Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Entre para seguir isso  
nnaomi

21 dias em SC - Parte 2: Garopaba

Posts Recomendados

Como eu gosto muito de escrever, o que era para ser um relato acaba virando um "guia". Entretanto como a maioria ou não tem tempo ou não tem paciência para tanto, vou colocar um índice aqui e assim cada um vai direto a parte que lhe interessa ;)

 

Índice

 

A cidade

 

Como chegar

 

Quando ir

 

Onde ir em Garopaba

 

Onde ir em Imbituba

 

Onde ir na Praia do Rosa (Distr. de Imbituba)

 

Trilhas:

 

Onde ficar

 

Onde comer

 

Dicas (Contatos úteis, Postos de Informações Turísticas, Links úteis, Receptivos Turísticos e Dicas)

 

Sugestão de roteiros

 

Relato de viagem

 

Mapas

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Período: 13 a 17/07/2012

Cidades: Garopaba, Imbituba

 

Garopaba é um dos principais destinos do roteiro "Encantos do Sul". O litoral sul é privilegiado com belas praias, lagoas, baías e enseadas, destacando-se as condições propícias para observação de baleias francas e para o surf.

 

Confira abaixo as dicas e informações gerais sobre a cidade.

 

Obs.: Além da seção "Dicas" antes do relato, há outras dicas específicas espalhadas pela página. "Outras opções" referem-se às indicações que não foram testadas. ATENÇÃO: não possuo nenhum vínculo com pousada, hotel, restaurante, agência, loja e qualquer outro tipo de estabelecimento divulgado nos meus relatos de viagem. Alguns dos pontos turísticos, bem como alguns estabelecimentos, não foram visitados por mim e as informações foram pesquisadas em guias. Portanto, recomendo que antes de utilizar qualquer serviço, verifique com a secretaria de turismo da cidade, se os dados são atualizados e/ou verossímeis.

 

A cidade

Garopaba está localizada no litoral sul catarinense. Faz limite com as cidades de Imbituba e Paulo Lopes. Possui área de 115 km² e população de 18.144 habitantes (dados IBGE 2010).

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Garopaba e Imbituba estão localizadas, respectivamente, a 71 e a 90 km da capital.

• Terminal Rodoviário de Garopaba, R. Teonaz Israel, 111, próximo ao ginásio Municipal, 3254-3169

• Terminal Rodoviário de Imbituba Ângelo Manoel Fernandes, R. da Rodoviária, s/n / Loteamento Granja Henrique Lage, Centro, 3255-0439

 

Transporte Florianópolis/Garopaba:

• Existe linha regular de ônibus da empresa Paulotur que faz esse trecho, com maior frequência de horário no meio da semana. Saídas do Terminal Rodoviário Rita Maria, informações: 3244-2777

 

Transporte Florianópolis/Imbituba:

• Existe linha regular de ônibus da empresa Santo Anjo que faz esse trecho, com maior frequência de horário no meio da semana. Saídas do Terminal Rodoviário Rita Maria, informações: 3224-9001

 

Transporte Municipal em Garopaba:

• A Expresso Garopaba faz o transporte municipal para alguns bairros e praias da cidade. Também há uma linha para a Praia do Rosa. Os horários podem ser conferidos no site da Prefeitura de Garopaba

• Parece que tem um ônibus circular de Imbituba que faz a linha Ibiraquera-Campo Duna-Praia do Rosa

 

Dicas e comentários sobre transporte:

• Horários e informações sobre transporte intermunicipal: DETER Departamento de Transportes e Terminais. Esse site é excelente, pois permite buscar quais as opções disponíveis de ônibus entre dois destinos. A busca retorna as linhas disponíveis com detalhes do percurso, mas pode existir outras alternativas, uma vez que a busca retorna apenas as linhas diretas e não mostra as possibilidades com conexões.

Considero uma das grandes utilidades desse site, ver qual a empresa que atende o percurso. Com base nessa informação, é possível entrar em contato direto com a empresa e confirmar as alternativas disponíveis

 

• Apesar de próxima da capital, o ônibus Florianópolis/Garopaba demora muito a percorrer o trecho, pois a linha parece mais um circular entre as cidades, com muitas paradas no meio do caminho

 

• É possível se virar bem com transporte público, mas carro facilita muito e economiza tempo. As linhas de ônibus, além de parar nas rodoviárias de outras cidades, fazem muitas paradas no meio do caminho

 

• Em Garopaba, tem horário de ônibus pregado na porta do Centro de Informações Turísticas e na lanchonete bem em frente ao ponto de ônibus na praça principal (acho que o pessoal deve perguntar muito)

 

• É possível ir de ônibus circular às praias principais como Siriú, Ferrugem, Ouvidor, Rosa. Aos sábados, as opções de horários são reduzidas. Aos domingos e feriados são ainda mais escassas, mas programando-se dá para se virar só com o transporte público. Por exemplo, vá para Ferrugem no meio da semana, pois aos finais de semana só há 3 horários para lá e deixe para ir a Praia do Rosa no final de semana, pois mesmo com os horários reduzidos ainda há algumas opções de escolha. Talvez tenha mais horários na alta temporada

 

• Fique atento que em determinados horários de menor movimento, circulam micro-ônibus que parecem de agência particular ao invés do ônibus convencional. Na dúvida pare o ônibus e pergunte ao motorista para não correr o risco de perder

 

• Para os que viajam de ônibus vindo de outras cidades e têm como destino a Praia do Rosa, disseram que poderiam descer no Campo Duna, pois existiriam táxis ao longo da SC-434 nas proximidades do Campo Duna que fariam o trajeto final até a Praia do Rosa. Não conferi a informação, mas sei que existe uma linha de ônibus que sai de Garopaba e vai para a Praia do Rosa passando pelo Campo Duna

 

• Na alta temporada, disseram que tem muito congestionamento, principalmente entre Garopaba e Praia do Rosa e entre Garopaba e Ferrugem

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

De meados de dezembro até o carnaval é alta temporada, com picos no ano novo e no carnaval. A pequena cidade de Garopaba muda completamente, fica cheia, badalada e perfeita para quem curte um agito. Para os querem mais tranquilidade, particularmente eu sugeriria o período da quaresma e o final da primavera, quando o clima está agradável e o movimento menos frenético. Para ver baleias francas, o início da primavera é o período mais indicado. No inverno, as temperaturas caem bastante e também o movimento de turistas. Mesmo em julho, mês de férias escolares, não há um fluxo grande de turistas. A presença de frentes frias reduz a temperatura e pode trazer chuvas e ventos gelados afugentando os turistas do litoral para a serra. As praias ficam desertas, com exceção dos surfistas que aproveitam o períodos com as melhores ondas para a prática do surf. Entretanto, deve-se observar o período de pesca da tainha (maio-junho) quando algumas praias ficam interditadas e sinalizadas com bandeiras que indicam se as praias estão liberadas ou não para o surf.

 

Garopaba tem infraestrutura turística com pousadas, restaurantes e lojas abertas o ano todo, mas no período entre a Páscoa e meados de dezembro, algumas pousadas fecham para reforma, alguns restaurantes funcionam somente aos finais de semana e parte do comércio encerra completamente as atividades, portanto há menos opções disponíveis. Entretanto, os preços são mais atrativos, não há problemas com congestionamentos e é a época perfeita para curtir a natureza com as praias desertas.

 

Eventos:

• Ritorno alle Origini: em maio, em Urussanga

• A República em Laguna: em julho, em Laguna

• Festa do Vinho: em agosto (bienalmente), em Urussanga

• Festa das Etnias: em setembro, em Criciúma

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Lojinhas e bons restaurantes no centro, boa infra-estrutura.

 

Na cidade:

• Igreja Matriz de São Joaquim, no centro histórico, em frente à Praça 21 de abril. Caminho ao lado da igreja leva a um mirante

 

• Morro do Ferraz ou Morro da Embratel, a 3 km do centro, acesso pavimentado até o topo, assim que passar o Banco do Brasil, pegar a primeira rua à esquerda seguindo até o Posto da Polícia Militar. Em seguida é só entrar na primeira rua à direita e depois a primeira rua à esquerda. Dali é só e seguir subindo o morro das torres da Embratel. Vista para as dunas do Siriú e grande parte do litoral catarinense, é ponto de decolagem para vôo livre

 

Praias:

 

• Praia Gamboa, a 16 km do centro, acesso por estrada de terra a partir de Garopaba ou pela BR-101, via Paulo Lopes. Cercada por costões, ondas fortes e buracos, algumas dunas, pouca estrutura (barzinhos e restaurantes que abrem durante a temporada), vila de pescadores, boa para surf e para ver baleias francas. No canto direito há um morro onde é possível chegar à praia do Siriú. Seguindo à esquerda pela beira mar chega-se à Guarda do Embaú

 

• Praia Siriú, a 10 km do centro, acesso por uma estrada de terra a partir da estrada geral que vai de Garopaba a Paulo Lopes (uma pequena placa indica a entrada), com 5 Km, boa para surf, pesca na lagoa, dunas de areia para sandboard, cachoeiras, engenhos de farinha, alambique. As dunas do Siriú ficam na estrada que liga Garopaba a Paulo Lopes, do alto das dunas um belo visual. O Rio Siriú corre da lagoa do mesmo nome, desembocando ao norte da praia. Neste local há restaurante e pousada. Trilha Siriú-Garopaba, na verdade é uma passarela de fácil acesso. No percurso, podem ser vistas ilhas, dunas e a Ponta da Vigia, uma casa açoriana do século 19

 

• Praia Garopaba, central, mar calmo e areia batida, boa para caminhadas e esportes aquáticos, c/ pousadas, restaurantes e lojas. Na beira da praia, ao sul, situa-se a antiga cidade de Garopaba, uma vila de pescadores. No canto direito, barcos de pescadores. Entre Garopaba e a Praia do Silveira há um trecho de costa que precisa ser visitado, o Costão, frequentado por pescadores. O mar, os rochedos e o verde da vegetação rasteira, formam um belo conjunto. A trilha ora passa por dentro do mato, ora sobre as pedras escorregadias, nas quais as ondas batem

 

• Praia da Preguiça ou Praia do Vigia ou "Prainha", no Bairro da Vigia, pequena, calma. Perto está a Gruta de N. Sra. de Lourdes. Um pouco adiante começa o Costão

 

• Praia Silveira, a 3 km do centro, acesso por uma estrada de terra a partir da avenida asfaltada que dá entrada de Garopaba, próximo a loja Mormaii. Cercada por morros e mata preservada, boa para surf, pesca e mergulho no mar ou nas piscinas naturais. S/ bares/restaurantes

 

• Praia da Ferrugem, a 8 km do centro, no bairro Capão, boa para surf, boa infra-estrutura de bares, restaurantes e pousadas, muito agito nos bares e danceterias. Tem um canal que a separa da Praia da Barra. Belo por do sol na lagoa que fica no extremo oposto ao mar. Na ilha da Barra existem fósseis e outros vestígios da civilização indígena existentes em outras épocas. Há uma trilha, pelo morro beirando o costão, da Praia da Ferrugem à Praia do Ouvidor

 

• Praia da Barra, separada da Ferrugem por um pequeno morro a beira do mar. Esse morro é um Sambaqui, que foi cemitério dos índios Carijós. Lá é possível encontrar machados de pedra, pontas de flechas e até restos humanos. Também há o maior número de amoladores do estado, pedras onde as ferramentas eram afiadas. O morro é visitado por turistas, que vêem as ondas baterem nas pedras. Um riacho, que liga uma lagoa ao mar, é calmo e próprio para banho. Há uma trilha à Praia do Ouvidor. Pelos costões é possível ver algumas pinturas rupestres

 

• Praia do Ouvidor, a 11 km do centro, bela estrada de acesso entre coqueiros e mata. Com areias claras, dunas e costões, cercada de verde. Do alto das dunas dá para avistar toda a praia e o Costão da Caranha. Boa para pesca artesanal, natação, canoagem e esqui. Pousadas e casas para alugar. Trilha de 45min da Praia do Ouvidor a Praia Vermelha: no lado direito da Praia do Ouvidor

 

• Ilha do Coral, a 45 minutos de barco da praia de Garopaba. Farol e paredão com inscrições rupestres com mais de 2.000 anos. Durante a temporada há serviços de transporte que levam até a ilha. As saídas são feitas a partir da enseada de Garopaba

 

Outros:

 

• Centro de Lazer Cachoeira do Macacu, infra-estrutura com piscinas, hidromassagens naturais, tirolesa com queda na água, parede de escalada, trilhas, áreas com jogos, churrasqueiras, decks de madeira, animais, playground, estacionamento, banheiros e lanchonete

 

• Cascatas da Encantada, do Macacú e do Siriú, a cerca de 10 km do centro, acesso fácil. São nascentes que formam pequenas cascatas, poços e piscinas naturais

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Conhecida como a Capital Nacional da Baleia Franca, é um dos principais pontos para a observação de baleias que pode ser feita a bordo de barcos ou até mesmo da praia. A rústica Barra de Ibiraquera concentra pousadas e agito. No centro, porto, restaurantes, hotéis e praias com mais estrutura.

 

Praias:

• Ibiraquera, região composta de morros com vegetação nativa, dunas, uma praia, quatro lagos (Lagoa de Cima, Lagoa de Baixo, Saco da Lagoa e Lagoa Doce) e a barra que faz a ligação deles com o mar e separa a praia de Ibiraquera da Praia do Luz

 

• Lagoa de Ibiraquera, Estrada da Ribanceira, a 10 km do centro. Uma estreita faixa de areia a separa da praia, boa para wind e kitesurf, mergulho, canoagem, pesca e outros esportes náuticos. O camarão rosa é encontrado em abundância na Lagoa de Ibiraquera. Belo pôr-do-sol e à noite, as lanternas dos pescadores de camarão formam um tapete de luzes sobre a lagoa

 

• Praia Barra de Ibiraquera, a 10 km do centro, acesso pela trilha que inicia no Rosa Sul ou por carro, badalada, casas de veraneio e pousadas, boa para wind e kitesurf

 

• Praia da Ribanceira, a 9 km do centro, boa para pesca, surf e caminhada, não tem estrutura. Na temporada de baleias, é possível avistá-las. Curiosidade: areia da praia sempre úmida, por causa da água que brota do morro

 

• Praia D'água, deserta, acesso somente por trilhas. Seu nome se deve às diversas correntes de água que saem dos morros ao seu redor. Uma fonte de água limpa e pura pode ser encontrada no canto norte da praia

 

• Porto da Vila, local turístico para lazer, descanso, e gastronomia

 

• Praia do Porto proporciona a observação dos navios que chegam e saem do Porto de Imbituba. Do século XVIII até o ano de 1973, amparou a instalação da IV Armação da Pesca da Baleia do Brasil. Hoje a praia é um local de preservação das baleias

 

• Praia da Vila, central, extensa, urbanizada, com ciclovia e restaurantes. Boa para surf, pesca e observação das baleias que podem se vistas a 20m da praia

 

• Praia de Itapirubá oferece vista panorâmica de uma linda baía e da ilha das Araras. São 2 praias distantes 250m uma da outra, separadas apenas por um morro. Além das praias, há dunas e lagoa

 

Passeios de barco: roteiros possíveis

• Passeio ao Ilhote do Siriú (passeio curto), o barco parte da praia de Garopaba, passa pela praia do Siriú, segue para o Ilhote (desembarque opcional para mergulho), Praia da Gamboa, Pedra da Baleia e o retorno é feito pela costa da serra do Tabuleiro. Inclui nadadeiras, snorkel, uma barra de cereal e uma água mineral. Duração: 1,5h

 

• Passeio à Ilha do Papagaio, Praia de Fora e Pinheira (passeio médio), o barco parte da praia de Garopaba, passa pela Pedra da Baleia e pelas praias do Siriú e Gamboa (opção para mergulho no Ilhote do Siriú) e ruma para a Guarda do Embaú. O retorno é pela costa da Serra do Tabuleiro. Inclui nadadeiras, snorkel, uma barra de cereal e uma água mineral. Duração: 3h

 

• Passeio à Ilha dos Corais. Saída de Garopaba à Ilha dos Corais. Circundando a Ilha, observação de inscrições rupestres. Parada de 1h. Retornando pela Guarda do Embaú, Praia da Gamboa, Pedra da Baleia, Ilhote de Siriú e Praia do Siriú. Inclui uma água mineral e uma barra de cereal. Duração: 3h

 

• Passeio à Praia de Naufragados (passeio longo). O barco parte da praia de Garopaba, passa pela Pedra da Baleia e segue para a ilha de Naufragados, permanecendo 2 horas com opção para mergulho e almoço. O retorno é pela costa da Serra do Tabuleiro costeando as praias da Guarda do Embaú, da Gamboa e Siriú. Inclui nadadeiras, snorkel, uma barra de cereal e uma água mineral. Duração: 4,5h

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Agito, boa estrutura de pousadas e restaurantes (na alta temporada). Seu acesso se dá pelo Trevo de Garopaba, no Km 274 da BR-101. Deixando o trevo em direção à Garopaba, você terá duas opções para chegar ao Rosa: a primeira é dobrando a direita no Posto Repsol (1 km do trevo), passando pela Lagoa e pelo povoado de Ibiraquera, a outra é seguindo mais 4 km em direção à Garopaba e virando à direita ao lado da Pet House, na localidade de Campo D'Una. Daí é só seguir pela estrada calçada de lajotas por mais 3 km, até a Praia do Rosa.

 

• Praia Vermelha, a 17,5 km do centro de Garopaba. Pertence a Garopaba e Imbituba, acesso pelo costão norte da Praia do Rosa numa caminhada de 1h com vista panorâmica ou pelo costão da Praia do Ouvidor. Afastada, deserta, sem infra-estrutura, tem ondas fortes, boa para surf

 

• Praia do Rosa, durante o dia movimento nos bares da praia, à noite nos badalados bares do centrinho. Casas, restaurantes e pousadas em meio a florestas, lagoas e dunas. Com 7 km e formato de uma meia-lua, no centro está a Lagoa do Meio, com água salgada e tranquila, atrás dos morros um conjunto de quatro lagoas, que também foram formadas por braços do mar, desligados por porções de terra. A praia divide-se em Rosa Sul (casais e famílias) e em Rosa Norte (surfistas e paquera). Para a Rosa Sul, acesso pela estrada principal até o final, passando a lojinha da Mormaii. A Rosa Norte fica na subida a esquerda que vai para o centro antes da pousada Vila Aglifóglio. A Praia do Rosa é um bom local para avistar baleias nos costões

 

• Morro da Praia do Rosa, acesso pela Ponta Sul da praia do Rosa, caminhada de 30min, bom para observar as baleias francas. Há pessoal especializado no local para orientação

 

• Praia do Luz, acesso de carro pela BR 101 km 276, mais 5 km de chão, pela beira mar da praia de Ibiraquera até Praia do Luz ou 1h30 a pé pelo morro que a separa da Praia do Rosa Sul. Quase deserta, belo pôr-do-sol, boa para pesca, surf, wind e kitesurf. Em frente, a Ilha Batuta

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

• Sede da Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca - Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade ICMBio, Av. Santa Catarina, 1465, Bairro Paes Leme, Imbituba, 3255-6710, [email protected] Informe-se sobre operadores de ecoturismo autorizadas para passeios de barco para avistamento de baleias

 

• Projeto Baleia Franca, sede no Centro Nacional de Conservação da Baleia Franca, na Praia de Itapirubá, Av. Atlântica, 3255-2922, seg-sex 9h/12h e 13h/17h, sáb 9h/12h, [email protected], [email protected], http://www.baleiafranca.org.br Orienta para o avistamento de baleias no litoral

 

• Biólogo Guto, 8415-7418, observação por terra a partir de mirantes

 

• Turismo Vida, Sol e Mar, Estrada Geral da Praia do Rosa, Bairro Ibiraquera, Imbituba. Sede na Praia do Rosa e filial na Praia de Garopaba, 3254-4199 / 3355-6111 / 6641, [email protected], seg-sex 90,00, sáb 140,00, saída de barcos 2 vezes ao dia (8h e 11h) a partir de Garopaba, Praia do Porto de Imbituba ou Praia de Itapirubá Norte ou Sul, dependendo da localização das baleias. Confirmar com a operadora com 1h de antecedência. Passeio com duração de 1h30 a 3h, sujeito a localização das baleias, as condições climáticas e da maré. Mínimo de 6 pessoas

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A maior parte das trilhas é entre uma praia e outra. Praticamente todas as praias podem ser alcançadas de carro, mas as trilhas possibilitam ter vista panorâmica das praias e visual dos costões.

 

As trilhas relatadas a seguir foram percorridas e impressões sobre o percurso, a paisagem podem ser vistas no relato de Garopaba. Demarcadas e de fácil orientação.

 

Trilha Praia da Garopaba/Praia do Siriú

Na verdade é uma passarela de madeira de fácil acesso que liga as duas praias. No início, segue por cima das pedras até o alto, onde oferece belo visual da Praia de Garopaba, da Praia do Siriú e do costão entre as praias. Do outro lado não tem passarela, mas caminho é fácil. Tem várias bifurcações que levam ao ponto mais alto, às pedras do costão e a uma estrada de terra que conduz às Dunas do Siriú. Disseram que basta seguir pela estrada por uns 200m para alcançar as dunas.

 

Trilha Praia do Ouvidor/Praia do Rosa

Na estrada de terra, um pouco antes de chegar à Praia do Ouvidor, do lado direito, tem a portaria de uma propriedade particular. No local, uma placa indica que há trilha sinalizada para a Praia Vermelha e que o acesso é permitido a pedestres. Na praia, no costão do lado direito, dá para ver uma trilha que segue beirando o costão e provavelmente conduz à Praia Vermelha. Na dúvida, a opção da trilha sinalizada da propriedade particular parece mais segura. Na portaria, o porteiro orienta, mas não tem erro, uma vez que a trilha é bem demarcada e sinalizada. No começo é uma estrada calçada com placas de cimento. Há placas e totens de madeira com setas vermelhas indicando o caminho correto. Nesse trecho, o percurso oferece uma vista panorâmica da Praia do Ouvidor. Depois o caminho vira trilha que segue à direita. Uma cerca delimita a propriedade e segue por todo o percurso. Há passarelas e pontes para facilitar o trânsito. Logo, aparecem os primeiros visuais da Praia Vermelha. A trilha segue aberta, com sol pleno, pois não tem vegetação alta no morro, é mais rasteira. A Praia Vermelha não tem infraestrutura e só é alcançada por trilha. Depois de atravessar toda a extensão da praia, no canto direito, uma placa indica a trilha para a Praia do Rosa. A sinalização com placas e totens de madeira com setas vermelhas continua. A trilha é calçada com placas de pedra/madeira nos trechos inicial e final. Nessa parte o morro tem mais vegetação e a trilha alterna trechos que se tornam um túnel na mata fechada e partes que seguem beirando a costeira com visual do mar. Na parte final da trilha, há escadarias de pedra e madeira que facilitam a passagem e conduzem à ponta esquerda da Praia do Rosa, que é conhecida como Rosa Norte. Na ponta oposta, é a Rosa Sul e, entre as duas, a Lagoa do Meio.

 

Trilha Praia do Rosa/Praia do Luz

No canto direito da Praia do Rosa, a Rosa Sul, no final da estrada, há um estacionamento e um balão para retorno. Nesse ponto começa a trilha que é bem demarcada. Pouco à frente, há uma porteira e a trilha segue beirando o costão. Pouco depois, a trilha segue pelo morro, não é bem marcado, mas não tem erro. Na subida há um caminho de paralelepípedo. No alto do morro, há um gramado baixo, parece um pasto e tem estrume de vaca, cactos e pedras. Oferece visual para todos os lados. Dá para ver a Praia do Rosa de um lado e do outro a Ilha do Batuta, Praia Barra do Ibiraquera e até o Porto. O caminho continua bem largo com paralelepípedos em alguns trechos. Há cercas provavelmente demarcando os pastos e, na descida para a praia, a trilha torna-se de areia fofa e segue bem marcada dentro da mata. Desemboca-se no canto direito da Praia do Luz. Nessa praia, existe a possibilidade de: 1) voltar pela mesma trilha da ida; 2) continuar até a Praia Barra de Ibiraquera, mas acesso pode estar bloqueado se o canal de ligação da lagoa ao mar estiver aberto e/ou maré cheia; 3) seguir pela estrada de terra, a Estrada da Barra, até o centrinho do Rosa ou até Ibiraquera; 4) retornar pelo Caminho do Rei.

 

Infelizmente não tive tempo de percorrer as trilhas descritas abaixo, mas deixo aqui a pesquisa que realizei.

 

Trilha Praia Guarda do Embaú/Praia da Gamboa

Ver em Trilhas de Guarda do Embaú

 

Trilha Praia da Vigia/Praia da Silveira ou Trilha da Igreja

Há 2 opções: 1) pegar rua à esquerda da igreja, seguir rua até o fim, depois pegar a trilha pelo costão. Alguns disseram que é perigoso e tem trechos de pedras ruins, mas a funcionária do CIT disse que é tranquilo, só não é indicado para crianças pequenas. Acho que depende do caminho seguido, como é costeira não tem trilha demarcada, dependendo do percurso escolhido, pode ser mais ou menos difícil. 2) pegar rua da Secretaria de Turismo e seguir até o fim, se quiser pode perguntar na Secretaria que eles mostram o início da trilha, mas é bem sossegada e marcada com fitas vermelhas ou marcações no caminho. Trilha segue para as piscinas naturais, depois tem trilha até a Praia da Silveira. Pelo que vi no mapa, dá para voltar pela trilha ou seguir por 1,5 km (segundo o mapa) pela estrada até a rodovia/estrada onde passa o ônibus para a Praia da Ferrugem. Acho que não tem linha de ônibus para a Praia do Silveira.

 

Trilha Praia da Ferrugem/Praia do Ouvidor

No canto direito da Praia da Ferrugem, perto do Morro do Sambaqui, é necessário atravessar o canal de ligação entre a Lagoa Encantada e o mar para alcançar a Praia da Barra. No canto direito dessa praia, começa a trilha para a Praia do Ouvidor. Dá para ver o acesso/trilha pelo morro até as dunas. Parece bem acessível à Praia do Ouvidor, mas não percorri esse trecho da trilha.

 

Caminho do Rei

São 6 km da Praia do Rosa até a Praia do Luz, com piscinas naturais, cachoeiras e vertentes de água. No alto do morro pode-se visualizar a Lagoa de Ibiraquera, na direção da serra do mar. Diz a lenda que diversos tesouros foram escondidos na trilha que o Rei D. João VI percorreu quando esteve de passagem pela região. Da Praia do Luz pode-se seguir até a Barra da Ibiraquera. A volta pode ser feita pela Trilha do Mudo, que une a Praia do Luz ao Portinho do Rosa, com seus rústicos barracos de pesca

 

Trilha da Pedra Branca

Trilha da Pedra Branca, na região do Encantada, com 3 km, inicia com uma visita à histórica serraria, movida por uma roda d'água e segue pela Mata Atlântica. Depois de 45 minutos de caminhada, é possível alcançar o topo e observar praias e lagoas. Dá para fazer rapel na pedra

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

• Diversas fontes citam períodos que variam um pouco de uma fonte para outra, mas creio que encontrei a melhor resposta no site do Projeto Baleia Franca: "A temporada reprodutiva das baleias francas no Brasil é de julho a novembro, mas o melhor período para observação na principal área de concentração, a APA da Baleia Franca, é entre a segunda quinzena de agosto à primeira quinzena de outubro, quando um maior número de baleias francas costuma estar na região, permanecendo por vários dias nas enseadas."

 

• Na observação de baleias, "geralmente pares de mãe e filhote são avistados, nadando em paralelo à costa, e muitas vezes expondo a enorme nadadeira peitoral ou a cauda, ou dando impressionantes saltos fora d´água - tudo isso muito perto da praia!"

 

• A observação de baleias ocorre na faixa litorânea entre Palhoça e Jaguaruna. A maior concentração parece ocorrer em Imbituba e Garopaba, mas há dados de avistagens em Florianópolis, na Praia de Moçambique, por exemplo

 

• Em Garopada, depois da Ponte dos Pescadores, tem várias operadoras que levam para observar as baleias de barco. Tem a Base Cangulo, a Vida, Sol e Mar e o IBF, mas acho que esse último não vende passeios. Checar com a APA da Baleia Franca/ICMBio, quais são as operadoras de turismo de observação embarcado autorizadas na temporada corrente, pois as autorizações são anuais e podem mudar a cada temporada

 

• É difícil saber de antemão se os canais entre algumas praias estão secos e possibilitando a passagem. Depende da maré e da prefeitura que eventualmente abre os canais. Checar no CIT

 

• Disseram que o canal entre a Praia da Ferrugem e a Praia da Barra é transponível a pé, mas não testei a profundidade e não sei se chega a secar na maré baixa. Não há ponte nem caminho alternativo lá, só dando a volta pela rodovia

 

• Entre a Praia do Luz e a Praia Barra de Ibiraquera existe uma lagoa que tem um canal de ligação ao mar. Dependendo das condições da maré e da abertura desse canal, a passagem de uma praia a outra pode ocorrer ou não. Quando a maré está baixa e o canal fechado, é possível passar até mesmo de carro. Pelo que entendi, de tempos em tempos esse canal é aberto ou fechado pela prefeitura com o uso de

tratores/escavadeiras que deslocam a areia conforme desejado. Parece que isso é feito para a entrada de peixes. Quando passamos por lá a maré estava alta e o canal tinha sido aberto, estava muito largo e cheio. Não tentamos ver se dava pé para atravessar, pois estava muito frio para entrar na água. Os carros também estavam voltando

 

• Caminho do Rei: disseram que perdeu a graça depois que a estrada foi aberta. Antigamente era uma trilha, um túnel cercado de vegetação e iluminados pelos vagalumes à noite, hoje é uma estrada

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  



×
×
  • Criar Novo...