Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

Pois vá tranquila Mônica.

O maior risco que a trilha pode oferecer é um acidente como o ocorrido, possibilidade bastante remota e que certamente os condutores de mulas redobrarão os cuidados a partir de agora.

Para quem faz a pé é somente cansativa, não existe nem a possibilidade de quem faz sozinho se perder, pois só existem dois caminhos principais, o que percorre o fundo do vale leva até Sangalle (O oásis) e de Sangalle o caminho que sobe para Cabanaconde no alto do vale.

Todos os guias obrigatoriamente são credenciados e orientados na Asociación de Guías Profesionales de Arequipa (Asguipa) e como bem colocou o gauchonunes eles são muito atenciosos com relação as normas de segurança, tanto por uma questão profissional, mas também por que os Arequipeños se orgulham muito da sua terra e se esforçam em mostrar aos turistas que suas belezas naturais e cultura são tão boas ou melhor que as dos Cusqueños – rola uma rivalidade histórica aí.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Concordo com vocês que é um triste acidente.

Mas não concordo em fazer as trilhas pelo vale sem guias, quando estive por lá (abril/2011) havia um casal de peruanos perdido a alguns dias e os guia comentaram que apenas um foi encontrado, o outro estavam "perdendo as esperanças".

Com guia vá tranquila, mas se der "cagaço" ou cansaço respeite você, isso vale para qualquer trilha ou passeio.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fiz o trekking de 2 dias no Colca em agosto de 2011 e foi um dos passeios mais legais de toda a viagem. É um percurso cheio de belas paisagens, mas a caminhada é longa, cansativa e requer sim preparo físico. Achei o primeiro dia mais fácil - apesar de mais longa, o terreno é mais fácil de se percorrer e é só descida até chegar no Oásis. Nesse dia duas peruanas que estavam no nosso grupo desistiram da caminhada e resolveram continuar em mulas. Uma delas caiu e bateu a cabeça. Graças a Deus tudo se resumiu a um galo na cabeça e alguns arranhões.

 

O segundo dia é mais puxado, pois o terreno é mais difícil e o percurso todo é de subida íngreme - uma verdadeira escadaria. Segundo o guia, são 7km de subida. Parecia que não ia acabar, mas até que cheguei bem ao final...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Podem ir tranquilo não existe grandes riscos, alem dos normais que se corre no dia a dia eu particularmente não aconselho o de 2 dias e sim o de 3 a não ser que sejam acostumados a fazer treking pois no de dois dias você sai as 3 da manhã de Arequipa desce até o Oasis, uma caminhada de mais de 10 km chegando no Oasis ja de noite e no dia seguinte 5 ou 6 da manhã começa a subida não sobra tempo para aproveitar os lugares, já no de 3 dias você caminha umas 3 ou 4 horas sempre pela manhã e tem a tarde livre para curtir os lugares o Oasis é um paraíso no meio de uma paisagem de deserto muiiiiiiiiiiiito legal e a subida é uns 6 ou 7 km mesmo só de subida é muitas escadas mas muito seguro claro com cuidado e respeitando os limites de cada um, geralmente um dos guias ficam com os últimos nunca deixando sem apoio no nosso caso foi assim um dos guias ficou com nós pois nós fomos os últimos do nosso grupo o pessoal fez uma festa quando chegamos la em cima estavam todos nos esperando para irmos para o desayuno.

já estou de volta ao brasil se alguem quiser dicas ou esclarecer dúvidas pode perguntar.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vou aproveitar o acidente ocorrido no Vale del Colca para relatar as minhas impressões e deixar algumas dicas para quem deseja se aventurar.

 

A descida e o seu grau de dificuldade

 

Fiz a trilha sem saber que o grau de dificuldade era razoavelmente alto. Antes de ir, pesquisei muito, e não percebi, pelos relatos e pelas informações que a trilha era tão cansativa. Portanto, sugiro que o passeio seja feito em 3 dias e duas noites (como fiz, menos cansativo). Se estiver com dificuldade de respiração em função da altitude, não vá. O caminho de descida é diferente do da subida. A descida não é tão íngreme, porém o solo é bastante pedregoso. Parece que a gente está patinando, que o solado do sapato está desgastado, uma sensação de insegurança ruim. Uma pessoa do meu grupo caiu e mais duas tiveram que descer no pelo de uma mula porque não conseguiam ir adiante caminhando. Fui andando sempre devagar e com muita atenção, era sempre a última do grupo, estava tensa prestando atenção ao caminho, fora que a altitude não me ajudou muito.

 

As paisagens

 

As paisagens são bonitas, mas nada de tão espetacular. Acho que a passagem pelas comunidades, o contato com algumas plantas nativas e medicinais e a experiência de comer novos frutos foram até mais interessantes do que a experiência de andar em terreno pedregoso.

 

Acomodação e Alimentação

 

As acomodações são bem simples, porém tudo limpinho. No primeiro dia tinha energia e banho quente, já no segundo, nenhum dos dois. Uma experiência até bem interessante. A alimentação é bem caseira, sempre uma comidinha da região.

 

A subida de mula e à pé

 

A subida é um trecho menor, porém como é subida e íngreme, a altitude não colabora muito. Pela experiência da descida, percebi de cara que não conseguiria subir sem dificuldade, iria demorar pelo menos o dobro do tempo do grupo e como não queria atrapalhar, me deram a opção de subir de mula. Não tinha noção do caminho e nem da dificuldade que seria, mas decidi ir. De mula devem ter subido pelo menos umas 10 pessoas. Fui a última a subir na mula e logo vi que não tinha estribo, somente a sela. Não havia mais animal nenhum, eu tinha sido a última e o guia das mulas (um nativo) nos disse que não teria outra. Já eram quase 6:30 da manhã e o pessoal que subiu andando já havia saído desde às 5h. Portanto, não tinha muita opção. Foram 2 horas de subida relativamente íngreme, segurando diretamente na sela e numa tensão redobrada para não cair da mula. Sinceramente, pensei em descer da mula várias vezes. Cheguei lá em cima bastante chateada e com bolhas nas duas mão de tanto que me segurei na sela pra não cair, isso porque eu tenho até uma certa habilidade pra essas atividades, imagine se não tivesse. Reclamei muito, e sinceramente, a opção da mula é extremamente perigosa. O caminho é estreito e as mulas ficam tentando ultrapassar as outras, tem os galhos. É visível o perigo, em determinados momentos eu nem olhava para baixo. Conselho: Leve o tempo que for, mas suba andando, vai ser muito cansativo, mas seguro. Não se arrisque. Meu primo levou 1h para subir, eu teria levado o dobro. Encontrei no meu do caminho com a americana que havia descido no pelo da mula, e dessa vez ela preferiu subir andando mesmo, apesar de todas as dificuldades.

 

 

Dicas:

- Faça a trilha de 3 dias, e respeite o seu ritmo;

- Leve um livro para ler nas tardes livres;

- Leve uma mochila pequena e leve;

- Não economize na água, encha sua garrafa sempre que encontrar alguém vendendo;

- Leve protetor, boné e repelente;

- Estude a opção de ir com aqueles bastões, nossa guia foi com um par desses, acho que ajuda bastante.

- Vá com sapato apropriado para trilha, evite ir de tênis;

- Leve lanches, nos alojamentos não há nada além da alimentação já inclusa no pacote;

- Se tiver com dúvida, não vá;

- Leve toalha, roupa de banho e lanterna;

- Vá através de uma agência e com guia, ouvi vários relatos de pessoas que se perderam e não foram achadas.

 

Claro que essas são as minhas impressões, e se você for aventureiro, recomento muito que vá, pois o passeio vale a pena, só seja prudente e não suba de mula.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amigos,

 

Estou indo em junho para Machu Picchu de carro partindo de Campinas, preciso saber se a estrada para o Canyon del Colca, Chivay é asfaltada ou de rípio.

Alguém teria essa informação?

 

Obrigado,

 

PPMV.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Chivay até Cabanaconde estrada.

e deve dar uns 10 km de chão, mas é rasuavelmente boa.

 

É um pouco mais Gaucho... 59 quilômetros. ::cool:::'>

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...