Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''tailandia''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas e Respostas
    • Destinos
  • Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar
  • Relatos de Viagem
  • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
  • Viajar sem dinheiro
  • Viagem de Carro
  • Viagem de Moto
  • Cicloturismo
  • Outros Fóruns

Categorias

  • América do Norte
  • América do Sul
  • Ásia
  • Brasil
  • Europa
  • Oceania
  • Oriente Médio

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Lugares que já visitei


Próximo Destino


Tópicos que recomendo


Ocupação

Encontrado 35 registros

  1. TAILÂNDIA - 15 DIAS (MARÇO/2017) POR $1.300,00 DÓLARES [sEM A PASSAGEM DE IDA E VOLTA] Alôôôoooo galera que tá indo pra Tailândia! Já pode começar a quicar sem parar de alegria porque o roteiro completo foda das galáxias da Tailândia saiu em forma de planilha!!! É isso mesmo que você leu! Passei todos os meus dias na Tailândia anotando cada detalhe pra compartilhar com vocês aqui! A ideia da planilha é servir de base e guia pra você montar seu próprio roteiro tendo em vista os meus gastos! Se você quiser dar Ctrl C + Ctrl V no meu roteiro e seguir a risca fica a vontade! Eu amo viajar com planilha porque acho super organizado, rápido e tu não precisa imprimir um monte de papel de guia que tu nunca vai ler durante a viagem (vai por mim)! Sinta-se super livre pra compartilhar essa planilha com os amigos, imprimir e viajar com ela! O importante é que mais pessoas viagem e sejam felizes, né? A gente tá nesse mundo pra se ajudar! Clique no link a seguir e seja feliz fazendo download do meu roteiro foda das galáxias de 15 dias na Tailândia: http://vidamochileira.com.br/roteiros-2/'>http://vidamochileira.com.br/roteiros-2/ OBSERVAÇÃO MUITO IMPORTANTE: Os valores principais da planilha estão em THAI BAHT. Mas, como eu sei que a galera tem dúvidas de conversão, já coloquei na planilha a média de valor que usei para conversão nas moedas: Real, Dólar e Libra. Então, você vai encontrar os valores reais que paguei na Tailândia e logo abaixo o valor total em três diferentes moedas! OBSERVAÇÃO 1: Repare que a planilha está cheia de pontinhos vermelhos, isso significa que tá cheia de anotações. Pra entender os valores das cédulas, passe o mouse sobre a cédula com pontinho vermelho e lá terá a explicação do valor ou outra explicação adicional. OBSERVAÇÃO 2: Todos os valores dessa planilha são reais e foram gastos com meu dinheirinho suado! Não tive nenhuma parceria de hotel ou passeio (ainda sou blogueira pobre roots hahahahaha). Dessa forma, vocês conseguem ter a real noção de quanto uma pessoa viajando sozinha gasta pra ir pra Tailândia. OBSERVAÇÃO 3: Os valores dessas planilha são individuais, ou seja, pense que essa planilha foi feita pra alguém que está viajando sozinho. Tem alguns gastos de transporte como tuk tuk e táxi que se você estiver sozinho gastará o valor que tá na planilha, mas se tiver em grupo, basta dividir esses valores pelo número de pessoas com quem está viajando! OBSERVAÇÃO 4: Os valores finais que estão calculados pra hospedagem são valores individuais. Eu viajei com meu namorado, ou seja, reservamos quarto de casal privado, isso significa que o valor do quarto deve ser dividido por 2 pra termos uma noção dos gastos individuais. Portanto, na planilha você verá o valor total do quarto, mas também verá o valor individual por pessoa, que foi o que eu usei como parâmetro pra calcular os gastos de hospedagem na hora de ter uma noção do valor total da viagem. OBSERVAÇÃO 5: Na aba Transporte não está incluso o valor da passagem pra Tailândia, porque esse valor varia de pessoa pra pessoa! Deixei na planilha o valor que paguei (sem contabilizá-lo), como uma referência, mas atente-se que saí de Londres pra Bangkok e não do Brasil e paguei 366,00 libras - algo em torno de R$ 1.440,00 reais! OBSERVAÇÃO 6: O que devo reservar com antecedência pra viajar pra Tailândia? As únicas coisas que reservei com antecedência foram: - Hotéis (reservei pelo Booking.com e paguei só na hora) - Vôos (reservei tudo com antecedência porque não queria me preocupar com isso durante a viagem) - Ferrys (você pode tranquilamente comprar o ticket dos ferrys na hora, mas por uma opção de comodidade preferi comprar tudo pelo site com antecedência e não me preocupar com isso durante a viagem. Aparentemente são os mesmos horários e valores tanto online quanto na hora) - Maya Bay Sleep Aboard (você tem que reservar com antecedência pra garantir lugar no passeio. O pagamento é feito pelo site e você paga o valor total: THB 3.500,00. Se as vagas pelo site tiverem esgotado, ainda tem a opção de tentar comprar na hora, pode ser que você dê sorte e ainda tenha lugar – eles reservam algumas vagas pra pessoas que queiram comprar na hora). Link: https://krabi-konnect.trekksoft.com/en_AU - Elephant Jungle Sanctuary (você tem que reservar com antecedência pra garantir lugar no passeio. Você paga uma parte do valor através do Paypal pra garantir sua reserva. O passeio de metade de um dia foi THB 1.700,00 por pessoa e pagamos THB 700,00 cada pela reserva). Link: http://www.elephantjunglesanctuary.com/ - Seguro Viagem (importante você ter um seguro viagem que cubra acidentes, mordidas de animais e perda de voo). OBSERVAÇÃO 7: Que vacinas devo tomar pra viajar pra Tailândia? A vacina contra febre-amarela é obrigatória, por lei, para entrar na Tailândia (você inclusive passa por um Health Control antes de entrar no país). Se você já tomou essa vacina nos últimos 10 anos, ela ainda é válida e você só precisa ir a um posto de saúde que emita o Certificado Internacional. Se não, você se informa dos horários do seu posto de saúde, toma a vacina na hora e pede o Certificado Internacional (verifique se o posto que você está indo emite o certificado. Eu fui em um que me deram a vacina e 5 minutos depois já me deram o certificado). Essa vacina precisa ser tomada com pelo menos 10 dias de antecedência da sua viagem e você precisa ter o Certificado Internacional pra viajar! OBSERVAÇÃO 8: Qual a melhor época pra ir pra Tailândia? Aí depende de onde você tá indo. A Tailândia tem um clima tropical que pode ser dividido em duas estações: o período seco e o período de chuvas. Você pode visitar o país durante quase todo o ano, mas o período de chuvas pode acabar com os teus dias de praia e pele morena! O país pode ser dividido em 3 áreas diferentes e cada uma delas tem suas respectivas épocas secas e de chuvas. Dessa forma, para encontrar a melhor época pra visitar a Tailândia, é importante entender suas regiões pra saber se encaixa com teu planejamento de viagem. 1. Bangkok, centro e o norte da Tailândia O clima de Bangkok até o norte, em Chiang Mai e Chiang Rai, assemelha-se ao dos demais países continentais do Sudeste Asiático, com a estação seca ocorrendo de Novembro até o fim de Abril. A melhor época pra viajar pra Tailândia, de uma forma geral, é durante os meses de Novembro e Abril, que é quando nenhuma chuva é esperada, mas há grandes variações de temperatura. Novembro e Dezembro tem temperaturas mais amenas e a partir de Janeiro as temperaturas sobem tanto que podem chegar aos 40ºC. Em Maio chegam as monções e começa a estação de chuva na Tailândia. No início, as pancadas de chuva podem durar algumas horas, diminuem de intensidade entre os meses de Junho e Julho e atingem seu máximo em Agosto e Setembro e podem chegar até meados de Outubro (durante esses três meses, vale você repensar sua ida ao país). 2. As praias do Mar de Andaman (Ko Phi Phi, Krabi, Phuket, Ko Lanta) As praias mais famosas da Tailândia estão na costa oeste e são banhadas pelo Mar de Andaman. As estações dessa área 2 são bem parecidas com as da área 1 (Bangkok e norte da Tailândia), mas por lá o clima é muito mais afetado/prejudicado pelas monções. Dessa forma, a melhor época pra visitar esta região da Tailândia também é entre os meses de Novembro e Abril. Sendo que de Novembro a Janeiro as temperaturas estarão mais amenas que Março em diante (muito quente). 3. As praias do Golfo da Tailândia (Ko Tao, Ko Phan Ngan, Ko Samui) Essas praias da costa leste não são tão famosas quanto às praias da costa oeste, mas posso dizer que são tão lindas quanto! As praias da costa leste são banhadas pelo Golfo da Tailândia e são afetadas pelas monções depois que o período de chuvas na outra costa encerra. Na costa leste o período de monções começa em Agosto/Setembro e chega o auge em Outubro e Novembro, chovendo bastante até meados de Dezembro. Sendo assim, a melhor época para visitar o Golfo da Tailândia vai do finalzinho de Dezembro até Maio, mas Junho e Julho ainda são boas opções. Clique no link a seguir para assistir o vídeo que eu e Mark gravamos nesse paraíso chamado Tailândia: Espero que essa planilha rode o mundo ajudando as pessoas a viajarem mais pra esse paraíso chamado Tailândia. Ainda vou fazer um post completo sobre a Tailândia e vários outros posts específicos de cada lugar que visitamos, com todas as dicas, horários e valores! Pra ler todos eles é só visitar o blog: http://vidamochileira.com.br/ Se der merda mesmo assim e você ficar perdido, me manda um direct no Instagram @vidamochileira ou um email ([email protected]) que eu te ajudo a entender a planilha. Beijos Mary Teles
  2. Tailândia - 15 Perguntas Frequentes Por Isabella Gama (@engenheirasemfronteiras) Ainda existem muitas dúvidas sobre a Tailândia e com este post vou procurar esclarecer as perguntas mais comuns que recebo. Se você tem alguma que não foi respondida neste post, deixe aí nos comentários e eu atualizo aqui! 1. Preciso de visto de turista? Não. Brasileiros não precisam de visto para visitar a Tailândia e podem permanecer no país por até 3 meses. 2. Qual o prazo de validade meu passaporte deve ter? O passaporte deve ser válido até 6 meses após a data de saída do país. Exemplo: Sua passagem de saída da Tailândia é em 16 de abril de 2018, portanto seu passaporte deve ter validade mínima até 16 de outubro de 2018. 3. A vacina de febre amarela é obrigatória? Sim. Você precisa fazer o certificado internacional de vacinação em algum posto da ANVISA antes de sair do Brasil e ao chegar no aeroporto em Bangkok deve passar primeiro pelo Health Control, preencher um formulário, apresentar o cartão de vacinação junto com o formulário primeiro, para em seguida ir para a imigração. 4. Qual a melhor época para visitar? A alta temporada é de novembro a abril, que é quando ocorrem menos chuvas na costa de Andaman (onde está localizado Koh Phi Phi, Phuket e Krabi, por exemplo). Na tão temida baixa temporada há vários dias sem chuva e quando chove não é nada diferente do que os dias de verão em Ubatuba - SP, por exemplo, normalmente com chuvas que duram no máximo 2 horas. Se você só pode conhecer a Tailândia na baixa temporada, vale a pena se arriscar. Mais uma coisa: a previsão do tempo na Tailândia erra demais, normalmente para melhor. Exemplo: previsão de chuva para amanhã das 10h às 17h. Realidade: chuva entre 16h e 17h. Muitas vezes a realidade é nem chover. Vai por mim, por experiência própria, não vale a pena ficar conferindo previsão. O tempo está mudando demais também e já não é mais tão prevísivel, infelizmente. Meu conselho: esqueça essas preocupações e viaje, afinal, previsão do tempo é a única coisa que ninguém pode te garantir como estará, por mais informações e estatísticas que você pesquisar! 5. Qual é a moeda da Tailândia? É o Bath, ou THB. Aqui não se aceitam Reais em casas de câmbio, portanto venham com dólares americanos, australianos ou euros, que são as moedas mais comuns de se fazer a troca por aqui. Para que você se familiarize com os preços, existe uma tática bem fácil para ter ideia, é só cortar o último zero. Explico: 1000 Bath ou 1000 THB é aproximadamente R$ 100,00. Sendo assim, fica fácil fazer a conversão: 1000 THB = +- R$ 100,00 500 THB = +- R$ 50,00 100 THB = +- R$ 10,00 e assim por diante. Aqui não existem centavos. Todos os itens o preço é redondo: uma água é em média 14 THB (R$ 1,40) nas ilhas, uma pizza 150 THB (R$ 15,00), etc. 6. Não quero despachar mala, como faço com itens de higiene pessoal? Aqui na Tailândia você encontra em qualquer 7 Eleven (mini supermercados que você encontra em toda esquina) itens como shampoo, condicionador, desodorante, etc, em embalagens pequenas de menos de 100 ml. Pode deixar pra comprar aqui. 7. Por que tanta gente tem diarreia ou vômitos na Tailândia? Não existe uma resposta certa. Cada tipo de organismo reage de uma maneira diferente ao novo ambiente que ele está inserido. A Tailândia é muiiito diferente do Brasil, a comida tem um tempero particular e normalmente com muita pimenta. Como as pessoas estão de férias, na praia e com festas, acabam bebendo bastante alcóol também (acompanhado de gelo de procedência duvidosa - o que não é exclusividade da Tailândia - qualquer lugar que você for comprar gelo no Brasil você também não sabe de onde veio a água). A verdade é que não existe manual para que você não seja um dos premiados, o que você pode sim fazer é contratar um seguro saúde (contratando por esse site e usando o código ENGMOCH5 você ganha desconto) e caso passe mal, pode acioná-lo. 8. Devo pedir desconto em tudo? Não. Se você quer comprar um volume de roupas, souvenir, etc, pode sim pedir um desconto se achar que deve. Antes de sair perguntando por desconto, pense se faz sentido mesmo esse desconto que você está pedindo, afinal por trás da sua compra, várias pessoas estão trabalhando para fabricar, transportar, expor e vender os produtos. Tendo bom senso você sempre vai sair feliz e quem está negociando com você também. No caso de passeios não é recomendável ficar pedindo desconto. Imagine que um passeio custe 1000 THB (R$ 100,00). Para que você faça esse passeio é necessário o transporte (seja minivan, ônibus, carro ou barco), a manutenção do transporte, as pessoas que trabalham para organizar tudo, motoristas ou capitães, guias, etc. Atenção: muitas pessoas acabam caindo em golpes de passeios que prometem te levar a vários lugares e na verdade não fazem o prometido. Você já viajou tão longe para tentar economizar uma quantia que não irá fazer diferença pra você e ainda perder um dia de passeio em algum golpe? Escolha bem seu passeio (indico o site www.toursphiphi.com) e mais uma vez, bom senso! 9. Como são os tailandeses? Eles são pessoas sorridentes e amigáveis e normalmente irão te ajudar com tudo que precisar se você os tratar com educação. Lembre-se que você está no país deles, na casa deles, não queira discutir e arrumar briga porque normalmente eles terão razão. Evite problemas. 10. O que é Sangkran? É o ano novo tailandês e a comemoração é feita jogando água uns nos outros, nessa época são vendidas arminhas para jogar água por todos os lugares. A Tailândia segue o calendário budista e agora em 2018 no nosso calendário, o calendário deles é o ano de 2561. O ano novo é em abril, não tem um dia específico (varia como o nosso carnaval, por exemplo) mas normalmente é entre os dias 13 e 16 de abril. 11. O que é a Full Moon Party? É uma festa que acontece todos os meses em Koh Phangan, no dia em que a lua está mais cheia, ou seja, as datas variam também. A única data do ano onde a festa acontece independente da lua é dia 31 de dezembro. É nessa festa onde todos pintam o corpo, são acendidos letreiros com fogo e muita gente toma os famosos baldinhos (buckets). 12. O que é o Festival das Lanternas? É uma celebração em homenagem a Buda onde são enviadas lanternas ao céu como maneira de atrair boas energias e realizar sonhos e acontece em novembro também em datas que variam de acordo com a lua cheia. 13. Onde compro voos internos, ferrys e ônibus pela internet? Muita gente sofre ao tentar comprar passagens áreas por vários sites onde o cartão de crédito dá problema, inclusive nos sites das próprias companhias áreas. A solução é comprar por um site que reúne bastante empresas do Sudeste Asiático, que é este aqui. Já salve este link nos seus favoritos agora, pois através dele é bem raro dar algum tipo de problema e você já pode deixar tudo comprado com antecedência. 14. Estou viajando sozinha(o). Onde deixo meus perteneces quando for à praia? Muitos hosteis e hotéis tem lockers e você pode levar seu próprio cadeado e guardar nos lockers. Caso você prefira andar com todo seu dinheiro e passaporte sempre, não se preocupe, você vai conhecer muita gente durante sua viagem e nunca vai estar sozinha(o) de verdade. Além disso em todas as ilhas você encontra com facilidade e por bom preço bolsas de proteção para a água e também capinhas de proteção para celular. Você pode comprar uma delas e carregar sempre com você. Para as meninas que estão viajando sozinhas, vejam também aqui mais dicas com relação à segurança. 15. Preciso falar com a Embaixada do Brasil. Como entro em contato? A Embaixada do Brasil na Tailândia fica em Bangkok. Você pode entrar em contato pelos telefones +66 02-679-8567 ou +66 02-679-8568 ou +66 02-285-6080 . Caso queira, visite o site para manter-se atualizado. Vou atualizando esse post com mais perguntas, portanto, volte sempre! Se tiver alguma sugestão de dúvida para que eu responda no post, deixe aí nos comentários. Abraços www.engenheirasemfronteiras.com www.instagram.com/engenheirasemfronteiras
  3. Comecei a escrever esse relato para futuramente me recordar dos detalhes da viagem. Como ando vendo que minha animação para continuar escrevendo está pequena, resolvi ir compartilhando no fórum à medida que o desenvolvo, talvez possa ter alguma informação que seja útil para alguém. A viagem aconteceu do final de janeiro, até a primeira semana de março, num total de 41 dias. Inicialmente a intenção era conhecer apenas a Tailândia, mas no decorrer da viagem decidi ir à Malásia encontrar um amigo que estava mochilando pela região. A decisão de viajar ocorreu de supetão. No final do ano anterior, me deu na telha de viajar para algum lugar. Na mesma semana Tailândia me veio a cabeça e já comprei a passagem aérea. Detalhe: nunca havia feito nenhuma viagem internacional. Para a viagem usei as economias de muitos anos, que até então só estavam sendo usados para compra de coisas. Decidi que era hora de usa-las para propiciar a vivência de experiências. Já antecipo como foi o roteiro, por ordem: Bangkok Ayutthaya Ao Nang Railey Beach Koh Lanta Khao Sok (* PONTO ALTO DA VIAGEM) Koh Phan Ngan (Full Moon Party) Koh Tao Phuket Kuala Lumpur Kuala Terengganu Phi Phi Hua Hin 29/01/2017 – Saída do Brasil para Bangkok. Incrivelmente, a ansiedade não havia tomado conta, para quem estava fazendo sua primeira viagem internacional, para um destino do outro lado do mundo, a tranquilidade era impressionante. O primeiro voo saia de Goiânia pela manhã. Chegando em Guarulhos, onde aguardaria as mais de dez horas de conexão, me dirigi para o terminal de onde sairia o voo. Com o tempo livre, aproveitei para andar pelo aeroporto. Relembrando alguns fatos prévios à viagem, ainda no final de 2016, havia ingressado em um grupo de Whatsapp de viajantes com destino à Tailândia em Fevereiro/17. Encontrei o grupo por meio do Mochileiros.com, fórum destinado a viagens. Já no início de Janeiro os primeiros viajantes contavam suas experiências e arranjavam encontros, para maior integração durante a viagem. No dia da viagem, havia também um grupo de 03 amigos catarinenses em Guarulhos esperando para o voo. Como no grupo disseram estar em outro terminal, nem me manifestei sobre estar no aeroporto. Passado algum tempo, enquanto curtia o nada, ao som das músicas aleatórias do Spotify, de longe vi um grupo de três jovens que tive a impressão de serem familiares. Coincidentemente, eram os mesmos que disseram estar no outro terminal do aeroporto. Mais coincidentemente ainda, sentaram justamente ao meu lado. Logo, entrei no grupo para verificar as fotos, e lá estava. Eram realmente as mesmas pessoas. Logo perguntei: “Uai, vocês são os malucos lá do grupo da Tailândia ?” E assim, encontrei companhia para algumas das longas horas de espera até o voo. Era um grupo de amigos animados, estavam em uma formatura em Curitiba e saíram de lá direto para o aeroporto. Além da conversa, as inúmeras partidas de Uno ajudaram a fazer com que o tempo passasse mais rápido. Hora do voo. Tudo pronto, lá vamos nós. Gastos: R$38,00 - Almoço Aeroporto R$18,00 - Lanche Aeroporto 30/01/2017 – Após as longas 11 horas de voo, estava em Paris. A conexão era de poucas horas, porém, foi possível perceber o primeiro choque cultural. A diversidade de pessoas totalmente diferentes umas das outras, reconhecíveis parisienses misturados com monges, muçulmanos e pessoas de incontáveis nacionalidades diferentes. Era uma pequena amostra do que estava por vir. Nesse momento a bateria do celular já não tinha muitas forças. Ao procurar uma tomada, a primeira decepção: precisaria de um adaptador. Como já havia dado sinal de vida para meus pais, fiquei sentado, apenas observando o que acontecia a minha volta... a viagem já havia começado. R$ 15,00 – Lanche Aeroporto 31/01 – Mais 12h de voo se foram, e após várias refeições recusadas no voo por não ter a menor ideia do que estaria comendo, cheguei. Ainda no aeroporto, logo procurei algum lugar para trocar dinheiro pela moeda local e em seguida comprar um adaptador de tomadas. A próxima missão seria encontrar uma tomada livre. Perambulando pelo aeroporto, vi algumas lojas vendendo chips para celular. Por pensar que seria bem mais caro do que na cidade, resolvi não comprar. Doce ilusão. Acredito ter sido o primeiro grande erro da viagem. A caminho da saída, encontrei uma estação de carregamento de bateria, logo a usei. Com o Wifi do aeroporto, me conectei e criei uma distração para os minutos que ficaria parado enquanto o aparelho não carregava. A essa hora, estava no fim da manhã. 20% de carga, missão cumprida. Como um bom desavisado, decidi pegar um taxi para o Hostel. Os preços eram tabelados, e foi a primeira grande facada da viagem. O motorista, como viria a ver ser uma característica dos tailandeses em geral, era super gentil e em momento nenhum parava de sorrir. O Inglês era péssimo, mas a comunicação foi estabelecida. Ao deixar o aeroporto a ficha caiu. Estava do outro lado do mundo. As placas de publicidade escritas em um alfabeto nunca antes visto. O transito caótico de Bangkok. As placas dos carros sem nenhum padrão reconhecível. O motorista falando ao telefone palavras indecifráveis. Estava na Tailândia. Chegando ao Hostel (Cocktail Hostel & Bar), na região de Silom, reparei que deveria melhorar o inglês na marra. Apesar de conseguir me comunicar bem, faltava fluência. A pronuncia deficitária também era perceptível a meus próprios ouvidos. Deveria aguardar quase 2 horas até que pudesse fazer o check-in. Perguntei a proprietária do Hostel onde poderia trocar dinheiro (no aeroporto só havia trocado 100 dólares). Claro, após muito andar na direção indicada, não encontrei o lugar. Durante a caminhada pude observar a grande quantidade de turistas, do mundo inteiro, andando nas ruas. Encontrei uma pequena casa de câmbio e retornei para o Hostel. A proprietária informou que já poderia fazer o check-in. Logo tratei de me banhar. Afinal, dois dias sem tomar banho não estava me fazendo muito bem. Com intenção de me prevenir daquele calor extremo, potencializado pelo caos generalizado que era o transito daquele local. QUE CAOS. Vesti logo uma bermuda e saí em busca de algum lugar para comprar um chip com internet. Andei bastante, coisa de 3km. Já havia perdido a referência de para onde era meu Hostel. Encontrei uma 7/11(seven eleven), mal sabia que seria o início de uma relação duradoura. A atendente não compreendia o que eu estava procurando. Chamou um rapaz que falava inglês, que junto comigo começou a procurar um chip que havia internet. Encontramos um. Na embalagem dizia internet ilimitada por 1 mês. Comprei. Parado na rua, segui os passos para instalar o chip, consegui. Agora com internet, chamei o Uber. Logo apareceu uma jovem tailandesa, bastante bonita (para uma tailandesa, fato de se admirar) em um sedã preto super luxuoso, bancos de couro, ar condicionado trincando. Estava à caminho da primeira atração naquele país desconhecido: Grand Palace. O celular já estava com a bateria no fim. Perguntei se havia algum problema em desligar o celular durante a corrida. Ela informou que não, e ainda ofereceu um carregador. Era de Iphone, vida que segue... Em um trajeto de aproximadamente 8km o aplicativo informava que a viagem custaria algo em torno de R$7,00. Estava feliz. Porém, não contava em como seria o transito até o destino. Foram incríveis 1 hora e meia até conseguir chegar. Estava impaciente. Ao observar que estava próximo do local, pedi para descer e ir andando. Com certeza seria mais rápido. Prontamente a motorista aceitou e encerrou a corrida. Foi possível perceber em sua feição que ela também agradeceu. Seriam mais longos minutos naquele carro até chegar no destino final. Logo na entrada observei algo e me lembrei do que havia lido na internet sobre os templos: deveria estar com calças compridas. Perguntei ao segurança onde poderia comprar uma calça que várias pessoas estavam utilizando. Fui no caminho indicado, não era perto. Comprei. Voltando para a primeira entrada, reparei um grupo de tailandeses gigante, com centenas de pessoas, vestidas de preto. Fiquei sem entender do que se tratava, viria a descobrir apenas algum tempo depois. Fui passando pela revista e demais entradas. Estava no templo. No grupo do whatsapp tinham falado que a entrada do templo era paga. Achei estranho não terem me cobrado para acessar o templo em nenhuma das entradas que passei. Continuo achando estranho até hoje, meses depois, pois com certeza deveria ter pago. Andei pelo templo, grandioso, sua arquitetura era interessante, diferente de tudo o que havia visto. Achei estranho não ver nenhum budista rezando. Como em praticamente todos os outros templos que passei, eram feitos quase exclusivamente para apreciação dos turistas. Por não ser lá uma pessoa tão religiosa, não estava vendo muita graça. Vi algumas pessoas retirando os sapatos para adentrar em um dos templos. Não me dei ao trabalho, achei que não valeria o esforço. Continuo achando. Era hora de ir embora. Hora do rush. Bateu a tristeza. Fiz a infeliz escolha de pegar novamente um Uber. Dessa vez foi mais tranquilo, o sono me tomou e dormi durante praticamente toda a demorada viagem. Chegando ao Hostel fui procurar comida. Encontrei uma lanchonete próxima, e logo pude observar o marcante gosto por Chás e Leite daquele povo. Pedi um milk-shake, um dos únicos alimentos que consegui reconhecer. Voltei para o Hostel, aliás, precisava carregar o celular. Passado algum tempo, retornei para a rua à procura de mais comida. Encontrei um Subway. Com certeza, o melhor sanduiche do Subway que já comi. Fiquei um pouco na área comum do hostel, e logo fui dormir. Ao acordar no dia seguinte, não sentia mais nenhum efeito do jet lag. R$ 26,50 - Adaptador de Tomada R$ 78,00 – Taxi Aeroporto – Hostel R$ 60,00 – Hostel BKK (3 diárias) R$ 30,00 – Chip Internet R$ 17,00 – Uber Grand Palace R$ 18,50 – Uber Hostel R$ 15,00 – Calça Templo R$ 17,30 – Sanduíche Subway R$ 11,00 – Lanche
  4. Foram 17 dias maravilhosos a viajar pela Tailândia...Bangkok, Chiang Mai, Pucket, Phi Phi...que país incrível... que saudades...Aqui deixamos o nosso testemunho. Já estamos morrendo de vontade de voltar... e iremos voltar BOAS VIAGENS
  5. Tailândia, Camboja & Vietnã - 31 dias SURREAIS! Eu e meu marido passamos um mês inesquecível no Sudeste Asiático, mais precisamente Tailândia, Camboja e Vietnã, entre Dezembro de 2015 e Janeiro de 2016. Vou procurar incluir no relato os gastos, informações, dicas etc. Foram dez meses entre a escolha do destino e a viagem. Muito planejamento, muita leitura, muita pesquisa… Vimos e revimos todos os relatos aqui do Mochileiros sobre a região. Dezenas de blogs, sites, fotos, vídeos… E ainda assim, NADA te prepara para o que SENTE quando finalmente se ESTÁ lá. Não parece que fomos para outros países, mas sim para OUTRO MUNDO! Os aromas das comidas de rua por toda a parte, misturados ao cheiro do incenso; o trânsito caótico; as dezenas de templos existentes por onde se passa; as práticas religiosas diárias da população; sabores maravilhosos de temperos e ingredientes dos quais nunca ouvimos falar; um povo hospitaleiro, gentil e humilde; e paisagens de tirar o fôlego… Até agora não tenho bem certeza de que fomos para lá, mas por via das dúvidas vou registrar meu relato. Quem sabe ajuda a ficha a cair... ROTEIRO Como em qualquer planejamento de viagem, esse roteiro mudou diversas vezes. Inicialmente iríamos também para o Laos, depois desistimos. No fim das contas, nosso roteiro foi esse (com uma descrição breve do que fizemos em cada dia): DIA 01 Chegada em Bangkok 09:05 (Khao San Road; Wat Arun; Chao Phraya River) DIA 02 Bangkok (Grand Palace; Wat Phra Kaew; Wat Pho) DIA 03 Bangkok (Flower Market, Wat Traimit, MBK) DIA 04 Bate-volta Ayutthaya DIA 05 Bangkok (Wat Ratchanatdaram, Wat Saket, Museu Nacional) DIA 06 Voo para Siem Reap 14:10 (Old Market, Night Market) DIA 07 Siem Reap (Koh Ker, Beng Mealea) DIA 08 Siem Reap (Angkor Wat, Angkor Thom) DIA 09 Siem Reap (passeio de quadriciclo); voo para Da Nang 20:00; ida para Hoi An DIA 10 Hoi An (centro histórico, An Bang Beach) DIA 11 Hoi An (passeio de bike, centro histórico) DIA 12 Hoi An (An Bang Beach); ida para Da Nang (Dragon Bridge) DIA 13 Da Nang (Marble Mountains) DIA 14 Bate-volta Hue DIA 15 Da Nang (Lady Buda); ida para Hanoi 21:50 DIA 16 Hanoi (Old Quarter e arredores) DIA 17 Halong Bay DIA 18 Retorno de Halong Bay; Hanoi DIA 19 Hanoi (Mausoleu de Ho Chi Minh); ida para Chiang Mai 16:45 DIA 20 Chiang Mai (centro histórico, Doi Suthep, Night Bazaar) DIA 21 Chiang Mai (Patara Elephant Farm, Sunday Night Market) DIA 22 Chiang Mai (curso de culinária: Thai Farm Cooking) DIA 23 Chiang Mai (templos diversos/ dia à toa) DIA24 Chiang Mai; ida para Krabi 17:35 DIA 25 Krabi (Railay Beach) DIA 26 Krabi (passeio Hong Island) DIA 27 Krabi (Railay Beach) DIA 28 Ida para Phi Phi; Maya Bay Sleep Aboard DIA 29 Retorno a Phi Phi; tarde praia (Loh Dalum); view point DIA 30 Phi Phi (Loh Dalum) DIA 31 Praia pela manhã; Ferry para Phuket; Voo para Amsterdã 20:20 PASSAGENS AÉREAS Depois de muitas pesquisas, considerando diversas possibilidades (comprar ida e volta; ou pegar ida e volta com milhas até alguma cidade da Europa e comprar à parte ida e volta para Bangkok ou Hanoi; ou comprar a ida e voltar com milhas; entre outras), a opção mais econômica acabou sendo a seguinte: comprar um bilhete múltiplos destinos de São Paulo a Bangkok, e depois de Phuket até Amsterdã, além de não precisar voltar a Bangkok para ir embora. Já que voaríamos para Amsterdã, resolvemos ficar uns diazinhos por lá para conhecer, mas vou deixar essa parte para um outro relato. O único contra desse roteiro foi ter que incluir roupas para o frio na bagagem. Ficou assim: Porto Alegre – São Paulo (Guarulhos): 9000 pontos Azul São Paulo – Bangkok / Phuket – Amsterdã: R$3700 Etihad Amsterdã – Porto Alegre: 45000 pontos TAM #ficaadica: explorem bastante a opção "múltiplos destinos" das companhias aéreas, uma mudança de cidade ou até mesmo a ordem delas pode fazer muita diferença no valor final da passagem! TRECHOS INTERNOS Para os deslocamentos entre as cidades, escolhemos pagar um pouco mais e ganhar tempo para conhecer os lugares, por isso fizemos todos os deslocamentos de avião: Bangkok-Siem Reap USD 74,53 Cambodia Angkor Air Siem Reap-Da Nang USD 160 Vietnam Airlines Da Nang-Hanoi USD 39 Vietnam Airlines Hanoi-Bangkok 12500 milhas Smiles (voando Qatar Airways) Bangkok-Chiang Mai USD 37 Thai Airways Chiang Mai-Krabi USD 59,44 AirAsia Observações: os trechos Hanoi-Bangkok e Bangkok-Chiang Mai foram no mesmo dia, e ficou um trajeto assim quebrado porque a ideia inicial era voar de Hanoi a Luang Prabang, ficar uns dias e depois voar de lá para Chiang Mai. À medida que a viagem se aproximava, resolvemos cortar Luang Prabang do roteiro porque os voos para/de lá eram um tanto caros (em alguns meses acompanhando os preços, eles nunca baixaram, não rolou nem uma mísera promoçãozinha). O voo da AirAsia era o único que não incluía franquia de bagagem, esse preço aí de cima inclui uma bagagem de até 20kg. GASTOS Sei que “quanto se gasta” é a primeira preocupação da maioria das pessoas que pensam em ir para lá. Saibam que dá para fazer essa viagem com bem menos do que eu vou descrever abaixo, por exemplo fazendo os trechos internos de ônibus em vez de avião, cortando alguns dos passeios mais caros que fizemos etc. Excetuando as passagens para ir e voltar, antes de sair do Brasil só estavam pagos Maya Bay Sleep Aboard, hospedagem de Phi Phi e voos internos, totalizando uns USD 550. Para todo o resto, gastamos cerca de USD1650 cada, entre o que levamos e o que sacamos por lá. Os gastos maiores foram (por pessoa): Bate-volta Ayuthaya: 600 bahts (+-USD 17) Guia nos templos de Siem Reap (dois dias, com transporte): USD 70 Passeio de quadriciclo em Siem Reap: USD 41 Passeio de bike Hoi An: 500000 dongs (+- USD 23) Bate-volta Hue: 900000 dongs (+- USD 40) Halong Bay 2D1N: USD 180 Patara Elephant Farm: 5800 bahts (+- USD160) Curso de culinária Chiang Mai: 1300 bahts (+- USD 36) Tour Hong Island: 900 bahts (+- USD 25) Transfer Krabi-Phi Phi (van+ferry): 350 bahts (+- USD 10) Maya Bay Sleep Aboard: 3000 bahts (+- USD 84) Transfer Phi Phi-Phuket (ferry+van até o aeroporto): 400 bahts (+- USD 11) As cotações aproximadas que pegamos: 1USD = 35,80 bahts 1USD = 4000 riels 1USD = 22000 dongs Ao longo do relato vou detalhando melhor gastos com alimentação, entrada com atrações, etc. HOSPEDAGENS Adoramos ficar em hostels, mas muitas vezes essa não é a opção mais econômica para um casal. Acabamos ficando em um hostel somente em Krabi. Bangkok - Bhimann Inn: 5 diárias USD156. Boa localização, quarto limpo, banheiro, ar-condicionado (imprescindível para o calorão de lá), piscina, wi-fi razoável, sem café-da-manhã. Siem Reap - Popular Boutique Hotel: 3 diárias USD48,60. Boa localização, quarto limpo, banheiro, ar-condicionado (idem), muito boa piscina, wi-fi bom, sem café-da-manhã. Hoi An - Phuoc An: 3 diárias USD72. A uns 10' de caminhada do centro histórico, quarto limpo, banheiro, ar-condicionado, piscina (nem chegamos a usar), wi-fi bom, com café-da-manhã. Da Nang - Anh Duong II: 3 diárias USD 37. Não gostei muito da localização, apesar de ser bem pertinho da praia. Quarto amplo e limpo, camas duras, banheiro, ar-condicionado, wi-fi bom, sem café-da-manhã. Hanoi - Hanoi Downtown Hotel: 2 diárias USD 28. Boa localização, quarto não tão limpo com banheiro (e banheira), ar-condicionado (apesar de desnecessário nessa época), wi-fi bom, com café-da-manhã. O único dessa lista que eu aconselho: NÃO fiquem lá! Hanoi (após retorno de Halong Bay) – Hang My Hotel: 1 diária USD 21. As mesmas coisas que o Hanoi Downtown, mas mais limpo, mais novinho e com melhor atendimento. Chiang Mai - RCN Court Inn: 5 diárias USD 70. Dentro do centro histórico, quarto com banheiro, wi-fi, sem café mas com cozinha coletiva. Krabi - Glur Hostel: 4 diárias USD100. A uns 10' de caminhada da praia, quarto limpo com beliche, banheiro coletivo, ar-condicionado, muito boa piscina, wi-fi bom, com café-da-manhã e cozinha coletiva. Phi Phi - JJ Bungalow: 2 diárias USD92. Boa localização, quarto amplo e limpo, banheiro, ar-condicionado, muito boa piscina, wi-fi bom, sem café-da-manhã. Média com hospedagem: USD22,3/dia (ressaltando: valor para duas pessoas). No próximo post começo a relatar o dia-a-dia, e prometo colocar fotinhos !
  6. Começar sempre é a parte mais difícil né? Por isso vamos fingir ser uma continuação. ... bem, como eu estava falando anteriormente resolvi dá uma reviravolta na minha vida em quase 180º, e nada melhor que visitar o outro lado do mundo, o sudeste asiático. O destino principal escolhido foi a Tailândia, os demais foram consequência da influência do grupo no whatsapp que me acolheu. Inclusive esse grupo foi fecundado aqui , valeu mochileiros.com, unindo pessoas desde _________ (completa aí pra mim). Diferente dos meus outros relatos, creio que nesse teremos muitas dicas do que não fazer. Gastei uma grana a toa, mas vcs entenderão os motivos e, com fé em Alah, não cometerão os mesmos erros. Disponibilizarei a planilha de custos em excel e o plano de viagem em pdf, para isso preciso atualizar algumas coisinhas, não me cobrem, não funciono sob pressão rs (brincadeira, só funciono assim). Mas resumindo em números foram: 22 dias, 4 países, 13 vôos, 7 cidades, 8000 temeres, 7 companheiros de viagem, 5 meses de planejamento, 6 moedas diferentes na doleira, 17kg nas costas e incontáveis momentos inesquecíveis. Dessa vez sem tragédia, prometo! Qr dizer... se micro-infartos agudos do miocárdio ao tentar me comunicar em "ingrês" não contar pra vcs como tragédia. Depois de papos e papos varando madrugadas a dentro, meu roteiro ficou assim: 06/03 - Deslocamento de Salvador x Guarulhos pela GOL 07/03 - Deslocamento de Guarulhos x Istambul 08/03 - Deslocamento Istambul x Bangkok 09/03 - Bangkok (Tailândia) 10/03 - Bangkok (Tailândia) 11/03 - Bangkok (Tailândia) 12/03 - Siem Reap (Camboja) 13/03 - Siem Reap (Camboja) 14/03 - Siem Reap (Camboja) 15/03 - Chiang Mai (Tailândia) 16/03 - Chiang Rai (Tailândia) 17/03 - Chiang Mai (Tailândia) 18/03 - Ao Nang (Tailândia) 19/03 - Phi phi (Tailândia) 20/03 - Phi Phi (Tailândia) 21/03 - Luang Prabang (Laos) 22/03 - Luang Prabang (Laos) 23/03 - Luang Prabang (Laos) 24/03 - Luang Prabang (Laos) 25/03 - Deslocamento Bangkok x Istambul 26/03 - Deslocamento Istambul x guarulhos 27/03 - Deslocamento Guarulhos x Salvador Todas as passagens internas foram compradas pela low cost Air Asia, considerada a "queridinha" por lá, os preços eram bons e me transmitiu confiança na dificuldade com o inglês já que não vi relatos de atrasos de voos, o que eu por não entender o idioma não conseguiria identificar o aviso pelo alto falante no aeroporto e isso poderia me fazer perder o voo. Vou adiantando que não foi bem assim, um dos voos atrasou 1 hora ,me deixando louca dentro do aeroporto ãã2::'> . A passagem Brasil x tailândia foi comprada pela Turkish Airline, como direito a parada de aproximadamente 24 horas em Istambul, o que me permitiu fazer um city tour 0800 pela companhia aérea, totalmente gratuito mesmo, com direito ao translado, guia, café da manhã, almoço, bilhetes de entrada nas atrações, bandana e fone de ouvido rs . Existem algumas regras para usufruto dessa mamata oferecida pela Turkish. A conexão não pode ser inferior a 6 horas e nem superior a 24 horas. Mais detalhes podem ser visto aqui http://www.istanbulinhours.com/ :'> . Levei todo meu dinheiro de viagem em papel moeda, pra tentar economizar com o iof do cartão. Por lá as notas de 100 dólares tem melhor cotação que as demais. Mas caso o Camboja tb seja seu destino, leve notas menores, já que o dólar é mais usado que a moeda oficial (Riel Cambojano). O riel é apenas usada para compras ou trocos abaixo de 1 dólar. E 50 centavos de dólar equivale a 2000 riel. Cuidado com o período escolhido para viajar, as monções são muito frequentes em determinadas épocas do ano. O período entre novembro e fevereiro é considerado o ideal, pois não chove e não é tão quente. Fui em março e me senti num forno , principalmente em Siem Reap. Turquia e Tailândia não exigiram visto de entrada. Laos e Camboja sim, mas pode ser tirado na chegada ao aeroporto. Certificado de febre amarela é fundamental. Não esqueçam! to be continued...
  7. Primeiramente, venho por meio deste relato, descrever a minha viagem que fiz para o Sudeste Asiático, o objetivo de compartilhar minha experiência, é de ajudar as pessoas que pretendem conhecer esta região que é fantástica. Peço desde já, desculpas, caso o relato não esteja legal e bem descrito, porém repito, quero apenas ajudar!!!!!!!! Preparativos A ideia, surgiu á muito tempo atrás rsrs, uns 3 anos, porém eu sempre postergava, pois sempre tenho férias em abril, que é o mês mais quente na Tailândia!!! Em janeiro de 2017, resolvi, que não iria postergar esta viagem, então resolvi iniciar com a compra das passagens, e iniciei as pesquisas. Estava muito caro, as passagens para ir saindo do Brasil, então a melhor oferta que achei, foi saindo dos Estados Unidos, então emiti com milhas ida e volta GRU x JFK (Nova York) e comprei pela Emirates, para ir de NYC para Bangkok, e volta de Manilla para Washington. Visto Não é necessário para brasileiros, visto para visitar a Tailândia, Malásia e Filipinas, apenas necessitei de visto para entrar nos Estados Unidos, porém já tinha o mesmo. Vacina Febre Amarela Para entrar na Tailândia, é obrigatório apresentar o comprovante internacional de Vacinação contra a Febre Amarela Hospedagem Depois, iniciei as pesquisas, para onde iria, e iniciei as reservas, todas elas pelo Booking.com, abaixo o meu cronograma de viagem. Opto sempre por Hostel, pelo fato de economia, porém fiquei em Hostel apenas nas Filipinas em El Nido, pois na Ásia, as hospedagens, costumam ser mais baratas do que em outras regiões do mundo. 13/04 a 16/04 - Bangkok, com hospedagem no Rambruttri Vilage Plaza 16/04 a 18/04 – Ao Nang com hospedagem no Krabi Heritage Hotel 18/04 a 21/04 – Phi Phi com hospedagem no PP Insula 21/04 a 22/05 - Krabi, hospedagem no Palmari Boutique Hotel (Hotel próximo ao aeroporto de Krabi.) 23/04 a 26/04 – El Nido (Filipinas) – Hospedagem no Spin Designer Hostel Todos os lugares, onde me hospedei, muito bons, não tive nenhum problema em nenhum deles, muito bons, em especial o Spin Designer Hostel em El Nido Transporte GRU x JFK – Delta – emitido com 35.000 milhas Smiles JFK x GRU – Delta – emitido com 35.000 milhas Smiles Comprei todos os trechos internos daqui no Brasil, abaixo os trechos. Bangkok x Krabi – Air Asia Krabi x Manila – Air Asia Manila x El Nido – Air Swift (ida e volta) Internet Na Tailândia, Malásia e Filipinas, assim que desembarquei, comprei um chip com internet e direito a ligações, comprei no aeroporto mesmo, vale muito a pena, assim tinha internet 4G no celular. Dinheiro Os maiores custos da viagem, são as passagens aéreas que comprei aqui no Brasil, levei espécie U$$1.000,00 para gastos em geral, hospedagens, alimentação, passeios, Transportes, e usei cartão de crédito também Meu gasto total na viagem, foi de aproximadamente R$10.000,00, não calculei na unha gasto por gasto, mas este valor, contempla tudo, desde as passagens aéreas, transportes, Hospedagem, passeios e alimentação. Alimentação Sou um mochileiro, uma coisa que não tenho frescura é com comida, não sou de ir para restaurante caro ou chique, porém, tem sempre que ser limpo rsrsrs. Sempre busco comer a comida típica da região, nem que seja uma vez. Vamos ao relato....... 09/04/2017 – Inicio da Longa viagem Meu vôo partiria de Guarulhos para Nova York as as 21:15hs, então cheguei no aeroporto de Guarulhos, por volta da 19:00hs, fiz o check in, e esperei o embarque, cerca de 10 horas de vôo até chegar em NYC, não vou falar sobre NYC, pois o tema da viagem, é o Sudeste Asiático, caso queiram saber sobre NYC, segue o link do meu relato de uma viagem em 2015. https://www.mochileiros.com/nova-york-6-dias-26-04-2015-a-01-05-2015-t126250.html 11/04/2017 – Nova York x Bangkok, e chegada na terra do calor de matar rsrs As 16:30hs, partiria o vôo para Dubai, teve um atraso de 3 horas, por conta de um problema técnico na aeronave, o que para mim foi bom, pois teria de esperar menos em Dubai rsrs, e não corria o risco de perder a conexão, mais 14 horas de NYC até Dubai. As 15:30hs hora local, aterrissamos no Aeroporto de Dubai, aí tive uma conexão de cerca de 6 horas e finalmente o vôo para Bangkok. 13/04/2017 – Chegada em Bangkok, Songkran Kao San Road a Noite!! Desembarquei no aeroporto de Bangkok-Suvarnabhumi por volta das 09:00hs. Como já tinha visto em vários relatos, antes de ir para a migração, é necessário passar pelo Health Control, preencher um formulário e apresentar o passaporte com o comprovante de vacinação contra a febre Amarela, só após este procedimento, se pode ir à migração. Então foi o que eu fiz, segui para a migração com o formelário do Heath Control já OK A fila da migração foi até que rápida, cerca de 15 minutos na fila, e sem problema algum, não me fizeram nenhuma pergunta. Saindo da fila da migração, já fui em uma casa de câmbio no próprio aeroporto, para trocar dólares por moeda local, e em seguida, já comprei um chip de telefone, com internet, para os 10 dias que ficaria na Tailândia Para chegar até a região de Bangkok, onde me hospedaria, optei por ir de Metrô, peguei a linha amarela que sai do aeroporto, e fui até a estação que é a mais próxima da Kao San Road, região onde me hospedaria. Da estação até o Hotel, optei por pegar um Uber. Era o feriado do Songkran, estava um caos Bangkok, muito transito, demorou um pouquinho, mas cheguei no hotel. O Hotel onde fiquei hospedado, estava nas imediações da Kaoo San Road, por ser o feriado, estava uma animação total nas ruas, guerra de água para todo lado. Cheguei no hotel, exausto, e dormi bastante, e a noite, fui para a Kao San Road, onde fechei um passeio para o Floating Market. 14/04/2016 – Floating Market, Grand Palacios, Wat Pho Neste dia, acordei bem cedo, logo após o café da manhã, segui até a agencia de turismo, de onde sairia a Van que iria para o Floating Market. Por volta das 07:00hs seguimos viagem para a região do Floating Market. Cerca de 2 horas, lá chegamos. O Floating Market, é bem interessante, abaixo algumas fotos. Após a visita ao mesmo, iniciamos o retorno para Bangkok, então decidi visitar o Grand Palácio. Também visitei o templo Wat Pho. Fazia muito calor neste dia. Após visitar os templos, segui para o hotel para descansar, e logo após a noite, fui como todos os dias para a Kao San Road 15/04/2017 – Dia Em Bangkok – Transporte Público – Templos em Ayutthaya fechados Devido ao feriado Songkran, que foi entreos diass 13 a 15 de abril, muita coisa em Bangkok estava fechada, e os templos em Ayutthaya também, não tinha excursões disponíveis, diria que isto foi uma falha no meu planejamento rsrs, mas ok!!! Segue o jogo. Já que neste dia não seria possível ir até Ayutthaya, tirei o dia para ficar por Bangkok mesmo. Fui encontrar com um amigo do Brasil, em uma espécie de mercadão, onde almoçamos por lá e andamos bastante por toda a cidade de Bangkok de ônibus, a pé e de barco rsrs. 16/04/2017 – Hora de Iniciar a Ida para as Ilhas – Ao Nang – Phi Phi Neste dia, um domingo, acordei bem cedo, tomei café da manhã, e preparei minhas coisas, pois teria um vôo as 14:00hs para Krabi. Então peguei um Uber e segui para o aeroporto de Don Mueang. Chegando no aeroporto de Krabi, fui até o guichê de onde vendiam a passagem para Ao Nang, comprei o bilhete, e em 15 minutos iniciou a viagem em um micro-ônibus. Cerca de 1 cheguei a Ao Nang, o Micro-ônibus, me deixou na porta do Hotel, onde me hospedaria. Já eram cerca de 17:00hs, resolvi ir até a praia, para reconhecimento doo mar tailandês, e já fui presenteado por um belo Pôr do Sol. Rsrs Logo após, à noite, fiquei andando por Ao Nang, a região dos comércios, é bem legal, possui diversos restaurantes e comércios. Também fechei um passeio para Hong Island. 17/04/2017 – Passeio Hong island. – Um dos melhores passeios da Trip Neste dia, logo após o café da manhã no Hotel, a Van do passeio passou no hotel, e então se iniciou o passeio para Hong Island, fomos até o Píer em Ao Nang, e de lá pegamos o Barco, eu adorei o passeio e recomendo. O passeio tem almoço incluso. Abaixo algumas fotos deste passeio que achei fantástico. Após o passeio, fiquei pelo centrinho de Ao Nang, e comprei minha ida para Phi Phi Island. no dia seguinte. 18/04/2017 – Railay Beach, e Ida para Phi Phi Neste dia de manhã, fui para Raylay Beach, peguei um barco que sai da Praia em Ao Nang, e em cerca de 10 minutos, cheguei em Railay Beach, o dia estava um pouco nublado. Railay Beach, é bem pequeno, porém muitas pessoas optam por se hospedar lá. Eu achei Ao Nang bem mais estruturado. Fiquei cerca de 1 hora na praia por lá, e depois retornei a Ao Nang, pois teria de fazer o check out no hotel e seguir viagem para a tão sonhada PHI PHI Island. Cerca de meio dia, a Van passou no hotel, e segui para o Píer em Ao Nang. No píer lotado de gente, entrei no Ferry e seguimos viagem para Phi Phi, cerca de 2 horas de viagem, bem tranquilo, cheguei no Píer em Phi Phi. Aí foi só localizar o Hotel, guardar as coisas, e já fui ao View Point. Bastante gente no View Point, fiquei lá até o final do pôr do Sol, e lá encontrei um pessoal que havia conhecido no Floating Market de Bangkok, e já combinamos de fechar um passeio volta a ilha em Phi Phi para o dia seguinte. Fomos a uma agência em Phi Phi, no qual me indicaram, e fechamos um barco privativo, visto que já tinha algumas pessoas interessadas no passeio conforme disse a funcionária da agência. Lembrando que eram todos brasileiros. 19/04/2017 – Dia èpico rsrs – Volta a Ilha Phi Phi – Barco Privativo O Inicio do passeio estava previsto para as 12:30hs, devido as condições da maré. Este horário estava na agência, e lá chegou o restante do pessoal que ia fazer o passeio, fomos ao Pier e se iniciou o passeio, que demonstro abaixo em fotos, diria que foi um dia épico, o barco muito animado, praias paradisiacas, dia top!!! Galera fantástica Após o passeios, combinamos de ir para as festas que tem na praia, é muito animado, a galera bebe no baldinho, tem shows de fogos na praia, super animado. Para quem gosta mais de ficar de boa, o outro lado da ilha, a noite é super calmo 20/04/2017 – Outro passeio de Barco em Phi Phi Gostei tanto da volta a ilha, que neste dia, resolvi fazwer outro passeio de barco, porém menor pela Ilha, foi ótimo o passeio, no mesmo horário, fui a agência. Foi um passeio um pouco diferente, porém o guia nos deu mais tempo como por exemplo da Phi Phi Lagon, em Maya Bay, que não estava cheia rsrs, diria que curti mais as praias neste dia. Abaixo algumas fotos. 21/04/2017 – Dia de deixar o Paraiso Phi Phi Era uma sexta feira, meu ultimo dia na Ilha Phi Phi, um dia antes comprei a passagem para retornar a Krabi, pois tinha uma reserva em um hotel , bem próximo ao aeroporto. Fiz o Check Out no Hotel no qual estava hospedado e fui para Long Beach, que é uma praia em Phi Phi, onde se tem uma trilha para chegar a mesma. Cerca de 30 minutos de caminhada, bem traquila a trilha, e cheguei a praia, que é bem bonita. Curti a praia, e retornei ao Hotel para pegar minhas malas, almocei no Ana’s, restaurante em Phi Phi que adorei, todos os dias jantei lá, pessoal super educado, e já até sabiem meu prato predileto, Fried rice with Srimps. (arroz frito com camarão) Depois o almoço, seguir ao Pier. Embarquei no Barco, 2 horas de viagem e já estava em Krabi, ai foi segui para o Hotel, onde me hospedaria, que era proximo ao aeroporto. Chegeui no Hotel, perto das 18hs. Em frente ao hotel, tinha uma feira, bem legal por sinal, dei uma volta lá, e depois fui para o hotel descansar. 21/04/2017 – Krabi x Kuala Lampur – Malásia (Inicio da Jornada até o Paraiso El Nido) Era uma sabado de manhã, acordei bem cedo, e o hotel tinha um trasnfer para o aeroporto, que era bem perto, cerca de 15 minutos de carro, meu vôo era as 08:00hs, com desstino a Manilla nas Filipinas, porém teria uma conexão de 10 horas em Kuala lampur. Por volta das 10:00hs, desembarquei em Kuala Lampur, passei pela imigração, comprei um chip de celular, e como já havia pego algumas dicas, peguei o metô no aeroporto, e segui para o Centro de Kuala Pampur, pois queira conhece a Petronas Tower. Cerca de 40 minutos, desci na Estação Central , e de lá peguei um metrrô até a Petronas Tower. É bem legal a região do Petronas Tower, pois tem um shopping dentro da mesma, eu queria subir o Petronas, porém, só tinha horário disponível as 19:00hs, porém, por volta das 20hs, eu teria de estar no aeroporto de Kuala Lampur, pois meu vôo para Manila, seria as 21:15hs. Por volta das 18hs, retornei ao Aeroporto de Kuala Lampur, e as 21:15hs, embarquei para Manila. Cerca de 3 horas de Vôo, chegamos no aeroporto de Manila. 22/04/2017 – Seguindo Viagem para El Nido – Chegada em El Nido - Tour A Desembarquei no aeroporto de Manila, por volta da 01:00hs da manhã, meu vôo para El nido, seria as 06:30hs, teria uma longa espra. Se vocês acham que os aeroporto no Brasil, são bagunçados, tirem isso da cabeça de vocês, pois, o aeroporto de Manilla, é o pior de todos rsr. Do terminal onde desembarquei, era Terminal 1, eu precisava me dirigir até o terminal 4 (Vôo Nacionais), fui me informar se esxistia algum transfer para o terminal, NEGATIVO rsrs, então peguei um Uber e segui para o Terminal 4. Lá chegando, o mesmo é muito pequenos, e não cabia quase mais ninguém kkk, mas achei um espaço e por lá fiquei, por volta das 05:00hs, fiz o check in, e as 06:30 hs embarcamos para EL Nido. Cerca de 40 minutos de vôo, desembarcamos em El Nido, me senti desembarcando em uma fazenda kkkkk, lá a recepção, é com música ao Vivo, e a empresa Air Swift, oferece um café da manhã. Peguei o taxi, e segui para o Hostel onde me hospedaria. Cheguei por volta das 08:30 hs no hostel, o Check in seria as 14:00hs, para aproveitar o tempo, mesmo virado, sem dormir rsrs já fechei o Tour A no próprio Hostel, a moça do hostel, ainda falou que o café da manhã, estava liberado se eu quisesse. Por volta das 09:00hs, veio o pessoal da agência me buscar, para inicar o passeio, que foi fantástico, um lugar mais paradisiaco que o outro. El Nido Local super túristico, porém ainda tem aquele clima de um local não muito explorado, não tem MC Donalds e nem Starbucks kkk, diria ser uma vila de pescadores com muitos turistas, na maioria turistas independentes. Tour A – El Nido – Abaixo fotos do mesmo!!! Após o passeio, umas 18:00hs, eu já estava no Hostel, tomei um banho, sai para comer algo, e depois capotei, pois estava praticamente 48 horas no ar, sem dormir, neste dia já deixei agendado o TOUR C para o dia seguinte. 23/04/2017 – El Nido TOUR C Neste dia, acordei por volta das 07:00hs, já bem recuperado do cansaço, tomei café da manhã, no Hostel, que era muito bom o café da manhã. Por volta das 09:00hs, o pessoal da Agência chegou ao hotel, e seguimos para o Pier, de onde sairia o passeio, Tour C. Passeio sensacional, vou resumir nas fotos abaixo: O Passeio se encerrou as 18hs, passeio fantástico, fiquei encantado por El Nido, ai foi só tomar um banho, jantar. Depois fiquei no Hostel, conversando e trocando experiência com outros viajantes. 24/04/2017 – El Nido TOUR B Os Tours A e C, são os mais procurados em El Nido. Como eu já tinha feito os 2, queria fazer o Tour B ou D, porém os mesmos não tem muita procura. Fui até a agência, verificar a disponibilidade de um deles, e fui informado que não teria nesta data. Porém, a pessoa da agência, me disse que um grupo de Italianos, teria reservado um barco priovativo para o Tour B, e disse que poderia ver se eles deixariam eu fazer o Tour com eles. Os italianos, concordaram e então fiquei feliz da vida rsrsrs. O grupo de italiano, era muito bacana, muito animados, o passseio foi muito legal. Me surprreendeu o Tour B, pois não é tão procurado. Abaixo algumas fotos do mesmo. Após o passeio, marquei um curso de mergulho em el Nido, para o dia seguinte. 25/04/2017 – Ultimo dia em El Nido - Mergulho Neste dia, de manhã, as 10hs, segui para a agência onde reservei o mergulho. Por volta das 10:00hs, seguimos no barco, e fiz o curso de mergulho. Me impressionei muito com o curso, pois foi muito bom, cheguei a descer 20 metros no mergulho, sensacional. 26/04/2017 – Bye Bye El Nido – Inicio da Longa Viagem até Washington DC. Acordei bem cedo, tomei café da manhã, e segui para o aeroporto de El Nido, pois meu vôo seria as 08:30hs para Manilla. Na despedida de El Nido, música Ao vivo, e um café da manhã como cortesia pela Cia aérea Air Swift. Cerca de 40 minutos de vôo as 09:30hs, estava em Manila, desta vez tinha transfer para o terminal 1, de onde saem os vôos internacional. A espera seria longa, pois meu Vôo para Dubai, seria as 18:00hs, mas resovi ficar no aeroporto mesmo esperando. As 18:00hs, embarquei para Dubai, onde faria conexão de 4 horas para depois pegar meu vôo para Washington, confome falei no inicio do post, fui via Estados Unidos, por conta do preço da passagem, porém como o post, pé referente a Asia, não vou relatar aqui, minha estada nos Estados Unidos, que foi de 1 dia em Washington DC, e 2 dias em Nova York. Caso tenham interesse, deixo aqui o link do meu relato, da minha viagem para Nova York. https://www.mochileiros.com/nova-york-6-dias-26-04-2015-a-01-05-2015-t126250.html Conclusão A Ásia, diria que é um destino viciante rsrs, pois é muito paradisiaco, e acesível financeiramente, conseguindo uma passagem barata, a viagem se torna muito acessível. Adorei a Tailandia em especial Phi \Phi, tem uma vibe muito legal. EL Nido, diria que foi a cereja do bolo, um dos lugares mais lindos que já visitei, me surpreendeu muito, pois ainda não é tão explorado, como a Tailandia. FIM!!!!!! Espero ter contribuido com este relato, me coloco a disposição a ajudar, quem pretende ir a algum dos lugares no qual visitei, e digo que vale muito a pena mochilar e desbravar o mundo. Ná dúvida, Viaje!!!!
  8. Olá! Quem está pesquisando sabe que já tem MUITA informação sobre a Tailândia na internet e foi através delas que organizamos nossa viagem. Apesar do risco de ser repetitiva, acredito que a melhor forma de agradecer pelos relatos é contribuindo com as minhas impressões. Viajei em casal por 10 dias, em maio de 2017, pelas cidades de Chiang Mai, Railay, Koh Phi Phi e Bangkok. Se tiverem alguma dúvida podem postar, ficarei feliz em tentar ajudar. De modo geral, achei que é um país muito tranquilo, com uma infraestrutura bacana para turismo e pessoas muito cordiais e em nenhum momento me senti insegura. Acredito que é um país tranquilo pra viajar sozinho ou com conhecimentos apenas básicos de inglês. E fora a passagem aérea, os gastos são bem menores que outros destinos. Compramos chips 4G no aeroporto de Bangkok, no andar do desembarque, foi muito prático ter internet o tempo inteiro, sem depender de wi-fi. Contratamos o pacote da TrueMove de 7 dias, 2.5GB, por ฿400. Pegou super bem, mesmo nas ilhas. IDIOMA Embora o Tailandês continue ininteligível pra mim , a comunicação foi tranquila. Muitos profissionais do turismo como guias, taxistas ou funcionários do hotel falam inglês, embora o sotaque carregado possa ser um pouco difícil de entender. E quando as pessoas não falavam inglês, todos se esforçavam e a comunicação acontecia. Era bem comum ter fotos no cardápio, por exemplo, e nas lojas eles usam muito a calculadora para mostrar o preço. Se você não souber inglês muito bem, mas souber desenrolar algumas frases básicas, acho que consegue levar numa boa. GASTOS Em comparação com o Brasil, as coisas eram bem baratas. Fora hospedagem, passagens aéreas e alguns passeios, levamos U$ 1.000 para gastar e foi o suficiente. Claro, vai depender do seu perfil de consumo. Se você comprar bastante na 7 eleven e comer em lugares mais baratos, vai gastar menos. Em compensação, se quiser beber todos os dias, provavelmente vai gastar mais, pois a bebida alcóolica é um pouco mais cara, principalmente nas praias. Fizemos câmbio em vários lugares diferentes, e as melhores cotações foram no aeroporto de Bangkok e Khao San Road, cerca de ฿34,40 e a pior foi nas praias, cerca de ฿32,30. HOSPEDAGEM Reservamos toda a hospedagem do Brasil mesmo, através do hoteis.com (estava mais barato que o booking) e gastamos R$ 1.164,97 com 9 diárias em uma mistura de hotéis caros e baratos. Não chegamos a ver se seria mais econômico não reservar, optamos pela comodidade de já ter um lugar certo pra ir. Ao longo do relato, falarei mais sobre cada hotel. DESLOCAMENTOS O mais caro da viagem realmente é a passagem aérea. Compramos as nossas por R$ 2.380 pela Ethiopian Airlines, saindo de São Paulo. O voo é longo (cerca de 26h), mas dá pra aguentar tranquilamente. Recomendo a companhia aérea, os aviões eram bacanas e o serviço de bordo de qualidade. Lembrando que a Ethiopian é membro da Star Alliance, então você pode pontuar uma quantidade bacana de milhas em um programa parceiro, como a Avianca, TAP ou United Airlines. Internamente, fizemos três trechos aéreos pelo total de R$ 469,50 por pessoa, com a passagem comprada ainda no Brasil. Certamente é mais barato viajar de ônibus ou trem, mas não achei que o preço compensava o sofrimento. Se quiser economizar, fiquem de olho em promoções e pesquisem em outras companhias como a Bangkok Air, Nok Air, Thai Smile Airways e Lion Air. Dá pra pesquisar também nesse agregador https://12go.asia/en. Nós fizemos Bangkok>Chiang Mai e Krabi>Bangkok pela Thai Airways e Chiang Mai>Krabi pela Air Asia e foi tudo normal. Uma vantagem da Thai Airways é que ela também é membro da Star Alliance e dá pra pontuar. Lembrando que no caso das low cost, como a Air Asia, a política de bagagem é diferente. Pra evitar pagar um excesso de peso caríssimo, na hora de comprar as passagens nos já compramos um adicional de bagagem e ficou bem em conta. Observem também que em Bangkok tem dois aeroportos e as companhias low cost operam somente no Don Muang. No nosso caso, ao voltar pra Bangkok demos preferência a uma companhia que operasse no Aeroporto Suvarnabhumi, pois li que ele era mais bem estruturado. Em Bangkok e Chiang Mai nos deslocamos de Uber e Taxi. Se você for pelo taxímetro é muito mais barato, mas, mesmo sem - naquela exploração básica do turista - o preço é ótimo se comparado com o Brasil. Entre as ilhas, nos deslocamos de Ferry, com o bilhete comprado no dia anterior mesmo, tem muitas lojinhas vendendo e o preço era tabelado. Do píer para o aeroporto usamos o serviço de minivan (shuttle bus), mais barato que táxi. Por exemplo (preços por pessoa): * Aeroporto de Krabi > Ao Nang: Shuttle Bus (40min) – ฿ 150,00 * Píer de Ao Nang > Railay: Long Tail (20min) – ฿ 100,00 * Railay > Koh Phi Phi: Ferry (2h) – ฿ 400,00 * Koh Phi Phi > Krabi: Ferry (2h) – ฿ 350,00 * Píer de Krabi > Aeroporto: Shuttle Bus (20min) – ฿ 150,00 TOURS Em todos os lugares que fomos, havia uma imensa variedade de passeios, para todos os gostos e bolsos. A maioria deles dá pra contratar até na véspera, como foi o caso dos nossos passeios para Chiang Rai (฿700,00 por pessoa), Hong Island (฿1.600,00) e Ayutthaya (฿550,00). Esses foram tours compartilhados, então ter muita gente nos lugares é uma certeza. Se você puder optar por passeios privados, mais carinhos, tente organizar o dia para visitar os lugares no contrafluxo da programação. Alguns passeios nós reservamos e pagamos do Brasil, pois são bem mais concorridos. Foi o caso do Elephant Nature Park (฿2.500), Maya Bay Sleep Aboard (฿3.500) e Thonburi Food Tour (฿1.800). Você percebe que os valores são bem acima do normal para Tailândia, mas, todos eles trouxeram algo diferenciado, que, em nossa opinião, valeu a pena. No roteiro falarei mais de cada um, mas já destaco o Thonburi Food Tour como um ponto alto da viagem: foi um passeio pela região do Thonburi, com foco em experimentar a culinária local. Foi uma experiência ótima e muito autêntica, provamos comidas muito saborosas e conhecemos uma região mais antiga de Bangkok, parece que você voltou no tempo. No site você vê mais detalhes e pode conhecer outras opções de tours da empresa: http://www.bangkokfoodtours.com/thonburi-food-and-canal-tour/ CLIMA Quem viaja em Maio sabe que é o clima é uma roleta russa, pois é o começo da época das Monções, havendo sempre um risco de chuva. Apesar de termos sido recepcionados em Chiang Mai com um temporal daqueles (até energia faltou no hotel ) o resto da viagem foi com pouca chuva. Em Koh Phi Phi, por exemplo, só choveu um pouco à noite e em Bangkok tava um sol do capeta ! A exceção foram os dias que estivemos em Railay, onde o tempo estava meio feinho, um pouco nublado e com pancadas de chuva, inclusive um temporal rápido quando estávamos em um passeio por Hong Island. Mas mesmo sem aquele solzão bonito, deu pra aproveitar a beleza do lugar. Vou tentar aproveitar que está tudo fresquinho na cabeça e descrever logo o nosso roteiro e as impressões dos lugares que visitamos. Lá vem textão!
  9. Hello Guys  Quem quiser acompanhar a trip pelo sudeste asiático em tempo real, me add no instagram ok? @helderzitomochileiro Estou dentro de um ônibus que vai me levar de Myanmar até a fronteira com a Tailândia, e isso vai tomar mais algumas horas, sendo assim eu aproveitei que estou viajando com meu Laptop e vou começar a escrever meu relato aqui no Word mesmo (provavelmente vou editar isso depois) Para começar eu vou criar uma tabela no final com os preços atualizados de tudo, mas se vc está indo agora e precisar saber do preço de alguma coisas nos lugares que já passei, basta perguntar. Depois de morar um tempo na Austrália eu decidi fazer um mochilão pelo sudeste asiático antes de voltar para o Brasil, minha ideia inicial era passar por Tailândia, Myanmar,Laos,Vietnam e Cambodia, mas vocês irão ver que as coisas vão mudando aos poucos, estou viajando sem passagem de volta para casa, em outras palavras, até quando a grana que reservei para a trip terminar, então não tenho ideia, isso pode ser em julho ou agosto, não sei, se alguém estiver por aqui e quiser entrar em contato me manda uma mensagem. O que pretendia fazer é Tailândia, Myanmar, Tailândia, Laos,Vietnam, Cambodia , Tailândia e Brasil. Minha viagem começou dia 1/6 e o que já fiz foi o seguinte: Melbourne to Singapore Singapore to Bangkok Bangkok to Yangon Yangon to Golden Rock Golden Rock to Mandalay Mandalay to Bagan Bagan to Chiang Mai ( Estou nesse momento pegando o primeiro bus, dos três que tenho que pegar até cruzar a fronteira e chegar lá) Estou sem roteiro definido então quando chego no lugar, posso conhecer pessoas e tudo mudar, isso é uma coisa boa, não sei hehehe Então tenho uma ideia das cidades que quero ir, mas não sei exatamente a ordem que farei, então vou postando de acordo que vou passando nos lugares e tendo dias só chilling no hostel e tenho tempo para escrever ok?  Viajei com dólar australiano, para entenderem melhor 1AUD é igual 2,50R$, então vou postar os valores na moeda local e alguns em AUD, mas nunca em dólar americano, porem para ajudar eu passo a conversão atual dos países para vocês. JUNHO 2017 MYANMAR – USD 1 – 1350KYATS THAILAND – USD 1- 38 BATH
  10. Pessoal, Meu nome é Paula, e antes de começar, estou aqui pra agradecer a todas as pessoas que publicaram suas experiências aqui no Mochileiros; todas elas e os demais blogs que eu li antes de viajar me ajudaram MUITO a planejar a viagem, e também a saber lidar com uma cultura tão diferente quanto a da Tailandia. O fato de você pesquisar bastante antes dessa viagem vai te poupar de vários apuros. Mas uma coisa você pode ter certeza; vai ser tudo muito diferente do que você imaginar. Diferente no sentido de como as coisas funcionam, como as pessoas te tratam e também como elas se comportam. De forma geral, tem algumas coisas que são básicas pra essa viagem: - Nunca compre nada sem negociar; a regra geral é no mínimo tentar fechar na metade do valor inicial – com certeza terão vendedores que vão te expulsar da loja, mas não se abale e parta pra próxima. - Nunca pegue um taxi ou tuk-tuk sem fechar o valor primeiro ou combinar com o motorista para que ligue o taxímetro. - Repita quantas vezes forem necessárias para a pessoa te entender – assim você evita mal entendidos. - Não beba muito antes dos tours de barco – não mesmo! - Leve todos os remédios possíveis (analgésico, dor de garganta, diarréia, estomago, enjôo, anti-alérgico, etc). Hora ou outra você vai precisar de algum deles. - As pessoas lá na maioria são muito gentis, mas tenha em mente que sempre tem os espertinhos esperando pra aplicar golpes. Cuidado com tours oferecidos pelos tuk-tuks, hotéis que somem com itens do quarto, pessoas na rua que falam que os templos estão fechados. - É tudo uma grande bagunça. A bagunça mais confusa que eu já vi na minha vida, mas que no final da tudo certo. Nos tours, você vai pra um lugar, espera 10 minutos em outro, colam uma etiqueta em você, te mudam pra outro lugar; mas no fim das contas, você chega onde tinha que chegar. Então, é uma zona mesmo, não se preocupe. Uma coisa que percebemos e não li em lugar nenhum, é que eles só podem vender bebida alcoólica nos mercados (inclusive 7 Eleven) a partir de determinado horário. Em Bangcoc a partir das 11hs da manhã, em Chiang Mai às 17hs e somente nas praias não tivemos nenhum problema com horário. Então, aos bebedores de cerveja como nós, se quiserem beber mais barato antes desses horários, comprem no dia anterior. Os bares e restaurantes vendem normalmente, mas o preço é o dobro dos mercados. Para aqueles que têm dificuldade com o calor como eu, viajar entre os meses de Fevereiro e Maio é loucura – são os meses mais quentes na Tailandia. Não escolhemos Outubro; na verdade foi o mês que conseguimos negociar nossas férias. A época de chuva vai de Junho a Outubro, o que me deixou um pouco preocupada a princípio. No fim das contas, a chuva não estragou nenhum dia da nossa viagem – até ajudou a refrescar o calor escaldante! Mas 99% das vezes choveu somente a noite, ou por 1 hora ao longo do dia. Não sei nos demais meses, mas nós aprovamos o clima em Outubro. Outra coisa importante, é ter o maior desapego do mundo quando você for fazer a sua mala. As nossas malas tinham 7kgs cada uma. Lembre-se que lá é calor, e que tem muito lugar barato pra lavar as roupas. Você passará 99% do seu tempo de chinelo, e o melhor de tudo: não vai precisar despachar as malas, e ficar no meio daquela multidão maluca esperando sua mala chegar – tanto no vôo internacional, como nos vôos internos. Pesquise bastante as passagens aéreas para os vôos internos. Tem muito vôo que compensa muito mais do que trem e/ou Ferry. Você ganha tempo e gasta a mesma coisa, se não gastar menos! Nós pegamos 3 vôos internos: 1) Bangcoc (DMK) > Chiang Mai (CNX) – Air Asia R$ 222,05 (2 passagens, já com taxa de IOF do cartão) 2) Chiang Mai (CNX) > Krabi (KBV) – Air Asia R$ 698,57 (2 passagens, já com taxa de IOF do cartão) 3) Krabi (KBV) > Bangcoc (DMK) – Thai Lion Air R$ 72,28 (2 passagens, já com taxa de IOF do cartão) Somente uma delas pagamos mais caro, as outras duas conseguimos promoções muito boas pesquisando no Skyscanner. Compre com antecedência, vale muito a pena! Esses são os comentários gerais, bora pro relato?
×
×
  • Criar Novo...