Ir para conteúdo

Peru-Bolívia-Chile A viagem! sozinho, sem roteiro, sem reservas e muita cerveja


Posts Recomendados

  • 2 semanas depois...
  • Membros

8º dia, o grande dia!

 

Acordei cedo, provavelmente pela ansiedade eu não tenha dormido bem, somado ao barulho do rio Urubamba bem na minha janela às 4 da manhã eu já estava acordado, más fiquei deitado e logo comecei a ouvir o barulho dos ônibus que ao descerem de MP faziam o retorno em frente ao meu hotel, comecei a me preparar para o grande dia enquanto amanhecia, quando o tempo começou a clarear que eu percebi que estava em meio a grandes montanhas e a neblina não deixava ver muita coisa, na rua meu café, sanduíche com gatorade para começar a hidratar, caríssimos 6 soles num pão com queijo e presunto, e ainda comprei mais para levar, meu estoque para a aventura era 1 sanduíche, 2 gatorade, 2 litros d'água. Fui sozinho pois não tinha combinado nada com os colegas.

Logo cheguei no ponto de saída dos ônibus, como já tinha o ticket de ida só entrei na fila e pronto, para quem não tem pode comprar lá, 9 dólares. A era pequena e anda muito rápido.

A subida é rápida, cerca de uns 15 minutos em zig-zig, más com a ansiedade parece que dura 1 hora, no caminho vemos pessoas subindo andando, eu pretendia descer andando. Vai ficando cada vez mais alto e não se vê mais nada lá em baixo. Logo se chega à entrada, lá tem vários guias oferecendo seus serviços, banheiro pago, lanchonete com 300ml de água a 8 Soles, parece que tem até uma loja más não cheguei a ir conhecer, lá fora era o ponto de encontro marcado com meu guia, más como era só às 7 e ainda era antes de 6, perguntei se poderia entrar e depois sair novamente e me disseram que sim, então finalmente eu já estava dentro de MP, já tinham muros Inkas, continuei adentrando e logo encontrei um lance de escadas, já nos primeiros degraus perdi as forças e ví que o dia seria cansativo, fiz as contas e decidi não me desgastar pois logo teria que estar na entrada novamente.

Então voltei e fiquei sentado em um banco, até que ví um cara falando: ''vamos comprar uma água, amor''. Aí eu como estava no espírito de viagem já colei dizendo: ''Como é bom ouvir português, hehe'', alí conheci o Pedro e a Tarynna de João Pessoa. Achei legal quando ela disse que tava sabendo da minha viagem devido aos meus posts constantes no grupo Mochileiros no Facebook. Logo alí na entrada começaram a aparecer muitas pessoas, devido a muitos grupos terem seus passeios guiados marcados entre 7 e 7:30. No meu grupo de conhecido então só tinham o casal de brasileiros, foi bom porque eu tirava foto deles e eles de mim, hehe.

Fazer o passeio com guia é bom porque como dizem, você olha todo aquilo e vê um significado.

Logo começamos a subir as escadarias de pedra, e mais escadas,e então finalmente agente se depara com aquela vista maravilhosa, eu estava dentro de MP, todos fascinados querendo fotos. Como era cedo ainda tinha muitas núvens e não se conseguia ver Huayna Pichu lá atrás.

Com o guia andei toda a cidade, sempre fazendo paradas para explicações, o passeio guiado dura cerca de 1:30, enquanto isso o tempo começava a abrir e Huayna Pichu apareceu lá atrás, certa hora o guia passa pela entrada de HP e avisa aos que querem subir que podem já ficar alí e descansar um pouco sentados até dar seu horário, meu horário era às 10, assim poderia entrar entre 10 e 11 horas. Então eu lá na entrada acabei encontrando o Felipe de novo, que tambem estava sozinho, ficamos mais um tempo esperando para ver se chegava mais algum de nossos amigos, acabou que não então decidimos começar a caminhada (em alguns trechos virava uma 'escalada'), o percurso é um tanto pesado, muitas vezes dava vontade de parar más ainda bem que tinha o Felipe para dar apoio moral.

-Achei muito interessante vários tipos de pessoas, tipo idosos, deficientes e crianças que estavam alí dispostos encarando aquelas escadarias.

Subidas e subidas, alguns lugares não tem degraus, e você tem que subir em rochas úmidas, certas partes tem cabos de aço que servem como corrimão, fica pior quando tem gente descendo e todos tem que se espremer com aquele abismo logo alí ao lado.

Até que em 1 hora se chega a um lugar plano onde se pode descansar um pouco, más o espaço alí é concorrido pois todos querem o mesmo, alí não se vê muita coisa, más logo ao lado finalmente você tem aquela vista tão esperada, ver MP de cima! Poderia passar o dia todo alí, fiquei sentado só admirando a vista, é sensacional, acabei fazendo meu pique nique, e depois de um tempo me aparecem meus amigos argentinos! Para continuar a subir tem-se que passar por uma pequena caverna, apertada, suja e úmida. Então sim se chega ao cume de Huayna Pichu, alí não tem mais sombra, ficamos bastante tempo, incrível aquele lugar, aquelas construções ali em cima de uma montanha. Más já eram umas 13:00 então um dos funcionários começou a nos chamar para ir embora. Acabamos fazendo amizade com ele e fomos enrolando e indo bem devagar, o Hector nos contando que sobre tudo aquilo em menos de 15 minutos, contanto que eles tem o controle de quem entra e quem sai de HP, e quando falta alguém eles tem que subir e procurar, disse que alguns dias atrás acharam um cidadão escondido lá até as 22:00.

-A descida é mais perigosa que a subida, então tem que ser feita sem pressa e cuidado redobrado.

Logo que chegamos na entrada de HP, ainda dentro de MP, tem uma área coberta e paramos para descansar, ali estavamos quase todos juntos, então virou festa, logo começaram a aparecer mais brasileiros, acho que 90% das pessoas que estavam em MP naquele dia era brasileiro.

Ficamos bastante tempo contando nossas experiências até que chegou a hora e voltar a Aguas Calientes pois o trem do Felipe era às 16:00 e estavam todos famintos, então acabei tendo que pagar 9 dólares no ônibus para descer.

Em AC acampamos na frente da igreja até o horário do trem, alí apareceu um problema, todos tinham seus bilhetes para 18:30 e só o meu era às 21:00, ainda tentei dar uma de brasileiro esperto e passar pelos funcionários más não consegui, tentei subornar más disseram que não tinha nenhum assento vago no trem, ou seja, passei muito tempo sozinho naquela estação de trem deserta, aproveitei para pegar meu caderninho e começar a fazer minhas anotações para repassar a vocês. Próximo ao horário do trem aquele lugar começou a lotar, até que aparecerem as chilenas, e acabei me sentando com ela no trem, naquele momento já tinha perdido meu fetiche por chilenas e estava apaixonado por uma das argentinas. A chilena disse que tinham ido às termas de AC más que a água lá era fedorenta, que todos vem de MP suados e sujos e vão tomar banho lá. Acabei dormindo no trem, ficamos em Ollantaytambo novamente e fomos de van até Cusco, o pessoal tinha combinado de sair para beber e iriam me esperar no hotel até 01:00, cheguei exatamente às 01;00 na plaza de armas, más o hotel deles era longe e acabei não os encontrando.

 

 

20120613171502.jpg

Esta é Ollantaytambo

 

20120613171551.jpg

 

20120613171636.jpg

 

20120613171712.jpg

 

20120613171758.jpg

 

20120613171836.jpg

em Aguas Calientes

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 3 semanas depois...

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...