Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Salar de Uyuni: De onde Ir? Uyuni, San Pedro de Atacama ou Tupiza


Posts Recomendados

  • Membros de Honra

Montei este tópico, porque as informações que encontrei na internet eram muitas, mas pouco organizadas. Todos falam de ir para o Salar de Uyuni saindo de San Pedro de Atacama ou Uyuni. Mas poucos comentam de uma terceira opção: Tupiza. Acho que todos tem seus atrativos, cabe pensar e decidir a logística da viagem. De onde vêm e para onde vai.

Coloquei dicas que eu achei relevante para a viagem, mas não descrevi lugares e paisagens, porque o próprio fórum tem muitos relatos.

 

Onde pegar o tour para o Salar de Uyuni

 

Uyuni

O mais tradicional e conhecido é pegar o tour para o Salar de Uyuni e parque Avaroa saindo de Uyuni. A cidade fica na Bolivia, a 3700m de altitude. Se pode chegar via Potosi ou Oruro e La Paz.

 

Tours:

Os tours clássicos que saem de Uyuni são basicamente os de 3 dias/ 2 noites. Passando primeiro pelo Salar de Uyuni, lagunas hedionda, colorada e verde e deixando na fronteira com o Chile quem vai para San Pedro de Atacama. Ao final retorna a Uyuni com os viajantes que continuam a viagem pela Bolivia.

Existem outras opções: tours de 1 dia somente para o Salar de Uyuni. Opção de tours privados, mais caros, mas que ficariam nos hotéis de sal da rede Takya, com um pouco mais de conforto. Ou opções com mais dias.

Existe uma opção de tour terminando em Tupiza. Neste caso não sei como funciona. Me parece que o jipe retorna a Uyuni e de lá há outro jipe para Tupiza. Isto é interessante para quem quer conhecer Tupiza e depois segue para Argentina. Ou se todos vão pra Tupiza o Jipe ruma direto de Avaroa, passando por Sur Lipez até Tupiza.

Geralmente são 6 pessoas por jipe + motorista. Se quiser menos pessoas, você terá que pagar pelo lugar que seria ocupado. Cuidado com a agencia que escolher, pois há casos de até 7 pessoas + motorista, o que acho muito apertado.

 

Custos: Tudo depende da negociação. Mas acho a média deve estar entre 120 a 150 dolares pelos 3d/2 noites.

 

Tupiza

A cidade de Tupiza (3.000m altitude) está a 3 horas da fronteira da Argentina (La Quiaca) com Bolivia (Villazón). Há trens, ônibus e Taxi coletivos desde Villazón. Me parece que a estrada está pavimentada agora e o tempo diminuiu para 1:30h de ônibus. De Potosi e La Paz também há ônibus frequentes.

Tupiza, ao contrário de Uyuni, tem outras atrações. Caminhadas, cavalgadas, trekkings e quem é fã de faroeste pode ir conhecer San Vicente, onde dizem que Butch Cassidy e Sundance Kid foram mortos pelo exército boliviano quando tentavam fazer mais um roubo.

 

Tours: Os tours clássicos são de 4 dias/ 3 noites. Saem de Tupiza passando pelo Sur Lipez, Laguna Verde, Colorada, Salar de Uyuni, terminando em Uyuni para quem segue para La Paz ou outros lugares, ou retornando para Tupiza.

 

Existe uma terceira opção, para quem quer ir a San Pedro de Atacama. Ao terminar o tour em Uyuni há jipes que saem entre 16h e 17h de Uyuni e vão para Hito Cajon, na fronteira com o Chile, deixando o viajante e recolhendo os que vão começar o tour para o Salar desde SPA. O valor é de 50 dolares. Inclue jantar e café da manhã e pernoite em Villa Mar. As agências que fazer este percurso são: Mistica Atacama, Cordillera Traveller, Colque, Andreas Tour e acho que Andes Expedition.

 

No tour saindo de Tupiza são jipes com 4 pessoas + motorista + cozinheira (dependendo da agencia). Acho mais confortável.

As agencias recomendadas são a Tupiza tours e Las Torres, que são as mais tradicionais. E como em Uyuni, tours privados também podem ser feitos, especialmente se vc tem um grupo já de 3- 4 pessoas e quer por exemplo terminar em SPA ao invés de Uyuni. Neste caso o tour começaria saindo de Tupiza, indo por Uyuni e não por Sur de Lipez. O valor não muda muito se for grupo de 4 pessoas, para o roteiro finalizando em SPA, ficando nos refúgios básicos.

Pelo contato que fiz por e-mail, eu gostei do atendimento. Responderam as dúvidas com agilidade e simpatia.

 

Custo: em torno de 180 a 200 dolares pelos 4 d/ 3noites. Repare que de Tupiza vc tem 1 dia a mais de tour (Uyuni são 3 dias/2noites)

 

San Pedro de Atacama

San Pedro de Atacama (2.400m altitude) está localizado no norte do Chile, perto da Cidade de Calama. Não há como não citar que SPA por si só tem muitos atrativos para fazer um viajante ficar vários dias por lá.

 

Tours: os tours para o salar de Uyuni são de 3 dias/2 noites, para quem termina em Uyuni ou de 4 dias/3 noites para quem retorna a SPA.

Para quem faz o de 4d/3n, o último dia, depois de terminado o tour em Uyuni, será o retorno com outro jipe, pernoitando em Villa Mar. A saída é entre 15:30 e 17h, chegando a noite em Villa Mar. Saída as 4:30h da manhã, pra poder estar em Hito Cajón as 9:30h. São os mesmos jipes usados pra quem quer só fazer o transfer de Uyuni a SPA.

Existem opções de tour privados também ( 2 dia/1noite e outras opções). Vi um tour de 1 dia para Laguna Verde e Colorada, cerca de 45.000 pesos chilenos. Esta opção talvez interesse para quem já fez o tour de 1 dia para o Salar de Uyuni ( desde Uyuni)

As agências que fazem este tour geralmente são: Cordillera, Mistica Atacama, Andes Expediciones e algumas outras.

No jipe vão 6 pessoas+ motorista.

 

Custo: Depende da agencia e negociação. Em torno de 180 a 200 dolares para o tour de 4d/3n.

 

Cuidados para o tour

 

Independente de qual lugar escolher para pegar o tour leve em consideração que imprevistos podem acontecer. Motor fundir, carro quebrar, etc.

Se ouve muitas historias de motoristas bêbados, acidentes, falta de comida, não ter todo o itinerário cumprido, etc. A conclusão que cheguei que não há como prever se o motorista ficará bêbado ou não. O melhor para evitar e prevenir é fazer amizade com ele e sempre monitorar. Outro ponto é que, quanto mais vc barganhar, menor será a margem da agência. De algum lugar eles tem que cortar os custos. E aí advinha onde isto reflete? Qualidade da comida ou quantidade menor, menor manutenção dos carros, motoristas que recebem menos (e mais insatisfeitos), acomodações piores, etc. Pense se vale a pena economizar assim. Barganhar é importante para não pagar absurdos, mas sempre tem um limite.

 

Percebi que os bolivianos não gostam de viajantes ou turistas arrogantes. E se isto acontecer ele pode não entregar os serviços da maneira como deveria (dirigir rápido pra acabar logo o tour, responder mal educado ou querer infernizar a sua vida na viagem). Não aconteceu com ninguém do meu grupo, mas ouvi histórias.

Os tours de Tupiza tem recebido boas recomendações, pois me parece que os motoristas são mais conscientes de sua responsabilidade e o que ajuda é que a cozinheira que vai junto geralmente é a esposa. Então ele não vai beber ou fazer besteiras durante a viagem . Mas como disse, isto não é certeza de falta de problemas, pois pode acontecer em qualquer lugar.

 

Leve em consideração que os motoristas são somente motoristas. Podem dizer que são guias, mas não são. Eles fazem o básico. Se vc quiser um guia terá que contratar à parte, geralmente pagando uns 80 dolares a mais. Acho que o importante é que o motorista seja um bom mecânico, porque se der problema ele conseguirá resolver. Nenhum deles, que eu saiba, tem conhecimentos de primeiros socorros ou como agir em caso de acidentes ou emergências. Então nestes casos vá preparado: leve seus remédios, e tenha o mínimo de noção de como agir.

 

Também não carregam rádios ou qualquer meio de comunicação em casos de emergência. O celular não pega. Alguns tours privados oferecem o telefone por satélite. Há riscos de ficar perdido no meio do Salar? Há, se o motorista for inexperiente. E li um relato de um casal brasileiro que aconteceu isto, mesmo eles pagando um tour privado. Se quiser leve um GPS. O iphone funcionava muito bem como GPS.

O grupo formado também faz a diferença. Ir com um grupo que se dê bem pode ser mais agradável. Sempre tenha o bom senso e tolerância, porque o grupo pode ser formado por pessoas de diferentes nacionalidades e culturas diferentes. O bom aqui é a troca de experiências. Estabelecer um rodízio nos assentos também é legal. Os assentos traseiros são os mais apertados, então fazer um rodízio é bom e todos terão a oportunidade de sentar na frente.

 

Outro cuidado a ser tomado. Todos os tours fazem o mesmo caminho e basicamente oferecem as mesmas coisas, com algumas exceções. Pesquise as agencias e preços. Perguntem o que oferecem e o roteiro. E se assegure que realmente irão sair no jipe daquela agência.

Há pessoas que pagaram o preço mais caro pela Cordillera, mas acabaram realocados para os jipes de outras agências, onde os preços eram mais baixos. Não sei dizer se a qualidade dos tours eram iguais, pois não consegui falar com esta pessoa no final. Mas no meio do caminho, quando a encontrei ela me disse que havia uma diferença e ela havia escolhido a Cordillera por esperar algo melhor, mas acabou sendo realocada pra outra. Nosso grupo era de 13 pessoas. E cada jipe levava 6 pessoas. Faça as contas. Alguém ficaria de fora.

 

A minha impressão é que olhando para os outros jipes e refúgios, eu diria que os serviços da Cordillera eram um pouquinho melhores. Mas não quer dizer que eles estejam isentos de problemas.

Em épocas de chuvas o roteiro pode mudar.

 

E finalmente, preserve! Os lugares e paisagens são lindos. Tenha em mente não deixar lixo para trás ou molestar os animais. E quando for usar o banheiro “ecológico”, recolha seu papel higiênico! Eu vi “plantações” de papel higiênico em alguns pontos de parada, pendurados nas moitas ou carregados pelo vento.

 

Hospedagem

 

A hospedagem durante o tours são bem simples. Independente de qual cidade vc escolha pra sair. Todos vão parar nos mesmos lugares ou vilarejos. Em laguna Colorada há vários refúgios e cada agência escolhe onde vai ficar. A Cordillera traveller, que foi a agencia que usei, tem o seu próprio refúgio, que eu particularmente gostei pela limpeza e boa manutenção. Ela fica isolada dos outros refúgios, ficando do outro lado do rio. Os banheiros e chuveiro são coletivos.

Geralmente os refúgios de Laguna Colorada e Villa Mar não tem chuveiros. Já os hotéis de Sal sim. A maioria cobra pelo uso da ducha. Já o da Cordillera não precisamos pagar pelo banho.

 

Dica: tente ser um dos primeiros a tomar banho. Depois de diversas pessoas a água que é aquecida por painel solar, se torna gelada. Por isto, para não deixar seus colegas tomarem banho gelado seja breve e rápido no seu banho, para todos terem chance.

 

Caso, você não queira ou ache que não serve para compartilhar dormitórios e banheiros, sugiro que contrate um tour privado. Os tours privados cobram mais caro e a hospedagem geralmente são nos hotéis ecológicos ou da Rede Takya, que tem quartos com banheiro privado e aquecimento (estes são desligados de noite). Quando fiz minha pesquisa, um tour neste nível estava em torno de 2.000 dólares o jipe. Mas também não está livre de problemas, como pneu furado, motor fundido, etc. O tour passa por lugares inóspitos, sem estradas, deserto, então isto contribui para o desgaste muito maior do carro.

 

Faz frio durante o dia e também à noite. Laguna Colorada por estar em uma altitude mais alta faz mais frio que no hotel de Sal que é mais perto do Salar. O refugio que ficamos alugava sacos de dormir. Eu levei um que aguentava ate 2°C. Foi o suficiente. Acho que até um que aguente 5ºC, jogando os cobertores por cima devem dar conta do recado. Não passei frio e estava bem confortável. De acordo com medição de um colega, a temperatura interna estava em torno dos 10ºC no dia que estávamos lá. Mas já ouvi de outra pessoa que o dia que ele foi, a temperatura estava negativa.

Já perto do salar a temperatura é mais quente. Até ficamos de camiseta no hotel de sal. Mas pode esfriar de noite.

A maioria dos refúgios tem eletricidade por gerador e ao redor das 22h os geradores são desligados. Para recarga de baterias e afins só foi possível no hotel de sal.

 

Alimentação.

 

No tour estão inclusos as 3 refeições. Café da manhã, almoço e jantar. E coca cola 

Água você deve levar a parte. Calcule uns 1,5l por dia/pessoa. Eu levei 3 litros e deu o suficiente pra mim. Mas eu bebo pouca água. O ideal é beber bastante água pelo clima seco.

 

Vou comentar como foi a alimentação no meu caso especifico. As refeições pra mim foram suficientes, não senti falta de comida. Até achei a comida saborosa e bem feita. O café da manhã era o básico: pão, margarina, geleia, água quente para chá e café. Em um dia tivemos ovos mexidos e no outro iogurte. O café da manhã na fronteira, tanto na ida como na volta também tinha frios e sucos.

O almoço dependia da logística. Um dos dias chegamos cedo ao refugio e o almoço foi preparado pelas cozinheiras de lá. Almoço quentinho em um ambiente frio era uma benção. Sempre tinha uma salada (de tomate, ou tomate e abacate, pepino). O prato principal era basicamente: macarronada, ou arroz a grega, legumes, frango grelhado, (dependia dos ingredientes disponíveis) etc, e uma fruta de sobremesa. Quando estávamos na estrada o almoço já tinha sido preparado bem cedo pelas cozinheiras do refúgio e o motorista só precisava montar a “mesa”. Coca cola sempre presente no almoço e jantar. Teve um dia que nos deram pirulitos rs.

Antes do jantar tínhamos o chá da tarde. Água quente para chá ou café e bolachas. Ficavamos no refeitório conversando e bebericando o chá até a hora do jantar.

O jantar tinha sempre uma sopa de entrada e o prato principal mais uma sobremesa. No nosso último dia a sobremesa foi substituída por uma garrafa de vinho ::hãã2::

 

Saúde

 

Leve todos os remédios que usa ou que acha que pode precisar.

Antes de viajar passei pelo médico da clinica dos viajantes no HC de SP. Vou repassar aqui a lista que me deram, mas recomendo sempre passar no médico antes pra ver quais são as melhores opções, pois depende de cada caso.

 

-Ibuprofeno para dor de cabeça ou outra dor. É um antiinflamatorio e analgésico.

-Buscopan para mal estar e enjoo. As pessoas não recomendam dramin, porque dá sono e diminui a frequência respiratoria, piorando a falta de ar. Existe a opção do dramin B6, que não daria sono. Usei ele em algumas partes e não tive sono.

-Diamox para ajudar na adaptação. A dose recomendada foi de 125gr por dia. Tomar 1 dia antes da subida a altas altitudes + 3 dias. O efeito colateral é que é um remédio diurético. Beba muita água para não se desidratar.

-Antibiótico para caso especifico de diarreia com febre.

Além destes, levei minha “farmácia” particular: antialérgicos, pra gripe, gazes, esparadrapo, etc. Até levei o dexametasona, se houvesse uma emergência.

 

Leve também:

 

-rinosoro ou soro fisiológico ou um gel umectante nasal. O clima muito seco faz o nariz ficar bem irritado e sangrar.

-colírio para os olhos

-rolo de papel higiênico (pelo menos 2). Sempre é bom ter um de reserva. (Eu consegui derrubar um dentro da privada.)

-hidratante

-Protetor solar e óculos de sol.

-lanterna para usar de noite para ir ao banheiro ou procurar algo.

 

Quanto a altitude não tive problemas. Meu receio era por conta da asma que tenho, mas não senti praticamente quase nada. Antes de sair para o salar de Uyuni, tentei fazer uma adaptação a altitudes. Fui via Salta e Jujuy. Salta já estava a 1200m, de lá fui a Purmamarca a 2.000m e Tilcara 2.500m. Fiz um passeio a San Antonio de los Cobres as 3.500m e passei pelo paso de Jama a 4.200m. Desde SPA fiz um passeio ao Salar de Tara que devia estar a 4.300m.

O grande problema de quem vai desde SPA ao Salar de Uyuni é o salto na altitude. SPA está a 2.400m e Hito Cajón a 4.500m. Sol de La Manaña, onde stão o geysers ficam a quase 5 mil metros.

15 dias antes da viagem também comecei a tomar Citoneurim 500gr pra ver se ajudava na adaptação. Não sei se foi a adaptação lenta à altitude que me ajudou ou se foi o citoneurim mais a adaptação. ::hãã2:: Digo isto por fazer comparações a situações anteriores. Já fui a grandes altitudes, mais de 3.700m e senti dificuldades para respirar e dor de cabeça. Sei que meu corpo não tem problemas até uns 3.500m, mas passou disto começo a ter dificuldades. O diamox eu praticamente tomei somente 1 vez, metade do comprimido na noite anterior ao tour. Como não senti problemas relacionados a altitude e o fato de ter que ficar indo ao banheiro ( entenda pedra e matinho) toda hora resolvi que não precisava de mais.

 

Consideração final

 

Eu decidi depois de muita pesquisa e montar meu roteiro ir para o Salar de Uyuni desde SPA. Minha ideia inicial era ir por Tupiza, que era próximo a fronteira da Argentina e eu estava na região de Salta e Jujuy. Porém eu queria ir para SPA e decidi que queria conhecer o paso de Jama, então juntando toda a logística SPA foi a melhor escolha.

 

 

 

20121108092253.jpg

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 meses depois...

  • Respostas 36
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros de Honra

Olá Mmulerg, voce leva toda a sua bagagem. A não ser que voce saia de um ponto e retorne para o mesmo lugar. Mas muitos seguem, por exemplo de SPA a Uyuni e não retornam ou vice-versa.Se for retornar para o ponto de partida, quanto mais leve melhor, mas sem esquecer o essencial, pois a viagem será por lugares sem muito conforto ou ponto de apoio.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 semanas depois...
  • 1 mês depois...
  • Membros de Honra

Mehor vc primeiro se adaptar em SPA com a altitude e depois ir para o salar. Vc pode fazer passeios, subindo gradativamente a altitude conforme seu corpo se adapta. Reserve 1 noite na volta em SPA antes de ir a Santiago. Os tour do salar pode ter problema e atrasar na volta, então se vc for pegar voo no mesmo dia de retorno acho arriscado.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Recados no Perfil

Obrigada heka!!Quantos dias acha que devo reservar pra SPA.Sobre o passeio pra Uyuni posso tratar por lá mesmo?Me falarm que era tudo "seco" em julho..sabe oque significa isso? se vale a pena ir assim mesmo?

abraços

 

alessandra SB

=======================================

 

Oi, depende do que vc quer ver. Acho q uns 4 dias pra adaptação. Faça passeios com aumento de altitude gradual. No molhado o salar parece um espelho, mas na epoca seca voce também ira aproveitar. É só buscar por fotos no google, pra vc ver. Jan-fev é a epoca das chuvas e também de mais riscos, pois podem ter acidentes ou o jipe não ir para o salar por estar inundado. Eu fui na epoca seca, outubro e pude aproveitar muito bem os dias por lá.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 meses depois...
  • Membros

Galera,

 

Sairemos do Brasil para Sta Cruz de la Sierra dia 12.07 e teremos que voltar dia 22.07. Minhas dúvidas:

 

1. De Sta Cruz é fácil pegar um voo até Sucre sem reservas ou melhor fazer a compra ainda no Brasil?

 

2. Teremos 10 dias, sendo 1 de ida e 1 de vinda, restando 8 dias de tour, o que dá pra fazer sem miséria de tempo e correria, Salar + outro tour pela BO mesmo ou Salar + Atacama?

 

3. O hotel de sal é difícil conseguir hospedagem?

 

Aguardo a ajuda de vcs!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Todos os tours tem pelo menos 1 pernoite no hotel de sal, independente de qual voce escolha. Se vc só tem 8 dias, faria o tours do salar e mais outra coisa na Bolivia mesmo, há bastante coisa pra se ver lá.

Muito fora de mão ir para o Atacama e voltar pra Bolivia depois. A nao ser q vcs voem pra San Pedro de ATacama e de lá peguem o tour pro Salar saindo pela Bolivia.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Muito boas essas informações, eu não sabia sobre essa opção de sair desde Tupiza. Pretendo fazer atacama/uyuni/NE Argentina, mas ainda não resolvi bem o roteiro. Vou pesquisar mais e se eu fizer, volto pra contar :)

ps. vc não vai fazer um relato dessa trip?

abraços!

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...