Ir para conteúdo

Posts Recomendados

  • Membros

Edu,

Uma ou outra dica posso te dar.

1. Se quiser ir de carro e não pegar fila na balsa, você pode reservar (não lembro o fone, mas deve ter no site da Dersa), mas custa o dobro, daí quando chega você pega a primeira balsa. Como você vai caminhar, tenho dúvidas se vale a pena atravessar o carro. Não conheço estacionamentos em São Sebastião, de qualquer forma, deixar esses dias todos custaria uma grana boa. Acho que o melhor é deixar o carro na Rua da Praia, que é pertíssimo da balsa, na frente de um prédio da Marinha, Capitania dos Portos ou algo assim, é bem fácil de ver e deve ser seguro, pois sempre tem guardas por lá, mas sorte também ajuda... rs Como tenho casa em São Sebastião, não conheço preços de pousadas, mas sempre vejo uma tal Pousada Estrela do Mar, que é perto da balsa e parece ser um lugar bem simples, então deve ter preço camarada. Não sei fone do lugar, se eu for pra lá esses dias, pego o número e escrevo aqui, mas procure na net, talvez você ache os contatos deles. Na Praia Preta, a 3 km do centro, tem dois campings, Campinga Praia Grande e Pinon Camping, caso queira.

2. Não sei mas isso me interessa, se conseguir dicas, avise, por favor. E depois da sua trilha, faça um relato aqui pra gente, hehehe.

3. Citronela costuma funcionar razoavelmente bem.

4. Está arriscando sim, nessa época os campings podem lotar, eu faria uma reserva.

5. A visibilidade varia bastante, essa época costuma ser boa, mas dependendo das chuvas e vento, pode ficar péssima. Infelizmente, não existe uma época com água sempre limpa, mas eu acho que vale o peso extra, já que se a água estiver boa e você não conseguir mergulhar, vai ficar maluco de raiva.

6. Nunca reparei se tem chuveiro na entrada do parque estadual, mas sempre tem uma bica de água que dá pra entrar embaixo ou, melhor ainda, você pode andar 5 minutos (acho que nem isso) e chegar em um rio, só não pode usar sabonete nem xampu, claro.

Boa viagem.

Link para o comentário
  • Respostas 303
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Colaboradores

salve edu!!! blz

então da pra ir de bus ate são seba atravessa abalsa e pega o circular ate sepituba (se naõ me engano o ultimo é as 21:00 e o primeiro apartir das 7:00)

da pra vc acmpar no começo da trilha passando a cachoeira da lage a partir de um horario não passa mas ninguem na trilha do começo da trilha ate o bonete com mochila umas 4hs e atrilha é super nitida da pra fazer um treeking noturno tambem hehehe

no bonete tem que acampar na moita pois la não pode camping selvagem(acampa na trilha seguindo pra enxovas se quiser)

enchovas ate inadaituba e tranquilo deppis de indaiatuba é que entra na mata sempre ficando atento em algumas fitinhas ou picads de facão nas arvores

em castelhanos costumo acampar embaixo das arvores do lado esquerdo sempre foi tranquilo

atravessar de carro a balsa´pra essa travessia acho meio bobeira pq de qquer jeito vc vai ter que caminhar da portaria do parque ate a rua da city pra pegar o carro

e la no portaria do parque tem uns chuveiros atras

falow

Link para o comentário
  • Membros

Putz, ir de ônibus de viagem não tá valendo a pena... 40 reais a passagem, os horários são péssimos, e ainda por cima toma 7 horas para rodar 200km !!!!

 

Acho que vou ter que ir de carro, no dia 23, e procurar lugar para estacioná-lo. Ricardo, alí em são sebastião é um prédio da delegacia da capitania dos portos, será que rola mesmo deixar o carro parado lá uns 4 dias?

 

Aí para dormir essa noite eu me viro, estando tranquilo com o carro!

 

Bruno, em castelhanos você diz que acampava selvagem mesmo? Tem agua por perto para cozinhar?? Banheiro você usava dos bares ou entrava no mato??

Link para o comentário
  • Membros

Edu,

Lá em SS acontecem assaltos a carros, não posso te falar pra ficar tranquilo porque sempre pode acontecer algo, mas se vai ficar na rua, acho que o melhor é deixar mesmo lá na frente da Capitania dos Portos, ao menos tem sempre movimento e vigilância. Ou então deixe o carro na frente da Satélite, uma livraria/café que sempre tem bastante movimento, na mesma rua da Capitania.

Abraços,

Link para o comentário
  • Membros de Honra

Deixa ver se eu entendi Edu.

 

Vc tá falando em 7 hrs de Sampa até Ilhabela? ::ahhhh::::ahhhh::::ahhhh::::ahhhh::::ahhhh::

Onde vc viu isso?

 

 

EDITANDO

 

Agora entendi porque 7 hrs. ::lol4::::lol4::::lol4::::lol4::::lol4::

Vc fez a consulta no site da Passaro Marrom (que também é dona da Litorânea) com o onibus passando pela Mogi Bertioga e pegando toda a Rio Santos até ilhabela.

É o pior caminho.

 

Tem uma linha de onibus que segue pela Dutra e desce pela Tamoios. É metade do tempo.

Mas vc tem fazer a consulta no site colocando a viagem até S. Sebastião (com a opção rodoviária) e não até S. Sebastião (com a opção balsa -Ilhabela).

E existem horários saindo bem de manhazinha e chegando por volta das 10:00 ou 11:00 hrs.

 

 

 

Abcs

Link para o comentário
  • Colaboradores

salve edu !!!!

puts onibus sao paulo / são jose 1:30hs

são jose /saõ sebastiao 2:00hs

então ja deixei o carro em são seba ali perto da balsa e não tive problema mas ....!!!

em castelhanos sempre acampo selvagem e faz uns 6 anos que vou direto pra la (embaixo das arvores a esquerda) tem rio do lado da pra pegar agua tranquilo em questão de banheiro o nº1 vai ali mesmo ja o 2º eu ia nos barzinhos e mandava ve hehehe (tb vai no mato so cavando com um pedaço de pau e enterrar ali mesmo)

chegando em castelhanos não perca de conhecer a praia e cachoeira do gato muito show (praia 30min par chegar e cachoeira 50min)

da pra fazer mergulho na costeira saindo de baia castelhanos e indo ate a praia do gato bem legal (ja vi umas tatarugas por la)

falow

Link para o comentário
  • Membros de Honra

Qto as suas duvidas Edu:

 

1) Transporte: são aquelas opções que te passei.

 

2) Qto a trilha Indaiaúba-Castelhanos parece que tá até mais demarcada. Muita agencia tá fazendo ela ultimamente.

 

3) Repelente,eu recomendo o exposis. É caro, mas é eficiente.

 

4) Campings em Bonete são dois. E sempre dá p/ pegar um lugarzinho. Pode ir tranquilo.

Os dois têm bastante espaço.

Castelhanos também. Algumas casas dispoe de enormes quintais onde dá p/ acampar sem problemas.

 

5) Mergulho: uma mascara e um snorkel é o que vc precisa e não pesa tanto na mochila. Vale a pena. Todas as praias são de aguas transparentes. Vai dar p/ ver muita coisa nos costões.

 

6 - Qdo vc estiver voltando pela estrada Castelhanos-balsa vai passar por um dos acessos ao parque de ilhabela e alguns rios também. É só se banhar a vontade. Não tem restrição.

 

 

Abcs

Link para o comentário
  • Silnei changed the title to Ilhabela

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por js.sandiego
      Gosto muito de viajar de moto e procuro garupa feminina que tem a mesma afinidade, ou que tenha moto propria para curtir um final de semana em cidades proximas a SP ou mais distantes, caso feriados prolongados.
      Viajo praticamente todos os finais de semana
       
      Bora combinar!!!!!
       
       
       
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Descubra os principais pontos que devem ser considerados na hora de escolher uma estadia temporária em São Paulo, no Brasil.
      Sem dúvidas, a metrópole paulistana, tida como a maior cidade do Brasil, é um excelente destino para quem busca conhecer novas culturas, viajar a negócios ou passar as férias. Afinal, por lá, oportunidade de emprego, opções de lazer e entretenimento é o que não faltam.
      Não é à toa que São Paulo é conhecida como um local onde se encontra de tudo. No entanto, é preciso considerar que, assim como qualquer capital ou grande cidade, São Paulo também oferece riscos, e é preciso se preparar para minimizá-los. Por isso, preparei um guia básico dos principais pontos que devem ser levados em conta no momento de escolher uma estadia temporária em São Paulo. 
      Confira a lista abaixo e depois me diz o que você acha, mas antes:
       
      Continue lendo em: 5 Considerações na Hora de Escolher o Imóvel Ideal em São Paulo
    • Por Thays Soares
      Ola , boa tarde galera . Em agosto estarei de ferias e gostaria de fazer uma road trip de sp a minas gerais , porem to em duvida sobre as paradas . Terei disponivel cerca de 8 dias ao todo para realizar a viagem de ida e volta , queria sugestoes de paradas . gosto de trilhas, rios , cachoeiras , se possivel um roteiro que incluisse capitolio ! desde ja agradeço pela ajuda 
    • Por Carolina Rosaboni
      Chegando na praia do Bonete todas as nossas esperanças de sinal foram por água abaixo lá só chega Wi-Fi para as maquininhas de cartão e a luz vai até as 18h, então estejam preparados para ficarem incomunicáveis já chegando em Ilhabela, na parte Sul quase não tem sinal. Assim que pisamos fui no primeiro restaurante que encontrei e esqueci de pegar o nome pra tomar um Coca, como uma boa viciada, todos os atendentes foram super gente boa e me emprestaram o celular só para avisar que estava viva. reparamos que tinha uma ducha na porta desse restaurante e um camping do lado. 

      Nos afastamos e assistimos ao pôr do sol, em menos de meia hora a praia ficou vazia e um breu que só. Tomamos banho naquela ducha mesmo apenas iluminados pelas estrelas (dava pra ver a constelação das três marias inteirinha, o céu de lá é perfeito) e nos dirigimos para a outra ponta da praia para ver se havia possibilidade de armar a barraca. Já de aviso NEM TENTE, os moradores viram a noite com lanternas procurando se tem alguém com barraca e são bastante mal educados, chegam totalmente na ignorância só de te ver com as coisas se você não está se dirigindo a um dos campings. Mas felizmente uma mulher de São Sebastião veio nos pedir um isqueiro emprestado e disse que era super tranquilo só dormir na praia, ela e o marido estavam nessa a dois dias. 
       
      Estendemos a barraca debaixo de umas árvores perto deles e fomos atrás de comida no outro comércio que tinha na praia e tinha a aparência de estar aberto, a barraca do Cacau, assim que nos viram passando nos trataram muito, mas muito mal mesmo, com respostas vagas e sem olhar na nossa cara, até indicaram um lugar na vila que poderia estar aberto, mas depois de toda essa recepção decidimos não ir e comer o resto do que tínhamos levado para a trilha. Capotamos de cansaço às 20h, um pouco depois fui acordada pela luz da lua cheia que iluminava a praia inteira como uma lanterna em nossas cabeças, o céu de lá realmente não tem explicação e tirando os mosquitos não tivemos muitas preocupações de noite. 
      No outro dia acordamos com o nascer do sol e um grupo de golfinhos bem na nossa frente, se tivesse bateria teria sido uma foto perfeita. Nos lavamos no rio que encontra o mar bem na beira da praia e estendemos as roupas com uma corda entre as árvores. O comércio abria no final da manhã e compramos mais água e apenas salgadinhos, os preços eram bem fora do nosso padrão. Lá na vila descobrimos que havia uma trilha para outra cachoeira, mas no dia anterior um menino tinha morrido de picada de cobra, o que nos desencorajou totalmente de explorar. Acabamos  ficando pela praia mesmo pois o dia estava lindo, ao meio dia a orla se encheu de lanchas e jet skis e fomos almoçar no bar do Cacau mesmo que prometeu um PF que alimentaria 3 pessoas. Nossa sorte foi que pedimos dois, pois a porção dava  para um pouco mais de uma pessoa, mas estávamos felizes de estar comendo comida dessa vez. 

      Já eram 14h30 e tínhamos acabado de comer, literalmente do além surgiu uma ventania muito forte, daquelas de tirar as pessoas do chão. Corremos para guardar tudo e nos abrigamos no bar do Cacau enquanto observamos os barcos do tinham virado e estavam sendo arrastados, logo mais começou uma chuva forte de 2h. Nos informaram que iriam fechar e não poderíamos ficar abrigados lá, nem passar a noite na praia como no primeiro dia pois chovia, e barraca nem pensar se não irão destruí-la. Ficamos um tempinho debaixo de uma árvore e fui procurar o gerente do bar que conhecemos no primeiro dia e contei toda a história e que não tínhamos dinheiro para o camping se poderíamos dormir no chão do bar e tentariamos pagar um barco bem cedinho no dia seguinte. Ele até deixaria, mas tinha uma confraternização de Ano Novo com o dono do bar, mas a sogra dele nos deixaria ficar nos bancos na frente do bar dela que tinha um pouquinho de cobertura. Eu já estava super contente, mas fui encontrar o casal de amigos que estava abrigado no bar da praia esperando sermos desalojados novamente e contei tudo o que o gerente havia me falado. 
       
      Resolvemos tentar a sorte até a confraternização começar, umas 20h dois casais chegaram para arrumar as mesas e estávamos nos dirigindo ao bar da D. Rosinha que fica no povoado. O C. (vou chamá-lo assim para preservar a identidade, mas serei eternamente grata)  dono do bar se compadeceu da nossa miséria e salvou nosso ano novo, além de nos abrigar em seu quintal para montar a barraca, oferecer banho quente, ofereceram uma ceia maravilhosa e passamos o Ano Novo com sua família super gente boa, até me fez voltar a ter fé no pessoal de Bonete que tinha sido extremamente rude até o momento conosco. Os sobrinhos dele nos levaram para um bar que tocava música ao vivo no povoado e pulamos as ondinhas na praia. No outro dia acordamos às 8h e conseguimos um barco de volta para ilha por “apenas” R$60 (por causa do ano novo o mínimo seria R$80 ou R$90, mas o cara nos fez preço de temporada, pois era amigo do C. ) Por causa da tempestade  no dia anterior os golfinhos não apareceram, mas o barqueiro nos levou para conhecer o buraco do cação, que mesmo muito profundo dá pra ver o fundo de tão cristalina a água é
      Resumo: o Bonete é um lugar maravilhoso para visitar, uma das praias mais lindas que fui e dá pra dormir na areia tranquilamente, mas vá preparado financeiramente para imprevistos,  pois não é sempre que almas boas aparecem. E se for de trilha se prepare pois o clima lá muda em dois segundos, sempre bom levar o dinheiro do barco e não conte com o cartão sempre, pois lá o wi-fi é bem limitado o barqueiro só aceita dinheiro por exemplo

      Almoço: R$ 30 por prato + 10%
      Cerveja: R$ 6 skol
      Coca cola R$ 6 na mercearia e no bar do Cacau R$ 5 no primeiro restaurante
      Fofura R$ 5
      Shot de pinga da ilha R$7
      Barco para Ilhabela R$ 60 por pessoa
    • Por Carolina Rosaboni
      Decidi super em cima da hora com um casal de amigos a passar a virada em um camping em Ilhabela. Um grupo de amigos desse casal tinha fechado o Camping da Lage e iria conseguir um lugar para nós no dia primeiro depois de passar a virada na praia e subiriamos de trilha, o único problema é que esse grupo de amigos não nos informou em que praia iria virar. Calculando o tempo que levaria para chegar na praia do Bonete, que é a praia que tem uma trilha que sai desse Camping, e pensando no trânsito da virada, resolvemos que era melhor ir no dia seguinte, dia 30 e resolveriamos lá no Bonete onde iríamos ficar. Com fé e coragem pegamos um Blablacar às 5h30 lá do Tietê depois de quase virar a noite tentando lembrar de pegar tudo para o camping, chegamos na balsa para Ilhabela às 10h devido o trânsito de pessoas indo para o litoral. Até aí bem tranquilo, o pedestre não paga e ela sai de 30 em 30 min. Chegando lá fui tentar sacar dinheiro, mas me informaram que não tinha banco na Ilha (o que é mentira, pois depois achei vários na região central, inclusive o meu banco) e esse casal ficou me apressando para ir direto para o ônibus da trilha pois estavam com medo chover, parei só para comprar 2 águas e gelo para mantê-las geladas em minha sacolinha térmica. Já começamos a ser atacados pela fauna local e meu repelente parecia tempero de mosquito, é bom comprar o repelente da ilha que eu fiz mais tarde na viagem e é caro, mas é a unica coisa que salva. Fomos então pegar o ônibus que vai a parte Sul da ilha com meus poucos reais em espécie, comprei a ida e a volta (5 reais cada passagem e em tempos de não pandemia a passagem de domingo sairia por 1 real), foi a pior besteira que poderíamos ter feito. Chegando no ponto final desse ônibus não existe nada, nem sinal de celular (na verdade o sinal e qualquer mercado ou farmácia estão a mais de 5Km de onde o ônibus para) Nos informamos com o motorista que disse que a entrada da trilha estava um pouco a frente pela estrada de terra, andamos cerca de 40 min até a porteira do Parque Estadual, usualmente eles pedem que você marque um horário para a trilha, porém como nossa viagem foi super repentina nem pesquisamos sobre. (Recomendo que façam exatamente o contrário de nós e tente marcar.) Após assinar um termo de responsabilidade pudemos entrar, e o guardinha foi super simpático quando contamos que estávamos indo pra Lage e por isso podíamos entrar e avisou  que por causa do COVID o parque estaria fechado nos dias 1, 2 e 3. Finalmente iríamos começar a trilha de 12 Km de subidas e descidas ao meio dia em ponto. O guardinha comentou que tinha atleta que fazia em 1h mas a maioria em 5h, calculamos que em umas 3h já estaríamos lá (Claro que desconsideramos a falta de sono, fome e o peso das mochilas e a geladeira, até alí estava tudo bem) e também comentou que passando a Lage já era 20% do caminho. Já no começo da trilha tem bastante subidas, uma em principal que é bem íngreme e asfaltada dá em uma vista linda, onde o céu e o mar se confundem em dias de céu limpo, eu comecei a passar bem mal de fome. Depois de vomitar toda água que tinha no meu estômago,  pois não comia desde a noite anterior (o erro gigantesco, sempre coma algo leve, mas que te sustente antes de fazer a trilha) paramos para comer bananas que deram aquela revigorada de leve, mas ainda sentia falta de uma alimentação. Voltamos a trilha e chegamos na bifurcação indicando o camping da Lage e a praia do Bonete. O Camping era o único local da trilha que teria WiFi, mas como a Bonete estava bem longe e eles realmente estavam com medo da chuva fomos direto. Chegando na cachoeira da Lage previsão era de chuva fomos tentar a sorte com sinal na praia do  paramos para comer e relaxar um pouco, tirar umas fotos do lugar , eram já 13h .

      Revigorados voltamos a trilha 30 min depois, foi o trecho mais longo da trilha, o bom é que é quase impossível se perder na trilha do Bonete não tem bifurcações ou trilhas paralelas e você sempre vai estar acompanhado de um calango, em um momento avistamos uma cobra e eu não esperei muito para tentar descobrir mais sobre ela ( depois nos informaram que é bem comum mordida de cobra por lá, principalmente de Jararaca, mas a que vimos não matava, só necrosava a pele). Após uma longa subida seguida de uma descida, chega-se a segunda cachoeira apenas nos molhamos para tirar o suor e seguimos para o Bonete, já eram 15h40 e ainda não havia chovido, uns banhistas nos disseram que era mais 1h de atleta (to até agora tentando entender essa medida deles). Daí o trajeto spo sobe e você fica sem entender nada como vai chegar na praia só subindo, até chegar em um descampado que dá pra avistar a praia e deu aquela animada na nossa alma acabada, finalmente começam as descidas, mas fomos tomando bastante cuidado pois essa parte da trilha estava bem castigada pelas chuvas anteriores e sofreu horrores de erosão, tinha que ir prestando bastante atenção. Finalmente chegamos às 17h30, um tempo até que ok pela quantidade de coisas e nosso cansaço. Na escada que dava acesso a praia uma mulher nos recepcionou e comentou que tinha um grupo que tinha acabado de chegar e tinha saído às 8h da entrada do parque. Mas quem vai só com a água deixando as malas virem de barco geralmente demora umas 2h 

      Tempo total gasto de SP até a praia do Bonete: 12h
      Tempo total gasto na trilha: 5h30
       
      Blablacar: R$ 66 pra cada
      Água e comidinhas: R$ 40 pra cada
       

×
×
  • Criar Novo...