Ir para conteúdo

Expedição Patagônia-Atacama de carro pela América do Sul


Posts Recomendados

  • Membros

Este é o relato da minha primeira expedição realizada com ajuda de alguns parceiros. Feita por mim e mais outro fotógrafo ( Djalma Demetrios ).

 

Planejamos essa expedição a mais de 1 ano. Nosso objetivo era fotografar e documentar em videos nossa experiência pela América do sul. Nossa ideia era ficar 50 dias na estrada, mas tivemos que voltar mais cedo ( mais tarde vocês irão entender ).

 

Documentação em mãos ( Seguro carta verde, Autorização do proprietário do veículo - 'meu pai' - e da financiadora e seguro do carro ) marcamos um dia e demos início a nossa primeira expedição de carro pela América. No início ninguém acreditava que dois jovens ( Eu com 22 e Djalma com 25 anos ) pudessem colocar em prática uma expedição dessas. Algumas empresas acreditaram na ideia e nos apoiaram.

 

 

 

 

DIA 1 - Partimos no dia 19 de Março de 2011 de São Bento do Sapucaí-SP às 04:00hs da manhã e seguimos até onde fosse possível. Chegamos por volta das 18:00hs em Engenheiro Beltrão. Cerca de 850km. Total de 12hs de viagem contando com as paradas para fotografar e comer. Arrumamos um hotel para descansar e seguir logo de manhã.

 

DIA 2 - Saímos de Engenheiro Beltrão sabendo que iríamos entrar na Argentina em breve. A expectativa era muito grande ( Afinal era nossa primeira viagem internacional ). Depois de umas 4hs chegamos na fronteira e fomos direto conhecer as Cataratas pelo lado Argentino. FANTÁSTICO! Lugar lindo e as Cataratas nos deram a inspiração que precisávamos para continuar na estrada. Depois das Cataratas seguimos até uma pequena cidade chamada Capioví.

 

DIA 3 - Acordamos bem cedo e seguimos pela estrada até Monte Quemado. Depois de muito calor no Norte Argentino. Tivemos que parar nessa cidadezinha pois estávamos sem dinheiro e o único posto de gasolina que tinha por perto estava sem nada. Então procuramos um hotel para usar o cartão de crédito para descançar e no outro dia seguir até um Carrero ( Caixa eletrônico ) mais próximo.

 

DIA 4 - Conseguimos finalmente retirar dinheiro em Monte Quemado e seguimos até Salta ( Ponto de partida pra quem vai ao Deserto do Atacama ). Ficamos em um Albergue muito bacana e Fizemos vários amigos Franceses e Alemães lá. Como chegamos com tempo de sobra em Salta resolvemos nos preparar e nos organizar antes de seguir para o Atacama.

 

DIA 5 - Acordamos bem cedo com muita expectativa para este dia, pois finalmente iríamos chegar ao Deserto do Atacama. Estava chovendo em Salta, pegamos o carro e seguimos rumo as Cordilheiras. A paisagem começou a mudar drasticamente de seca para muito úmida, cheia de cores e vegetações. Quando começamos a subir a Cordilheira voltou a ficar seca. De repente surgi em nossa frente uma cadeia de montanhas coloridas, de várias cores e enormes. O Cerro Siete Colores. É de impressionar qualquer um. Já tinha ouvido falar neste Cerro, mas não imaginava ser de tamanha beleza. Continuamos subindo....subindo....( e o carro perdendo potência....) até chegar a 5200 metros de altura num determinado ponto. Eu que estava no volante não senti nada, mas meu companheiro Djalma começou a sentir o ''mal de altitude'', afinal estava difícil até mesmo para respirar lá em cima. A temperatura caiu lá em baixo. Nossas blusas, anderwears, luvas e gorros já não estavam mais nas malas. E a paisagem ficou de outro mundo. Toda moldada pelo vento forte e gelado que vinha do Sul. Muitas cores e formas incríveis!!! Fiquei pasmo com tanta beleza intocada pelo homem. Quanto o vento dava uma trégua o silêncio era absoluto. Quando começamos a descer um pouco ( de 5200 para 4000 metros ) passamos pelo salar de Salinas Grandes. Quando fomos atravessar a fronteira tivemos que pagar uma multa ( ou comissão ) por não ter os papéis de migração ( mesmo depois de ouvir milhares de vezes para não esquecer de pegar os papéis quando entrássemos no país acabamos esquecendo ). Lí sobre isso milhares de vezes, mas na hora eu fiquei tão eufórico que me esqueci. 200 pesos de multa!!! Parece pouco, mas iria fazer falta mais pra frente. Depois do problema resolvido finalmente chegamos a San Pedro de Atacama.

Sinceramente não vi graça na cidade em sí. Achei muito confusa. A Aduana fica dentro da cidade. Quase passamos reto rs. E ainda por cima ficamos mais de 1h esperando lá. Depois fomos procurar um lugar pra ficar e resolvemos ficar na Corvatsh. Lugar legal e como tudo no Chile ...Caro!

 

 

 

DIA 6 - Fomos conhecer o Vale de la Luna. Impressionante ter a sensação de estar na lua realmente. o problema é que não tem sinalização nenhuma o parque e quando vimos já estávamos fora dele rs. Fico devendo as fotos do Vale!

 

DIA 7 - Saímos depois do almoço para conhecer a Laguna Seja que fica no meio do Salar do Atacama. Não perdi tempo e mesmo com a temperatura nada agradável para nadar eu resolvi entrar. Foi muito estranho o fato de não se afundar na laguna. Porém muito prazeroso. Curti muito esse dia. Depois fomos ao Vale de la Muerte e Adivinha? nos perdemos de novo nas estradas de terra. Já estava me sentindo um piloto de Rally. Mas depois de muito procurar finalmente achamos e logo voltamos. Pois no dia seguinte iríamos voltar a Salta para continuar a nossa longa jornada rumo a Patagônia.

 

DIA 8 - Voltamos a Salta por Paso Jama ( O lugar é fascinante ) e curtimos novamente as belas paisagens e a altitude. Dessa vez quem voltou dirigindo foi o Djalma e a consequência disso é que foi eu quem passou mal de altitude na volta. Mas depois de mastigar uma coca eu melhorei rs. Chegando em Salta fomos dormir. O dia seguinte seria longo....

'

DIA 9 - De Salta começamos a descer até La Rioja. Mas foi então que a coisa começou a ficar ''feia''. A bomba d'água do carro quebrou e começou a vazar muita água do motor fazendo com que o motor esquentasse muiiiito rápido. Paramos em San Miguel de Tucuman na província de ''Tucuman'' ( Guardem bem esse nome ) para procurar um mecânico. Assim que encontramos o primeiro a vista paramos para arrumar o carro ( afinal não tínhamos a mínina condição de continuar a procurar outro ). Depois de esperar o dia inteiro o cara trocou a Bomba, A correia e um rolamento que segundo ele estava com jogo. Até então tudo bem né. O cara me enrolou direitinho, toda hora que eu perguntava o preço ele se esquivava. Quando fui pagar ( depois de mais de 6hs esperando arrumar o carro ) vi os preços....cerca de 400,00 pesos pelas peças ( normal né ) e depois fui ver o preço da mão de obra.....500,00 pesos!!! o cara se aproveitou que não tínhamos outra opção e meteu a faca. 900,00 pesos a menos na nossa conta. Fazer o que né. Ou pagávamos ou ficaríamos mais uns dias procurando mecânico a pé rs. Pegamos o carro e fomos até uma cidade visinha ( porque tucuman é muito grande ) menor para descançar.

 

DIA 10 - Tomamos um belo de um café e seguimos rumo ao Sul. Dessa vez tentaríamos chegar até Mendoza pra compensar o tempo perdido. ''Doce ilusão''. Depois de andar uns 100km Sem querer entramos na ruta 60 que cortava caminho para mendoza, pois queríamos continuar pela ruta 40. De repende uma blitz de rotina né. Paramos e mostramos os documentos e tudo mais. Ae o policial começou a estorção ( comissão ). Disse que nós não tínhamos um tal de documento de verificação do carro com foto e tudo. Até mostrou uma pasta que solicitava este documento, disse que o carro teria que ficar apreendido e que teríamos que pagar uma multa de 5000,00 pesos em ''Tucuman'' pra poder retirar o carro. Quando percebi que ele estava querendo dinheiro perguntei se ão teria outra forma de continuarmos sem apreender o carro. Claro que ele disse que sim! que se pagássemos 1500,00 pesos a ele poderíamos seguir. Isso não é uma comissão, é um roubo! Não tínhamos esse dinheiro então ele começou a revistar o carro e o filho da *&¨¨% achou 800,00 pesos escondidos na minha mochila e colocou no bolso. Olhou pra gente com a maior cara de pau e disse: Está tudo certo, Pode seguir. Saímos de lá xingando até a mãe do pápa rsrs. *&¨%$. E pra completar nossa felicidade em ''Tucuman'' a correia que o *&¨% do mecânico colocou soltou no meio do deserto a 130km. Ficamos um longo tempo pedindo socorro até um cara chamado Carlos nos rebocou até a cidade de Chepes. Ficamos por lá para achar alguém pra concertar novamente a cagada que o mecânico *&¨% de Tucuman fez. Conhecemos o Ricardo que nos ajudou e arrumou pra gente. Finalmente saímos de ''Tucuman'' e começamos a encontrar gente honesta. Ficamos em Chepes mesmo pra descançar e esfriar a cabeça depois de tanto roubo que sofremos em ''Tucumán''. Maldito lugar!!! Um dia pra ser esquecido.

 

DIA 11 - Seguimos até Mendoza pra ficar por lá e depois ir ao Aconcágua. Mas não achamos nenhum lugar na cidade pra ficar. Cidade grande e fora do nosso contexto de fotografia, então resolvemos ir direto pro Aconcágua ficar por lá. Ficamos em Uspallata. Muito bonita e muito frio.

 

DIA 12 - Fomos ao aconcágua e fizemos algumas fotos na entrada. Mas não entramos porque era pago e como iríamos somente fotografar resolvemos fotografar do lado de fora. Foi um dia muito bacana, o lugar é lindo e o caminho entre as cordilheiras também ( com exceção ao intenso tráfico de caminhões que vão rumo a Santiago ). Voltamos na Ruta 40 e fomos até San Rafael. Ficamos acampados no camping El parador.

 

DIA 13 - De manhã depois de desmontar o acampamento inteiro fomos sair e o carro não ligava....Na hora me veio a cabeça o mecânico de ''Tucumán''. Lá vamos nós novamente atráz de um mecânico. Por sorte a Dona do Camping, A Dona Glasdi nos passou o telefone do mecânico da família e que trabalhou um bom tempo na Ford. Ligamos e no dia seguinte ele veio olhar o carro e nos deu a pior notícia até então: O motor está com uma fissura e vou ter que ratificar ele. Nos mostrou tudo certinho e explicou o porque. A causa disso foi que o mecânico de ''Tucuman'' colocou a bomba errado, Deixando entrar muita água no motor causando assim uma fissura nele. Disse que teria que levar o carro para fazer um orçamento pro dia seguinte. E ae nos deu a notícia que ficaria em 2300,00 pesos e precisaria de uns 8 dias para fazer pois estava cheio de serviço. Conversamos com a Dona do Camping e trocamos fotos por estadia com ela ( muito gente boa ela ). Afinal nosso dinheiro estava contado depois de tantos imprevistos. Ficamos os 8 dias esperando o carro.....8 dias acampados...

 

DIA 21 - Depois de 8 dias o carro finalmente ficou pronto. Durante esse tempo fizemos uma amizade muito grande com toda família da Dona Glasdi. Nos ajudarão em tudo. Comida, hospedagem, dicas, mapas e tudo mais. Grandes amigos!!!Nos despedimos deles como se fossem nossa própria família e certos de que o carro não daria mais problemas, pois o Luiz ( mecânico de verdade) era muito profissional. Pé na estrada pra compensar o tempo perdido.... ( Daqui pra frente teríamos que economizar o máximo possível pra poder completar a expedição ). Seguimos até Chos Malal.

 

DIA 22 - Depois de ficar acampados em Chos Malal seguimos para Bariloche. O lugar é lindo e cheio de montanhas e lagos. Infelizmente a cidade não foi feita para mochileiros. Tudo muito caro e fora dos nossos padrões atuais. Então passamos a cidade e acampamos uns 20km adiante. Ficamos decepcionados com a cidade.....Nosso objetivo era fotografar culturas, paisagens e singularidades de cada região, mas percebemos que a Cidade de Bariloche em sí não é nada interessante. O interessante mesmo é o seu redor. As montanhas e lagos. E foi isso que fizemos. Acampamos no meio do mato. Demais!!! Daqui pra frente seria assim!

 

DIA 23 - Estávamos tão preocupados com a nossa grana que nem ficamos em Bariloche mais um dia e seguimos direto para Comodoro Rivadavia. 11hs depois chegamos e fomos acampar para descançar e no outro dia seguir novamente.

 

DIA 24 - De Comodoro Fomos a Rio Gallegos. Mais 12hs de Viagem e muiiiita chuva. A Temperatura já estava lá em baixo.

 

DIA 25 - Acordamos bem cedo em Rio Gallegos e estava muiiito frio. O maior frio até então...-8 graus e a Barraca estava toda congelada. Imagina a sensação de acampar nessas condições. Ainda bem que estávamos muito bem equipados. Pegamos o carro e seguimos com o coração a mil. Sabíamos que nesse dia chegaríamos finalmente a Terra do Fogo!!!. Seguimos até entrar no Chile e depois pegar o Ferry para atravessar o estreito de magalhães. O vento era muito gelado e deixava a sensação termica insuportável do lado de fora do ferry. Depois de atravessar o etreito seguimos alguns km de rípio até chegar a Argentina novamente. E seguimos fotografando e andando. O lugar é de outro mundo. As cores e a sensação aqui não tem iguais. Fiquei absmado com tamanha beleza. Quando chegamos em Toulhin ( um pouco antes de Ushuaia ) vimos que estava nevando nas cordilheiras que levam a Ushuaia e como já estava escurecendo resolvemos ficar por lá mesmo antes de chegar ao Fim do mundo.

 

DIA 26 - Saímos um pouco mais tarde e seguimos pela cordilheira que leva até Ushuaia. Estava toda branca e cheia de neve. Nossa sorte é que a estrada estava com pouca neve e não necessitava de correntes ( pois não tínhamos ). Chegando em Ushuaia a sensação de bem estar logo começou a pairar. A cidade é linda, cheia de montanhas cobertas por neve, um frio gostoso, um clima perfeito para descansar e curtir. Aqui não teríamos condições de acampar, senão iríamos morrer de frio rs. Ficamos num albergue bem legal chamado Torre Al Sur. Bem no centro e muito aconchegante com internet e tudo. Loca bom pra fazer amizades com outros mochileiros do mundo todo. Pagamos mais barato aqui no albergue( com água quente, internet, camas, café da manhã, biblioteca e tudo ) do que no camping em Bariloche rs. Isso talvez tenha influenciado meu modo de ver Bariloche.

 

DIA 27 - Saímos a pé para fazer um roteiro cultural da região entre museus e galerias de arte. História riquíssima de Ushuaia.

 

DIA 28 - Ficamos a pé pela cidade fotografando. Nunca tinha me sentido tão em lugar nenhum como me senti aqui.

 

DIA 29 - Fomos ao Cerro Martial. Estava nevando lá e tinha bastante neve ( não o suficiente para esquiar ). Muito vento e frio. Temperatura lá em cima estava -14 graus. Por isso ficamos pouco tempo lá em cima e logo descemos. Voltamos para o Albergue tomar um banho quente e café rsr

 

DIA 30 - Fomos ao parque Nacional Terra do Fogo. Mas infelizmente cobram 70 pesos por pessoa para entrar e como não tínhamos dinheiro ficamos ali por perto fotografando. Fiquei decepcionado e logo me veio aquela vontade de voltar até ''Tucuman'' pra me vingar do mecânico e do policial rs. Mas eu estava a mais de 4000km de distância. Tinha que pensar agora era na volta, pois nosso dinheiro estava quase zerado.

 

DIA 31 - Mais um dia de fotos na cidade de Ushuaia. Incrível a cidade toda. Se pudesse ficaria por lá minha vida toda.

 

DIA 32 - Acordamos bem cedinho e fomos para Puerto Natales no Chile conhecer o parque nacional Torres del Paine. E mais uma vez a chatisse de ficar atravessando fronteira Argentina-Chile.... Chile Argentina. Chegamos de noite em Puerto Natales e ficamos na casa da Dona Gabriela. Uma senhoria muito gente boa que nos recebeu por lá.

 

DIA 33 - Fomos ao Parque Torres del Paine e chegamos em baixo de um dilúvio. Muita chuva e tempo fechado. Não conseguimos se quer ver um palmo a nossa frente dentro do parque. Arriscamos até um trekking no lado Grey embaixo de muita água rsrs. Nada de foto nesse dia. Então resolvemos acampar dentro do parque para ver se no dia seguinte daríamos sorte. montamos a barraca com a temperatura de -8 graus e muita chuva com um pouco de neve. Fizemos uma fogueira para não congelar.

 

DIA 34 - Por sorte ( Talvez ) o dia estava com o tempo sem chuva porém não totalmente limpo. Mas conseguimos fotografar as montanhas que dão nome ao parque sem dificuldade.

ficamos a parte a manhã no parque e a tarde seguimos para El Cafalate ( novamente na Argentina ).

 

DIA 35 - Nesse dia não sei se foi pelo cansaço ou pela temperatura que ficou mais amena, mas dormi como nunca! Nem senti mais o frio. Fizemos um café no nosso fogareiro e seguimos para o Glaciar Perito Moreno. Eu estava muito ansioso. Chegando lá deixamos o carro no estacionamento, pegamos uma condução que nos levar a o começo das escadas que dão acesso ao glaciar. A temperatura estava de boa lá 6 graus. Coloquei apenas uma fleece e fui. estava de sol e o tempo aberto. Bom pra fotografar. Mas confesso que fiquei decepcionado, pois já tinha me acostumado a andar no meio do mato, subir montanhas e tudo mais. No Glaciar não se pode ultrapassar as escadas. eu queria descer e correr o risco pra conseguir uma foto melhor, um ângulo diferente. Achei o Glaciar muito turístico e manipulado. Você vai aonde eles te deixam ir somente. É lindo, porém pra mim achei muito cômodo fotografar das escadas. Eu como fotógrafo gostaria de chegar mais perto, ir a lugares onde minha fotografia seria melhor enquadrada. A única opção era fazer o trekking pelo glaciar. Talvez minha visão fosse outra com o trekking. Mas sem grana nada se faz no mundo né. Fiquei triste com isso. Meu sonho ainda é fazer este trekking. Depois de algumas horas admirando o tamanho e o barulho que faz quando trinca o gelo voltamos para estrada sem perder tempo. Cortamos caminho por uma estrada de rípio até chegar novamente a Ruta 9.

 

DIA 35 - Foram mais 4 dias dormindo dentro do carro e dirigindo cerca de 16hs por dia até chegar novamente a nossa cidade. Chegamos aqui com apenas 70 reais que sobraram.

 

Uns dizem que foi loucura. Eu acho que foi a vontade de viver. Encerro aqui meu post sobre a expedição. Apesar de longo foi bem resumido rs.

 

Qualquer dúvida, sugestão ou crítica será bem vinda e respondida assim que possível. Da mesma maneira que tirei informação do site agora pretendo ajudar também.

Pois perrengue e dificuldades eu sei muito bem como é kkkkk.

Abraços a todos .

 

Agradecimento especial a THULE - SOLO - SOL SPORTS.

 

 

 

 

20110511122404.jpg

Nosso Carro

20110511122516.jpg

Parque Nacional Torres del Paine

20110511122536.jpg

Parque Nacional Torres del Paine

20110511122719.jpg

Parque Nacional Torres del Paine

20110511122848.jpg

Parque Nacional Torres del Paine

20110511122934.jpg

Parque Nacional Torres del Paine

20110511123018.jpg

Glaciar Perito Moreno

20110511123049.jpg

Glaciar Perito Moreno

20110511123121.jpg

Glaciar Perito Moreno

20110511123229.jpg

Glaciar Perito Moreno

20110511123257.jpg

Cerro Siete Colores

20110511123336.jpg

Cordilheira dos Andes

20110511123403.jpg

Argentina

20110511123432.jpg

Salar Salinas Grandes ( eu )

20110511123532.jpg

Salar Salinas Grandes ( Djalma )

20110511123600.jpg

Altiplâno Chileno

20110511123643.jpg

Retas....

20110511123708.jpg

Retas........

20110511123733.jpg

E mais retas....

20110511123759.jpg

Altiplâno Chileno

20110511123823.jpg

Altiplâno Chileno

20110511123844.jpg

Altiplâno Chileno

20110511123906.jpg

Altiplâno Chileno

20110511123932.jpg

Monte Olivia ( Ushuaia )

20110511124004.jpg

Ushuaia

20110511124026.jpg

Ushuaia

20110511124050.jpg

Ushuaia

20110511124115.jpg

Ushuaia

20110511124141.jpg

Ushuaia

20110511124159.jpg

Ushuaia

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Respondendo a Pergunta do Ram sobre os filtros.

 

Usei em todas as fotos um polarizador sim. Somente na foto de torres del paine eu usei um filtro degradê roxo. Fora isso foram correções de contraste e saturação que fiz no lightoom.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 ano depois...

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...