Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Chile: Santiago, Talagante, Viña del mar e Valparaíso: Um guia para mãos-de- vaca...pero no mucho !


Posts Recomendados

  • Membros

[align=justify]Tentarei ser sucinta. Ok, estou mentindo. Eu nunca sou sucinta, então senta que lá vem história, he he ...

 

Santiago de Chile: A origem

 

Essa cidade sempre fez parte do meu imaginário. Sendo descendente de chilenos, cresci ouvindo histórias sobre o Chile, então, nada mais justo que a minha primeira viagem internacional fosse pra lá. Simples assim !!! 

Planejamento

 

Que planejamento ?! Alguém aí já ouviu a expressão “dei uma de louca” ? Então, foi justamente assim que eu fiz.

 

Obviamente já tinha uma reserva para viajar, mas não sabia quando iria fazê-lo, portanto, quando assinei minha “papelada” de férias tive a brilhante idéia: vou viajar...mas pra onde ?

 

Depois de quase ter um piripaque do miocárdio ao ver quanto custaria passar uma semana em Fernando de Noronha, resolvi pesquisar quanto custaria para ir a Santiago e surpresa: 1/3 do que custaria a primeira opção.

 

Depois de pegar dicas com amigos, optei por um vôo direto pela LAN (R$ 579,11). Mais algumas horinhas de pesquisa em sites de booking e nos fóruns do Mochileiros, decidi me hospedar em um albergue, o Ventana Sur (R$ 356, 37 = 7 noites em quarto individual com TV, banheiro compartilhado e café da manhã).

 

Nota: Como foi minha primeira experiência em um hostel, tive receio de ficar em quarto coletivo, no entanto, quando cheguei lá percebi que é uma opção perfeitamente viável e segura, pelo menos neste albergue...e com a vantagem de pagar mais barato ainda: R$ 178, 19.

 

Depois da parte burocrática resolvida, iniciei a pesquisa sobre o que fazer em Santiago. Mais umas horinhas em sites de turismo, inclusive do Ministério do Turismo do Chile, e nos fóruns do Mochileiros ( acho que estou fazendo muito “jabá”, não? rs Depois quero minha comissão em diárias de hostel, he he.), finalizei a programação dos 7 dias de viagem.

 

Tempo total do pseudo-planejamento: Menos de 15 dias.

 

1º Dia (17/04/2012): Do aeroporto à Providência, passando pelas casas de câmbio.

Chegando a Santiago, quis me comportar como uma perfeita santiaguina...ou pelo menos uma perfeita santiaguina mão-de-vaca.

Pra quê pegar um táxi quando se pode economizar CLP$ 12. 700, 00 indo de TurBus (CLP$ 1.700,00) e Metrô (CLP$ 600,00) até o local de hospedagem ?!

Menos de 1 hora depois do pouso, lá estava eu no Ventana Sur, localizado próximo a Estação Santa Isabel, e como cheguei um pouco antes da hora combinada meu quarto ainda não estava pronto.

Larguei a bagagem no quarto e saí desbravando a cidade !

Após comprar a Tarjeta Bip! , espécie de bilhete único vendida em algumas bilheterias de Metrô e, diga-se, item de primeira necessidade já que os ônibus não aceitam dinheiro, caí pro Metrô e em poucos minutos já me encontrava no centro.

 

Nos arredores da estação Plaza de Armas, encontram-se muitas casas de câmbio, mais especificamente no Paseo Ahumada e rua Agustinas.

 

“Dinero cambiado” e estômago gritando fui em busca de um local para comer. Na dúvida optei por um fast food, onde serviam combos de frango frito + salada + refrigerante ou chopp por CLP$ 3.000,00.

 

De volta ao hostel, tudo o que consegui fazer foi tomar um banho e ir pra cama.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120530215650.jpg 500 375 Legenda da Foto]Bandeira chilena e Cordilheira dos Andes.[/picturethis]

2º Dia (18/04/2012): Cierro Santa Lucia,um lugar muito perigoso para as mulheres...que usam chapinha ! + La Chascona + Patio Bella Vista + Free tour.

Cierro Santa Lucia (Metrô Santa Lucia): Uma palavra pra definir esse lugar: lindo !

Os jardins e a vista que se tem da cidade são deslumbrantes. Por todos os lados se tem objetos da época da libertação e outras obras de arte.

No topo se encontra o Instituto Nacional de Deportes e ao pé do cierro há um mural em homenagem a Gabriela Mistral.

 

Dica para as mulheres que usam chapinha: tomem cuidado se forem passear por lá pela manhã. O cierro é repleto de irrigadores automáticos, então, quando você menos espera: lá vem esguicho !!! rs

 

Mico do dia: Como disse, no topo do cierro se encontra o IND, então fiquem atentos se algum evento estiver acontecendo...só para não serem “convidados a se retirar”, como eu fui...Uma das funcionárias, muito educada e gentil, me perguntou se eu fazia parte do evento e aí tive que revelar minha identidade secreta: no, soy turista ! Embora ela tenha sido muito educada a situação foi constrangedora e se tivesse alguém comigo, com certeza, eu teria virado a piada do dia, he he.

 

Custo: Totalmente “di grátis”.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120530220731.jpg 500 375 Legenda da Foto]Cierro Santa Lucia.[/picturethis]

La Chascona (Metrô Baquedano): Um belo museu ao pé do Cierro San Cristóbal, que um dia foi uma das casas de Pablo Neruda.

A construção na verdade se divide em 3 casas distintas, sendo que uma delas tem formato de barco (por fora e por dentro).

Destaque pra guia Alejandra que é uma figura !!! Não tem como não rolar de rir quando ela conta sobre as peraltices que o tio Neruda e suas mulheres, Oscar Niemayer e Diego Rivera aprontavam. Uma verdadeira aula de história e literatura com cara de “papo de boteco”, no bom sentido, e deveras romântico.

 

A casa ainda conta com uma loja de souveniers onde se pode encontrar lembrancinhas para todos os gostos e bolsos.

 

Custo: CLP$ 3.500,00

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120530221201.jpg 500 375 Legenda da Foto] La Chascona.[/picturethis]

Patio Bella Vista: Um conglomerado de bares e lojas no meio do bairro boêmio Bella Vista.

Passei rapidamente para conhecer e pra comer alguma coisa antes de ir ao Free tour.

A dica aqui é o La Casa en El Aire, é uma mistura de bar + restaurante + espaço cultural.

O lugar é muito agradável, com um bom atendimento e preços idem. Eles tem os chamados pratos populares que tem um preço pra la de justo, eu pedi um deles é claro. Sopa de legumes,salada, pastel de choclo e chopp por CLP$ 3.900,00. Se a pessoa não for uma glutona dá até pra dividir, já que o dito pastel e enorme e com muito recheio.

 

Mico do dia: Cuidado ao pedir o segundo choppinho. Você acha que vão te servir uma tulipa e aí aparece uma taça de 500 ml na sua frente. O problema não é a quantidade de cerveja mas sim o preço: CLP$ 2.300,00. Nessa brincadeira, fiquei no prejuízo.

Free tour: é um passeio guiado, sem custo e incentivado pelo Ministério do Turismo.

Ocorre duas vezes por dia, se não me engano as 10:00 e as 13:00, saindo da Plaza de Armas e terminando em frente a La Chascona, tendo duração de aproximadamente 4 horas.

O guia apresenta a cidade e conta a história dos prédios antigos e lugares importantes, em inglês, e durante o passeio e feito uma parada no centro para provar mote com huesillos ( bebida típica adocicada e não-alcoolica com pêssego e grãos de trigo) e depois outra no bairro Lastarria para provar Pisco sour (bebida muito parecida com a nossa caipirinha, porém feita com pisco, a “pinga” chilena).

 

Os pontos fortes desse tour, além de ser grátis como todo mão-de-vaca adora, são o carisma do guia, no dia em que eu fui era o Felipe, e a facilidade para conhecer pessoas.

Pra quem é um viajante solitário como eu, fica a dica de uma bela oportunidade pra conhecer gente bacana.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120530221724.jpg 500 375 Legenda da Foto]Plaza de Armas, La Moneda, Centro Cultural Gabriela Mistral e Plaza Italia [/picturethis]

Pra finalizar o dia, passei pelo mercado Líder, que lembra muito o nosso Extra, pra comprar umas besteiras pra comer e depois fui ao encontro de Morpheus porque no dia seguinte haveria muita caminhada pela frente.

 

3º Dia (19/04/2012): Valparaíso e Viña del mar

 

Como toda paulistana que se preze, ao programar um compromisso pra logo cedo, a primeira coisa que vem a mente é: vou levantar o mais cedo possível pra não pegar o metrô como se fosse um campo de guerra.

 

Ledo engano. Em Santiago isso “no ecxiste”, como já diria padre Quevedo! Pelo menos não nos horários em que acontece aqui em SP.

 

Saí do hostel as 5:40, já que o metrô só abre as 6:00, e me deparei com a rua deserta e ainda escura...acho que só eu estava na rua naquela hora. Quando entrei no metrô, outra surpresa: dava pra contar nos dedos as pessoas que estavam nos vagões.

Chegando a estação Universidad de Santiago, encontrei um casal que havia conhecido no Free tour (perceberam como o free tour não é só cultura? rs), e então compramos a passagem ida e volta, da viação Pullman, que é mais barata que a da TurBus e ainda sai com desconto se comprar ida e volta. CLP$ 6.500,00

 

Chegando a Valparaíso, caminhamos pelo centro, tomamos um susto com a placa que dizia “Vía de evacuación de tsunami” e depois pegamos o ascensor Concepción para conhecermos um pouco da parte alta da cidade.

Hora do almoço. A dica aqui é o restaurante El Galeón del Instructor (Rua Serrano, 525).Um lugar muito charmoso, seu interior é idêntico ao de um navio, com direito a mastro com a arcada dentária de um tubarão pendurada e leme, só faltou o capitão, he he ! Os pratos tem um bom preço, pagamos CLP$ 3.600,00 por um filé de merluza grelhado com opções de acompanhamento.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120530222325.jpg 500 375 Legenda da Foto]Portal de Valparaíso, porto, placa de evacuação de tsunami e restaurante El Galeón.[/picturethis]

Viña del mar: De Valpo a Viña é possível ir de metrô (CLP$ 900,00) ou ônibus (CLP$ 450,00 +_).

Nem preciso dizer por qual optamos, não?

Descemos no começo de Viña, no ponto do Reloj de flores, e andamos pela orla, devidamente acompanhados de um cachorro de rua que cismou em nos seguir e depois de umas 2 horas de caminhada nos trocou por uma vira-lata charmosa que estava “dando mole” pra ele.

A paisagem é maravilhosa, dá até torcicolo porque não dá pra saber se é melhor olhar os castelos pelo caminho ou a imensa variedade de pássaros da região, ou os dois ao mesmo tempo...daí o torcicolo.

Além, disso também tem o prédio do Cassino que é muito bonito e o Museo Fonck, que tem o único moai fora da ilha de Páscoa.

Passamos um tempo descansando na praia de Acapulco. E foi inevitável não relembrar o Chaves...ok, não é a mesma Acapulco mas enfim...

Como já era tarde, não chegamos até Reñaca, a praia dos leões-marinhos (ou seriam lobos? não importa...), como tínhamos planejado. Ah, o último ônibus pra Santiago sai por volta das 21:00.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120530223414.jpg 500 375 Legenda da Foto]Reloj de flores, castelo Wulff, ponte do rio Marga Marga e museu Fonck.[/picturethis]

4º Dia (20/04/2012): Viña Undurraga (Talagante) + Baladinha no Pátio Bella Vista + E mais micos

 

Definitivamente, sexta-feira foi o dia mais “sem noção”, e não porque foi chato, pelo contrário, mas porque eu me enrolei toda com a agenda do dia.

 

Pela manhã fui a Viña Undurraga (mais detalhes aqui vinas-em-santiago-perguntas-e-respostas-t33049-90.html#p710354 ) e como me empolguei com as garrafas de vinho (modo mão-de-vaca failed), fiquei muito cansada e não fiz nada na parte da tarde, a não ser tagarelar com os outros hóspedes.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120530224508.jpg 500 375 Legenda da Foto]Viña Undurraga[/picturethis]

No entanto, já havia combinado de ir jantar com o casal do Free tour e depois encontrar um baiano e uma americana que estavam hospedados no mesmo hostel que eu pra uma baladinha básica.

A pedida para o jantar era o La Casa en El Aire, dentro do pátio Bella Vista. Me arrumei e fui até lá. Pra minha surpresa eles não estavam. Voltei correndo feito uma louca pro hostel pra tentar encontrar o pessoal e por sorte, quando eu cheguei lá eles estavam à porta.

Saímos à procura da “balada perdida”, no melhor estilo Indiana Jones. Encontramos outros turistas que os dois haviam conhecido e fomos jantar no restaurante Azul Profundo, rua Constitución. Lugar bacana com preços sacanas ! A comida é maravilhosa mas os pratos são pequenos.

Enfim, a hora da balada ! Tentamos ir ao bar Constitución, que eles já haviam estado na noite anterior, mas por uma questão de “logística financeira ” desistimos.

Saímos em busca de outro lugar, depois de muito andar, resolvemos ficar em um botequinho na rua Dardignac. Lugar super simples e bem barato, atendimento muito bom e trilha sonora exótica: ouvimos cumbia misturada ao Nirvana que estava tocando no bar que ficava atrás do boteco. O pessoal se acabou tomando Maremoto, que na verdade é a versão de 2 litros do drink Terremoto (pisco, granadine e sorvete de creme) e eu fiquei tranquila com a minha cervejinha Kunstmman.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120530225051.jpg 500 195.625 Legenda da Foto]Uma banda no meio do bairro Bella Vista tocando The Police e o famoso El Maremoto.[/picturethis]

Ah, e quanto ao casal do Free tour? Bem, eles foram me esperar no Casa en El Aire que fica fora do Pátio, enquanto eu estava no de dentro, he he. Foi uma “falta de sacanagem” do Google que deu o endereço errado pra eles !!! rs

 

5º Dia (21/04/2012): Cierro San Cristóbal + Brechós + Restaurante italiano + E mais Terremoto

Cierro San Cristóbal: Sinceramente ? Achei o Santa Lucia mais bonito. Porém o passeio de funicular (CLP$ 1.800,00 ida e volta) e a vista 360o de Santiago são imperdíveis.

Passei toda a manhã lá em cima com o simpático baiano do hostel. E quando ele estava indo embora, quem nos encontra? O casal do Free tour. rs

Ficamos mais um tempo por lá e depois fomos ao centro procurar pelos brechós. Encontramos alguns mas como era tarde não deu pra olhar nada direito porque quase tudo já estava fechado.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120530225550.jpg 444.444444444 500 Legenda da Foto]Cierro San Cristobal.[/picturethis]

Jantar e baladinha - A missão: Como tudo saiu ao contrário na noite anterior, nos certificamos de onde nos encontrar no Bairro Bella Vista.

Voltei pro hostel , e quando estava dando uma pausa pra descansar um hóspede novo puxou papo e então ficamos tagarelando por um tempo...como já estava em cima da hora e o papo estava bom, aproveitei para convidar o moço pra jantar com a gente.

 

Um pequeno esclarecimento: Eu não costumo sair por aí assediando moços estrangeiros e tampouco seqüestrando hóspedes indefesos, mas é que como o clima do hostel era tão amistoso e eu percebi que é um costume convidar os outros hóspedes pra sair, então resolvi seguir a tradição. A propósito, achei isso tão São Tomé das Letras !!! Acho que esta é a única cidade brasileira que eu conheço onde se faz amizade tão fácil e há tanta cordialidade.

 

Voltemos ao assunto, fomos pra um restaurante italiano próximo ao Cierro San Cristóbal, e infelizmente não me lembro o nome, onde se paga pouco e se come muito. Mama mia !!!

Depois de nos empanturrarmos, fomos ao botequinho da noite anterior porque eles ficaram doidos pra provar o terremoto. rs

 

Voltamos ao hostel e ficamos tagarelando com outros hóspedes até altas horas.

 

6º Dia (22/04/2012): Cementerio General + Repouso + Tagarelagem

 

Depois de tanta atividade no sábado, a programação dominical foi por água a baixo.

Tinha planejado visitar o maior número de museus possível já que a maioria deles não cobra entrada aos domingos, porém, o cansaço venceu. Então, já que o lance era descansar, que lugar melhor que um cemitério ? rs

 

“Solta um Sister of Mercy, DJ , que o clima gótico esta no ar!”

 

O hóspede assediado, digo convidado, na tarde anterior pra ir ao Pátio Bella Vista gostou da idéia e resolveu ir comigo lá.

A idéia original era ter ido ao tour noturno que ocorre aos sábados no Cementerio General, porém, ao contrário do que eu pensei, que eu fosse uma das poucas malucas que se interessaria por um programa desses, a agenda estava lotada e só teria vaga pra Maio !!!

 

Pra quem ainda acha que passear por um cemitério é uma coisa de gótico ou de gente doida, eu vou esclarecer coisa: o Cementerio General é um dos melhores lugares pra quem quer conhecer mais sobre a história do Chile.

 

Lá estão enterrados personagens importantes do passado chileno, existem memoriais em homenagem aos desaparecidos e executados políticos da época da ditadura.

 

Fica a dica pra quem quer fazer algo a mais e bem diferente do que as agências de turismo indicam.

Bem, como o cansaço ainda perdurava, tomamos uma cervejinha em um bar próximo ao cemitério e voltamos ao hostel.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120530225859.jpg 500 485.018726592 Legenda da Foto]Cementerio General[/picturethis]

7º Dia (23/04/2012): Mais brechó + Feria de artesanias + aula de história by Ivan (dono do Ventana Sur)

 

No último dia também acordei meio tarde e o meu caro colega hóspede tinha umas reuniões de trabalho.

Então combinamos de ir atrás dos brechós da rua Bandera...e achamos !!! Aliás, essa rua é repleta de boas lojas de roupas,de ponta a ponta, para todos os estilos e gostos. Mais informações aqui: compras-no-chile-t35363-120.html#p710347

 

Almoçamos, ele foi ao trabalho e eu a Feria de artesanias Santa Lucia. Essa feira é uma ótima opção pra comprar lembrancinhas e presentes. Porém, há de se pesquisar loja por loja porque os preços variam e muito.

 

À noite, ficamos no hostel tomando vinho e batendo papo, e tivemos uma grata surpresa: O Ivan não é só gente boníssima como também um conhecedor de vinhos e da história do país.

 

Já deu pra perceber que eu gosto de história, né? rs Pois bem, além do moço ter me dado várias dicas sobre vinhos ( o que foi muito enriquecedor já que eu era uma completa ignorante no assunto) , de quebra, rolou uma aula de história. É impressionante o impacto que causa o relato de alguém que viveu tudo aquilo em comparação com o que se lê nos livros.

 

8º Dia (24/04/2012): Esta na hora de dar tchau, como diriam os Teletubbies.

 

Ùltima parada: aeroporto.

Resultado obtido: Muita saudade da galera que conheci por lá e uma baita vontade de ir a Santiago novamente...ir e ficar por lá mesmo. 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120530230341.jpg 500 187.5 Legenda da Foto]Última vista do céu do Chile e São Paulo em horário de pico.[/picturethis]

 

Sobre o Ventana Sur: santiago-hospedagem-t29629-630.html#p710320

 

Sobre câmbio: guia-e-dicas-sobre-moedas-cartoes-e-gastos-no-chile-t28761-600.html#p710299

Sobre compras de roupas, vinhos e lembrancinhas: compras-no-chile-t35363-120.html#p710347[/align]

 

Metro Santiago : http://www.metrosantiago.cl/estacion/plano-red

 

Metro Valpo/Viña : http://www.merval.cl/uploads/documentos/984471ae3da8c72a0b6136e0571f169ee6945d41.pdf

 

Mapa Valaparaíso : http://congresozubiri.files.wordpress.com/2009/11/mapa-restaurantes-y-bares-de-valparaiso.jpg

 

Mapas diversos : http://www.ekatours.cl/mapas.php

 

Abraço a todos,

Iara

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Membros

P.S: Esqueci de acrescentar uma coisa no texto acima. Pra quem é ainda mais mão-de-vaca que eu e achou os pratos caros, existe uma opção bem bacana: Os Italianos. Italiano é um tipo de sanduiche que lembra o nosso cachorro quente e que custa entre CLP 400,00 e CLP$ 800,00, acompanhado por um refri de CLP$ 400,00, já dá pra resolver a fome. Ou uma bela empanada que sai entre CLP$ 800,00 e CLP$ 1.000,00 também é uma bela alternativa.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Sensacional o relato Iara, vai ajudar muito na minha viagem!

Deixando claro que a forma que você escreve deixa a leitura bem mais tranquila e divertida.

 

Você sabe me dizer em média quanto você gastou durante os 7 dias??

 

Abraço

Joe C.

 

Obrigada, Joe ! :)

 

Olha, se eu te falar que não tenho certeza você acredita ? rs

Assim, eu acabei me empolgando com algumas compras que valeram muito a pena, que foi o caso de vinhos e blusas de frio.

Mas se o seu caso é só passear e conhecer a cidade mesmo, sem baladas extravagantes, eu diria que com uns R$ 800,00 já dá pra se divertir. Exemplo: Se você, em um dia, só gastar com almoço, mais uma água (e acredite você nunca bebeu tanta agua em sua vida como vai beber lá, a menos que vc va pro deserto...palavra de quem não gosta de água, rs), mais uma garrafa de vinho (um bom vinho de CLP 4.000,00, mas há outros que não são ruins que você paga a metade disso) e jantar no albergue/hotel, você vai gastar uns CLP$ 16.000,00, se o câmbio tiver do mesmo jeito que estava quando estive lá,isso dá uns R$ 64,00, aproximadamente.

Ah, outra dica pra economizar, ande muito a pé ! As coisas são próximas e os caminhos são sempre interessantes. Do centro è Providência dá uns 40 minutos, se você não ficar apreciando a paisagem...eu fiz esse trajeto a pé vaaaaaaaarias vezes.

Mas me fala, você vai ficar apenas em Santiago ou pretende ir a outras cidades ?

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
ehehehhehe...esse relato é pra mim, c/ uma pequena correção: ñ sou mão de vaca, sou econômica! heheheh

Vou aproveitar várias dicas, principalmente de alimentação, q é caro no chile.

abs

 

Você disse tudo: economia ! Eu acabei gastando mais por lá do que uma pessoa realmente mão-de-vaca gastaria mas isso foi porque a diferença de preço era absurda. Pra vc ter ideia, um dos vinhos que eu trouxe, aqui em SP é vendido a quase R$ 100,00 e lá eu paguei R$ 20,00.

 

Quanto a comida ser cara, isso e meio relativo na minha opinião. Claro que eu estou considerando os valores cobrados aqui na terrinha, e aí em Santiago sai até mais barato.Mas pra alguém que more em algum estado do norte/nordeste, por exemplo, aí a coisa complica. Um amigo meu voltou a pouco de Natal e ele disse que pagou R$30,00 em duas lagostas enormes e preparadas na hora, em uma vila de pescadores. Cara, eu nunca vi nem a patinha da lagosta ser vendida a esse preço aqui. rs

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
ehehehhehe...esse relato é pra mim, c/ uma pequena correção: ñ sou mão de vaca, sou econômica! heheheh

Vou aproveitar várias dicas, principalmente de alimentação, q é caro no chile.

abs

 

Você disse tudo: economia ! Eu acabei gastando mais por lá do que uma pessoa realmente mão-de-vaca gastaria mas isso foi porque a diferença de preço era absurda. Pra vc ter ideia, um dos vinhos que eu trouxe, aqui em SP é vendido a quase R$ 100,00 e lá eu paguei R$ 20,00.

 

Quanto a comida ser cara, isso e meio relativo na minha opinião. Claro que eu estou considerando os valores cobrados aqui na terrinha, e aí em Santiago sai até mais barato.Mas pra alguém que more em algum estado do norte/nordeste, por exemplo, aí a coisa complica. Um amigo meu voltou a pouco de Natal e ele disse que pagou R$30,00 em duas lagostas enormes e preparadas na hora, em uma vila de pescadores. Cara, eu nunca vi nem a patinha da lagosta ser vendida a esse preço aqui. rs

 

Eu confesso q sou um pouco mão de vaca sim, mas prefiro me definir como econômica.

Minha preocupação maior é achar esses lugares baratos p/ almoçar, pq gastar mto c/ comida acaba fazendo mta diferença no final, e economizar em alimentação ajuda a sobrar + p/ os passeios. Eu moro no Rio, e aqui os restaurantes são caros, mas aqui eu ñ como fora todo dia, e numa viagem comemos fora todos os dias, então, isso faz diferença demais se colocar na ponta do lápis.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Verdade, Ana.

Mas assim se você quiser economizar ao extremo com alimentação, o ideal é você comprar coisas básicas no mercado e cozinhar no hotel e quando estiver na rua pode ir numa empanada ou num italiano e alguma bebida que dá pra segurar a bronca. Assim,você gasta no máximo CLP$ 1.400,00.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Iara,

Pretendo ir a Viña del mar e Valparaíso também.

Quero conhecer alguma balada também, saber como é a night chilena! E claro assistir a algum espetáculo no teatro, pois ser ator, ir a outro país e não ver um espetáculo é inadmissível. haha

Também vou esquiar, e já vi que não é um dos programas mais baratos a se fazer.

Quero aproveitar ao máximo tudo(frase clichê de quem viaja), sem gastar excessivamente(frase clichê de pão duro).

Com comida e transporte acho que consigo economizar um pouco, meu hotel fica no centro e por ser um apart, tem cozinha, então isso já é uma ajuda.

Lógico que vou querer conhecer os restaurantes e tal, pq não sou tão pão duro assim, na verdade nem sou, estou tentando ser pq não tá fácil. haha

Enfim, acho que uns R$2.500,00 dá pra sobreviver do dia 09/07(ida) ao dia 16/07(volta).

Me diz uma coisa, essa cota de $500 realmente existe pra trazer coisas de lá? :)

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Verdade, Ana.

Mas assim se você quiser economizar ao extremo com alimentação, o ideal é você comprar coisas básicas no mercado e cozinhar no hotel e quando estiver na rua pode ir numa empanada ou num italiano e alguma bebida que dá pra segurar a bronca. Assim,você gasta no máximo CLP$ 1.400,00.

 

Pelo q eu entendi, vc conheceu Viña del Mar e Valparaíso a pé. Foi difícil? conseguiu visitar todos os pontos turísticos?

Poderia descrever como foi a visita a esses locais?

Abs

 

PS.: todo mundo me chama de Ana por causa do nome do login, mas na verdade meu nome é Suzana. anazuS é meu nome ao contrário...eheheheh

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...