Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''deserto de atacama''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Companhia para Viajar
  • Trilhas e Travessias
  • Equipamentos
  • Nomadismo e Mochilão roots
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 42 registros

  1. mschwartz

    Atacama de carro

    People, Tem muitos posts sobre os passeios no Atacama e as agências para se contratar. E de carro? É possível fazer todos os passeios de carro?
  2. fabianribeiro

    [[Template core/front/global/prefix is throwing an error. This theme may be out of date. Run the support tool in the AdminCP to restore the default theme.]] Deserto de Atacama

    [info]O objetivo deste tópico é trocar informações e reunir depoimentos e dicas sobre a cidade de San Pedro de Atacama e o Deserto do Atacama. Se você está com alguma dúvida em relação à região, coloque-a aqui que sempre um mochileiro de plantão irá ajudar. Se já conhece o Atacama, conte para nós como foi sua experiência, seja ela negativa ou positiva, deixando dicas e demais informações para mochileiros perdidos. Para isso basta clicar no Botão Responder![/info] [linkbox]Guia de Santiago por Mochileiros.com Escreva seu Relato sobre o Atacama Procurando companhia para viajar para o Atacama? Crie seu Tópico aqui! Deserto do Atacama - Tópico de Perguntas e Respostas Dicas - Deserto do Atacama Troque informações sobre Hospedagem em San Pedro de Atacama Deserto do Atacama de Bicicleta Relatos sobre o Atacama: Relato sobre viagem de treze dias ao Chile, incluindo o Deserto do Atacama pelo mochileiro Leo Caetano Relato sobre viagem de vinte dias ao Chile, incluindo o Deserto do Atacama pela mochileira Milena Garcia Relato sobre viagem de dezenove dias ao Chile, incluindo o Deserto do Atacama pelo mochileiro Xunfos Relato sobre viagem de vinte e cinco dias ao Chile, incluindo o Deserto do Atacama pela mochileira Samanthavas Relato sobre viagem de vinte e um dias ao Chile, incluindo o Deserto do Atacama pelo mochileiro FHMartins Relato sobre viagem ao Chile, incluindo o Deserto do Atacama pelo mochileiro Michelschon Relato sobre viagem de treze dias ao Chile, incluindo o Deserto do Atacama pela mochileira Carla Nogueira Relato sobre viagem de sessenta dias ao Chile, incluindo o Deserto do Atacama pelo mochileiro Cmcf Relato sobre viagem de sessenta dias ao Chile, incluindo o Deserto do Atacama pelo mochileiro Dickens Relato sobre viagem ao Chile, incluindo o Deserto do Atacama pelo mochileiro Magno Fugisava Relato sobre viagem ao Chile, incluindo o Deserto do Atacama pelo mochileiro Morenopissedoff[/linkbox] Pretendo conhecer os seguintes lugares: 1. Cidade de San Pedro de Atacama Cidade de onde parte todas as aventuras para o deserto. Dentro da cidade será visitado o Museu Arqueológico de P. Le Paige. 2. Valle de La Luna Fica a mais ou menos 17 km de San Pedro de Atacama. Um lugar único no mundo onde tudo lembra a lua. 3. Toconao e Salar de Atacama Fica mais ou menos 38 km ao sul de San Pedro de Atacama. No caminho é possível ver de longe os vulcões Licancabur e Lascar entre outros. Chegando ao povoado de Toconao segue-se o salar até a Laguna Chaxa (habitada por flamingos) 4. Geysers del Tatio Campo geotérmico que fica a mais de 4.200 metros de altura que a partir das 5 horas da manhã cria um fenômeno incrível. Fica a mais ou menos 89 km. 5. Termas de Puritama O rio Puritama e suas águas quentes (30ºC) administradas pelo Hotel Explora mas de acesso público. Fica mais ou menos 28 km. 6. Pukara de Quitor A cerca de 3 km de San Pedro está o Forte Quitor, construído pelo povo atacamenho para defenderem-se de outros povos. 7. Valle de La Muerte A cerca de 3 km de San Pedro também está o Vale da Morte. Bonitas formações rochosas. 8. Lagunas Altiplánicas Misticanti e Miñique ficam a mais de 4.000 metros sobre o nível do mar e a mais ou menos 90 km de San Pedro de Atacama. A viagem desde San Pedro passa pelo povoado de Toconao e pela beira do Salar de Atacama. 9. Ruínas de Tulor Fica mais ou menos a 10km de San Pedro de Atacama. Vestígios de um antigo povo atacamenho com mais de 3.000 anos sepultado pela areia. 9. Tour Astronômico Uma agência na cidade (Rua Caracoles 174 C) oferece a mais ou menos $ 8.000 por pessoa (transporte e chocolate quente) um de 3 horas. Pode-se ouvir a explicação sobre o espaço e fazer uso dos equipamentos. 10. Vulcão Lascar (5.592 metros) Saída de San Pedro as 5:00h da manhã. Preço $65.000 por pessoa pela Vulcano Desporte Aventura - Dura o dia todo. Transporte até 4.600 metros (passando pelo Lagoa Lejía). Depois são 3 horas de caminhada até a cratera e mais 45 minutos até o cume. Uma hora e meia de descanso e voltamos para San Pedro de Atacama. Tudo leva apenas um dia! 11. Vulcão Licancabour (5.970 metros) Preço de $ 100.000 por pessoa (incluindo: guia especializado, transporte, café da manhã, lunch e equipamento pra camping). O circuito completo leva três dias saindo de San Pedro as 7h da manhã para chegar a base (nas ruínas incas a 5.000 metros). No segundo dia com uma caminhada de mais ou menos 8 horas chega-se ao cume (lá em cima tem uma lagoa). Voltando a San Pedro a noite. 12. Quebrada de Cari Saindo pela estrada que leva a Calama a mais ou menos 10km há um caminho antigo que leva a parte mais alta da Cordilheira de La Sal. Outros possíveis Llullaillaco (6.739 metros) é um dos mais altos mas é complicado de fazer. Levaria mais ou menos 4 dias. Vulcão Sairecabur (6.026 metros) Este leva apenas 11 horas (das 5 as 18) e custa $ 65.000. O veículo vai até uma "azufrera" abandonada (a mais ou menos 5.400 metros) passando os Geysers del Tatio. Um caminhada de 3 horas pra subida. Ojos del Salado Simplesmente o maior vulcão do mundo. Esse é mais complicado pra chegar até ele. Onde ficar? Camping Los Chañares Preço: $ 2.000 por pessoa (para barracas) Preço: $ 3.500 por pessoa (peças ou quartos?) Rua Ckilapana (umas 5 quadras do centro do povoado) Tudo bem simples. Banheiros e Duchas compartilhadas. 5 locais para obter água. Aberto apenas no verão. Casa Adobe Preço: 5 a 8 US$ (depende da tempo da estadia e temporada) Rua Domingo Atienza 582 (3 quadras da Av. Caracoles) Hotal Monyplan Preço: $ 5.000 (mais ou menos 8 dolares?) Rua Lesana 687 Banho compartilhado. Cozinha comum, água quente. Hotal y Camping Puritama Preço: consultar lá. Rua Caracoles. Tem quartos com banheiro particular (se optar). Hotal Katarpe Preço: ???? Parece ser o melhorzinho. Tem quartos simples com banheiro particular. Cafeteria, bar e Internet! Rua Domingo Atienza esquina Caracoles. A idéia é ir em Janeiro. Se mais alguém estiver por lá e quiser trocar uma idéia, estamos ae. Estou coletando mais informações e vou posta-las aqui pra que vocês consultem.
  3. Qual a estrada e roteiro que sugerem para eu, meu marido e filho fazermos de carro de São Paulo até o Deserto do Atacama em 10 dias? Sei que é apertado mas é o tempo que temos! Muito obrigada! Helena
  4. Vôos São Paulo à Santiago - LATAM: R$ 961.74 Santiago à Calama - SKY AIRLINE: U$ 116.48 Seguro Saúde Viagem Mondial: R$135,47 Transfers Aeroporto – Centro (Delphos): $6,900 Uber Bag Centro – Aeroporto: $17,460 Calama – San Pedro (ida e volta - transvip): $20,000 Aeroporto – Providência (Ônibus – Centropuerto) : $1,700 Transfer Providência – Aeroporto(Delphos): $8,500 Hospedagens Landay Hostel - Santiago Tipo de quarto: Particular com duas camas de solteiro com banheiro compartilhado Preço diária: U$44 para 2 pessoas Opinião: Não recomendo o hostel, apesar da localização central parecer boa, este hostel fica em uma rua em que não tem nada, um breu total de noite. Não achei seguro e de noite eles fecham a porta e você tem que ficar do lado de fora até alguém resolver atender a porta. As instalações são boas mas o banho foi frio. Kirckir Hostel - Atacama Tipo de quarto: Compartilhado com 4 camas - Feminino Preço diária: U$24 por pessoa Opinião: Recomendo. Bom café da manhã e os dias que você vai fazer passeio antes das 8, eles fazem um snack com lanche+suco pra você levar. Quarto arrumado e limpo. Tivemos problemas com a calefação no nosso quarto mas nada a ponto de congelar. Banheiro compartilhado do lado externo, 1 fechado e os outros tinha o teto meio de palha então podia entrar um ventindo indesejavel, porém banho quente. Me hospedaria denovo. Providência Hostal - Santiago Tipo de quarto: Compartilhado com 6 camas - Feminino Preço diária: U$18 por pessoa Opinião: Recomendo. Café da manhã muito bom, com frutas, pães, geléias, cerais, etc. O quarto feminino era bom, boas camas porém sem tomada em cada cama, tivemos que pedir um extensor. Não tivemos sorte com a calefação também mas nada que a gente ficasse morrendo de frio. Tem secador de cabelo para emprestar e os funcionários são bem prestativos. Passeios Atacama Chegando fomos cotar alguns preços e fechamos com a agência FOX TRAVEL. Gostei da agência, ela é bem simples mas com boas vans e ótimos guias. O único tour que recomendo fazer com uma agência mais especializada é o TOUR ASTRONOMICO. Valle de la Luna (Valle del Luna, Dunas, Mirador de Carl e Atardecer) Horário: 15:00 ás 18:30 Preço: De $10.000 por $7.000 Entrada: $3.000 Incluído: Nada Altitude máxima: 2450 Salar de Tara (Laguna Quipiaco, Monjes de la Pacana, Catefrales de Tara, Salar de Tara) Horário: 08:00 ás 16:00 Preço: De $55.000 por $40.000 Entrada: Não Incluído: Café da manhã e almoço Altitude máxima: 4800 Piedras Rojas (Tocpnao, Salar de Atacama, Laguna Chaxas, Socaire, Piedras Rojas) Horário: 07:00 ás 17:00 Preço: De $55.000 por $35.000 Entrada: $6000 Incluído: Café da manhã e almoço Altitude máxima: 4400 Geyser del Tatio (Campo geotermico, termas e poblado de machuca) Horário: 05:00 ás 12:30 Preço: De $20.000 por $15.000 Entrada: $10.000 Incluído: Café da manhã Altitude máxima: ?? Laguna Cejar (Laguna Cejar, Ojos del Salar e Laguna Tebinquinche) Horário: 15:00 ás 18:30 Preço: De $20.000 por $15.000 Entrada: $17.000 Incluído: Drinks e petiscos Altitude máxima: 2450 Tour Astronômico Horário: 20:00 ás 22:00 Preço: De $20.000 por $15.000 Entrada: - Incluído: Café, chocolate quente e alguns petiscos Altitude máxima: 2400 Passeios Santiago Palácio de la Moneda: Grátis Mercado municipal: Grátis Centro histórico de Santiago: Grátis Museu da memória e dos direitos humanos: Grátis Cerro Santa Lucia: Grátis Pub Crawl: $10,000 Viña del mar e Valparaíso: com agência $20,000 Cerro San Cristóbal: Sky Costañera: $7,500 somente de quarta. Outros dias é outro valor. Farellones Transfer: $15,000 Aluguel de roupas (não utilizei): $25,000 completo Entrada no parque + 2 horas de aula de ski + Equipamento de Ski: $34,000 Locker: $4,500
  5. O Mochileiros foi uma das principais fontes de informação das minhas pesquisas para montar meu roteiro ao Chile e desde antes da viagem eu já estava determinada a voltar aqui e retribuir com o meu relato. Algumas informações são bem fáceis de encontrar e até repetitivas, então vou tentar focar nas coisas sobre as quais eu tinha dúvidas quando estava montando meu roteiro, que eu buscava e não encontrava informações, além de algumas dicas que pude tirar da minha experiência. Como vou pular informações mais básicas dessa viagem, sugiro que se vc ainda não pesquisou muito, leia outros relatos e blogs primeiro! =) A primeira dica é pra quem viaja de cidades onde a Aerolineas Argentinas opera. Eu e meu marido saímos de Curitiba e optamos por voar pela Aerolineas porque todos os voos tinham conexão em Buenos Aires, no Aeroparque, que não é o aeroporto principal da cidade mas é perfeito porque fica pertíssimo do centro. Nosso destino era Santiago, mas aproveitamos pra escolher a opção de voo com a conexão mais longa (cerca de 23 hrs) para dar um passeio em BsAs. Fizemos isso tanto na ida quanto na volta. Estava receosa quanto ao serviço da companhia, mas me surpreendi com ela! Todos os trechos foram ótimos, fomos muito bem atendidos tanto nos check ins quanto a bordo. O espaço era dentro do normal, as aeronaves pareciam novas, alguns trechos tinham tv com filmes e séries e todos tinham lanche - bebida e uma caixinha com dois sanduíches de manteiga, queijo e presunto, um alfajor e uma balinha. Chegando no Aeroparque, tentamos chamar Uber mas não havia carros na redondeza - nem na ida nem na volta ao Brasil. Então pegamos um taxi que, graças a Deus, não era de um taxista malandro como o da volta - e pelo que ouvi falar, como muitíssimos outros em BsAs. Aí vem a segunda dica importante. A corrida do Aeroparque ao Centro, na bandeira normal, marcada no taxímetro do primeiro taxista , deu 37 reais. Sim, eles aceitam o pagamento em reais, o que nos ajudou muito, porque só levamos uns poucos trocados em pesos argentinos, já que ficaríamos em BsAs apenas algumas horas. Esse taxista da ida marcou a corrida no taxímetro e, chegando no hotel, fez a conversão considerando o cambio do dia. Saiba a média do cambio quando for viajar pra não ser feito de trouxa. Foi ótimo ter pego esse taxista na ida, porque no retorno, voltando do Chile, pegamos um taxista e só confirmamos antes de entrar no carro se ele aceitava em reais. Ele disse que sim e entramos, crentes que o esquema seria o mesmo do outro taxista. Quase morremos do coração quando chegamos e ele nos passou o valor de 90,00, ignorando o valor em pesos que o taxímetro marcava! Brigamos, batemos o pé, ele tentou nos enrolar de todas as maneiras e nós gastamos todo o nosso portunhol nos negando a pagar esse valor. No fim, acertamos a corrida em 70,00 e até hoje xingamos ele qnd lembramos. Enfim, apesar disso, não nos arrependemos dessa esticadinha na viagem pra visitar BsAs. Com a proximidade do aeroporto, é possível conhecer os principais atrativos da cidade, mesmo que não tão a fundo. Outra vantagem é que por ser conexão as malas vão direto pro destino final, então só precisa separar uma mudinha de roupa e escova de dente pra deixar na mochila com você. Chegamos num fim de tarde e fomos pro hotel onde passaríamos a noite, o NH Latino, que foi de longe o melhor lugar que dormimos nessas férias. Fica do lado do Obelisco. Fizemos check in e saímos pra dar uma volta. Fomos andando até a Galeria Pacifico, comemos por lá, demos mais uma andada pela Calle Florida e voltamos pra dormir. No dia seguinte, acordamos relativamente cedo pra podermos visitar o máximo de lugares possível. Nosso voo para Santiago era às 16h15. Saímos umas 9h30 do hotel e fizemos tudo andando. O roteiro foi: Obelisco - Teatro Colón - Plaza San Martin - Plaza de Mayo - Puerto madero - Paseo de la Historieta - San Telmo (era domingo, dia da feira). Chamamos um Uber por volta de 14h30 mas devíamos ter ido mais cedo por segurança. Para os quatro dias que ficaríamos em Santiago, reservamos um apto pelo Airbnb (se vc se cadastrar através deste link, ganha 100,00 de desconto na primeira reserva!! www.airbnb.com.br/c/karineo604). Valeu muito a pena porque além de sair muito mais barato que hotel (pagamos 604,00 por 5 noites pq ganhamos 100,00 de desconto de indicação), também economizamos com comida. Não ligo muito pra comida diferente nem tenho curiosidade com restaurantes chiques. Compramos pão, café, pizza pré pronta, frutas e snacks e nos viramos no ap mesmo em quase todas as refeições.O ap era no Centro, cerca de 15 min andando do Palacio de la Moneda. Há vantagens de ficar no Centro, mas depois de conhecer a cidade acredito que o bairro da Providencia seja uma opção melhor para se hospedar. É mais bonito e agradável. A locomoção em Santiago é muito fácil porque o metrô é super eficiente. Para o trajeto aeroporto - apto, fomos de van com a Delfos. Só vale a pena pra quem viaja sozinho. É apertado, desconfortável e demorado, pq vai parando pra deixar o povo. Em casal, seria melhor pegar Uber, mas por algum motivo não conseguimos conectar no wifi. Não sei quanto sairia o taxi. Nosso roteiro para esses 4 dias foi: Dia 1 - Centro: La Moneda para fotos, Agustinas para trocar $ (não troque $ no Brasil, troque na Agustinas!) - pegamos taxas péssimas agora em Agosto, variando de 185 a 188. Teria sido muito mais vantajoso ter comprado dólares do Brasil e levado pra trocar dólar por peso lá, mas isso varia muito, então pesquise as taxas qnd vc for. Depois andamos até a Plaza de Armas e depois até o Cerro Santa Lucia. No fim da tarde não sentia mais meus pés! Dia 2 - Reservamos ainda no BR dois passeios - Cajon del Maipo e Valle Nevado + Farellones. Cortamos do nosso roteiro os clássicos passeios às vinícolas e ao litoral. O primeiro porque não gostamos de vinho e o segundo porque, sinceramente, aquilo é só pra jogar $ fora. Não tem nada de interessante e todo mundo que vai diz que não vale a pena. Mas enfim, deve ter quem goste. Eu não queria ir só pra dizer que fui. Reservamos os passeios com a Viaja Brasil ainda no Brasil mas se vc tiver mais tempo na cidade dá pra pesquisar e fechar lá mesmo, o assédio das agências nos pontos turísticos é gigante, chega a ser irritante. Opção não falta. Pelo que vimos o pessoal que fechou o passeio lá pagou o mesmo que nós pagamos (43.ooo CLP p/ pessoa pelos dois passeios), mas na época que reservei o preço estava anunciado como promocional. Para esse dia reservamos o tour a Cajon del Maipo + Embalse el Yeso. A guia era péssima, mas o lugar é lindo! Dica: O guia vai parar num lugar que aluga botas. Não precisa!!! Apenas vá com um calçado que vc não tenha dó de sujar. Aliás, taneu não aluguei nada nem para Cajon nem para Valle / Farellones. Comprei pelo Aliexpress uma bota de neve q saiu 56,oo e umas calças bem quentinhas por menos de 20,00 cada e foi mais que suficiente. Para alugar, vc paga algo em torno de 40,00 para cada item, por passeio!! Mto melhor comprar no Ali, usar em tds os passeios e guardar para uma próxima viagem. Dia 3 - Tour para Valle Nevado e Farellones. Quando reservei, o passeio já incluía os dois locais, mas eu recomendo fortemente que se, como eu, você também não esquia, vá somente para Farellones. Basicamente, é um parque de diversões só que apenas com brinquedos de neve. Tem tubing, esquibunda, tirolesa, bicicleta de neve e teleférico. O passeio começa com Valle Nevado, onde a gente vai só pra tirar foto, e depois desce pra farellones, chegando lá já na hora do almoço. Pouco depois das 15h já tem que voltar pra van, então não dá tempo de aproveitar quase nada. Se eu fosse de novo, tirava Valle nevado do roteiro com certeza. Dia 4 - De manhã aproveitamos para dormir até mais tarde porque os dois passeios dos dias anteriores começaram super cedo. Demos mais uma volta no Centro e pegamos o metrô para o Patio Bella Vista. Almoçamos perto de lá e fomos para a fila do funicular para o Cerro San Cristóbal, que é bem pertinho do Patio. Tem opções diferentes de bilhete - sem teleférico, com teleférico de ida e volta, ou só de ida... Compramos somente ida com teleférico, porque o teleférico leva até o outro lado do parque, que é pertinho do Sky Costanera, nosso próximo destino. Assim fizemos um passeio bem gostoso de teleférico e economizamos no metrô! Passeamos um pouco no shopping (só um pouco porque não é muito nosso estilo de passeio e tbm pq o orçamento estava apertado, mas o shopping é imenso e cheio de lojas maravilhosas pra quem curte compras e tem grana pra gastar). Uma dica é comprar o bilhete para o mirante antecipadamente para a hora que deseja subir. É possível fazer isso. O bilhete fica válido por uma hora para entrada a partir do horário que vc escolher. Compramos para as 17h00 pq queríamos subir perto do horário do sol se por, assim pegaríamos a vista de dia, do por do sol e de noite. Dia 5 - Dia de voar para Calama! O voo era às 14h45 e tínhamos que entregar o ap e sair por volta de 12h00. Não queria ir embora sem ver a troca de guarda no La Moneda. A troca acontece sempre às 10h, dia sim dia não - num mês acontece nos dias pares, no outro, nos ímpares. Tem que pesquisar quando será qnd vc for. Vale muito a pena, é super diferente e interessante. Deixei minhas malas tds prontas na noite anterior e fui assistir. Voltei antes de acabar para não me atrasar. Fomos pro aeroporto de Uber. Comprei as passagens Santiago - Calama pelo site chileno da Sky, que era a opção menos cara, mas fiquei surpresa com os preços, bem mais altos do que os que vi o pessoal relatando nas minhas pesquisas. É caro, o espaço pras pernas é mega apertado e não servem nem uma balinha no voo. O despacho da bagagem é pago à parte e claro que vc precisará desse serviço, então já compre isso qnd comprar sua passagem online, pq se deixar pra comprar na hora vai pagar bem mais caro. Se quiser ver a Cordilheira enquanto voa, marque assento do lado direito do avião (direito para quem está sentado), mas saiba que tbm tem que pagar pra marcar assento... Para o trajeto Calama - SPA, reservei ida e volta com a Licancabur, que foi a única empresa q me respondeu. Era a q tinha mais passageiros, mas o ônibus q nos levou era feio e velho, e as vans das outras agências pareciam bem mais novinhas e bonitas. Mas enfim, eles fizeram o serviço. O preço de todas as empresas é o mesmo. Chegamos em SPA já no comecinho da noite, fizemos check in e fomos correndo pra Caracolles pq queríamos fechar os passeios pra começar a passear no dia seguinte, pois teríamos só 4 dias inteiros lá. As agências começam a fechar por volta das 21h mas algumas ficam até mais tarde. Sobre os passeios, acho bom já ir pesquisar sabendo o que quer e o que não quer fazer e tbm acho melhor fechar tudo com uma agência só, que dá pra conseguir um precinho bacana pelopacotão. No nosso caso, tivemos duas más notícias: 1. era lua cheia e por isso o tour astronômico não estava sendo feito, e tbm não veríamos o famoso céu estrelado do Atacama, e 2. por conta de uma nevasca braba há alguns meses, não dava pra visitar as Lagunas Altiplanicas - mas pelo menos dava pra chegar perto da Miscanti. Os passeios que fehamos foram 1. Valle de la Luna, 2. Salar de Atacama + Piedras Rojas + Lagunas Altiplanicas, 3. Laguna Cejar + Ojos del Salar + Laguna Tebinquinche, 4. Salar de tara, 5. Geysers. Muita gente deixa o Salar de Tara de fora do roteiro, pela distância ou preço, mas se tiver a oportunidade, não deixe de ir. Vale muito a pena! Apesar do Atacama todo ser maravilhoso, o Salar de Tara foi o único lugar que me fez parar de tirar fotos pq eu simplesmente não conseguia parar de admirar aquilo tudo. É lindo demais! Sobre as agências, a maioria delas tem o mesmo padrão e perfil, tanto nos guias quanto nos passeios... quase tds mandam os turistas pra outras agências qnd não fecham grupos.. As que se diferenciam são aquelas beeem mais caras, com caminhãozinho, roupãozinho e tal. Como não ligo mto pra essas coisas, estava mais interessada nas paisagens em si, meu critério acabou sendo o preço mesmo e uma empatia mínima que fosse com o local e vendedor. Para esses passeios que eu citei, os preços passados por 6 agências variaram de 100.000 a 140.000 CLP por pessoa. Fechamos com a Atacama Explora que ofereceu o menor preço e nos passou confiança na hora. Alguns guias foram bons, outros ruins, alguns lanchinhos foram bons, outros não, mas os lugares eram todos incríveis! O Atacama é mesmo espetacular, surreal! Sobre a hospedagem, ficamos no Hostal Desert, que fica a uns 15 min andando da Caracolles, o que não teria sido um problema se não fosse inverno! O frio judiava qnd saíamos para jantar! Qnd reservei, pensei que seria interessante ficar afastada do movimento e poder observar o céu estrelado (o que não rolou por causa da lua cheia), fora que o preço estava melhor do que os hostals da Caracolles. A hospedagem foi ok, nada de especial mas tbm nada a reclamar. A limpeza era boa e o café da manhã bem satisfatório. Pelo que pesquisei antes, o Desert está no mesmo padrão da maioria. Sobre lugares pra comer, o grande esquema em SPA é sair andando e vendo os menus do dia de cada lugar - uma refeição completa, com entrada, prato principal e sobremesa, que vc escolhe dentro de algumas opções, por um preço único, a partir de 5.000 CLP. O lugar mais barato q encontramos nesse estilo foi a Pica del Indio, 5.000. o Chiloé tbm é mto bom e o menu do dia era 6.000.
  6. O deserto do Atacama foi um dos lugares mais incríveis que já conheci. Fiquei lá entre os dias 22 e 26 de Março de 2017. Aconselho ficar pelo menos 4 dias lá. É que tem muita coisa legal pra fazer e se ficar menos que isso vai deixar de ver o essencial, então não compensa. A cidade de San Pedro de Atacama é bem pequena e dá praticamente pra fazer tudo à pé nela. ONDE FICAR: O hostel que fiquei se chama LASKAR e os quartos compartilhados (3 beliches em cada quarto) custam em média 10.000 pesos chilenos por dia. Também possui quartos individuais, mas não sei o valor. Tem 2 banheiros compartilhados e sempre que usei estavam muito limpos. Tem tb uma cozinha com fogão, geladeira e talheres. Há duas vendinhas ao lado do hostel que dá pra comprar coisas básicas (água, pão, ovos, sucos, etc) e o hostel se encontra a 10min de caminhada do centro. Gostei muito do staff de lá! Um pessoal jovem e muito gente fina. A principal rua de San Pedro de Atacama se chama “CARACOLES” e a maioria dos bares, restaurantes e agências de turismo estão nela. PASSEIOS: A primeira coisa que você tem que marcar ao chegar lá é o TOUR ASTRONÔMICO. É um tour de observação do céu que vale muito a pena. Só que ele não sai em dias de lua cheia ou se houver nuvens. Então tente fazê-lo o quanto antes pq se deixar para o final é capaz de não conseguir. Esse tour eu fiz com a agência SPACE (20.000 pesos chilenos) e foi maravilhoso. Como só havia brasileiros no tour o guia explicou tudo em português (muito bom, por sinal). Para os demais passeios a agência que escolhi foi a GRADO 10 (www.turismogrado10.com), que fica numa travessa da Caracoles, próximo à praça central. Como fui em baixa temporada (Março/2017) achei melhor não reservar antes os passeios e deixei pra marcar tudo quando chegasse. E deu certo. Pedi um orçamento antes por e-mail e os passeios que eu fiz ficavam em: GEYSERS DEL TATIO & POBLADO DE MACHUCA - 45.000 pesos chilenos VALLE DE LA LUNA Y MIRADOR DE KARI - 20.000 pesos chilenos LAGUNAS ALTIPLÁNICAS & SALAR DE ATACAMA - 50.000 pesos chilenos LAG. CEJAR, OJOS DEL SALAR, LAG. TEBENQUICHE - 30.000 pesos chilenos TOTAL: 145.000 pesos chilenos Lembrando que cada uma dessas atrações tem uma taxa de entrada que é pago na hora (consulte os valores) Havia um desconto se comprasse o pacote com os 4 passeios ficava tudo por 110.000 pesos chilenos Mas quando eu cheguei lá na agência fechei os 4 passeios por 80.000! Gostei muito do serviço da GRADO 10! A Inês que me atendeu foi muito simpática e solícita. Os guias também são bem legais e muito informados. Mas eu acho que o diferencial deles é o veículo que nos leva aos passeios. Enquanto a maioria das agências te leva numa van, eles têm um caminhão IRADO e muito confortável. Dá pra até subir em cima dele pra tirar umas fotos e, dependendo do passeio, o motorista dá uma volta com a gente em cima. Nos passeios que levam o dia todo a GRADO 10 disponibiliza um café da manhã ou um lanche no final da tarde. O café da manhã é farto, com pão, presunto, queijo, panquecas, chá, café, leite e suco. Dá pra bater um café reforçado que vai te deixar sem fome até a volta do passeio. O lanche do final da tarde é só uns salgadinhos (chips, amendoim, etc) e umas bebidas (suco, água e pisco sour). Recomendo levar em todos os passeios ao menos 1,5 litros de água. Pode parecer muito mas o clima de lá é extremamente seco e vc vai precisar beber muita água. Nas vendas da cidade é possível comprar galões de 5 litros, que saem muito mais em conta. Daí é só colocar numa garrafa menor e levar nos passeios. ROUPAS Como em qualquer deserto do mundo, as temperaturas lá podem variar bastante. Pode fazer muito frio no começo da manhã e durante à noite e muito calor no meio do dia. O ideal é levar uma blusa tipo “fleece” e uma jaqueta corta vento. Aquelas calças que viram bermudas tb são muito boas e confortáveis. Sapato sempre fechado pq o terreno tem muitas pedras e é arenoso (esqueça chinelos, sandálias, papetes, etc). O passeio “Geysers del Tatio” saí muito cedo então faz muito frio. Reforce a vestimenta se for fazer ele - gorros e cachecóis podem ser muito úteis. Não esqueça também roupa de banho e toalhas. No passeio da Laguna Cejar é possível nadar na Laguna Tebenquiche, uma experiência única uma vez que devido à quantidade de sal na água é impossível afundar. Vale a pena! Protetor solar, boné e óculos de sol são INDISPENSÁVEIS. COMIDA e BEBIDA Na cidade há vários restaurantes. Comi num dia em um chamado “Delícias del Carmen” e pedi uma chuleta de porco com arroz e salada (8.000 pesos). Veio muito bem servido! Outro dia fui a um mais chique, chamado “Adobe”, comi um frango com batatas e salada de champignon (uns 15.000 pesos). Não veio muito bem servido como o anterior, mas o ambiente era bem melhor. Para economizar vale a pena comprar comida nas vendas e fazer o rango na cozinha do hostel ou hotel. A maioria dos bares vão exigir que você consuma alguma coisa além das bebidas. Isso mesmo! Para conseguir uma mesa você tem que pedir algo pra comer e eles não deixar você sentar sem pedir ao menos uma porção. No entanto há UM bar (esqueci o nome) que é possível apenas beber, sem ter que comer algo. O bar fica na rua Caracoles e tem um monte de bandeiras e camisas de time de futebol penduradas no teto. Não tem como errar. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Aproveite ao máximo seu tempo em San Pedro do Atacama. Se tiver uma manhã ou tarde livres entre um passeio e outro, alugue uma bicicleta e saia para dar uns rolês por volta da cidade. Há muitos cachorros, na maioria de grande porte, pela cidade. Mas são todos mansos e não estranhe se eles entrarem nos bares e restaurantes. Se tiver sono leve, não esqueça os protetores auriculares. Pq se ficar em algum hostel com quarto compartilhado a “sinfonia” de roncos pode atrapalhar seu sono. Bom, acho que é isso! Deixo anexado nesse relado algumas fotos que tirei lá. Espero poder ter ajudado! Abraços e boa viagem! Anselmo
  7. Olá mochileiros Em janeiro de 2017, depois de muitos preparativos, muitos fóruns lidos e muita pesquisa no santo Google Maps , eu e meu companheiro Danilo fizemos um pequeno mochilão pela América do Sul, sendo que nossa primeira parada foi o Chile, onde passamos 9 dias e tivemos algumas das melhores experiências de nossas vidas. Como o Mochileiros.com foi fundamental para a montagem da nossa viagem, resolvi contar um pouquinho de como foi nossa maravilhosa estadia nas terras de Pablo Neruda para vocês. Relato Bolívia: https://www.mochileiros.com/a-impressionante-bolivia-salar-de-uyuni-la-paz-copacabana-lago-titicaca-e-isla-del-sol-com-fotos-e-precos-2017-t141313.html Relato Peru: Chile, o que dizer de você? Um país de extremos, onde você encontra geleiras, grandes lagos e temperaturas abaixo de 20 graus ao sul, uma das cidades mais urbanizadas das Américas no centro e o deserto mais seco do mundo ao norte. Um país com belezas naturais impressionantes, praias, montanhas, ótima infraestrutura e um povo super simpático, educado e hospitaleiro, que ao descobrirem que você é brasileiros, abrem um sorriso de orelha a orelha e demonstram interesse em saber mais sobre nosso dia a dia. Claro que o país inúmeros problemas, assim como qualquer outro país e as marcas da terrível ditadura militar de Pinochet ainda são bem visíveis na sociedade. Para ver mais fotos, acesse meu insta: https://www.instagram.com/rafah.meireles/?hl=pt-br ou face: https://www.facebook.com/rafael.henriquecarter Uma das minhas preocupações (e a de qualquer mochileiro) era o custo de vida do país, pois a maioria dos relatos que encontrei dizia que o Chile era um dos países mais caros da América Latina, que não deixa de ser verdade em alguns pontos, mas que no geral me surpreendeu positivamente, sendo bem mais barato que seus vizinhos Argentina e Peru, por exemplo. Mas claro que isso varia muito do padrão de viagem de cada um. Fiquei hospedado em hostel, dei preferência a comer em lugares baratos e as vezes sobrevivia só com empanadas haha, preferi utilizar o transporte público ou ander a pé do que pegar um táxi e com isso investi o dinheiro com os passeios, esses sim um pouco salgados, mas que super valem a pena. Dos países que visitei, esse foi o que mais encontrei brasileiros. Em todos os principais pontos turísticos sempre encontramos alguém que simplesmente olhava pra gente e falava: Vocês são brasileiros né?! Eu tbm sou haha. E é incrível como a gente se reconhece. Obs: Ao todo, o mochilão saiu por cerca de 5.500 reais por pessoa, sendo que só de passagem foram 2.000 Inclusive, poderia até ter gastado menos do que gastei, então, fica a dica ALIMENTAÇÃO: A alimentação, que é uma das coisas que mais pesa no bolso do viajante, foi uma grata surpresa. É possível comer bem e muito por pouco - sem falar nas diversas opções. Em quase todos os restaurantes e lanchonetes é possível encontrar pratos prontos, inclusive o famoso Lomo a lo Pobre, por cerca de 4 mil pesos (cerca de 19 reais). Nas redes de fast food é vendido kits de lanches para até 3 pessoas por um pouco mais (compramos um combo de 3 cachorros quentes com bebidas e fritas por 6.500 pesos, ou 30 reais na rede Pedro, Juan & Diego do Costanera Center). As tradicionais empanadas custam cerca de 700 pesos (3-4 reais). A culinária chilena não é tão diferente da brasileira, mas tem suas particularidades, sendo que talvez a maior delas seja a La palta (creme de abacate) que é servido em praticamente tudo, inclusive no cachorro quente (chamado de completo). Truta, ceviche e o pastel de choclo também são pratos comuns no país e que tive a oportunidade de experimentar. CÂMBIO: Em Santiago, o melhor lugar para cambiar é na rua Augustinas, no centro, onde existem umas 10 casas especializadas uma do lado da outra e todas com cotações diferentes entre si, então é sempre bom dar uma pesquisada. No dia, a melhor que encontrei foi 1 real > 196 pesos. Para quem precisar trocar dinheiro em um domingo (foi o meu caso), recomendo a casa de cambio situada no subsolo do shopping Costanera Center, que apesar da cotação péssima - 1 real > 180 pesos - me ajudou a não passar fome no dia haha. Para quem vai ao Atacama, recomendo trocar dinheiro em Santiago mesmo, pois a cotação em San Pedro é de morrer 1 real > 160 pesos, foi a melhor cotação que encontrei . Se não tiver outro jeito, as casas de câmbio ficam espalhadas epla região da Calle Caracoles. HOSPEDAGEM: Como já mencionado, optei por ficar em um hostel, o Chile Lindo Hostel - super recomendo, pois 5 diárias saíram por 175 reais com café da manhã, além de sua localização ser no centro, na calle Moneda. Mas existem opções para todos os gostos e bolsos . Uma coisa que acho super importante antes de reservar o hotel é verificar bem sua localização, ver se é de fácil acesso, se é próxima das atrações que você mais se interessa, enfim, porque não adianta nada você pegar um hotel super barato se ele fica afastado de tudo, pq ai vc terá que gastar com locomoção. ROUPAS (o que levar): Nós usamos uma mochila 70 litros + uma bolsa de ataque, o que foi suficiente para toda a viagem. Apesar de ser verão e do clima extremamente seco e quente em Santiago, passamos muito, mas muito frio em Embalse El Yeso, então aconcelho levar pelo menos um casaco corta vento em qualquer aventura que vc for fazer pelas montanhas. Em San Pedro as noites e as manhãs também são bem geladas, assim como alguns passeios onde a altitude é maior (lagunas Altiplânicas e o final da tarde no Valle de la Luna). Algo que foi indispênsavel foi o tênis (dê preferência para tênis de escalada) pois chão é escorregadio e íngreme em vários lugares. Em Vina del Mar, é legal levar roupa de banho, pelo menos para pegar um sol na areia, já que acho meio dificil alguém se arriscar nas águas super geladas do Pacífico SEGURANÇA: Em poucos lugares me senti tão seguro quanto no Chile, principalmente na capital, Santiago. Andei em regiões degradadas a noite, lugares vazios, utilizei minha câmera em grandes aglomerações e em nenhum momento me senti inibido por alguém. Foi sorte? Pode ser, mas se comparado com as grandes cidades brasileiras, Santiago é um paraíso. Os carabineiros (guardas chilenos) estão presentes em todos os principais pontos turísticos da cidade e nas ruas centrais e são super solícitos caso necessite de alguma informação. Vina del Mar e San Pedro de Atacama são mais tranquilas ainda. Em Valparaíso não senti a mesma liberdade e preferi nem utilizar minha câmera, mas também não tive problemas. Mas claro, vale tomar algumas medidas de segurança e não relaxar, já que os furtos são muito comuns, principalmente no metro, então sempre fique de olho nos bolsos e em sua bolsa, evite grandes aglomerações e mantenha a tenção redobrada sempre, pois é no momento do descuido que as coisas acontecem TRANSPORTE: Não tenho o que reclamar das estradas que passei no Chile - são todas asfaltadas, inclusive as que estão no meio do deserto, sem buracos e bem sinalizadas. Em Santiago, o metro é sem dúvidas a melhor opção para locomoção (é limpo e serve boa parte da região metropolitana. Custa cerca de 700 pesos, dependendo do horário). Não peguei ônibus e táxi nenhuma vez (não vi necessidade). Além disso, é bom tomar cuidado com os táxis da capital. No hostel ouvi a história de duas francesas que tomaram um táxi do aeroporto até o hotel no centro e pagaram 150 mil pesos, isso pq o motorista viu que eram turistas e ficou dando voltas com elas Aliás, para fazer esse trajeto, nós pegamos uma transferência da TransVip, que é uma van que leva a pessoa do aeroporto até o hotel e que custa 7 mil pesos por pessoa - super recomendo já que é bem mais barato que um táxi e mais seguro que pegar um ônibus. Ficamos 5 dias em Santiago, sendo que um desses dias visitei Valpo e Viña e 3 dias em San Pedro de Atacama. Abaixo está o roteiro que fiz nessas cidades, incluindo os pontos turísticos que visitei (coloquei os mesmos em negrito para facilitar) e alguns comentários. Espero que meu relato seja útil assim como o Mochileiros.com foi útil para minha viagem Dia 07/01 - Voo Guarulhos/SP > Galeão/Rio Dia 08/01 - Voo Rio > Santiago Transferência Aeroporto > Hostel no centro Dia 12/01 - Ônibus Santiago > Valparaíso Ônibus Viña del Mar > Santiago Dia 13/01 - Ônibus Santiago > San Pedro de Atacama (24 horas de viagem) Dia 1 - Santiago Nós chegamos em Santiago por volta das 12.30 hrs vindo de um vôo de São Paulo com escala no Rio. Foram 5 horas de vôo e apenas a linda vista da Cordilheira dos Andes com alguns picos nevados em pleno verão já são impressionantes (Imagina no inverno!). Peguei uma transferência até meu hostel e depois de fazer o check-in e tomar um banho fomos bater perna. O roteiro do dia foi: Costanera Center: popular shopping situado no bairro de Providencia e que é um dos mais luxuosos da cidade. Tem 5 andares das mais variadas lojas e pros mais diversificados bolsos, sendo que o Wi-fi é liberado em todos os andares. É no subsolo do shopping que existe uma casa de câmbio que funciona aos sábados e domingos (apesar da cotação ruim). Anexado ao shopping fica a Gran Torre Santiago, o edifício mais alto da América Latina - 64 andares e 300 metros de altura. No alto da torre fica o Sky Costanera, o famoso mirante que oferece uma vista 360 graus de Santiago. O valor para subir é de 8 mil pesos durante a semana e 10 mil pesos aos finais de semana - é um preço salgado para um mochileiro mas a vista que o mirante oferece da cidade é de encher os olhos. Fiquei arrepiado. Aproveitamos também para conhecer a Igreja Militar que fica ao lado do shopping Vista do Sky Costanera: Dia 2: Cajon del Maipo, Embalse el Yeso e Palácio de la Moneda Acordamos cedo e fomos para a região de Cajon del Maipo, onde fizemos várias paradas ao longo do trajeto até chegar ao principal destino do dia. Paramos no Rio Mapocho e em vários mirantes em meio a Cordilheira dos Andes que oferecem vistas dignas de cartões postais. Depois de quase 3 horas finalmente chegamos em Embalse El Yeso, um dos luagres mais lindos que visitei na vida! . O lugar nada mais é que uma represa formada pelo degelo dos Andes no verão, mas o grandioso lago de águas azuis emoldurado pelos picos ainda nevados formam uma paisagem deslumbrande. Vale muito a pena!!!. Existem várias agências que fazem esse passeio. Fomos com a Sousas Tour, especializada em brasileiros e não me arrependo, já que os guias são super legais e atenciosos, a van que nos leva pelas montanhas é bem confortável, o almoço servido é muito bom e o preço não é muito diferente do cobrado por outras agências (53 mil pesos por pessoa, mas recebi desconto por fechar dois passeios). Voltando do passeio que dura aproximadamente 9 horas, fomos visitar a região do la Moneda. Eis o roteiro: Igreja de la Glatitud Nacional, na avenida Ricardo Cumming Avenida Bernardo O'Higgins - principal avenida de Santiago, é repleta de construções históricas e imponentes, igrejas, jardins e monumentos. Igreja San Ignacio, na rua Padre Alonso de Ovalle Paseo Bulnes - Um dos lugares mais agradáveis da cidade, é um grandioso boulevard que se inicia em frente ao La Moneda e que é repleto de jardins, cafés e restaurantes Cripta O'Higgins - local onde está os restos mortais do libertador Bernardo O'Higgins. Fica na Plaza Bulnes. Palácio de la Moneda - Residência oficial da presidente do Chile, era a antiga casa da moeda do país, daí seu nome haha:P Centro Cultural La Moneda - Fica localizado no subsolo do palácio. É uma grande área reservada para exposições temporárias (estava tendo uma exposição com obras do Picasso ) e e uma exposição permanente que é gratuíta. Dia 3: Centro Histórico Igreja Santa Helena, na Calle Huérfanos Igreja do Sangue Precioso, na Calle Compañía de Jesus Plaza Brasil Basílica El Salvador Plaza de la Constitución e Troca de Guarda - Conseguimos pegar o finalzinho da famosa troca de guarda que é feita em frente ao La Moneda Paseo Ahumada - Rua transformada em calçadão com inúmeras lojas, cafés, restaurantes e artistas de rua Igreja San Agústin Teatro Municipal Plaza de Armas - marco zero da cidade, é ao redor dessa grandiosa e movimentada praça que estão importantes e belíssimos prédios históricos que ajudam a contar a histórica de Santiago. É aqui que está o famoso Monumento ao Indigena. Catedral Metropolitana Palácio dos Correios Museu Histórico Nacional Congresso Nacional Palácio da Justiça Museu de Arte Pré-Colombiana Mercado Central de Santiago Plaza Part Academia e Museu Nacional de Bellas Artes Parque Florestal - agradável e arborizado parque Plaza Italia Plaza Baquedano Museu Violeta Parra Igreja San Francisco de Borja, na calle Carabineros de Chile Centro Cultural Gabriela Mistral PUC Chile Cerro Santa Lúcia - um dos lugares que mais gostei em Santiago. É um grande morro em meio a selva de pedra e que é repleta de jardins, fontes, monumentos e claro, inúmeros mirantes - o mais famoso e alto é a torre do Castelo Hidalgo. Biblioteca Nacional Paris - Londres - sinceramente, esperava mais Igreja San Francisco - a mais antiga da cidade Uffa, perceberam que eu gosto de visitar igrejas né ?! hahah. Esse foi o dia que mais andamos e tudo sem utilizar transporte - emagreci umas gramas ai . Com exceção do Museu Pré-Colombiano, todas essas atrações saõ gratuitas. Dia 4: Vinícola e San Cristóbal Vinícola Concha Y Toro - fechamos esse passeio com a agência Sousas Tour (27 mil pesos por pessoa, sem o desconto) e durou aproximadamente 4 horas. Acompanhados da guia Macarena (quem não lembra da música? ) visitamos as instalações da vinícola que fica nos arredores de Santiago. Não é um passeio imperdível, mas é interessante (o auge do passeio é o Casillero del Diablo). Páteo Bella Vista - saindo da vinícola fomos até o Bella Vista, que é um grande centro comercial com as mais diversas lojas e restaurantes (caros por sinal) e foi aqui que tivemos umas das cenas mais engraçadas da viagem. No McDonald's, fomos pedir um sorvete Mc flurry Ritter, porém na hora de usar o portunhol, o Danilo pediu um sorvete sabor Hitler ( que isso não volte a acontecer!) Cemitério Geral de Santiago - andamos pra caramba até chegar ao principal cemitério da cidade, onde estão enterradas algumas das personalidades mais famosas do Chile. O cemitério é enorme, tem um urbanismo bem diferente e sem dúvidas vai agradar aos amantes de arte tumular, como eu haha. É necessário ter uma permissão para fotografar dentro do cemitério - pode ser tirado na hora, na secretária. Cerro San Cristóbal e Funicular - Uma das atrações mais famosas de Santiago, o Cerro San Cristóbal é um grandioso morro pertencente ao Parque Metropolitano, o terceiro maior parque urbano do mundo! Para subir até o mirante, a opção mais utilizada é o Funicular (paga-se 2 mil pesos por pessoa) e em poucos minutos chega-se no alto do cerro, mas não em seu topo - o Santuário de la Concepcion é o ponto mais alto do Cerro e para chegar lá é necessário subir um conjunto de escadas. No alto do cerro se existem várias lanchonetes, lojas, capelas, uma igreja, além claro de proporcionar uma linda vista de toda a cidade (mas não é a mais bonita, o do Sky Costanera é mais). Dia 5 - Val e Vina Nesse dia fomos até o Terminal Alameda e compramos uma passagem de ida para Valparaíso pela Turbus (5 mil pesos, mas não me lembro rs)e duas horas depois chegamos a cidade, que parece que parou no tempo. Visitamos: Plaza Victoria Catedral de Valparaíso Biblioteca Municipal Avenida Brasil e seu Arco Plaza Sotomayor Monumento aos Heróis de Iquique Armada do Chile Palácio da Justiça Ascensor El Peral Paseo Yugoslavo Palácio Baburizza Ascensor Artilleria Paseo 21 de Mayo Descemos o mirador e fomos até a e=Estação Central onde pegamos o confortável e moderno metro de Valparaíso (1.200 pesos por pessoa) e fomos até Vina del Mar, onde descemos na estação Miraflores e visitamos: Relógio de Flores Praia de Caleta Abarca Avenida La marina Castelo Wulff Cassino de Vina Plaza Vergara Teatro Municipal Dia 6 - ida a San Pedro Esse foi o dia mais relax em Santiago, onde aproveitamos para trocar mais dinheiro e comprar algumas coisas no supermercado Jumbo do Costanera Center (super recomendo, vende basicamente de tudo e por preços interessantes). A noite fomos até ao Terminal Alameda onde pegamos um ônibus da Turbus até San Pedro de Atacama - compramos a passagem no dia que chegamos em Santiago, pois ficamos com medo de não haver assentos disponiveis para o dia que sugerimos e pagamos 35 mil pesos por pessoa em um bus de dois andares semi leito. Porém, é bom sempre dar uma pesquisada no site da Lan Chile, porque do nada eles lançam promoções de passagens para o Atacama mais baratas que as de ônibus. Dia 7 A viagem dura 24 horas e é extremamente cansativa. Saindo da região metropolitana de Santiago, a paisagem ao longo da rodovia não se altera, é sempre o deserto que nos acompanha. As duas ultimas paradas são em Antofagasta e em Calama, até finalmente chegarmos em San Pedro de Atacama, por volta das 20 hrs. É impressionante vc ver aquele oásis enorme no meio do deserto Ficamos hospedados no Hostel Paso los Toros, que fica próxima a rodoviária e a algumas quadras da praça central. Apesar da ótima localização, o hostel deixou muito a desejar em conforto e comodidade, por ser bem rústico e simples, mas entre todos as opções que encontrei no Booking.com, essa era mais barata (220 reais por pessoa três diárias) - o barato saiu caro para mim . San Pedro a noite é super agitada (me lembrou muito o Centro Histórico de Paraty a noite), cheia de bares e restaurantes que ficam lotados de turistas, principalmente na Calle Caracoles É muito bom! Dia 08 Nesse dia fomos bater perna e conhecer todo o centro da cidade (algo que não demora muito haha, já que San Pedro é um ovo). Fomos na linda Igreja de San Pedro e na Praça central, feira de artesanatos e no Rio San Pedro que estava cheio devido as chuvas dos últimos dias (tivemos muita sorte de pegar ele cheio). As ruas da cidade são em sua maioria de terra e as casas seguem um padrão arquitetônico único, o que deixa tudo mais charmoso e lindo de se ver ! 2017! A tarde fomos visitar o tão famoso Valle de la Luna, que fica a apenas 30 minutos de carro de San Pedro. Fechamos um pacote com a agência Senda Mística (Calle Toconao, 10 mil pesos por pessoa com guia bilingue). O vale é fantástico e é um dos lugares mais mágicos e lindos que já estive - destaque para o Mirante do Coyote. Dia 09 Acordamos cedo e fomos para nosso último passeio no Atacama, Piedras Rojas e as Lagunas Altiplânicas. Para chegar lá, fechamos um pacote novamente com a agência Senda Mística (35 mil pesos por pessoa com café da manhã, almoço e café da tarde) e gostamos bastante do guia e das comidas servidas. O passeio inclui a visita pelo vilarejo de Socaire, Monumento aos Meridianos, Piedras Rojas, Lagunas Miscante e Miniques, vilarejo de Toconao, Salar de Atacama e Laguna Chaxa - Um lugar mais lindo que o outro !!!! Vale muito a pena esse passeio. Dia 10 Acordamos cedo e demos continuidade ao mochilão - o destino do dia era a Bolívia. Fomos com a agência Colque Tours até a imigração e de lá seguimos pela aventura de passar 3 dias no deserto Continua no relato Bolívia: https://www.mochileiros.com/a-impressionante-bolivia-salar-de-uyuni-la-paz-copacabana-lago-titicaca-e-isla-del-sol-com-fotos-e-precos-2017-t141313.html Outros relatos: https://www.mochileiros.com/buenos-aires-e-la-plata-5-dias-com-fotos-roteiro-e-relato-do-golpe-da-tinta-verde-t131086.html https://www.mochileiros.com/visitando-o-centro-historico-de-florianopolis-praia-de-canasvieiras-t138293.html https://www.mochileiros.com/bate-e-volta-em-campos-do-jordao-na-alta-temporada-junho-2016-t131749.html https://www.mochileiros.com/um-dia-em-angra-dos-reis-vindo-de-paraty-com-roteiro-e-fotos-t138227.html post1261123.html#p1261123
  8. Olá, Passei seis dias no Atacama e vou postar dicas e fotos para quem vai curtir esse passeio. Fiz passeios só no deserto do Atacama e para falar a verdade seis dias são super suficientes para fazer tudo que tem por lá, descansar e sentir um pouco de tédio (especialmente para quem vai num 1º de maio em que muita coisa fecha). Então lá vai. 1º dia: Cheguei numa Quinta-feira 19:00 horas e logo percebi que meu hotel era no fim do mundo. Não perdi tempo, aluguei uma bike e dei uma esticada até o centro para conversar com as agências. Comi o famoso "Lomo al pobre" que é violento de bão, segue arquivo da vítima. Certifique-se que sua bike venha com lanterna, assim você evita os capotes pois muitas ruas não tem luz, o que é ótimo para ver o céu perfeito. 2º dia: Alucinado pela bike fui até o "Valle de la Muerte" são só 6 km até a entrada. Uns 3 mil pesos para entrar (2 dólares mais ou menos). Você para ela num estacionamento lá dentro e depois sobe à pé. Anda-se bastante para chegar ao mirador, mas não desista no caminho pq o visual é animal. De noite fui conferir o passeio da Space Orbs (reserve com antecedência) 20 mil pesos te pegam de ônibus, dão chocolate quente, explicam os pontos importantes sobre astronomia e se olha pelo telescópio (vemos várias constelações, Júpiter e algumas luas, Saturno e um amontoado de estrelas) a definição da imagem não é das maiores, mas está bom. 3º dia: Lagunas Altiplânicas eu reservei com uma agência do centro, na Caracoles, a rua principal. Preço justo, sem abuso, faz direitinho o trajeto, motorista Marco, já um senhor, responsável fez um café legal, contou tudo para nós e ainda fez o carro subir um morro desligado!!! Tudo ilusão que ele nos explicou. Para mim esse foi o melhor passeio, 65 mil pesos (com Geyser no dia seguinte), café e almoço, Piedras Rojas, povoados (tantos) Lagunas Altiplânicas (Miscanti e Miñiques) e Chaxa que não tem tantos flamingos pelas ações das empresas que estão retirando água dos lugares mais próximos. O visual dessas lagoas e vulcões e as pedras vermelhas é inesquecível, já valeu a viagem inteira. 4º dia: Geyser: Depois de chegar no hotel 3 da matina fruto das muitas amizades que a gente vai fazendo (sim, é só andar pela rua e passeios cumprimentando e trocando ideia no bom portunhol que rola de fazer muitos contatos. O lugar também é cheio de brasileiros. Desafio era acordar 4 e meia da madruga, subir a altitude, e não passar mal. Deu tudo certo por que as adaptações à altitude foi feita antes. Faça esse passeio mais pro final para você não passar mal, vi muita gente chamar o Juca depois do desayuno. Achei o lugar meio sem graça, mas quem quer passar a experiência do frio (peguei - 7) é bom, ainda se passa em Machuca pra comer espetinho de Llama ou Vicuña ou Paca, e vê-se o vulcão Puritama na ativa. 5º dia: tédio, esse foi o mais sofrido, deixei o passeio do Valle de la Luna pra depois para não ficar sem o que fazer. Meu plano era subir o Lascar, vulcão ativo, mas nenhuma agência fez porque na cidade toda só tinha uma pessoa com interesse, EU outra opção era ir pra Bolívia (laguna Verde, Colorada, carimbar passaporte e voltar) quase nenhuma agência faz esse passeio. Apareceram outras opções, tipo o cerro Toco, mas os problemas que tive com o cartão limitaram minhas opções. Consegue-se passear no centro, comer super bem, comprar presentinhos, comer denovo, charlar, e beleza. 6º dia: Valle de la Luna, 1o mil pesos (70 reais mais ou menos) Super legal, animal o lugar e dura a tarde inteira. Anda-se dentro das cavernas de sal, caminha-se pelo vale que já teve água demais e deixou todo sal ali e super rachaduras. Paisagem que faz sentir que valeu andar toda essa distância, passar frios de noite e principalmente de manhã e se rachar pela sequidão do deserto. Último dia, bora trabalhar pq ainda tem outras viagens para fazer. Na próxima (quando Deus sabe quando) o Salar de Tara será usado como adaptação para fazer o passeio para o Uyuni. Foi fantástico, não vale a pena correr, acho que se aproveita mais desfrutando o ritmo do lugar. Até a próxima. gastos: 1230 vôo Latam, 850 loft (uma cabana super bem equipada com tudo), 550 passeios, 400 comidas e cervas. Abraços
  9. E aí pessoal! Sumi por um tempo. Peço desculpas. Estou de volta contando sobre nosso passeio para o Deserto do Atacama. A primeira parte da aventura você confere aqui: http://www.mochileiros.com/deserto-do-atacama-agosto-2016-parte-1-chegada-a-calama-e-san-pedro-de-atacama-t134216.html E aí vai o texto que a Ariane, minha namorada, escreveu sobre nosso passeio do segundo dia... Esse é um passeio só encontramos em uma agência. Pode existir em outras, mas talvez seja quebrado em mais de um passeio ou então pode ser que tenha outro nome, mas vale muito a pena, pois é um dos mais legais. O tour foi a ATAKAMA CULTURA AVENTURA que fez. Lá é comum você fechar com uma agência e outra fazer o passeio, pois eles se agrupam. Então recomendo muito que você confirme que é esta empresa que vai fazer o passeio, pois ela valeu muito a pena! O passeio se iniciou bem cedo, as 7h da manhã a van passou no hostel para pegar. O guia se chamava Mauricio, uma pessoa que ama o que faz e contribui para que o passeio seja o melhor. O tour é em inglês e em espanhol. Nossa primeira parada foi na Reserva dos Flamingos. Lugar lindo, foi nosso primeiro contato com o frio do Atacama. La tem algumas lagunas onde ficam os flamingos e conseguimos ver eles voando de um lado para o outro, a paisagem desse lugar é deslumbrante e conseguimos trazer fotos maginificas. La mesmo tomamos nosso café da manhã, muito simples e farto. Já incluso no passeio. Depois fomos passar um pouco mais de frio em Piedras Rojas, como fomos no final do inverno a laguna ainda estava com uma fina camada de gelo, também um lugar com a paisagem muito linda, mas o vento estava bem forte. Então fomos até Socaire, uma cidade situada a 3500m de altitude e com cerca de 400 habitantes, cultiva arvores frutíferas, grãos entre outros alimentos. Ali paramos em um restaurante onde foi servido o almoço, estava muito gostoso e tinha 3 opções no cardapio (Tudo incluso no valor do passeio), após o almoço fomos conhecer um pouco da cidade, fomos até a igreja feita com madeira de cacto, um lugar muito calmo e vimos poucos habitantes, mas muitos cachorros, que alias, são muito comuns tanto no Atacama quanto em Santiago. Cachorros de rua e muito bem cuidados, alguns até usando roupa rsrs. Seguindo para ir embora passamos no vilarejo chamado Toconao, com menos de 1000 habitantes, mas cheio de lojinhas e pessoas sorridentes. Fomos em uma loja que a dona criava uma Lhama muito linda e simpatica, ela vive no quintal junto com uma ovelha, muito gostoso o contato com um vilarejo tão simples. Ainda no caminho de ir embora, tivemos nossa ultima e emocionante parada, o ponto onde passa o Trópico de Capricornio Lat. 23° 26’ 16”, la ainda tem um caminho de pedra que era o ainda camino del INCAS, no tempo do Império esse caminho ligava Cusco, no Peru até Santiago, capital do Chile. Como de costume em lugares importante existem montinho de pedra que até hoje turistas que passam por ali deixam sua contribuição. E então seguimos em frente até San Pedro. Custo do passeio em pesos chilenos: 35000+ 5.500 para entrar na reserva dos flamingos.
  10. Você ama o céu? Você ama admirar a Lua? E as estrelas? Sério! Vocês precisam ir para o Deserto do Atacama e fazer o tour Astronômico, que experiência e momento do caramba!!!! Nunca tinha vivido essa experiência na vida, e posso falar que vale a pena cada momento, cada frio ( ) e cada suspirada. Não é atoa que está entre os 10 mais belos céus do planeta Terra! Quando chegar em San Pedro de Atacama, já se informem do Tour, não deixe para a última hora pois o ideal não é deixá-lo para a última noite da viagem, pois o passeio não é garantido, já que em algumas ocasiões há nuvens no céu do Atacama e não é possível observar as estrelas. E o tour pode ser cancelado, um dos motivos que não é um passeio que se paga com antecedência. Se um dos motivos de ir para o Atacama é o tour astronômico, veja a fase da Lua antes de marcar sua viagem, na Lua cheia o tour não é realizado. Leve seus pedidos, você verá muitas estrelas cadentes!! ( Estrellas Fugaz en español) O tour sai da frente da agência, e a van nos leva até o meio do deserto, quando a luminosidade é zero e só as estrelas nos iluminam!! Ocorrem as explicações, e vamos vendo tudo o que o Guia vai explicando pelos telescópios, para mim foi uma experiência impar. Tudo muito aconchegante, é servido chocolate, chá, vinho e petiscos para nos aquecer. !!Dica - vá muito beeeem agasalhado!! Calma, você estará tão encantadx que o frio não importará. Fechei meu tour direto com o Guia - Que por sinal foi um show a parte. Explicou tudo de forma clara, atenciosa e super divertida, que para quem está tremendo de frio, é uma salvação dar umas gargalhadas. Fazia questão que todo mundo estivesse gostando e entendendo a explicação. Super recomendo!!! ( contato do guia: Caio Fraga - Whatsapp 55 31 8814-0654) Voltei e ainda estou apaixonada, por cada momento que vi esse céu e pensei " Caraca é de verdade, estou aqui vendo tudo isso e é de verdade!" Gentem! ver cada detalhe da Lua? simplesmente um sonho
  11. Olá, pessoal! Vou postar o relato da minha viagem para o Chile, com os valores gastos. Esse foi meu roteiro completo: 29/03: Voo de São Paulo para Santiago (chegada no dia 30) 30/03: Santiago 31/03: Voo de Santiago para Calama, e de lá, van para São Pedro do Atacama 01/04: São Pedro do Atacama 02/04: São Pedro do Atacama 03/04: São Pedro do Atacama 04/04: São Pedro do Atacama 05/04: Voo de Calama para Santiago, à noite ônibus para Pucon 06/04: Pucón 07/04: Pucón 08/04: Pucón 09/04: Ônibus de Pucón para Puerto Varas 10/04: Puerto Varas 11/04: Puerto Varas 12/04: Puerto Varas 13/04: Puerto Varas, à noite ônibus para Santiago 14/04: Santiago 15/04: Voo de Santiago para São Paulo Companhias aéreas: - LATAM para para o trecho SP - Santiago (R$950 por pessoa) - Sky Airline Chile para o trecho Santiago Calama ($110 dólares por pessoa) Seguro Viagem: Mondial Assistance (R$ 188 por pessoa) R$273 foi a média diária de gastos por pessoa (tirando passagens aéreas e seguro viagem) Sobre o roteiro: postarei aqui apenas as informações sobre o deserto do Atacama, e sobre Santiago, Pucón e Puerto Varas postarei em outros tópicos.
  12. Pessoal, estive no Deserto do Atacama em agosto de 2016 e queria colocar aqui meu relato para ajudar o pessoal do fórum que está planejando uma trip para lá. Como chegar no Deserto de Atacama Para visitar o Deserto de Atacama você quase certamente ficará hospedado em San Pedro de Atacama, um povoado com 3 mil habitantes instalado no meio do deserto e que serve de base para todos os principais passeios ao Deserto do Atacama. De avião O aeroporto mais próximo fica na cidade de Calama, situada a aproximadamente 1 hora e 20 minutos de carro de San Pedro de Atacama. Calama é o principal ponto de chegada para quem chega de avião ao Deserto do Atacama. Paguei 76 dólares pelo voo de ida e volta pela Sky Airline, saindo de Santiago. No aeroporto mesmo existem umas 5 empresas de transfers que fazem o trajeto Calama – San Pedro de Atacama. Todas cobram um preço tabelado de 12.000 pesos ida e 20.000 ida e volta. Se você chega e sai de Calama, feche ida e volta e informe o dia e horário do seu voo de volta que eles irão pegar você no seu hotel/hostel a tempo do seu voo de volta. Sobre qual empresa escolher, todas parecem sérias e estruturadas, mas a Transfer Vip aparentemente possui mais carros, o que pode ser uma vantagem. De ônibus Você também pode chegar a San Pedro de Atacama de ônibus. A viagem saindo de Santiago leva quase 24 horas, o que certamente é cansativo. Com a Tur Bus você consegue comprar passagens até San Pedro, e com a Pullman Bus você chega até Calama. Quanto gastei no Deserto de Atacama Bom, gastos são sempre importantes, mas cada um sabe o budget que tem e o que pode gastar em uma viagem. Eu anotei absolutamente tudo o que gastei nessa viagem, dos passeios ao chocolate. Usei um app que gosto demais, que é o Travel Pocket (recomendo!). Segundo minhas anotações no app, meus gastos ficaram assim: CLP 339.250,00 (pesos chilenos, aproximadamente 522 dólares); USD 575,00; e BRL 1.386,00 (neste valor está apenas a passagem para o Brasil). Assim, podemos dizer que minha viagem no total saiu por algo como R$ 5.220,00 (considerando 1 real como 3,5 dólares). Quando ir ao Deserto de Atacama O Deserto do Atacama é um destino que pode ser visitado durante todo o ano, sem restrições. O tempo é extremamente seco e raramente chove. Temperaturas. Basicamente, essa é a principal questão envolvendo o clima que você vai se preocupar. A amplitude térmica é muito grande por lá, ou seja, você vai pegar frio à noite e nas primeiras horas da manhã e calor durante o dia. Nos meses de verão (mesmo período do verão no Brasil) você terá temperaturas mais altas durante o dia, e no inverno (período em que eu estive por lá) já não tão altas. Por outro lado, no inverno você terá noites e manhãs mais frias do que no verão. Para você ter ideia, no passeio aos Geysers del Tatio eu peguei -13 graus logo ao amanhecer. Na tarde, já de volta a San Pedro, a temperatura estava um pouco acima de 20 graus, ou seja, uma diferença de 33 graus no mesmo dia! Geysers del Tatio – Temperatura quando estive por lá foi -13 graus! Os períodos com temperaturas mais amenas e uma amplitude térmica não tão grande é de março a maio e de setembro a novembro, portanto esses seriam os melhores meses para visitar o Deserto do Atacama, mas, como falei antes, você tem condições climáticas para visitar o Atacama durante todo o ano. Sobre o tempo ser seco, leve Bepantol e um hidrante e beba bastante água. É que com o tempo seco, sua boca e pele ficarão secas (incrivelmente secas), então você deve passar o Bepantol nos lábios o dia todo ou vai ficar com a boca parecendo a lua cheia de crateras! Onde ficar em San Pedro de Atacama A não ser que você procure algo muito específico, você certamente ficará hospedado em San Pedro de Atacama. É aqui que estão as agências e de onde saem os passeios para visitar o Deserto do Atacama. A cidade é praticamente toda voltada para o turismo, então você encontra opções de hospedagem para todos os bolsos e gostos. Saiba, contudo, que você está no meio do deserto e, em razão disso, recursos são escassos. São comuns relatos de falta de água, falta de água quente, falta de luz, internet, etc. Também em razão disso os preços são relativamente mais caros do que em outros lugares que já visitei. As ruas bucólicas de San Pedro de Atacama. Na foto, a rua Caracoles. Li praticamente todos os reviews de todos os lugares, peguei recomendações de blogueiros que confio que estiveram por lá, e acabei fechando no Booking.com. Certamente não é a opção mais barata, mas longe de ser mais cara. Tinha um café da manhã excelente, um quarto extremamente confortável e limpo, banheiro ótimo com água quente, Wi-Fi que funcionava razoavelmente bem, excelente localização e um igualmente excelente atendimento (em breve um review mais detalhado). O Hotel Pat'ta Hoiri é uma boa opção para quem está disposto a investir um pouco mais em conforto, sem pagar os preços estratosféricos de alguns hotéis de San Pedro de Atacama. Contudo, certamente não é a opção para os mochileiros que querem economizar ao máximo! Além da análise preço, a localização é um fator relevante. A principal rua de San Pedro de Atacama é a Caracoles, onde estão a maioria das agências e serviços que você precisa (farmácia, restaurantes, bares, etc). Grande parte do comércio está na Caracoles ou nas ruas próximas, portanto o mais próximo que você ficar daqui, melhor. De todo modo, San Pedro não é uma cidade muito grande, então com alguns minutos de caminhada você chega à grande maioria das hospedagens. Contudo, quando você está cansado do dia inteiro de passeios, é sempre melhor que o restaurante ou bar que você vai jantar esteja o mais próximo possível de onde você está ficando. Enfim, um ponto a considerar! Um hostel que também é muito bem avaliado e que já bons reviews de blogueiros é o Hostal Lickana. Esse hostel fica muito bem localizado e tem excelente reviews no Booking.com também e tem preços mais em conta que o Hotel Pat'ta Hoiri. Estou escrevendo um post com uma pesquisa bem extensa de preços comparados com as avaliações de outros viajantes e opiniões de blogueiros e logo posto aqui para vocês. Onde comer em San Pedro de Atacama Apesar de ser um povoado pequeno e simples, San Pedro de Atacama oferece opções excelentes de comida. Na Rua Caracoles estão bons restaurantes, mas nas ruas próximas você encontra outras opções interessantes também. Vou relatar aqui os lugares onde comi, o que comi e quanto gastei exatamente em cada refeição, mas fico extremamente feliz se vocês colocarem outras opções nos comentários, assim aumentamos as opções para quem está lendo esse post aqui. Restaurante La Casona, na Rua Caracoles Restaurante muito bom, comida extremamente bem servida (mata a fome e sobra) e de qualidade. Paguei 15.070 pesos pelo menu do dia (foto abaixo) e uma cerveja. Restaurante Blanco, na Rua Caracoles Outro excelente restaurante na Caracoles, talvez um dos melhores da cidade. Paguei 20.405 pesos pelo jantar, com vinho e água. O menu do dia, que saia por 10.000 pesos (o meu saiu mais caro pelo vinho e água), está descrito na foto abaixo, juntamente com as fotos dos pratos que consegui tirar por lá. Restaurante La Pica del Indio, Rua Tocopilla Restaurante um pouco mais em conta, que fica na rua Tocopilla, uma travessa da Caracoles. Gastei 8.140 pesos para comer um ceviche como entrada e peito de frango com batatas de prato principal. O valor do menu, com sobremesa, era 4.500 pesos, mas como bebi duas cervejas o preço subiu! O frango não estava muito bom, mas é uma opção mais em conta para quem quer pagar menos. Restaurante Delicias del Carmen, Rua Caracoles Outro bom restaurante na Caracoles. Paguei 12.100 pesos por uma entrada de salada de quinoa e frango com fritas, e também bebi uma cerveja por lá. Uma outra opção do cardápio, pelo mesmo valor, era uma caesar salad. Fotos abaixo! Restaurante Tierra Natural, Rua Caracoles Aqui, paguei 9.900 pesos por um frango com batatas salteadas e uma Coca-Cola. Comida muito boa, feita com ingredientes orgânicos e naturais e um clima muito legal. Achei o serviço um pouco atrapalhado, mas acredito que isso se deu pois já era mais tarde do que o normal. Restaurante Adobe, Rua Caracoles Outro excelente restaurante de San Pedro. Jantei aqui em duas ocasiões. Na primeira, comi uma pizza muito boa e duas Coca-Colas, que me saíram por 16.830 pesos. A pizza alimenta duas pessoas que não comem muito (vou ficar devendo a foto)! Na segunda vez, um risoto de quinoa e uma Coca, que me saíram por 13.305 pesos. Fora essas opções acima, existem tantas outras na própria Caracoles. E como falei antes, ficaria feliz se outras pessoas pudessem comentar no post outras opções que usaram. Além dos restaurantes acima, também tomei uns chopps e comi uma pizza que eles mesmo fazem no Bar Chelacanbur, que fica também na Caracoles. Por lá, na final do futebol masculino da olimpíada e vendo o Brasil levar o ouro, deixei 12.500 pesos numa pizza que foi dividida em 5 pessoas e em uma quantidade de cerveja que me deixou relativamente bêbado! Agências de Viagem em San Pedro de Atacama Uma das grandes dúvidas na viagem ao Deserto do Atacama diz respeito às agências de viagem, afinal são muitas opções! Outra dúvida é se devemos fechar os passeios com antecedência ou se deixamos para fechar quando estivermos lá. Vou tentar responder essas dúvidas! Qual agência escolher? Como falei, são muitas. E os critérios de escolhas são muitos e muito pessoais também. Antes de qualquer coisa, só queria colocar que usei três agências diferentes e não recebi qualquer apoio delas por ter o blog. Aliás, elas sequer sabiam (e nem devem saber) do blog. Só escrevo isso pois li algumas críticas no TripAdvisor para alguns blogueiros que recomendavam passeios de agências que ofereceram apoio a esses blogueiros e o serviço e preço prestado por essas agências aparentemente não foi tão bom (e não estou fazendo qualquer julgamento aos blogueiros, agências ou a pessoa que escreveu no TripAdvisor). Enfim, vou dizer como eu escolhi a minha agência. No hotel que fiquei, o dono recomendou a agência Latchir. Visitei e verifiquei os preços, que eram bons. Os passeios são quase todos distantes de San Pedro, ou seja, você vai ter que percorrer longas distâncias de carro. É importante pagar barato, mas o barato pode sair caro, pois seu trajeto (seja de ônibus, van, pickup, etc) pode ser um inferno, isso sem falar no carro quebrar ou até algum acidente. Depois, visitei a Ayllu, muito recomendada por blogueiros e brasileiros que visitam o Deserto do Atacama. Achei a Ayllu com um preço alto (por vezes seis vezes mais caras que as demais), mas não fechei nenhum passeio com eles para dizer se o preço compensa ou não. Contudo, dada a grande diferença, acho bem difícil que valha até 6 vezes mais. Depois, visitei a Grado 10, também muito bem falada pelos viajantes brasileiros. Em termos de preço, saiu mais caro que a Latchir, mas bem mais barata que a Ayllu. Acabei fechando com eles. Por que escolhi a Grado 10? Bons reviews no Trip Advisor e em blogs no Brasil e, principalmente, pelo grande diferencial: O caminhão! Todas as demais agências fazem os trajetos em vans, micro ônibus ou pickups. A Grado 10 faz num caminhão overland adaptado para esse tipo de viagem. Eu já conhecia esse tipo de caminhão há muitos anos, pois meu grande sonho de viagem é cruzar a África num desses. Quando bati o olho não teve jeito! Apesar de ser rústico, o caminhão é extremamente confortável por dentro, com bancos reclináveis e janelas grandes. No Valle de la Luna pudemos assistir ao nascer da lua de cima do caminhão e na Laguna Cejar ficamos lá em cima enquanto o caminhão ia para o lugar onde faríamos nosso brinde da tarde! Claro que isso é um pequeno detalhe e que me cativou, mas achei o serviço excelente também. A nossa guia (Camila) era excelente, prestativa, com muito conhecimento e falava espanhol e inglês, mas todos os brasileiros entendiam ela sem problema algum. A Grado 10 só tem 4 passeios, os mais tradicionais: Laguna Cejar, Valle de La Luna, Geysers del Tatio e Lagunas Altiplanicas (sem Piedras Rojas). Fechei os 3 primeiros com eles e paguei 80.000 pesos. Também li bons reviews sobre a agência Atacama Connection e fechei com eles apenas o Lagunas Altiplanicas com Piedras Rojas (pois a Grado 10 não fazia Piedras Rojas). Tudo ocorreu bem, o veículo era um micro ônibus confortável, a guia tinha conhecimento e era muito prestativa, mas não tinha a mesma vibe do caminhão da Grado 10 hehe! De todo modo, nada a reparar quanto ao serviço prestado pela Atacama Connection. O preço que paguei por esse passeio foi 35.000 pesos. Por fim, fiz o Salar de Tara com a agência Crisol(não achei site, por isso estou indicando o Facebook). Honestamente, não pesquisei absolutamente nada sobre essa agência, fechei o passeio um dia antes depois de sentar num bar com uns brasileiros que iam no dia seguinte e recomendaram. O carro e o guia eram muito bons e o passeio foi excelente também, portanto não tenho absolutamente nada a reportar sobre eles. Um post que me ajudou bastante na avaliação de agências foi este aqui, do Viaje na Viagem, além, claro, do Trip Advisor. Geralmente, quando os passeios saem muito cedo da manhã (como é o caso dos Geysers del Tatio, que você sai próximo das 5, dependendo da época do ano) as agências oferecem café da manhã durante o passeio. Nos passeios de longa duração também é oferecido almoço, portanto a inclusão de refeições é um ponto também a ser observado na sua escolha. Devo reservar com antecedência? Sendo bem objetivo, não vejo razões para você reservar com antecedência. São muitas opções de agência e você dificilmente ficará sem poder fazer algum passeio que queira fazer. Ainda, quase todas aceitam uma chorada e concedem um desconto no preço inicial, então minha recomendação é que você feche os passeios apenas quando chegar em San Pedro de Atacama. Passeios no Deserto de Atacama Existem muitas opções do que fazer por lá. Os passeios tradicionais são 4: Valle de la Luna: O mais próximo de San Pedro, fica há uma meia hora do centro da cidade. Nesse passeio você faz uma visita guiada dentro do Valle de La Luna, que tem formações muito lindas. Ao final do dia, você sobe até onde fica a pedra do Coyote para ver o por do sol. Quando estive por lá também era época de lua cheia, e de lá vimos a lua nascer junto com o por do sol, foi lindo! Neste post aqui conto um pouco mais sobre o passeio ao Valle de La Luna e também mostro algumas das fotos que tirei por lá. Geysers del Tatio: Nesse passeio você sairá bem cedo de San Pedro (perto das 4 ou 5 da manhã), pois os geysers são mais ativos antes de o sol nascer. O problema é que faz muito frio por lá, e você deve ir preparadíssimo. Em agosto, quando estive lá, peguei temperaturas de -13 graus. É um passeio que dura o dia todo, você percorrerá uns 200 km de carro e atingirá uma altitude de 4.300 metros. Em breve, colocarei aqui o link para o post que estou escrevendo sobre o passeio. Lagunas Altiplanicas: Um dos passeios mais distantes de San Pedro. As paisagens do altiplano são espetaculares (as fotos abaixo falam por si só). Este passeio dura o dia todo e você percorrerá uns 270 km de carro ida e volta. Você vai visitar a Laguna Chaxa e o povoado de Socaire, e também as lagunas Miscante e Miñiques. É na laguna Chaxa que você verá inúmeros flamingos e terá a chance de tirar as fotos que tirei abaixo! Em breve, colocarei aqui o link para o post que estou escrevendo sobre o passeio. Lagunas Cejar e Tebenquiche: Esse passeio tem duração de meio dia e fica a apenas 30 km de San Pedro de Atacama. Aqui você terá a oportunidade de nadar em uma das lagunas, que tem 200 vezes mais sal que o mar. É possível também avistar flamingos, mas eu não tive essa sorte. Em breve, colocarei aqui o link para o post que estou escrevendo sobre o passeio. Além dos passeios tradicionais mencionados acima, existem outras ótimas opções do que fazer. Algumas eu listo aqui: Salar de Tara: Além dos passeios acima, também visitei o Salar de Tara. É um dos mais distantes de San Pedro e também onde você atingirá uma das maiores altitudes (pouco mais de 4.800 metros). O frio não é tão extremo como nos Geysers, mas é bom ir preparado para temperaturas baixas. É um passeio de dia inteiro e você vai rodar quase 300 km ida e volta. Em breve, colocarei aqui o link para o post que estou escrevendo sobre o passeio. Tour Astronômico: A baixa luminosidade no deserto e a baixa umidade fazem do Atacama um dos melhores lugares do mundo para se observar as estrelas. Apesar de fotografia noturna ser uma das minhas preferidas, quando cheguei em San Pedro era a primeira noite de lua cheia, e a lua cheia, em razão da sua grande luminosidade, faz com que você veja um número menor de estrelas do que o normal. Em razão disso, o tour astronômico mais conhecido do Deserto do Atacama não estava ocorrendo. Esse tour é feito pela empresa Space e você pode encontrar maiores informações no site deles. No último dia, contudo, consegui ir para o meio do deserto tirar fotos noturnas, pois a lua cheia nasceria duas horas depois do anoitecer. Vulcão Lascar: O Lascar é um vulcão ativo que fica acima dos 5.500 metros de altitude. Inúmeras agências em San Pedro oferecem um hiking para subir o vulcão. Infelizmente, meu pouco tempo no Deserto do Atacama não permitiu incluir a subida ao Lascar. Sandboard: Você pode fazer sandboard no Valle de La Muerte. Essa é outra atividade que gostaria, mas que não consegui incluir no tempo que estive por lá. Em dias de lua cheia, o pessoal faz o sandboard à noite, o que deve ser muito legal. Inúmeras agências oferecem esse passeio, então você não terá problemas em encontrar alguém que leve você até lá! Termas de Puritama: Outro que não consegui incluir, as Termas de Puritama são piscinas termais no meio do deserto, localizadas a 30 km de San Pedro. É uma excelente opção para relaxar depois de um dia cansativo no deserto. Inúmeras empresas levam você até lá e o preço é algo em torno de 9.000 pesos. Salar de Uyuni: O Salar de Uyuni fica na Bolívia, mas inúmeras agências em San Pedro fazem travessias até lá pelo deserto, que duram de 3 a 4 dias. O que levar ao Deserto do Atacama Fazer as malas para essa viagem ao Deserto do Atacama não é muito simples. Você tem que considerar que vai pegar temperaturas extremamente frias e temperaturas relativamente quentes, tudo no mesmo dia. Fora os itens básicos de higiene pessoal e vestuário, acredito que a lista abaixo é suficiente: Meias para frio: Se você tiver meias de esqui, ótimo. Você vai usar no passeio dos Geysers del Tatio e pode ser bom para dormir também. Se você não tiver meias de esqui, leve a mais grossa que você tiver. Calçado confortável: Leve sandália e um tênis confortável para fazer os passeios, já que você vai andar com frequência. Não vejo necessidade para uma bota de trekking ou algo mais pesado, a não ser que você vá fazer algum trekking mais pesado, como o Lascar. Eu estava com um tênis goretex da The North Face, que é bem reforçado, mas praticamente todo mundo que vi por lá estava com tênis normal. Se você tiver uma bota ou um tênis mais reforçado, ótimo, caso contrário não vejo necessidade de comprar um. Calça térmica: Se você tiver, será muito útil. Ainda que você não tenha uma calça térmica técnica (aquelas para esqui, frio extremo, etc), uma ceroula ou uma calça justa ao corpo e que retenha o calor já será muito boa. Blusa térmica: Basicamente, o mesmo que da calça térmica, mas para a parte de cima do corpo. Eu tenho várias, porque esquio, e você pode encontrar umas baratinhas na Decathlon e na Centauro. Fleece: O fleece é o que chamamos de segunda camada, um blusão bem quentinho e excelente para reter o calor. Além do fleece, pense em moletons também para usar como segunda camada. Jaqueta: Terceira e última camada, você pode levar um corta vento ou até algo mais pesado (eu andei com minha jaqueta de ski nos dias de muito frio). Luva e touca: Eu usei luva de ski e passei frio nos geysers, mas em todos os outros passeios me virei bem com uma luva de lã e mão no bolso. Para quem sente frio na cabeça, uma touca é bem útil por lá. Roupas leves: Além das roupas acima focadas no frio, leve roupas leve, como camisetas, calça jeans, etc, pois boa parte dos passeios serão feitos em temperatura amena. Um casaquinho não muito pesado também é muito útil para as noites em San Pedro. Filtro solar: É sol o dia todo e sol forte, não economize no FPS! Mochila de ataque: Leve uma mochila de ataque para usar durante o dia, especialmente para guardar as roupas que você for tirando e a água que você precisará carregar com você. Bepantol e hidratante: O tempo é muito seco e seus lábios e pele ficaram muito ressecados, mas ressecados como você nunca viu antes. Sua mão vai ficar áspera e seus lábios vão rachar, então evite isso ao máximo com Bepantol e hidratante. Soro fisiológico ou Sorine: Seu nariz fica desconfortavelmente seco, então use esses produtos para ajudar um pouco. Colírio: O olho também sofre com o tempo seco. Espero que a lista acima ajude vocês! Como falei antes, estou escrevendo uma série de posts sobre o Deserto do Atacama, e aos poucos vou publicando e colocando o link aqui para ajudar todo mundo. Coloquei aqui as informações que relatei no meu blog e o link para o post completo com mais fotos e informações está aqui. Espero que ajude! Não esquece de seguir o blog no Instagram para curtir as fotos que tirei lá no Atacama! Clica aqui.
  13. Oi pessoal! Fui sozinha para o Atacama em março/17. Vou compartilhar um pouco com vocês. O itinerário aéreo foi Porto Alegre > Galeão (longa tarde de conexão) > Santiago > Calama. Eu chegaria em Santiago depois da meia noite e o vôo para Calama era só depois do meio dia. No início pretendia pernoitar no aeroporto e depois sair de manhã para conhecer um pouco de Santiago. Mas de última hora resolvi reservar um hostel pelo Booking (o mais barato que eu achei) para aquela noite, pra que no outro dia eu estivesse mais inteira. Quando cheguei no aeroporto de Santiago fui direto para o ponto do bus que levava para o centro de Santiago, passagem baratinha e tal (coisas baratas me deixam feliz). Aí o motorista me informa que nesse horário (madrugada) o bus não passava na estação que eu queria descer, Los Heroes. Fui obrigada a pagar o transfer que me arrancou 7.000 pesos (drama) mas me deixou bem ma porta do hostel. O hostel era bem localizado mas meio sinistro. Um casarão antigo, decoração antiga, a tábua do chão rangia. Não foi a mais estimulante das experiências ficar nesse hostel, já cheguei de madrugada, estavam todos dormindo no quarto, tive que atrapalhar, botar celular a carregar, deixei o carregador cair sem querer no cara de baixo do beliche, enfim, achei que iam querer me matar pelo incômodo, mas não deu nada. No outro dia saí pela manhã pra dar uma caminhada rápida em Santiago. Fui ao Cerro de Santa Lucía (é interessante ler a história antes de ir) e Palacio de La Moneda, que eram pontos próximos e deu pra fazer tudo a pé. Também troquei o dinheiro no centro de Santiago (não vale a pena trocar no aeroporto ou San Pedro do Atacama). Fui de ônibus do centro ao aeroporto e peguei o vôo para Calama. Chegando no aeroporto de Calama ainda existe uma distância de aprox uma hora e meia até o Atacama. A melhor forma de chegar até lá é contratar um transfer no aeroporto mesmo; tem algumas agências que oferecem o serviço só de ida ou ida e volta (que tem um descontinho) pra quando você for pegar o vôo de volta, daí eles pegam você no hostel. Eu contratei a VIP, bom serviço e foram pontuais no retorno. Me deixaram na porta do hostel, que havia reservado com antecedência, Paso Los Toros. Indico, bom, simples e barato. Nesse dia aproveitei a tarde para reservar os passeios. Como é tudo próximo no centro de San Pedro, Rua Caracoles, dei uma pernada nas agências pra achar o melhor custo benefício (tem que pechinchar pq eles dão desconto). Contratei Vale de La Luna (10.000 pesos + entrada 3.000, carteira de estudante tem desc na entrada), e Lagunas Escondidas (15.000 pesos + entrada com desconto também). A agência dos passeios foi a Flamingo, bem no centro; o Garibaldi que me atendeu era de SP e deu um descontinho (nem queria). Então o roteiro ficou assim: DIA 1: Passeio de bike à Pukara Quitor e Garganta do Diabo Já tinha pesquisado sobre esse passeio, aluguei uma bike por 3.000 pesos, durante 6 horas. É comum o pessoal alugar bicicleta pra desbravar o deserto. O dono da "rent bike" me disse que a chuva da semana anterior fez subir a água de alguns canais e disse que estava ruim de atravessar. Pediu gentilmente pra eu não enfiar a bike no barro e me deu um mapa do trajeto. A primeira parada foi Pukara, que é um sítio arqueológico, a 15 min pedalando do centro. Bem legal, não paguei pra entrar. Depois segui para a aguardada Garganta. Realmente a água dos córregos às vezes batia no joelho, e eu atravessei com a bike no braço. Passei por uns 4 córregos até chegar. Quase chegando encontrei 3 homens, um guia com dois homens (nesse momento fiquei me achando por ter ido até lá sem guia). A Garganta é um labirinto de pedras altas, por vezes tão estreito que não dá pra passar pedalando. Ao final dá pra subir num mirante e contemplar o vazio e o silêncio do deserto. Na volta sentei na sombra de uma árvore e comi uma empanada de carne com coca que tinha levado na mochila. São momentos únicos, de paz total. Todo o passeio durou uma manhã inteira, chegando em San Pedro no início da tarde. A sensação de pedalar sozinha no meio do deserto é glorificante. À tarde teve Vale de La Luna. As agências fazem esse passeio normalmente por volta das 16h para apreciar o pôr do sol na Pedra do Coyote. A paisagem é única, a concentração de sal parece neve, e o vulcão Licancabur é papel de parede pras fotos. Eu levei 2 litros de água nesse passeio e foi pouco! Não sei se todas as agências vão a uma caverna subterrânea que tem lá, mas foi uma experiência inesquecível. Depois, fim da tarde, teve pôr do sol na Pedra do Coyote e lanche básico incluído no passeio (algumas agências oferecem). A visão é de tirar o fôlego e eu só conseguia pensar na sorte que eu estava tendo por apreciar aquele espetáculo da natureza. Voltamos a San Pedro às 20h. Hostel e cama. DIA 2: Lagunas Escondidas Pela manhã descansei e no início da tarde fui ao ponto de encontro do passeio. O percurso até lá é aprox 100 km. As Lagunas formadas pela chuva são como oásis. Em algumas é possível tomar banho. A concentração de sal na água é alta, mais densa que o corpo humano, ou seja, ao entrar na água você flutuuua; o peso da água sustenta seu corpo. Mas o que mais me chamou a atenção são os diferentes tons de azul das Lagunas. Rende as fotos mais bonitas! No final do passeio teve show de pôr do sol de novo. A agência oferece um snack básico, com direito a pisco, bebida típica. Retornamos 20h. DIA 3: Livre Aproveitei pra dar uma volta por San Pedro, comprar lembrancinhas e ir à igreja de barro que fica na praça principal. Nesse dia caberia outro passeio, gostaria muito de ter feito Piedras Rojas e passar pelo Trópico de Capricórnio, mas por falta de verba ficará pra próxima (já era a segunda trip do mês e o bolso já não tava mais guentando). Atacama valeu cada centavo, às vezes parecia que eu estava em outro planeta, tamanha a peculiaridade daquele lugar, às vezes parecia cena de filme de tão perfeito. No dia em que eu cheguei no hostel um paulista me falou: "Não vou lavar minhas botas nunca mais pra guardar a lembrança do Atacama." E eu pensei: exagerado. Dias depois eu olhava pras minhas botas exploradas da América e pensava: tomara que essa poeira demore pra sair! Espero que o meu relato possa ajudar em alguma coisa. No meu insta @kelen_leaal tem algumas fotos, ainda estou postando sempre que dá. Aaah, e prepara uma boa trilha sonora pra viagem porque o visual pede.
  14. Eu e meu namorado somos de Pouso Alegre, sul de Minas Gerais. Pesquisei muito qual seria a melhor maneira de chegar até Uyuni, partindo do Brasil, e acabamos nos decidindo por fazer o que a maioria das pessoas faz: ir até Calama de avião, hospedar em San Pedro de Atacama e fazer o tour de 4 dias pela Bolívia, voltando ao Chile no 4º dia. Outra opção que teríamos seria chegar pela Bolívia e fazer o caminho contrário. Apesar da passagem de avião ser mais barata (Guarulhos a La Paz), a opção para chegar até Uyuni seria um ônibus de muitas horas, e achamos que não valeria a pena. No final das contas, compensou mais chegar pelo Chile também para driblar melhor o mal de altitude, uma vez que SPA (San Pedro de Atacama) fica a 2.000m de altitude e La Paz a 3.600m. Pouso Alegre fica a 200km de São Paulo, e as passagens partindo de Guarulhos para Calama estavam mais em conta que partindo de Viracopos (Campinas). Compramos a passagem no início de junho, pelo site da TAM, para ir no dia 18/setembro e com retorno no dia 01/outubro. Pagamos RS1.345,50, com as taxas inclusas, fazendo escala em Santiago. Achei razoável o valor. O único inconveniente é a escala grande em Santiago: na ida pegamos uma escala de madrugada, passando 5h no aeroporto; na volta pegamos uma escala por toda a noite, passando 12h (preferimos não pagar mais uma noite de hospedagem e nos viramos como deu pelo aeroporto mesmo) e partindo no começo da manhã. Foi um inconveniente calculado, porque muitas pessoas costumam ficar 3 ou 4 dias em Santiago também, o que diminui esse desconforto. Como já conhecíamos Santiago, preferimos só fazer a escala mesmo. Tem quem compre a passagem de Guarulhos a Santiago e deixa pra comprar de Santiago a Calama no aeroporto mesmo, mas achei arriscado pagar um valor muito alto. Então, resumindo os valores por pessoa que paguei de passagem: * Viação Santa Cruz - Pouso Alegre a São Paulo, ida e volta: R$92,00 * Airport Bus Service - rodoviária Tietê a aeroporto Guarulhos, ida e volta: R$93,00 * LATAM Guarulhos a Calama, ida e volta: R$1.345,50 * Trans Licancabur - aeroporto Calama a SPA, ida e volta: R$95,00 (comprando ida e volta juntos) TOTAL: R$1.625,50 Enquanto planejava a viagem, pesquisei aqui no Mochileiros e no grupo do Facebook por indicação de hospedagem em San Pedro de Atacama, bem como de agências para fazer os tours por lá e pela Bolívia. Entrei no Booking e pesquisei os hostels indicados aqui e com vagas disponíveis para a data da minha viagem, selecionei alguns e mandei no meu e-mail. No dia que resolvi fazer minha reserva, quase não tinha mais vaga em nenhum desses hostels selecionados! Realizei nova busca pelo Booking e pelo Mochileiros, até encontrar o Hostal Tuyasto, com diárias a US$40 o quarto privativo para casal. Ou seja, saiu a US$20 pra cada. Nesse hostel só existem quartos privativos, para 1, 2, 3 ou 4 pessoas; sendo alguns com banheiro privativo também. Selecionamos um quarto com banheiro compartilhado mesmo. O café da manhã era incluso no valor e só reservamos as 6 primeiras diárias, antes de ir para Uyuni. Preferimos verificar o hostel primeiro antes de fechar as diárias restantes, na volta da Bolívia. O hostel nos surpreendeu muito positivamente! Fica a 600m da principal esquina de SPA: Caracoles x Toconao, de fácil acesso e a 100m da aduana. Tem mercadinho perto, é bem seguro, limpo e organizado. O chuveiro tem água quente de aquecimento solar e o banheiro é limpo diariamente. O quarto é quentinho também e o hostel bem sossegado. Gostamos tanto que acabamos reservado as últimas diárias lá mesmo, por CLP20.000 a diária pelo quarto de casal (aproximadamente R$100,00). Para quem quiser saber melhor, fiz uma avaliaçãodo hostel no TripAdvisor: https://www.tripadvisor.com.br/ShowUserReviews-g303681-d2628556-r424711010-Hostal_Tuyasto-San_Pedro_de_Atacama_Antofagasta_Region.html#CHECK_RATES_CONT
  15. Ola Pessoal! Meu nome é Everton, moro em SP e adoro viagens e fotografia, e depois de fazer dois mochilões (Europa e Asia) pelo mundo, resolvi pela primeira vez escrever um relato da minha viagem que está para acontecer neste próximo dia 12 de novembro. Praticamente já está tudo certo, passagens compradas, hosteis e lugares que vamos visitar ( vou postar valores depois). Meu maior problema agora é conter a ansiedade até o dia viagem rs... uma semana que parece um mês. Tenho o costume de viajar sozinho, porém desta vez vou levar dois amigos, o Thiago (Amate) e o Danielzinho, vulgo Bruce Lontra hahaha, depois eu explico o apelido. A ideia é começarmos a viagem pela Ilha de Páscoa que pertence ao Chile, e depois voltar para Santiago, Atacama e Salar Uyuni. O roteiro detalhado é esse abaixo: Queria ficar mais tempo em Santiago, porém não vai ser desta vez, os meninos que vão comigo precisam voltar antes e nao será possível estender Santiago, mas acho que o roteiro que vamos fazer será bem legal. Eu nao tenho problemas para fazer a mochila, porem ela não está comigo ainda : / vi uma vez numa viagem uma menina que costurou os patches de todos os países que ela tinha ido e eu resolvi costurar . O sapateiro falou que ela fica pronta dia 08 hahaha, tomara pq dia 10 já começo a montar ela. Enquanto isso, para não esquecer de nada, estou colocando todas as coisas em cima do sofá aqui no quarto. Olha a situação rs Bom, mas pelo menos quando a mochila chegar já vai estar tudo no jeito hahhaha Uma coisa que eu quis dar ênfase, é a parte das fotos, e durante e este meu relato terão muitas, eu sou do tipo de cara que viaja para fotografar hahaha , tanto que estou levando 15kg de equipamentos, e pretendo se der sorte vender algumas. Este é um dos motivos que eu prefiro viajar sozinho, porém meus amigos me conhecem a algum tempo e já sabe dessa minha vibe e sei que não teremos problemas, mesmo por que este também curtem. Olha abaixo parte do meu arsenal hahaha Bom, enfim, este foi um post mais para apresentação e ideia de como será a viagem. Fico devendo a questão dos valores das passagens e dos hosteis, mas até o meio da semana eu coloco essas informações, ai na sequencia o próxima atualização deverá vir das terras chilenas, pois iremos embarcar no nosso voo para Santiago as 21h44 e a chegada prevista é lá para 1h da manhã, ai vamos ficar no aeroporto mesmo, por que voo pada Ilha de Páscoa é umas 09h45. Nesse período irei colocar mais algumas informações enquanto esperamos o nosso próximo voo e tomamos uma breja hahah . abs Pessoal
  16. Mochilão San Pedro de Atacama janeiro 2016 Video da viagem em San Pedro de Atacama Gasto total: 140.000 pesos chilenos ( em dollar U$ 200 em real R$ 800,00 ) *valor apenas de 4 diárias sendo, hospedagem + alimentação + 2 passeios Valores separados: Hospedagem: 12.000 pesos chilenos a diária - Hostel Hara Hara Camping: 5.000 pesos chilenos Alimentação: 5.000 pesos chilenos bandejão Água de 1,5L: 900,00 pesos chilenos Passeios: 11.000 pesos chilenos - Vale de la Muerte + Vale de la Luna 30.000 pesos chilenos - Geiseres e Vulcões Outros Passeios que não fiz: 40.000 pesos chilenos - Noche Astronômica no Telescópio 120.000 pesos chilenos - Salar Uyuni já incluso hospedagem, café da manhã e transporte Obs.: Valores no período de 24/01/16 á 30/01/16 dollar em R$ 4,00 na época. Os valores variam dependendo da época, caso queira economizar evitar as épocas de Reveillon / Carnaval e inverno mês de julho, pois são as épocas mais caras em San Pedro de Atacama. Relatos: San Pedro de Atacama não é barato, pois é uma cidade pequena, no meio do deserto, ou seja, água é luxo lá, assim como outros recursos. Mas é uma cidadezinha bonita, bem estruturada e totalmente turística. Se a intenção for economizar, existe opções de hospedagem e camping mais em conta do que eu paguei, basta pesquisar, bater perna, a cidade é pequena e dá pra fazer essa garimpagem de preços em 2 horas de caminhada. Assim como alimentação, basta bater perna e pesquisar os melhores valores. Eu comi num bandejão de 5.000 pesos chilenos ( U$ 6 dolares ) foi um dos mais baratos que eu encontrei, mas no ultimo dia ví uma placa com um valor de 3.000 pesos chilenos. Há a opção de campings e o valor mais em conta que ví foi de 5.000 pesos chilenos a barraca Os Passeios você pode fazer fechando com uma agencia. Mas se você já tiver algum conhecimento da região e quiser fazer alguns passeios por conta própria ( carro, moto, bike ou trekking "caminhada" ) você pode numa boa. Apenas terá que pagar a entrada em cada guarita de acesso aos vales. A entrada custa 3.000 pesos chilenos por pessoa. Sobre bike e trekking: se vc já tem um bom conhecimento da região você pode fazer o Vale de La Muerte e o Vale de la Luna sozinho, mas é sempre bom ter um guia, afinal, trata-se de um deserto e se caso acontecer algo o guia poderá ajudar ou pedir ajuda. Existe a possibilidade de alugar bike na agencia de turismo ou de fechar um guia trekking, esses valores não peguei. Fiquei poucos dias em San Pedro do Atacama, pois eu estava de moto e de passagem apenas, pois meu destino era Cusco no Perú. Mesmo assim consegui fechar 2 passeios indispensáveis, Vale de la Muerte e Vale de la Luna + Geiseres e Vulcões. fechei com uma agencia na rua principal de San pedro, tem muitas agencias e a maioria tem o mesmo valor, todas seguras. Aliás, segurança, ou melhor, honestidade foi o que encontrei em San Pedro do Atacama. Tanto dos moradores locais, quanto dos turistas. Claro que não podemos vacilar. Após ter ido nesses passeios, percebi que eu poderia fazê-los com a minha moto, então no dia seguinte de cada passeio, peguei a moto e segui para os mesmos locais que passei de micro-ônibus da agencia de turismo. De moto consegui parar em alguns pontos de paisagens lindas e fazer algumas imagens. Os Passeios que não fiz, Salar Uyuni e Noche Astronômica, valeria a pena fazer, mas devido a minha programação para chegar a Cusco de moto, optei em não fechar esses passeios porque me custaria 2 ou 3 diárias a mais e também uma grana a mais. Sobre o clima, fui em janeiro, verão. Durante o dia sol intenso e calor de 40º e a noite a temperatura cai drasticamente chegando a 8º ... então, dependendo do passeio a ser feito, é bom levar um moletom ou um casaco, porque se o passeio acabar a noite você pegará o frio congelante.
  17. Gente, estou indo para o Chile por volta do meio de janeiro, não tenho muita certeza porque estarei vindo de um mochilão pela Argentina, mas fiquei em dúvida de como posso ir de Santiago do Chile até o deserto do Atacama, penso talvez até a cidade de são pedro do atacama, qual vcs acham o melhor jeito de fazer esse trajeto? Valeu!
×
×
  • Criar Novo...