota está disponível para iOS e Android. Ah, temos também o nosso site que faz os mesmos cálculos que o app: https://www.wikirota.com Abs, Equipe WikiRota
  12. No dia 01 de Março de 2016, eu e minha esposa iniciamos a nossa viagem ao estado do Pará, mas precisamente à cidade de Sta Izabel do Pará, partimos de São Gonçalo no estado do Rio de Janeiro, foi um planejamento de alguns meses e também pedindo a Deus que nos abençoasse nesta viagem. Como era a nossa primeira viagem de carro deste porte em torno de 3100 km. Consultamos aqui no mochileiros.com algumas pessoas que já tinham feito viagens longas. Fizemos o planejamento e quando foi no dia 01 de Março de 2016, partimos às 6:00 hs para o estado do Pará. O nosso carro é um Gol 1.0 (8v) ano 2003/2004 com GNV. A minha preocupação era justamente viajar num gol 1.0 . Mas este gol que esta conosco até hoje nos levou e nos trouxe tranquilamente, graças a Deus. Foram 4 dias para ir, pois tivemos que passar ainda em Goiânia na casa do meu cunhado. o nosso trajeto foi bem conhecido, pegamos a BR 040 até Brasília, ou melhor até Luziânia-GO. Depois pegamos a BR-153 ( Anápolis - Belém). Essa estrada precisa de um certo cuidado, pois tinha alguns trechos com buracos. Mas deu para ir tranquilo. Agora, para dormir a noite, dormíamos no carro, em postos de Gasolina de bandeira. Gente valeu a pena !!! Como o meu carro tem GNV, então até BH, eu fui utilizando o GNV para dar um certa economia. Esperamos que este relato, sirva de incentivo para você que tem vontade de viajar. Um grande abraço, fiquem com Deus. Casal : Jairus e Rosa Maria
  13. Olá amigos da comunidade Mochileiros.com. Aqui é o Thiago e a Priscila. Nós moramos na cidade de Blumenau-SC. Em dezembro de 2018 fizemos nossa viagem de carro até San Pedro de Atacama no Chile. A comunidade mochileiros.com nos ajudou bastante, pois no site conseguimos várias dicas e conhecemos outras pessoas que também nos ajudaram com informações. Por esse motivo queremos compartilhar nossa experiência. E quem sabe poder ajudar ou até mesmo encorajar outras pessoas a saírem do sofá e encarar essa aventura. Para realizar esta viagem primeiro nós fizemos algumas pesquisas, como por exemplo: documentos necessários, seguros obrigatórios, melhor roteiro, condição das estradas, hotéis, pontos turísticos, custo com passeios, custo com alimentação, custo com gasolina, custo com pedágios, melhor câmbio, o que levar na bagagem, etc. Juntamos todas essas informações numa planilha e então começamos a trabalhar nela. Então no mês de Setembro/2018 começamos a fazer as contas e preparar tudo o que precisava para viajar. Nessa primeira parte vamos tentar abordar o máximo de informações com relação ao roteiro, situação das estradas, GPS, câmbio, aduanas, seguros, itens obrigatórios, pedágios e combustível. Na segunda parte vamos falar um pouco sobre San Pedro de Atacama e sobre os nossos passeios. Então vamos ao que interessa: Nessa viagem foram 04 pessoas: Eu (Thiago), minha esposa Priscila, meu Pai e a namorada do pai. Saída de Blumenau: 22/12/2018. Chegada em San Pedro de Atacama: 25/12/2018. Saída de San Pedro de Atacama: 31/12/2018. Chegada em Blumenau: 03/01/2019. Carro utilizado: Peugeot 207, ano 2012. Motor 1.4, c/ 04 portas. Roteiro/Condição das estradas/Pedágios: Dia 01 - Blumenau - SC x São Borja - RS. Total: 860 Km. Esse caminho é o mais curto, porém tem muitos trechos com pista ruim (buracos, desníveis, etc.), além disso tem muitos radares e lombadas eletrônicas. O motorista tem que ficar atento. Pedágios: Nenhum. Dia 02 - São Borja-RS x Presidência Roque Sáenz Peña - Argentina. Total: 620 Km. As estradas são boas, pelo menos são melhores que do que as do Brasil. Pedágio 01: logo que passa a Aduana, já tem um guichê de pedágio. Valor pago em moeda brasileira: R$ 50 para veículos de passeio. (na volta ao Brasil, o valor é R$ 65) Pedágio 02: RN-12 aprox. no Km 1262. Valor: 50 Pesos Argentinos. Pedágio 03: RN-16 aprox. no Km 05. Valor: 40 Pesos Argentinos. Pedágio 04: RN-16 aprox. no Km 60. Valor: 65 Pesos Argentinos. Dia 03 - Presidência Roque Sáenz Peña (Argentina) x Salta (Argentina). Total: 630 Km. As estradas também são muito boas. Observação: na RN-16, entre os KM 410 e 481 a estrada é "horrível". Tem muitos buracos. Buracos gigantes. Você vai perder tempo desviando deles. Pedágios: RN-09 chegando na cidade de Salta. Valor: 25 Pesos Argentinos. Dia 04 - Salta (Argentina) x San Pedro de Atacama (Chile). Total: 580 Km. As estradas também são muito boas. Observação: Nós usamos o caminho Paso de Jama, que é melhor, pois é todo asfaltado até San Pedro de Atacama. Pedágios: Nenhum. *Na volta pra casa fizemos o mesmo trajeto. Hospedagem: Dia 01 - Dormimos na casa de parentes. Não tivemos gastos com hospedagem nesse dia. Dia 02 - Ficamos hospedados no hotel de campo El Rebenque, que fica na cidade de Presidência Roque Sáenz Peña (Argentina). Dia 03 - Ficamos hospedados no hotel Pachá, que fica na cidade de Salta (Argentina). Dia 04 - Ficamos hospedados no hostal Casa Lascar, que fica em San Pedro de Atacama (Chile). Aqui dormimos dia 25, 26, 27, 28, 29 e 30 de dezembro/2018. *Na volta pra casa ficamos nos mesmos hotéis. Câmbio: Peso Argentino: nós trocamos todo o dinheiro brasileiro por Peso Argentino na aduana, que fica logo depois da Ponte internacional, saindo de São Borja-RS. Valeu muito a pena trocar o dinheiro na aduana, pois pagamos 0,10 por cada Peso Argentino. Já em Blumenau a melhor taxa que encontramos foi 0,15. Comparação de preços Blumenau x Aduana Argentina: R$ 1 Mil reais trocados em Blumenau valem: 6.666 Pesos Argentinos (sendo: 1000 / 0,15) R$ 1 Mil reais trocados na Aduana valem: 10.000 Pesos Argentinos (sendo: 1000 / 0,10) Peso Chileno: nós trocamos R$ 1 Mil (reais) em Pesos Chilenos aqui em Blumenau, para ter um pouco de dinheiro na chegada à San Pedro de Atacama. O restante do dinheiro brasileiro nós trocamos em San Pedro de Atacama. Trocar o dinheiro em San Pedro valeu muito a pena, pois recebemos 170 Pesos Chilenos por cada R$ 1,00 (Real). Já em Blumenau a melhor taxa que encontramos foi de 154 pesos Chilenos por cada R$ 1,00 (Real). Comparação de preços Blumenau x San Pedro de Atacama: R$ 1 Mil reais trocados em Blumenau valem: 154.000 Pesos Chilenos (sendo: 1000 x 154) R$ 1 Mil reais trocados em San Pedro de Atacama valem: 170.000 Pesos Chilenos (sendo: 1000 x 170) *Compare antes de trocar seu dinheiro. Combustível / Postos de abastecimento: Na Argentina tem dois tipos de gasolina: a Super (comum) e a Infinia (aditivada). Infinia: variava de 45 a 48 pesos. Super: variava de 41 a 44 pesos. *Abastecemos com gasolina Infinia nos Postos YPF. *No Chile não abastecemos, por isso não informamos os tipos e preços que existem. Na Argentina tem muitos postos de abastecimento durante o trajeto. O último posto fica bem próximo da Aduana, no Paso Jama (divisa entre Argentina e Chile). Depois da Aduana não tem mais posto durante o caminho. Vai ter um posto somente em San Pedro Atacama (distância entre Aduana e San Pedro Atacama: 160 KM aprox.) GPS: Nós utilizamos dois aplicativos de geolocalização: o Google Maps e o Maps.me. Levamos dois Smartphones, em um deles usamos o Maps.me e no outro com Google Maps. Antes de sair nós fazíamos os trajetos pela rede WiFi e depois saíamos para a estrada. Os dois aplicativos funcionaram muito bem no modo off-line. Dica: o aplicativo Maps.me funciona totalmente no modo off-line. Para isso é necessário baixar os mapas off-line da região que você vai passar. Exemplo: nós baixamos todos os mapas da Argentina, do Chile e também dos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Seguros obrigatórios para seu carro: Na Argentina: seguro Carta Verde. Você pode fazer em qualquer corretora de seguros. Ele cobre danos a terceiros em caso de acidentes. Nós fizemos o seguro com a Porto Seguro, com a cobertura de até 15 dias. Custo: R$ 125. Débito em conta corrente. No Chile: seguro SOAPEX. Você pode fazer este seguro com a HDI do chile. Só digitar no Google "HDI Chile". Ele cobre danos a terceiros em caso de acidentes. Nós fizemos o seguro direto no site da HDI Chile, com a cobertura de até 10 dias. Custo: R$ 40. Pagamento somente no cartão de crédito. *Veja se o seu cartão está liberado para realizar esta compra. Observação: em nenhum momento a polícia ou aduana nos cobrou esses documentos. Seguros para você: Nós optamos por não fazer nenhum seguro de vida ou de acidente. Mas as empresas de seguro oferecem inúmeras modalidades. Avalie a que melhor se enquadra com seu bolso. Itens obrigatórios para o carro: Na Argentina: Vários blogs e pessoas nos disseram que teríamos que levar um monte de coisas no carro. Então nós entramos em contato com o departamento de trânsito da Argentina e também com o consulado Argentino no Brasil que fica em Florianópolis. Segundo eles, os itens obrigatórios são: - 01 Extintor de incêndio (exceto em motos); - 02 triângulos de segurança; - Além dos demais exigidos no Brasil (pneu estepe, chave de rodas e macaco). E tem também os itens recomendados: (notem que são recomendados, não obrigatórios) - Kit de primeiros socorros; Portanto, não é obrigatório levar o tal do "cambão", que muitos blogs informam ser obrigatórios. No Chile: Considerar todos os itens obrigatórios citados acima. E no Chile todos os motoristas são obrigados a ter no carro um "colete refletivo". Caso o motorista precise sair do carro para alguma manutenção ou emergência ele precisa estar vestindo o colete. Isso é LEI NACIONAL. Na dúvida leve um colete também. Observação: Na Argentina fomos parados diversas vezes pela polícia. Em quase todas as cidades que passamos ao longo do caminho a polícia nos parava para solicitar algum documento. Algumas vezes eles pediam os documentos de identidade e do carro. Em outras eles faziam o teste de bafômetro. Mas em nenhum momento a polícia precisou revistar o nosso carro. No Chile não fomos abordados. Aduana Brasil x Argentina: Muito tranquilo. O atendente solicita os documentos do carro e identidades. Preenche um formulário no computador. Por último entrega um recibo (parecido com um cupom fiscal de mercado). Este recibo precisa ser bem guardado, pois ele será útil na Aduana Argentina x Chile. Não tem custo. Aduana Argentina x Chile: chato/demorado (pode ter fila e os atendentes são malas) A Aduana que nós passamos foi no Paso Jama. Tem 06 guichês. É necessário preencher um formulário em espanhol. Nesse formulário tem uma parte que fala se você está levando algum alimento que é "proibido". Após passar em todos os guichês eles entregam um recibo (parecido com um cupom fiscal de mercado). Este recibo precisa ser bem guardado, pois ele será útil na Aduana Chile x Argentina. Comidas não podem passar. Exemplo: frutas, verduras, carnes, lanches, etc. Tudo que é animal ou vegetal fica na Aduana. Alimentos processados passam. Alegação deles é que pode haver alimentos contaminados ou pragas. Se no formulário estiver a opção NÃO, mas na hora de revistarem o carro eles encontrarem alguma coisa, você leva uma multa. Após sair dos guichês vem um fiscal da vigilância sanitária e inspeciona o carro. Só depois de inspecionar o carro você está livre para seguir viagem. Não tem custo. *Na volta pra casa é necessário fazer tudo de novo, porém a vigilância sanitária não revistou o carro dessa vez. Espero que tenham gostado dessa primeira parte. Se tiverem algum comentário ou dúvidas por favor nos retorne. Um abraço.
  14. Boa tarde amiguinhos, gostaria de saber qual a melhor rota RJ x Foz pra quem utiliza gnv como principal combustível. E qual o gasto aproximado com pedagiopedágio? Grata.
  15. Olá pessoal, após a leitura de muitos relatos de viajantes que foram ao Peru de carro ou moto e não tiveram maiores problemas, decidimos encarar uma viagem de carro até lá. Foram alguns meses de preparativos até a definição do roteiro final (que alteramos pouca coisa no decorrer da viagem), no qual pretendíamos visitar os principais pontos turísticos acessíveis com o nosso veículo, procurando realizar uma viagem econômica mas sem passar apertos. Decidimos ir pelo norte da Argentina e norte do Chile, assim passamos novamente por locais já visitados na viagem que fizemos em 2012 ao Atacama http://www.mochileiros.com/atacama-de-carro-video-com-a-filmagem-completa-da-estrada-pelo-paso-de-jama-t75603.html. Dentre os principais objetivos da viagem estavam: Salta, Tilcara, San Pedro de Atacama, Antofagasta, Iquique, Arequipa, Nasca, Lima, Cusco, Machu Picchu e Puno. Irei fazer um relato para cada dia da viagem, com fotos e gastos com hotéis e combustíveis. Filmei toda a viagem com uma câmera no parabrisa do carro, pretendo colocar em cada relato um video com o trecho percorrido. Nesse primeiro post vou colocar o mapa do trajeto percorrido, os documentos que levamos para cada país e algumas dicas. A planilha de gastos está disponível para baixar como anexo Documentos necessários: Argentina: Passaporte ou RG, Carteira de motorista, CRLV do veículo em nome de algum dos viajantes, Seguro Carta Verde Chile - Passaporte ou RG, Carteira de motorista, CRLV do veículo em nome de algum dos viajantes e seguro SOAPEX Peru - Passaporte ou RG, Carteira de motorista, CRLV do veículo em nome de algum dos viajantes, Seguro SOAT Dica: Não é obrigatório, mas recomendo levar a Carteira Internacional de Motorista (PID). Os policiais olham e já percebem que você está mais preparado. Recomendo levar também o passaporte, agiliza os trâmites na fronteira. Levamos também o manual do carro com o carimbo da última revisão para comprovar que revisamos antes da viagem e o CRLV do ano anterior para as abordagens policiais. Assim quando éramos parados entregávamos a PID e CRLV do ano anterior e deixamos o CRLV atual e a carteira de motorista guardadas para mostrar somente nas aduanas. Além dos documentos, levamos os seguintes equipamentos para o veículo: 2º triângulo, cambão e um kit de primeiros socorros. Nenhum desses itens foram solicitados (nessa e nas outras duas viagens que fizemos pela Argentina e Chile), mas como já tínhamos, levamos assim mesmo. Antes da viagem fizemos uma boa revisão no carro, trocamos o óleo, filtro de gasolina, óleo, ar condicionado, fizemos geometria, balanceamento e alinhamento das rodas e pedimos para dar uma olhada geral na suspensão e freios. Também compramos duas lâmpadas reservas para o farol baixo, já que é obrigatório circular com elas ligadas mesmo de dia nas estradas. O seguro Carta Verde adquirimos pela nossa seguradora, Porto Seguros sem custo adicional. Foi solicitado logo na entreda da Argentina, é possível fazer nas cidades fronteiriças também. Já o seguro SOAPEX para o Chile, emitimos online pelo site: http://www.magallanes.cl/magallaneswebneo/index.aspx?channel=8212 e o pagamento pode ser feito pelo Paypal e você escolhe o período de vigência. O seguro SOAT, obrigatório para o Peru, fizemos em Tacna (La Positiva no endereço Calle Apurímac 201 - 209), mas é possível fazer logo após a aduana de Santa Rosa, que faz fronteira com o Chile. Duzentos metros depois da aduana a direita há uma placa indicando o local onde é vendido o seguro. Por 30 dias pagamos o equivalente a 40 soles. É fundamental fazer esse seguro para não ter problemas nas estradas peruanas. No decorrer dos relatos vamos contando sobre as abordagens dos policiais nas estradas do Peru. O seguro do nosso carro só tem extensão de perímetro para os países do Mercosul e Chile, não conseguimos fazer a cobertura para o Peru, acabamos indo sem. Com relação ao dinheiro, preferimos levar dólares para trocar no Chile e Peru. Para a Argentina, levamos reais e fizemos o cambio na fronteira, a cotação estava AR$ 1,00 = R$ 0,27 ao passo que em Tilcara estava AR$ 1,00 = R$ 0,53. O ideal é trocar todo o dinheiro a ser usado na Argentina logo na fronteira. Para o Chile e o Peru íamos trocando conforme a necessidade. O real tem uma boa cotação am Arequipa, Lima, Cusco e Puno, nos demais locais a cotação estava péssima. Pagamos os hotéis em dólares e fazíamos as reservas pelo Booking durante o decorrer da viagem. No Chile e Peru ao efetuar o pagamento em dólares não é necessário pagar o imposto local os viajantes que ficam menos de 60 dias no país. Na Argentina, estava compensando pagar em pesos, por que na conversão ficava mais barato o hotel. Todos os hotéis que ficamos possuem estacionamento e no decorrer dos relatos vamos colocando o nome, localização e preço na data que ficamos. A viagem durou cerca de 30 dias e percorremos em torno de 11500km. Optamos por ir e voltar pelo Atacama e norte da Argentina por ser um trajeto conhecido e relativamente tranquilo, mas é cansativo ir e voltar pelo mesmo caminho. Segue abaixo os mapas com o trajeto da ida e da volta. Indice de postagens: Dia 01 - 25/12/2015 - Mais dicas importantes e primeiro dia da viagem Dia 02 - 26/12/2015 - De Curitiba a San ignacio[AR] Dia 03 - 27/12/2015 - De San ignacio a Salta Dia 04 - 28/12/2015 - De Salta a Tilcara Dia 05 - 29/12/2015 - De Tilcara[AR] a San Pedro de Atacama[CH] Como chegar ao posto Copec em San Pedro Dia 06 - 30/12/2015 - Passeios em San Pedro de Atacama Dia 07 - 31/12/2015 - Passeio nas Lagunas Antiplánicas Dia 08 - 01/01/2016 - De San Pedro de Atacama a Antofagasta Dia 09 - 02/01/2016 - De Antofagasta a Iquique Dia 10 - 03/01/2016 - De Iquique[CH] a Tacna[PE] Dia 11 - 04/01/2016 - De Tacna a Arequipa Dia 12 - 05/01/2016 - Passeios em Arequipa Dia 13 - 06/01/2016 - De Arequipa a Nasca Dia 14 - 07/01/2016 - De Nasca a Lima Dias 15,16 e 17 - 08-09-10/01/2016 - Passeios em Lima Dia 18 - 11/01/2016 - De Lima a Nasca Dia 19 - 12/01/2016 - De Nasca a Abancay Dia 20 - 13/01/2016 - De Abancay a Cusco Dia 21 - 14/01/2016 - Passeios em Cusco Dia 22 - 15/01/2016 - De Cusco a Ollantaytambo - Vale Sagrado Dia 23 - 16/01/2016 - Machu Picchu Dia 24 - 17/01/2016 - De Ollantaytambo a Puno Dia 25 - 18/01/2016 - Passeio as Ilhas de Uros e viagem de Puno a Tacna Dia 26 - 19/01/2016 - De Tacna[Peru] a Calama[Chile] Dia 27 - 20/01/2016 - De Calama[Chile] a General Guemes[Argentina] Dia 28 - 21/01/2016 - De General Guemes a Corrientes Dia 29 - 22/01/2016 - De Corrientes a Foz do Iguaçu Dia 30 - 23/01/2016 - Ida ao Paraguai e viagem de Foz do Iguaçu a Curitiba Trajeto da ida Trajeto da volta Vídeos das estradas percorridas na viagem, 12000km de filmagens: https://www.youtube.com/watch?v=YONvHjLMuvo https://www.youtube.com/watch?v=AQd5D_jPLTI https://www.youtube.com/watch?v=2_Rhrro_UxA https://www.youtube.com/watch?v=VyrmKHBqEyM https://www.youtube.com/watch?v=msWEf08eEK8 https://www.youtube.com/watch?v=SXT08k1E1MQ https://www.youtube.com/watch?v=Rr_F5LcxRuI https://www.youtube.com/watch?v=Bjxx2GfF4rw https://www.youtube.com/watch?v=_wt0e_PNv6g https://www.youtube.com/watch?v=sBM6Wdcmcr4 https://www.youtube.com/watch?v=O4e877RVuq8 https://www.youtube.com/watch?v=k969QIa3xTM https://www.youtube.com/watch?v=Th_ike28o7Q https://www.youtube.com/watch?v=AtL-UCZhvO8 https://www.youtube.com/watch?v=N1SJV43F1v0 https://www.youtube.com/watch?v=XQMlBuwxplw despesas.xls
  16. Bom dia gente, organizo trips e estou precisando pra ontem de uma pessoa que tenha carro para ir para São Thomé dia 15/03 as 23:00 e voltar dia 17/03 as 14:00. um dos meus motoristas bateu o carro e não vai poder ir, o problema que eu já tenho 19 pessoas pagantes, e agora só tenho 3 carros disponíveis, e preciso de 4. Se alguém aceitar, vai totalmente de graça, gasolina, pedágios, café da manhã, os passeios, camping, tudo por minha conta, unica coisa que não estaria incluso é o almoço, mais também não é problema porque tenho uma promoção pra quem viaja comigo, que no restaurante da cidade, sai por 25 reais o almoço. Se interessar e tiverem duvida, me mandem um whats urgente (11) 993351991.
  17. Vou precisar alugar um carro em Salvador para fazer minha locomoção pela Chapada Diamantina. Gostaria de saber se um carro pequeno consegue acessar todos os pontos turísticos, inclusive vou passar 2 dias em Lençóis, 2 em Igatu e 2 em Capão. As estradas de terra são tranquilas??
  18. Ola Pessoal, eu e uma amiga vamos fazer uma viagem de carro na espanha. Queremos sair de Pamplona e seguir pelo litoral, indo de San Sebastian ate Santiago de Compostela. O total de horas, se fossemos de uma vez, seria 11 horas, mas queremos aproveitar as cidades e queria ajuda com os dias em casa. Sabemos que algumas da pra se fazer em poucas horas mas outras merecem mais. Se puderem me ajudar ficaria muito grata. Pamplona San Sebastian Zarautz Guernica Biscaya Bilbau Santander Gijon Ribadacela (ou Oviedo/Ponferrada, Lugo, Santiago tambem eh considerado) Lugo Santiago de Compostela Desde ja agradeco
  19. boa noite!!!! estou para ir do rio até recife de carro e gostaria de dicas de locais para dormir e comer. devo viajar durante 3 dias e parar 2 noite, ainda não sei irei pela br116 ou pela br101, se tiverem dica sobre qual também agradeço
  20. bom dia amigos. Sou novo aqui, e tenho uma dúvida! alguem já viajou de carro do rio a recife? ou algum trajeto parecido? queria informações como postos de gnv no caminho, lugares atrativos pra foto, alimentação, cuidados, recomendações, equipamentos (já q vamos dormir no carro por três dias) e valores de gastos no percurso
  21. Olá pessoal... estou indo em Novembro fazer o roteiro de Recife a Maceió... teremos 9 dias inteiros para aproveitar. Vamos alugar um carro. Quem já foi? O que acham? Segue roteiro e aceito pitacos 😁 Dia 1 São Paulo - Recife Chega muito tarde -só descansa Dia 2 Olinda pela manhã - Alto da Sé, igreja de 1537, almoçar com estilo no restaurante Oficina do Sabor. Convento de São Francisco, Igreja do Carmo, Igreja da Misericórdia e a Basílica de São Bento, Rua São Bento casa de Alceu Valença, ruas do Amparo e Bernardo Vieira de Melo (Artesanatos) Recife a tarde - 14:00 abrem as lojinhas e afins... Oficina Francisco Brennand, o Instituto Ricardo Brennand, Palácio do Campo das Princesas, Teatro de Santa Isabel, Palácio da Justiça, Liceu de Artes, Capela dourada, Mercados de São José, da Boa vista e Da Madalena, o Paço do Frevo, Marco Zero, Museu Cais do Sertão. As Galerias (nº 183 da Rua da Guia), Embaixada dos Bonecos Dia 1 Gigantes. Casa da Cultura em Santo Antônio. Rua Bom Jesus (Construções históricas), Embaixada dos Bonecos Gigantes. Praia de boa viagem e Caruaru. Dorme em Recife Dia 3 Segue cedinho para Porto de galinhas - Praia de Muro Alto, Maracaípe e a Praia do Cupe. Dia 4 dia todo em Porto de galinhas - Ipojuca - Dia 5 Cedinho segue para Praia de Carneiros - Almoça em Tamandaré - Ir para Maragogi (Dormir) Dia 6 Praia de Antunes - Ponta de mangue - dorme Maragogi Dia 7 segue cedinho para São Miguel dos Milagres - Porto de Pedras (Praia pataxó) e Japaratinga - dorme lá Dia 8 Cedinho sai de São Miguel e segue sentido Maceió - Barra de Camaragibe - Praia do Carro Quabrado Dia 9 Maceió Pajuçara, Ponta Verde e Jatiúca Dia 10 Praia do Gunga - Praia do Francês - Praia Ipiioca - Praia Paripueira Dia 11 Retorno pra casa - entregar o carro e pegar o vôo Gostaria de fazer a Foz do rio São Francisco saindo de Maceió, mas aí seria um dia inteiro... deixando de fazer alguma outra coisa... Me ajudem... hehe...
  22. As 5 melhores empresas e locadoras de veículos e automóveis com os melhores preços. Usando esses 5 sites você poderá comparar e reservar com todoas as locadoras possíveis e assim garantir o melhor negócio. Há também dicas sobre diferentes tipos coberturas de seguro e equipamentos opcionais extras para adicionar ao aluguel. Se você já leu o nosso artigo As 13 Mais Incríveis Viagens de Carro do Mundo você sabe o quanto uma viagem feita de carro pode te levar a lugares incríveis aos quais você não teria acesso de outra forma, seja ônibus, trem ou avião. Porém, caso você esteja viajando no exterior ou fora do seu Estado, você terá que alugar um veículo para fazer essas viagens de carro. Independentemente do modelo que você for escolher (econômico, van, 4×4, conversível), existem várias opções de locadoras de automóvel ao redor do mundo. Entre as maiores estão Avis, Europcar, Hertz, Budget, Alamo, Enterprise e por aí vai…. Continue lendo: Os 5 Melhores e Mais Baratos Sites para Comparar e Alugar Carros Pelo Mundo
  23. Procuro pessoas do Rio e Niterói que curtam viajar de carro. Com carro ou habilitadas para dividir custos. Viagens curtas e viagens mais demoradas. Marcaremos um papo conforme formos montando um grupo com química boa. Mandem msg pra add no whatsapp. Obs.: Não fumantes.
×
×
  • Criar Novo...