Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Atacama, Salar de Uyuni, La Paz, Lago Titicaca, Cuzco, Machu Picchu, Lima, Bogotá


Posts Recomendados

  • Membros
Opa, eu quero. Você diz parte dos custos dos passeios que vc fez né? Quero sim, pq estou colocando isso td em uma lista, conforme tua opinião sobre o que é bom visitarmos ou não...rrsrsrs meu email [email protected]

E continuo no aguardo dos teus próximos posts...ansiosaaaa...

Muitíssimo obrigada pela ajuda!

 

Norma,

Mandei para o seu e-mail, mas vou deixar aqui também, pois pode ser útil pra mais alguém, antes que eu termine o relato.

Abs!

 

Legal Iderley,

 

Aparentemente os valores estão batendo com o meu projeto de postei.

pessoal, tem bastante informação no link da minha assinatura..

 

Valeu,

 

LeoTaco

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 206
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

Mais Ativos no Tópico

Postagens Populares

1o dia 21/abr (sáb) - Brasil   Neste dia pela manhã aproveitei para verificar os últimos detalhes: limpar os cartões de memória e carregar as baterias da câmera, verificar se os vôos estavam ok (poi

  • Membros
Oi Iderley!

Pelo que entendi vc deixou sua mochila na van e depois pegou na volta para El Alto (onde já pegou o onibus para Copacabana), foi isso mesmo? Tem onibus saindo a toda hora pra Copa?

O Mercado de las Brujas, vc sabe que horas começa e termina?

Valeu

 

Oi, Alana!

 

A mochila cargueira vai com a gente, no micro-ônibus da agência.

É super tranquilo porque fazemos todos os deslocamentos com ele, então dá pra ficar "de olho"... rs

 

Quanto ao bus pra Copa, foi isso mesmo.

Na volta para La Paz passa-se por El Alto, então pode-se descer por ali e ir direto pra Copa.

Se voltasse para La Paz só perderia tempo, afinal teria que passar por El Alto novamente no caminho.

Em El Alto tem ônibus saindo "toda hora", é mais ou menos "encheu - saiu".

 

Quanto ao Mercado de las Brujas, saí de lá por volta de 19h e não estava com cara de que iriam fechar tão cedo.

Por lá eu não perguntei, mas se não me engano li em algum lugar aqui no Mochileiros que fecha bem tarde.

 

Abs!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Iderley, vc precisou de 'férias das férias" depois? Vc fez tudo super vapt-vupt! Eu adoro bater perna descompromissadamente nos lugares q to visitando, achar coisas que nenhum guia fala, conversar com o povo...

Vc ja conhecia La Paz antes dessa passagem?

 

Finalmente terminei de editar um videozinho do Mochilão que fiz com 3 amigas ano passado na Bolivia. Deu saudade....

 

Oi, Marla!

 

Na verdade, na volta, cairia bem um dia de descanso, mas só porque não dormi quase nada nos últimos 2 dias de viagem (uma noite na volta de Machu Picchu e outra no aeroporto de Bogotá).

Mas já tive que voltar pro trabalho sem "férias das férias"... rs

É um estilo de viagem que eu gosto. Sabia que ia ser corrido, mas acho que faria tudo novamente se fosse o caso.

 

Não falei tanto com os locais, mas as conversas que tive foram sempre agradáveis.

Aliás, essa viagem me surpreendeu quanto à simpatia das pessoas, por todos os países pelos quais passei.

 

Foi minha primeira vez em La Paz, mas dificilmente voltarei.

Não porque não gostei, muito pelo contrário, achei a cidade fantástica.

É que dificilmente volto aos lugares por onde viajo, sempre acabo achando mais interessante conhecer um lugar novo.

 

Enfim, foi uma viagem que refletiu mais ou menos como vivo, não consigo ficar parado, estou sempre fazendo "tudo ao mesmo tempo agora".

Aliás, esse é um dos motivos porque o relato ainda não terminou... rs

 

E o seu vídeo, hein?! Ficou ótimo!!!!!!!!!

Viajei de novo pela parte que mais curti, o Salar de Uyuni.

Inclusive deu pra conhecer partes que não pude ver, como a Isla del Pescado.

Ficou muito bom mesmo, só faltou seu depoimento, todas falaram, menos vc... kkk

 

Abs!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Opa, eu quero. Você diz parte dos custos dos passeios que vc fez né? Quero sim, pq estou colocando isso td em uma lista, conforme tua opinião sobre o que é bom visitarmos ou não...rrsrsrs meu email [email protected]

E continuo no aguardo dos teus próximos posts...ansiosaaaa...

Muitíssimo obrigada pela ajuda!

 

Norma,

Mandei para o seu e-mail, mas vou deixar aqui também, pois pode ser útil pra mais alguém, antes que eu termine o relato.

Abs!

 

Legal Iderley,

 

Aparentemente os valores estão batendo com o meu projeto de postei.

pessoal, tem bastante informação no link da minha assinatura..

 

Valeu,

 

LeoTaco

 

Fala, Leo!

 

Dei uma olhada rápida (afinal são mais de 120 páginas! rs).

Ficou muito bom, um ótimo guia!

 

Abs!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

Tb dificilmente voltarei aos lugares, afinal tanto lugar legal ainda para conhecer nesse mundao, e tao pouco tempo e $$$ ne? Apesar de toda pobreza eu fiquei muito encantada com a Bolivia, um pais aq do lado, com uma historia taaaaaaao rica e a gente nao sabe nada deles. Fiquei com vontade de fazer alguma pesquisa sobre a comunidade boliviana aq em São Paulo - que cresce a cada dia - no meu doutorado. Quem sabe, ne?

 

Qto ao video eu sou a que organiza a viagem, compra as passagens, reserva o hotel, filme, fotografa, lembra de carregar a bateria da camera, edita tudo e poe no youtube, mas aparecer que é bom, raramente rsrs. Quem tira foto nao aparece nela ne? rsrs. A isla del pescado é linda demais, fiquei boba com o tamanho dos cactos (ou cágados como diz meu irmaozinho rsrs). Eu trouxe um espinho de um de recordação (achei nao chao, nao arranquei nao!) mas perdi no caminho :-(. Era tao enorme, parecia um cateter! rsrs E o cristal de sal q eu trouxe, comprei no vilarejo, derreteu um mes depois q voltei. Nao aguentou a umidade do verao brasileiro :-(

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Tb dificilmente voltarei aos lugares, afinal tanto lugar legal ainda para conhecer nesse mundao, e tao pouco tempo e $$$ ne? Apesar de toda pobreza eu fiquei muito encantada com a Bolivia, um pais aq do lado, com uma historia taaaaaaao rica e a gente nao sabe nada deles. Fiquei com vontade de fazer alguma pesquisa sobre a comunidade boliviana aq em São Paulo - que cresce a cada dia - no meu doutorado. Quem sabe, ne?

 

Qto ao video eu sou a que organiza a viagem, compra as passagens, reserva o hotel, filme, fotografa, lembra de carregar a bateria da camera, edita tudo e poe no youtube, mas aparecer que é bom, raramente rsrs. Quem tira foto nao aparece nela ne? rsrs. A isla del pescado é linda demais, fiquei boba com o tamanho dos cactos (ou cágados como diz meu irmaozinho rsrs). Eu trouxe um espinho de um de recordação (achei nao chao, nao arranquei nao!) mas perdi no caminho :-(. Era tao enorme, parecia um cateter! rsrs E o cristal de sal q eu trouxe, comprei no vilarejo, derreteu um mes depois q voltei. Nao aguentou a umidade do verao brasileiro :-(

 

Pois é, Marla, essa é uma combinação fatal (tempo / $$$), normalmente quando se tem um não se tem o outro... rs

Por exemplo, não sei como está conseguindo tempo já que está fazendo doutorado... rs

Ou já terminou? E no final, acabou escolhendo que tema?

 

Entendo bem essa questão de não aparecer nas fotos. Eu também sou "o que tira", então às vezes parece que nem viajei... kkk

 

Uma pena suas lembrancinhas terem se perdido, mas no final das contas, o que vale é o que ficou registrado na memória, os sentimentos e ensinamentos que a viagem proporcionou. Isso não se apaga (nem se paga)... rs

 

Abs!!!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

10o dia 30/abr (seg/lun) - Tiwanaku (La Paz)

 

Nesse dia iriam me buscar no hotel para o passeio à Tiwanaku às 8h, então levantei da cama um pouco antes para arrumar as últimas coisas que faltavam, tomar o café-da-manhã e pagar a diária.

O café-da-manhã não foi muito diferente dos demais: pão, geléia, manteiga, chá, café, iogurte, cereais, etc.

 

No horário combinado passaram para me buscar e seguimos, como no dia anterior, passando por outros hotéis até pegar todos. Pelo menos foi o que pensei, que todo mundo estivesse no ônibus.

Mas paramos em El Alto e tivemos que esperar, pelo menos, uns 30 minutos até chegar um casal que, segundo eles, havia sido avisado que o passeio seria em um horário diferente, então tiveram que pegar um táxi até ali.

No final foi bom porque deu pra observar bem como era o dia-a-dia dos moradores locais e, de cima do ônibus, tirar umas fotos das cholas. Aquelas mulheres que usam chapéu, saia, roupas coloridas e de tudo amarrado nas costas, inclusive os próprios filhos... rs

O trânsito por lá é caótico e os micro-ônibus e vans param "em qualquer lugar", não há pontos específicos como no Brasil. Aliás, outra coisa muito diferente do Brasil é o uso da buzina, acionada a todo momento e por qualquer motivo, algo que mais tarde eu iria constatar que também é prática comum no Peru.

 

Após essa espera e mais uma a duas horas de estrada chegamos ao sítio arqueológico de Tiwanaku.

A primeira parte do passeio é a ida a um museu, onde se paga o boleto: 80 bolivianos.

Como no museu não se pode fotografar, já perdeu metade da graça pra mim... rs

Lá o guia faz as explicações teóricas, como por exemplo, que os Tiwanakus foram uma civilização pré-incaica e que existiram por um período de tempo muito maior que o dos Incas, etc. Enfim, "puxando a sardinha" pro lado boliviano das civilizações pré-colombianas... rs

 

Antes de ir ao sítio arqueológico propriamente dito passamos pelo Monólito de Bennett (Monólito de Pachamama), onde também não é permitido fotografar.

Esse monólito impressiona pelo tamanho e pelo fato de que, além dos espanhóis, foi depredado pelos próprios bolivianos. Durante um tempo ficou exposto na frente de um estádio de futebol, até que as avarias causadas por uma briga de torcidas provocou que fosse levado ao local aonde permanece até os dias de hoje.

 

A "Área 1" abrange, pelo que vi, 80% de tudo que vemos nas ruínas, incluindo os monólitos de Fraile e Ponce, Pirâmide de Akapana, Puerta del Sol, Templo de Kalasasaya, etc.

Pra mim serviu como uma prévia do que iria encontrar em Cuzco / Machu Picchu, não chegou a empolgar tanto quanto os outros passeios que havia feito até o momento, pois tratava-se de ruínas e não de natureza, paisagens, etc., mas impossível negar que tenha sido, no mínimo, legal... rs

 

Depois da primeira parte das ruínas, almocei o melhor bife de llama de toda a viagem num restaurante próximo. O almoço era opcional, mas valeu cada centavo dos 30 bolivianos que custou.

Também havia a opção de truta do Titicaca, mas isso eu deixaria para comer no dia seguinte, em Copacabana mesmo.

 

Após o almoço foi a vez da visita a Puma Punku, outra parte do sítio arqueológico de Tiwanaku onde estão, segundo os meus cálculos, os 20% das ruínas restantes que há para ver.

O problema de lá é que são várias partes desconexas, na verdade um grande quebra-cabeças para os arqueólogos montarem.

 

Mais cerca de uma hora de ônibus e chegamos a El Alto, por volta de 17h, onde pegaríamos um ônibus local para Copacabana.

Descemos eu, um casal de chilenos e um casal de brasileiros, atravessamos um viaduto e, na descida, já estava lá uma mulher vendendo os bilhetes para um ônibus que sairia dali uns 10 minutos.

 

Não era um ônibus turístico, mas também não era tão ruim para uma viagem que duraria cerca de 3 a 4 horas. Custou 20 bolivianos.

Fiquei com certo receio de deixar minha mochila cargueira no bagageiro, mas àquela altura da viagem pensei "seja o que Deus quiser"... rs

Aliás, por falar em bagagem, cerca de uns dez minutos de trajeto e o motorista parou em uma espécie de serralheria e subiram algumas estantes de metal para levar em cima do ônibus. Logo o pessoal, em sua maioria bolivianos, começou a reclamar da demora... rs

 

Partimos então rumo a Copacabana e foi muito legal observar, da janela do ônibus, mais um pouco do dia-a-dia dos moradores locais.

A Bolívia é um país muito pobre, as coisas lá são extremamente baratas, até mesmo pra nós, brasileiros.

Inclusive se há uma coisa que senti naquele povo, é que é um povo batalhador, com muita esperança de um futuro melhor.

Nos papos que tive com os locais o Evo Morales não é unanimidade. O pessoal mais do interior (Uyuni, por exemplo) gosta mais dele, já os da cidade (La Paz, El Alto) não gostam tanto. Segundo alguns o problema dele é a proximidade com o Hugo Chávez, que não é "flor que se cheire"... rs

Já na educação há um consenso de que ele fez avançar bastante, inclusive com alguns programas sociais parecidos com os do Brasil, em que as famílias ganham algum dinheiro por manter seus filhos na escola.

 

Política à parte, continuei olhando a viagem pela janela e apreciando a paisagem, já que agora estávamos deixando a parte mais urbana e a natureza voltava a predominar.

Pensei que estaria me despedindo dos picos nevados, então aproveitei bastante para admirar, mas ainda veria tal paisagem mais adiante, no próprio Lago Titicaca.

Aliás, quando começou a aparecer uma parte com água na janela do outro lado do ônibus achei até que seria o próprio, mas pelo tempo que demoramos a chegar agora tenho minhas dúvidas se era ou não.

De qualquer forma, foi muito bonito o pôr-do-sol naquelas águas, mesmo dentro do ônibus.

 

Lá pelas 19h30 chegamos ao Estreito de Tiquina, local onde temos que descer do ônibus para atravessar de barco enquanto o ônibus atravessa em uma balsa.

Como ninguém avisa, fomos seguindo um casal de bolivianos até o local onde se faz o pagamento da travessia de barco e, após desembarcarmos do outro lado, nada do ônibus chegar.

Perguntamos pro tal casal de bolivianos que estávamos seguindo e eles disseram que também não sabiam onde o ônibus pararia... rs Mas no fim não era muito longe dali, era apenas do outro lado da praça na qual estávamos.

 

Enquanto esperávamos pelo ônibus aproveitamos para "jogar conversa fora".

O casal de chilenos estava apenas passando o feriado por ali, pois nestes países também é feriado em 1o de maio.

Já o casal de brasileiros seguiria até Machu Picchu, onde fariam a trilha inca e o rapaz seguiria viagem por mais duas semanas, enquanto a moça retornaria para o Brasil.

 

Depois de alguns minutos o ônibus chegou e fizemos o restante da viagem até Copacabana.

Melhor nem reparar na forma como eles dirigem por lá. A estrada era de mão dupla e, não sei por qual motivo, o motorista insistia em dirigir na pista contrária, só saindo quando vinha algum veículo do outro lado. Ficava pensando se ele não percebesse ou se não tivesse tempo de desviar, mas enfim... rs

 

Cheguei a Copacabana por volta de 21h. O ônibus parou numa praça na parte alta, próximo a uma igreja.

Desci do ônibus, me despedi dos chilenos e dos brasileiros e desci a pé, pois sabia que não estava muito longe do Hotel Utama, para o qual tinha feito reserva por e-mail.

Neste dia as informações que pedi atrapalharam mais que ajudaram, então decidi parar de perguntar aos mais velhos e perguntei a pessoas mais jovens, só assim consegui encontrar o hotel.

Perdi uma meia hora nisso e, quando cheguei ao hotel, estava exausto, pois somava o cansaço do passeio a Tiwanaku e das horas de viagem até Copacabana.

 

Ainda tinha que sair para fechar o passeio de barco para a Ilha do Sol, no Lago Titicaca, para o dia seguinte, mas como estava muito cansado, resolvi perguntar na própria recepção do hotel.

Talvez, financeiramente falando, não tenha feito o melhor negócio, mas as informações que o recepcionista me deu foram ótimas.

Ele disse que o passeio de barco poderia ser fechado no próprio hotel no dia seguinte pela manhã, assim como a reserva para o ônibus para Puno para a tarde, após retornar do passeio.

Também me informou que havia alguns lugares que faziam câmbio próximo à beira do Titicaca, pois eu precisaria de alguns soles para quando chegasse a Puno, no Peru.

Ainda aproveitei pra trocar com ele 1 boliviano por diversas moedas de centavos, completando assim as moedas de bolivianos que faltavam pra minha coleção... rs

 

O quarto no Hotel Utama, assim como o do Hostal Copacabana, de La Paz, também era muito bom.

Fiquei em um quarto individual com banheiro privativo, mas a cama era do tamanho de uma cama de casal.

Tomei um banho, arrumei as coisas para o dia seguinte e caí no sono, pois no dia seguinte faria a trilha na Ilha do Sol no sentido Norte - Sul e precisaria estar com as energias recarregadas.

 

Gastos do dia:

Hostal Copacabana: 90 bolivianos

Entrada - Tiwanaku: 80 bolivianos

Almoço - Tiwanaku: 30 bolivianos

Ônibus La Paz / Copacabana: 20 bolivianos

Balsa (Estreito de Tiquina): 1,5 bolivianos

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120605121825.JPG 500 333.333333333 Pirâmide de Akapana]Pirâmide de Akapana[/picturethis]

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120605122007.JPG 500 333.333333333 Monólito de Fraile]Monólito de Fraile[/picturethis]

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120605122118.JPG 333.333333333 500 Monólito Ponce]Monólito Ponce[/picturethis]

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120605122143.JPG 500 333.333333333 Puerta del Sol]Puerta del Sol[/picturethis]

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120605122205.JPG 500 333.333333333 Templo de Kalasasaya]Templo de Kalasasaya[/picturethis]

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120605122232.JPG 500 333.333333333][/picturethis]

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120605122257.JPG 500 333.333333333][/picturethis]

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120605122320.JPG 500 333.333333333 Puma Punku]Puma Punku[/picturethis]

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

Pois é, Marla, essa é uma combinação fatal (tempo / $$$), normalmente quando se tem um não se tem o outro... rs

Por exemplo, não sei como está conseguindo tempo já que está fazendo doutorado... rs

Ou já terminou? E no final, acabou escolhendo que tema?

 

Entendo bem essa questão de não aparecer nas fotos. Eu também sou "o que tira", então às vezes parece que nem viajei... kkk

 

Uma pena suas lembrancinhas terem se perdido, mas no final das contas, o que vale é o que ficou registrado na memória, os sentimentos e ensinamentos que a viagem proporcionou. Isso não se apaga (nem se paga)... rs

Abs!!!

 

::lol4:: Acabei de defender meu mestrado... doutorado so ano que vem, senão os neuronios não aguentam rsrs

 

Meu! realmente vc nao come ne? To impressionada! Se eu tivesse feito como vc, teria voltado da Bolivia uns 8kg mais leve hahaha.

Tb fiquei no Utama, gostei muito de la, do cafe da manha deles, um dos melhores q peguei na Bolivia. A agua, o chazinho de coca e a banana free no hall do hotel sao otimas para salvar a gente das laricas e dos incomodos da altitude. E vc nao fez mal negocio nao, tb comprei a passagem para o barco com o dono do hotel e depois qd fui embarcar vi que todo mundo das filas tinham pago o mesmo valor q eu tinha pago no hotel.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Pois é, Marla, essa é uma combinação fatal (tempo / $$$), normalmente quando se tem um não se tem o outro... rs

Por exemplo, não sei como está conseguindo tempo já que está fazendo doutorado... rs

Ou já terminou? E no final, acabou escolhendo que tema?

 

Entendo bem essa questão de não aparecer nas fotos. Eu também sou "o que tira", então às vezes parece que nem viajei... kkk

 

Uma pena suas lembrancinhas terem se perdido, mas no final das contas, o que vale é o que ficou registrado na memória, os sentimentos e ensinamentos que a viagem proporcionou. Isso não se apaga (nem se paga)... rs

Abs!!!

 

::lol4:: Acabei de defender meu mestrado... doutorado so ano que vem, senão os neuronios não aguentam rsrs

 

Meu! realmente vc nao come ne? To impressionada! Se eu tivesse feito como vc, teria voltado da Bolivia uns 8kg mais leve hahaha.

Tb fiquei no Utama, gostei muito de la, do cafe da manha deles, um dos melhores q peguei na Bolivia. A agua, o chazinho de coca e a banana free no hall do hotel sao otimas para salvar a gente das laricas e dos incomodos da altitude. E vc nao fez mal negocio nao, tb comprei a passagem para o barco com o dono do hotel e depois qd fui embarcar vi que todo mundo das filas tinham pago o mesmo valor q eu tinha pago no hotel.

 

Parabéns pelo mestrado!!

 

Ah! Quanto à comida, nem me preocupo, é o mesmo que faço aqui no Brasil: café-da-manhã, almoço e, ao invés da janta, alguma bobeira... rs

Mas acabo não emagrecendo não, só mantenho o peso... rs

 

Pois é, como o preço que eles cobraram de tudo (diária, barco, ônibus p/ Puno, etc.) estava batendo com a minha planilha, acabei nem me preocupando em procurar mais.

Na verdade estava é exausto pra procurar qualquer coisa naquele dia... kkk

Aliás, nessa viagem acabei não pechinchando quase nada. Não fui "100% mochileiro"... rs

 

Abs!

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...