Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Buenos Aires - 10 dias (com gastos e fotos)


Posts Recomendados

  • Membros

Oi pessoal,

 

Em dezembro do ano passado, passei 10 dias de férias em Buenos Aires. A viagem foi maravilhosa, adorei tudo! E grande parte deste sucesso foi devido ao Mochileiros, pois peguei muitas informações sobre o que fazer em Buenos Aires

 

Por isso, acho que a melhor forma de agradecer é contribuindo! Espero que possa ajudar outros mochileiros que gostariam de conhecer a cidade. Nada melhor do que um relato e dicas de quem já esteve na cidade! ::otemo::

 

Este é o meu primeiro relato, qualquer sugestão, dúvida, crítica ou pergunta será muito bem vinda!

 

Os gastos iniciais foram:

 

* Passagem aérea Rio-Buenos Aires-Rio (Gol): R$623,21

 

* Hospedagem Milhouse Avenue: AR$600 pesos argentinos/pessoa (6 noites em quarto duplo privativo) + AR$255 pesos argentinos/pessoa (3 noites em quarto quádruplo privativo). Ou seja, aproximadamente R$400 por pessoa para 9 noites.

 

Total de gastos com passagem e hospedagem: R$ 1023,21

 

A passagem foi comprada com 3 meses de antecedência, com isso conseguimos um preço legal.

Fomos em um grupo de 4 pessoas. A idéia era reservar 2 quartos duplos para toda a estadia, mas nos últimos dias (perto do Natal) já não tinha mais disponibilidade, então fizemos 2 reservas, uma pra quarto duplo e outra pra quarto quádruplo.

Reservamos o albergue pelo site http://www.hostelworld.com. Foi um dos pontos altos da viagem: muito limpo, bonito, quartos confortáveis e espaçosos, café da manhã incluído na diária, bem localizado. Ótima opção a baixo custo. Recomendo!

 

 

1º dia - Vôo Rio/Buenos Aires, Plaza de Mayo, Calle Florida e Las Cañitas

 

Acordamos bem cedo, pois o nosso vôo saía do Galeão às 8hs da manhã. A viagem foi super tranquila e chegamos em Buenos Aires por volta das 10:30hs, hora local.

Após o check-in, fomos almoçar num "restaurante-café" perto do albergue. Em Buenos Aires existem vários deste tipo. A comida era boa, mas a parte negativa foi ter que pagar pelo "serviço de mesa" - eles cobram pelos talheres, pratos e copos (???) ::putz:: . É meio ridículo, mas enfim... AR$4 pesos por pessoa. Agora, diferente daqui, os "10% do garçom" não vêm incluído na conta, você só dá se quiser.

Depois do almoço, fomos andar um pouquinho pra sentir o clima da cidade. Percorremos a Av de Mayo até a Plaza de Mayo, visitamos a Catedral... Depois, fomos "caçar" um lugar para retirar $. A idéia era achar a agência do BB, onde a maioria de nós tinha conta. Eu resolvi tirar pelo caixa eletrônico do Banelco mesmo (funciona como o Caixa 24 horas daqui). Achei o máximo, você saca o dinheiro direto da sua conta corrente e paga apenas $16 pesos por transação. Sai muito mais em conta do que o câmbio! (principalmente se retirar uma quantia grande)

Encontramos a tal da agência do BB (só existe uma na cidade), mas como eram 4 da tarde, já estava fechada (lá o horário de funcionamento é de 10 às 15hs). Mesmo assim, na agência não existem caixas eletrônicos.

Quem tem conta no Bradesco, Itaú ou Citibank tem mais sorte. Vimos várias agências desses bancos por lá e você pode sacar o dinheiro sem taxas extras, como se estivesse no Brasil mesmo! 😃

Com o dinheiro na mão, fomos dar uma olhadinha na Calle Florida (a gente já tava lá pertinho mesmo). Não achei nada demais, a minha grande felicidade mesmo foi experimentar o "cono de dulce de leche" no Mc Donalds.

Na volta, passamos numa loja de eletrônicos e ferramentas pra comprar um adaptador de tomada! hehe, explico: o formato das tomadas em Buenos Aires é diferente do nosso, então precisaríamos de um adaptador pra carregar celular, câmera, etc. A lojinha foi difícil de achar, fica dentro de uma galeria na Av de Mayo. Só conseguimos chegar nela porque perguntamos em outra loja.

À noite,em um bar mexicano no bairro Las Cañitas. Ótima escolha! O restaurante era bem legal e o bairro tem várias opções de bares.

 

GASTOS

•Almoço: AR$37,5 pesos

•Compras na Calle Florida: AR$ 35 pesos

•Casquinha Mc Donalds: AR$ 3,5 pesos

•Seven Up: AR$ 5 pesos

•Adaptador de Tomada: AR$ 6 pesos

•Táxi para Las Cañitas: AR$10 pesos (ida e volta, resultado da divisão por 4 pessoas)

•Jantar no mexicano: AR$94 pesos

Total de gastos no dia: AR$ 191 pesos

 

 

20110313190512.JPG

 

20110313210958.JPG

 

 

2º dia - Recoleta

 

No 2º dia, acordamos por volta de 9 hs, tomamos o café no albergue e pegamos um táxi até o Cemitério da Recoleta (como éramos um grupo de 4 pessoas, o táxi ficava bem em conta).

Ao chegar lá, resolvemos primeiro visitar a Iglesia del Pilar, uma das mais conhecidas da cidade. A Igreja é bem simples, e até por isso mesmo a achei muito bonita (gostei mais do que da Catedral).

Depois disso, fomos fazer a visita guiada no Cemitério da Recoleta. Pode parecer meio estranho visitar um cemitério, mas esse é um dos principais pontos turísticos da cidade e realmente foi uma experiência bem interessante! Lá só existe um túmulo de chão, todos os outros são mausoléus, verdadeiras obras de arte! Além de bonito, o lugar ainda é uma aula de História. Na visita guiada, conhecemos um pouco mais sobre os personagens e a História da Argentina. Claro que o ponto alto da visita é o túmulo da Família Duarte, onde está o corpo da Evita Perón.

Depois de quase uma hora de visita guiada pelo cemitério e de ver o túmulo da Evita, resolvemos ir embora (o calor era muito forte e eu já não aguentava mais ficar ali). Isso não foi uma boa idéia, pois ficamos uns 20 minutos perdidos dentro do cemitério, sem conseguir encontrar a saída!!!

Depois dessa experiência sinistra (hehehe), fomos relaxar um pouquinho no Buenos Aires Design, tomamos um maravilhoso sorvete na Freddo e passeamos pelas ruas desse bairro tão bonito. Almoçamos no El Sanjuanito, famoso por ter as melhores empanadas da cidade. Foi realmente a melhor empanada que eu experimentei, e olha que eu fiquei viciada nesse negócio, comia no café, almoço e jantar...rsrsrs

De lá, fomos conhecer as atrações perto da Av del Libertador. Primeiro, a Floralis Generica, uma escultura metálica gigantesca em forma de flor. É linda, mas o mecanismo não funciona mais (ela ficava aberta de dia e ia fechando com o pôr do sol).

Depois, o Museu Nacional de Bellas Artes. Fiquei chateada porque eles cancelaram a visita guiada (cohecer museu sem guia é meio estranho, eu me sinto sem entender nada!). Mas o Museu é bem legal, auto explicativo, dava pra conhecer sozinho mesmo.

Por fim, fomos dar uma olhadinha na Biblioteca Nacional.

Só não deu tempo de ir ao Malba, porque esse ficava mais longe e todo o mundo já tava super cansado!

Chegamos no albergue e fomos correndo fazer a reserva pro Cafe Tortoni. Não conseguimos pegar o show de 21hs (uma pena, esse era mais barato), então agendamos pro de 22:30hs mesmo. O Café Tortoni é o mais antigo da cidade, mas é um lugar meio "turistão". Mesmo assim, vale a pena a visita e o show de tango.

 

GASTOS

•Táxi para a Recoleta: AR$7,50 pesos (ida e volta, resultado da divisão por 4 pessoas)

•Compra de lembrancinhas na Igreja do Pilar: AR$28 pesos

•Almoço: AR$ 35 pesos

•Lanche na Biblioteca Nacional: AR$ 15 pesos

•Entrada para show de tango no Tortoni: AR$100 pesos

•Lanche no Tortoni: AR$20 pesos

Total de gastos do dia: AR$ 205,5 pesos

 

 

20110313211542.JPG

 

20110313211603.JPG

 

20110313211620.JPG

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

3º dia - La Boca e Puerto Madero

 

No 3º dia, acordamos cedo (outra vez! rs ::mmm: ) para conhecer o bairro de La Boca. Desta vez, optamos por pegar um ônibus para lá. Além de mais econômico, uma das coisas mais interessantes a se fazer numa viagem é entender como vivem os moradores do local e fazer o que eles fazem! Acho isso muito legal =)

Nos informamos no albergue como fazer para chegar lá. Eles falaram pra pegar o ônibus 64, na rua Hipolito Yrigoyen, paralela à Av de Mayo.

A passagem custou AR$1,20 (varia com a distância percorrida), e somente pode ser paga com moedas. Você fala ao motorista onde quer descer e então coloca as moedas numa maquininha que parece um telefone público. Ela te dá o troco e o comprovante da compra, muito bonitinho! rs. Ah, e detalhe: não existe roleta.

O ônibus estava bem cheio (aliás, qualquer transporte público lá só anda lotado...) mas a viagem foi bem rapidinha, em menos de 20 minutos já estávamos na Boca.

Descemos já perto do ponto final, em frente ao Caminito. O local é muito bonitinho, no melhor estilo "museu a céu aberto", como costuma ser chamado. Era o antigo bairro onde se instalaram os imigrantes que chegaram na cidade no início do século passado. Eles pediam no porto, que ficava em frente, restos de tinta para pintar suas casas. Como tinham que aproveitar cada gota de tinta e geralmente uma sobra de lata não era o suficiente, as casas acabavam sendo pintadas de várias cores diferentes.

O local é perfeito para a compra de lembrancinhas, bem "turistão" mesmo, o que acabou me irritando um pouco. Os vendedores tentam chamar sua atenção de qualquer forma, gritam, cercam, falam português e tudo... De qualquer forma, vale à pena a visita, principalmente pra quem está indo para a cidade pela primeira vez.

De lá, seguimos a antiga linha de trem, para chegar à Bombonera. A caminhada não dura nem 5 minutos, mas vale a pena estar ligado porque a fama do bairro é de um lugar bem inseguro.

O guia de lá é bastante simpático e fala muito bem o português (também, 99,9% das pessoas lá eram brasileiros...rsrs). Na visita, pudemos conhecer as arquibancadas, a área vip, a geral, vestuários e algumas áreas internas do estádio. Se pagar um pouquinho mais, pode entrar no campo e tirar fotos com a réplica das taças Libertadores e Mundial Interclubes.

No Museu de la Pasión Boquense, conhecemos um pouco mais sobre a história do clube, um dos maiores campeões do futebol mundial (é chato ter que reconhecer isso de um time argentino, mas é verdade...).

O local ainda conta com uma loja com vários artigos do clube, a variedade é realmente grande. Achei os preços bons se comparados com o Brasil, ainda mais por se tratar de uma loja oficial e o local ser um ponto turístico.

Pegamos o mesmo ônibus para voltar ao albergue, deixamos as compras, descansamos um pouco e fomos almoçar lá perto mesmo.

Então, resolvemos ir a Puerto Madero, o bairro mais moderno da cidade. Fomos andando mesmo, uns 20 minutos de caminhada. Caminhamos na bonita Avenida ao lado do Rio, atravessamos a Puente de la Mujer (eu juro que tentei, mas não consegui ver a simbologia do casal que dança tango...), visitamos a Fragata Sarmiento, navio de guerra argentino e hoje aberto à visitação. Fizemos uma pausa para sorvete (=D), não era tão bom quanto o da Freddo, mas mesmo assim foi ótimo! rs

Então, resolvemos conhecer a Reserva Ecológica. Atravessamos boa parte do bairro, que aliás difere totalmente dos outros da cidade, com seus modernos arranha-céus, e ares de "grã-fino" (nosso amigo argentino comentou que esse era o bairro mais caro de Buenos Aires).

Enfim, chegamos na Reserva por volta das 19horas, e não pudemos entrar porque já estava fechando... =( Mas valeu a pena a caminhada. O mais interessante são as barraquinhas de comida perto de lá, que vendem tudo o que não presta (pancho - nosso cachorro quente, o tradicional choripan, bife de chorizo, churrasquito... Hummmmmm).

Ao chegar de volta no albergue, uma das nossas amigas disse que tinha "perdido" a carteira na Calle Florida (claro que isso já cheirava a furto...) e que estava voltando pra tentar procurar nas lojas onde tinha entrado. Claro que foram e não encontraram nada. Os vendedores comentaram do grande número de assaltos na região e aconselharam ir a uma delegacia. O que realmente teria que ser feito, pois a Aninha tinha deixado a identidade dela na carteira, e sem identidade não dá pra voltar pro Brasil!

Portanto, importante: Todo cuidado é pouco na região da Calle Florida. Os assaltantes lá são profissionais mesmo, te roubam e você nem sente.

Nunca, mas nunca mesmo ande com seus documentos de viagem (identidade, passaporte). Sem eles não dá pra voltar ao país e dá dor de cabeça ter que ir no Consulado solicitar a permissão pra viajar. Além de "perder" tempo precioso da viagem...

À noite, resolvemos ir a uma milonga!

A Viruta Tango foi com certeza a melhor "night" que tivemos na cidade! O local oferece aulas de tango divididas por níveis - iniciante, intermediário e avançado. Não importa se é a sua primeira vez lá e se você está sozinho: rapidamente já se sente à vontade e encontra um par pra dançar. A sensação de estar aprendendo - e dançando! - tango é maravilhosa! À meia noite começa o show e o local vira uma pista de dança, onde é possível praticar tudo o que aprendeu na aula =)

Eu recomendo mesmo ir conhecer. Antes, tinha a sensação de que tango era um ritmo "ultrapassado", somente para idosos e turistas, mas na milonga percebi o quanto estava errada! Os jovens frequentam mesmo o local e estão empenhados em aprender e manter viva essa cultura tão legal =)

GASTOS

 

•Ônibus para La Boca - AR$2,40 pesos (Ida e volta)

•Compra de lembrancinhas no Caminito - AR$20 pesos

•Compras na loja da Bombonera - AR$ 145 pesos

•Museu do Boca + Estádio Tour - AR$ 40 pesos

•Coca-cola - AR$5 pesos

•Foto com a taça - R$20 reais (vc pode pagar tb em reais)

•Almoço - AR$ 39 pesos

•Entrada da Fragata Sarmiento - AR$2 pesos

•Sorvete - AR$ 10 pesos

•Táxi da Reserva para albergue - AR$7 pesos (resultado da divisão por dois)

•Táxi para milonga (Palermo) - AR$ 30 pesos (ida e volta, resultado da divisão por dois)

•Entrada La Viruta Tango - AR$ 25 pesos

•Bebidas - AR$15 pesos

Total de gastos no dia: AR$ 340,40 pesos + R$20 reais

 

 

20110313213145.JPG

 

20110313213158.JPG

 

20110313213230.JPG

 

20110313213239.JPG

 

4º dia - Palermo

 

O programa para este dia era conhecer o bairro de Palermo - o mais arborizado da cidade.

Após o café da manhã no albergue, fomos em direção ao metro de Lima - era a estação mais perto de onde estávamos. Andar de "subte", como é chamado o metrô portenho, é bem fácil e a rede deles cobre grande parte da cidade. Mas tem que ter bastante paciência, porque é realmente l-o-t-a-d-o, principalmente nos horários de rush.

Para chegar a Palermo, entramos na estação de Lima (linha azul clara) e passamos pelos túneis subterrâneos até a estação Av de Mayo (linha azul escura). É engraçado, pois para fazer baldeação, você anda por debaixo da terra até a outra estação de metro...rs. De lá, pegamos o metrô em direção ao Retiro e descemos na estação seguinte, Diagonal Norte. Por fim, pegamos a linha verde em direção ao Congresso de Tucuman e descemos na estação Scalabrini Ortiz - o que foi um erro, pois o Jardim Botanico, por onde iniciariamos a visita, é mais perto da estação Plaza Italia, mas enfim... Turista que é turista tem que se perder na cidade! rsrsrs. O mapa do subte tá neste link: http://www.subte.com.ar/mapas/subte_alta.htm

Após uns 10 minutinhos de caminhada chegamos ao Jardim Botânico. Legal pra conhecer e tal, mas não é o mais bonito que já vi (o do Rio por exemplo é muito mais lindo). Além do mais existem outros lugares muito mais interessantes em Palermo. Mas valeu =)

Ao lado fica o Zoo de Buenos Aires. Esse sim, é gigante! Muito bem cuidado e bonito mesmo, tem umas construções muito bonitas, em estilo meio africano, egípcio, que até são utilizadas como jaulas. Muito interessante! A única bola murcha do lugar foi o tal do Paseo en Barco. Ficamos quase meia hora na fila pra fazer um passeio de 1 min, o barco só dá a volta por uma lagoa minúscula...rsrsr.

Almoçamos numa lanchonete do zoo mesmo e de lá caminhamos por uns 10 minutos até o belíssimo Jardim Japonês! Quando estava planejando a viagem, li recomendações positivas sobre o lugar em vários blogs, e realmente atendeu às expectativas! Inaugurado na visita da família real japonesa à Argentina na década de 60, o lugar foi um dos pontos altos da viagem e vale a pena conhecê-lo!

De lá, a idéia era ir aos Lagos de Palermo, mas com o mapa "chinfrin" que a gente tinha pego no albergue, não dava pra saber bem onde era... Perguntamos a algumas pessoas que não souberam informar (!), até que resolvemos pegar um táxi. O taxista também disse que não sabia onde era (!!!) e então pedimos pra que ele nos levasse ao Planetário. Foi uma decepção, pois tinha fechado aquela semana para reforma =( Então tentamos denovo achar o tal do Lago e o Rosedal, mas não conseguimos... Acabamos saindo ao lado do Jardim Japonês, e então resolvemos voltar pro albergue.

À noite, pedimos ao nosso amigo argentino pra nos levar ao Bar Locos por Futbol. Esse foi furada... Também tinha visto recomendações positivas sobre ele em blogs e sites, mas de futebol esse lugar não tinha nada! O nosso amigo acabou nos explicando que o bar ficava em outra rua, e talvez com a transferência acabou perdendo o clima futebolístico... De qualquer forma, foi o melhor hamburguer que comi na cidade! rsrsrs

 

GASTOS

•Metrô - AR$2,20 pesos (ida e volta)

•Coca-cola: AR$ 6 pesos

•Entrada no Zoo: AR$22 pesos

•Sorvete: AR$ 6 pesos

•Almoço: AR$33 pesos

•Entrada no Jardim Japonês: AR$8 pesos

•Água saborizada: AR$ 7 pesos

•Taxi para planetário: AR$ 5 pesos (resultado da divisão por dois)

•Jantar no Locos por el Futbol: AR$ 60 pesos

Total de gastos no dia: AR$ 149,20 pesos

 

 

20110313213551.JPG

 

20110313213624.JPG

 

20110313213643.JPG

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

5º dia - Tigre

 

Até aqui os dias estavam sendo de sol e muito, mas muiiiitooooo calor! Mas nesse dia a chuva e as nuvens resolveram aparecer e a temperatura abaixou bastante. Nada que atrapalhasse nossa programação de sábado: visitar a cidade de Tigre.

Antes de nada, tínhamos que escolher como chegar lá. Eram 3 opções:

1.Pegar o metrô até Retiro, de lá pegar trem até Mitre e então o Tren de la Costa para Tigres;

2.Pegar o ônibus 152 até Olivos e de lá o Tren de la Costa até Tigres;

3.Metrô até Congresso Tucuman e de lá seguir a opção 2.

 

 

Perguntamos ao nosso amigo argentino e na recepção do albergue e decidimos que a opção mais rápida era a primeira. Nosso amigo argentino nos alertou a ter cuidado na área do Retiro, e realmente tinha razão! :o A estação de metrô/trem dá medo, o lugar é feio, sujo e foi onde eu vi mais mendigos. De qualquer forma, a viagem de trem até Mitre foi tranquila e então pudemos embarcar no Tren de la Costa, para Tigres. Acho que o tempo total de viagem foi mais ou menos 1h.

Desembarcamos na estação de Tigres, e já fomos logo fazer o passeio de catamarã. Várias empresas realizam o passeio, e o preço é mais ou menos o mesmo. Foi 1hora navegando pelo Rio de la Plata, o mais legal são as casinhas ribeirinhas, com acesso através de barco. Muito bonitinho =) Como estávamos com muita fome e sede, fizemos um lanchinho no catamarã, o que não é nada recomendável, pois o preço é absurdo!

De volta à terra, resolvemos almoçar e acabamos escolhendo o McDonalds mesmo...rs. Foi legal, tinha um simpático casal de velhinhos bolivianos e começaram a conversar com a gente, falando como eram os hamburgueres na Bolívia...rsrs

Então, fomos ao Parque de la Costa, que era a nossa maior "pretensão" ao visitar a cidade (tá, tudo bem, deixamos aflorar nosso lado infantil, mas quem não gosta? rs :D ).

O Parque é bem legal, tem uma ótima estrutura e bons brinquedos. Passamos a tarde toda nos divertindo lá! Os que mais gostei foram um lago com botes no melhor estilo "carrinho de bater", uma montanha russa aquática (nossa, fiquei muito encharcada...) e uma montanha russa que andava de costas (muito medo!!!).

No início da noite, saímos do parque e fomos visitar o cassino que ficava ao lado. Jogamos naquelas maquininhas de azar e até "ganhamos" um pouquinho...rsrs

A hora da volta é que foi um tormento! Como eu não tinha gostado nada da estação do Retiro, fiquei com medo de passar por lá à noite. Então, resolvemos pegar o tal do ônibus 152. Mas que m...!!! Acho que o ônibus corta BsAs toda! Nossa, como demorou... Foi mais de 1h:30 min só no ônibus. E ainda tivemos que descer lá no final da Av de Mayo, ao lado da Casa Rosada. Como já era muito tarde e estávamos muito cansados pra aguentar mais 20 min de caminhada, resolvemos pegar um táxi!

Nesse dia, tinhamos programado ir à noite para a Pachá, mas não rolava, muito exaustos!

 

 

GASTOS

 

•Subte: AR$1,10 pesos

•Trem até Mitre: AR$1,10 pesos

•Tren de la Costa: AR$ 30 pesos (ida e volta)

•Passeio de Catamaran: AR$ 40 pesos

•Lanche no Catamaran: AR$ 18 pesos

•Almoço no McDonalds: AR$22,50 pesos

•Entrada no Parque de la Costa: AR$ 65 pesos

•Lanche no Parque: AR$5 pesos

•Passagem de ônibus: AR$ 1,75 pesos

•Táxi Casa Rosada - Albergue: AR$5 pesos (resultado da divisão por 2)

•Jantar: AR$32 pesos

Total de gastos no dia: AR$ 221,45 pesos

 

 

20110314221344.JPG

 

20110314221405.JPG

 

20110314221427.JPG

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • Membros

6º dia - San Telmo e Centro

 

 

Aguardamos ansiosamente a chegada do domingo para conhecer a famosa feirinha de San Telmo! Além disso, minhas amigas também queriam fazer o passeio do ônibus turístico. No início eu não queria, mas depois acabei achando que seria uma boa... Então, saímos de manhã cedo (novidade...=P) e andamos até o Congresso, afinal de contas, a gente estava ali pertinho e ainda não tinha ido visitar... Tiramos umas fotos e tal, procuramos a plaquinha do ponto do ônibus, e ficamos ali esperando... Depois de quase 30 min de espera e o ponto já cheio de gente, o ônibus finalmente apareceu: lotado! O motorista falou que não tinha mais lugar disponível e não deixou ninguém entrar!!! Por fim, falou que se quisesse entrar, tinha que ir para o ponto final, na Calle Florida. É claro que todo o mundo ficou muito chateado (pra não dizer uma palavra feia). O passeio não é barato, ficamos maior tempão esperando, e depois o legal era poder desembarcar onde quisesse pra conhecer a área e depois pegar outro ônibus. Daquela forma, parecia que isso não ia rolar...

Enfim, desistimos de pegar esse bus turístico horroroso e fomos para San Telmo de busão convencional mesmo! Fomos no mesmo que tinhamos pego para La Boca (nº 64). Pedimos para o motorista nos avisar o ponto e descemos na rua principal, daí foi 2 quadras caminhando até a Calle Defensa.

O bairro de San Telmo é realmente encantador, muito lindinho mesmo. Sem contar a feirinha na Calle Defensa, que é maravilhosa! Tem vendedor de tudo que se possa imaginar, e fica lotada! As lojas da rua também ficam abertas, aproveitando o movimento, tem realmente muita coisa interessante!

Seguimos a Calle Defensa em direção a Plaza Dorrego para conhecer a feirinha de antiguidades da praça - muita coisa diferente: quadros pintados, sifonazos, garrafas com rótulos antigos da Quilmes, telefones antigos, entre outros...

Após umas comprinhas "básicas", almoçamos num bar bem estilo "botecão" mesmo. De lá, tomamos sorvete na Freddo (viciados!) e continuamos visitando a feirinha da Calle Defensa (é g-i-g-a-n-t-e-s-c-a) e ficamos surpresos ao acabar saindo na... Plaza de Mayo! Nossa, muito perto, nem senti a caminhada...

Aproveitamos pra visitar a Casa Rosada por dentro, acho que só está aberta pra visitação nos fins de semana. Outro passeio incrível, poder entrar na Casa do Governo, ver a sala presidencial... O mais legal é que são os guardas quem conduzem a visita guiada: são todos muito simpáticos, tiram foto com a gente, para a gente...rsrsrs (momento exploração!)

Por fim, demos uma olhadinha "básica" no Cabildo.

Passamos o fim da tarde e início da noite no albergue mesmo, já estava exausta da "maratona" dos últimos dias. Já vi que para a próxima viagem tenho que fazer uma boa preparação física!

Devido a essa exaustão toda, rsrs, decidimos não sair à noite e descansar muito!

 

 

GASTOS

 

•Ônibus para San Telmo - AR$1,10 pesos

•Lembrancinhas - AR$55 pesos

•Almoço - AR$22 pesos

•Jantar - AR$27 pesos

Total de gastos no dia: AR$105,10

 

20110327095200.JPG

 

20110327095246.JPG

 

20110327095420.JPG

 

20110327095455.JPG

 

20110327095532.JPG

 

20110327095607.JPG

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Olá, adorei suas dicas.

irei em junho para BA.

mas, vcs nao foram no Zoo de Lujan?

basicamente, voces conheceram tudo a pé né?

eu tinha pensando em pegar o bus turistico, mas depois do q vc falou... nem vou arriscar...rs

bjs e se tiver mais dicas pode postar, sera muito util.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Oi lciossani!

 

A gente foi no Zoo de Lujan sim! Foi num dos últimos dias, ainda tenho que fazer o relato deste dia... Prometo que vou escrever!

 

Sim, a gente andou basicamente a pé e de metrô. O transporte público na cidade é muito bom e as atrações em cada bairro ficam pertos uma das outras. De noite, a gente usava táxi, que é bem baratinho...

 

Pois é, aquele bus turístico foi uma decepção! Mas olha, como a gente foi em dezembro, a cidade estava cheia... Talvez em junho esteja mais vazia e dê pra pegar o ônibus sem perrengue...

 

Beijos

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

7º dia - Nuñez e Palermo

 

No nosso 7º dia em Buenos Aires, programamos uma visita ao Estádio do River, que fica localizado entre os bairros de Nuñez e Belgrano.

Chegar lá não foi muito fácil, já que não é um bairro turístico e fica mais afastado do Centro.

Pegamos o metrô (lotado outra vez...) até a penúltima estação da linha verde - Juramento. Andamos uma quadra até um ponto de ônibus - que pensávamos que passasse lá. Ficamos meia hora esperando, o ônibus passou e não parou... Depois de mais 15 minutos de espera, o próximo ônibus parou - mas o motorista avisou que não passava lá =( E disse que era possível ir andando. Seguimos o conselho dele, e após mais ou menos 1/2 hora finalmente chegamos no estádio! Nossa, que sufoco!!!

O Estádio Monumental de Nuñez é bem diferente da Bombonera - maior, melhor infraestrutura. É o maior do país e a casa da Seleção Argentina.

O esquema da visita guiada do Monumental é bem parecida com a do Bombonera, mas a maioria dos visitantes são argentinos e não turistas.

Almoçamos na lanchonete do estádio. Na volta, fomos andando até a estação do metrô - mas dessa vez a Congresso do Tucumán, que é mais próxima. Vale ressaltar aqui que um mapa da cidade foi essencial!

Conseguimos aproveitar mais a caminhada - o bairro é bem bonitinho =)

De lá, resolvemos conhecer as atrações de Palermo que não conseguimos ver no último dia: O Hipódromo e os Bosques.

O hipismo na Argentina é um esporte bem popular - o país é uma das potências mundiais no pólo e corrida de cavalos. O Hipódromo de Buenos Aires é muito bonito, e em dia de "carrera" fica lotado! Muita gente aposta, é bem popular mesmo! E os jóqueis são muito simpáticos, trouxeram os cavalos pra perto para que pudéssemos ver =) Adorei!!!

De lá, em menos de 5 minutos de caminhada, chegamos ao Bosque de Palermo. O lugar é realmente lindíssimo, e tem muitas opções de lazer: pedalinho, bicicleta para aluguel, entre outros. Vale a pena conhecer! Pena que o Rosedal já estava fechado quando chegamos (fecha às 5hs)...

À noite resolvemos ir em uma outra milonga, afinal eu tinha adorado o La Viruta Tango! Dessa vez, a casa escolhida foi a Torquato Tasso, no bairro de San Telmo. Estava animadíssima, mas foi muito decepcionante =( Chegamos um pouco tarde e perdemos o horário da aula, então fomos pra assistir o show e dançar. Mas fiquei com vergonha de dançar naquele lugar... Primeiro porque me senti um pouco deslocado, a faixa etária do público era mais velha que o da Viruta Tango (não chegavam a ser velhinhos, mas era o pessoal de meia idade, tipo 35, 45 anos). Segundo que as mesas circundavam a pista de dança - ou seja, se você resolvesse dançar, todo o mundo iria estar te olhando! Terceiro - e principalmente - acho que todas as pessoas naquele lugar estavam 100% aptas a estrelar um show de tango no Tortoni! Caraca, todo o mundo dançava muito bem, mas muito bem mesmo! Cada casal que levantava, era um show! E sem contar que a cada música levantavam casais diferentes, senti que só eu que não sabia dançar lá...rsrsrs

Enfim, nem preciso dizer que decidimos não ficar muito... Uma horinha só pra não perder a entrada e já fomos embora!

 

GASTOS

Subte (Ida) - AR$1,10

Entrada Museu do River - AR$40

Almoço - AR$27

Água - AR$5

Subte para Palermo - AR$1,10

Sorvete - AR$5

Subte (Volta) - AR$1,10

Jantar - AR$39

Táxi para San Telmo - AR$16 pesos (ida e volta, resultado da divisão por dois)

Entrada Torquato Tasso - AR$25 pesos

Coca - AR$10 pesos

Total de gastos no dia - AR$170,30

 

 

20110330231814.JPG

 

 

20110330231919.JPG

 

 

20110330232014.JPG

 

 

20110330232101.JPG

 

 

20110330232247.JPG

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

8º dia - Zoo de Lujan e Outlets

 

No penúltimo dia de viagem, programamos uma visita ao Zoo de Lujan. Nem preciso descrever a minha empolgação pra ir neste zoo, tinha visto vários posts em outros blogs sobre ele e estava animadíssima pra ver como era!

Chegar lá não tem mistério nenhum: pegamos o metrô até a estação Plaza Italia (Linha Verde). Em frente ao Zoo de Buenos Aires é ponto final de diversas linhas de ônibus, entre elas a linha que vai para Lujan. O número de ônibus é o 57, via Lujan (tem outros itinerários).

Compramos a passagem no guichê, logo de ida e volta, porque assim podemos pagar em dinheiro. Se deixássemos pra comprar no ônibus na volta, teríamos que pagar AR$10 pesos em moedas! (Tarefa nada fácil!!!).

Enfim, pegamos o ônibus, e pedimos pro motorista deixar a gente no Zoo. A viagem levou pouco mais de 1 hora. Descemos no meio da rodovia (ainda bem que já tinha lido sobre isso, senão ia ficar assustada!) e atravessamos para a outra pista, passando por baixo da ponte. E lá estava, a entrada pro Zoo de Lujan =)

Pagamos o ingresso e compramos um saquinho de comida pra alimentar os animais. No início estranhei um pouco o zoo, é bem diferente do de Buenos Aires, mais rústico, chão de terra, bem cara de sitio... Mas com o tempo me acostumei, acho que combina mais com o estilo do lugar.

O primeiro animal que visitamos foi o dromedário (tá, depois de alimentar loucamente os patos que perseguiam a gente). Fiquei encantadíssima logo de cara! Os visitantes podem fazer um breve passeio "embarcado" no dromedário. Confesso que é meio estranho, você lá de cima sente o bichinho alternando as patas, ele transfere o peso todo... Muito maneiro!!!

Depois, fomos para os elefantes =) Lá, vc pega um pedaço de fruta para alimentá-los - o visitante estende os braços e os bichinhos pegam o alimento com a tromba. Um dos elefantes acabou pegando a minha mão e babando toda, eca!!! rsrsrs

De lá, fomos ver os animais mais visitados: os felinos! Primeiro, os leões... Eram 2 animais na jaula, eles eram jovens ainda (mas já bem grandinhos...) e estavam dormindo. O tratador pediu pra gente se aproximar e tocar neles, menos na cabeça!

Então fomos ver os tigres, essa foi a parte que eu mais gostei =) Eram uns 5 na jaula, também jovens ainda, cerca de 2 anos. O tratador pegava uma mamadeira, apontava um tigre, e você ia lá dar comidinha pra ele... Ah, e detalhe: a idéia era derramar o leite na sua mão pra ele ir lambendo... Pensei que fosse ficar com medo, mas na hora estava tão emocionada que não senti nada, só aquela lingua áspera do tigre na minha mão...

Aí descobrimos o segredo do zoo: tinha um cachorro dentro da jaula. Os felinos são criados com cachorros desde que nascem, para que cresçam pensando que são cachorros também e aí ficarem mais dóceis e domesticados!

Por último, fomos à jaula dos filhotinhos de leão. Muito fofos! Eles tinham 3 meses, mas já eram maiores que um cachorro médio =0 Além de dar mamadeira, os visitantes podiam brincar com eles =)

Depois do almoço no zoo (pancho e choripan, rs), saímos do zoo super felizes com o passeio, valeu muito à pena!

Na volta, comprovamos a importância de ter comprado a passagem com antecedência... Além da gente, tinha outro grupo de brasileiros saindo do zoo, mas que só tinham nota pra pagar a passagem... Deram sorte porque o motorista foi "gente boa" e deixou eles embarcarem, pra descer na próxima parada com guichê, na cidade de Moreno e então comprar a passagem...

Depois de 1h e 30min de viagem, estávamos de volta a Palermo e resolvemos ir fazer compras nos outlets! Eu particularmente não gostei muito, não achei que tivessem muitas opções e os preços não eram assim tão convidativos... Acabei só comprando um short mesmo, numa loja que nem lembro o nome...rs. Mas tudo bem, minha intenção não era comprar desesperadamente =)

À noite, nosso amigo argentino veio buscar a gente no hostel para nos levar ao Jobs Bar, no bairro de Palermo. Simplesmente A-D-O-R-E-I =D O lugar é muito grande, no primeiro andar tem várias mesas. Neste dia, tinha dose dupla de chopp. Mas o legal mesmo é o segundo andar, onde ficam os jogos. Nunca tinha visto um bar com tantas opções de jogos: sinuca, dardo, arco e flecha, futebol de mesa, vários jogos de mesa... Alguns eram até gratuitos. A gente se divertiu muito, ficamos até a madrugada jogando! Recomendo muito!!! http://www.jobsbar.com.ar/

 

GASTOS

•Subte (Ida) - AR$1,10

•Ônibus para Lujan (Ida e volta) - AR$20

•Entrada do Zoo de Lujan - AR$40

•Comida para animais - AR$5

•Almoço na lanchonete do Zoo - AR$ 18

•Caixa de alfajor Havana (12unidades) - AR$48

•Subte (Volta) - AR$1,10

•Jantar - AR$30

•Bebida no Jobs Bar - AR$10

Total de gastos no dia: AR$173,20

 

20110403122609.JPG

 

20110403122854.JPG

 

20110403123115.JPG

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 semanas depois...
  • Membros

Ola Matinha...

 

Bom primeiro parabens pelo relato está me ajudando muito....

 

Vou para Buenos Aires dia 27 agora de abril, vou com mais 10 amigo.. hehehe, todo mundo gostou da ideia e aderiu a viagem...

 

Lendo seu relato gostaria de te fazer as seguintes perguntas:

 

1- Sobre a quantidade de dias... vamos ficar 5 dias, sendo que chegamos as 14hrs no primeiro dia e saimos as 15 hrs no ultimo dia, entao nao vamos conseguir fazer muito nestes dois dias, nossa ideia é visitar a maioria dos lugares que vc descreveu, vc acha que 2 dias inteiros são suficientes ? já que deixamos um para ir para Tigres....

 

2 - Sobre Tigres : também ainda nao decidimos como chegar la.... mas sobre o lugar tb estamos pensando em ir no parque e passear de barco no mesmo dia, então a dúvida é se meio dia no parque foi suficiente ?

 

Abraco

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Silnei changed the title to Buenos Aires - 10 dias (com gastos e fotos)

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...