Ir para conteúdo
fabioorkut

Costa Amalfitana

Posts Recomendados

Boa tarde, amigos Mochileiros!!!

Estou planejando uma viagem a Italia para novembro.

Estava querendo fazer a parte sul da seguinte forma:

1º dia: saindo de Napolis para Sorrento - fazendo pit-stop em Pompeia.

Pelo que pesquisei da para fazer isso de boa, porem estava querendo ir tbm ao vulcão vesusio e a duvida é: qual os meios de transportes disponiveis para fazer a subida ao vulcão, saindo de Pompeia? Sabem informar o preço e frenquencia? (mesmo de +ou-)

 

2º dia: Ilha de Capri - saindo de Sorrento - bate e volta de um dia

Duvida: qual o melhor roteiro para um dia na ilha? o que é mais interessante fazer? Se for para fazer passeio ou trilha, por favor, de-me detalhes, tipo onde pegar o barco, ou como fazer a trilha, ou como chegar no ponto turistico tal? E preços tbm, pois fiquei sabendo que as coisas são caras por lá.

 

3º dia: Costa Amalfitana - saindo de Sorrento - bate-volta - visitando Positano, Amalfi e Ravello

Duvida: em novembro consiguo fazer Positano-Amalfi de barco? Tem ainda aquele city-tour de onibus turistico?

Qual o melhor roteiro para conhecer estas cidades indo de onubus? Que horas deveria estar saindo de cada cidade para a outra? (de-me sugestões).Tive vendo que os horarios de Ravello de volta para Amalfi são restritos.

 

Desde já agradeço pela colaboração! Obrigado!

 

Felipe

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bem-vindo ao fórum.

 

Algumas de suas dúvidas estão respondidas aqui, no último post do tópico:

 

pompeia-perguntas-e-respostas-t35885-75.html

 

2o dia - eu fiz assim: barco até Capri. Na marina você verá pontos de venda para passeios de barco em volta da ilha, há de diferentes tipos. PEguei o mais curto. Nele, há a opção de entrar na Gruta Azurra, não quis pagar para entrar. Voltando ao ponto inicial, você pega o ônibus para o centro de Capri. Dei umas voltas por lá, outro ônibus para Anacapri, o ponto mais alto da ilha. De lá você avista o teleférico do Monte Solaro, o que acho imperdível. Fizemos ida e volta pelo teleférico, mas você pode optar por voltar a pé. De Anacapri a Capri pegamos outro busão e de Capri até a marina descemos a pé. Caminho bonitinho, mas longo e um pouco cansativo. Foi basicamente isso, há mais coisas para fazer lá se você pesquisar.

 

3o dia - Sei não se rola esse passeio em novembro. É preciso pesquisar nos sites das cias de barco, Google neles! O busão do city tour não funciona em novembro, mas talvez voce consiga agendar excursões em Sorrento. Não se ligue nos horários de transportep úblico, são horrorosos e pouco confiáveis. O que vale é o que acontece na hora.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Felipe, fiz esse roteiro em novembro de 2012, no final da minha viagem. Eu aluguei um carro em Nápoles para ir à Costa Amalfitana. Eis as minhas impressões:

 

NÁPOLES: Um lixo de cidade, literalmente. Cidade suja, trânsito caótico (seguramente, 99% dos carros e lambretas levaram alguma porrada nas ruas), camelôs a torto e a direito (vendem até tablets!). Nem parece que se está na Europa. Apesar disso, vale dedicar dois dias para conhecê-la. O grande lance aqui é usar Nápoles como base. Mas há também a possibilidade de se fazer isso em Sorrento, como você planeja. Lá, tem praia. Optei por Nápoles porque desci do norte e, depois, subiria para Roma.

 

O legal em Nápoles é ir logo ao Castel Nuovo e ao Castel Dell'Uovo, de onde se tem uma bela vista da Baía de Nápoles. Caminhando pela orla, a partir do porto em direção ao antigo palácio real, chega-se à região nobre da cidade, com prédios elegantes. Uma boa dica é pegar o funicolar e ir ao bairro de Vomero. Ali, sim, é Europa. A boa é ir à fortaleza local que hoje funciona como museu e caminhar pelo alto do castelo, com toda Nápoles aos seus pés.

 

Todo mundo vive falando da Pizzeria da Michelle, que estava fechada! Descobri a Trianon, point das estrelas do teatro de revista nos anos 1930 e se conserva como era até hoje. Fica a 50 metros da Michelle e é excelente.

 

POMPÉIA: Por 10 euros, era possível contratar um bom guia no parque arqueológico por quase duas horas. Há guias falando português, espanhol, inglês, alemão, francês, japonês etc. São formados grupos de oito pessoas e vale muito a pena. O lugar está perfeitamente preservado. O passeio para o Vesúvio, se não me engano, pode ser feito a partir de Ercolano, mas isso é fácil de descobrir. Sei que há um tour de ônibus para lá. Mas é preciso disposição pra caminhar até o cume.

 

Para chegar a Pompéia, ou se vai de carro ou de trem. O problema é que esse trem é operado pela Circunvesuviana, um lixo de companhia e que nada tem a ver com a Trenitalia. É muito pior do que a SuperVia e a CPTM. Os trens atrasavam horrores. Na época, estavam discutindo a sua privatização. Você pega o trem na estação central de Nápoles e numa outra, na Avenida Garibaldi, a meio caminho do porto.

 

CAPRI: A melhor coisa em Nápoles é pegar um catamarã (os preços variam de 10 a 17 euros) e ir a Capri. Há várias saídas e companhias diferentes que oferecem o serviço no porto. Em Capri, o Jardim de Augusto oferece uma vista deslumbrante da ilha. Um bom lugar para almoçar é o Bucca di Bacco. Fica perto da estação do funicolar, no alto da ilha. Comida excelente por preço idem num lugar com preços salgados. Se estiver com bala na agulha, durma lá. De qualquer forma, é um passeio imperdível.

 

COSTA AMALFITANA: Pura emoção alugar um carro, encarar a estreita e sinuosa estrada que liga Nápoles à região, e passear por Amalfi, Positano e Ravello. Ficamos três dias lá. Para quem curte praia, um aviso: são pequenas, com pedrinhas em vez de areia, lindas e de água fria. Infelizmente, Positano é uma cidade morta fora do verão. Ficamos três dias, baseados em Amalfi.

 

Amalfi, ao contrário de Positano, a mais famosa das cidades da região, é toda braços abertos para o turista, super acolhedora e linda. Ravello fica no alto da região montanhosa e abriga uma sala de concertos projetada por Oscar Niemeyer. Há a antiga residência de verão dos papas, uma villa bacana para um passeio a pé. Vale uma visita de manhã ou de tarde também.

 

 

Felipe, você perguntou se há barcos na Costa Amalfitana. Sim, há. Existem passeios de escuna na região. Acredito que haja desembarque para se conhecer o lugar. Há linhas de ônibus regulares também, que operam até altas horas da noite. Se puder, alugue um carro. Recomendo muito pela liberdade de roteiro, pela possibilidade de parar ao longo da estrada e contemplar o lugar do alto.

 

Quanto a preços, na boa, não os achei salgados. Pelo menos, para um carioca. A entrada em Pompéia custava 12 euros e o guia, como disse, 10. E é um dinheiro muito bem gasto, porque os caras sabem absolutamente tudo. Entrar em Pompéia sem um guia ao seu lado limita o seu passeio e você ficará sem saber coisas do arco da velha, como o lupanário, o bordel da época; os significados dos pênis, cavalos e outras imagens de pedra encrustados nas ruas etc. A passagem de trem custava menos de 10 euros, eu acho.

 

Se puder, inclua Ercolano no roteiro. É a outra cidade devastada pelo Vesúvio e, dizem os guias, é ainda mais impressionante.

 

Enfim, eu ampliaria um pouco a minha estada naquela região se fosse você.

 

Abs!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vou passar 25 dias na Itália em abril. Comprei as passagens essa semana. Roma será o primeiro destino e pego o voo de volta em Veneza. Ainda não fechei a quantidade de dias em cada lugar, mas vou pra Florença também e pretendo conhecer aquelas cidadezinhas da Toscana.

 

Pelo que eu li, abril não é o mês ideal para conhecer a Costa Amalfitana, mas como eu tenho uma quantidade de dias razoável nas mãos, eu pergunto: valeria a pena dar uma esticada até Capri? A cidade vale a visita mesmo em abril ou será perda de tempo?

 

Quem já foi e puder palpitar, agradeço a ajuda ;)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá. Quero ir para Portugal e Espanha 20 dias . iniciando por pprtugal norte e sul ,

Conhecer a região de Andaluzia, Granada, caminhito d el Rey , Sevilha, Málaga,. Alguém tem dicas de como locomover nestes locais? Vale antena alugar carro em Portugal?qual o melhor roteiro? Chego e volto de Portugal mesmo? Obrigada.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Olá. Quero ir para Portugal e Espanha 20 dias . iniciando por pprtugal norte e sul ,

Conhecer a região de Andaluzia, Granada, caminhito d el Rey , Sevilha, Málaga,. Alguém tem dicas de como locomover nestes locais? Vale antena alugar carro em Portugal?qual o melhor roteiro? Chego e volto de Portugal mesmo? Obrigada.

 

É um roteiro que seria interessante fazer de carro, por que tem muito local com poucas opções de transporte.

 

Ao alugar um carro, é bem recomendável pegar e devolver ele no mesmo local, pois devolve carro alugado em outro país costuma ter taxas adicionais bem salgadas, ao devolver o carro em outro país as locadoras cobram entre 200 e 600 Euros de taxa de retorno dependendo do local onde você devolver o carro.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, vou para a Itália em junho de 2018, mais precisamente de 15 a 24/06, e vou ficar 5 dias na Costa Amalfitana. Você já foi? O que me diz? O que não posso deixar de visitar?

Não encontrei nenhum hostel em Positano e lá é muuuito caro, estou pensando em ficar em Sorrento, e daí passar os dias fora em Capri, Positano, Amalfi e Ravello.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por silviaamorim
      Gente, acabei de voltar de uma viagem pela Costa Amalfitana, na Itália, e estou ansiosa para compartilhar o que eu considerei a melhor descoberta da trip. Todo mundo sabe que a estonteante Costa Amalfitana não é dos lugares mais baratos da Itália. A imensa maioria dos passeios é pago, o que, às vezes, se torna inviável para quem está com o orçamento contado. Muita gente diz que os passeios de barco são a melhor maneira de ter uma ideia da grandiosidade dessa parte do litoral italiano, cenário de filmes e romances. Eu concordo que é um passeio bacanérrimo, mas descobri que não é a única maneira de ter uma vista privilegiada da região. Fica a dica: gastando menos de 10 euros, faça a trilha “Sentiero degli Dei”.
       

       
      Em português, isso quer dizer “Caminho dos Deuses”. Sem exageros, é quase assim que nos sentimos quando estamos lá em cima dos penhascos, percorrendo caminhos de terra estreitos, à beira de abismos e com uma visão total do mar azul, das casas encravadas nas montanhas, das plantações do famoso limão siciliano e do céu. Eu digo que é a vista mais privilegiada porque caminhamos bem pertinho das nuvens, em meio a muito verde e num silêncio relaxante. Às vezes, só interrompido pelos béééé de cabras ou algum pássaro.
       

       
      A trilha dura cerca de 3 horas. Ela começa num vilarejo chamado Bomerano e termina em Nocelle, um vilarejo perto de Positano. Não é de grande dificuldade, mas requer alguma familiaridade com trekkings porque há trechos em que o terreno é bem acidentado. Com cuidado e calma, pode ser feita pela maioria dos aventureiros. Posso dizer que o almoço-piquenique que fiz lá do alto, debaixo de uma árvore e soboreando um sanduíche de queijo Fior di Latte (tradicional da região) e presunto Parma, que comprei numa salumeria no vilarejo de Bomerano, onde começa a trilha, ficará para sempre na minha memória.
       
      Vamos às informações sobre a logística, porque, chegar ao paraíso, claro, exige esforço. A trilha começa na vila de Bomerano, em Agerola, uma cidadezinha da Costa Amalfitana, perto de Amalfi. Para chegar até lá, terá que pegar em Amalfi um ônibus comum urbano com destino a Pomeriggio. Os tickets são vendidos no quiosque de informações turísticas na praça principal de Amalfi e custam menos de 2 euros. A viagem dura uns 40 minutos. Peça para descer no ponto de Bomerano. Quando eu fui, o ônibus quase inteiro desceu nessa parada. Daí, você terá que caminhar (5 minutinhos) até o centro da vila, que se resume a uma praça, com padaria, café e uma salumeria divina. Tem uma placa bem grande em frente ao ponto de ônibus indicando a direção.
       
      Eu recomendo que você compre na salumeria o queijo Fior de Latte, o presunto Parma e o pão de focaccia e peça para a atendente montar o sanduíche pra você. Eles são muito gentis e fazem isso numa boa. Fatiam o quanto você quiser de queijo e do presunto e preparam o sanduíche. Sem fazer economia nos ingredientes, paguei 5 euros por dois sanduíches. Inesquecível!!!! Compre também água. Na trilha, há locais para reabastecer o cantil. Com a mochila pronta, comece a caminhada. A trilha sai dali pertinho da igreja e é bem sinalizada. De resto, é só afiar as canelas e contemplar.
       
      Quando chegar em Nocelle, tem ônibus para Positano. Há quem faça o caminho na ordem inversa, começando por Nocelle. Mas precisa saber que a trilha é mais árdua, porque é subida. Para mim, acabou sendo um passeio de dia inteiro, porque, como estava hospedade em Positano, precisei me deslocar até Amalfi (optei pelo ferry-boat a 8 euros e dura 20 minutos). Comecei a caminhar por volta do meio-dia e terminei depois de mais ou menos 3 horas. Sem pressa, parando para fotos, descanso e piquenique.
    • Por Helen Pusch
      Oi, gente!
       
      Vim contar como foi a viagem que eu e meu marido fizemos em julho de 2017 pela Itália.
      Foi nossa segunda viagem para lá, pois somos apaixonados por esse pedaço do mundo. A história, as paisagens, a gastronomia, tanta coisa nos encanta, e até aprendi a falar italiano razoavelmente (complica quando eles falam entre eles, com velocidade "metralhadora", aí é a mesma coisa que grego hahaha).
      Na primeira vez (em 2014), fomos durante o inverno e conhecemos as cidades mais turísticas: Roma, Florença, Milão e Veneza, passando por algumas menores no caminho. Optamos por não colocar no roteiro dessa viagem nenhum local que tivesse praia, pois sabíamos que muita coisa estaria fechada e não aproveitaríamos direito, mas desde aquela época ficamos com a intenção de fazer um roteiro durante o verão. Contei como foi essa viagem neste relato aqui: 
       
      Então, desta vez conseguimos três semanas para ficar por lá, mesclamos atrações turísticas com muita praia, separamos os primeiros dias para rever Roma e fazer uns programas que da primeira vez não fizemos, e acabou ficando assim:
       
      ROTEIRO:
       

      1º dia - Roma  - chegamos no final da tarde, mas ainda deu tempo de passear e rever algumas coisas;
      2º dia - Roma - Parque Savello, Terme di Caracalla, Via dei Fori Imperiali e visita noturna ao Coliseu;
      3º dia - Roma - bairro de Trastevere, visita guiada pela necrópole do Vaticano, Basílica de São Pedro, janta no Mercato Centrale;
      4º dia - Nápoles - fomos cedinho, de trem. Visitamos Quartieri Spagnoli, Piazza Plebiscito e Castel dell Uovo. E claro, jantamos a pizza do Da Michele;
      5º dia - Pompeia / Sorrento - saímos cedo de Nápoles, passamos o dia visitando o sítio arqueológico de Pompeia, e após, fomos para Sorrento;
      6º dia - Sorrento - Bagni della Regina Giovanna e praia de Sorrento;
      7º dia - Sorrento / Capri - bate-volta à Capri;
      8º dia - Minori / Ravello - fomos de Sorrento para nossa hospedagem em Minori e aproveitamos umas horas de praia lá. Mais tarde, fomos conhecer Ravello;
      9º dia - Minori - dia de muita praia, primeiramente em Castiglione e depois em Atrani, e conhecemos também Amalfi.
      10º dia - Minori - pegamos umas horas de praia em Atrani e depois fomos conhecer Positano;
      11º dia - Trem noturno - fizemos check-out do hotel e passamos o dia na praia de Minori. Final de tarde pegamos um ônibus para Salerno, depois um trem para Nápoles e de lá, um trem noturno rumo a Taormina;
      12º dia - Taormina - chegamos cedo. Passamos boa parte do dia na praia de Isola Bella, e à noite passeamos pela cidade;
      13º dia - Taormina - ficamos à toa na praia em Giardini Naxos. Mais à tardinha, visitamos Castelmola;
      14º dia - Taormina - um dia à toa, com algumas horas na praia de Isola Bella;
      15º dia - Taormina - mais alguns pontos turísticos de Taormina, como o Teatro Grego. Tarde de praia, novamente em Isola Bella;
      16º dia - Agrigento / Trapani - Ônibus cedo até o aeroporto de Catânia, onde retiramos um carro alugado e rumamos até Agrigento, para conhecer o Vale dos Templos. Seguimos para Trapani, onde pernoitamos;
      17º dia - Trapani - praia de San Giuliano, e mais tarde, fomos conhecer Erice;
      18º dia - Trapani / Favignana - bate-volta à ilha de Favignana;
      19º dia - Trapani / San Vito lo Capo - bate-volta a San Vito Lo Capo;
      20º dia - Palermo - novamente fomos a San Vito Lo Capo, mas dessa vez fizemos um passeio de barco por Scopello e pela Riserva dello Zingaro. Entregamos o carro no aeroporto de Palermo e nos hospedamos nessa cidade;
      21º dia - Palermo - Aproveitamos umas horas na praia de Mondello e, após, visitamos alguns pontos turísticos de Palermo, entre eles o Palácio dos Normandos.
      22º dia - Palermo / Cefalù - bate-volta a Cefalù;
      23º dia - Palermo / Roma - manhã na praia de Mondello. Pegamos um voo para Roma e pernoitamos ao lado do aeroporto. Cedinho do dia seguinte pegamos nossos voos e fim de viagem.
       
      Vou procurar fazer o relato de maneira mais sucinta e objetiva, pois nem todo mundo tem paciência de ler textão hahaha, mas quem tiver interesse em saber tim-tim por tim-tim como foi, está tudo relatado no meu blog: https://recordacoesdeviagens.wordpress.com/2017/08/27/roteiro-de-viagem-pela-italia/
       
      E segue aqui o vídeo da viagem, pra dar uma ideia dos lugares lindos que a gente conheceu. 
       
       
      Volto no próximo post para contar mais. Abraços!


×
×
  • Criar Novo...