Ir para conteúdo

Caravelas & Arquipélago de Abrolhos/BA


Posts Recomendados

  • Membros

Olá,

Vivo lendo aqui informações para fazer as minhas viagens e agora quero contar a minha viagem para vcs.

Estava estressada por causa do trabalho e de inúmeros problemas que estava tendo que resolvi ir para Caravelas & Abrolhos/BA. Sou professora da Prefeitura de BH e ainda para nós existe a semana de outubro, mas é pura enganação achar que não trabalhamos, pois em dezembro cumprimos toda essa carga horária que não foi cumprida em outubro. É só para dar um descanso mesmo. Não achei muitos relatos de viagens ao local e só fui entender isso depois.

Mesmo assim fui em alguns sites e colhi informações para meu estudo (sim!!! Eu estudo o local antes de viajar. Consegui fazer um resumo de 27 páginas com figuras).

Após estas últimas eleições (7 de outubro de 2012) saí de Belo Horizonte para Alcobaça. Chegando em Alcobaça fui para Caravelas (o ônibus na verdade sai de Teixeira de Freitas e passa (via) Alcobaça). Diversos horários dos ônibus estão descritos abaixo:

Caravelas x Teixeira de Freitas via Alcobaça

05:10 - 10:00 - 11:45 - 14:50 - 18:00

 

Teixeira de Freitas x Caravelas via Alcobaça

06:50 - 09:10 - 12:20 - 15:00 - 18:30

 

Caravelas x Salvador (Quinta Feira)

14:00

 

Salvador x Caravelas (Quarta Feira)

05:30

 

Tem saída também para Porto Seguro, mas infelizmente esqueci de pegar os horários (mas qq pousada sabe informar isto). Como ia voltar no feriado, dia 12 de outubro, por precaução fui comprar minha passagem de volta para BH e me informaram que em Caravelas tem um agente autorizado da São Geraldo. E tem mesmo.

Chegando em Caravelas fui direto para a Pousada “Encanto dos Abrolhos”. Escolhi lá por ser no centro (perto do Pier), ter ventilador (não gosto de ar condicionado durante muito tempo) e era barato (acho que 60 reais a diária). É simples, mas gostei. Tem uma rede para jogar vôlei e peteca e uma piscina. O local foi dedetizado, mas como eu sou muito medrosa, eu conferi tudo para certificar que não tinha algum aracnídeo ou serpente passeando pela cama, debaixo da cama, perto da televisão, etc.

 

Fui para o Instituto Baleia Jubarte que fica no centro. A moça que trabalha lá é bem simpática e apresenta todo o local. Tem fotos da baleia, ossada de várias partes do corpo dela e vidros com alguns materiais de baleia ( minke e cachalote), golfinho (orca e boto cinza) e lula. Deu para ver piolho de baleia (eu nem sabia que baleia tinha piolho!!). Depois ela te leva para uma pequena sala onde dá para assistir a dois vídeos : um apresentando o objetivo e a vida da baleia (dura uns 15 minutos) e um outro que mostra o trabalho do Instituto Baleia Jubarte num barco que viaja pela costa brasileira fazendo pesquisas e monitorando a vida de várias espécies, principalmente da baleia jubarte (dura 1 hora e 30 minutos). O último eu achei bem legal e perguntei se tinha para venda, mas infelizmente não tinha. Ganhei um cartão postal do instituto e enviei pelos correios para meu irmão que não pode vir comigo.

 

 

20121015190330.JPG

Piolhinhos da baleia jubarte

 

20121015184344.JPG

 

Almocei num restaurante chamado Carenagem. Lá serve diversos tipos de moqueca. Mesmo estando na Bahia, a comida típica e o jeito de falar do povo de Caravelas lembram o capixaba. Achei que ia encontrar aquele sotaque forte do baiano e acarajé... não tem nada disso. Gostei do restaurante, mas para quem quer economizar lá tem o PF (prato feito com 3 tipos de carne a escolher, custa uns 10 reais) e tem outros restaurantes na cidade que são self service.

Como o outro Parque Nacional de Abrolhos fica no Kitongo e só abriria ás 14 horas, fui dar uma volta no centro da cidade para conhecer melhor. A cidade apesar de ser uma das mais velhas do Brasil (desde 1503) é muito simples. É cidadezinha do interior. Tem uma rua principal (rua Adalício Nogueira) e umas menores ao redor. Tem 2 supermercado de porte médio, algumas lojinhas e farmácia. Eles vivem do comércio gerado pela “Baleia & Abrolhos”, mas sinceramente, poderia ser algo bem melhor. A cidade é muito simples, mas como costumo viajar muito para o interior, eu me adaptei bem. Para amantes de shopping e balada eu não recomendo Caravelas. Não mesmo. Outro detalhe: a cidade não tem gente bonita. Mas tem uns mergulhadores lá, até gatinhos. “Dá um caldo”. :wink:

 

20121015185124.JPG

Azulejo Português da Secretaria de Turismo

 

Conversei um pouco com uma das funcionárias da pousada onde me hospedei e ela me contou que há uns 10 anos atrás, Caravelas tinha um número maior de visitantes por causa de uma pousada grande chamada Iate Clube que tinha contrato com a CVC. Iam cerca de 60 turistas por dia da CVC para Caravelas. Só que a cidade não investiu em infraestrutura para os turistas, só tinha aquela coisa de ver Abrolhos e baleias. Por causa disso, o CVC cessou o contrato e a infraestrutura na cidade piorou, por causa da diminuição de ofertas de trabalho.

Ela me contou aquela velha história do Brasil: os governantes (no causa prefeitos e vereadores) desviam muita verba e não sobra para investir na cidade e na educação. A população de Caravelas é muito simples e pobre, aliás, é uma realidade de toda aquela Costa das Baleias. Sinceramente não vejo diferença nenhuma entre um serial killer e um cara que chega “no poder” e desvia verba. Eles destroem tudo e matam do mesmo jeito.

Como foram eleições, o Jadson ganhou. Em 2013 ele é quem assumirá a prefeitura. Desejo muito que haja melhorias na cidade. Todos cobram o prefeito, mas os vereadores tem de ser dobradamente cobrados. E a gente, mesmo turistas, também temos de cobrar, pois devido essa falta de infraestrutura o povo sai de lá sem emprego e estudo e vem para o sul e sudeste... aí vcs já sabem o desenrolar da história... acho isso muito triste.

 

20121015185242.JPG

 

Depois da revolta contra os governantes, fui para Instituto que fica no Kitongo. Lá fica mais distante do centro, então tem que pegar ônibus. Os ônibus são Caravelas x Barra, eles saem da rodoviária de hora em hora. Desci no ponto Kitongo e entrei. Logo de cara já fiquei encantada com a vegetação. Fui recepcionada por uma moça que me levou para ver a réplica em tamanho real da baleia Jubarte, uma sala com inúmeros banner-fotos (inclusive um banner mostrando a região sul da Bahia onde fica a Costa das Baleias com Caravelas e que parece um rosto sorrindo, por causa disso o povo local diz que Caravelas é feliz). Depois de toda aquela apresentação, ela convida para ver um vídeo sobre Abrolhos e animais característicos da região como as famosas baleias, os atobás, os meros e os budiões azuis. Tem duração de uns 20 minutos e é bonitinho, com desenho animado voltado para crianças.

 

20121015185339.JPG

 

20121015185418.JPG

 

Ao redor tem uma trilha. Fui fazer a trilha e quando pus os pés lá me recordei do repelente que esqueci em casa. De repente senti que estava sendo devorada viva. Eu gostei da trilha, pois deu para tirar muitas fotos da vegetação local: cajueiros, maracujás, pitangueiras, gameleira e outros. Deu para ver macacos, mas foi questão de segundos, pois uma menina de uns 5 anos os viu também e começou a gritar: “Olha os macacos, mãeee!!” E eles sumiram. :wink:

0Tem muita borboleta, lagartos e aranhas também. Aliás, cuidado com as aranhas ao andar numa trilha. Tem umas que fazem a teia bem no meio da trilha, de repente vc percebe que está com a cara cheia de teia. A trilha tem aberturas para ver o Rio Caravelas e Rio Marobá, Mangue e Restinga. Se vc for mais ousado e descer para ver mais de perto o mangue dá para ver uns caraguejos lá, inclusive uns que são menores que a ponta do seu dedo mindinho. Mas tem de ter paciência, pois qualquer movimento eles se escondem nos buracos que eles cavaram. Reparem na diferença dos tamanhos dos buracos.

 

20121015190201.JPG

 

Foi ficando escuro e resolvi sair da trilha (também não estava agüentando aquela tanto de pernilongo). Fiquei sem paciência para esperar o ônibus de volta e resolvi ir a pé. Deu para ver a entrada da cidade com o símbolo maçônico e uma obra de arte chamado “o globo com baleias”. Achei bonito a obra. Dá para escutar as cigarras cantarolando e observar que tem mangue na estrada (rua Adalício Nogueira), com caranguejo também.

Ao chegar à pousada me informei sobre um local para jantar, e eles me informaram que a noite o restaurante Carenagem está aberto e as lanchonetes ao redor. Resolvi lanchar em um chamado La Chapa Tortilha (tortilha de farinha de trigo com recheios de vários sabores). Mas tem pizzaria também. Fica tudo na mesma rua Adalício Nogueira. Tem um restaurante chamado Amarelinho, fica em outra rua, mas é tudo pertinho.

 

No outro dia fui ao passeio a Abrolhos com a Horizonte Aberto. Saíram duas embarcações às 7 horas. O combinado foi às 6:30, pois todos tinham de experimentar as nadadeiras, pois tinha os que iam mergulhar e os que iam fazer flutuação (snorkel). Na embarcação em que eu estava, tinha: Euzinha, uma francesa professora de mergulho, um casal de Maringá, um casal do Rio, uma família de São Paulo em que o pai era inglês, os mergulhadores instrutores, os marinheiros e o Jean Pierre. O Jean Pierre é proprietário da Horizonte Aberto e do Hotel Marina Porto Abrolhos. É muito simpático e reside em Caravelas há alguns anos.

 

Uma da moças da pousada onde me hospedei me contou que ele e a esposa resolveram construir um catamarã maior e mais confortável para seus passageiros, para Live Aboard. Investiram dinheiro e dedicação nisso. Um dia, no Pier, alguém colocou fogo no catamarã que ainda estava sendo construído. Perderam tudo, não deu para recuperar nada. Eles ficaram muito chateados. Acho que a pior parte desta história é saber que alguém não gosta nem um pouco de vc e do que vc faz.

 

A embarcação saiu do Rio Caravelas e saiu em direção ao mar. Dá para ver a Ilha da Cassumba com seu mangue, um navio onde toras de eucalipto são levadas para outros locais (acho que é da empresa Fibria). Dá para perceber a mudança na cor da água. Mais próximo a Ilha da Cassumba a coloração é mais amarronzada e no mar é bem azul.

Eu fiquei meio enjoada, mas a pastilha de gengibre ajudou. Não tomei medicamento, pois não queria ficar sonolenta, mas não adiantou. Fiquei sonolenta do mesmo jeito, aquele balançar...eu abria a boca toda a hora. Só acordei quando um menino gritou: BALEIAAAAAAA!!! Todo mundo levantou na hora! :wink: Uma das baleias deu aquele salto, foi bem legal. Gostei muito de ter visto elas, pena que não dá para ver mais de perto. Foi nessa hora também que fiquei achando a minha máquina digital uma porcaria. Ela é Canon, mas é aquela compacta. E cartão de memória de 2 gb não é o suficiente. Mas aproveitei assim mesmo.

 

20121015185647.JPG

Sol com Chuva: casamento da Jubarte (período de reprodução delas)

 

 

Durante vários momentos a embarcação fez paradas para observações das baleias, quando elas eram avistadas. Existem regras para isso. E era sempre do mesmo jeito, alguém gritando: BALEIAAAAAAA!!! Quando vai se aproximando mais do arquipélogo de Abrolhos dá para ver os atobás fazendo uns “mergulhos” no mar para pegar comida (peixe).

 

Chegamos a Ilha Siriba e uma pessoa da ICMBIO veio até o Catamarã dá as informações sobre o local e regras de visitação antes de irmos para a ilha.

Em Abrolhos são 5 formações rochosas vulcânicas (basalto): Santa Bárbara, Siriba, Redonda, Sueste e Guarita. Somente é permitido visitação na Siriba, onde há atobás brancos e marrons, fragatas e grazinas (achei que eram as aves mais bonitas). Ao descermos em Siriba duas pessoas nos guiam para ver as aves e reforçam as regras de visitação. Só achei a visitação muito rápida. Tipo: uns 15 minutos. Queria ficar observando mais. Os atobás chegam a ser engraçados, eles ficam te olhando e tem hora que chegam bem próximo mesmo, até os filhotes fazem isso. O ninho deles é algo bem simbólico, eles põem dois galhinhos no chão e está pronto o ninho. Se não fosse o guia me avisando nem perceberia que aqueles dois pauzinhos no chão era um ninho. :wink:

O guia explica algumas coisas, como o atobá mergulha e pesca muito bem e a vida “bandida” da fragata; o canto do atobá macho (sinfonia linda) e do atobá fêmea (tampem os ouvidos); a sensibilidade dos corais cérebros, etc.

 

20121015185820.JPG

 

Depois do passeio vapt-vupt da Ilha Siriba voltamos a embarcação para os mergulhos. Mergulhei, gostei, mas achei o meu instrutor um pouco sem paciência comigo. Dá um desconto que é o meu segundo mergulho em águas abertas, né! Custei a equalizar, mas depois disso foi mais tranqüilo para mim, mas não para o meu instrutor. Ele foi à frente e eu e a francesa fomos seguindo.

Parei para ficar observando o coral cérebro e de repente cri...cri...cri...cri... era o instrutor chamando...

Parei para ver um peixinho colorido rosa com amarelo dourado, muito lindo ...cri...cri...cri...cri...o instrutor chamando...

Parei para ver um budião azul...cri...cri...cri...cri...o instrutor chamando...

Parei para ver e pegar o esqueleto do coral fogo na areia e ...cri...cri...cri...cri...o instrutor chamando... e por impulso eu falei: “Para com esse cri, cri, eu só tô olhando.” E comecei a ri que nem uma louca tentando não beber água, porque foi muito cômico aquele impulso de brigar. O instrutor achou que eu tivesse com alguma coisa, ficou mais próximo durante um tempo.

 

Controlada a crise de riso parei para ver um peixe frade e...cadê todo mundo? Mas só foi eu pensar nisso que recomeçou: ...cri...cri...cri...cri...

Foram 55 minutos em 8 metros de profundidade no Portinho/Mato Verde. Eu gostei, mas esperava ver mais coisas, como tartaruga. Choveu durante a manhã e na noite anterior, acho que isso interfere. A francesa achou mais ou menos, ela viaja por vários países mergulhando. Depois me explicaram que a melhor época para mergulho é em janeiro, pois como não é época de chuva a água torna-se mais clara.

Fiquei cansada e não fui para a flutuação (snorkelling). Era hora do almoço e fiquei lá almoçando e tremendo debaixo do sol. :wink:

Voltamos e chegamos às 17 horas como combinado. Adorei e recomendo, mas é tudo muito rápido e fiquei muito cansada por causa disso. Caso eu volte, só irei Live Aboard.

 

No meu último dia, fui para Praia do Grauçá. Fui cedo para ficar andando na praia (rio Caravelas), tirando fotos. Chegando lá o dono de quiosque que vende água de coco me contou que lá tinha uma ossada montada de baleia jubarte, mostrou o local onde a ossada ficava rodeada pelas amendoeiras (em Minas a gente as chama de castanheiras) que o povo diz serem centenárias. O ICMBIO retirou as ossadas dizendo que iria colocá-las num local mais protegidos, mas o tempo se passou e nada foi construído. Por causa da retirada do esqueleto montado a movimentação diminuiu mais ainda. O dono do quiosque disse que irá reconstruir por conta própria.

 

Como ainda estava cedo, deu para tirar fotos dos pescadores colocando as redes e ver a vegetação de restinga e achar até uma ostra fechada. Só deu aquela tristeza quando achei caco de vidro, garrafa de vidro e de plástico, latinha de cerveja, bituca de cigarro, etc, tudo na praia. Se tivesse levado três sacos de 100 L, teria enchido os três e ainda sobrava muita sujeira.

Almocei no restaurante Tio Berlindo e me encantei com o saboroso suco de mangaba. Nossa, muito bom. Lembra limão, só que mais suave e com aspecto leitoso. Muito bom. Queria almoçar um prato típico, como bobó de caranguejo, mas só tinha para três pessoas. Optei pelo PF (prato feito).

 

O cara do restaurante me falou de uma lojinha de souvenir a “Artesanato Caimar” (73-88042949), mas não tinha camisas com bordados, só com silk. Tinha várias lembrancinhas com baleias. Ele me falou da Igreja da Ponta de Areia que tem uma gameleira centenária que foi tombada como patrimônio da cidade. Foi o local que fiquei arrependida de não ter visitado. Pelo ônibus dá para ver ela, é grande e fica bem ao lado da igreja, tem uma placa na frente que foi posta no dia que ela foi nomeada patrimônio.

 

À noite (20 horas) fui comer tortilhas novamente e um motoqueiro me encheu o saco me perguntando qual era o meu nome e onde estava hospedada. E eu muda. Como não dei papo ele foi embora, mas fiquei preocupada. Foi até bom ter acontecido isso para me recordar que mesmo eu cidades minúsculas do interior há risco. Menor, mas há.

No outro dia, fui embora para Belo Horizonte.

 

Conclusões:

Adorei Caravelas mesmo sendo uma cidade pequena, mas a infraestrutura e a propaganda precisam melhorar urgentemente. Fiquei com muita vontade de fazer o passeio do mangue chamado RESEX Cassurubá (Ecoturismo de base comunitária), mas não tinha muita divulgação e passeios para ir. O barco só abre vaga a partir de 4 pessoas, custando em média uns R$50,00 reais por pessoa. Vc passeia pelo mangue, rios e matas e almoça no centro comunitário: a Toca do Siri Açu. Mas não tinha ninguém, exceto eu interessada em ir.

Contatos são: http://www.ecoturismocassuruba.blogspot.com // [email protected]

telefones: (73) 32971866// (73) 91221609// (73) 91191593

Eles tem um panfleto pardo, feito em material reciclado mostrando, em forma de desenho, o que pode ser visto de animais da região (boto, jibóia, saracura, Martin pescador, siri, aratu, jacaré do papo amarelo, guaxinim, etc) e os ritos e saberes populares da tradição extrativista (tipos de pescas, etc). Acho que vale a pena.

Outra dica é a maior saída de embarcações para Abrolhos em Julho e Janeiro, principalmente Janeiro. É mais fácil conseguir vaga em embarcações durante este período que em outros. O mergulho também é melhor.

Em Novembro como é final da temporada de Baleias, há uma festa na cidade que ocorre há 10 anos durante o período de 14 a 16 de novembro. Contaram que é bem folclore e é apoiado pelo Instituto Baleia Jubarte.

Durante o período de baleias (julho a novembro), há algumas saídas de embarcações, inclusive saindo de Prado, para avistagem. Mas eles não vão a Abrolhos. Dizem que fica por volta de uns R$100,00, eles chamam de baleiada. Agências que fazem baleiada:

1) Bila (73) 99668126 (Prado)

2) Apecatu (73) 32971751//(73) 88611369 (Caravelas)

Se for fazer algum passeio de barco em mar não se esqueça de levar algum medicamento para enjôo, pois enjoa mesmo. Vale gengibre, Dramim, Plasil, etc.

Espero estar ajudando a outros que queiram fazer esta mesma viagem.

Abraços e até a próxima viagem!

Contatos de Caravelas:

Pousada Shangri-lá (73) 32971590 – pousadadobecoshangrila.blogspot.com

Rodoviária: (73) 32971422

Secretaria de Turismo: (73) 32971404

Prefeitura Municipal de Caravelas: (73) 32971113 – http://www.caravelas.ba.gov.br

Pousada Caravelas: (73) 32971089 – [email protected]

La Chapa: (73) 88329411 (lanchonete e pizzaria)

Carenagem: (73) 32971280 (restaurante) – [email protected]

Pousada Encanto dos Abrolhos: (73) 32971084 – http://www.encantoabrolhos.com.br

Pousada dos Navegantes: (73) 32971995 – http://www.pousadanavegantes.com.br

Hotel Marina Porto Abrolhos: (73) 36741060 – http://www.marinaportoabrolhos.com.br

Pousada Liberdade: http://www.pousadaliberdade.com.br

Viação Gontijo/São Geraldo: (73) 32971288 – http://www.gontijo.com.br

Viação Expresso Brasileiro/Águia Branca: (73) 32971422

SAMU: 192

Bombeiros: 193

Polícia Militar: 190

Polícia Civil: 197

Hospital Regional de Caravelas: (73) 32971035

Correios: (73) 32971077

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 5 meses depois...
  • Membros

Carla,

 

Legal o seu relato. Um dos poucos ou único sobre Caravelas. Hehe.

 

Estou planejando viajar para o litoral bahiano, desde Porto/Ilhéus até Caravelas/Abrolhos, entre setembro e outubro.

 

Por você ter ido recente, tem alguma embarcação que te chamou a atenção ou que você indicaria para fazer um Live Aboard de dois dias?

 

Irei viajar com minha esposa e filho que terá 1 ano e meio na época.

 

Valeu!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 6 anos depois...
  • Colaboradores

@Mayra Azevedo O litoral sul da Bahia continua o mesmo.A Horizonte Aberto da Jaqueline e Jean Pierre continua com o maldito monopólio no passeio a Abrolhos e Caravelas,assim como Prado,muito atrasados em relação ao resto da Bahia.Estive na região na campanha para eleger o Rui,mas não tem jeito, é um povo viciado em clientelismo e votar nas oligarquias.Como bem disse a dona do relato há quase 10 anos, é muito pobre,enquanto os fazendeiros são multimilionários.Solução é reforma agrária e limitação do direito a propriedade!

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...