Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Entre para seguir isso  
Hernan Aldunate

Américas por acaso! Estados Unidos, México, Colômbia e Perú

Posts Recomendados

Ola friends,

 

Segue um relato de viajem que fiz recentemente pelas Américas. Na verdade o propósito foi trabalho mas como o sangue mochileiro corre nas veias acabei aproveitando a oportunidade e fazendo um pequeno tour por alguns países que ainda não conhecia. Enfim...

 

A empresa pela qual trabalho está localizada (matriz) em Houston no Texas, Estados Unidos e conforme citado acima o propósito da mesma foi um trampo a ser feito la em Houston.

 

Saí de São Paulo numa tarde de Sexta-feira final de Agosto voo direto até Houston e pago pela empresa claro, o que é melhor ainda rs rs. Em Houston cheguei bem cedinho e após toda a burocracia e demora para sair de um aeroporto americano me deparo com um verdadeiro forno ao ar livre quando cruzei o portão de saída para fora do aeroporto. 43 graus e sem praia, calor seco! Houston tem um clima terrível nessa época do ano (verão deles) e confesso que só senti a mesma sensação em Asunción, Paraguai uma vez em que lá estive também na época de verão (do nosso hemisfério nesse caso). Enfim, peguei um taxi ate o Hotel e nesse caso como eu estava pela empresa não tive muito o que me preocupar em termos de grana. Mas aí vai a dica caso alguem passe por lá mochilando. Houston não se usa praticamente nenhum transporte além de carro e muito menos se anda nas ruas (verdadeiras rodovias). Um taxista definiu muito bem essa relação com a seguinte frase "a man in Houston without a car is just like a man without his dick". Portanto carro é necessário e sem dúvida alugar sai mais barato alem de não ter que depender da boa vontade dos taxistas de lá que sempre atrasam ou até mesmo te largam esperando e não aparecem quando vc chama. Horrível o serviço de taxi por lá.

 

Após check in no Residence Inn (do grupo marriot) fui para o rolê na cidade. Adivinha como? De carro, por motivos citados acima. Em pleno Sabado comecei pelo Downtown que mais parecia uma cidade fantasma ou cidade dos carros. Impressionante como não vi absolutamente ninguem caminhando pelas ruas. É o sistema americano sim, ja tinha visto isso em Chicago por exemplo, mas Houston e demasiadamente sem emoção. Visitei um tal de Aquarium downtown que tinha la algum interesse e percorri o centro. Tambem estive num estádio de football (que mais parecia um shopping center) e tentei achar algum ponto de interesse por lá. Porém sem sucesso. Um lugar bem, mais bem meia boca e que se depender de mim não voltaria mais para lá a não ser por força de trabalho (recomendo o mesmo para quem pensar em ir para lá caso esteja nos EUA). Vai perder tempo.

 

Já no segundo dia saí de la e rodei pela grande Houston para visitar a Nasa, um passeio mais interessante que o dia anterior e tambem aproveitei para conhecer o Golfo do México. Esse foi o fim de semana em Houston e seguramente já foi muito pois o lugar não oferece praticamente nenhum atrativo e principalmente não tem emoção o que não combina com mochileiros. Vale destacar que os preços eu achei bem razoáveis e meio que pau a pau com São Paulo por exemplo, se bem que dolar deu uma subida agora mas na época há 2 meses atras estava baixo. Enfim, pouco posso dizer de Houston só me restou trampar a semana inteira e aguardar o fim se semana que certamente ja estava definido: "fora de Houston"! Durante essa semana, vale destacar que deu para ver bem a força mexicana e latina em geral por lá e ouso a dizer, se vc estiver por aquelas bandas e não falar ingles ou seu ingles for zuado, não ser preocupe pois o espanhol funciona bem nessa região do Texas.

 

Enfim, chegou a nossa santa sexta-feira e era hora de fazer algo no fim de semana. A idéia original era New York mas um tal de furação Irene atingiu a costa americana inclusive New York o que me fez mudar de planos. Troquei York por Orleans e New Orleans, a cidade dos blues e do jazz, famosa infelizmente tambem por ter sido devastada há uns 6 anos pelo Katrina e conhecida também por ser a cidade dos negros americanos.

 

Mas antes vamos encerrar a sessão Houston com o video abaixo que vcs poderão ter uma idéia de tudo o que foi relatado acima.

 

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Movin´on... Deu um gas no trampo nessa sexta-feira para sair mais cedo e fui de carro de Houston para New Orleans. É praticamente uma viajem de Curitiba a São Paulo ou São Paulo ao Rio de Janeiro porém nesse caso com rodovias bem melhores em todos os sentidos o que acaba fazendo a viajem bem menos cansativa. Dirigir pelas estradas do Texas foi interessante, pareceia estar vivendo aqueles filmes de suspense que vc dirige naquelas estradas e de repente vem o caminhoneiro assassino te perseguindo rs rs rs enfim... não houve nada disso graças a Deus mas me lembrei dos filmes. Cruzei o estado do Texas e atigi a Lousiana onde está New Orleans, chegando lá já no final da noite, porém inicio do agito por lá. Check in no Hotel, e rua pois a noite só estava começando e que noite bacana por lá diga-se de passagem.

 

New Orleans é uma cidade turistica e portanto trombei com vários europeus e latinos (inclusive brazucas). Na bourbon street a coisa ferve, cheia de bares, shows de jazz nas ruas proporcionados pelo povo local e ao contrario da cidade fantasma de Houston, lá a moçada invade as ruas é o clima é bem divertido, seguro e rola até altas horas da noite. Como a idéia era acordar cedo para explorar a cidade no outro dia e estava um pouco cansado pela viajem acabei não extendendo muito e lá pelas 2 hs da matina (pegando fogo o downtonw) resolvi ir para cama. Mas se vc é um troublemaker e gosta de confusão (no bom sentido, mulheres, bebidas, noitada e farra) la vc irá encontrar, para todos os gostos e tribos. Destaque para as negras norte-americanas de New Orleans, com um estilo bem fashion (bem estilo Black music) achei elas muito bonitas de rosto e corpo de uma forma geral.

 

No outro dia começou a exploração em New Orleans e no breakfast mais uma vez o café horroroso lá dos EUA com aqueles copos de 300ml hrauhr zuado! Tirei a manhã para caminhar sem destino pelo French quarter um dos principais lugares de New Orleans onde percebe-se claramente a influencia da cultura francesa naquele lugar, seja pela arquitetura, seja pelo voodo que é forte por lá e até mesmo pelos nomes dos lugares. Na verdade até onde eu sei a França dominava aquele território da Lousiana e foi comprada pelos EUA mais tarde. Rio Mississipi fica por la e é bem bacana passear as margens dele. Outra coisa que achei bem legal são as carruagens que se paga para passear/fazer um tour em New Orleans. Enfim, visitei o French Market onde me foi oferecido jacaré como refeição e pode-se ver os bichos inteirinhos (nao vivos claro) e em momentos depois degustar os mesmos. Eu não encarei mas.... quem curte coisas exoticas está aí um prato cheio.

 

Ja no Domingo, um pouco mais tarde ja que a noite do Sabado acabou sendo mais extendida la no cassino Hara´s (acho que é esse o nome rs) acabei me perdendo no role, pois fiz todo ele a pé os dois dias, e de repente percebi que estava num territorio meio estranho.

 

Em vez de momentos históricos, cafes, bares, restaurantes etc comecei a ver alguns predios tipo Singapura em SP (mais estiloso), os projects como eles dizem lá, comecei ver alguns carros tipo cadilac anos 80 com som de rap circulando e dei de cara numa esquina com um grupo de mais ou menos 10 pessoas. Todos com seus trajes típicos ao melhor estilo Bronx ou Harlem, tomando umas brejas na esquina, uns 2 carros com gente dentro parado e um som de rap no ultimo volume. Na hora que eu me deparei os caras me viram e não deu tempo de desviar ou voltar para tras pois pensei comigo "melhor seguir adiante agora do que demostrar um certo medo". Mas dentro de mim outro lado dizia " a casa caiu bro rs rs". Enfim segui andando, eu branco, com mochilão e ja perdido no lugar a essa altura. Passei mas olhando para os caras, com cara de simpatia tipo cumprimentando, porem nada disso surtiu efeito e 1 deles me parou da seguinte forma rs rs "yo man, fuck are you doing here?". O coração disparou, senti que o momento era de calma e alguma coisa eu tinha que dizer senão seria assaltado ou até mesmo algo de pior poderia ocorrer pois lá não é lenda. Existe uma relação clara de segregação entre negros em brancos e por vezes até mesmo uma relação de rancor, odio sei la. O racismo existe lá nos States e não é lenda.

 

Então uma luz me iluminou e eu respondi "Amazing man, finally found you guys... shit just living the dream man" hahahahaha Os caras olharam com uma cara de espanto, tipo "quem é esse mané" rs rs rs. Então percebi que algo tinha surtido efeito e aproveitei a ocasião para bater na tecla. Disse para eles que era brazuca e que estava em New Orleans primeiramente em solidariedade pela tragédia do katrina em 2005 (o que não deixa de ser verdade, foi terrivel aquilo mesmo vendo pela TV) e que tinha um enorme carinho, adminiração pela cultura black americana assim como o rap music (odeio rap rs rs) e que andava justamente procurando um forma de encontrar essa cultura tão famosa pelo mundo afora bla bla bla e bla bla bla.. enfim rasguei elogios aos caras. Um deles tipo (meio breaco) falou "então vc esta no lugar certo" comecou a me falar do bairro, me apresentou para os "manos" esse é o little Jim, esse é o fulano esse é o ciclano rs rs rs ufaaaaaa me senti aliviado.

 

Resumo da história fiquei até a noite tomando breja com os caras por lá mesmo e trocando várias ideias. Pude perceber que é um povo humilde, e um deles me explicou que aquilo que nos vemos na TV sobre as black comunities não expressa a realidade (e pude compravar). Disse que o governo se esqueceu deles por todos os estados do pais ha muitos anos e que infelizmente lhes faltam opções de vida. Muitos deles só tem um sonho, virar astro da NBA ou cantor de RAP famoso etc. Eu perguntei "mas e se não der?". Um deles me falou olha em volta de onde vc esta. O que vc ve aqui, alem de lojas pra comprar bebida, pontos de venda de drogas e um bairro em condiçoes precarias? Quais as opções que eles deram para gente? Enfim, percebi que ele tinha razão pois do Bourbon st, Canal St, etc onde os gringos e americanos de LA, NY etc passeavam tranquilamente pelos museus, shoppings, fancy bars etc era muito diferente daquele lugar que estava ha 1 ou talvez 2 km da elite.

 

Fato é que eu tinha que sair fora pois Houston e mais uma semana de trampo estavam me esperando, mas como todo mochileiro sabe muito bem, confesso que jamais esquecerei aquela tarde em New Orleans, onde troquei experiencias com um cultura diferente da minha, e fui muito bem tratado pelos famosos e muitas vezes temíveis negros norte-americanos e o que é pior rs rs na casa dos caras. Parecia filme hahahahaha

 

Apos aquela tarde retornei de carro de volta para Houston e na viajem nao parava de pensar nessa louca experiencia que havia tido por lá. Amigos que duraram horas, mas que marcam na memoria para sempre. Chegando em Houston outra semana sem muita emoção de trampo, ainda bem que ja estava no final.

 

Antes porem segue o video de New Orleans para fechar essa seção, essa sim com muita emoção e adrenalina "bro" rs rs rs

 

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Opa, legal que gostou amigo! Entao segue o proximo capitulo rs rs rs...

 

Conforme eu havia dito a ideia original era New York e nao New Orleans porem o tal de Huricane Irene atingiu New York e tive que mudar de planos porem sem desistir de New York. Apos mais uma semana em Houston trampando chegou finalmente outro fim de semana e esse era extendido ja que naquela segunda-feira era o Labor day (dia do trabalho dos caras que cai em Setembro). Portanto foi um great deal pois ganhei mais 1 dia na cidade que nunca dorme.

 

Sexta-feira a noite, por volta de 11 e pouco chego em La Guardia, aeroporto local e o melhor aeroporto para se chegar em New York, dei sorte. O La Guardia fica bem proximo de Manhatan e portanto ao descer vc tem o cartao de visitas de New York. Simplesmente impagavel a big apple a noite do seu lado, aos seus pes e te esperando. Uma rara visao. La Guardia mais parece uma estacao da Luz em Sao Paulo do que um aeroporto mas por ser simples foi bem tranquilo sair de la (talvez o aeroporto que eu sai mais rapido). Bom para mim que ja tomei um taxi rumo ao Hotel. Os caras sao todos indianos, arabes, africanos etc e loucos velho. Um xinga o outro, fecha o outro na cara dura e buzinaço para tudo quanto é lado. Isso numa sexta-feira a meia-noite, imagina aquilo em dia normal como deve ser.

 

Ao se aproximar de Manhatan não ha como nao se vislumbrar com o que se ve, aqueles predios encantadores, noite fantastica, e diferente do estilao americano New York nao tem esse negocio de downtown e acabou, nao tem mais nada. E bem estilao Sao Paulo a noite e gente andando nas ruas, bares abertos etc. Realmente a cidade nunca dorme como diz o slogan. Parecia tudo um sonho, mas eu mal sabia o que me aguardava em New York City rs rs rs.

 

Praticamente foi fazer check in e check out pra rua. A 1 da manha a Broadway com a times square estava simplesmente bombando, ce andava com a camera nas maos, pareceia uma Av. Paulista as 7 horas da noite. Turistas para tudo quanto e lado porque assim como no Rio de Janeiro, o New Yorkers nao curtem esses lugares para turistas. Conforme ja e conhecido, Brazuca para tudo quanto e lado e trajados oficialmente com camisetas do Brasil, andando em grandes grupos, com bandeiras etc. Nao sei o porque mas vi alguns no meio dos brazucas (inclusive com camisas da selecao) e na hora de abrir a boca se escuta linguas europeias (tipo alemao, frances etc). Nao entendi nada mas o fato e que os brazucas parecem ser respeitados principalmente pelos lojistas ja que o poder de compra brazuca tem aumentado nos ultimos tempos.

 

Enfim a noite rolou ate umas 3 da matina. Ao se levantar fui direto para ferry rumo a Statue of Liberty e esse e um dos picos altos de New York. Realmente passar por ali, aquela imagem que cresceu com a gente desde quando eramos criancas, famosa seja em filmes, revistas, clipes de musicas etc, e realmente muito louca. Wall Street e o lugar aonde tivemos a tragedia de 11 de Setembro. Fiquei ali parado uns minutos tentando imaginar a cena que eu vi pela TV (a segunda torre que foi atingida ao vivo). Imaginei os relatos de gente pulando la de cima desesperada para nao morrer no fogo e coisas do tipo. Foi um momento triste da viajem mas enfim.... tive que seguir. Brooklyn bridge e na sequencia Chinatown e Little Italy. O Chinatown dos caras e impressionante, quando vc cruza a av que seria a fronteira do bairro nao se escuta mais ingles na rua, e impressionante muito original o bairro chines dos caras bem mais que a Liberdade em SP onde vemos mais japas "fake" do que japones original. Little Italy ja e mais turistico e nao se tem a sensacao de estar na Italia rs rs ao contrario do Chinatown. Soho e outro lugar que vale a pena andar sem rumo, e ao fazer isso percebi que caminhar pelas alamedas de New York, longe de turistas e a melhor forma de se conhecer, sentir o lugar. Aquele onibus vermelho que circula nao te faz sentir a mesma coisa com certeza. Peguei o metrozao e fui para a Pen Station e de la segui caminhando, parando em cafes, comendo alguma coisa etc ate chegar numa tal de grand station. La muito louco, tava rolando uma cena de filme real rs rs rs os caras fecharam a rua e tinha varios taxis de cabeca pra baixo, tipos umas rochas artificais simulando que a rua havia sido explodida etc. Demorei para perceber do que se tratava mas entao veio a cena. Uma explosao real numa loja que ficava embaixo de uma passarela e dois atores (que nao sei quem eram) saindo em disparada ate que alguem disse "cut, cut" e tudo acabou. hahahaha muito louco realmente.

 

Assim rolou dia e noite, noite e dia e chegou a ultima noite em New York. Ja tinha rodado o Central Park, Museu de historia natural etc etc tudo a pe. Resolvi entao ir no Empire State e comparar a visao de la com o Ed Italia na Ipiranga em Sao Paulo. Dica: quem for vai ver cambistas oferecendo entrada e dizendo que vc nao pegara filas para entrar e subir no empire. MENTIRA e eu pude comprovar. Outra coisa eles forcam vc a perder quase uma hora vendo um filme sobre NY como se estivesse num voo (simulado etc). Para quem tem saco e tempo vale a pena no meu caso so perdi mais tempo la. Portanto quem nao quiser anota ai. Compra o ingresso, entre e pergunte onde e o tal filme. Apos identificar onde e fuja de la e va direto ao que interessa, ou seja la encima do Empire State.

 

Uma visao fantastica principalmente a noite. Sao Paulo e nitidamente maior que NY e impressiona mais pelos seus interminaveis arranha-ceus, mas a arquitetura e show pirotecnico de NY encanta mais que SP. Imperdiveis foram os 20 min de muita concorrencia por umas boas fotos la encima do Empire State. Valeu a pena though!

 

Na descida, parei para tomar uma breja antes de ir para o Hotel e terminar aquela noite e comecava entao mais uma cena de filme para mim nos EUA rs rs Esse filme sem duvida poderia ser "Uma noite alucinante em New York City".

 

Chego no Hotel e subo porem o cartao magnetico nao funcionava no meu quarto de jeito nenhum. Desci e falei com a recepcao, a moca me disse "room 1152 you're delayed for your check out" ... e respondi "what the hell ?". Segundo ela havia se encerrado minha hospedagem la e eu teria que deixar o quarto. Eu mostrei as reservas (maldita decolar.com) etc etc mas nada disso adiantou. O bate boca foi complicado, veio seguranca etc e no final ate o New York PD foi chamado. Fiquei no lobby esperando a policia para resolver o caso, um absurdo. rs rs de repente eu me vi na rua literalemte, la em NY sem rumo e com reservas na mao, comprovando que meu check out era no dia seguinte. Apos muito rolo, os policiais simplesmente disseram que nada poderiam fazer, foram muito simpaticos etc mas se resumiram a me recomendar outro hotel (aquele nao tinha mais vaga para aquela noite segundo a recepcao hahaha). Enfim, eu com uma enorme mochila nas costas, cel nao funcionando, mais de meia noite, na rua literalmente rs rs rs Comecei a rodar a regiao da times square tentando achar um wi fi ou algo ate que encontrei um starbucks da vida que funcionava wi fi. Ali aonde eu estava so se via hoteis com banheiro publico a 250/300 "dolares" a noite. Eu nao tinha toda essa grana e preferia passar a noite perambulando em NY do que pagar mais de 500 reais por um muquifo em NY. Afinal mochileiro que se preza encara as mais diversas situacoes e nao paga de boy jamais. Nao seria eu que iria quebrar essa tradicao!

 

Fui em um desses hoteis e expliquei a situacao. O cara me indicou um hotelzinho perto de Tribeca que segundo ele era bem mais barato so para passar a noite e tomar um banho. Taxi ate la, pois ja nao havia mais metro. Chegando la, hahahaha de fato existia o tal Hotel (um lugar/bairro bem sinistro a noite) mas o cara disse " Aqui na verdade e para casal quem vem passar 2 ou 3 horas e custa 80 dolares" rs rs rs Depois da piada decidi realmente passar a noite perambulando em NY. Porem ao chamar outro taxi para me levar de volta para Times Square (obviamente nao ia ficar naquela bocada) percebi que nao tinha mais grana, so cartao e o cara disse "I can't accept card sir, I'm sorry". Rs rs rs rs Percebi que o ditado "toda desgraca e pouco em alguns momentos da vida" era verdade!

 

As ruas (streets com numeros) cruza de leste a oeste sempre em NY e as Av norte a sul. Estava no sul de Manhatan entao peguei a Av das Americas e subi. Que volta meu velho, com mochila nas costas pesada, cansado, com sono e o lugar nao era a Times Square todo iluminadinha e com gente passeando. Nessa hora fiquei desesperado, senti medo, comecei a reclamar da vida e da ma sorte e ate a questionar Deus porque aquilo estava acontecendo comigo mas continuei sem olhar para tras. Aos poucos me acostumei com a ideia e digo "poucos conheceram NY como eu rs rs". Afinal e uma situacao totalmente atipica. La pude ver claramente que ao contrario de outras cidades americanas vc ve varios homeless (moradores de rua) e foi de uma certa forma muito louco essa experiencia. Ao passar proximo do Union square um deles me abordou pedindo um change (trocado). Eu olhei a situacao daquele sr que apesar de ser morador de rua me abordou de forma muito educada etc e dei meus ultimos 10 dolares em especie para ele que sorriu imediatamente e disse "God bless you sir, thank God". Aquilo me cortou o coracao. 10 bucks apenas! Talvez era Deus me mostrando e dizendo "do que ce ta reclamando mane ?" de andar 1 noite na rua em NY? E se vc estivesse como esse sr. todos os dias aqui?"

 

Percebi que eu tinha que fazer o mesmo que aquele sr fez, ou seja agradecer a Deus ao inves de reclamar por saber que no outro dia apesar dos pesares eu estaria novamente e Houston e tudo nao passaria de um pesadelo. Mas sem antes fazer algo! Continuar aquela noite nao perambulando por NY mas com aquele sr e seu grupo de homeless hahahahaha

 

Pode parecer exdruxulo, ridiculo, enfim mas sim senhores foi isso que eu fiz. E digo, foi uma das experiencia mais loucas da minha vida. Comecei a puxar papo com ele etc etc ate que expliquei a situacao para ele. Imediatamente (um morador de rua heim) me ofereceu ajuda. Vem comigo, pode ficar aqui com a gente, tem um sofa aqui temos cafe etc etc. Gente que as vezes tem totais condicoes de te ajudar nao o faz e aquelas pessoas que mal podiam ajudar a si mesmas, fazendo de tudo para auxiliar um proximo. Foi muito legal, ja era mais de 4 da matina a essa altura e eu no Union Square, trocando altas ideias ate altas horas com um grupo de homeless e sentado no sofa deles, rs rs no meio da rua. Thanks decolar.com, no final da historia valeu essa experiencia unica na vida. O papo foi muito legal, uns eram New Yorkers mas tinha um cara da Georgia (caipiraçooo rs rs ) com um sotaque nervoso e muito divertido. De repente me vi no meio dos americanos reais, os mesmos que nos vemos os filmes, falando o inglesao do povo mesmo nao aquele bonitinho e demos muitas risadas. Outra vez pode parecer ridiculo esse relato, mas foi bom demais. Nota 10.....

 

Enfim, o dia clareou, amanheceu me despedi de mais alguns amigos que duraram horas, mas que certamente suas lembracas durarao para sempre no coracao. Isso foi o que eu trouxe na bagagem de volta, nao eletronicos ou algo do tipo. Rumo ao Newark de volta a Houston apos ter sido o ator principal do filme "uma noite alucinante em New York City", a cidade que nunca dorme e nessa noite eu acompanhei ela, sem dormir rs rs

 

Segue o video de New York, e com isso tambem praticamente a estadia nos EUA. Ja estava com saudade do espanhol, do portugues, do sangue latino e sabia que o trampo estava completo e o Mexico me esperava! Era hora de partir dos States.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ok de volta para Houston, ainda bem que somente para se despedir porque aquele lugar ja estava me dando desespero. De la segui para o Mexico (capital Ciudad de Mexico). Todos os americanos que eu havia trombado la nos States tanto na empresa como pessoas que conheci no caminho e que eu disse que iria visitar o Mexico, na hora faziam aquela cara de espanto e diziam "vc é louco, o que vc vai fazer no Mexico, é perigoso e não tem nada pra fazer la". Ainda bem que eu estudei um pouco de geografia e história na vida ao contrario da maioria dos americanos e simplesmente ignorei o warning deles. Talvez para eles que não falam nenhum idioma alem do ingles e que claramente são notados (junto com os europeus) em todo e qualquer lugar que seja fora do territorio deles, seja pelo estilo, pelo jeitão de assustado, desconfiado etc seja mais perigoso. Mas não para mim, mochileiro e latino señor!

 

Tempo bom na capital mexicana. Um caos o transito dos caras tão caotico como São Paulo e pior eu diria pois é uma terra sem lei a nivel de transito. Nego se xingando o tempo inteiro, um fechando o outro e por ai vai. Claramente percebe-se que a cidade é a mais populosa das Américas seja no metro (praça da sé as 6h da tarde e ficha pros caras), seja nas ruas. O povo de uma forma geral é de um aspecto fisico padrão, igualzinho ao que vemos quando algum time de futebol brasileiro joga contra um Mexicano. Impressionante sim como o povo Azteca se manteve praticamente intacto tantos seculos apos Montezuma ser executado pelos espanhois decretando assim o fim do Império Azteca. Hoje eles já nao vivem nas piramides de Teotihuacan ou nas ruinas do Templo Mayor, já nao caçam, nao oferecem sacrificios aos seus deuses, mas eles estão lá, agora com outro estilo, trabalham como nós e ocupam as mesmas funções e cargos, andam de metro, carro e onibus, são catolicos na sua esmagadora maioria. Mas são eles, os Aztecas até hoje, lá na cidade do Mexico.

 

Região do Zócalo é onde se concentra a grande parte histórica da Ciudade de Mexico, que assim como praticamente todos as capitais latinas, demostram a força da colonização espanhola seja pelas igrejas, alguns edificios e claro o jeito e estilo de vida além do idioma espanhol. Destaque para a Catedral Metropolitana, Palacio Nacional, Templo Mayor (um resto de ruina Azteca bem no centro da cidade) entre alguns museus como o José Luis Cuevas. Torre Latinoamericana ao anoitecer também é um dos destques e proporciona a melhor vista da Cidade do México (quando a poluição permite rs). Alameda Central e Paseo de la Reforma tambem são interessantes e por essas bandas a cidade se vê mais moderna. Monumento a la Revolucion tambem merece uma boa foto porem atenção: "a cidade do Mexico definitivamente não é o melhor lugar para vc simplesmente sacar a sua Canon de 2000 reais e pagar de gatão". Não é como os americanos desesperados e amedrontados disseram. Mas é igual São Paulo né. Ce não vai na Ipiranga com Rio Branco pagar de turista e mochila linguição la. Porém nada de anormal que nós não estejamos acostumados em qualquer capital do Brasil, são cuidados básicos apenas. Preços execelentes para nós brasileiros, a comida é a típica mexicana, sempre bem apimentada e para quem gosta, ta aí um prato cheio. Ao mesmo tempo vc ve umas coisas bem esquisitas como patas de porco sendo dixavadas e degustadas com gente lambendo até os beiços uhhhhh ... foi terrivel de ver rs !

 

Para quem gosta de futebol vale a pena visitar o lendário estádio Azteca onde a famosa seleção brasileira de 70 (de Pelé, Gerson, Rivelino e cia) ganhou o Tri sobre a Italia. Los hermanos argentinos tambem tiveram sua glória por lá e comandados por Diego Armando Maradona venceram a sua ultima Copa do Mundo em 86 contra a Alemanha. Por isso tanto Brasil como Argentina são bem lembrados e respeitados por lá quando o assunto é futebol.... futebol que alias tambem é a paixão nacional numero 1 dos Mexicanos. Eles tem outras como as cumbias mexicanas (parecidas com as que o jogador Tevez que passou pelo Corinthians dançava ao comemorar seus gols). Para quem fala espanhol ou se vira no espanhol, não há problemas pois os mexicanos são muito simpaticos e não falam o espanhol rápido ao contrario de muitos outros paises da america latina. Palavras como ahorita (em vez de ahora=agora) e cabron fazem parte do dicionario exclusivo do Mexico. E todo e qualquer vendedor ou alguem que queira ser simpatico com vc te chamara de "padre" ou "patron" (pai e patrão respectivamente mas de uma forma cativa e carinhosa claro).

 

Metro funciona muy bien e portanto nao e necessario (nem recomendavel) alugar carro por la. Taxi só se a casa cair mesmo porque senão ce corre um grande risco de tomar chapéu. Assim chegou o dia para ir visitar as ruinas Aztecas de Teotihuacan a mais ou menos 30 min da capital (como Jundiaí de SP mais ou menos). E se alguem tiver alguma pergunta específica tanto sobre a Ciudade de Mexico como os outros relatos até aqui que eu esqueci de mencionar, por favor postem e com todo o prazer eu responderei. Antes porém fechando a seção Ciudad de Mexico segue o video para quem quiser ter uma idéia dos relatos acima.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ok, seguimos para as ruinas Aztecas de Teotihuacan ao norte da Cidade do Mexico. Metro ate um tal de Terminal Norte e de la um onibus para Teotihucan direto (30 min aprox). Detalhe e que la na Cidade do Mexico nao existe so uma rodoviaria tipo Tiete mas sim Terminais Norte ou Sur etc, ou seja, mais de uma Rodoviaria. De acordo com o destino que vc vai tomar vc segue para o Terminal correspondente. La vi busoes para todas as localidades Mexicanas ao norte, como Guadalajara, Monterrey etc e inclusive busoes que vao para os EUA (Houston, Dallas e ate Chicago rs). Esse ultimo deve ser punk heim, uma verdadeira aventura.

 

Enfim, cheguei em Teotihuacan, e logo na entrada um show de alguns indigenas nativos lembrando as tradicoes antigas dos Aztecas. Varios caras oferecendo "tours" que nao sao caros, so que eu dispensei afinal sempre quando vou visitar um lugar desse pesquiso antes assim sei o que estou vendo e onde estou. As ruinas nao sao tao maravilhosas como Machu Picchu ou Chichen Itza mas sao muito interessante. Grande a caminhada pelos patios e imagina-se que tudo aquilo deveria ser bem maior nao fosse a impiodosa devastacao espanhola em busca de ouro. Claramente percebe-se a diferenca de arquitetura, estilo entre a cultura Azteca e a Inca por exemplo. Temos duas piramides la sendo a principal La piramide del Sol que e gigante diga-se de passagem e num estilo um pouco diferente das piramides do Egito. Para escalar o topo da piramide ja adianto, tem que ter folego e disposicao. Nao vi muito movimento por la e 1 dia com direito a almocar por la mesmo nos restaurante locais e caseiro e o suficiente para Teotihuacan. Resumindo, nao e uma das 7 maravilhas do mundo mas uma vez estando na Cidade do Mexico, nao ha como nao dar uma passada por la.

 

A tarde peguei o onibus de volta para a Cidade do Mexico. Lugar no onibus nao existe quem chegar primeiro leva e se vc for um dos ultimos vai de pe mesmo. No meio do caminho de repente todo mundo comeca a descer. Somente homens e eu pensei ... what the hell? Permaneci sentado ate que me dei conta que a mulherada estava toda olhando para mim e uma delas me deu um toque "Señor hay que bajar"!

 

Entendi o recado e entao desci percebendo que se tratava de uma revista policial em busca de drogas. Policiais com caes revistavam tudo e ficamos parado la por mais ou menos 30 min, ou seja, o tempo que durava a viajem inteira. Mas foi so um mero detalhe, depois o busao seguiu ate seu destino. Ultima noite na Cidade do Mexico entao pois o voo saia rumo a Lima no Peru, porem com uma escala de 11 horas em Bogota na Colombia, iniciando as 7 hs da manha. Como o voo saia na madruga fui jantar rapidinho e descansei um pouco ja que sabia que o proximo dia seria punk.

 

Enfim, resumo da opera e que eu esperava mais de Teotihuacan e com certeza nao recomendo para alguem planejar suas ferias ou algo do tipo exclusivamente para visitar Ciudad de Mexico ou Teotihuacan. Chichen Itza sim dizem que e show, e a cultura Maia bem no Sul do Mexico.

 

A madrugada chegou e era hora de despedir da Cidade do Mexico, rumo ao Peru mas com passagem pela Colombia antes. Segue video de Teotihuacan caso queira saber mais ou menos o que se ve por la.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

OK, após algumas horas cheguei em Bogotá na Colômbia! Por volta das 6 da manhã, ao contrário do que eu haviao escutado foi bem tranquila e rápida a saída do aeroporto assim como o visto de transito para. Peguei um taxi amarelinho de dentro do aeroporto (mais caro porem sem stress), até porque não tinha tempo por causa da escala. Por volta de 7 hs da manhã ja estava tomando um famoso café colombiano. Dica, não faça como eu (o que todos fariam talvez) pedindo simplesmente um café. Os colombianos entendem que café é café com leite e quando recebi o meu reclamei e então me foi esclarecido. Enfim, por respeito a cultura dos caras tomei o tal de café com leite e depois pedi um café normal (especificando dessa vez que não era com leite). Portanto quem estiver por la, não esqueça rs rs

 

O centro de Bogotá não é dos mais bonitos da América do Sul, tambem é meio sinistro vc ficar tirando fotos por lá já que não se ve muitos turistas e claro, ja percebendo isso apenas usei minha camera simples, snapshot da sony, bem discreta para nao chamar atenção. Tirando a região de La Candelaria, onde estão o Palacio do Governo e a Catedral, confesso que o centro era bem meia boca não valeria muito tempo (que alias era valioso para mim por la).

 

Subi para um tal de cerro Monterrat onde ce tem uma bela vista de Bogota. O clima não é dos melhores na maior parte do ano e portanto não tive muita sorte. Outra dica que pude obter por la. JAMAIS, em hipotese alguma tente ir caminhando para o tal do Monterrat, pois fatalmente vc sera roubado ou dependendo da situação ate sequestrado. Ha varios relatos principalmente de gringos no Lonely Planet de pessoas que sofreram tais situações ao se arriscarem inadivertidamente. Tudo bem que eles são muito vacilões, mas não vale a pena se arriscar pois la na Colombia a pegada é outra, bem diferente de Santiago, Montevideu, Buenos Aires, Lima entre outras capitais sulamericanas bem mais turisticas e mais light tambem do que la.

 

Com 2.600m de altitude não pude sentir os efeitos, e pelos menos uns 3 nativos me disseram a mesma coisa: quanto mais proximo do cerro monserrat melhor os lugares de Bogotá. Me recomendaram um tal de centro comercial onde supostamente seria a cara mais moderna e boy da cidade mas a escala se aproximava do e era em plena segunda-feira. Se eu perdesse o proximo voo, a casa iria cair. Alem disso comecei a perceber que a tarde caia e o transito dava amostras de estar se tornando caótico. Resolvi voltar para o aeroporto para garantir.

 

Enfim, foi mais uma capital sulmericana para o CV. Minha opnião? Não voltaria para Bogotá novamente a menos que fosse nessas circunstancias: escala, mochilando de passagem para outro pais (Equador ou Venezuela) ou a trabalho. Mas entre a minha opnião e a verdade absoluta dos fatos tipo ninguem vai ao Pai se nao for por mim existe uma grande diferença.

 

Segue o video para que vcs possam concordar ou discordar de minha opnião

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bem, após algumas horas de voo (voo que alias eu odeio e não condiz com o espitiro mochileiro mas que era necessario devido ao curto tempo), finalmente cheguei em Lima, a capital do Peru. Lima é uma cidade de contrastes, cultura e agitação. Malabaristas, engolidores de fogo e ambulantes circulam nos engarrafamentos em ruas ladeadas por mansões da época dos espanhóis, ruinas incas, igrejas históricas e museus repletos de tesouros. Embora menosprezada como mera porta de entrada para o Peru e de la já vazar para Machu Picchu, eu achei que Lima merece sim seus pelo menos 2 a 3 dias de estadia, que foi o meu caso (3 dias). O centro histórico é onde se percebe e se vive a realidade do dia a dia dos Limeños. Barranco é o bairro Boêmio, Miraflores reúne restaurantes, hotéis e clubes (bem boy e com vistas fantasticas para o Oceano Pacifico) e San Isidro abriga o pólo de negócios, parte moderna da cidade, embelezado por um antigo bosque de oliveiras.

 

No centro de Lima destaque para Plaza Mayor, onde temos La Catedral, o Palacio del Gobierno e o belo complexo colonial de San Francisco. Lá infelizmente temos touradas, digo infelizmente porque sou contra esse absurdo medieval nos dias de hoje assim como maus tratos contra todo e qualquer tipo de animais. Plaza San Martin onde fiquei hospedado tambem tem o seu interesse. Por falar nisso, hospedagem, alimentação e transporte foram super baratos em Lima para mim que sou padrão brasileiro. Portanto vale a pena.

 

Em Miraflores o destaque fica por conta dos Rochedo e da bela vista do mar a partir do terraço de Larcomar. Huaca Pucllana que segundo ouvi dizer data de 10 mil anos atrás quando pescadores e agricultores nomades se fixaram na area conhecida hoje por Miraflores. Ah, não posso esquecer do Chinatown de Lima (El barrio chino) porem não tão original como o Chinatown em New York. Taxistas honestos (pelo menos comigo que falava espanhol fluente com eles e sempre dava a entender que não era a primeira vez em Lima), povo meio padronizado como os peruanos e bolivianos que vemos em peso na cidade de São Paulo porém com um estilo mais sofisticado. Da a impressão de que os mano que estão na correria, sem trampo por la etc vão para outros paises tentar a sorte tendo como principal destino Buenos Aires (eles são considerados como os nordestinos que invadiram São Paulo em busca de uma vida melhor). Em vez de coca cola temos a inka cola, um refrigerante amarelo que nao tive as manha de encarar, até porque não curto muito refri. A cusqueña parece ser a paixão nacional por la e é uma cerveja realmente muito boa.

 

Enfim, essa foi a minha estadia de 3 dias em Lima, na capital do Peru e confesso que ao final tive a sensação de que cobri tudo o que um turista teria para fazer por la, ratificando portanto que mais do que isso seria desnecessario (um estadia maior por exemplo). Voltaria a Lima novamente sem duvida pois achei uma bela capital sulamericana e mais uma vez diria que quem somente desembarca em Lima usando a cidade como ponto de chegado ao Peru e saida imediata para Machu Picchu, não sabe a oportunidade que está perdendo.

 

Segue o video abaixo onde vcs poderão ter uma noção de Lima, Peru

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Finalizando essa pequena aventura de Lima parti em voo direto de aprox 1h rumo a Cusco. Gostaria de ter pegado um busão para sentir mais emoção, que demora em média 20 horas para para fazer o mesmo trajeto porém mais uma vez a questão tempo não permitiu.

 

Chegando em Cusco, dor de cabeça imediata devido aos mais de 3.000m de altitude. Já havia ouvido vários relatos sobre isso e pude comprovar que a coisa é séria mesmo. No próprio aeroporto de Cusco temos os taxistas/tour guides oferecendo não só a corrida até o Hotel como também vários tipos de tours pela região. Na verdade eu tinha tudo em ordem para ir a Machu Picchu no dia seguinte menos o ingresso para o mesmo. Negociei com esse taxista que me levou para o seu escritório. Quando eu relatei que tinha dor de cabeça o mesmo mandou imediatamente a assistente providencia um "mate de coca" ou o famoso chá de coca que segundo ele aliviaria bastante a dor. Fato é que junto com o mate de coca mandei algumas gotas de novalgina que é o que costumo tomar quando tenho dor de cabeça e em minutos passou (principalmente quando cheguei no Hotel e tomei aquele banho bem quente deixando a agua escorrer encima da cabeça). Pelo ingresso a Machu Picchu + um tour até Pisac no mesmo dia com onibus e almoço em Ollaytatambo (ou algo assim) + taxi para qualquer lugar e quando eu precisasse la na região durante minha estadia (3 dias) + City tour de taxi em Cusco (que na verdade nada mais é do que o cara te levar em algumas ruínas incas ao redor de Cusco) + 1 passe que te dá direito a conhecer todas as atrações da região me foi cobrado 250,00 reais o que eu achei um bom preço. Normalmente não faria isso mas sim exploraria a região por conta própria, porém como o tempo estava bem curto e as horas contadas e tem MUITA coisa para se ver la em Cusco e região, preferi fechar com o cara. Outra preocupação era o ingresso para Machu Picchu pois estar la, chegar la (ja tinha o trem pela Perurail que se compra na internet) e dar alguma zica para entrar seria lamentável.

 

Por outro lado segue uma dica para quem tiver mais tempo e gostar de fazer tudo por conta (se fosse meu caso em condições normais eu faria). Pisac e Valle Sagrado vc consegue ir por conta e compra o passe que te dá direito a entradas em todos os lugares. Não me lembro agora de cabeça mas deve ser algo como 15 conto (reais). Porém vai pelo menos uns 2 dias para fazer o que eu fiz em 1. O que posso dizer é que o cara cumpriu tudo o que havia combinado: me buscou no Hotel e me levou no lugar de onde o mini-bus saia, lá tinha assento reservado para mim (eram todos turistas na verdade, só brazucas, argentinos e gringos), o tal passe que permite entrada nas atrações e o busão no final me deixou na Av. El Sol onde ficava meu Hotel. 100% e recomendo esse cara caso alguem queira o contato (pode fechar com ele daqui do Brasil mesmo ele te encontra em Cusco lá faz o acerto).

 

Segundo dia na hora combinada ele mandou outro taxista me buscar no Hotel e o mesmo me levou até a estação de Poroy de onde saía meu trem para Machu Picchu. Lá o taxista a mando dele me entregou o ingresso para entrar em Machu Picchu, conforme combinado e me explicou como seria o processo ao chegar por lá. O trem demora umas 3 horas para chegar mas a paisagem e muito linda e no trajeto fatalmente vc irá encontrar um gringo, um turista sulamericano ou até mesmo um brazuca sentado ao seu lado para conversar o que torna a viajem mais rápida. No meu caso foram 2 britânicas de Londres e fomos trocando idéia o caminho inteiro. A paisagem para mim particularmente não foi tão nova pois para quem já atravessou as Cordilleras de los Andes na fronteira Argentina/Chile não se espanta com esse trajeto. Linda porém e quem nunca viu certamente irá gostar. Chegando lá na estação tinha um cara me esperando, conforme instruções do taxista e me encaminhou para um busão de mais 1h quase na subido do morro até Machu Picchu de fato. Lá mesmo me deu o ticket para pegar esse busão de volta (sobe e desce o morro a cada 15 min) e ao entrar em Mchu Picchu percebi que já não precisava desse guia para nada. Me dispersei da galera e explorei Machu Picchu do jeito que eu queria.

 

Enfim apos alguns caminhos ali, uma outra ruina aqui me deparei com o bicho na minha frente: a famosa cidade perdida dos Incas do jeito que se vê naquela classica foto que todos ja conhecem. Mas dessa vez não era foto, eu estava lá ao vivo, vendo com os olhos que Deus me deu. Simplesmente impagável, um sonho antigo realizado!!!

A cidadela de rocha fica no colo de uma montanha ladeada por declives rumo ao Vale Urubamba abaixo. Impressionante vc imaginar como era o dia a dia daquele povo lá, naquele lugar. Machu Picchu escapou (graças a Deus) de ser saqueada pelos espanhóis porque eles nunca conseguiram encontrá-la ja que os nativos ao perceberem que a casa tinha caído quando Atahualpa foi morte resolveram destruir o caminho que levava até lá. A cidade ficou abandonada e foi invadida pela natureza por aprox 400 anos mas o trabalho refinado em pedra dos Incas sobreviveu ao tempo (graças a Deus). Sua função ainda hoje continua incerta porém especula-se que era um local de culto já que o povão Inca mesmo vivia na atual Cusco (obviamente não do jeito que a conhecemos hj). Tambem pode ter sido um centro de astronomia ou até a "hacienda" do imperador inca Pachacútec. Enfim a cidade continuou perdida durate séculos até que o explorar Hiram Bingham tendo um policial local como guia iniciou uma expedição pela região. Ao acampar proximo, encontrou um agricultor local que jurava haver visto extensas ruínas incas ocultas no topo de uma montanha lá perto. Pelo preço de 1 sol (moeda peruana) o explorador americana convenceu o humilde agricultor a levá-lo até o local e após uma escalada de cinema (sem busão, tours, trens etc como temos hj), ele avistou/descobriu algo: Machu Picchu!!! Segundo Bingham aquela visão era simplesmente maravilhosa. Fato é que Machu Picchu é uma das 7 maravilhas do mundo! E eu sou testemunha e dou fé a tudo isso relatado acima.

 

Após isso ja no finalzinho da tarde era hora de deixar Machu Picchu com a sensação de um dia ainda volto se Deus quiser, para fazer a trilha Inca. Antes porém vai uma dica, levem sempre algo antes de ir para Machu Picchu como agua, salgadinhos ou seja la o que for pois lá encima nao tem nada alem de um restaurante feito para americanos e europeus onde vc vai se sentir literalmente em New York ou Paris a nivel de preços. É similar ao uns lugares que tem bem no pé da estatua do Cristo no Rio de Janeiro, quem já foi sabe como é. Não dá!!!!

 

Peguei o busão de volta para a estação e a medida que Machu Picchu ia ficando mais longe ja sentia saudades daquele lugar fantastico. Na estação um inferno para pegar o trem de volta para Cusco com aquele bando de gringo sem falar espanhol batendo cabeça atras de informações etc. Dessa vez na volta, conheci uma mexicana bem simpatica e como ja era noite já não se via a paisagem do trajeto. La, mais uma vez conforme combinado, estava o taxista me esperando para me levar de volta ao Hotel. Segundo trajeto e 100 % cumprido pelo sr. Mario que me vendeu tudo.

 

No jantar uma surpresa, a moça mexicana que conheci no trem e foi jantar comigo em Cusco se arriscou a pedir um prato local que segundo ela havia ouvido dizer era obrigatório comer caso contrário era como se vc não estivesse estado em Cusco rs rsrs Prefiro ficar com as lembraças de Machu Picchu na memoria, fotos e videos para lembrar que estive por lá hahahaha. Ela chamou um tal de "Cuy" que parece ser uma especíe de porquinho da india com cara de preá e o bicho vinha com cabeça e tudo. Enfim, desejei boa sorte para ela que dixavou a criança rs rs rs.

 

Terceiro e ultimo dia, e o taxista novamente estava lá para o City Tour final. Me levou de manhã para as principais atrações de Cusco e a tarde para algumas ruinas Incas prox da cidade. Na sequencia me deixou no aeroporto finalizando em 100 % tudo o que havia prometido e pelo preço de 250,00 reais que eu achei que no meu caso que estava na correria, compensou bastante e pude ver muito com pouco tempo sem me preocupar com ingressos e outras coisas que se vc for correr atras por conta vai gastar um tempo só nisso, coisa que era tudo o que eu não queria nesse tiro curto a Cusco.

 

Repleta de arcos e praças espanholas assim como sacadas de madeira projetadas sobre as estreitas ruas de pedra, Cusco foi declarada patrimonio da humanidade pela Unesco. Mulheres de longas tranças negras, com camadas de saias e cartolas na cabeça conversam em quechua nos degraus da catedral, numa cena atual que me fez lembrar do passado que eu so conheço atraves da história. Essas mulheres são as "chulas" peruanas descendente diretas dos antigos Incas e que lutam para guardar as tradições incas de geração em geração. Percebe-se traços das conquista espanhola na arquitetura colonial, ao passo que o encaixe preciso das pedras em velhos muros lembra a fundação da cidade pelos incas. Apesar do movimento turistico enorme, os indigenas mantêm o ar andino por lá. A tarde como eu disse, esse "caballero" me levou para Sacsayhuamán, um exemplo impressionante da arquitetura militar inca, sendo composto de 3 grandes terrços dispostos em zigue-zague. O alinhamento das pedras é tão perfeito que os cronistas espanhois escreveram que nem uma faca fina podia penetrar nas juntas. As muralhas tem 22 angulos segundo me explicava o guia (brinde do sr. Mario ao fechar o pacote), todos salientes e reentrantes em cada nivel. Milhares de homens foram recrutados para colocar as imensas pedras no lugar. Diz a lenda que cerca de 20mil homens indigenas arrastaram a pedra maior e milhares morreram esmagados quando ela despencou. È complicado imaginar isso estando por lá, imaginar que tantas vidas foram sacrificadas para que pudessemos ver nos dias de hoje uma linda obra historica. Ao povo inca minha admiração e respeito!

 

Ainda deu tempo de visitar Tambomachay antes de ir para o aeroporto, ruínas que ilustram as habilidades artisticas e arquitetonicas dos incas. Lá uma nascente foi aproveitada para formar fontes, as quais eram sagradas para os incas.

 

Enfim, voo direto para Lima onde passei a ultima noite sem muito o que fazer pois tinha que preparar malas, rever os ultimos detalhes antes de embarcar na manha seguinte para São Paulo.

 

Na volta para São Paulo parei e pensei em tudo, todos os lugares que havia visitado desde Houston, passando por New Orleans e New York nos Estados Unidos, Ciudad de Mexico e Teotihuacan no Mexico, Bogotá na Colombia e Lima, Cusco/Machu Picchu no Perú. Percebi que o mundo era grande demais, que encanta por tudo o que nele vemos e que impressiona pela variedade de culturas que existem nele, desde de encontro com o Black guys em New Orleans, o hillbilies (caipiras) do Texas, e o grande embate das culturas Azteca e Inca que nunca se encontraram enquanto existiram e por aí concluí: como é Aquele que tudo isso criou, o Senhor meu Deus! Como diz o ditado: pela obra pode-se ter uma idéia de como é o seu Autor!

 

É isso aí folks, esse foi mais um relato dentre milhares provavelmente que vcs encontrarão nesse forúm. Espero ter podido contribuir com alguem e novamente caso alguem precise de informações especificas sobre os lugares reportados por favor sintam-se a vontade. Proximo destino em Abril, Maio e Junho de 2012, ja confirmado e comprado, Europa (Paris, Londres, Amsterdã, Berlin, Zurique, Milão e Roma) + Oriente Médio (Istanbul, Amã, Petra, Jerusalém, Tel Aviv, Cairo, Luxor). Quem tiver interesse em fazer o trajeto junto ou até parte dele é so da um toque!

 

Antes de encerrar o relato segue os videos de Cusco e Machu Picchu, espero que gostem:

 

- Cusco

 

- Machu Picchu

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cara, ficou muito bom o relato.

Mas apesar de vc ter colocado os links para os vídeos vou pedir pra vc postar tb umas fotos que sempre ajudam os mochileiros de 1ª viagem!

Abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Entre para seguir isso  



×
×
  • Criar Novo...