Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
Adriano Klein

Mar del Plata e La Plata

Posts Recomendados

Gleici

na 1ª página tem um lista das empresas que fazem os percurso, é só pesquisar.

Acredito que tenh muitas opções de linhas, horários e preços.

Abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fui a Mar del Plata ano passado e fiquei no hostel Playa Grande. Pra quem é solteiro e está não liga pra conforto o hostel é excelente devido a sua localização.

 

Esse ano pretendo voltar lá para o reveillon e queria saber se alguem conhece algum hotel que seja bom mas não tão caro pois dessa vez vou minha namorada e ela é um pouco fresca rsrs. Se for na região da Playa grande então melhor ainda.

 

Dei uma olhada nesse Anacapri mas não me inspirou mta confiança não

 

Valeu

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Olá,

qual ônibus tomaria de Buenos Aires até Mardel?E o tempo de viagem?

Além da night e badalação, o que mais vale a pena lá?As praias são realmente bonitas?Há outras opções de passeios nas redondezas?

Um dia em Mardel já é suficiente ou fica apertado?E hospedagem?

Estou em dúvida sobre viajar em janeiro para Bolívia/Peru ou pra Buenos Aires, Buenos Aires por não ter tantas viagens de ônibus e por ter um deslocamento e distancias das atrações menores, acaba ficando mais barato, ainda mais que a viagem é bem mais curta(pensei em 4 dias para Bs As e 1 pra Mardel(na Bolívia/Peru teria de ficar pelo menos uns 12 dias), se alguém tiver mais sugestões naquelas redondezas...), mas fico com um pé atrás de Buenos Aires só oferece atrações urbanas, queria pelo menos alguma atração mais "natural" rs, e o passeio pra Delta do Rio Tigre e Mardel me parecem ser as opções por ali.

Valeu! ::otemo::

BEM KRA NU SEI SE VC JA FOI EN SUA VIAGEM MAIS SERIA BEM MAIS INTERESSANTE VC IR PARA O PERU,,, SE GOSTAR DE COISAS NATURAIS E ARQUIOLOGIA

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Alguém conhece algum albergue em Mardel sem ser o hostel Playa Grande ou o Hostel Casa Grande?

O Playa Grande está 95 pesos/dia agora em dez/2009

O Casa Grande esstá 55 pesos/dia

Talvez eu fique no CasaGrande, parece ter uma boa localização e ser limpinho e organizado. O Playa Grande tá fora do meu orçamento no momento...Mas vocês tem outras indicações? Ainda não tentei fazer a reserva mas gostaria de ter outras alternativas.

 

Alguém conhece um Hostel chamado Namastê?

 

Aqui tem algumas opções de Hostel em Mar del Plata: http://www.mardelplata.com/alojamentos/hostel.html para quem se interessar. Mas queria mesmo ir em um recomendado por gente que conhece ou já ficou lá...

 

Obrigada :)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

OI Debbie..

 

 

Estou indo tbm para Mar Del Plata, estou indo no final de fevereiro, vou passar 4 dias e 16 em BA.

Estou super em duvidas tbm onde ficar e axei os preços do hostel lá mais alto q BA. Gostaria de manter contatos com vc até pra saber o q fazer lá, como foi sua viagem, o q vc axou...

 

ate.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Estou indo com uns amigos pra Argentina no finalzinho de Janeiro e começo de fevereiro, vamos ficar mais em Buenos Aires, mas estamos programando 3 dias em Mar Del Plata, gostaria de saber de quem foi recentemente ou que conhce já o lugar nessa época, se acha que 3 dias é suficiente, visto que estamos indo mais preocupados com a noitada da Cidade de Mar Del Plata, Boates, Bares e Pubs, se tem muito movimento nessa época do ano. Pretendemos ficar no Playa Grande Hostel, pois pelos relatos do pessoal, falam muito bem dele, no caso da agitação, tb vimos sobre o Playa del Surs e o Playa Grande Suites, alguem sabe me dizer qual dos três é melhor???

 

::hahaha::::hahaha::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ola pessoal, estou hj no meu 3º dia em Mar Del Plata, e confesso que estou um pouco decepcionado, esperava mais, fiquei 4 dias em Buenos Airese achei muito bom, estou hospedado no Hostel Playa Grande Suites, para começo fizemos eu e meus amigos reservas especificamente no Playa Grande, e ao chegarmos, mandaram a gente para o Suites que é 2 quadras de distância, apesar de ser perto, achei a estrutura pior, o staff é bem fraco, isso estou comparando com o Milhouse que fiquei hospedado em Buenos Aires, e achei o hostel mais doido...heheheh... e a praia de Mar del, já fui em duas, na Playa Grande que é onde estou e na Playa del Sur, são praias diferentes da que estou acostumado no Brasil, mascompensa ver,ficarei aqui 4 dias no total, acho que pra conhecer aqui não precisa de mais que essa quantidade de dias, depois de amanhã etarei voltando pra Buenos Aires, pra mais um pouco da rotina noturna de la. ::otemo::::otemo::

 

:idea:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Conteúdo Similar

    • Por Rafa Meireles
      Olá mochileiros.
      Esse é meu primeiro relato aqui e nada mais justo que escolher minha primeira viagem internacional como ponto de partida . Estive visitando a capital argentina entre os dias 17 e 21 de janeiro de 2016, onde comi muito , dancei tango, fui assaltado e pude apreciar e curtir as principais atrações portenhas, seguindo sempre o lema ''bom e barato''. O quesito alimentação talvez tenha sido o que mais pesou no bolso, pois achei difícil encontrar opções baratas na cidade e quando encontrava, deixava a desejar em sabor. Roupas e lembrancinhas no geral também tem preços astronômicos na maior parte da cidade - a inflação é enorme na Argentina - então é sempre bom dar uma pesquisada. Em compensação o transporte público - ônibus e metrô - é extremamente barato e eficiente. Fiz a maior parte dos passeios a pé ou utilizando o transporte público, especialmente o abençoado metrô , que apesar de ser sujo e antigo (foi o primeiro da América do Sul) atende boa parte da área central, onde estão a maior parte das atrações. No geral achei Buenos Aires bem limpa e organizada, com uma arquitetura fantástica, cheia de vida e agitada, principalmente no cenário cultural.
       
      Espero que meu relato seja útil a vcs. Vamos lá.
       
      Para ver mais fotos, acesse meu insta: https://www.instagram.com/rafah.meireles/?hl=pt-br ou face: https://www.facebook.com/rafael.henriquecarter
       


      Dia 1 - Chegada
       
      Depois de uma noite em claro devido a uma crise de ansiedade incontrolável haha, Eu e o Danilo decolamos do aeroporto de Viracopos em Campinas (onde moro) as 07.50 e chegamos em Buenos Aires por volta das 15.30, depois de uma escala de quase duas horas em Brasília, com uma sensação muito gostosa de curiosidade e alegria. Voamos com a Gol, onde compramos um pacote pelo site da Decolar com passagem + hotel por cerca de R$ 1.200,00, já com impostos inclusos. Descemos no Aeroporto Internacional de Ezeiza, que fica localizado nos arredores de Buenos Aires e é o mais movimentado do país, apesar de ter achado o mesmo extremamente antigo, se comparado com os dois aeroportos que passei no Brasil antes desse. As placas informativas são confusas e existem muitos corredores que não levam a lugar nenhum, ou seja, nosso primeiro perrengue em terras argentinas foi tentar achar a saída do aeroporto haha. De lá pegamos um fretado da Tienda Leon que faz a ligação entre o aeroporto e Puerto Madero por 95 pesos, um valor relativamente baixo se comparado com os outros táxis credenciados que encontramos. O caminho pela rodovia foi bem tranquilo e não pegamos transito algum (talvez pelo fato de ser domingo) e em cerca de 40 minutos já estava avistando os prédios da capital no horizonte.

      GOLPE DA TINTA VERDE: Chegando na agência da companhia em Puerto Madero fomos tentar achar a estação de metrô mais próxima para irmos até o nosso hotel ao invés de pegarmos um táxi, pois sairia mais barato. Enquanto estávamos tentando achar a entrada da estação San Martin na Plaza San Martin eis que eu e o Danilo caímos no famoso golpe da tinta, no qual uma pessoa (no nosso caso uma mulher) joga uma tinta verde nas suas costas e aparece do nada dizendo que o passarinho fez coco em vc e começa ate ajudar a limpar. Nisso um aglomerado de pessoas se juntam ao seu redor e ao te distrair rouba suas malas e objetos que estão nos bolsos. E foi realmente isso que me aconteceu . Em um segundo minha mochila já não estava mais ao meu lado e com isso as pessoas começaram a se afastar. No desespero não sabia o que fazer, e como estávamos com outras malas atravessamos a rua e fomos até a Estação Retiro que ficava em frente, onde informamos o ocorrido aos policiais. Nos levaram em uma sala e um coordenador da estação veio nos ajudar. Não sabíamos falar espanhol e eles o inglês, então nos viramos no portunhol. Ele nos disse que esse tipo de golpe é comum na cidade e que poderíamos até prestar queixa, mas que não iríamos conseguir recuperar a mochila, no qual havia minha câmera fotográfica, óculos de grau e mais 700 reais em dinheiro , ou seja, foi um prejuízo lascado e minha primeira impressão da cidade foi uma das piores sem dúvidas. Com isso cheguei a conclusão que o barato acaba saindo caro e que realmente não podemos ficar desatentos em certos lugares, principalmente os que não conhecemos. Decidi não dar queixa e ir direto para o hotel tentar relaxar um pouco. Apesar desse acontecimento, aparentemente a cidade é bem tranquila e não traz uma sensação de insegurança, mas claro, vale a pena ter atenção (coisa que não tive haha).
       
      HOTEL: Pegamos um táxi em frente a estação Retiro e fomos até o Hotel Complejo Tango, que fica na avenida Belgrano e sem dúvidas foi uma das minhas maiores surpresas na cidade. Ele fica instalado em uma casarão de esquina e tem uma decoração temática que remete aos anos 50 . A diária por uma quarto duplo com banheiro privativo saiu por pouco mais de 100 reais e as instalações apesar de antigas eram muito boas, assim como o atendimento dos funcionários. Além do mais, o Complejo Tango oferece um pacote que incluí aula de tango, jantar e um show de tango (muito bom por sinal) que sai 1.200 pesos por pessoa e 600 pesos para quem for hóspede.
      Assim que fizemos o check-in fomos conhecer as ruas ao redor do hotel e ver se achávamos algo para comer. Abalados com o assalto, compramos algumas empanadas por 14 pesos em uma padaria na quadra ao lado, além de escova e pasta de dente ( sim, eles levaram isso também) em um mercadinho e voltamos para o hotel para tentar descansar e esquecer o ocorrido.
      Obs: o nosso hotel ficava a apenas uma quadra da estação de metrô Venezuela - linha amarela - na avenida Jujuy e sem dúvidas ajudou muito nossa locomoção. Então minha dica é: sempre pegue um hotel próximo ao metrô - caso a cidade tenha - pois facilita e muito.
       
      CÂMBIO: Sem dúvidas o melhor lugar para se trocar real por peso no famoso câmbio paralelo é na Rua Florida (Calle Florida) bem no centro da capital. A cada esquina você encontra alguém oferecendo cambio, principalmente se vc tiver cara de turista. Apesar de ser um ato ilegal e ter um alto risco de se pegar alguma nota falsa, a cotação do real perante o peso é geralmente vantajosa, mas é importante pesquisar - e a negociação é sempre feita em lugares inusitados, como no nosso caso, onde fizemos a troca dentro de uma banca de revistas e em uma sapataria. Acredito também que não é vantajoso trocar todo seu dinheiro por pesos no Brasil - troque alguns para táxi e comida no aeroporto apenas.

       
      Dia 2 - Congresso, 9 de julho, Recoleta e Palermo
       
      Acordamos bem cedo para conhecer a cidade e aproveitar o máximo nosso passeio (apesar do assalto) e adivinha? descobrimos que o comércio em geral na cidade só abre após as 10 hrs. Com isso fomos tomar café da manhã em uma pizzaria localizada na rua Albert, onde comemos empanadas (ohhh coisa gostosa que é essas empanadas ) e depois decidimos ir apé até o Congresso Nacional. Os pontos de interesse que visitamos nesse dia foram nessa ordem:
       
      Congresso Nacional - Fomos cortando por várias ruas do bairro de Balvanera e admirando a arquitetura da cidade até chegar no fabuloso prédio do Congresso, na minha singela opinião o mais belo da cidade.
      Plaza del Congreso - Fica bem em frente ao Congresso e é na verdade um conjunto de várias praças bem arborizadas com inúmeros monumentos e fontes.
      Avenida de Mayo - Se inicia bem em frente a Plaza del Congreso e vai até a Plaza de Mayo. É uma movimentada avenida repleta de muito comércio e prédios históricos.
      Palácio Barolo - não realizei o tour guiado pelo seu interior pois achei um pouco caro.
      Avenida 9 de julho - Essa sim é uma avenida monumental. Extremamente larga e com um transito caótico, foi um dos lugares que mais gostei na cidade, principalmente por ter um clima bem cosmopolita. Na 9 de julho aproveitei para conhecer o famoso Obelisco (paradinha para aquelas fotos básicas de turista), o monumento as cataratas do iguaçu (SIM, eles tem uma pequena réplica das cachoeiras em plena avenida) e depois seguimos até o majestoso Colón.

      Teatro Colón - o teatro mais bonito que já visitei até então. A própria estrutura do teatro impressiona, por ser bem alto e cheio de ornamentações, porém meu desejo mesmo era conhecer o seu interior. Eu e o Danilo entramos por uma de suas portas laterais e fomos até a bilheteria do teatro comprar os tickets para o tour guiado que é realizado de meia e meia hora. Os dois ingressos saíram por quase 300 pesos e o tour era feito em inglês, percorrendo os corredores do teatro, a grande escadaria, a plateia e o salão nobre. É realmente fantástico e apesar de caro, é um dos passeios mais interessantes da cidade. Aproveitamos que estávamos com fome e almoçamos no café do teatro (ambiente super lindo, mas um pouco caro).

      Plaza General Lavalle - fica bem em frente ao teatro Colón
      Tribunal de Justiça e a escola Presidente Roca
      Plaza del Vaticano 
      Avenida Alvear - Seguimos caminhando por toda a 9 de Julho até chegar na avenida Alvear, já na entrada do bairro da Recoleta, onde encontramos por acaso o belíssimo palácio Pereda, de estilo francês, onde está a embaixada do Brasil em Buenos Aires. Ao longo de toda a avenida estão outros inúmeros palácios, grifes e hotéis badalados. Essa é sem dúvidas uma das área mais elegantes e caras de toda a cidade.
      Cemitério da Recoleta - Muita gente ainda torce o nariz para arte tumular, mas eu simplesmente acho lindo e o cemitério é fantástico, com um túmulo mais imponente que outro. Ficamos facilmente umas 3 horas dentro da necrópole onde visitamos os principais túmulos, entre eles o de Evita Perón (o único que continha flores entre todos os túmulos que vimos e realmente comprovamos o que dizem, ele é um dos mais simples ali existente). Saímos do cemitério e fomos dar uma volta pela grande praça bem em frente e demos uma olhada na pequena feira que estava ali montada.


      Igreja Del Pilar
      Centro Cultural da Recoleta
      Monumento a Alvear e Palais de Glace
      Hard Rock Buenos Aires Fica localizado dentro de um pequeno shopping e que inclusive estava praticamente vazio.
      Plaza Francia - localizada ao lado do Hard Rock, tem um belo monumento a comunidade francesa.
      Museu de Belas Artes - infelizmente estava fechado - era segunda feira.
      Faculdade de Direito - atravessamos a ponte universitária, que inclusive oferece a mais bela vista da Faculdade de Direito.
      Floralis Genérica - pausa obrigatória para fotos
      MALBA - Já estávamos extremamente cansados - e o calor de 30 graus do final da tarde não ajudava muito - mas mesmo assim decidimos continuar nosso roteiro e fomos caminhando por cerca de meia hora pela movimentada avenida Presidente Alcorta até chegar no bairro de Palermo, onde nosso objetivo era o MALBA - Museu de Arte Latino Americano de Buenos Aires, onde está a nossa famosa tela O Abaporu, além de telas da Frida Kahlo. O museu é bem grande e custa 60 pesos por pessoa. Lá dentro há um pequeno café e uma loja de lembrancinhas (todas caras por sinal).
      Plaza Uruguay - Saindo do MALBA voltamos pela mesma avenida, cruzamos o grandioso espaço verde dessa praça, onde havia muitas pessoas fazendo piqueniques ou simplesmente descansando em seu gramado. Inclusive havia muitas pessoas fazendo caminhada e exercícios pela avenida.
      Livraria El Ateneo - Seguimos de apé do bairro de Palermo até esse que é um dos lugares mais lindos da cidade (considerada a segunda livraria mais bela do mundo). Ela fica localizada em no prédio de um antigo teatro que foi transformado em cinema e anos depois nessa livraria. No que era o palco do teatro há um charmoso café (Café Ateneo).
       
      Por incrível que pareça fizemos todo esse roteiro a pé (emagrecemos uns quilinhos também hahaha). Foi bem cansativo, mas conseguimos conhecer muitas coisas e economizar bastante com locomoção.
       

       
      Dia 3 - Plaza de Mayo, Caminito
       
      Tomamos nosso café da manhã no hotel - um café simples mas muito saboroso - e fomos bater perna. Nosso destino no dia era a Plaza de Mayo e seus arredores. Pegamos a linha amarela do metrô, em seguida a linha azul e descemos na estação Catedral, que fica bem ao lado da praça, em frente ao Museu do Bicentenário.

      Nosso tour foi o seguinte:
      Ministério da Educação
      Parque Colón - Localizado bem atrás da Casa Rosada
      Centro Cultural Kirchner - Achei esse um dos prédios mais imponentes e bonitos da cidade
      Banco de la Nacion
      Casa Rosada - pausa para aquelas fotos básicas haha. Minha intenção era ter conhecido o interior da Casa Rosada no tour que é realizado aos domingos, porém o assalto dos dias anteriores tirou todo o meu clima . Sinceramente, esperava bem mais da tão falada Casa Rosada
      Plaza de Mayo e seus monumentos - a praça estava lotada de turistas, onde encontramos até um casal de britânicos super animados que nos pediu ajuda para tirar uma foto deles em frente a Casa Rosada haha.
      Catedral Metropolitana
      Cabildo de Buenos Aires - dentro desse prédio funciona um interessante museu - gratuito - que nos mostra como foi o processo de colonização espanhola não apenas na Argentina, mas em toda a América.
      Calle Florida - Essa rua foi um dos lugares mais legais da cidade. Cheia de lojas, shoppings e ambulantes haha, ela é super movimentada e é o melhor lugar para se fazer cambio.
      Galerias Pacífico - esse é o shopping mais bonito que já conheci, graças principalmente a incrível cúpula situada bem no centro do prédio. É um local extremamente luxuoso e caro.
      Igreja e Convento de Santa Catarina
      Café Tortoni - Claro que não poderíamos visitar Buenos Aires e não ir ao café mais famoso da cidade. O espaço estava lotado e tivemos que ficar uns 15 minutos esperando do lado de fora para conseguir uma mesa. Assim que entramos fomos atendidos pelo José, super simpático e atencioso, que disse que adora os brasileiros .
      Igreja de San Ignácio
      Igreja de San Francisco
      Basílica de Santo Domingo


      Como todas essas atrações estão bem próximas uma das outras, fizemos todo esse roteiro a pé e com isso economizamos mais uma vez uma graninha com transporte haha. Por volta de umas 15 hrs decidimos ir para o badalado Caminito. Pegamos um ônibus na rua Adolfo Alsina, próximo a plaza de Mayo e em cerca de meia hora chegamos no bairro de La Boca. Pagamos cerca de 2 pesos na passagem e a viagem foi super tranquila. Não me recordo o número do bus, mas ele para na Avenida Almirante Brown, onde seguimos apé pela rua Brandsen até o Estádio do Boca Juniors, que infelizmente não entramos, mas tiramos umas fotinhas na frente e nas lojinhas ao seu redor. Seguimos por algumas quadras e chegamos ao Caminito, que estava muito cheio. Não há muito o que se fazer nas pequenas travessas, mas sem dúvidas o Caminito foi o lugar que mais gastei na cidade haha, pois achei as coisas bem baratas se comparadas com o centro por exemplo.
      Pegamos o mesmo ônibus na volta, desta vez na avenida Pedro de Mendonza e paramos a apenas umas quadras do nosso hotel. Antes disso, porém, pegamos o nosso primeiro congestionamento na cidade - Ficamos mais de uma hora parados na região do congresso em um ônibus extremamente lotado. Legal que encontramos dois amigos italianos que estavam completamente perdidos e nos pediu ajuda.

       
      Dia 4 - La Plata e Puerto Madero
       
      Nesse dia acordamos cedo (pra variar rsrs), fomos até o bairro do Retiro para pegar um ônibus até La Plata, a capital da província de Buenos Aires.
       
      O embarque é feito em um terminal a céu aberto que fica localizado bem ao lado da estação de trem e é uma região bem degradada, cheia de ambulantes e moradores de rua, então é bom tomar cuidado nessa área. Existem duas empresas que fazem o trajeto até La Plata: Plaza e Metropolitana. Fomos com a primeira e a passagem custou cerca de 130 pesos (a passagem é comprada na hora e utiliza-se o cartão SUBE, o mesmo usado no metrô, para pagar a passagem). A viagem dura uma hora e meia e utiliza praticamente uma única rodovia para se chegar no local.
       
      Nosso destino na cidade era a Catedral, então pedi para o motorista nos deixar no ponto mais próximo, que era na Plaza Italia, que fica basicamente do outro lado do centro haha. Sendo assim, o jeito então foi ir apé (again). Incrível que só foi descermos do ônibus que uma forte tempestade caiu na cidade, com isso ficamos cerca de meia hora dentro de uma lanchonete esperando o tempo abrir um pouco. De lá seguimos pela Avenida 7 até a Plaza San Martin, onde pegamos a avenida 51, que sai bem em frente a Plaza Moreno. Nesse trajeto vale a pena apreciar os inúmeros palácios e edifícos de arquitetura eclética que trazem um clima europeu a cidade. Destaque também parao o moderno Teatro Argentino, que fica na avenida 51.
       
      A Plaza Moreno é uma gigantesca praça, repleta de fontes, estátuas e monumentos e é o marco gero da cidade. É nessa praça que fica a monumental Catedral de La Plata, a maior igreja gótica da América Latina. Essa construção é simplesmente fantástica e impressiona pelo seu tamanho, tomando todo o horizonte da praça. Para se ter ideia as suas torres podem ser vistas da rodovia que dá acesso a cidade, de tão altas que são. Para minha frustação a igreja estava fechada , já que meu desejo era subir até o alto de sua torre pelo elevador panorâmico. Mesmo assim a vista da igreja é fenomenal e aproveitei para comer alguma coisinha no Café Ritz que fica localizado no subsolo da igreja, em um ambiente super gostoso (e caro haha). Bem em frente a praça está o belo prédio da prefeitura da cidade.


      Para voltar até Buenos Aires, pegamos um ônibus municipal ao lado da catedral, na avenida 51 (não lembro o número da linha) e descemos na avenida 44, próxima a plaza Itália. De lá seguimos uma duas quadras pela Calle 4 até chegar na rodoviária de La Plata. Ficamos quase uma hora esperando o ônibus nesse lugar que é horrível, muito mal cuidado e com muitos moradores de rua e as pessoas ficam lhe encarando.
       
      Voltamos de La Plata por volta das 15 hrs. Descemos na avenida 9 de julho e seguimos de apé (SIM, novamente apé kk) até o bairro mais badalado da cidade. E sim, posso garantir que Puerto Madero é o mais badalado bairro e o que mais me deixou a vontade. Cheio de bares, restaurantes, hotéis, museus e com uma arquitetura fascinante que mistura os modernos arranha céus com os galpões do antigo porto, Puerto Madero é fantástico e vale muito a pena a visita. No bairro visitei a Ponte de la Mujer e o Fragata Sarmiento, um interessante barco ancorado que funciona como um museu. Os restaurantes em Puerto são um pouco caros, então decidimos partir para um fast food e fomos no Mostaza (rede muito popular na cidade, já que vimos várias unidades em diversos bairros). Dois lanches saíram por cerca de 120 pesos e olha, foi um dos lanches mais gostosos que comi em um fast food. UFFA. De lá seguimos até a Plaza de Mayo e pegamos o metrô para o nosso hotel, onde lá mesmo assistimos a um delicioso show de tango, com direito a aula e tudo mais.

       
      Dia 5 - Partida
       
      Esse foi o dia mais light que tivemos. Como nossa reserva ia até as 17 hrs e nosso vôo saia só as 22 hrs, deixamos nossas malas já prontas na recepção do hotel e fomos até o centro novamente andar, sem um destino especifico. Andamos pela 9 de julho, plaza de Mayo e por acaso acabamos encontrando o Museu Evita (esse não é aquele famoso museu dedicado a ex primeira dama e sim um mantido por uma associação trabalhista) que conta com uma coleção bem bacana de itens pessoais, além de inúmeros livros e revistas com Evita na capa. Depois fomos almoçar no restaurante Harmony na avenida de Mayo. Pedi um macarrão a bolonhesa por 60 pesos e o Danilo uma costela por 110 pesos. O atendimento foi bom mas achei a comida sem gosto. Pedi também uma empanada de carne que não estava gostosa (foi a única das milhares de empanadas que comi na cidade que não estava boa). De lá fomos caminhando até o congresso e ficamos sentados esperando a hora passar na plaza del Congreso. Engraçado que vimos uma movimentação de policiais na praça, ao redor de uma manta preta. Do nada uma policial veio em nossa direção e perguntou se poderíamos ir na delegacia testemunhar sobre o corpo de um morador de rua que foi encontrado morto ali kk. Na hora achei super bizarro isso e no nosso portunhol horrível falamos que éramos turistas e tal e a policial (que era super simpática) agradeceu e falou que não era mais preciso. Não entendi é nada hahah .
      De lá seguimos para o hotel de metrô, pegamos nossas malas e partimos de táxi até o Aeroparque Jorge Newbery - aeroporto que fica na área central da cidade, e que apesar de ser voltado para voos regionais, tem alguns internacionais rs). A corrida de táxi saiu por 120 pesos e o motorista era super curioso e ficou perguntando um monte de coisas pessoais haha, além de elogiar muito o Presidente Macri. Notei que não havia taxímetro, por isso é sempre melhor combinar a corrida antes, algo que não fiz.
      O Aeroparque é um aeroporto não muito grande, mas um pouco desorganizado. No segundo piso fica a praça de alimentação e as lojinhas (super caras, não recomendo comprar lembrancinhas no aeroporto). Na praça de alimentação comemos uma pizza na Accademia Della Pizza e posso garantir que essa foi uma das pizzas mais gostosas que comi na vida - e o melhor é que não é muito caro.
      Depois de esperar bastante - chegamos no aeroporto umas 17 hrs e o vôo era as 22 hrs, embarcamos e demos adeus a capital portenha [/size]


       
      Outros relatos:
      Chile: https://www.mochileiros.com/o-fantastico-chile-santiago-embalse-el-yeso-valpaiso-vina-e-san-pedro-de-atacama-com-fotos-roteiro-e-gastos-2017-t140000.html
      Bolívia: https://www.mochileiros.com/a-impressionante-bolivia-salar-de-uyuni-la-paz-copacabana-lago-titicaca-e-isla-del-sol-com-fotos-e-precos-2017-t141313.html
      https://www.mochileiros.com/bate-e-volta-em-campos-do-jordao-na-alta-temporada-junho-2016-t131749.html
      https://www.mochileiros.com/visitando-o-centro-historico-de-florianopolis-praia-de-canasvieiras-t138293.html
      https://www.mochileiros.com/um-dia-em-angra-dos-reis-vindo-de-paraty-com-roteiro-e-fotos-t138227.html

       

       

    • Por anaflaviaos
      Hola, como estão?
      Sou nova aqui no grupo, e vendo as postagens fiquei muito animada e resolvi compartilhar um pouco das minhas experiências !!! Primeiramente vou me apresentar, me chamo Ana Flavia, tenho 21 anos e a cerca de 1 ano tenho me aventurado viajando pelo Brasil e meu primeiro país fora no qual sou apaixonada pelas suas belezas e cultura, Argentina ! Em Agosto de 2016 comecei essa grande aventura, não me lembro exatamente dos valores, me perdoem, porém sempre busquei gastar o menos possível, ficando na casa de amigos que conheci pela internet, viajando pedido carona ... sim, nem eu imaginava que chegaria a ter essa experiência, porém como conheci vários amigos que faziam resolvi experimentar e gente, foi a melhor coisa,  baixo custo e novas amizades.
      Bem, dando inicio a essa história eu tive a oportunidade de fazer um intercâmbio para a Argentina de 6 meses em Mar del Plata para estudar na Universidad Nacional de Mar del Plata, como eu queria aproveitar ao máximo o país, fui 20 dias antes de ter inicio as aulas para me adaptar a língua (sabia nada) e também para conhecer a cidade e tal. Esse relato vai ser das minhas viagens nos meus primeiros 10 dias na Argentina, em que conheci as cidades ao redor da onde viveria, então vamos ....
      Lembrando, esse é um relato dos meus primeiros 10 dias na Argentina. 
      No dia 04 de agosto de 2016 sai de São Paulo Guarulhos com um vôo destino Buenos Aires, chegando troquei cerca de 1000 reais para pesos argentinos, e peguei um ônibus do Aeroporto, empresa Tienda Leon, com direção a Mar del Plata, o preço foi cerca de 700 pesos. Como foi uma viagem durante a madrugada, dormi bastante no ônibus, chegando em MdP, peguei um remis (Taxis da Argentina) com direção a Rodoviária. Na Rodoviária de MdP peguei outro ônibus com direção a Balcarce, cidade que viveria durante os próximos 6 meses. Eu já estava conversando com pessoas que estudavam na universidade que iria estudar a cerca de 1 mês, e ficaria os primeiros dias na casa de um amigo que chama Fran, argentino genuíno, que foi um grande amigo durante minha estadia. Chegando na casa do Fran, ele não estava em casa, e sim uma amiga que vivia com ele que me recebeu super bem, oferecendo o famoso Mate e algumas facturas ( uma das grandes maravilhas que me apaixonei na Argentina ). Depois de umas duas horas o Fran chegou em casa, e super agitado, me chamou para ir visitar a casa dele em uma cidade próxima, chamada Tandil, como eu estava super feliz de ter chegado, aceitei na hora. Arrumei minha mochila, e como não era acostumada a viajar nem nada, vocês vão ver o look que fiz minha primeira experiência como viajante  O que eu não imaginava é que a gente iria pedindo carona, só vi ele pegando uma plaquinha, e a gente indo para a estrada, só fui entender depois que chegamos realmente na rodovia e começamos a pedir carona hahahaha foi simplesmente incrível, e ali o Fran já começou a me ensinar algumas dicas, como por exemplo, não pegar carona com caminhoneiros. Essa viagem fiz em companhia do Fran. 
      Olha eu super noob pedindo carona, e isso já foi no dia 05 de agosto de 2016 hahahaha 
      Primeiro destino: Balcarce - Tandil (Locomoção: Carona) - 100 km - 06 DE AGOSTO DE 2016
      Nessa foto eu estava em Balcarce pedindo carona para ir para Tandil.

      Depois de esperar cerca de meia hora, conseguimos carona com uma mulher e sua filha que moravam em Tandil. Elas estavam de viagem de Mar del Plata para Tandil, e nos aceitaram super bem e nos levaram super curiosas fazendo várias perguntas. Tandil fica a cerca de 100 km de Balcarce, e a mulher que nos deu Carona, nos deixou na porta da casa dos familiares do Fran, onde a gente dormiria aquela noite. Os familiares do Fran foram super receptivos, fizeram uma janta especial, Pastel de papas  e tomamos algumas cervejas quilmes. No dia seguinte, o Fran me levou para conhecer a cidade, recomendo visitarem um dia. Vou deixar algumas fotos para vocês verem a cidade, que é onde o famoso tenista Del Potro e o atual presidente da Argentina Macri nasceram. 
       
      Dia 06 de agosto de 2016.

      A cidade é cheia dessas laranjas, porém elas são muitos azedas, claro várias vezes peguei delas 




      Finalizando Tandil com uma foto com Fran e seus familiares. 
      Segundo Destino: Tandil - Mar del Plata (Locomoção: Carona - 200 km) - 06 DE AGOSTO DE 2016
      No mesmo dia 06 de agosto, umas 17:00 horas, eu e Fran saímos correndo para a Rodovia, para ver se a gente conseguia alguma carona antes de anoitecer para Mar del Plata. Depois de uns 40 minutos conseguimos carona em um carro que vinham 2 mecânicos, e estavam indo para Mar del Plata. Com muita sorte conseguimos chegar a Mar del Plata, porém não ficamos no nosso local de destino e um pouco longe. Os mecânicos nos deixaram na entrada da cidade, e de lá eu e Fran seguimos a pé por uns 5 km até chegar ao nosso destino ( Nesse momento comecei a sentir no pé o sapato que estava usando hahahahahaha), a gente ficaria pelos 2 dias seguintes na casa de verão de um amigo do Fran em Mar del Plata, a uma quadra do mar. Em MdP, pela noite fomos conhecer o mar, mesmo que eu já estivesse passado por MdP, ainda não tinha conhecido realmente. Foram dois dias incríveis na cidade, onde comemos empanadas, caminhamos pelo Mar, muitas novidades para alguém que nunca tinha viajado sozinha. Eu ainda voltei a cidade várias vezes, caso queiram posso fazer alguma publicação falando mais da cidade. 
      Mar del Plata dia 06 de agosto de 2016.

      Dia 07 de agosto de 2016, estava cerca de 12 graus em MdP. 

      Dia 08 de agosto de 2016

      Terceiro destino: Mar del Plata - Balcarce ( Locomoção: Carona) - 70 km - 08 DE AGOSTO DE 2016
      No dia 08 de agosto de 2016 pegamos uma carona para Balcarce, tivemos sorte pois pegamos a Carona e já era de noite, cerca de 20:00 horas. Pegamos carona com uma família que estava voltando de um final de semana em Mar del Plata, e que viviam em Balcarce. Chegamos em Balcarce, nos deixaram em uma praça próxima a casa de Fran, e fomos para a casa de Fran onde jantamos hamburguesas com purê de batata, e depois de conversar bastante, ele me contar as experiências dele como mochileiro, fomos dormir. 
      Os próximos dias em Balcarce foram super agitados, onde conheci várias pessoas e que me levaram para conhecer a cidade do famoso Juan Manuel Fangio, e me apresentaram muito da cultura local. Balcarce é uma cidade pequena, com cerca de 40 mil habitantes, dá para caminhar por praticamente toda a cidade a pé, e caso seja um pouco mais longe, tem linhas de ônibus que custam 10 pesos por viagem. Comecei a ter aulas de dança que é tipico da região, Musica Folclórica, e fiz vários passeios para conhecer os pontos turísticos da região e comi bastante também, empanadas, tartas, alfajores ... não é atoa que ganhei alguns quilinhos  Logo consegui uma casa para alugar ( pagava 2000 pesos, com energia, internet, água e gás incluso) , e também conheci a Toti, que me convidou para conhecer a sua cidade Necochea, e que fui conhecer me aventurando pedindo carona mais uma vez.  Antes de falar sobre Necochea, algumas fotos sobre os meus primeiros dias em Balcarce. 
      Esse era o edifício que eu morava com outra Argentina, morávamos no ultimo andar. 


      PS: Eu e minha companheira de apartamento sempre faziamos janta em casa, e era muito tarde, os Argentinos tem o costume de comerem depois das 23:00 horas, demorei a me adaptar porém valia a pena, pois eram super gostosas. A alimentação não saia muito caro, como dividiamos entre a gente, e sempre chamava alguns amigos, por refeição ficava cerca de 20-30 pesos argentinos.

      PS: Essa é uma comida tipica Argentina, o guiso. O fran que cozinhou, é bem pesado porém gostoso. É feito com fava, batatas, cenoura, abóbora entre outros codimentos, é muy rico !!!


      PS: Esses são dois grandes amigos que fiz, o Francisco e a Mili, que me levaram para conhecer as Serras de Balcarce, que recomendo, para ver o Autódromo atualmente desativado de Manuel Fangio, é uma vista incrível. 

      PS: A maioria dos Argentinos que conheci gostam muito de cozinhar, e sempre fazem muito bem ! Nessa foto está o francisco fazendo um pastel de papas. 

      PS: Festa em que tive o primeiro contato com as músicas Folcloricas, as famosas festas Peña. Os jovens de Balcarce estão muito ligados a cultura local, e tinham muitas festas com a temática de Peña.

      PS: Outra comida muito tipica que tive contato, o Pollo al disco, que é frango ao molho feito em um disco com batatas fritas.
      Quarto destino: BALCARCE - NECOCHEA E QUEQUÉN (Locomoção: Carona) - 153 KM - 12 DE AGOSTO DE 2016
      A convite de uma amiga que estudava na mesma faculdade, Toti, fui para a sua Cidade Necochea para ficar em sua casa e de sua familia. Mais uma vez viajei pedindo carona, e consegui uma carona que me deixou no destino final com Toti. Pedir carona era algo muito comum na região, sendo que os motoristas tem o prazer de ajudar esses jovens aventureiros 
      Fui bem recebida por toda a sua familia, e nos dois próximos dias conheci toda a cidade, e os principais pontos turisticos. Por ser uma cidade que atrai muita gente por conta das suas praias, em Agosto a cidade estava deserta por conta do frio, porém voltei outra vez no fim do ano para conhecer outra Necochea, caso queiram também posso fazer outra publicação falando sobre a cidade. 
      Os pais de Toti me levaram de carro para conhecer a cidade, e também uma cidade vizinha Quequén para me mostrar os lobos marinhos que ficam na praia. São cidades muito próximas, com apenas uma ponte dividindo as duas. Também conheci a vida noturna, fomos em uma boate em Necochea, onde dançamos bastante Cumbia e Reggaeton. Os argentinos são bem mais timidos que os Brasileiros para dançar, porém foi uma ótima experiência. Para economizar, tomamos bastante vinho em casa antes de ir para a balada, e como começa somente 03:00 hrs da manhã as boates da Argentina, deu para ficar bem borrachas hahaha

      PS: Rio que separa Necochea e Quequén.

      PS: As empanadas fizeram parte da minha dieta, por serem baratas e muito deliciosas.

      Ps: Os vinhos na Argentina são bem mais em conta que no Brasil, e são uma ótima opção para quem gosta. 

      PS: Pai da Toti fazendo o famoso  assado. 

      PS: Praias de Necochea.

      ps: Em quequén.

      Escultura em Quequén !
      Depois de 2 dias nessas incriveis cidades voltei para Balcarce de ônibus mesmo, e assim encerrou o meu ciclo de viagens antes do inicio das aulas, durante o meu período na Argentina também fiz outras viagens, porém fica para outro post !!!!
      Hasta luego amigos viajeros !!!
       
       
    • Por Armando Oliveira
      Pré viagem
       
      Tudo começou com o fato de que não curto o carnaval do Rio. Mas viajar para onde se nessa época tudo é caro e o país respira carnaval? Como Mar Del Plata era um lugar que gostaria de conhecer e pensei que esses 5 dias estariam de bom tamanho, coloquei esse destino em pauta. Ao pesquisar as passagens, vi que estavam com preços bem altos. Isso era meado de Dezembro. Mas as milhas poderiam ser muito bem utilizadas nesse momento. Assim a ida foi com 100% de milhas e a volta com milhas mais dinheiro. Assim o trecho Rio - BsAs - Rio foi adiquirido.
       
      O trecho BsAs - Mar Del Plata – BsAs foi feito de ônibus por opção mesmo. Curto muito viajar de ônibus na Argentina e o trajeto é de 5h, nada tão desgastante assim.
       
      Quanto a hospedagem, mesmo em Dezembro, estava difícil achar lugares com vagas, e os que tinham vaga estavam bem caros. O que acabou compensando, dentro do meu orçamento, foi o Hostel Casa Grande.
       
      Com as passagens aéreas e terrestres compradas e a reserva no hostel efetuada, era aguardar o dia e nesse período pesquisar o que fazer na cidade.


×