Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Posts Recomendados

Pessoal.. Alguém indica alguma coisa pra fazer no dia 01/01? Mandei email para várias vinicolas e todas que me responderam não vão abrir nesse dia. E o SPA Termas Cacheuta já não tem mais vaga. Vcs sugerem mais alguma coisa legal para fazer nesse dia?

=)

 

vce pode aproveitar pra conhecer as àreas abertas da cidade, como o Cerro de la Gloria e o Parque San Martin, onde está o Estadio Malvinas Argentinas; caminhar pelas praças del Castillo, España, Independencia e as outras; conhecer a Basilica de San Francisco.

 

ou se quiser fazer algum passeio por agência, talvez algumas operem no dia 01. ou até mesmo guias locais (embora nao tenha nenhum a indicar).

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Pam

 

Uma boa opção seria alugar um carro e fazer o passeio até o Aconcágua, passando por Potrerillos, Uspallata, Parque Nacional Aconcágua, Las Cuevas e subindo até o Cristo Redentor de los Andes. Veja dicas deste passeio aqui no fórum. Um abraço e boa viagem.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Oi Pam

 

Uma boa opção seria alugar um carro e fazer o passeio até o Aconcágua, passando por Potrerillos, Uspallata, Parque Nacional Aconcágua, Las Cuevas e subindo até o Cristo Redentor de los Andes. Veja dicas deste passeio aqui no fórum. Um abraço e boa viagem.

 

boooa! uma ótima opçao, um belo passeio!! acho que dá pra deixar pre-agendado, para a retirada ser efetuada mesmo se agência nao abrir (acho que nao foi nesse tópico que vi isso)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pessoal uma dica importante de gastos na Argentina é que eles estão dando isenção de IVA para pagamento do hotel em dólares, acredito que nem todos ofereçam isso, mas o que fiquei em Mendoza, San Martin, na Plaza Independencia, eu paguei em dólares e obtive a isenção do IVA.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fiz um relato da minha viagem a mendoza e coloquei num novo tópico.

 

Mendoza e Santiago - novembro/2016

 

abaixo segue a parte de Mendoza

 

Olá mochileiros

 

Vou fazer o relato da viagem que fiz a Mendoza e Santiago de 08 a 24/11/2016. Espero que possa ajudar no planejamento de vocês.

DIA 08/11/2016 TERÇA-FEIRA

Chegamos em Santiago às 17:15 h e cambiei reais ali no aeroporto para pagar o ônibus TURBUS (1.700 CLP), pegamos o ônibus das 17:40 h, e como eu queria chegar ao centro antes das 19:00 h, saltamos na estação Pajaritos e pegamos o metrô até a estação Universidad de Chile, consegui chegar na AFEX da rua Agustinas antes das 19:00 h e troquei reais por pesos argentinos, as cotações estavam 1 real = 208 pesos chilenos , 1 peso argentino = 42 pesos chilenos, então no final 1 real = 4.95 AR$, como tinha ouvido falar que o câmbio paralelo em Mendoza estava 1 real = 4.54 AR$, troquei logo tudo ali mesmo.

Resolvido isso, pegamos o metrô até a estação Universidad de Santiago e nos dirigimos ao terminal sur de onde saiu nosso ônibus para Mendoza. Ao lado deste terminal existe outro terminal o Alameda, onde há um banheiro com ducha limpíssimo (3.900 CLP, com direito a sabonete, shampoo, toalha, pente), onde tomamos banho. Fecha às 21:00 h, mas precisa chegar até as 20:30, pois chegamos as 20:45 h e a funcionária quase não nos deixa entrar.

O ônibus saiu na hora, fomos pela Andesmar, a viagem foi horrível, pois ficamos 06 horas na aduana da Argentina, o ônibus estava cheio de muambeiros e a aduana estava fiscalizando todos os ônibus.

 

DIA 09/11/2016 QUARTA-FEIRA

Chegamos em Mendoza por voltas das 10:30 h do dia 09/11 e pegamos um taxi (35 ARS) para o Hotel San Martin (recomendadíssimo), na Plaza Independencia. Pagando em dólares eles me deram isenção do IVA.

Como chegamos tarde os passeios que programei e reservei para esse dia estavam perdidos, então resolvemos ficar passeando em Mendoza. Fui na SIXT (recomendo) para acertar o aluguel do carro que eu havia reservado pela internet. Deixamos o carro no estacionamento do hotel e fomos conhecer a pé as praças do centro de Mendoza, depois pegamos o carro e fomos ao Parque General San Martin e Cerrro de la Glória. Durante o passeio paramos na Perin para tomar um sorvete, muito bom. Mendoza é realmente uma bela cidade, muito bem arborizada. No retorno do parque passamos na cafeteria Via Civit para um lanchinho (vale a pena).

À noite fomos ao Anna Bistrô, recomendo, bom custo benefício.

 

DIA 10/11/2016 QUINTA-FEIRA

Esse dia eu havia reservado para ir ao Parque Aconcágua, mas como havia perdido o passeio do dia anterior às vinícolas de Maipu, fomos tentar visitar essas vinícolas. Fizemos todos os passeios de carro, usando o waze e google maps, encontramos todas as bodegas sem problemas.

Domaine Saint Diego – Tentamos, mas sem reserva eles não permitiram a visita, então entrei apenas pra comprar uma garrafa do vinho Paradigma que eu queria experimentar, e realmente vale a pena. Dali seguimos para a CarinaE.

CarinaE – Fizemos apenas a degustação de vinhos e do azeite, muito bom também. Fomos atendidos pela filha dos donos e gostamos muito, pois acabou sendo uma degustação privada. Destaque para o colheita tardia deles.

Olivícola Laur – Em frente a CarinaE tem a Olivícola Laur, então passamos lá pra conhecer a produção de azeites e vinagre balsâmico e fazer a degustação. Interessante a visita e a degustação eles servem patê de azeitonas, tomates secos e claro, azeites e vinagre balsâmico. Vale muito a pena. Compramos um azeite e um balsâmico muito bons.

Benegas Lynch - Chegamos na Benegas sem reserva, mas fomos muito bem recebidos pelo simpático Ramiro que fala português e nos explicou muito sobre a bodega e os vinhos. acabou sendo uma degustação privada e pudemos provar inclusive um Cabernet Franc que eles ainda vão lançar no mercado. Como compramos vinho ele não cobrou a degustação. Ramiro nos deu a dica de almoço na Tierras Altas, então fomos lá.

Tierras Altas – Chegamos por volta do meio dia na Tierras Altas, mas como havíamos comido um pouco na Laur, estávamos sem fome, então conversamos com o pessoal e ficamos passeando pela bodega. O ambiente é bem legal com um perfume delicioso dos jasmins que têm por lá, o atendimento foi excelente e a comida estava muito boa. Pedi um menu de 3 passos por 440 ARS e minha esposa pediu um menu de 3 passos de petiscos, os vinhos são bons, bem como o azeite. Vale muito a pena um almoço lá.

Família Zuccardi – Como estávamos sem programação resolvemos ir até a Zuccardi, mas ficamos apenas na loja, não fizemos degustação de vinhos, apenas do azeite e compramos uns pequenos.

À noite fomos jantar no Francis Malmann 1884, é caro, mas os pratos são bem servidos e daria até pra pedir apenas um prato e dividir.

 

DIA 11/11/2016 SEXTA-FEIRA

Acordamos tomamos o café da manhã no hotel, poucas opções, mas umas medialunas deliciosas.

Chandon – Começamos o dia com uma visita à Chandon onde fizemos a visita para conhecer a produção dos espumantes que não conhecíamos e a degustação. A guia muito simpática falava bem o português e tornou a visita bem agradável. A bodega tem um jardin bem bonito.

Belasco de Baquedano – Fizemos a visita, pois apesar de já conhecermos a produção de vinhos eu queria conhecer a sala de aromas. Acabou sendo uma visita privada, apenas eu e minha esposa. A guia foi bem simpática e após a visita fizemos a degustação e compramos um vinho.

Lagarde – Na Lagarde apenas almoçamos. Escolhemos o menu de 3 passos (550 AR$) e eu pedi um up-grade dos vinhos, assim provamos 6 vinhos diferentes. Recomendo muito o almoço na Lagarde, os restaurante tem mesas embaixo de duas amoreiras, que estavam carregadas de amoras maduras, tornando o ambiente bem agradável e muito bonito. Um garçom te explica cada prato servido e um sommelier te serve e explica os vinhos. Ótimo atendimento e ótima comida. Recomendo muito o almoço na Lagarde

Carmelo Patti – Imperdível. Saindo da Lagarde, seguindo algumas quadras na mesma rua você encontra a bodega Carmelo Patti, é uma bodega bem pequena, mas com grandes vinhos. Fiz a visita sozinho, pois minha esposa ficou dormindo no carro. A guia da visita foi a filha de Sr. Carmelo e depois fomos pra degustação com o Sr. Carmelo que dá boas dicas sobre vinhos e é muito simpático, ficamos batendo papo durante um bom tempo. Comprei 2 vinhos com ele e ele ainda assinou uma garrafa.

À noite fomos jantar no Maria Antonieta e gostamos muito.

 

DIA 12/11/2016 – SÁBADO

Saímos cedo para irmos ao Vale de Uco que fica a mais de 100 km de Mendoza.

O. Fournier – Chegamos por volta das 09:30 h na O. Fournier e a visita acabou sendo privada, só eu e minha esposa. A bodega é muito bonita com uma bela vista para a cordilheira. A guia foi bem simpática e a visita foi interessante para conhecer uma bodega com um sistema moderno de produção.

La Azul – Saímos da O. Fournier direto para a La Azul, onde havíamos reservado o almoço. O almoço foi um menu de 5 passos (560 AR$), a comida e os vinhos eu achei apenas razoável, acho que não vale apena. A vista é bem bonita, mas não achei que vale a pena.

Depois da La Azul decidimos voltar pra Mendoza para ir ao Festival gastronômico Conboca que estava acontecendo em Maipu (Arena Maipu), onde fizemos uma degustação de vinhos da Casa El Enemigo e bebemos uma cerveja com mel e comemos um pouco. Depois fomos gastar os Pesos que nos sobraram comprando vinhos no Carrefour.

 

DIA 13/11/2016

Saímos do hotel cedo e pegamos um táxi (40 AR$) até a rodoviária.

Viajamos pela ANDESMAR, compramos as passagens pelo site e escolhemos as primeiras cadeiras do piso superior, na hora do embarque a numeração das poltronas era diferente, por sorte o casal que havia comprado duas poltronas no piso inferior, mas pela mudança ficariam nas da frente, nos deixou ficar ali. A vista é realmente belíssima durante todo o caminho até Santiago. A viagem foi mais rápida que a vinda, pois ficamos apenas 2 horas na aduana chilena. Ali nossa preocupação era a quantidade de vinhos que pela lei chilena deve ser de no máximo 3 garrafas por pessoa, mas já haviam dito que na prática os fiscais deixam passar bem mais e realmente passamos com umas 10 garrafas.

Chegamos no Terminal Sur por volta das 16:00 h, atravessamos a rua e chegamos ao nosso hotel, o IBIS Estacion Central, aqui pagando em dólares ou no cartão de crédito você tem isenção de IVA. O entorno do hotel é como de uma rodoviária em qualquer grande cidade do Brasil, cheio de ambulantes e uns caras com cara de malandro, mas nunca me senti inseguro ali, e tem a vantagem de ter o TURBUS pra vir e pra ir pro aeroporto, mesmo com as mochilas cheias e duas caixas de vinho, conseguimos ir de ônibus para o aeroporto sem problemas.

Fizemos o check-in no hotel, deixamos as mochilas e saímos para comer alguma coisa. Acabamos parando no Coquinaria, mistura de restaurante e empório, onde jantamos muito bem, não foi barato, mas vale a pena, entrada, dois pratos, vinho e sobremesa ficou em torno de 60.000 CLP. Dali pensamos em subir o SKY Costanera, mas ficou tarde e ficamos passeando pelo Costanera Center. Minha esposa não dispensa uma visita a H&M, compramos umas roupinhas mais frescas, pois sempre levamos pouca roupa e já estávamos precisando.

Depois eu continuo o relato com os passeios a Valpo, Viña, Isla Negra, Vale de Casablanca, Vale do Colchagua e mais.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Isso Paulo, poste tudo mesmo.

Hoje, aqui em Mendoza troquei o Real por peso pela cotação de R$1,00 / AR$5,10. Em Rosário estava 5,30. ::dãã2::ãã2::'>

Como irei para o Chile amanhã cedinho, já troquei um pouco de peso chileno: R$1,00 = C$182

Na Cambio Express, espejo nº 58, centro. Pediram passaporte.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Legal Jackson

 

Esta informação ajuda muito quem está se programando. Em Santiago a melhor cotação que achei foi na AFEX da Agustinas. Boa viagem

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Estou retornando para a Argentina, cheguei a Mendoza e amanhã irei para Buenos Aires. 1050 Km.

Vai ser pancada.

Hoje, troquei dinheiro. 1 REAL para 5,40 Pesos argentinos. Na cambio express.

O dólar estava US$1 para AR$16,40 na Cambio Santiago.

 

GENTE, NÃO COMPREM DÓLAR NO BRASIL. EU FIZ ISSO E ME FERREI. E olha que ainda comprei quando o turismo estava 3,30.

O Real ta muito valorizado aqui.

Acredito que em Buenos Aires esteja ainda melhor. Mas, como chegarei amanhã depois das 20h e sábado é 24 véspera de feriado, achei melhor cambiar tudo aqui.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sempre foi assim Jackson, por isso sempre posto aqui,porém brasileiros tem mania de PSDB e complexo de vira lata.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Estou retornando para a Argentina, cheguei a Mendoza e amanhã irei para Buenos Aires. 1050 Km.

Vai ser pancada.

Hoje, troquei dinheiro. 1 REAL para 5,40 Pesos argentinos. Na cambio express.

O dólar estava US$1 para AR$16,40 na Cambio Santiago.

 

GENTE, NÃO COMPREM DÓLAR NO BRASIL. EU FIZ ISSO E ME FERREI. E olha que ainda comprei quando o turismo estava 3,30.

O Real ta muito valorizado aqui.

Acredito que em Buenos Aires esteja ainda melhor. Mas, como chegarei amanhã depois das 20h e sábado é 24 véspera de feriado, achei melhor cambiar tudo aqui.

 

Jackson, tanto em Santiago quanto em Mendoza, vc recomenda fazer cambio, então? Ou te referistes ao peso argentino apenas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Conteúdo Similar

    • Por TMRocha
      Dessa vez não estarei falando sobre um relato de viagem próprio meu, e sim do meu irmão mais novo, o Fernando [apelidado carinhosamente por nós de Nando ou Nandinho].

      Confira como foi a sua espetacular viagem em sua moto Yamaha Ténéré 250cc saindo de Contagem (MG), seguindo do Brasil até a América do Sul com rumo a Antofagasta, no Chile.
      Caso queira acompanhar o post diretamente pelo blog clique no link abaixo ou em uma de suas respectivas partes:
      http://tudorocha.blogspot.com/2018/02/viagem-tenere-250cc-pela-america-do-sul.html
      Lista de Episódios:
       
      [PARTE 1] [PARTE 2] [PARTE 3]
      [PARTE 4] [PARTE 5] [PARTE 6] [PARTE 7]

      Infelizmente ele teve um ano de 2017 muito difícil e passou por muitos perrengues, por isso, para compensar tantos problemas ele resolveu realizar uma verdadeira aventura em 2018, pra já começar o ano de forma diferente e mais inspiradora.
       
      Sua meta era chegar a Antofagasta, no Chile, passando também por Foz do Iguaçu [PR] para conhecer as Cataratas pelo lado brasileiro e em seu caminho ele ainda queria encontrar a Mão do Deserto no Deserto do Atacama [Chile] e o maior Salar do mundo, que fica em Uyuni, na Bolívia.

      A moto que ele utilizou para essa aventura foi uma Yamaha Ténéré 250cc, já bem rodada e com sua manutenção em dia.

      Yamaha Ténéré 250cc.
      [Para que sua leitura fique fluida e confortável, a partir de agora começarei a contar como foi essa viagem em 1ª pessoa]
      Dia 1: Sábado, 20 de Janeiro de 2018
      Após andar por quase 200 km em minha moto, uma Yamaha Ténéré 250 [que diga-se de passagem, está rodando pela América do Sul pela 2ª vez] resolvi fazer minha primeira parada no atendimento da concessionária de Formiga (MG), às 7:19h. Por enquanto estava tudo tranquilo, friozinho, de boa e com a moto boa, em suma, tudo funcionando bem!

      Continuando... Segui viagem por pouco mais de 2 horas e nesse meio tempo deu pra ver alguns cânions. Nossa! É bonito pra caramba, deve ser muito doido andar de lancha lá, entre eles, pena que não parei pra tirar fotos nessa parte do caminho. Após isso resolvi parar para tomar mais um cafezinho.

      MG-050, entre Furnas (MG) e Passos (MG).
      Às 9:48h fiz mais uma parada na concessionária para tomar água e um cafezinho. Acho que passei por uns 6 pedágios de R$ 2,90 cada um, caro pra caramba! Pensei em vir por aqui para economizar, mas ao que parece era melhor ter vindo por São Paulo.
       
      Uma coisa legal que fiz nessa viagem, ao menos enquanto estava no Brasil, era avisar de tempos em tempos a minha família o que estava fazendo para que eles ficassem mais tranquilos, já que essa aventura foi realizada totalmente sozinho.

      Às 10:14h passei por Itaú de Minas (MG). Até esse momento já tinha rodado uns 318 km. E a gasolina por aqui é bem cara, simplesmente R$ 4,50 o litro. Finalmente, às 13:46h, após simplesmente 505 km rodados no mesmo dia, cheguei em São Sebastião do Paraíso (MG), praticamente na divisa entre Minas Gerais e São Paulo.


      Parei para almoçar e segui pela estrada novamente. Dei conta de fazer todo esse trajeto porque a estrada estava boa e eu ainda tinha muita energia.
       
      Fui tão no embalo que segui direto por mais quase 4 horas e acabei chegando em Sertanópolis (PR), praticamente na divisa entre São Paulo e o Paraná, às 18:31h. Minha ideia era passar por Londrina, mas acabei passando direto. O pessoal da minha casa já estava louco e quase que suplicava para que eu parasse de andar na moto.


      Feito tudo isso chegou a hora de descansar, pois amanhã tinha mais estrada para percorrer nessa aventura!

      Também não valia a pena andar mais porque estava bem escuro e chovia muito:

      Vídeo 01:

      Dia 2: Domingo, 21 de Janeiro de 2018
      Estando aqui preferi mudar a rota para seguir rumo a Foz do Iguaçu. Já passei por lá no passado, mas tinha visto as cataratas apenas pelo lado argentino e dessa vez resolvi conferir como ela era pelo lado brasileiro. [Um dado não muito bom que descobri por aqui era que tinha previsão de chuva para todos os dias]

      Perto das 11:40h parei em Corbélia (PR) para almoçar e conversar um pouco com a minha mãe pelo zap.

      Ela disse que meu pai deu azar e teve um pane na moto dele. Nada sério, mas quer era algo chato de se resolver. De bucho cheio continuei com minha viagem e passei por Matelândia, no Paraná.

      Já em Foz do Iguaçu, às 13:25h procurei por uma pousada para ficar, ajeitei as minhas coisas e saí para dar uma volta pela cidade. Saí depois das 15:00h e cheguei próximo de lá perto das 18:30h.

      Vídeo 02: Com eu muito feliz com as expectativas!

      Vídeo 03: Com eu meio triste depois da realidade!

      E a família não perdoou!

      Eu tinha visto que estava chovendo e protegi o celular e a carteira, mas esqueci da doleira e acabei molhando tudo. Mas o que importa mesmo é que consegui avistar as cachoeira pelo lado brasileiro, e percebi que é muito mais bonito do que o lado argentino, é realmente incrível!
       
      [Então, bora ver o que pude ver nesse meio tempo: Entre os vídeos da Expectativa e da Realidade!]
       
      Coisas interessantes vistas pelo caminho:

      Vídeo 04:

      Vídeo 05:

      Vídeo 06:

      Esse é um quati, um animal típico dessa região:
       
      Vídeo 07:

      Vídeo 08:

      Vídeo 09:

      Dessa vez o som das cataratas estava tão forte que nem deu para ouvir o que eu estava dizendo.
      Vídeo 10:

      Vídeo 11:

      Mais fotos de Foz do Iguaçu:





      Só tenho uma coisa a dizer sobre esse lugar, é um verdadeiro espetáculo da natureza, uma maravilha natural do mundo que fica no Brasil.




      Cara de conquista realizada:

      Lembrando em, essa era a minha lista de lugares a serem visitados:

      - Cataratas do Iguaçu, PR - Brasil [Visitado]
      - Salar del Uyuni, Bolívia
      - La Mano del Desierto, Deserto do Atacama - Chile
      - Antofagasta, Chile

      :: Ao menos o primeiro destino dessa lista já estava completo. Ainda faltavam mais três para se conhecer::

      Depois disso voltei para a pousada e dei um jeitinho como um autêntico brasileiro para resolver o problema das coisas molhadas enquanto eu aproveitava para fazer meu lanche noturno.

      Vídeo 12:

      Após toda essa aventura descansei um bocado e aproveitei para conversar com meu pai e um dos meus irmãos pelo zap. Também tracei a minha rota para o outro dia e estudei como fazer o seguro da carta verde, mas apesar de chegar no local já estava tarde e lá estava fechado.

      Vídeo 13:

      Esse foi o resumo da minha noite:


      E ainda teve o Templo Budista que estou afinzão de ir. Não pude por causa dos contratempos... e que amanhã não irá abrir!

      Ainda com aquela labuta de colocar minhas coisas para secar dos temporais daqui!
       
      Vídeo 14 [Parte 1]

      [Vídeo 15 - Parte 2] Nada que um elástico não resolva!

      Terminado o dia, a meta para o próximo seria ir para Assunção, no Paraguai, mas como já estendi muito esse relato, continuarei na próxima parte.
       
      E antes de ir embora, meu trajeto ficou assim até o momento:


      Continue acompanhando, pois ainda tem muito mais relato para se contar!
    • Por trindadeps
      Pois então galera, depois de uma boa estudada aqui no fórum e na internet, partimos...
       
      Irei detalhar os valores no final, anotei boa parte dos gastos.
      Nossa viagem se iniciou com um pouco de antecedência, as passagens foram previamente compradas, éramos 3.
       
      Fizemos câmbio aqui no RJ e levamos uma quantia em dólar, peso argentino e real. Por sinal, valor muito ruim, mas por questão de segurança, resolvemos dessa forma. (Dólar 1 = R$3,33 / Peso – R$1,00 = 4,17)
       
      A data da partida foi dia 05/02/18, à noite, GALEÃO (RJ).
      Logo no vôo o primeiro teste, a aeromoça já aplicou um espanhol, respiramos fundo e respondemos aquele portunhol padrão rsss.
      Chegamos em solos Hermanos rápido, fomos pela Latam, tudo ok.
      Na imigração, tudo tranquilo. Atendente só me perguntou onde eu ficaria.
       
      Antes de viajar, já havia entrado em contato com um transfer que tem uma cabine no próprio aeroporto de nome “Taxi Ezeiza”, e lá estava meu nome em um papel, cheguei e falei meu portunhol com o rapaz e nos entendemos, paguei e fui, vale muito a pena. No dia havíamos chego as 23:00, então imagina a comodidade de logo resolver essa questão que tanto dá dor de cabeça. Preço fixo, atendimento cordial, partimos rumo ao hotel.
      No trajeto para o hotel aquele encantamento bobo de navegante de primeira viagem rssss... tudo muito maneiro, até outdoor de hambúrguer, roupas, água...
       
      Chegamos no hotel, ele fica bem no centro, mais precisamente calle Parana 720, havíamos reservado pelo booking, Mayflower suítes. A primeira impressão da rua a noite foi meio sombrio, mas nada que uns dois dias no local não nos adequemos. Entramos, visual bacana na entrada, falamos com o atendente, após uma breve surra para entender o espanhol na prática, que os filmes e duolingos não te ensinam, tudo se acertou, já paguei na hora toda a estadia, parte em peso e o complemento em dólar (Olha a importância de levar uma quantia de ambos, obrigado aos que me informaram sobre tal atitude, pois os nossos cartões não estavam passando). O rapaz entregou o cartão-chave, foram dois quartos. Hotel com elevador, ficamos com um quarto no segundo andar e um no terceiro andar. Sistema bacana de entrada do quarto através de cartão, mas só isso mesmo... Entramos, BUUH, sabe esses filmes de terror?! Creio que já filmaram alguma passagem naquele quarto! Cama grande, macia, mas e a coberta.. É no mínimo de 1950, antiga mesmo. Fui ao banheiro, cade o box? Rssss. Não tem, o chuveiro na parede joga água pra frente e a pessoa fica dentro de uma banheira, se quiser molhar a cabeça, trate de se abaixar em direção a saída de água.Voltei ao quarto para encarar a primeira noite de sono, até porque precisava repor a energia, pois o próximo dia prometia. Passei perrengue pra dormir, o ar começou a chover, tínhamos uma cachoeira no quarto, isso na primeira noite, BINGO! Desci pra falar com o atendente e ele disse que só no dia posterior, (Como assim parceiro ?!)... Nessa novela, tentamos durmir, caramba... no meio da noite minha esposa acorda e sente um bicho na cama, era um parente de mosca, ou sei lá o que, pensa no estresse, durmimos.
       
      Dia 6/fev/2018
      Curtimos um café logo em nossa esquina, e partimos para a caminhada.

      Primeiro, Obelisco. Logo em seguida procuramos o ponto de partida do ônibus turístico, bem próximo. Vale a pena, pois exploramos os locais mais distantes de nosso hotel com ele. A loja para comprar o bilhete fica ao lado de onde ele pára, ganhamos o mapa e um fone, no ônibus tem o local para o fone e tem a opção do idioma português 😉.


       
      Próxima parada LA BOMBONERA!
      A todos que curtem o futebol, é um local indispensável! Eles valorizam e muito a história do clube. Fizemos o Tour no estádio e museu, TOP!



       
      Na saída almoçamos em uma “birosca”, como conhecemos aqui no RJ. Local bem simples, mas com uma parilla show de bola bem na rua de frente a saída. De volta ao ônibus, partiu.

       
      Próxima parada, Bosques de Palermo, e nele o Paseo el Rosedal. Devido ao horário, tanto o Jardim Japonês, quanto o Planetário Galileu Galilei estavam fechados, por conta disso, ambos ficaram para outro dia.

       
      Dia 7/fev/2018
      A parte da manhã toda ficou por conta de burocracia bancária. MUITO IMPORTANTE!!! Tenha o contato de alguém do Brasil que possa resolver algo para você caso necessite entrar em contato com o banco, no nosso caso tivemos a sorte e ajuda de uma amiga, graças a Deus. O cartão não estava passando em nenhuma máquina, após o procedimento, começou a funcionar.
      Como planejávamos ir a Mendoza no dia seguinte, fomos a rodoviária comprar as passagens. Retiro é o nome do lugar. Passamos pela estação de trem, muito bonito por dentro, por fora ? Horrível, feio... Entre a estação de trem e a de ônibus, tem uma favela. Muitos trabalhadores transitando, parecendo o centro do RJ com relação a quantidade de pessoas, mas também muitos mendigos, infelizmente um lugar mal conservado. Já dentro da rodoviária, que por sinal, mal cuidada também, identificamos o guichê e compramos a passagem, placa da Andesmar (Muito indicada aqui no fórum), mas fizemos a viagem com ônibus da empresa El Rápido. Passagens compradas, partimos rumo ao Museu Nacional de Belas Artes, mas antes disso, tenho que destacar um restaurante maravilhoso no qual almoçamos de nome “LIBER RESTO-BAR (Av. Del Libertador 690 – Esquina Libertad). Almoço, ARS270, Escalopinho, mix de saladas e batatas fritas, incluso guaraná, vinho ou cerveja e café após.

       
      O Museu Nacional de Belas Artes, imponente, com uma imensidão de obras de artes, muito válido e de graça... rssss

       
      Descanso, e cerveza por la noche, cerveza y cerveza rsssss. Conhecemos um barzinho bem alternativo, cerveja artesanal (Oohh maravilha...), um bom blues ao fundo, irado. Chegando no hotel, “cadê a bolsa mulher ?” BUHHH, deixamos no bar. Voltando lá, a atendente havia guardado, ponto positivo pros Hermanos e pro bar. Chega por hoje!
       
      08/fev/2018
      Acordamos com um protesto de trabalhadores na rua!
      Tomamos um café no IBÉRICO, top!

       
      E partimos pra Mendoza...

       
      09/fev/2018
      Chegamos por volta de 09/10:00hrs.
      Ficamos no Hostel Estacion Mendoza, gostamos muito e recomendamos. Os atendentes show de bola, inclusive tinha uma brasileira trabalhando por lá. Teve no próprio hostel, rateio para eles fazerem um churrasco (Pensa numa maravilha…) em outro dia rolou Choripan (TOP!!!).

       
      Viagem muito cansativa, mas o importante é que chegamos com saúde.
      Demos uma respirada no ar de Mendoza, almoçamos e partimos para fazer o reconhecimento da área.
      Passamos pela Plaza España, tem alguns monumentos.

       
      Parque General San Martín, gigante, não conseguimos visitá-lo por inteiro.

      Plaza Independência, muito bonita e com um chafariz maneiro.
      Museu de Ciências Naturais e Antropológicas “Juan Cornelio Moyano”, muitos animais em exposição, vale a pena!

       
      10/fev/2018
      Partimos nesse dia para conhecer a parte cívica da cidade.
      Passamos por todos os prédios governamentais que ficam próximos um do outro, Imponentes!

       
      E o melhor ainda estava por vir, fomos para a excursão do Vinho… INESQUECÍVEL!
      Saímos às 14:00hrs e voltamos 20hrs.
      Passamos por 3 vinícolas e uma fábrica de azeite.
      Bodega DOMICIANO, essa parece ser bem industrial, grande.

       
      No meio das bodegas fomos a fábrica de azeite e derivados, de nome PASRAI, rolou degustação de azeite e compras.

       
      A segunda não me recordo o nome, apesar de bem restritiva com relação a registros, degustação, no geral foi boa.

       
      Por último, passamos na FLORIO, fechou com chave de ouro. A atendente muuito simpática, nota 1000 além de que teve muita degustação, sai tonteado de lá rsrsrs.

       
      Em todos os locais tiveram degustações e muita explicação tanto das frutas utilizadas, como processos e os locais de armazenamento, uma experiência incrível, principalmente pra quem curte degustar um bom vinho.
      Voltamos ao hostel bem alegres por sinal, recomendadíssimo esse passeio!
       
      11/fev/2018
      Nesse dia fomos a excursão ALTA MONTANHA.
      Simplesmente IMPERDÍVEL, NÃO DEIXE DE IR!!!
      Seguimos a indicação de nosso hostel e compramos com eles mesmo o passeio.
      A equipe nos buscou lá e foram nota 1000 (Transporte ALEO), só não me recordo o nome do motorista e guia, mas eles são muito bons!!!

       
      No trajeto, aconteceu um problema na RUTA e ficamos um bom tempo parada na pista, mas logo seguimos.
      Passamos por diversos povoados.
      Almoçamos em um restaurante muito rústico, só o bife de chorizo devia ter uns 700grs, sem brincadeira rsrsrsrs…

       
      A estrada para chegar até o Cristo Redentor, na divisa entre Argentina e Chile na Cordilheira dos Andes, tem muito zigue-zague, doidera…

       
      Ao chegar lá em cima, muito vento e pressão, pensei que fosse estourar meus ouvidos por alguns momentos.
      Mas, muito lindo.
      Tivemos a felicidade de ver neve em algumas montanhas “próximas”.



       
      Na volta, passamos pela Puente del Inca. A história é muito maneira e o lugar é MÁGICO!

       
      Não posso deixar de frizar novamente a recepção e todo auxílio dado pelo guia, super gente fina, de fato conhece aquela região, e explicou tudo em inglês e espanhol, que por sinal, estava tranquilo de entender para quem não tem fluência (EU).
       
      12/fev/2018
      Ficamos por conta da cidade, conhecendo sem roteiro.
       
      13/fev/2018
      Dia de voltar a Buenos Aires.
       
      14/fev/2018
      Chegada em Buenos Aires.
      Saímos de taxi, até o “America Del Sur Hostel Buenos Aires”. Não tivemos problema algum, mas de qualquer forma, fui acompanhando com o gps.
      O Hostel fica localizado em ruas sombrias, principalmente a noite. Mas nada que atrapalhe muito. Ele em si, é um prédio, muito bonito e limpo. A área de socialização é no térreo, onde tem um espaço a céu aberto, e uma cozinha. Os quartos são impecáveis.
       
      15/fev/2018
      Conhecemos o Jardím Japonês, muito bonito.

       
      Passamos pelo Planetário Galileu Galilei, mas nao nos interessamos em pagar e ver as exposições.
       
      MALBA, com suas belas exposições!

       
      Floralis Genérica;

       
      Museu Nacional de Arte Decorativo;

       
      Jardim Botânico Carlos Thays;

       
      16/fev/2018
      Bioparque Temaiken, simplesmente SENSACIONAL!!!
      Muitos animais, parque bem organizado, lindo mesmo…
      Pegamos ônibus na Plaza Italia e soltamos “próximo”. Caminhamos por volta de 10minutos.
      Passeio pra curtir o dia todo, chegamos cansadíssimos ao hostel, muito bacana !




       
      17/fev/2018
      Casa Rosada, agendamos quando já estávamos na Argentina. A visita é bem esclarecedora, os funcionários bastante atenciosos, recomenda a visita !

       
      Museu da Casa Rosada, fica ao lado, vale a pena conferir também.

       
      Museu Fragata Sarmiento.

       
      Na região próximo a Fragata, tem muitos restaurante. Almoçamos em um, que infelizmente não me recordo o nome, onde se paga um valor fixo o come até não aguentar mais, o garçom explicou que lá funciona da seguinte forma, você come, deixa o prato usado na mesa e prepara outro, acabou?! Pega outro, come, e vai até encher rsrsrs, TOP!
      A noite fomos conhecer a boemia. Passamos por um barzinho de cervejas artesanais bem na esquina do hostel (America del Sur), e partimos pra frente da boate CLUB MUSEUM. É balada popular, cerveja ruim, pior do que Itaipava e cara.
       
      18/fev/2018
      Feira de San Telmo. Muitos itens artesanais e principalmente coisas antigas, não vi nada de interessante, mas vale a pena o passeio.
       
      19/fev/2018
      Ficamos de molho, sem compromisso.
       
      20/fev/2018
      A volta...

       
      *** OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:
      - Nos dias finais, quando já estava em Buenos Aires, meu olho direito começou a coçar, ficar vermelho e por vezes remelar. Não sei ao certo se era conjuntivite, ou devido ao clima seco. Comprei colírio por lá e parecia que estava jogando pimenta no olho, só melhorou 2 dias após chegar em casa.
      - Utilizamos muito o metrô, grande abrangência pela cidade de BA.
      - Cartão SUBE, tem muitos lugares para fazer recarga, assim como recarga de celular também.
      - Utilizamos a operadora CLARO, pegamos pacote de internet e foi válido.

       
      ABAIXO, SERÃO DESCRITOS ALGUNS GASTOS:
       
      *** LEMBRANDO QUE OS CUSTOS SÃO PARA 3 PESSOAS***
      PASSAGENS AÉREAS: Rio de Janeiro x Buenos Aires R$3.203,01 
      CÂMBIO no Rio de Janeiro: Dólar 1 = R$3,33 (Trocamos R$999,61) / Peso – R$1,00 = 4,17 (Trocamos R$1.000,08)
      COTAÇÃO p/ SAQUE – BANCO SANTANDER: R$1 = ARS5,65 (Com as taxas inclusas)
      TRANSFER (TaxiEzeiza): ARS780,00
      HOTEL MAYFLOWER -> *2 QUARTOS* (05 à 08/fev/2018) ARS4581 (ARS631 + US$200 – Cotação Hotel “US$1 = ARS19,75”)
      JANTA NO MAYFLOWER p/3 ARS910 (Menu executivo, suco e vinho)
      OBELISCO (0800)
      ÔNIBUS TURÍSTICO ARS670,00 (3 Tickets de 24hrs)
      LA BOMBONERA - MUSEU + ESTÁDIO TOUR p/3 AR$780
      ALMOÇO DO LADO DE FORA “LA BOMBONERA” p/3 AR$450 (Parrilla, lá dizia que era pra dois, mas comemos em 3 tranquilos)
      ÔNIBUS B.A x MENDOZA ARS 4.052,20 (3 Passagens)
      HOSTEL ESTACION MENDOZA -> *2 QUARTOS* (09 à 13/fev/2018) AR$7.520
      ALMOÇO MENDOZA p/3 AR$800 (Bife de chorizo com salada ou fritas, vinho ou refrigerante e sobremesa)
      ALMOÇO MENDOZA p/3 AR$907 (Bife de chorizo, suco e sobremesa)
      EXCURSÃO DO VINHO “MAIPÚ” p/3 ARS1.560
      EXCURSÃO ALTA MONTANHA P/3 ARS2.970
      ÔNIBUS MENDOZA x BA p/3 ARS5065,50
      HOSTEL AMERICA DEL SUR BUENOS AIRES p/3 1 quarto - 2 beliches (14/fev à 20/fev) US$248
      JARDIM JAPONÊS P/3 AR$360
      ALMOÇO BIOPARQUE TEMAIKEN P/3 AR$615 (Peito de frango frito com batata frita ou salada e refrigerante)
       
      Apesar de não ter 100% dos gastos detalhados, apurei que por pessoa, foi gasto R$5.250.
      Lembrando que os gastos são desde a saída de casa até a volta pra casa novamente, tudo incluso.
      Observa-se que foi uma viagem bem “folgada”, não passamos aperto, apesar de no penúltimo e último dia, termos que reduzir bem os gastos diários, inclusive com alimentação, porém em TODOS os outros dias comemos MUITO BEM, a culinária hermana é TOP, um bife de chorizo que maltrata quem gosta de uma boa carne, sem contar os outros pratos de carne, assim como o bom e velho vinho para acompanhar as refeições.
      Grande parte dos passeios em Buenos Aires foram gratuitos, mas os que foram pagos, em sua grande maioria eram valores simbólicos, se assim podemos dizer, e todos bem válidos.
      Já em Mendoza, os dois passeios que fizemos foram pagos, até por questões lógicas, já que nos foi ofertado o transporte e guia.
      A Alimentação no geral não achei cara, os pratos são bem objetivos, carne e salada ou batata frita. Normalmente vem um valor fechado para entrada, prato principal e bebida, vez ou outra sobremesa, um exemplo seria, pão de entrada, bife de chorizo com salada e vinho.
      O conhecido CAFÉ, não podemos deixar de falar. Tem por toda parte e lugar em BA. Paramos em vários e gostamos de todos. Desde os mais sofisticados, com seus funcionários muito atenciosos, respeitosos. Até os mais “caseiros”, com seu atendentes fazendo você se sentir um local, atendimento olho no olho, super válido.
       
      No mais é isso galera, caso eu venha lembrar algum fato ou até observar algum erro, vou comentar e/ou corrigir.
      Caso tenham alguma dúvida, podem falar que assim como fui muito ajudado pelo fórum, estou disposto a ajudar também.
      Grande abraço família e até a próxima.
    • Por cademinhamala
      Uma pequena cidade com grandes atrações. Descubra alguns dos vários pontos turísticos de Puerto Iguazú e se surpreenda com a incrível culinária argentina!
       
      Viajar para Foz do Iguaçu, é com certeza ter muitas experiências. Você vai visitar as lindas Cataratas, o impressionante Parque da Aves e ter a oportunidade de conhecer dois países! A Ciudad del Este, no Paraguai e o Puerto Iguazú, na Argentina, cidades da Tríplice Fronteira.
       
      Puerto Iguazú, situada na Argentina, faz fronteira com Foz do Iguaçu. Ela é uma pequena cidade de apenas 80 mil habitantes. Porém, não se deixe enganar pelo seu tamanho, vale a pena visitá-la. Famosa pelos bons restaurantes, pela feirinha com muitas azeitonas e vinhos, pelos cassinos, Puerto Iguazú é parada obrigatória.
       

      Feirinha em Puerto Iguazú
       
      Importante! Para adentrar em outro país do Mercosul é necessário o RG ou PASSAPORTE, qualquer outro documento NÃO é aceito. É exigido também que o RG tenha sido emitido há menos de 10 anos. Lembrando que, especificamente, em Puerto Iguazú existe um acordo no qual é permitida a entrada com o CNH (não vencida) para transitar apenas na cidade por 72 horas.
       

      Fronteira em Puerto Iguazú
       
      Leia mais em nosso post, sobre os principais restaurantes da cidade, além de uma padaria deliciosa que achamos lá! Também quais são as atrações que tanto chamam a atenção dos brasileiros para visitar a cidade e maneiras de como atravessar a fronteira!
    • Por tocadearanha
      [info]O objetivo deste tópico é trocar informações e reunir depoimentos e dicas sobre a cidade de San Juan e os parques próximos - Parque Provincial Ischigualasto e Parque Nacional Talampaya, nas províncias de San Juan e La Rioja. Hospedagem, alimentação, agitos e locomoção. Se você já conhece alguma destas localidades conte para nós como foi sua experiência, seja ela negativa ou positiva. Para isso basta clicar no Botão Responder![/info]
       
       
      Esta região deveria estar na mira de nós, turistada brasileira (fora os que jogam latinhas de cerveja pela janela)! Há lugares muito legais para se visitar. Procurem ver nos sites das províncias neste site: http://argentour.com/es/mapa/index.php.
×