Ir para conteúdo

Mochilão América do Sul – 15 dias / La Paz, Uyuni, Potosi, Sucre, Copacabana, Isla del Sol e La Paz


Posts Recomendados

5º dia – Potosi

 

Acordei as 7:00hs e já fui procurar passeios para o mesmo dia. O café e banho quente nesse Hostal é só após as 8:00hs, então, mesmo doida por um banho fui procurar passeios antes que saissem. Achei o preço da Altiplanos SRL o mais em conta e o atendimento foi bacana. Passeio das minas de Cerro Rico e um tour pela cidade (que achei desnecessário depois). Os dois ficaram em B 120,00 com equipamentos. Como só sairiamos as 9:00hs, voltei ao hostal para tomar café e um banho quente. Quando cheguei, já haviam aberto o quarto que minhas bagagens ficaram trancadas e mudei para ele novamente. O número é o 14, é bem no canto e fica próximo ao banheiro (que sempre está limpo) e o quarto é sossegado (tudo que eu precisava).

O passeio saiu as 9:20hs, haviam mais 8 pessoas todos estrangeiros, eu praticamente não encontrei com brasileiros na viagem toda.

O motorista e o guia nos levaram próximos a entrada da mina para explicar como é a vida desses mineiros, crenças e como eles necessitam do turismo para facilitar um pouco a vida deles. É recomendado os turistas sempre levarem refrigerantes, Folhas de coca e cigarros para entregar aos mineiros que ficam nas minas por grandes periodos. É uma maneira de retribuir o fato de que eles aceitam aparecer nas fotografias e falar um pouco da vida deles.

Antes de entrar nas Minas, paramos em um depósito da Agência para colocar os equipamentos (capacete, lanterna, botas, macacão) e só então, entrar na mina.

O guia foi sempre prestativo e o tour foi muito educativo e interessante, recomendo embora seja na maioria, uma visão triste devido as crianças que trabalham lá. É uma vida muito dificil dos mineiros, só conhecendo para entender mesmo.

As 13:30hs o passeio terminava e eu estava com muita fome. Deixamos o City tour para daqui uma hora. Aproveitei o tempo para descarregar as fotos, por que eu não queria correr o risco de acontecer algo e perder as fotos, e ainda não havia descarregado as fotos de Uyuni.

A chuva começou e o frio chegou junto, e como o city tour seria a pé, decidimos que seria mais interessante fazer esse tour noturno, seria diferente mas, menos proveitoso já que os museus já estavam fechados. Se for para Potosi, não perca dinheiro com o city tour, você consegue fazer sozinha e a pé. Pra mim valeu ter feito porque foi noturno e não queria ficar de bobeira com minha máquina fotográfica, já que Potosi não é assim tão seguro viu.

Aproveitei a tarde para procurar algum passeio para o dia seguinte, se não encontrasse, iria para outra cidade a noite. Havia um tour para as Lagunas de Kari Kari que nenhuma agência queria fazer por falta de outros participantes, esse já seria o 2º passeio perdido mas, depois de caminhar bastante encontrei a agência El Mascaron Tours que confirmou fazer o tour nem que fosse apenas eu. Como só acredito nas coisas quando acontecem, o jeito era esperar o dia seguinte para saber se tudo daria certo, se não desse, teria perdido um dia a toa e pago uma hospedagem a mais. Esse tour ficou em B 230,00.

Começamos o city tour as 18:30hs e ainda garoava mas, a cidade a noite com garoa ficou tão bonitinha rss. Passeamos por umas 2 horas e meia, o guia foi muito informativo e sempre tentando uma gracinha ou outra, esses bolivianos viu rs. Potosi têm uma história bacana, já que quando os espanhois chegaram eles dividiram a cidade, onde na parte baixa viviam os indios e na parte de cima os espanhois. Os indios não podiam ultrapassar mas, fiquei pensando que se houvessem aqueles indios no estilo do filme "O último dos Moicanos ou Dança com Lobos" bem que deve ter rolado aquelas histórinhas de amor proibido hihihi.

Jantei Pollo a la Broaster novamente com suco, não estava com fome mas, já que teria um trekking preferi me alimentar bem. Depois um ótimo banho quente, em seguida, precisava descansar por que o trekking do dia seguinte parecia pesado e ainda seria com chuva, pelo que o tempo indicava. Encontrei um canivete francês embaixo da cama ;)

 

Minas Cerro Rico = B 60,00

City Tour = B 60,00

Descarregar fotos = B 30,00

Trekking Lagunas Kari Kari = B 230,00

Hostal = B 30,00

Jantar = B 18,00

 

 

20120116160851.jpg

 

20120116161239.jpg

 

20120116161459.JPG

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Respostas 46
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

6º dia – Potosi

 

Tomei um Desayuno simples no Hostal e deixei minha mochila por lá, pois a noite já partiria para outra cidade, ainda não sabia qual rs. Parti para a agência para inicio do trekking as Lagunas, estava ansiosa por esse trekking pelas fotos que vi. O trreking seria exclusivo já que somente eu iria naquele dia. A guia chamava-se Ivlin, e não falava muito, o que foi ótimo pois aquele lugar era tão lindo que foi ótimo ficar absorta em meus pensamentos.

Como não haviam muitos integrantes, pegamos uma van as 9:00hs que nos deixou no inicio da trilha. Levou em torno de 25 minutinhos e começamos a subida. Passamos pelos Engenhos antigos de pedra, onde muitos homens trabalhavam manualmente nesses engenhos, hoje em dia eram apenas destroços, ruinas.

A subida é leve, em torno de 1 horinha já estavamos no topo e lá de cima tinhamos uma visão incrivel de Potosi e dos novos engenhos que são utilizados hoje em dia. E do outro lado, a visão de algumas lagunas artificiais mas, o melhor estava por vir.

Mais alguns kilometros e nos deparamos com muitas Ilhamas, e ovelhas pastando nas montanhas. E logo já tinhamos a visão das montanhas de Kari Kari semi cobertas de neve. Foi lindo demais, uma laguna brilhante, uma casinha pequena de pedra no meio e as montanhas atras, fiquei estarrecida.

As 12:00hs paramos para almoçar alguns lanchinhos e seguimos com o trekking. As nuvens começaram a escurecer e o clima começou a esfriar. Apertamos o passo para fugir dessa chuva pois, haviam muitos raios cortando os céus.

Eram quase 14:30hs quando chegamos a rodovia e esperamos a van para voltar a cidade. Não esperamos muito, em Potosi é uma van atras da outra.

Ainda não havia decidido para onde ir então, peguei a mochila no Hostal e peguei a van para o terminal que fica um pouco longe. Olha, entrar em uma van na Bolívia é uma aventura pois, a sensação que eu tinha é que tudo pode acontecer. Nessa última van em Potosi, com 20min de viagem a van quase bateu 2 vezes e quase atropelou 2 mulheres.

As 15:20hs cheguei ao terminal e as 15:30hs tinha saida para Sucre. Comprei o bilhete pela Trans Villa Imperial, bus leito e a viagem duraria 3 horas. Ouvi dizer que Sucre é uma cidade linda, o bus partiu no horário.

Na estrada de Potosi a Sucre, há muitas capelinhas de acidentes... È como um cemitério a céu aberto, e também ficam muitos cachorros na estrada, ao lado da pista. E não estou falando de 1 ou 2 não, e sim praticamente 2 dúzias de cachorros.

O bus deixa os passageiros na parte baixa de Sucre, em frente ao Hostal Austria. Caminhei um pouco, passei por 2 residenciais e o preço era o mesmo, B 50,00 sem desayuno mas, não gostei dos lugares. Voltei ao Austria e fiquei por lá mesmo por B 60,00 com Desayuno e foi a pior hospedagem até o momento. Não dormi nada, o vizinho do quarto ao lado ficou com a TV ligada alta a noite toda, depois duas familias ocuparam os dois quartos da frente e sem ter noção de respeitar os vizinhos, ficaram de portas abertas vez ou outra indo e vindo de um quarto ao outro. Havia um guri que gritava toda hora pelo pai e corria no corredor fazendo o que quisesse. Com a paciência esgotada, desci na recepção sem esquecer de bater porta para deixar claro a insatisfação aos meus vizinhos, que pareçam não se importar ou não perceber, acredito que é a segunda opção.

A recepção informou que não haviam mais quartos, que duvidei e acredito que não quiseram trocar mesmo. O chuveiro demorava para esquentar e novamente fiquei presa do lado de fora, pois quando fechei o quarto e fui tomar banho, quando voltei ao tentar abrir a maçanete saiu na minha mão e o jeito foi chamar o carinha mal humorado da recepção. No decorrer da noite, solicitei mudança de quarto por mais uma vez e nada. Foi uma noite horrivel, e já me arrependia de ter ido a Sucre. Tanto pela noite mal dormida, pelas pessoas que me atenderam que não curti o atendimento, tanto no hotel quanto na cidade nessa parte baixa, quanto ao lugar em si que não me senti a vontade. Decidi que iria embora no dia seguinte.

 

Bus para Sucre = B 15,00

Direito de uso Terminal = B 2,00

Hostal Austria = B 60,00

Internet = B 2,00

Jantar e diversos = B 46,00

 

 

20120116170822.JPG

 

20120116171317.JPG

 

20120116172925.jpg

Link para o post
Compartilhar em outros sites

7º dia – Sucre

 

Nem vou dizer que acordei por que sequer dormi, fiquei a noite toda me revirando na cama e vez ou outra vendo TV. As 7:00hs desci para o café, deixei as mochilas no hostal e fui passear no parque dos dinossauros, que dizem que há pegadas verdadeiras de dinos e replicas em tamanho igual. Sai as 7:40hs e antes de ir para o parque, fui até a agência da TAM para saber se havia passagem para aquele mesmo dia e se o valor compensava. Quando cheguei na agência, tinha passagem mas, para as 10:00hs e não daria tempo de chegar ao aeroporto e o valor era de B 470,00. O que até valeria pois a viagem seria de apenas 50 minutos, quanto de bus seriam 12 horas. Enfim, o jeito foi voltar ao terminal e comprar a passagem para La Paz por B 135,00 bus cama na empresa El Dorado para as 19:00s. Ótima empresa, ônibus novos e confortáveis.

As 10:00hs peguei uma van para o Parque Cretáceo, que achei uma grande perda de tempo, é bom para a criançada, mais uma razão para querer ir embora o mais rápido possivel. Voltei ao centro para conhecer alguma coisa, passeei para lá e para cá, bebi, comi, cochilei, fucei a internet e o tempo não passava... aff.

As 18:00hs busquei minha mochila no hostal, onde o valor havia mudado para B 70,00 acho que devido ao Natal e fui para o terminal, e se você tiver coisas que quebram não deixem na bagagem pois, eles jogam as bagagens da parte de cima para os bus abaixo. Puro descaso com os pertences, achei tudo muito desorganizado. Pois as bagagens você não leva e coloca no bagageiro, fica na agência e depois eles mesmos levam (jogam) para o motorista do bus. ::ahhhh::

O bus era Doble e super confotável, haviam poucos passageiros e estava sozinha no meu assento o que achei ótimo pois, com certeza iria dormir muito. Dormi muito melhor nesse bus que no Austria. Até que um senhor que sei lá de onde veio, me acordou com seus roncos muiiitoo altos. Tentei acorda-lo me mexendo vez ou outra mas, não teve jeito, ele não acordava e eu é que não iria passar outra noite mal dormida, e meu humor ainda não estava recuperado. Cutuquei o cara, ele se desculpou e ficou acordado. Voltei a dormir, quando acordei ele não estava por lá mas, eu ouvia um ronco ao longe na parte de baixo do bus. Colocaram o filme Planeta dos Macacos e assisti de novo já que havia dormido bastante e me sentia muito melhor.

 

Vans = B 4,50

Passagem para La Paz = B 135,00

Parque cretáceo = B 30,00 (não paguei direito de uso de camera)

Diversos = B 57,00

 

 

20120119160056.jpg

 

20120119164743.jpg

 

20120119165431.jpg

Link para o post
Compartilhar em outros sites

8º dia – La Paz

 

Cheguei em La Paz as 7:20hs e o tempo estava muito nublado e um frio danado, muito diferente de Sucre que passei calor o tempo todo. Como já estava no terminal, fui procurar passagens para o dia seguinte para Copacabana pois nesse dia iria comprar algumas lembrancinhas. Comprei passagens para Copacabana pela New Continent por B 30,00 para as 8:00hs do dia seguinte pois não estava afim de ficar procurando van e ir apertada.

Deixei a mochila nessa agência e fui camelar pelas ruas de La Paz, comprei muitas coisas bacanas para a futura nova casa e as 11:00hs, com tudo comprado era hora de procurar um lugar para passar a noite. Vi algumas indicações e tentei segui-las, primeiro, fui ao Select Comfort e estava B 120,00 achei caro e então fui na outra indicação, o hotel Sagarnaga e fiquei por lá por B 70,00 quarto privado. A arrumadeira iria arrumar em 10 minutos e aproveitei para ir buscar a mochila. Fui a pé por que é muito pertinho e aproveitei para passar em outros hostels para tentar achar algum mais barato já que quando voltasse de copacabana, ficaria até dia 31 em La Paz. Encontrei o Al Sigal por B 50,00, na Calle Murillo que achei ótimo, fui muito bem atendida e tinha internet. Reservei para o dia 26 até o dia 30.

Quando cheguei ao hotel, haviam mudado meu quarto e ainda iriam arrumar, estava cansada e achei um absurdo me mudarem de quarto e ele ainda nem estar arrumado. Pedi outro quarto, me levaram em outro e que também precisava ser arrumado. Dei piti, peguei minhas coisas e sai do hotel e fui para o Al Sigal, que achei até melhor viu. O quarto 107 é muito tranquilo e tem uma area nos fundos que dá para pendurar as roupas, o que achei ótimo pois precisava lavar algumas peças hehe.

As 15:00hs, já havia tomado um banho excelente e lavado minhas roupas no chuveiro. Como eu sabia que dormiria cedo, sai para passar as fotos no DVD e fui jantar, tem um restaurante onde você come muito bem, a comida é maravilhosa e super barata, foi o melhor restaurante que conheci na Bolivia. Fica na Calle Sta Cruz, o nome é Kory Inty. Nessa noite, comi Frango empanado com Arroz, batatas e salada por B 15,00 e cerveja Pacenã. Comi demais, nossa... Ainda consegui ir no Lunas para beber um Pisco Sour e só então, voltar ao Hostal e dormir muito bem. As ruas de La paz, não paravam de tocar Michel Teló, nem lá consigo me livrar disso.

 

Lembrancinhas = B 620,00

Hospedagem Al Sigal = B 50,00

Jantar + bebidas = B 47,00

Passagem para Copacabana = B 30,00

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Olá,

 

Parabéns pela trip.

 

Quanto ao hotel, acho que você não deu sorte, não sei, fiquei hospedada vários dias entre dezembro 2011 e janeiro 2012 no Sarganaga e dou nota 10 para o atendimento, a localização a farta água quente tanto no chuveiro como na pia, a única coisa "meio fraquinha" é o desayuno, mais tem café com leite ou chá, suco, pão, torradas, bolachas, manteiga e geleia.

 

Aguardando o final do relato.

 

MAria Emília

Link para o post
Compartilhar em outros sites

É Maria Emilia, as experiências são diferentes para cada um, eu não dei sorte mesmo achei o atendimento um puro descaso mas, já ouvi muita gente falando bem, tanto é que fui lá pela ótima indicação que recebi mas, pra mim não deu certo rsss

 

Bj

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...