Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''valle de viñales''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas e Respostas
    • Destinos
  • Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar
  • Relatos de Viagem
  • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
  • Nomadismo
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Lugares que já visitei


Próximo Destino


Ocupação

Encontrado 1 registro

  1. Em Maio de 2017, passei 6 dias em Cuba, fiquei 5 dias em Havana e 1 dia fiz um bate-volta em Valle de Viñales, e devo agradecer a galera daqui do fórum que me ajudou muito através dos relatos, e por isso, resolvi fazer um também! Eu vou focar nas dicas do que é importante saber e sugestões de passeios, e menos nos detalhes do que eu fiz no dia-a-dia por lá(até porque tenho memória péssima). Pra quem gostou das fotos, eu posto muito mais lá no meu instagran, segue lá: http://instagram.com/ederfortunato/ Cuba O gasto total que tive por 6 dias foram de 300,00 euros(eu levei euro, pois o dólar tem uma taxação de 10%), isso com hospedagem/passeios/comida/transporte, era pra ter sido 400 euros mas fui roubado antes de chegar em Cuba(eu estava na Colômbia), por isso tive que ser mega-econômico, não fiz o bate-volta para Varadero que estava planejado, não andei de táxi, sai de noite pra curtir só um dia, e acabei bebendo bem menos mojitos do que gostaria hehehe. Apesar disso, percebi que poderia ter gasto bem menos, caso tivesse mais tempo, pois poderia ter ido pra Viñales e Varadero por conta, de ônibus(Via-Azul), e não no turístico que foi mais caro(67,00 euros, detalhes mais pra frente). Pra quem está pensando em fica apenas em Havana não deve gastar mais do isso que gastei não. Por outro lado, poderia ter gasto bem mais, principalmente se tivesse ido a lugares muito turísticos, bares e restaurantes mais conhecidos, cuja as refeições e drinks tem preços europeus, é sério, pagar mais de 20 euros num almoço não é algo comum pra quem mochila aqui na América do Sul. Dicas Gerais: Dinheiro, Cuba possui duas moedas, o peso conversível(ou só CUC) que é a moeda que os turistas trocam quando fazem o câmbio, e a outra é o peso cubano(ou só CUP), que é a moeda que os cubanos usam no dia a dia deles, cuidado para não confundir as notas e moedas, elas são parecidas, sempre confira o dinheiro antes de pagar e o troco também. Muitos lugares aceitam ambas, já outros só aceitam CUC, principalmente aqueles mais voltados para os turistas. A cotação fica assim, 1 CUC ≅ 1 Euro, e 1 CUC = 24 CUP, como dá pra ver, o peso cubano é beeem desvalorizado se comparada ao CUC, isso faz com que os cubanos procurem ganhar sempre em CUC, qualquer trocado que vc der, já vale bem mais do que eles costumam conseguir no dia-a-dia(aconteceu um causo engraçado comigo que explicita bem isso que conto mais pra frente). Tem lugares que praticamente só são frequentados por turistas, e outros que vc só encontra moradores(e mochileiros sem grana, tipo eu rs), pra ter ideia, o café da manhã do hostel me cobravam 5 CUC, uma refeição bem completa, mas se eu tomasse café numa das vendas caseiras que tem pela rua, onde os moradores comem, pagava 0,5 CUC, em dois pães com queijo e mortadela e um refresco, então se o desejo é economizar, faça como os cubanos, e coma com os cubano Câmbio, quando chegar no aeroporto, troque logo o dinheiro na casa de câmbio que existe lá, a diferença para a casa de câmbio em Havana é muito pequena, já que o Governo que cuida disso, acaba não existindo concorrência. Caso prefira fazer o câmbio depois, o endereço da caso em Havana é rua Amargura 158(entre as ruas Aguiar e Cuba), Habana Vieja. Eles vão te dar o peso convertível(o CUC), peça pra trocar uma quantia pequena por peso nacional também, isso ajuda em a não pagar a mais em alguns lugares, pois costuma ter o golpe do "não tenho troco". Cartão de Crédito, em nenhum lugar eu vi aceitarem cartão de crédito. Existem caixas eletrônicos, do Banco de Crédito y Comercio (BANDEC), em alguns pontos da cidade, mas não consegui sacar neles, nem com cartão de débito ou o de credito, eu li sobre alguns lugares(tipo hoteis) que você pode passar o cartão de crédito e eles de dão o dinheiro, mas também cobram uma boa taxa em cima do valor. Visto para Cuba, quando vi que era possível pegar o visto antes de embarcar, deixei pra resolver isso lá na hora, e foi bem fácil, eu voei pela COPA, não sei se as outras companhias também oferecem isso, na hora de fazer o check-in no aeroporto, você paga a taxa de US$ 20,00(eu estava na Colômbia, então tive que pagar em Pesos Colombianos) e eles te dão a ficha do visto para preencher, quando chegar em Cuba, foi só apresentar e pronto. Seguro-saúde, eu li em vários lugares que o seguro-saúde viagem era obrigatório, estava com o meu, mas em momento algo pediram, mesmo assim eu não arriscaria ir sem, pode ter sido apenas sorte minha. Internet, o 3g lá não funciona, você só consegue internet por WiFI, que tem nos hotéis e praças, para conseguir acesso,precisa comprar uma espécie de cartão pré-pago no Tele-Punto ETECSA, fica na esquina das ruas Havana X Obispo. No cartão tem uma senha, e vc entrega para o hotel onde está hospedado, para eles te darem a senha do Wi-FI, eu achei meio burocrático isso tudo, e a conexão é péssima pelo que falaram, e já que não estava fazendo tanta falta assim, nem tentei. Um aviso, tem pessoas vendendo o cartão na rua também, mas não é recomendável comprar deles, pode ser um cartão vencido, melhor pegar a fila e garantir um que funciona. Transporte, Do aeroporto para o Havana Vieja, paguei 30 CUC, tente conseguir alguma companhia por lá para dividir o táxi. O sistema de ônibus de cuba é meio confuso, e é difícil conseguir informação, geralmente a galera percebe que vc é turista e diz pra vc pegar um táxi. Idioma, Eu não falo espanhol, mas até entendo um pouco quando escuto, e pude perceber que o deles é bem diferente do espanhol dos outros países da América do Sul, mas pode falar português que eles até conseguem entender, e os cubanos são mesmo muito receptivos, eu costumava ficar sentando no banco de alguma praça, e sempre chegava alguém pra puxar conversa, as vezes pra vender algo, outras só pra bate-papo mesmo, aproveite esses momentos, é muito bom ouvir as histórias deles. Havana La Habana Vieja, ou Old Havana, é o bairro onde você vai passar mais tempo provavelmente, pois é onde fica a maioria dos museus, bares, praças de Havana, não cabe aqui eu falar onde vc deveria ir, o melhor a fazer é pegar um mapa e ir visitando os lugares, ande pelas ruas, se gostar de algum lugar, entre, fique um pouco por lá, ande mais um pouco, se perca nas ruas, pare pra beber, acho que é a melhor maneira de aproveitar a cidade. Se eu tivesse que dar apenas uma dica do que fazer em Havana, seria fazer o Free Walking Tour, logo no primeiro dia, fiz o tour com o guia chamado Nik(ou Mik?) , muitas das dica que darei aqui, eu aprendi com ele, e tiveram muitas outras que eu não lembro agora, mas que fizeram uma grande diferença, Havana tem muitos segredinhos e macetes que só um morador saberia, além disso tem toda a parte histórica da cidade e de Cuba, histórias dos lugares, das igrejas e castelos, e se não fosse o bastante, ainda tem o ponto de vista de um cubano sobre Cuba, sem viés nenhum(fiz um passeio "do governo" para Viñales, e sabe como é, não acredite em tudo que um governo fala... nenhum governo). O guia contou um pouco da própria história e como é sua vida lá, apesar do passeio ser gratuito, é difícil não dar uma boa gorjeta no final, foram 4 horas com dicas e histórias que eu não conseguiria achar em nenhum livro ou na internet. O tour é feito 2 vezes por dia, às 9:00 e as 14:00, eu fiz no da tarde, e o local de saída é na Boulevard de San Rafael (do lado do Hotel Inglaterra) Caso puder gastar um pouco mais, existem guias que te acompanham pelo dia inteiro, indo nos lugares a sua escolha, te levam também dentro dos museus te explicando as obras de lá. Fui abordado por uma na Plaza de San Francisco, ela disse que cobrava 30,00 CUC, como eu estava no modo extra econômico, tive que recusar, mas se tivesse mais dinheiro sem dúvida iria fazer esse tour guiado. Tem duas agências que achei por lá, que podem ser bem úteis, uma é a San Cristóbal, fica na rua Oficios em La Habana, além dos tour que você encontra em todas as outras, aqui vc ainda pode consultar os horários e comprar os bilhetes para o Via-Azul(única companhia intermunicipal), isso é bom pois o outro lugar que compra é meio afastado(Avenida 26 y Zoológico, Nuevo Vedado). A outra agência fica dentro do Palacio de la Artesania(Calle de Cuba 64), tem os mesmos tour que a primeira, mas descobri(depois de chorar um pouco que os passeios estavam caros rs) que ela também tem passeios mais baratos, pois são passeio para o público local, que geralmente não tem o guia incluído, só o transporte, mas acaba compensando, eu quase fiz o passeio para Varadero, em que o para "turistas" custava uns 80 CUC(incluído um quarto num resorte com open bar) e o pacote custava uns 30 CUC se não me engano, que inclua apenas o transporte pra lá, então recomendo passar por lá, mas dê uma chorada antes, e pergunte se ela não teria pacotes mais baratos. O HavanaBus Tour é uma maneira barata(10 CUC) de se locomover por Hanava, são aqueles ônibus que tem a parte de cima aberta, eles tem um trajeto circular e vão parando nos pontos turísticos, a cada meia hora passa um outro em cada ponto, principalmente para ir na Plaza de La Revolución que é meio longe do centro. Lugares que vales a visita: Plaza de La Revolución, fica no bairro de Vedado, para chegar lá, peguei o ônibus turístico, ele te deixa bem na praça vc ainda pode usar a mesma passagem pra voltar. Sobre a praça, ela é gigante, mas num dia normal é só um gigante espaço vazio, o melhor pra aproveitar aqui é o monumento de José Martí (entrada 5CUC a entrada, incluindo subir na torre), é uma estrutura muito alta, na parte de baixo é uma espécie de museu e galeria de poesia, no topo vc encontra a melhor vista de Havana. Da praça, dá pra caminhar(ou esperar o ônibus turístico) até o Cemitério Cristóbal Colón, é um cemitério com várias obras de artes e mausoléus, ele é gigante, mesmo! Malecón, o melhor lugar pra passar o final de tarde, é a área do calçadão do lado do mar, que percorre todo o bairro de Habana Vieja, lá não é um ponto de banho, é só pra recostar no muro de boas, conversando, ver o pôr do sol, o que faz as pessoas locais. Castillo de la Real Fuerza, bem grande, e vale a pena conhecer, muitas obras sobre navios e a marinha de Cuba, 3CUC a entrada. Museo de la Revolucion, 8CUC de entrada, mas vale a pena, bem detalhada todo o processo de revolução cubana, muitas fotos e recortes de jornal, além disso tem uns desenhos muito bonitos no teto do palácio. E como eu falei, tem tantos outros que o melhor é vc caminhar e ir entrando nos lugares que achar legal Hospedagem: Fiquei no DRobles Hostal, as fotos são bonitas, uma casa colonial e tal, mas enganam, pois essa é a parte dos quartos privados, os quartos compartilhados ficam numa casa ao lado, que é bem +ou-, quarto pequeno, banheiro também, até as camas são mais estreitas que a normal que temos aqui, paguei 7 CUC a diária, achei que foi OK pelo preço. O bairro é o Centro Habana, gostei de lá, é uma área mais residencial, parece uma periferia misturada com centro histórico, o melhor é que fica perto da Habana Vieja, dava pra ir andando pra lá, e era onde eu encontrava uns locais baratos para tomar o café da manhã ou uma refeição rápida. Nesse bairro, você encontra muitas casas que oferecem lanches, é uma maneira dos moradores ganharem um dinheiro extra, um pão com mortadela e queijo mais um copo de refrigerante saia por 12 pesos cubanos(ou 0,50 CUC), pra mim estava ótimo, se este era o café da manhã da maioria dos cubanos que viviam ali, estava bom pra mim. Valle de Viñales Região oeste de Cuca, uma área mais rural, aqui é onde é cultivado o tabaco para o charuto, além de outras atrações mais natureza, fiz o passeio de bate-volta de um dia, comprei o tour pela agência San Cristóbal que comentei acima por 67 CUC, o passeio incluía as paradas em: -Em Viñales, é uma pequena cidade, nessa parada visitamos uma destilaria de rum, para conhecer o processo de fabricação e degustar um pouco, -Num mirante para ver as formações de rocha Mogote, são parecidos com o Pão de Açúcar do RJ, é uma vista bem bonita, boa para fotos, -Despois foi em um pequeno lugar onde um senhorzinho nos mostrou processo de montagem manual de charutos, achei interessante, se tiver dúvidas ele responde tudo, -No famoso Mural de la Prehistoria, um desenho numa parede com 120 metros de altura, tem dinossauro, monstro do mar, caracol, humanos, tudo isso para simbolizar a teoria da evolução(não sei como rs), aqui também teve um almoço que já estava incluído no pacote, -Por último uma visita na Cueva del indio, com passeio de barco a motor dentro de uma caverna subterranea, Achei que foi bastante coisa pra visitar, tudo num ônibus com ar-condicionado e guia nos acompanhando, só achei que foram muitas pessoas, caso tivesse mais tempo tentaria fazer esse passeio por conta. Sobre jineteros Um causo que aconteceu comigo em Havana, pra começar tenho que explicar sobre uma "profissão" em Cuba, chamada jinetero, são pessoas que puxam conversa com turistas, para oferecer algo ilegal... ou para indicar um restaurante barato(mas que vai cobrar um pouco a mais de vc, e essa parte vai para o jinetero)... ou estão vendendo rum/charuto de pior qualidade... ou em último caso, eles só pedem algum trocado mesmo. Lembro que eu estava numa das praças centrais de Havana, e um senhor de idade avançada se aproximou de mim, eu tinha certeza que ele era jinetero, mas cedi a conversa, só pra ver até onde isso iria. Devo dizer que ele foi esperto na abordagem, pois me ofereceu uma nota de 3 pesos cubanos(atente esse detalhe), que tinha o Che Guevara nela, e começou a falar bem dele e tal, insistiu que eu ficasse com a nota, de lembrança, acabei aceitando. Ele sentou do meu lado no degrau da igreja, e começamos a conversar sobre os turistas, o clima, da bebida de Cuba. Em um certo momento ele disse que quando jovem, era um boxeador famoso, havia conquistado alguns títulos mundiais, e outros sul-americanos que não me lembro agora. Nesse ponto, ele se ofereceu para me dar um autógrafo! Afinal, era um honra para mim encontrar com ele. Concordei(porque não?), e entreguei o guia de viagem que havia comigo, e deixei ele assinar a última página. Antes de ir embora, perguntou se eu teria algum trocado para ele(sim... era janiteiro), nessa altura eu nem me importei se era verdade mesmo a história, e dei uma moeda de 1 CUC para ele, fui embora com minha nota nota de 3 pesos e o autografo, e acabei esquecendo desse encontro Alguns dias atrás, enquanto folheava o guia, encontrei a assinatura dele, e resolvi pesquisar o seu nome, Jorge Luis Romero, ganhou medalha de prata na World Amateur Boxing Championships de 1974.
×
×
  • Criar Novo...