Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Entre para seguir isso  
andre_vida

Monte Crista (Sozinho) - Cume - Cabeluda - Cachoeira em 29/10/2011

Posts Recomendados

Monte Crista é localizado as margens da BR 101 no Municipio de Garuva,faz parte da cadeia de montanhas

da serra do mar tem a altura de 965 metros.A trilha se estende aproximadamente em 7 km até o cume

mais ou menos 7 horas de subida ingrime com muitos obstaculos.

Me superei e fiz em 5 horas com duas paradas para abastecer as energias.

Iniciando a trilha depois da travessia da ponte pensil caminhando por 15 minutos cheguei as margens do rio

cristo.Atravessei ele sem grande dificuldade por ser um rio raso quando não esta chovendo.

 

20111102203228.JPG

 

cerca de 40 minutos depois a trilha se divide em uma bifurcação

trilha da esquerda seria sem muita dificuldades,porem mais demorada.

trilha da direita é chamada de "saboneteira" mais rapida com muitos obstaculos.

Optei pela "saboneteira" caminhando por 40 minutos na trilha vc ja descobre o porque do nome.

a trilha começa a ficar ingrime e escorregadia partes do trecho com escalada

Sugiro levar bastões de caminhada vc descobrira que são muito uteis me salvaram de diverssos tombos

pelo fato de ser muito escorregadia.

Mais algumas horas de caminhada obstaculos vencidos começam aparecer vestigios de uma trilha feita de pedra muito antiga

arqueologos afirmam que são vestigios de uma trilha INCA chamada peabiru que começa em cuzco no peru e liga o peru ao oceano atlantico no litoral do brasil.

 

20111102221200.JPG

 

Indios tambem habitavam essa região mas arqueologos firmam que indios não poderiam ter construido essa trilha

pelo fato de que as pedras foram cortadas com um instrumento de metal.

500 anos atras indios não usavam esse tipo de tecnologia seu trabalhos na maioria eram feitos com argila e madeira.

VOLTANDO AO RELATO.

aproximadamente 3 horas de caminhada cheguei ao mirador uma pedra imensa no meio da trilha lugar onde vc ja começa a ver

a pedra do guardião e o cume. parada para bater umas fotos e descançar. ::mmm:

Duas hora depois de subida pela escadaria de pedra alcancei o cume as 12:30

muito cansado mas tambem impressionado com o visual maravilhoso da pedra do guardião etc..

 

20111102205739.JPG

 

20111102213855.JPG

 

20111102214424.JPG

nativos dizen que o conjunto de pedras do cume do monte crista seria uma especie de relogio.

bati algumas fotos e fui rumo a uma montanha mais baixa chamada de "cabeluda" apos uma hora de caminhada cheguei nela ancorei minha barraca

ja era umas 15:00 horas e estava começando a chover e ventar muito .

no caminho uma pedra chamou a atenção com um tipo de caligrafia INCA com algumas pixações tipo a data de 20/8/483

 

20111102215254.JPG

 

20111102215520.JPG

 

20111102215817.JPG

 

barraca ancorada fiz um café comi uma bolacha descansei,mas a chuva e o vento não parava .

Minha intenção era ir até a caverna mais duas horas de caminhada.

dormi ali mesmo pela manhã fui ate a cachoeira, bati mais algumas fotos e comecei a minha decida.

na decida uma neblina caiu sobre o monte a visibilidade era bem pouca e novamente os bastões de caminhada me salvaram

a "saboneteira" ja é dificil quando esta seca molhada ficou ainda mais escorregadia.

sai de lá muito cansado mais tambem muito feliz por ter explorado uma trilha tão antiga e misteriosa ...

MONTE CRISTA UM LUGAR CHEIO DE LENDAS....

 

20111102221715.JPG

 

20111102222450.JPG

 

20111105185700.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bela pernada André, ainda mais solo.

Só algumas correções, o rio que você atravessou depois da ponte pensil é o Rio do Cristo, e não o Três Barras.

A trilha de pedras foi feita pelos jesuítas e índios, no começo da colonização da região sul. Ligava o litoral catarinense ao caminho dos tropeiros, que ia do RS a SP. A história de que existia uma ligação entre o atlântico e o pacífico feita pelos incas nunca foi confirmada.

E a inscrição inca na pedra não passa de uma "inscrição burrestre", feita por algum pixador engraçadinho, pois daonde os incas conheciam os algarismos arábicos?

Infelizmente muitas das pessoas que frequentam o Monte Crista não tem consciência alguma, basta ver a quantidade de pixações e lixo deixado por lá... ::vapapu::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A teoria mais aceita para a construção desse caminho é a de expansão da civilização Inca em direção ao Atlântico. Esta teoria se baseia nos vários vestígios da cultura Inca, que encontramos ao longo do seu caminho. Mais tarde, na época da colonização, esse caminho foi usado para transportar pedras preciosas.

sobre o rio vc esta certo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Otávio,

Há muito poucos estudos arqueológicos ou históricos sobre o Peabiru, mas é provável que, de uma forma ou de outra, tenha existido. O que há é uma série de citações de caminhos feitos pelos povos indígenas por escritores antigos ou então descrições de viajantes. Mas os estudos recentes mostram cada vez mais que os povos que aqui habitavam até a chegada dos portugueses possuíam estruturas bastante complexas, as quais só não conhecemos porque eram construídas de materiais perecíveis.

Esse é ocaso das trilhas também, a maioria das trilhas usadas pelos portugueses na Serra do Mar eram trilhas indígenas que foram calçadas com pedras. Talvez esse seja o caso da trilha citada.

Quanto à escrita na pedra é absurda mesmo, além dos algarismos romanos usa o modelo de data ocidental, como se seguisse o calendário cristão... hehehe. Um patê de história!

De qualquer forma é uma trilha incrível, pena que fica longe daqui.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Isso mesmo Marco, os jesuítas utilizaram os caminhos indíginas p/ subir do litoral ao planalto, tanto em SC como no PR (Trilha do Itupava), e em SP. E não foi só o caminho, utilizaram também a mão de obra indígina p/ calçar as trilhas e poder subir com as mulas.

Mas a trilha entre o atlântico e o pacífico ligando o império inca as tribos tupis nunca foi confirmado, e eu acredito que seja lenda. Acho difícil não ter ficado nenhum vestígio, ainda mais que os incas gostavam de construir templos. Seria mais fácil e provável que eles navegassem o Rio Amazonas em direção ao atlântico.

Pelo menos a ligação subterrânea entre São Tomé das Letras e Machu Pichu eu tenho certeza que "non ecxiste"... :wink:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
A teoria mais aceita para a construção desse caminho é a de expansão da civilização Inca em direção ao Atlântico. Esta teoria se baseia nos vários vestígios da cultura Inca, que encontramos ao longo do seu caminho. Mais tarde, na época da colonização, esse caminho foi usado para transportar pedras preciosas.

sobre o rio vc esta certo.

 

Olá Pessoal!

 

André, sem querer criar polêmica sobre o assunto, mas a teoria dos Incas não chegou a ser comprovada por estudos arqueológicos. As evidências históricas apontam para vários caminhos indígenas (os conhecidos Peabirus) em SC. Segundo estas mesmas evidências, registradas em documentos da época do império, a trilha de pedras do Monte Crista, denominada de "Caminho Velho", "Caminho das Três Barras" ou ainda "Caminho de São Tomé", rota secundária que interligava a região da Baía da Babitonga ao planalto paranaense e que se interliga depois ao "Caminho dos Ambrósios" (lado paranaense) foi um desses caminhos indígenas posteriormente calçado para servir de rota de fuga e escoamento de produtos que chegavam pela antiga vila portuária de vila de Nossa Senhora da Graça do Rio São Francisco (atual São Francisco do Sul), fundada em 1640.

 

Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

 

...

 

Há muito poucos estudos arqueológicos ou históricos sobre o Peabiru, mas é provável que, de uma forma ou de outra, tenha existido. O que há é uma série de citações de caminhos feitos pelos povos indígenas por escritores antigos ou então descrições de viajantes. Mas os estudos recentes mostram cada vez mais que os povos que aqui habitavam até a chegada dos portugueses possuíam estruturas bastante complexas, as quais só não conhecemos porque eram construídas de materiais perecíveis.

Esse é ocaso das trilhas também, a maioria das trilhas usadas pelos portugueses na Serra do Mar eram trilhas indígenas que foram calçadas com pedras. Talvez esse seja o caso da trilha citada.

 

...

 

 

Olá Marco!

 

Não há que se falar em "Peabiru" mas em Peabirús (assim, no plural mesmo). O termo "peabirú" vem do idioma tupi-guarani "tape" = caminho / "aviru" = gramado (caminho gramado). Ou seja, não houve um único Peabiru, mas vários peabirus...

 

No resto você está correto. Estes caminhos geralmente foram aproveitados depois pelos colonizadores que calçaram alguns trechos com pedras para facilitar o trânsito das tropas de mulas.

 

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

GV,

 

O que eu falei acima foi baseado em nos relatos de um viajante da época de sobrenome Aleixo e nos comentários de Sérgio Buarque de Holanda sobre o tal caminho. Mas já ouvi essa versão de "vários peabirus" e acho bastante válida e mesmo compatível com as fontes que citei.

 

Otávio,

 

Realmente a história do túnel não rola mesmo. Quanto ao caminho, penso numa estrada feita pelos povos desse lado do continente mesmo. Subestimamos muito a capacidade deles naquele tempo. Sendo o caminho segundo as descrições, "calçado" com grama, é impossível encontrar vestígios fora das partes onde já o conhecemos, visto que a agricultura já revirou a terra incontáveis vezes.

 

Mas, tendo existido ou não tal caminho, o que precisamos fazer é encontrar uma maneira de preservar as trilhas que restam. São parte da nossa história e da nossa cultura, além de nos divertir bastante nessas pernadas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

 

...

 

Mas, tendo existido ou não tal caminho, o que precisamos fazer é encontrar uma maneira de preservar as trilhas que restam. São parte da nossa história e da nossa cultura, além de nos divertir bastante nessas pernadas.

 

Concordo plenamente!!! ::otemo::::otemo::::otemo::

 

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Marco, a história do túnel ou cavernas ligando STL a MP é lenda criada por um pessoal alternativo que gosta muito daquela região, deve ser a água de lá que deixou a galera com a mente fértil... :mrgreen:

Sobre os caminhos pré-cabralianos (ué, não existe os pré-colombianos? :lol: ) concordo com vocês sobre os vários peabirus, e que muitos nunca foram descobertos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Entre para seguir isso  



×
×
  • Criar Novo...