Use o menu Tags para buscar informações sobre destinos! - Clique aqui e confira outras mudanças!

Ir para conteúdo

Posts Recomendados

Pessoal.. Alguém indica alguma coisa pra fazer no dia 01/01? Mandei email para várias vinicolas e todas que me responderam não vão abrir nesse dia. E o SPA Termas Cacheuta já não tem mais vaga. Vcs sugerem mais alguma coisa legal para fazer nesse dia?

=)

 

vce pode aproveitar pra conhecer as àreas abertas da cidade, como o Cerro de la Gloria e o Parque San Martin, onde está o Estadio Malvinas Argentinas; caminhar pelas praças del Castillo, España, Independencia e as outras; conhecer a Basilica de San Francisco.

 

ou se quiser fazer algum passeio por agência, talvez algumas operem no dia 01. ou até mesmo guias locais (embora nao tenha nenhum a indicar).

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Pam

 

Uma boa opção seria alugar um carro e fazer o passeio até o Aconcágua, passando por Potrerillos, Uspallata, Parque Nacional Aconcágua, Las Cuevas e subindo até o Cristo Redentor de los Andes. Veja dicas deste passeio aqui no fórum. Um abraço e boa viagem.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Oi Pam

 

Uma boa opção seria alugar um carro e fazer o passeio até o Aconcágua, passando por Potrerillos, Uspallata, Parque Nacional Aconcágua, Las Cuevas e subindo até o Cristo Redentor de los Andes. Veja dicas deste passeio aqui no fórum. Um abraço e boa viagem.

 

boooa! uma ótima opçao, um belo passeio!! acho que dá pra deixar pre-agendado, para a retirada ser efetuada mesmo se agência nao abrir (acho que nao foi nesse tópico que vi isso)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pessoal uma dica importante de gastos na Argentina é que eles estão dando isenção de IVA para pagamento do hotel em dólares, acredito que nem todos ofereçam isso, mas o que fiquei em Mendoza, San Martin, na Plaza Independencia, eu paguei em dólares e obtive a isenção do IVA.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fiz um relato da minha viagem a mendoza e coloquei num novo tópico.

 

Mendoza e Santiago - novembro/2016

 

abaixo segue a parte de Mendoza

 

Olá mochileiros

 

Vou fazer o relato da viagem que fiz a Mendoza e Santiago de 08 a 24/11/2016. Espero que possa ajudar no planejamento de vocês.

DIA 08/11/2016 TERÇA-FEIRA

Chegamos em Santiago às 17:15 h e cambiei reais ali no aeroporto para pagar o ônibus TURBUS (1.700 CLP), pegamos o ônibus das 17:40 h, e como eu queria chegar ao centro antes das 19:00 h, saltamos na estação Pajaritos e pegamos o metrô até a estação Universidad de Chile, consegui chegar na AFEX da rua Agustinas antes das 19:00 h e troquei reais por pesos argentinos, as cotações estavam 1 real = 208 pesos chilenos , 1 peso argentino = 42 pesos chilenos, então no final 1 real = 4.95 AR$, como tinha ouvido falar que o câmbio paralelo em Mendoza estava 1 real = 4.54 AR$, troquei logo tudo ali mesmo.

Resolvido isso, pegamos o metrô até a estação Universidad de Santiago e nos dirigimos ao terminal sur de onde saiu nosso ônibus para Mendoza. Ao lado deste terminal existe outro terminal o Alameda, onde há um banheiro com ducha limpíssimo (3.900 CLP, com direito a sabonete, shampoo, toalha, pente), onde tomamos banho. Fecha às 21:00 h, mas precisa chegar até as 20:30, pois chegamos as 20:45 h e a funcionária quase não nos deixa entrar.

O ônibus saiu na hora, fomos pela Andesmar, a viagem foi horrível, pois ficamos 06 horas na aduana da Argentina, o ônibus estava cheio de muambeiros e a aduana estava fiscalizando todos os ônibus.

 

DIA 09/11/2016 QUARTA-FEIRA

Chegamos em Mendoza por voltas das 10:30 h do dia 09/11 e pegamos um taxi (35 ARS) para o Hotel San Martin (recomendadíssimo), na Plaza Independencia. Pagando em dólares eles me deram isenção do IVA.

Como chegamos tarde os passeios que programei e reservei para esse dia estavam perdidos, então resolvemos ficar passeando em Mendoza. Fui na SIXT (recomendo) para acertar o aluguel do carro que eu havia reservado pela internet. Deixamos o carro no estacionamento do hotel e fomos conhecer a pé as praças do centro de Mendoza, depois pegamos o carro e fomos ao Parque General San Martin e Cerrro de la Glória. Durante o passeio paramos na Perin para tomar um sorvete, muito bom. Mendoza é realmente uma bela cidade, muito bem arborizada. No retorno do parque passamos na cafeteria Via Civit para um lanchinho (vale a pena).

À noite fomos ao Anna Bistrô, recomendo, bom custo benefício.

 

DIA 10/11/2016 QUINTA-FEIRA

Esse dia eu havia reservado para ir ao Parque Aconcágua, mas como havia perdido o passeio do dia anterior às vinícolas de Maipu, fomos tentar visitar essas vinícolas. Fizemos todos os passeios de carro, usando o waze e google maps, encontramos todas as bodegas sem problemas.

Domaine Saint Diego – Tentamos, mas sem reserva eles não permitiram a visita, então entrei apenas pra comprar uma garrafa do vinho Paradigma que eu queria experimentar, e realmente vale a pena. Dali seguimos para a CarinaE.

CarinaE – Fizemos apenas a degustação de vinhos e do azeite, muito bom também. Fomos atendidos pela filha dos donos e gostamos muito, pois acabou sendo uma degustação privada. Destaque para o colheita tardia deles.

Olivícola Laur – Em frente a CarinaE tem a Olivícola Laur, então passamos lá pra conhecer a produção de azeites e vinagre balsâmico e fazer a degustação. Interessante a visita e a degustação eles servem patê de azeitonas, tomates secos e claro, azeites e vinagre balsâmico. Vale muito a pena. Compramos um azeite e um balsâmico muito bons.

Benegas Lynch - Chegamos na Benegas sem reserva, mas fomos muito bem recebidos pelo simpático Ramiro que fala português e nos explicou muito sobre a bodega e os vinhos. acabou sendo uma degustação privada e pudemos provar inclusive um Cabernet Franc que eles ainda vão lançar no mercado. Como compramos vinho ele não cobrou a degustação. Ramiro nos deu a dica de almoço na Tierras Altas, então fomos lá.

Tierras Altas – Chegamos por volta do meio dia na Tierras Altas, mas como havíamos comido um pouco na Laur, estávamos sem fome, então conversamos com o pessoal e ficamos passeando pela bodega. O ambiente é bem legal com um perfume delicioso dos jasmins que têm por lá, o atendimento foi excelente e a comida estava muito boa. Pedi um menu de 3 passos por 440 ARS e minha esposa pediu um menu de 3 passos de petiscos, os vinhos são bons, bem como o azeite. Vale muito a pena um almoço lá.

Família Zuccardi – Como estávamos sem programação resolvemos ir até a Zuccardi, mas ficamos apenas na loja, não fizemos degustação de vinhos, apenas do azeite e compramos uns pequenos.

À noite fomos jantar no Francis Malmann 1884, é caro, mas os pratos são bem servidos e daria até pra pedir apenas um prato e dividir.

 

DIA 11/11/2016 SEXTA-FEIRA

Acordamos tomamos o café da manhã no hotel, poucas opções, mas umas medialunas deliciosas.

Chandon – Começamos o dia com uma visita à Chandon onde fizemos a visita para conhecer a produção dos espumantes que não conhecíamos e a degustação. A guia muito simpática falava bem o português e tornou a visita bem agradável. A bodega tem um jardin bem bonito.

Belasco de Baquedano – Fizemos a visita, pois apesar de já conhecermos a produção de vinhos eu queria conhecer a sala de aromas. Acabou sendo uma visita privada, apenas eu e minha esposa. A guia foi bem simpática e após a visita fizemos a degustação e compramos um vinho.

Lagarde – Na Lagarde apenas almoçamos. Escolhemos o menu de 3 passos (550 AR$) e eu pedi um up-grade dos vinhos, assim provamos 6 vinhos diferentes. Recomendo muito o almoço na Lagarde, os restaurante tem mesas embaixo de duas amoreiras, que estavam carregadas de amoras maduras, tornando o ambiente bem agradável e muito bonito. Um garçom te explica cada prato servido e um sommelier te serve e explica os vinhos. Ótimo atendimento e ótima comida. Recomendo muito o almoço na Lagarde

Carmelo Patti – Imperdível. Saindo da Lagarde, seguindo algumas quadras na mesma rua você encontra a bodega Carmelo Patti, é uma bodega bem pequena, mas com grandes vinhos. Fiz a visita sozinho, pois minha esposa ficou dormindo no carro. A guia da visita foi a filha de Sr. Carmelo e depois fomos pra degustação com o Sr. Carmelo que dá boas dicas sobre vinhos e é muito simpático, ficamos batendo papo durante um bom tempo. Comprei 2 vinhos com ele e ele ainda assinou uma garrafa.

À noite fomos jantar no Maria Antonieta e gostamos muito.

 

DIA 12/11/2016 – SÁBADO

Saímos cedo para irmos ao Vale de Uco que fica a mais de 100 km de Mendoza.

O. Fournier – Chegamos por volta das 09:30 h na O. Fournier e a visita acabou sendo privada, só eu e minha esposa. A bodega é muito bonita com uma bela vista para a cordilheira. A guia foi bem simpática e a visita foi interessante para conhecer uma bodega com um sistema moderno de produção.

La Azul – Saímos da O. Fournier direto para a La Azul, onde havíamos reservado o almoço. O almoço foi um menu de 5 passos (560 AR$), a comida e os vinhos eu achei apenas razoável, acho que não vale apena. A vista é bem bonita, mas não achei que vale a pena.

Depois da La Azul decidimos voltar pra Mendoza para ir ao Festival gastronômico Conboca que estava acontecendo em Maipu (Arena Maipu), onde fizemos uma degustação de vinhos da Casa El Enemigo e bebemos uma cerveja com mel e comemos um pouco. Depois fomos gastar os Pesos que nos sobraram comprando vinhos no Carrefour.

 

DIA 13/11/2016

Saímos do hotel cedo e pegamos um táxi (40 AR$) até a rodoviária.

Viajamos pela ANDESMAR, compramos as passagens pelo site e escolhemos as primeiras cadeiras do piso superior, na hora do embarque a numeração das poltronas era diferente, por sorte o casal que havia comprado duas poltronas no piso inferior, mas pela mudança ficariam nas da frente, nos deixou ficar ali. A vista é realmente belíssima durante todo o caminho até Santiago. A viagem foi mais rápida que a vinda, pois ficamos apenas 2 horas na aduana chilena. Ali nossa preocupação era a quantidade de vinhos que pela lei chilena deve ser de no máximo 3 garrafas por pessoa, mas já haviam dito que na prática os fiscais deixam passar bem mais e realmente passamos com umas 10 garrafas.

Chegamos no Terminal Sur por volta das 16:00 h, atravessamos a rua e chegamos ao nosso hotel, o IBIS Estacion Central, aqui pagando em dólares ou no cartão de crédito você tem isenção de IVA. O entorno do hotel é como de uma rodoviária em qualquer grande cidade do Brasil, cheio de ambulantes e uns caras com cara de malandro, mas nunca me senti inseguro ali, e tem a vantagem de ter o TURBUS pra vir e pra ir pro aeroporto, mesmo com as mochilas cheias e duas caixas de vinho, conseguimos ir de ônibus para o aeroporto sem problemas.

Fizemos o check-in no hotel, deixamos as mochilas e saímos para comer alguma coisa. Acabamos parando no Coquinaria, mistura de restaurante e empório, onde jantamos muito bem, não foi barato, mas vale a pena, entrada, dois pratos, vinho e sobremesa ficou em torno de 60.000 CLP. Dali pensamos em subir o SKY Costanera, mas ficou tarde e ficamos passeando pelo Costanera Center. Minha esposa não dispensa uma visita a H&M, compramos umas roupinhas mais frescas, pois sempre levamos pouca roupa e já estávamos precisando.

Depois eu continuo o relato com os passeios a Valpo, Viña, Isla Negra, Vale de Casablanca, Vale do Colchagua e mais.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Isso Paulo, poste tudo mesmo.

Hoje, aqui em Mendoza troquei o Real por peso pela cotação de R$1,00 / AR$5,10. Em Rosário estava 5,30. ::dãã2::ãã2::'>

Como irei para o Chile amanhã cedinho, já troquei um pouco de peso chileno: R$1,00 = C$182

Na Cambio Express, espejo nº 58, centro. Pediram passaporte.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Legal Jackson

 

Esta informação ajuda muito quem está se programando. Em Santiago a melhor cotação que achei foi na AFEX da Agustinas. Boa viagem

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Estou retornando para a Argentina, cheguei a Mendoza e amanhã irei para Buenos Aires. 1050 Km.

Vai ser pancada.

Hoje, troquei dinheiro. 1 REAL para 5,40 Pesos argentinos. Na cambio express.

O dólar estava US$1 para AR$16,40 na Cambio Santiago.

 

GENTE, NÃO COMPREM DÓLAR NO BRASIL. EU FIZ ISSO E ME FERREI. E olha que ainda comprei quando o turismo estava 3,30.

O Real ta muito valorizado aqui.

Acredito que em Buenos Aires esteja ainda melhor. Mas, como chegarei amanhã depois das 20h e sábado é 24 véspera de feriado, achei melhor cambiar tudo aqui.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sempre foi assim Jackson, por isso sempre posto aqui,porém brasileiros tem mania de PSDB e complexo de vira lata.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Estou retornando para a Argentina, cheguei a Mendoza e amanhã irei para Buenos Aires. 1050 Km.

Vai ser pancada.

Hoje, troquei dinheiro. 1 REAL para 5,40 Pesos argentinos. Na cambio express.

O dólar estava US$1 para AR$16,40 na Cambio Santiago.

 

GENTE, NÃO COMPREM DÓLAR NO BRASIL. EU FIZ ISSO E ME FERREI. E olha que ainda comprei quando o turismo estava 3,30.

O Real ta muito valorizado aqui.

Acredito que em Buenos Aires esteja ainda melhor. Mas, como chegarei amanhã depois das 20h e sábado é 24 véspera de feriado, achei melhor cambiar tudo aqui.

 

Jackson, tanto em Santiago quanto em Mendoza, vc recomenda fazer cambio, então? Ou te referistes ao peso argentino apenas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Os dois cara. Com certeza. A não ser que no Brasil você consiga comprar por mais que isso.

Peso chileno em Santiago estava entre 190 e 195.

Peso argentino em Mendoza estava 5,40 ontem.

 

Vi que o real valorizou essa semana com relação ao dólar.

 

Cheguei em Buenos Aires ás 19h de hoje. Encontrei um casal de brasileiro que cambiou no buquebus e fizeram por 1 real = 3,80 pesos. ABSURDO. Acredito que em Aeroporto seja igual.

 

Outra coisa: NÃO troque na primeira casa de cambio que encontrar. Geralmente tem 3, 4 as vezes mais de 5 casas de cambio. Em Santiago, na Providência tinha 9 casas de cambio uma do lado da outra.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Blz, valeu Jackson. Em Santiago, prefiro as casas de cambio da Calle Huerfanos.

Espero que até o carnaval o real se valorize mais, assim terei mais poder de comprar.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Fala Jackson. Em mendoza onde você fez o cambio?

 

vce provavelmente já voltou, mas lembro de ter trocado numa galeria na av. san martin, acho que entre as calles garibaldi e catamarca

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Fiz um relato da minha viagem a mendoza e coloquei num novo tópico.

 

Mendoza e Santiago - novembro/2016

 

abaixo segue a parte de Mendoza

 

Olá mochileiros

 

Vou fazer o relato da viagem que fiz a Mendoza e Santiago de 08 a 24/11/2016. Espero que possa ajudar no planejamento de vocês.

DIA 08/11/2016 TERÇA-FEIRA

Chegamos em Santiago às 17:15 h e cambiei reais ali no aeroporto para pagar o ônibus TURBUS (1.700 CLP), pegamos o ônibus das 17:40 h, e como eu queria chegar ao centro antes das 19:00 h, saltamos na estação Pajaritos e pegamos o metrô até a estação Universidad de Chile, consegui chegar na AFEX da rua Agustinas antes das 19:00 h e troquei reais por pesos argentinos, as cotações estavam 1 real = 208 pesos chilenos , 1 peso argentino = 42 pesos chilenos, então no final 1 real = 4.95 AR$, como tinha ouvido falar que o câmbio paralelo em Mendoza estava 1 real = 4.54 AR$, troquei logo tudo ali mesmo.

Resolvido isso, pegamos o metrô até a estação Universidad de Santiago e nos dirigimos ao terminal sur de onde saiu nosso ônibus para Mendoza. Ao lado deste terminal existe outro terminal o Alameda, onde há um banheiro com ducha limpíssimo (3.900 CLP, com direito a sabonete, shampoo, toalha, pente), onde tomamos banho. Fecha às 21:00 h, mas precisa chegar até as 20:30, pois chegamos as 20:45 h e a funcionária quase não nos deixa entrar.

O ônibus saiu na hora, fomos pela Andesmar, a viagem foi horrível, pois ficamos 06 horas na aduana da Argentina, o ônibus estava cheio de muambeiros e a aduana estava fiscalizando todos os ônibus.

 

DIA 09/11/2016 QUARTA-FEIRA

Chegamos em Mendoza por voltas das 10:30 h do dia 09/11 e pegamos um taxi (35 ARS) para o Hotel San Martin (recomendadíssimo), na Plaza Independencia. Pagando em dólares eles me deram isenção do IVA.

Como chegamos tarde os passeios que programei e reservei para esse dia estavam perdidos, então resolvemos ficar passeando em Mendoza. Fui na SIXT (recomendo) para acertar o aluguel do carro que eu havia reservado pela internet. Deixamos o carro no estacionamento do hotel e fomos conhecer a pé as praças do centro de Mendoza, depois pegamos o carro e fomos ao Parque General San Martin e Cerrro de la Glória. Durante o passeio paramos na Perin para tomar um sorvete, muito bom. Mendoza é realmente uma bela cidade, muito bem arborizada. No retorno do parque passamos na cafeteria Via Civit para um lanchinho (vale a pena).

À noite fomos ao Anna Bistrô, recomendo, bom custo benefício.

 

DIA 10/11/2016 QUINTA-FEIRA

Esse dia eu havia reservado para ir ao Parque Aconcágua, mas como havia perdido o passeio do dia anterior às vinícolas de Maipu, fomos tentar visitar essas vinícolas. Fizemos todos os passeios de carro, usando o waze e google maps, encontramos todas as bodegas sem problemas.

Domaine Saint Diego – Tentamos, mas sem reserva eles não permitiram a visita, então entrei apenas pra comprar uma garrafa do vinho Paradigma que eu queria experimentar, e realmente vale a pena. Dali seguimos para a CarinaE.

CarinaE – Fizemos apenas a degustação de vinhos e do azeite, muito bom também. Fomos atendidos pela filha dos donos e gostamos muito, pois acabou sendo uma degustação privada. Destaque para o colheita tardia deles.

Olivícola Laur – Em frente a CarinaE tem a Olivícola Laur, então passamos lá pra conhecer a produção de azeites e vinagre balsâmico e fazer a degustação. Interessante a visita e a degustação eles servem patê de azeitonas, tomates secos e claro, azeites e vinagre balsâmico. Vale muito a pena. Compramos um azeite e um balsâmico muito bons.

Benegas Lynch - Chegamos na Benegas sem reserva, mas fomos muito bem recebidos pelo simpático Ramiro que fala português e nos explicou muito sobre a bodega e os vinhos. acabou sendo uma degustação privada e pudemos provar inclusive um Cabernet Franc que eles ainda vão lançar no mercado. Como compramos vinho ele não cobrou a degustação. Ramiro nos deu a dica de almoço na Tierras Altas, então fomos lá.

Tierras Altas – Chegamos por volta do meio dia na Tierras Altas, mas como havíamos comido um pouco na Laur, estávamos sem fome, então conversamos com o pessoal e ficamos passeando pela bodega. O ambiente é bem legal com um perfume delicioso dos jasmins que têm por lá, o atendimento foi excelente e a comida estava muito boa. Pedi um menu de 3 passos por 440 ARS e minha esposa pediu um menu de 3 passos de petiscos, os vinhos são bons, bem como o azeite. Vale muito a pena um almoço lá.

Família Zuccardi – Como estávamos sem programação resolvemos ir até a Zuccardi, mas ficamos apenas na loja, não fizemos degustação de vinhos, apenas do azeite e compramos uns pequenos.

À noite fomos jantar no Francis Malmann 1884, é caro, mas os pratos são bem servidos e daria até pra pedir apenas um prato e dividir.

 

DIA 11/11/2016 SEXTA-FEIRA

Acordamos tomamos o café da manhã no hotel, poucas opções, mas umas medialunas deliciosas.

Chandon – Começamos o dia com uma visita à Chandon onde fizemos a visita para conhecer a produção dos espumantes que não conhecíamos e a degustação. A guia muito simpática falava bem o português e tornou a visita bem agradável. A bodega tem um jardin bem bonito.

Belasco de Baquedano – Fizemos a visita, pois apesar de já conhecermos a produção de vinhos eu queria conhecer a sala de aromas. Acabou sendo uma visita privada, apenas eu e minha esposa. A guia foi bem simpática e após a visita fizemos a degustação e compramos um vinho.

Lagarde – Na Lagarde apenas almoçamos. Escolhemos o menu de 3 passos (550 AR$) e eu pedi um up-grade dos vinhos, assim provamos 6 vinhos diferentes. Recomendo muito o almoço na Lagarde, os restaurante tem mesas embaixo de duas amoreiras, que estavam carregadas de amoras maduras, tornando o ambiente bem agradável e muito bonito. Um garçom te explica cada prato servido e um sommelier te serve e explica os vinhos. Ótimo atendimento e ótima comida. Recomendo muito o almoço na Lagarde

Carmelo Patti – Imperdível. Saindo da Lagarde, seguindo algumas quadras na mesma rua você encontra a bodega Carmelo Patti, é uma bodega bem pequena, mas com grandes vinhos. Fiz a visita sozinho, pois minha esposa ficou dormindo no carro. A guia da visita foi a filha de Sr. Carmelo e depois fomos pra degustação com o Sr. Carmelo que dá boas dicas sobre vinhos e é muito simpático, ficamos batendo papo durante um bom tempo. Comprei 2 vinhos com ele e ele ainda assinou uma garrafa.

À noite fomos jantar no Maria Antonieta e gostamos muito.

 

DIA 12/11/2016 – SÁBADO

Saímos cedo para irmos ao Vale de Uco que fica a mais de 100 km de Mendoza.

O. Fournier – Chegamos por volta das 09:30 h na O. Fournier e a visita acabou sendo privada, só eu e minha esposa. A bodega é muito bonita com uma bela vista para a cordilheira. A guia foi bem simpática e a visita foi interessante para conhecer uma bodega com um sistema moderno de produção.

La Azul – Saímos da O. Fournier direto para a La Azul, onde havíamos reservado o almoço. O almoço foi um menu de 5 passos (560 AR$), a comida e os vinhos eu achei apenas razoável, acho que não vale apena. A vista é bem bonita, mas não achei que vale a pena.

Depois da La Azul decidimos voltar pra Mendoza para ir ao Festival gastronômico Conboca que estava acontecendo em Maipu (Arena Maipu), onde fizemos uma degustação de vinhos da Casa El Enemigo e bebemos uma cerveja com mel e comemos um pouco. Depois fomos gastar os Pesos que nos sobraram comprando vinhos no Carrefour.

 

DIA 13/11/2016

Saímos do hotel cedo e pegamos um táxi (40 AR$) até a rodoviária.

Viajamos pela ANDESMAR, compramos as passagens pelo site e escolhemos as primeiras cadeiras do piso superior, na hora do embarque a numeração das poltronas era diferente, por sorte o casal que havia comprado duas poltronas no piso inferior, mas pela mudança ficariam nas da frente, nos deixou ficar ali. A vista é realmente belíssima durante todo o caminho até Santiago. A viagem foi mais rápida que a vinda, pois ficamos apenas 2 horas na aduana chilena. Ali nossa preocupação era a quantidade de vinhos que pela lei chilena deve ser de no máximo 3 garrafas por pessoa, mas já haviam dito que na prática os fiscais deixam passar bem mais e realmente passamos com umas 10 garrafas.

Chegamos no Terminal Sur por volta das 16:00 h, atravessamos a rua e chegamos ao nosso hotel, o IBIS Estacion Central, aqui pagando em dólares ou no cartão de crédito você tem isenção de IVA. O entorno do hotel é como de uma rodoviária em qualquer grande cidade do Brasil, cheio de ambulantes e uns caras com cara de malandro, mas nunca me senti inseguro ali, e tem a vantagem de ter o TURBUS pra vir e pra ir pro aeroporto, mesmo com as mochilas cheias e duas caixas de vinho, conseguimos ir de ônibus para o aeroporto sem problemas.

Fizemos o check-in no hotel, deixamos as mochilas e saímos para comer alguma coisa. Acabamos parando no Coquinaria, mistura de restaurante e empório, onde jantamos muito bem, não foi barato, mas vale a pena, entrada, dois pratos, vinho e sobremesa ficou em torno de 60.000 CLP. Dali pensamos em subir o SKY Costanera, mas ficou tarde e ficamos passeando pelo Costanera Center. Minha esposa não dispensa uma visita a H&M, compramos umas roupinhas mais frescas, pois sempre levamos pouca roupa e já estávamos precisando.

Depois eu continuo o relato com os passeios a Valpo, Viña, Isla Negra, Vale de Casablanca, Vale do Colchagua e mais.

Olá, você poderia me informar o valor da passagem de Santago para Mendoza?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pessoal, desculpem se isso já foi respondido...

 

É melhor comprar as passagens Santiago/Mendoza pela internet ou melhor comprar la em Santiago, dias antes?

Já comprei passagens para região sul direto lá e consegui bons preços.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Pessoal, desculpem se isso já foi respondido...

 

É melhor comprar as passagens Santiago/Mendoza pela internet ou melhor comprar la em Santiago, dias antes?

Já comprei passagens para região sul direto lá e consegui bons preços.

 

não sei se os preços mudam assim, nao. tem diferença de uma companhia para outra.

 

entra no site das companhias e dá uma olhada nos assentos disponiveis. em http://www.plataforma10.com.ar/ dá pra ver preço, horario, itinerario e disponibilidade de varias cias ao mesmo tempo. aí vce tem certeza se vai rolar de comprar na hora, se vai ter passagem pra vender, e nao dá voo na rodoviária à toa, saca?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Pessoal, desculpem se isso já foi respondido...

 

É melhor comprar as passagens Santiago/Mendoza pela internet ou melhor comprar la em Santiago, dias antes?

Já comprei passagens para região sul direto lá e consegui bons preços.

Impossível comprar pela net sem RUT,o CPF chileno.Apenas presencialmente na turbus,que é a empresa que faz.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Pessoal, desculpem se isso já foi respondido...

 

É melhor comprar as passagens Santiago/Mendoza pela internet ou melhor comprar la em Santiago, dias antes?

Já comprei passagens para região sul direto lá e consegui bons preços.

 

não sei se os preços mudam assim, nao. tem diferença de uma companhia para outra.

 

entra no site das companhias e dá uma olhada nos assentos disponiveis. em http://www.plataforma10.com.ar/ dá pra ver preço, horario, itinerario e disponibilidade de varias cias ao mesmo tempo. aí vce tem certeza se vai rolar de comprar na hora, se vai ter passagem pra vender, e nao dá voo na rodoviária à toa, saca?

 

Obrigado Raphael.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Por paulodasilva
      Boa tarde amigos, venho relatar aqui a viagem de 29 dias que minha namorada e eu fizemos por 4 países. Depois de muito pesquisar aqui no site acabamos fazendo o seguinte roteiro:
      Santa Fé, Mendoza, Santiago, La Serena, Antofagasta, San Pedro de Atacama, Iquique, Arequipa, Cusco, Puno, Copacabana, La Paz, Potosí, Uyuni, General Guemes, Alegrete.
      Somos de Porto Alegre e fizemos a trip com um Gol 1.000, sem direção hidráulica mas com um ar condicionado que funciona perfeitamente, chamamos o auto de "El Tanque". No total foram 11.070 Km, 17 hoteis/hostels/pousadas, 4 países, uma infinidade de novos amigos. O custo total ficou por volta de 17 mil reais, 8.500 para cada, levamos 2.900 dólares em espécie.
      Dia 1 - Porto Alegre - Santa Fé
      Saímos de Poa dia 23/12/17 ás 6h da manhã, esse primeiro dia era um dos trechos mais longos da viagem, podem imaginar que quase não dormimos pois estávamos ansiosos para sair, foram alguns meses de planejamento e muitas dúvidas ainda pairavam pois não achei nenhum roteiro completamente igual ao que iríamos fazer. Malas no Tanque, check list feito e chimarrão na mão. Vamos lá!!
      O trajeto Poa até a fronteira muito tranquilo, a aduana estava vazia e foi muito rápido, mostramos passaportes, carta verde e segue o baile. Na Argentina que começaram algumas complicações, assim que entramos na Ruta 14 fomos parados pela polícia, uns sujeitos com roupas de milicianos nos pediram documentos e para ver o extintor de incêndio, então disseram que o mesmo estava vencido, na verdade ele venceria 31/12. Um dos sujeitos me levou para uma sala uns 200m do carro e outro ficou com minha namorada na porta do carro, lá dentro inventou mil histórias e tive que desembolsar depois de muito negociar, paguei 20 dólares. Ao longo desse trajeto fomos parados mais 5x, todas as vezes pediram as mesmas coisas e nenhum deles falou que o extintor estava vencido, nessas outras 5 paradas os policiais que nos pararam estavam com coletes verdes e nos pareceram mais "sérios" que aqueles primeiros que tinha roupas de militares e cara de malandro.
      Chegamos em santa fé já era noite e ficamos num hotel que havia reservado pelo booking, no outro dia sairíamos cedo novamente e o trajeto também era longo.
       
      Dia 2 - Santa Fé - Mendoza
      Acordamos cedo novamente e na recepção do hotel encontrei um casal de brasileiros que estavam sem dinheiro porque haviam pago tanta propina na estrada que não sobrou quase nada, então fiquei um pouco mais aliviado por ter sido extorquido apenas 1 vez, pois passei o caminho todo com raiva daqueles primeiros policiais.
      Saímos 7h com destino a Mendoza, lá ficaríamos 2 dias. Aqui algumas considerações: não tínhamos interesse em visitar vinícolas, pode parecer estranho pois a região é propícia, mas a verdade é que no RS acabamos visitando tantas na Serra que acaba que o processo é todo o mesmo; nas vinícolas os preços de vinhos são na maioria das vezes mais caros que no mercado da cidade e pq estaríamos dia 25/12 lá, feriado, então poucas estariam abertas. Nosso estilo de viagem é mais lado B e conhecer pessoas.
      Caminho cansativo, alguns pedágios, mas termina na Ruta 7, aí quase dorme no volante. A estrada toda duplicada e desemboca dentro de Mendoza. Chegamos estava anoitecendo, era noite de natal e estava absolutamente tudo fechado, então acabamos comendo num restaurante bem "pega turista" no centro da cidade, menu de natal que era caro e ruim, mas estávamos cansados mesmo, comemos e fomos dormir.
      Dia 3 - Mendoza
      Finalmente acordamos em um horário "digno" e fomos conhecer a cidade, praças e afins. Como estávamos quase sem Pesos e as casas de câmbio estavam fechadas, resolvi ir sacar dinheiro em um caixa eletrônico, sempre libero meu cartão (débito e crédito) no exterior, assim qualquer aperto consigo dinheiro, eis que a máquina engole meu cartão que "nunca mais voltou" (nessa parte imagina o Tim Maia cantando), fiquei apavorado, era o cartão que levamos com limite mais alto, que seria fundamental em qualquer imprevisto mecãnico, médico ou sei lá o que. Bom, passado a frustração e depois de 10 chutes na máquina fui cancelar o cartão e pensar em plano B. Lembramos que o NuBank vc consegue gerar boletos sempre que quiser, assim poderíamos gerar, pagar e liberar mais crédito sempre que precisasse.
      Resolvido o drama fomos finalmente passear, fomos nas 5 praças menores e no parque da cidade, parque General San MArtin  tem inclusive um estádio de futebol no meio, muitas famílias fazendo assado e tentando diminuir o calor nas sombras do mesmo. Foi muito legal e nos divertimos conhecendo o gigante parque, apenas uma loja de conveniência estava aberta, então compramos vinho, água e alguns petiscos e curtimos o feriado.
      Nota: Numa viagem dessas abridor de garrafas sempre é útil.
       



    • Por Dan Wollker
      acabei de ver online agora... 
      quem acabou de chegar de Buanos Aires ? confere !! o peso vem caindo gradativamente .. estou acompanhando desde outubro!


    • Por trotatorres
      Tópico para troca de informações sobre El Chaltén 
      PARAÍSO DO MONTANHISMO E DO TREKKING...EL CHALTÉN
      Vai encarar uma travessia nos gelos continentais?
      Escalar o mítico Fitz Roy?
      Ou irá caminhar alguns dias pelas trilhas? O seu lugar é aqui!
    • Por carlos.alberto1
      Olá a todos, vou relatndando aqui alguns detalhes dessa trip durante a viagem mas quando chegar vou colocar um relato mais detalhado.
       
      Se alguém tiver alguma dúvida sobre esses trechos que passei, dúvidas sobre essas estradas para montar algum roteiro ou quiser trocar uma ideia pode entrar em contato no e-mail [email protected]
       
      1° dia: saímos de Goiânia as 8 horas da manhã e chegamos em Rondonopolis no MT as 17 horas. Em geral as estradas muito boas, depois de Minérios apenas pista simples além de muitos caminhões pesados. Na cidade tivemos dificuldade para achar um hotel na rodovia mas no centro havia muitas opções. Apesar de um dia cansativo, no final da tarde tivemos uma boa surpresa com o mirante da chapada.

×