Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

DanielFrazao

Mendigando em Lausanne

Posts Recomendados

Lá estava eu, novamente na Suíça, dois anos depois. É gostoso e ao mesmo tempo triste reencontrar algo depois de alguns anos. É como reencontrar uma garota pela qual você foi apaixonado no colégio. É bonito, mas com uma pontinha de melancolia no fundo.

Eu tinha tirado aquele dia para vaguear por Lausanne. Gosto de Lausanne. Durante o dia, é uma cidade aconchegante; à noite, é linda. O fato de ser cheia de ladeiras e curvas me agradava. Alguma coisa nela me fazia lembrar de Santa Teresa, no Rio, ou mesmo de Montmartre, em Paris. Mas acho que o que mais me agradava é que não me sentia pressionado a marcar presença nos pontos turísticos. Podia simplesmente vagabundear por aí, sentar numa amurada qualquer e ver os suíços indo e vindo do trabalho e dos restaurantes. Essa é a grande vantagem de ser turista: você pode ser vagabundo sem se sentir mal por isso.

O chão ainda estava molhado da chuvinha que caíra mais cedo. Todos sabem que um dia de chuva é o pesadelo de qualquer turista - na mente dele, aparece a imagem de um calendário com o roteiro da sua viagem e um X vermelho marcado em cima de um dia -, mas aquela chuva até que tinha sido agradável. Não me atrapalhou em nada e me fez descobrir o Palais de Justice, um prédio imponente, cheio de estátuas de guerreiros e leões e um jardim bonito pra burro na frente. Foi um dos meus recantos do dia. Sentei lá e simplesmente esperei a chuva e as horas passarem, enquanto olhava a cidade de cima. Até que chegou um momento em que minha bexiga estourava e eu precisava fazer xixi de qualquer maneira. Segurei até não aguentar mais, e finalmente saí vasculhando as cercanias do Palais de Justice em busca de um lugar decente para fazer xixi. Encontrei um cubículo velho e grafitado que chamavam de banheiro, escondido entre a vegetação da praça do Palais. Era o tipo de lugar em que se pode ser assassinado. Um banheiro mais usado por viciados em crack que por sujeitos apertados. Às vezes temos que arriscar a vida e a grana para fazer xixi. Tudo correu bem, saí vivo lá de dentro, me despedi do Palais e desci a ladeira na direção do centro da cidade.

Desde que tinha chegado, topei com um punhado de tipos. Eu precisava me virar em meio a eles. De preferência, conhecê-los.

Já passava da hora do almoço e meu estômago roncava. Eu procurava algum lugar para comer onde os vendedores falassem inglês. Um McDonalds, pois Big Mac é a linguagem universal. Foi quando vi um sujeito de barba grisalha ao estilo Papai Noel e roupas surradas, com a mão estendida para os transeuntes. Um autêntico mendigo de Lausanne. Resolvi dar uma grana para ele, pois me sentia bastante generoso. Como não estava a par da cotação de esmolas na Suíça, puxei do bolso uma moeda de 5 francos suíços. Melhor esbanjar que parecer mesquinho.

- Bonjour, monsieur - disse o mendigo.

- Bonjour, monsieur - repeti. - 5 francs - falei, entregando a moeda para ele.

Os olhos do mendigo brilharam e captei um sorriso por trás do bigode de morsa.

- Merci, merci, monsieur! - ele disse, enfiando a moeda no bolso.

- De rien.

Em seguida, o mendigo disparou a tagarelar em francês. Eu não entendia o que ele dizia, mas pela expressão e entonação dava para ver que era algo importante, ao menos para ele.

- Pardon, je ne parle pas français - eu disse. - Je suis brésilien.

- Ohh... Brésil?

- Oui.

Ele esboçou um olhar de espanto e admiração, me tomando por um milionário ou algo assim.

- Anglais? - ele perguntou.

- Oui, I speak English - respondi.

- I talk English, "one little" - continuou o mendigo.

- That's good.

- Where your house à Brésil?

- Rio - achei melhor não dizer Nova Friburgo, pois teria que explicar muito mais e fiquei com preguiça.

- Ohh, Riô! Riô beautiful!

- Oui. Very beautiful. And very dangerous too.

- Pardon?

- Very dangerous.

- "Dangerous"?

- Oui.

- Ah! Oui, oui! Samba! Carnaval! La musique! Very dangerous!

Acho que ele entendeu "very dangerous" como "muito alegre" ou "muito musical". Novamente, fiquei com preguiça de explicar e resolvi seguir na dele que, afinal, não estava de todo equivocada, apenas um pouco exagerada e cartunesca.

- Oui. It's a pleasure to live in such a dangerous city - eu disse.

- You are lucky man! - exclamou o mendigo.

- Very lucky.

Suspirei, olhei ao redor, para a ladeira que se enroscava na cidade com um sobe-e-desce cheio de gente, e continuei:

- But Lausanne is very beautiful too.

- Oui, but not so dangerous.

- I can see that.

- We don't have that luck.

- Don't be sad. Someday Lausanne will be very dangerous, like Rio.

- Ohh, monsieur... I pray for this toujour...

Dei "au revoir" e segui ladeira abaixo, quase me sentindo bem pela minha cidade tão perigosa.

 

Daniel Frazão

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

"Essa é a grande vantagem de ser turista: você pode ser vagabundo sem se sentir mal por isso."

 

Essa frase vai pra minha assinatura. :D

 

Muito bom ler seus textos, apesar de não serem tão informativos (e até por conta disso) a leitura fica bem mais agradável.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Adorei seu relato!

Li o primeiro parágrafo e não consegui mais parar, você escreve muito bem!

Apesar de curtinho deu pra perceber bem o clima da cidade

Parabéns!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Interessante. está mais para "Causos de viagem" do que relato propriamente dito. Mas bom de ler, sabe que até dá vontade de refletir um pouco sobre o julgamento que fazemos de nossa cidade ou país.

 

Valeu!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Daniel, não sei se foi sua intenção, mas vc escreveu uma bela crônica!

 

O fato em si, além de cômico, é muito interessante e a forma como vc escreveu realça isso.

 

 

Muito bacana. Parabéns!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi galera! Agradeço a todos os elogios ao meu texto! De vez em quando vou estar postando minhas pequenas lembranças por aqui. E mais de vez em quando ainda vou estar viajando para ganhar mais pequenas lembranças hehe!

Matozo, fique à vontade pra usar a frase! Considere-a como sua já!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caraca, quase passei mal de rir com o mendigo elogiando o Rio por ser perigoso e desejando que Lausanne fosse assim um dia também hahahaha

Fazia tempo que eu não ria tanto, realmente!! ::lol4::

 

Parabéns pela história, você escreve muuuito bem.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora



×
×
  • Criar Novo...