Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Bolívia, Chile e Peru - 30 dias inesquecíveis


Posts Recomendados

  • Membros

Obrigado Dri.rutka,

 

Com um moneybelt(e outras formas de esconder a grana) não acho muito arriscado... é um pouco sim, mas bem pouco. Porém, se o Cashpassport não cobrar taxa para sacar em dollar é perfeito. To estranhando eles não cobrarem isso, estranho...

As coisas bem ruins desse cartão é a conversão que normalmente é consideravelmente menor que a do mercado e a taxa para sacar...na época que viagei, usei o vtm( e lembro que era mesma coisa com diferenças minimas).

Pra quem tem grana isso não faz diferença, mas pro resto faz...

 

Eu tinha até riscado essa possibilidade pra proxima viagem, mas vou procurar saber melhor dessa história. Sem a taxa muda bastante coisa...

obrigado

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 593
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

Mais Ativos no Tópico

Postagens Populares

Hola chicos de Brasil!!!   Vou relatar minha experiência nesse tradicional mochilão entre Bolívia Chile e Peru que aconteceu entre os dias 01 e 30 de junho. Lembrando que o fato de ser comum

Em 2022 farei essa viagem novamente. Bolívia, Chile e Peru, 10 anos depois. Aguardem.

Olha ai Sorrent, depois de 8 anos, o relato ta bombando ainda!!!! hahahaha Melhor relato do mochileiros!!! hahaha Top

Posted Images

  • Membros

To apaixonada pelo seu relato... Muito bem detalhado!! Estou acompanhando desde o começo.. Você está de Parabéns!!!!! Suas fotos são INCRÍVEISSSSSSSSS...

Estou pegando várias dicas pra criar o meu... Minha viagem acontecerá em 2013!! Tenho cada vez mais interesse e cada dia surge mais dúvidas sobre a viagem.. espero que seu relato todo possa me ajudar.. Beijos.. Mais uma vez PARABÉNS!!!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

15° Dia - Huacachina

 

Eu tinha até passado batido pelo que aconteceu com a Noni mas como tem uma galera comentando, vou contar. Se vocês lembram, quando ela foi embora de SPA eu disse que nos encontraríamos de novo no Peru, pois é, mandei a mensagem pra ela em Arica dizendo que estávamos indo para Arequipa mas 1 ou 2 dias depois ela me respondeu dizendo que houve uma greve em Arica e a fronteira estava fechada e ela não conseguiu atravessa para Tacna por uns 2 dias, consequentemente nos desencontramos em Arequipa, como o roteiro dela era diferente do nosso depois disso, não nos veríamos mais. Alias demos muita sorte pois essa tal greve ocorreu um dia depois de termos cruzado a fronteira, por pouco nós não ficamos presos lá.

 

Apesar de todo o estrago da noite anterior, acordamos cedo nesse dia. Fui então com Fernando e Anália comprar algumas coisas para improvisar o café. Ali em volta do lago tem algumas barraquinhas vendendo algumas coisas então paramos e compramos pão, geléia, iogurte, etc etc, voltamos e tomamos o café no quarto mesmo.

Demos aquela tradicional enrolada básica por lá e depois fui conversar com Saulo a respeito do passeio que estávamos pensando em fazer. Era um passeio de quadriciclo pelas dunas com duração de uma hora, custava um pouco caro, 120 soles e isso já desanimou a galera mas eu sempre tive vontade de andar de quadriciclo e ter a "primeira vez" naquele lugar seria sensacional. Era um passeio que não estava no planejamento então pensei se não iria comprometer nada e depois de pensar um pouco, topei ir com Saulo. Fechamos tudo na recepção do hostel, tudo muito rápido, a única questão é que para esse passeio você precisa de um cartão de crédito internacional para deixar como garantia pois caso você danifique o veículo, terá que pagar. Assinamos o termo de responsabilidade e já marcamos o passeio para aquela manhã mesmo, ainda faltava cerca de uma hora então fui preparar a Gopro pra filmar a aventura. Na hora marcada fomos para o local de onde sai o passeio, fica na rua de trás do hostel. Chegamos lá e um senhor nos recebeu e passou as instruções de como dirigir o veículo e as restrições do passeio. Durante todo o trajeto um guia vai em outro carro "puxando" a gente e definindo o ritmo, não podemos correr muito pois segundo ele é fácil capotar um quadriciclo por ali. Com eu estava filmando tudo, tive que tirar o capacete e fui sem pois a câmera ficava presa na cabeça ai uma hora o guia se estressou e pediu pra eu colocar mas eu disse que não dava por causa da câmera, disse que havia assinado um termo de responsabilidade e estava ciente dos riscos, aí ele olhou com uma cara de "se você morrer, o problema é seu" e continuamos heheh. Teve uma hora que o guia deu uma freada logo após uma descida e o Saulo que estava bem perto quase bateu nele, ai o guia se estressou de novo e veio dar sermão sendo que a culpa foi dele. Meio chato esse cara, sorte que você só vai seguindo ele, nem precisa interagir muito. Esse passeio é muito show, você só vê areia por todos os lados boa parte do tempo, é subida e descida que não acaba mais e posso dizer que algumas até dão um frio na barriga. Embora não tenhamos ido com o grupo todo valeu muito a pena e apesar de ser um passeio um pouco caro, recomendo a todos.

Já no final do passeio nós paramos numa duna bem alta onde dá pra ter uma visão privilegiada de Huacachina, ali paramos e tiramos algumas fotos.

 

20120910114436.JPG

 

20120910114402.JPG

 

20120910114537.JPG

 

20120910114600.JPG

 

De volta, encontramos o restante do grupo e fomos almoçar no restaurante ao lado do hostel, preços muito bons e comida, idem. Depois disso já fechamos o passeio da tarde, sandboard e pôr do sol nas dunas. Não lembro o preço mas arriscaria que foi uns 30 soles por pessoa. OBS: ninguem comenta nada mas as pranchas do sandboard aqui não são profissionais como as de SPA, essas são tabuas de madeira com uma tira pra prender o pé, isso porque muita gente que vai fazer esse passeio (diria quase todos) desce as dunas sentados, de barriga, etc e só é possível com essas pranchas mas lá no hostel eu vi que também há pranchas boas como as que usamos em SPA então se você quiser pranchas boas, avise antes de sair para o passeio, provavelmente terá que pagar um pouco mais.

Outro detalhe é que já havíamos comprado nossas passagens de ônibus para Cusco, não tenho certeza do valor da passagem mas creio que uns 80 soles, o recepcionista do hostel nos ajudou em todo o processo, na verdade ele pegou nossos dados e comprou pra gente, marcou na nossa conta e pagamos junto com a diária no check-out, excelente serviço. Ficamos com o horário apertado pois teríamos que ver o pôr do sol e voltar correndo pro hostel pra arrumar tudo e sair pra Cusco, seria o tempo de tomar apenas um banho, mas daria certo.

Depois de acertar o passeio e as passagens, fizemos o check-out, guardamos nossas mochilas e o jeito foi enrolar até as 4 da tarde quando sairia o passeio, ficamos rodando por lá, sentamos na areia, nego dormiu na grama, fomos nas barraquinhas de artesanato enfim, o de sempre.

 

20120910123738.JPG

 

20120910125540.JPG

 

20120910125637.JPG

 

20120910125716.JPG

 

20120910125757.JPG

 

À tarde voltamos para o hostel e saímos para o passeio. Mesmo já tendo feito sandboard em SPA vale a pena fazer novamente em Huacachina, na minha opinião as dunas aqui são melhores, eu gostaria muito de ter ido com uma prancha boa. A melhor parte nesse passeio é que você não precisa ficar se matando de subir as dunas o tempo todo, o guia leva o grupo todo num carro estiloso até o topo das dunas então ele pára no topo, todo mundo desce, e aí seguimos para a próxima, deu pra descer umas 5 ou 6 dunas, foi mto bom apesar de a prancha não ser das melhores. No percurso entre uma descida e outra ainda tem o passeio de carro, tem horas que parece uma montanha russa, bem legal ::hãã2:: .

Eu confesso que descer aquelas dunas sentado ou deitado pareceu bem divertido mas, eu, Saulo, Adriano e Fernando resolvemos rolar areia abaixo descendo em pé, o Adriano ainda descei deitado uma vez e fritou o braço na areia, tem que tomar cuidado com aquilo. As dunas aqui são bem íngremes, quando a gente chegava no topo delas todo mundo falava "nem fodendo vou descer isso aí" hahahah era engraçado a reação de todos, e o guia ainda passava vela na prancha, aquilo escorregava bastante mas aos poucos, um a um a gente ia encarando a descida.

No final da tarde paramos em uma duna e ficamos só curtindo o pôr do sol, foi bem legal, muito bonito o lugar. Esse passeio é imperdível, tem o sandboard, o passeio de buggy e o pôr do sol, ou seja 3 em 1. ::otemo::

 

20120910142311.JPG

 

20120910143619.JPG

 

20120910143717.JPG

 

20120910143803.JPG

 

20120910144010.JPG

 

20120910144033.JPG

 

20120910144104.JPG

 

20120910144142.JPG

 

20120910144248.JPG

 

20120910144325.JPG

 

De volta ao hostel agora era correria pra se arrumar e seguir para Cusco. No final deu tudo certo. O busão não sairia de Huacachina e sim de Ica que fica bem próxima. Já era começo da noite e demos tchau à Huacachina, pegamos um taxi que nos deixaria na empresa de ônibus. Não lembro o valor da corrida mas não foi caro pois Ica fica a uns 20 minutos no máximo de Huacahina. Chegamos na empresa (que não lembro o nome, vou procurar) e fomos retirar nossas passagens que foram compradas via internet no hostel. Se você fizer o mesmo, cuidado, pois precisa levar para eles a confirmação impressa da compra passagem, mesmo ele tendo seu nome lá não adianta só seu documento, lembro que um de nós teve problema pois não estava achando o comprovante, mas no final, achou. Como ainda faltava um tempo até o busão sair, fomos comprar algo para comer, próximo à empresa há uma avenida grande, rodamos um pouco mas só achamos uns fast-foods pra comer por lá, aliás algo que achamos engraçado é que tinha 2 lojas de uma mesma rede de fast-food, bem grande por sinal, na mesma avenida uma de frente pra outra, hehe muito estranho ::tchann::

Voltamos e ficamos esperando o onibus que atrasou um pouco. Saímos de lá umas 8 ou 9 da noite mais ou menos e seriam umas 20 horas de ônibus até Cusco, a viagem mais demorada até o momento.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

E o cara, ae!!! ta virando romancista e marqueteiro, já !!! rsrsrs

 

Continue com o otimo relato sorrento,

Já falou com a editora ?

 

hahahaha não tem graça revelar tudo tão rápido, principalmente quando a galera ta com várias teorias sobre o negócio! Não falei com editora não, primeiro quero só terminar o relato ::hãã2::

 

 

Sorrent,

 

os elogios são pra te recompensar pelo tempo q vc gasta pra postar o seu relato pra gente com toda essa riqueza de detalhes... e pra vc ficar beeeeemmmmm feliz e contar logo o q q aconteceu com a Noni... kkkkkkk :mrgreen:

meu palpite é q rolou uma paixãozinha... ::love:: veremos...

Quando meu mochilão começar a tomar formas eu te perturbo mais um pouquinho com perguntas... rsrsr

 

paixãozinha, será??? logo logo saberemos heheheh!!!

obrigado pelos elogios mais uma vez

 

Fala cara e ae blz? Seu relato ficou muito fera... Está de parabéns. ::otemo::

 

Valeu cara!!!!

 

 

::hahaha:: Nossa! Tô ficando louca com essa viagem que vc fez...só o frio que assusta...Notei que nas fotos vc está qse sempre de camiseta...vc parece ser bem resistente ao frio neh! ::Cold:: Rsrsrs. Só fico triste com uma coisa...ninguém acha que eu seria capaz de fazer uma viagem dessas...ninguém acha que eu teria coragem.Dizem que eu sou muito fresca pra essas coisas e que é muito perigoso!!!Mas e daí??? Td bem...vou juntar dinheiro e mostrar pra td mundo! ::bruuu::

::Ksimno::

Continua o relato...no stop! ::hahaha::

 

Vai ficar ainda mais louca na sua vez hehehe. Pois é eu até que aguento bem o frio, no salar mesmo teve vez que eu estava só de camiseta e nego lá cheio de blusa, mas isso vai de cada um né.

Então mostra pra todo mundo que vc consegue.

 

 

To apaixonada pelo seu relato... Muito bem detalhado!! Estou acompanhando desde o começo.. Você está de Parabéns!!!!! Suas fotos são INCRÍVEISSSSSSSSS...

Estou pegando várias dicas pra criar o meu... Minha viagem acontecerá em 2013!! Tenho cada vez mais interesse e cada dia surge mais dúvidas sobre a viagem.. espero que seu relato todo possa me ajudar.. Beijos.. Mais uma vez PARABÉNS!!!

 

Achei que estava apaixonada por mim! hehehehe brincadeira!! ::tchann::

Obrigado e que bom que está curtindo, se tiver alguma dúvida é só perguntar. É até bom quando o povo pergunta porque é difícil lembrar tudo na hora de escrever então as vezes alguem pergunta alguma coisa e eu acabo lembrando de algo que aconteceu.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

só pra reforçar, parabéns pelo relato! to pegando muitas dicas pra quando for fazer o meu.

 

e em relação ao que comentaram antes sobre mulheres irem desacompanhadas, o medo não é nem de assalto, e sim de coisas piores como já chegou a ser relatado aqui mesmo no mochileiros em outro tópico da américa do sul, de chegar muito perto de acontecer coisas desagradáveis e tal... mas novamente, nada que também não possa acontecer aqui. o negócio é meter a cara nesse mundo com responsabilidade!

 

no aguardo pelo restinho do relato. ;)

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

16° Dia - Cusco

 

Como havia dito, a viagem entre Ica e Cusco é longa, cerca de 20 horas então não tinha muito o que fazer, só esperar mesmo, conversar no ônibus, ouvir música, trocar de lugar etc. O que ajuda um pouco é que na maior parte do tempo a paisagem é legal.

 

20120911141031.JPG

 

Na parte da manhã, paramos na rodoviária de uma cidade qualquer onde algumas pessoas desembarcam e outras embarcam afinal o ônibus não é direto, ali conhecemos um casal de brasileiros e ficamos conversando um pouco. Combinamos de nos encontrar em Cusco e voltamos pro ônibus. Na hora do almoço, o ônibus parou num restaurantezinho na beira da estrada mas daqueles bem suspeitos mesmo. Tinha uma mulher do lado de fora com umas panelas enormes misturando alguma gororoba, até hoje tenho dúvidas se aquilo era almoço ou se ela estava fazendo alguma bruxaria. Eu não arrisquei, fiquei no salgadinho mesmo. Parece até que estava prevendo pois em Cusco iria passar o pior aperto da viagem, ja ja eu conto.

Depois de uns 25 minutos de parada pro almoço, seguimos viagem e depois de um tempo passamos pela cidade de Anta. Apesar de seus carros engraçados, nada muito do que falar aqui, só comentei porque o nome é engraçado para nós brasileiros hehehe ::tchann::

 

20120911141727.JPG

 

Algo que nos deixou muito puto nessa viagem é que teve uma hora que o "comissário de bordo" colocou alguns cds com músicas pra tocar, mas PQP que diabos de músicas eram aquelas??? Nem as piores desgraças da música brasileira se comparavam àquilo. Michel Teló era praticamente um Beethoven perto daquilo. ::lol4::

Depois de passar muito calor no ônibus e imaginar o comissário sofrendo torturas medievais por colocar aquelas músicas, chegamos em Cusco. Desembarcamos na rodoviária entre 4 e 5 da tarde, nos juntamos ao outro casal brasileiros e dividimos o táxi pois o hostel deles ficava próximo ao nosso.

O pessoal que estava comigo já tinha reserva no Che Lagarto (http://www.chelagarto.com/index.php/pt/hostel-em-cusco.html)e também já havia reservado a Salkantay, eu queria ficar no Wild Rover ::love:: mas decidi ficar com eles no Che antes da Salkantay e depois dela ficar um dia no WR assim o grupo não se separaria pois eles não tinham reserva para depois da Salkantay então iriamos todos para o WR. Antes da viagem eles já haviam combinado com mais duas garotas que iriam encontrá-los em Cusco para fazer a Salkantay, eram Jeruza e Paty que também ficariam no Che.

Chegamos no Che e descobrimos que as garotas já haviam feito o check-in, fomos para o quarto mas elas haviam saido então fomos tomar banho e nos arrumar pois a noite Cusquenha nos aguardava. Depois de um tempo as duas chegaram no quarto, eu não as conhecia mas o restante já havia se falado via Facebook. Nos apresentamos e continuamos nos arrumando, estávamos agora em 8 pessoas e seria assim até o final da viagem. Nisso o cara da recepção nos chamou e disse que iria reunir os (poucos) hóspedes do hostel e fazer um Pisco Sour no restaurante, 15 soles por 3 drinks e pediu para comparecermos, topamos. Seria bom pra aquecer pras baladas, rsss

Quando todos estavam prontos fomos até o restaurante e o barman nos explicou como é feito o Pisco Sour e preparou alguns para nós. Muito Bom ::otemo:: Ficamos um pouco ali, conhecemos um casal brasileiro, uma garota inglesa e acho que esses eram todos os hóspedes hehehe. Ouvimos um pouco de música ali, conversamos, bebemos pisco e depois saímos para conhecer Cusco.

 

20120911194717.JPG

Adriano Barman e Saulo DJ :D

 

20120911194906.JPG

 

20120914014012.JPG

 

Depois de 2 ou 3 piscos, saímos para conhecer a cidade e ver o que conseguíamos fazer naquela noite. Nesta noite estava rolando uma festa no centro, não sabemos que festa era, mas estava tudo muito movimentado, fogos de artifício, shows, etc etc. Depois de rodar um pouco por essa festa de rua, decidimos procurar algum bar e relaxar um pouco, são várias opções por lá entramos em um cujo nome não me lembro mas tocava salsa ou sei la que diabos era aquilo mas era legal até, ficamos lá bebendo um pouco, rolou até a galera esboçando alguns passos, o que o alcóol não faz com a gente né hehehe.

 

20120911195517.JPG

 

20120911195624.JPG

 

20120911195724.JPG

 

20120911195821.JPG

 

Saímos de lá, andamos mais um pouco e dessa vez fomos conhecer o famoso Mamma Africa, não lembro se pegamos pulseira no hostel ou se deram convite pra gente na praça, sei lá, já estávamos borrachos, não lembro direito mas não importa pois em Cusco você não paga pra entrar nas baladas, é lindo isso heheheh ::otemo:: . O lugar é legal mas nessa noite acho que nenhum de nós percebeu que o lugar tinha dois andares e ficamos só no primeiro onde é mais um Lounge e o som é mais Chill Out, até estranhei pois tinha ouvido falar bem de lá e estava achando bem tranquilo mas eu estava borracho mesmo, nem estava raciocinando direito, enfim ficamos um tempo lá e já estava tarde e alguns queriam voltar pro hostel. Como sabíamos que haviam outras baladas boas para se conhecer por lá, saímos todos e nisso uns voltaram para o hostel. Eu, Adriano, Fernando e Anália fomos conhecer a Groove, outra balada de lá, mais uma vez não pagamos pra entrar ::otemo::

Depois de pouco tempo os dois decidiram ir embora também e só sobramos Adriano e eu no Groove, borrachos. O lugar é bem legal e estava muito cheio, estava difícil até pedir bebida pois o balcão estava lotado de pessoas dançando sobre ele, você tinha que passar o braço entre as pernas das pessoas literalmente para pedir/pagar as bebidas. Apesar de lotado curti muito o lugar. Já vi outros relatos dizendo que um é melhor que o outro e que o outro é melhor que o um, eu gostei de ambos nessa primeira noite, cada um com sua particularidade. Esse é o bom de Cusco, você não precisa passar a noite toda num lugar, você simplesmente sai de um e vai pra outro, é perto e gratuito e vou te contar, a noite de Cusco é SHOW. :D

 

20120911211003.JPG

Adriano borracho na Groove

 

20120911211213.JPG

Rafael borracho na Groove e a pegação rolando solta no fundo

 

Nem lembro que horas fomos embora, nem lembro como fomos embora nem como chegamos no hostel, só sei que estou aqui vivo pra contar e isso é o que importa! hahahah

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...