Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''litoral sul''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Companhia para Viajar
  • Trilhas e Travessias
  • Equipamentos
  • Nomadismo e Mochilão roots
  • Volta ao Mundo e RTW
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 2 registros

  1. OLÁ! Essas informações foram do camping que fizemos em fevereiro/2018. O local ainda existe e ainda é bem estruturado. A ideia é mais saber que existem outros meios de chegar em #Maragogi ou nesse caso Barra Grande sem precisar de transfer ou carro particular, entretanto, esse é um caminho mais low cost. COMO CHEGAR: Tem três maneiras básicas de chegar em Maragogi - AL partindo de Recife - PE, que são de ônibus direto, de ônibus baldeação e de carro. Ônibus Direto: o caminho é feito pela empresa Real Alagoas e você poderá fazer esse trajeto apenas em alguns dias da semana e em horários um tanto incômodos. Não optei por esse e nem indico, só tô deixando aqui a opção. Ônibus Baldeação: esse caminho é mais demorado ainda (coisa de umas 3hrs de viagem) e começa pegando um ônibus na Av. Dantas Barreto (antiga rodoviária) da empresa Viação Cruzeiro ou, ainda, da Viação Progresso até a cidade de São José da Coroa Grande ou até Barreiros; esse ponto de saída pode ser ainda QUALQUER parada da Av. Mascarenhas de Morais, inclusive, na praça do Aeroporto no entanto, no carnaval (como foi o caso) o ônibus tinha ponto de partida na Praça Largo da Paz no bairro de Afogados, ao invés de na Dantas Barreto, mas o resto das paradas se mantinham o mesmo. Em São José você vai descer no centro, de frente aos dois grandes mercados da cidade e lá vai pegar uma van para Maragogi - AL mas no caso desse nosso roteiro pode pedir para descer em Barra Grande, de frente a concessionária da Fiat, sem erro. Esquema parecido é em Barreiros onde, descendo na rodoviária, vai sair dela e já pergunta nos alternativos quem ali faz esse trajeto. O preço das vans dependem da cidade de onde tá saindo. Os valores dos trajetos: [valores consultados em 09.02.18 deixo contato da empresa no fim do post] Recife - São José da Coroa Grande - Recife: R$22,00; Recife - Barreiros - Recife: R$19,00; Alternativos São José da Coroa Grande/Barreiros - Maragogi - AL: R$5,00 - 7,00 Os horários dos trajetos: [horários consultados em 09.02.18 deixo contato da empresa no fim do post] Recife - São José da Coroa Grande Seg-Sáb: 05h40/ 9h15/ 13h40/ 15h/ 18h10 Dom-Feriados: 05h40/ 9h15/ 13h40/18h10 São José da Coroa Grande - Recife Seg-Sáb: 05h40/ 06h30/ 9h10/ 13h/ 18h Dom-Feriados: 05h40/ 09h10/ 13h/ 18h Recife - Barreiros Seg-Sáb: 06h/06h30/7h30/8h30/10h30/11h30/12h30/14h40/15h3016h40/17h10 Dom-Feriados: 06h30/ 08h30/ 11h30/14h30/ 16h40/ 17h40 Barreiros - Recife Seg-Sáb: 06h/06h30/7h30/8h30/10h30/11h30/12h20/13h50/14h40/16h30/17h30 Dom-Feriados: 07h30/ 11h30/ 13h30/ 14h50 c) Carro: o jeito mais fácil de chegar, é só botar o GPS e seguir tranquilamente, não esquecendo, claro de baixar o mapa offline para já ajudar. Essa foi a opção que escolhemos pois, como conseguimos economizar muito no combustível valia mais a pena do que ir de busão, mas de busão era a primeira opção valendo. Depois de citar as maneiras de viajar, vale destacar que, indo pela antiga rodovia (que é por onde o maps indica) após passar o complexo de viadutos que fica uns km depois da garagem da Viação Cruzeiro na BR a pista fica MÃO DUPLA, isso mesmo, a BR 101 vira mão dupla e, devo dizer, num estado não muito bom; estreita, esburacada e MUUUITO sinuosa aqui fica o cuidado quadruplicado. A CHEGADA Depois de muita pesquisa decidimos onde ficaríamos uma parte do carnaval e escolhemos o Camping e Chalés Beira Mar, que fica localizado na praia de Barra Grande, município de Maragogi - Alagoas. Para chegar nele não tem errada, o ponto de referência principal é a concessionária da Fiat Mavel, descendo nela ou tendo ela como ponto de referência basta entrar na primeira rua imediatamente a esquerda e, mais uma vez, a esquerda e, do seu lado direito estará o camping. Antes de chegar acertamos com o dono que pede para que o pagamento seja feito 50% antes do check in e os outros 50% na chegada. Lá eles aceitam cartão para o pagamento da outra metade mas não aconselho tendo em vista que lá o sinal de telefone é bem precário e eles usam aquelas maquinetas que precisa de telefone, sabe? (eu fiquei TOTALMENTE sem sinal da TIM pelos 3 dias que fiquei lá, foi ótimo!). Chegando lá o dono, Ronald, muito simpático acertou nosso check in, preencheu nosso cadastro e fez questão de nos mostrar toda a instalação e ainda disse qual era o lado da sombra durante a tarde (que é o lado direito de quem chega ;] ) ele é muito solícito e organiza de tudo dentro do camping. A ESTADIA / INSTALAÇÕES DO CAMPING Depois do check in pudemos ir montar nossas coisas; Deixamos o carro bem de frente a porta do camping o que facilitou demais o manejo, montamos a barraca e tratamos de levar nossas coisas para dentro, tudo muito tranquilo e sem demais aperreios. Escolhemos a área protegida pela tela por ter alguma sombra e ser perto do totem de energia, ficamos sabendo depois que aquela tela serve para manter a grama sempre verde e confortável, testado e comprovado. Quando tava tudo montado fomos conhecer o camping e sua estrutura. Nada muito diferente do que eu tinha visto na internet apenas um pouco menor, mas não menos aconchegante. Conta com uma cozinha completa (duas geladeiras, fogão 6 bocas, microondas, pia e balcão) uma área de convivência com mesa grande, algumas redes, um jogo de lançar aros uma tv e um ventilador. De frente à área da cozinha temos a piscina e, atrás dela, o salão de jogos que conta com uma mesa de sinuca, totó, basquete e ping pong e, nesse mesmo espaço estão os banheiros únicos (banheiros que contam com uma função, ou privada ou banho) 3 femininos, 2 masculinos e um adaptado para pessoas com locomoção reduzida. Dos lados da área de cozinha há banheiros completos (banho e privada) de um lado masculino e de outro feminino. Conhecido o camping saímos e ficamos pelas proximidades do camping mesmo, fomos á praia (caminho muito fácil também só voltar para a rua que entrou depois que saiu da BR e seguir direto que já tá na praia) que é razoavelmente movimentada e, apesar de ser carnaval, não estava lotada. A praia em si não possui uma grande estrutura contando apenas com uma barraca ou outra mas a presença de vendedores ambulantes vendendo camarão (e até lagostinha) é bem grande. Uma coisa que eu não estava preparada foi para o frio que fazia a noite. Claro que não era aquele frio de morrer mas, por ser praia, pensei que passaria calor mas nem perto disso, as noites foram de temperaturas muito amenas (pelo menos a sensação térmica era) e teve momentos em que desligamos o ventilador, tamanho era a friagem. No entanto, com ventilador desligado a barraca começa a esquentar cedo, 07h10 da manhã já estávamos despertando devido ao sol começar a bater na barraca, daí vai minha dica de mesmo que não chova leve uma lona para cobrir sua barraca do sol e de eventuais chuviscos. Foi só no segundo dia que notamos como deveríamos colocar a lona para proteger a barraca do sol. De tarde dentro da barraca era bem quente, mesmo com ventilador, mas isso só até umas 16h que é quando começa a amenizar a temperatura; como passamos o dia fora da barraca, não foi um problema não. LOCALIZAÇÃO E CONVENIÊNCIAS O Camping fica na área inicial da praia de Barra Grande, então para conseguir chegar num mercadinho tem que andar por uma distância de 700m pela beira da pista quase sem acostamento. O mercadinho tem um valor razoável mas, para quem estiver de carro, vale a pena dar mais uma caminhada. Conversando com um pessoal do camping fiquei sabendo que, no sentido de Maragogi, havia alguns restaurantes também e, no sentido voltando para Recife, havia até um restaurante japonês (rsrsrs) então, se andar um pouco, dá pra se ajeitar direitinho. EXPERIÊNCIA DO CAMPING Ficamos no camping por 2 noites e 3 dias e posso dizer que quando chegou na hora de ir embora nem eu nem o boy queríamos ir. Ficamos muito seguros em todo o momento que estivemos por lá, o policiamento é constante (num só dia vi 3 patrulhas) e todas as casas estavam ocupadas, o que dava uma circulação de gente bem bacana. Usar a cozinha foi tranquilo, exceto por um pessoal que veio em família e nem se incomodavam de tirar a panela deles de cima do fogão mesmo quando eles já não estavam mais usando aquela boca, isso um pessoal que estavam nos quartos por que os campistas sabiam dividir tudo e bem. Nas geladeiras ninguém mexeu nas nossas coisas nem ficavam mudando de lugar para benefício próprio, havia um clima de respeito e cumplicidade muito grande entre os campistas, a vibe era incrível. Teve uma hora que ficou um barulho de som terrível mas, novamente, foi um pessoal de outro quarto que estavam com som bem alto e não se importavam que pessoas queriam poder dormir ali, mas alguém pediu para que eles desligassem e eles o fizeram (pelo menos né). Outro porém que é preciso avisar de lá é que NÃO HÁ ABASTECIMENTO DE ÁGUA CONSTANTE EM MARAGOGI pois o estado de Alagoas passa por uma crise hídrica e, portanto, o uso da água era controlado, desta forma se forem para lá ECONOMIZEM ÁGUA não só os seus companheiros de hospedagem mas também o planeta agradece. A VOLTA Havia um trânsito bem intenso na segunda-feira no sentido oposto de onde estávamos indo, então acredito que quem viajar na segunda de carnaval (ou da segunda em diante) vai pegar uns lugares mais lotados. Os postos da polícia rodoviária e da polícia estadual também estavam muito atentos e parando carros com frequência para conferir documentos e situações. Para quem vai de ônibus há uma parada bem na saída da rua do camping mas como os horários dos alternativos não são concretos é bom se programar de acordo com o horário que pretende pegar o ônibus para voltar para Recife seja em São José seja em Barreiros mas, como eu vi, indico São José por que além de ser mais perto da divisa eu vi muito mais vans fazendo esse percurso. Dicas Extras: Fiquei sabendo lá que há transporte meio que municipal para chegar em Maragogi vindo de Maceió então, se for lá pro camping saindo da capital alagoana, pode valer a pena descer em Maragogi e pegar esse mesmo alternativo. Quem tem os horários e preços desse trajeto é a Arsal e no site deles tem sempre os valores das tarifas, onde pegar esses ônibus e quais os trajetos que eles fazem. O valor em 15.02.18 do trajeto Maragogi - Maceió (via Japaratinga) R$ 22,00 PREÇOS No site deles eles disponibilizam os valores tanto de hospedagem quarto quanto de camping, daí o valor que vocês pagarão dependerá da quantidade de dias, de pessoas e época do ano em que irão. Vale a pena também confirmar o valor com eles pelo Facebook ou Whatsapp que eles respondem bem rápido. Obrigada pela leitura e, até a próxima! _________________________________________________________________________ Links úteis Camping e Chalés Beira Mar: http://campingmaragogi.wixsite.com/beiramar http://campingmaragogi.wixsite.com/beiramar/promoes-e-preos https://www.facebook.com/beiramarmaragogi/ Real Alagoas: http://www.realalagoas.com.br/ Viação Cruzeiro: https://rodoviariaonline.com.br/viacao/cruzeiro/ 0800-766-9000 (consegui todas as informações por aqui, então é melhor ligar) Empresa de transporte público em Alagoas: http://www.arsal.al.gov.br/ http://www.arsal.al.gov.br/tarifas/transporte/ http://www.arsal.al.gov.br/servicos/transporte/linhas-do-sistema http://www.arsal.al.gov.br/servicos (abrindo a aba transportes)
  2. OLÁ OLÁ OLÁ! Fizemos essa viagem em 2016, entretanto os preços de passagem foram as coisas que mais alteraram - e hospedagem claro é por conta de cada um - então é mais pra vê como chega de forma mais barata (há os transfers, mas é aquilo, aqui é low cost sempre que der kkk). p.s: as fotos são minhas mesmo, se na época que o meu celular já não era essas coisa as fotos ficaram assim, imagina pras câmera hoje em dia? rsrs ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- SÁBADO 1- METRÔ Como nossa casa fica próxima a estação de metrô seguimos para ela e fomos sentido estação Joana Bezerra. Chegando na JB saímos do trem e cruzamos a plataforma para pegar a linha Sul; demorou cerca de 5 minutos para o próximo metrô chegar, mas quando chegou tivemos a sorte de irmos sentados. Seguimos da Joana Bezerra até a estação Aeroporto onde descemos e, seguindo a multidão chegamos até quase a integração de ônibus, mas antes de chegar até lá há algumas placas de papel, bem simples - então é bom ficar atentos - que indicam a ENORME passarela que liga a estação aeroporto ATÉ o Aeroporto de Recife, seguimos por ela até chegarmos dentro do aeroporto. 2- ÔNIBUS Uma vez dentro do aeroporto percebemos que estávamos no segundo andar, o que é normal, haja vista a altura da passarela, por dentro mesmo do aeroporto entramos pela plataforma -H alguma coisa- e fomos em direção ás escadas e descemos até alcançarmos o térreo. Quando chegamos no térreo ficamos um pouco perdidos - confesso - pois nunca tínhamos andado por ali, mas quando saímos no portão seguimos em direção a uns bancos que ficam entre as duas pistas dentro do aeroporto (a pista mais interna por onde circulam os carros e táxis ,e a mais externa, por onde passam os ônibus) e, chegando mais perto percebemos a placa que informava qual ônibus passava por ali: 195 Opcional - Porto de Galinhas (atualização: o preço mais atualizado da passagem vai encontrar fácil no link no final do post), MAS pela verba ser minúscula optamos - desde antes nas pesquisas, pois já sabíamos desse ônibus mais caro- pelo ônibus mais barato, mas eis que surge o medo pois nas placas não conta ele, mas não se assustem, ele passa sim e o ônibus que pegamos - o que demorou uns 10 minutos para chegar - foi o 191 Recife - Porto de Galinhas (Nossa Senhora do Ó), então ficam ai duas opções de ônibus: para quem quiser ir no maior conforto, pois o opcional conta com ar condicionado e faz um percurso mais curto, ou quem está mais apertado mas não quer deixar de curtir a viagem. Ao subirmos no ônibus uma chateação: ele estava lotado, portanto seguimos em pé mais ou menos até Ipojuca, onde surgiu a primeira vaga pois as pessoas começavam a descer. O ônibus estava cheio porque ele vai pegando passageiros ao longo do trajeto que faz saindo do Cais de Santa Rita - no centro de Recife -, passando pela Av. Sul, chegando na Mascarenhas de Morais, até chegar onde estávamos. Mas já sabíamos dos riscos e metrô ainda era nossa melhor opção. 3- CHEGADA Depois de 2 horas e 10 minutos de viagem (saímos de ksa às 10:30, chegamos em Porto de Galinhas ás 12:40), pra quem vai se hospedar mais perto do centro é melhor descer quando todo mundo desce, que é praticamente na entrada de Porto, nós descemos do ônibus - fica aqui a observação que nossa pousada ficava mais pra dentro de Porto - mas antes perguntamos ao motorista se ele faria a volta na rotatória e ele nos confirmou o que nos fez descer apenas na rotatória o que poupou caminhada com peso e sol de rachar. 4- POUSADA Como dá para ver na imagem acima a nossa pousada fica logo após o giradouro, é a Porto Backpackers, compramos nossa estadia de duas noites pelo booking e, embora tenhamos avisado que chegaríamos num horário mais tarde, acabamos chegando mais cedo que o previsto e, mesmo assim, não foi empecilho. (atualização: não sei se ela ainda funciona, entretanto não esqueçam de na hora de buscar pousada em porto, olhar o endereço e ver onde fica, se fica perto da praia, da avenida e etc) No quarto havia frigobar e microondas que foi uma verdadeira mão na roda e que fez com que nós gastássemos menos ainda o que imaginávamos, assim, quando forem se hospedar - me arrisco a dizer até em todo lugar- opte por um lugar com microondas e frigobar ou cozinha comunitária, vai salvar teu bolso para passeios e outras coisas. De frente a pousada tem um supermercado, mas ele não é tão barato e bacana quanto o que fica quase na entrada da Rua Esperança (a rua que adentra para Porto ), fizemos uma compra de 50,00 que nos rendeu o almoço, a janta e ainda o café da manhã do dia seguinte. 5- A CIDADE DE DIA Como tínhamos pouco tempo e queríamos conhecer o máximo de coisa que desse, almoçamos e depois saímos em rumo ao centrinho, que não é difícil de encontrar uma vez que é só seguir reto pela Rua Esperança e depois pelas ruas de paralelepípedo, não há errada. A partir dali já começa a ter coisas que você pode aproveitar, as fotos no rosto de galinha, banquinhos, de tudo um pouco para você guardar suas memórias, aí fica a seu critério, inclusive há pessoas oferecendo almoços nos self services que nós não fizemos porque já tínhamos almoçado na pousada mesmo, dali fomos andando sentido praia para ver como estava o mar e, devo dizer, estava belíssimo. Para terminar o primeiro dia, tomamos um açaí (numa lanchonete perto do deck, quase de frente à entrada de uma pousada, só seguir pelo lado da subway que encontra) que saiu por uns R$7,00 (na época) o pequeno pois não aguentamos comer uma quantidade maior. Após, voltamos para o hostel e ficamos por lá até o outro dia pois o sábado foi muito puxado, mas deu pra ter fotos incríveis. ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ DOMINGO 1- A PRAIA E A CIDADE Depois de descansar e tomarmos nosso café da manhã que havíamos comprado no dia anterior saímos umas 09:30 da pousada e fomos em direção à praia. O mar estava absolutamente belo e também a cidade cheia de turistas. Uma coisa que nos impressionou foi a quantidade de estrangeiros que estavam na cidade nessa época do ano, mas foi mais como uma surpresa mesmo. Lembram que eu disse que essa época no nordeste é época de chuva? Pois é, neste dia, em específico, o dia amanheceu bem nublado, mas a medida que o dia foi passando e foi chegando perto das 11:00 o céu já estava de um azul lindo, um vento com cara de verão - apesar de inverno - e um calor muito convidativo para praia. Antes de chegarmos mesmo às areias da praia, mesmo, demos uma volta pelo deck e redondezas pois, no dia anterior, estávamos cansados e não conseguimos curtir tudo, então passamos pelas galerias que ficam próximas ao deck - a que tiramos foto é linda e muito fofa, mas há várias outras que dá para conhecer e ficam na mesma imediação - além de passarmos pelo famoso letreiro que, diga-se, foi muito difícil conseguir uma foto sozinhos com o mesmo devido a quantidade de gente, mas nada como esperar o momento certo e estar preparado para quando ele chegar. Depois de passear pela orla seguimos em direção a praia, onde só ficamos relaxando, tomando um sol - que ainda estava entre nuvens a essa hora - esperando que o céu ficasse azul mesmo e encontramos uma barraquinha de lanches, havia vários tipos de lanches mas optamos pela opção nada saudável de salgadinhos e pipoca - viagem tem dessas coisas também - mas havia caldo de cana que foi o ápice do lanche. Não deixem de experimentar caldo de cana na praia, dá uma refrescada revigorante (mas se você for diabético CUIDADO caldo de cana é bem açucarado, eu por exemplo se como caldo de cana com pastel passo mal mesmo). Quando já estávamos ficando sonolentos e um pouco queimados demais decidimos voltar para a pousada e descansar, almoçar, essas coisas. 2- A NOITE Acabamos cochilando e só viemos acordar quase 18:00, já que havíamos dormido tanto decidimos por conhecer Porto á noite já que o local onde estávamos era movimentado e o dono da pousada tinha afirmado que era seguro fomos andando pelo mesmo caminho do dia. Percebemos, já de cara, a quantidade de turistas e de bares abertos a noite que não estavam de dia, e isso foi uma surpresa muito agradável, primeiro pela segurança depois por poder sentir o movimento da cidade, isso sempre é muito bacana. Antes de chegar ao deck, porém, há uma rua chamada Rua dos Navegantes, continuação da Rua Esperança que, se seguir por ela pelo lado direito - lado de quem chega até o deck - um pouco a frente vai se deparar com uma praça que possui feira de artesanatos que é uma graça. Para além dos artesanatos (que encontramos a partir de R$ 3,00 na época) há brinquedos para as crianças e internet wi-fi (pelo menos havia, hoje ja nao sei nem se precisa), mesmo que com sinal congestionado, mas ainda conseguiu funcionar. Lá compramos dois ‘’bisqüis’’ - não sei como se chama na sua região, mas aqui são bonequinhos parecidos com massa de modelar só que ficam durinhos, há fotos abaixo =D - que são imãs de geladeira e são uma graça. Lá tiramos umas fotos bem turistas com as placas engraçadas, as galinhas, as paredes, aquela turistada básica. Lá vem a militante: TURISTEM NO ESTADO DE VOCÊS, NO SEU PAÍS! Tem tanta coisa linda por aqui e por aí. De lá, demos a volta seguindo adiante pela rua, passando por um restaurante bem bonito, virando a esquerda e depois a esquerda novamente até chegar ao final da rua que dá para o deck, foi basicamente um círculo que fizemos -rsrsrs- quando chegamos ao deck tiramos mais fotos turistas (aquela tentativa de close certo, sabe?) e nos sentamos nos banquinhos próximo ao restaurante Itaoca, onde tocava música ao vivo e ficamos a curtir a noite, olhar o movimento, e agradecer cada minutos que ali estávamos. Passado esse tempo seguimos em direção a pousada onde passaríamos a última noite antes de voltar para Recife. ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ SEGUNDA 1- ANTES DA VOLTA Nosso último dia em Porto, por enquanto, foi bem tranquilo. Arrumamos as malas quando chegamos da cidade de noite depois de jantar, já para não nos preocuparmos no outro dia em acordar tão cedo, mas mesmo assim acordamos umas 09:00 para poder aproveitar melhor o restinho de dia que ainda sobrava, então tomamos café (fizemos uma compra extra no supermercado da frente, o Arco-Mix, mas não ultrapassou 20,00 e ainda sobrou um hambúrguer de café da manhã. O dono da pousada, muito bacana e muito prestativo, nos disse que em virtude do quarto não está programado para mais ninguém que poderíamos ficar até o fim da tarde se quiséssemos, o que foi uma notícia muito boa mas, infelizmente, teríamos de voltar cedo por causa do congestionamento e transporte na chegada á Recife. Por isso, decidimos ir conhecer uma das coisas que Porto tem que eu acho muito bem bolado, as famosas praças. Essas praças são praças mesmo hehehe, onde ao redor se localizam pousadas e hosteis e muitas casas, fomos conhecer uma que ficava perto da pousada, seguindo até a rotatória em direção á maracaípe há uma rua (Da Posteação, é o nome dela) a esquerda de quem vai e a direita de quem vem, que entrando nela já vai, logo a frente, avistar a praça 19. Nessa praça há uns banquinhos embaixo de sombras deliciosas de árvores onde achamos um sinal de wi-fi aberto (pois é, acontece), mas no geral é um lugar pra ficar contemplando e curtindo e foi o que fizemos. Voltamos para a pousada (mesmo caminho da ida, mega fácil), tomamos água e decidimos ir conhecer a última coisa que não havíamos conhecido, uma lagoa gigante que ficava a poucos metros de distância de nossa hospedagem. A lagoa engloba uma área enorme da cidade de Porto de Galinhas e achei que valia a pena conhecer nem que fosse só pela margem, daí saímos da pousada e seguimos reto na direção oposta que nos leva para o centro e, a medida que fomos chegando, só nos foi encantando. Só não ficamos mais encantados por que não conseguiríamos um passeio por ela, mas vê-la já é algo incrível. Depois da praça e da lagoa fizemos nosso caminho de volta para a pousada onde almoçamos e nos preparamos para ir embora, como já disse, embora tivéssemos tempo achamos melhor voltar mais cedo mesmo, pois a estrada seria longa. 2- A VOLTA Usando o aplicativo CittaMobi (indico completamente para usar em Recife e adjacências) vimos que nosso ônibus sairia às 12:40 então, quando o relógio bateu 12:30 nos despedimos do dono da pousada e seguimos para a parada de ônibus. Diferente da ida nós não pegamos o ônibus no lugar que descemos pois, soubemos, que dali ele partiria para o terminal e não faria a volta então andamos, com malas e no sol, para próximo ao mercado onde fizemos a compra de nossas refeições (o mercado que fica no sentido da praia, não o de frente da pousada), que logo a frente se encontrava a parada de ônibus. Como esperado ele chegou e subimos nele, onde pagamos a passagem (pegamos o promocional então foi o mais barato na volta também) e sentamos nas cadeiras (pegamos no local certo pois o ônibus estava vazio) para voltar ao Recife. Antes de sair de Porto o ônibus ainda para de frente à Delegacia, onde é uma parada de ônibus mais conhecida dele e, lá, há a opção de pegar o transporte que tem ar condicionado (fica a dica). Levamos duas malas e foram suficientes para passar o fim de semana, mas isso vai depender do seu perfil de levar roupas, como priorizamos roupas leves e poucas malas para facilitar as caminhadas duas nos bastaram. Chegando em Recife, descemos na parada que fica de frente ao Aeroporto, não tem errada. Obrigada pela leitura e, até a próxima! ___________________________________________________________________________ Links úteis Tábua de Marés: https://www.apolo11.com/mare.php?local=02 CittaMobi: www.cittamobi.com.br/
×
×
  • Criar Novo...